1. Spirit Fanfics >
  2. Os Marotos e a era da Serpente >
  3. Origens

História Os Marotos e a era da Serpente - Capítulo 103


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente está é a segunda parte de Origens narrada por mim. Não irei adentrar muito na história pq talvez faça uma fic sobre eles

Capítulo 103 - Origens


Fanfic / Fanfiction Os Marotos e a era da Serpente - Capítulo 103 - Origens

( POV Autora )

A manhã seguinte após o casamento de Walburga e Órion Black foi de veras estranha para o jovem Devon, havia acordado com uma dolorosa ressaca onde teve que ter dor de cabeça ao ouvir os sermões do pai por se misturar com - o que San Wolf - chamava de venenosos os Black. Devon odiava o pai, sabia que muitos bruxos tinham preconceito quanto aos lobisomens, mas seu pai tinha preconceito quanto aos Black.

Não aguentando mais ouvir os sermões insanos do pai, Devon decidiu sair a cavalo pelos arredores de Carvalho Branco que um dia seria responsabilidade sua proteger o lugar e as pessoas que lá viviam. Acenava gentil e alegre para todos que passavam por ele, mas foi quando avistou sua vizinha Anastácia que se recordou de algo na noite anterior. A jovem Anastácia possuía longos cabelos louros, que fizeram lembrar Devon sobre os flertes trocados com uma loira chamada Esther que conheceu mais abertamente noite passada.

Devon já conhecia Esther de Hogwarts, lembrava-se bem de como possuía desafeto pela sonserina que era sempre tão certinha e tão reservada quanto sua vida fora da escola. Jamais foi parar em alguma detenção e sempre teve fama de boa aluna que nunca teve que ouvir de algum professor que teria de chamar seus pais para resolver algum problema quanto a seu comportamento, na verdade nem os professores saberiam responder quem são os pais de Esther que agora vivia casada com Sebastian Scott um sujeito da sonserina um tanto grosseiro e ameaçador se visto com maus olhos.

O jovem Wolf sabia que era errado, afinal a moça já era casado e ele já estava prometido a uma bruxa muito amorosa, mas não conseguia negar a atração que sentia por Esther desde a noite passada. Tão linda pensou Devon ao lembrar de como os cabelos dourados da mulher lhe dava um ar de esbelta quando soltos e caídos nos seus ombros nus graças ao vestido vermelho tomara que caia que destacava suas curvas.

Foram semanas pensando na loira, gostaria de todas as formas de reencontra-la, mas nada sabia sobre o paradeiro da mesma, seus amigos recém casados ainda não haviam voltado da lua de mel então não havia como perguntar sobre, Cygnus estava ocupado sendo obrigado a galantear Druella e não poderia dar atenção a Devon, Eileem ocupava sua mente desiludida interagindo com trouxas, Albus estava passando as férias com um amigo em Tokio, um tal de Doge, Charles não era tão íntimo dos sonserinos na época de escola e Hope também não era próxima. Restava apenas esperar que a vida permitisse que ele a encontrasse novamente.

Nove anos teriam se passado, Devon já havia tirado a loira da cabeça e aceitado que não a veria mais depois que seus amigos resolveram não informar sobre a loira, já que sabiam o que o moreno pretendia. Devon então se casou e tinha um lindo filho de 8 anos cuja ele amava muito, sua esposa era linda e fiel, amava e cuidava dos dois homens da sua vida com todo amor que tinha por eles e que não era pouco. Mas mesmo gostando muito de Davina, Devon não a amava, não eram parecidos, Devon era aventureiro, gostava da adrenalina que corria em suas veias, arrumava encrenca sempre enquanto dua esposa já era mais calma e quase submissa a ele que se preocupava com toda essa devoção que ela sentia por ele.

Devon jamais quis ferir os sentimentos da esposa, mas quando reconheceu a mulher a sua frente quando passeava com seu filho em Hogsmead algo em seu coração surgiu.

- Esther? - ele perguntou ao parar em frente a uma loja de roupas onde Esther observava a vitrine de roupas.

- Devon Wolf? - a mulher se vira e pergunta ao ver o homem forte de cabelos castanhos junto a um garotinho de 8 anos de idade de mãos dadas.

- Sim, nossa você mudou muito... Pra melhor é claro! - ele sorri de fato encantado com a beleza da loira.

- Obrigada, mas você também mudou bastante... Pra melhor também, mas confesso estar surpresa quanto a você ser pai! - ela sorri

- Somos dois então - de ri e depois olha para o filho que olhava em direção a loja de brinquedos do lado. - onde está morando ? Não vejo você desde o casamento de Walburga é Órion e isso tem uns 7 anos já!

- Andei pelo norte da Itália com meu marido e depois Paris entre outros lugares, tivemos que voltar porque Sebastian conseguiu um emprego como autor aqui em Hogwarts, estou morando na Londres Trouxa!

- Ah eu imagino que vocês estejam muito felizes, já é mãe?

- Não, graças a Deus não! - ela parecia feliz com a resposta o que deixou Devon interessado já que estava acostumado com mulheres de mente onde a ambição foca em ter um marido, casa e filhos.

- Papai vamos na loja de brinquedos! - pediu impaciente Jasper puxando a mão do pai tentando obter forças para arrastar o pai até onde ele queria.

- Preciso ir, esse homenzinho tem que comprar algum brinquedo antes de ir pra casa, espero te ver de novo!

- Também espero! - ela fala sorrindo sedutora 

Quando cada um foi para um lado Devon sentiu um tremendo arrependimento  por nao ter descoberto meios de ver a loira novamente, esperou 8 anos para ver a mesma então sabe se lá em que outro momento a veria, será que teria de esperar mais 8 anos para isto acontecer? 

Aparentemente não, enquanto andava pelos corredores da mansão Black daquele ano de questionando sobre quando a veria novamente, adentrou ao lado de Órion em um quarto onde em volta do berço do pequeno Sirius estava Walburga e Esther.

- Devon meu amigo, aproxime-se, venha ver seu afilhado! - Walburga fala e antes que Devon olhasse para dentro do berço em encara com um olhar brilhante Esther que retribui na mesma forma.

Logo todos estavam nos jardins conversando sobre o casamento de Cygnus enquanto Wal olhava com carinho para o filho ainda minúsculo em seus braços.

- Ainda não acredito que Cygnus se casou com a chata da sua irmã, Wal! - Fala Devon com um olhar maldoso ao pensar na irmã má da amiga.

- a pobre alma do homem não tinha escolha, meu primo teria de se casar com ela mesmo não a amando! - responde Órion concluindo que teve sorte de poder se casar com uma mulher na qual amava muito.

- Pensava que ele estava gostando da Prince! - falou Esther

- E estava, mas a vida não permitiu que tal coisa acontecesse. Pobre Eileem, gostava muito de Cygnus, mas era um amor impossível - respondeu Wal beijando a testa de Sirius que sorriu banguela, porém a mãe via beleza em seu jesto fofo e feliz.

- Eu me encaro um homem de sorte, tenho uma esposa na qual amo muito e agora um filho para me orgulhar todos os dias! - Órion sorri orgulhoso e pega o filho nos braços depois de beijar a esposa. Devon admirava e ficava feliz pela felicidade dos amigos.

Meses foram de passando e muitas foram as vezes que Devon e Esther se encontraram algumas vezes entre amigos e outras em partículas até que Devon não resistiu a tentação tomando Esther em seus braços. A felicidade do Wolf era evidente, sua esposa já desconfiava das demoras para voltar pra casa do marido que andava sempre de bom humor, jamais ousou questionar o marido de suas demoras a voltar pra casa, pois Devon era um bom pai, seu filho estava sempre feliz em ver o pai que dava toda a atenção ao menino e ficava feliz em ouvir a esposa falando sobre seu dia, mas depois de algumas semanas Davina sentiu a falta do marido.

Devon não a tocava, não a beijava intenso como antes, apenas selinhos e um sexo tradicional sem muita animação, Davina sentia falta de ser desejada, mas o marido parecia ter a cabeça em outro lugar, ou em outro alguém.

- Minha esposa já está desconfiando de algo! - falou Devon acariciando as costas nuas de Esther deitada em seu peito nu.

- Deixe-a desconfiar, quem sabe ela não te deixe e assim posso ter você só para mim! - ela beija o peito do outro que sorri feliz.

- Não acha isto cruel? Nós temos um filho juntos, 8 anos de história não se acabam assim tão fácil!

- Desde que você seja meu por mim está história acaba de qualquer maneira que me faça ter você rápido! - ela olha para Devon que corresponde o olhar.

- Eu amo você! - ele diz rouco e cansado por causa do ocorrido horas antes.

- Eu também Devon! - ela beija os lábios do moreno que sente seu coração aquecido pelo momento.

Após tomar um banho junto da loira ele volta pra casa. Chega na Vila e feliz adentra na casa chamando pela esposa e filho, por ser tarde e ninguém ter aparecido ele deduz que estão todos dormindo, mas ao entrar em seu quarto conclui outra coisa. Sua esposa estava ali, fria e paralisada, seu corpo magro estava deitado na cama sem vida enquanto o corpinho pequeno e quente do filho estava abraçado ao corpo da mãe. Ele chorava baixinho e chamava por ela em sussurro.

O funeral foi no dia seguinte, Devon se culpou por semanas antes de contar aos amigos o motivo na qual Davina se matou. Todos ficaram espantados, mas nada podiam fazer, muitos também não imaginavam como seria se amassem outra pessoa, mas vivessem com outra, já outros como Cygnus e Albus compreendiam bem está dor. O menino Jasper se isolou, se tornou uma criança triste na qual Devon não conseguia lidar, então este foi passar um tempo com sua avó enquanto Devon só tinha como alegria - de acordo com ele - a sua amada Esther. Mas Devon continha em segredo algo que não ousou contar a ninguém nem mesmo a sua amada, na noite em que o coração de Davina parou de bater, o seu lobo surgiu e em toda lua cheia ele se transformaria em um lobo enorme de pelos negros como a noite de dentes e garras afiadas capazes de matar tudo o que o ameaçar.

- Não devia estar aqui com você, não tem um mês que minha esposa morreu... - O casal de amantes estava novamente em um quarto as escondidas do mundo

- Ex esposa. Ela está morta Devon. O que nos beneficia! 

- Pare de falar desta forma, parece que é uma pessoa ruim!

- Talvez eu seja, mas penso que se aproveitar de uma oportunidade como está é coisa de gente esperta e não má! Devon sua esposa está morta, podemos em fim ficar juntos, basta apenas me pedir que eu largo de Sebastian e sou unicamente sua!

- Esther eu amo você, mas é tão cedo! 

- Nunca é sedo quando se ama de verdade! - ela tinha um tom de voz manipulador 

Semanas se passaram e Devon se tornou o alfa e estava decidido em fazer o que Esther queria, iria tornar oficial o que ambos tinham um com o outro, mas precisava contar a ela sobre o lado obscuro dele e foi em uma noite na qual ela queria contar também algo a ele, que ele decidiu revelar seu segredo.

- Estou tao feliz! - ela fala beijando ele em seguida 

- por que?

- Tenho uma notícia pra te dar que acho que vai te fazer feliz e muito! - Ela sorria largo

- E o que é? Já estou curioso! - ele sorriu e aguardou ansioso pela resposta de Esther que após alguns segundos de suspense revelou o que queria.

- Estou grávida Devon, o filho e seu tenho certeza. Devon você vai ser pai! - ela sorria com os olhos brilhantes analisado a reação emocionada dele que tinha lágrimas de alegria ao dizer;

- Eu vou ser pai! Meu Deus eu vou ser pai de um filho com você! - ele beija Esther em meio lágrimas e sorrisos de ambos - Obrigado, muito, muito obrigado! - ele revezava em beijar bochecha, pescoço, testa e lábios de Esther que sorria feliz até Devon parar de fazer isto e fechar a cara.

- O que foi? - ela perguntou confusa - Dev?

- Eu preciso te contar uma coisa!

- Que coisa?

- Você me ama, não ama?

- Ora, mas é evidnehte isso, não?

- Me amaria mesmo que eu não fosse quem você acha que sou?

- Do que está falando Devon? - ela fechou a cara aflita

- Eu amo você Esther, e já amo está criança que é nosso filho, mas você precisa saber, precisa saber porque é provável que esta criança nasça como eu!

- Você está me assustando Devon!

- Não se assuste, eu te amo e não tem nada de errado em ser o que sou ou em ser o que está criança talvez seja! 

- E o que ela vai ser Devon? - esbravejou Esther com raiva desta agonia que sentia com a demora e os te amo execivos de Devon. - Fala logo! O que está criança vai ser? O qie você é?

- Esther eu... Eu... Eu sou um... Um..

- Um o que?

- lobisomem... Um lobisomem, Esther!

Esther se calou, abismada não sabia o que dizer, se afastou de Devon com as mãos na cabeça se sentindo atordoada.

- Você é um lobisomem! POR QUE DIABOS VOCÊ NÃO ME CONTOU ANTES? - ela perdeu a sanidade

- Eu não tive coragem e antes eu só era um bruxo, mas quando Davina morreu, foi quando me transformei... Ma-mas isso não muda nada, ainda sou eu, que te ama. Não sou como estes bruxos ignorantes como Lupin pensam que os lobos são, não sou um assassino a sangue frio, eu...

- PARA DE FALAR DEVON! - ele se assusta com o tom de voz da mulher - mentiu pra mim, transou comigo, me contaminou me dando um filho seu! Devon eu posso estar com um monstro dentro de mim!

- Não diga isso - ele pareceu ferido com tais palavras - Não sabe o quão errado é pensar assim, essa criança é uma bênção não um monstro!

- ESSA CRIANÇA É UMA ABERRAÇÃO ASSIM COMO VOCÊ!

🐍

- E foi assim que tudo começou, no momento em que sua mae abandonou Devon, você, um mero feto, começou a crescer dentro dela!

Marceline não conseguia acreditar, ainda tinha tantas perguntas, tantas dúvidas, questionamentos que martelavam em sua mente, descobrir que seu pai não era aquele na qual ouviu chama-la de filha diversas vezes, ouviu de sua boca que a amava, lhe presenteou com diversos presentes e a pegou no colo quando chorava não era seu pai. Era doloroso de mais e tudo que ela conseguiu dizer foi.

- Eu tenho um pai! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...