1. Spirit Fanfics >
  2. Os Marotos no futuro? Desastre total!!! >
  3. Capítulo XLII

História Os Marotos no futuro? Desastre total!!! - Capítulo 42


Escrita por:


Notas do Autor


:)

Oi amorecos do meu Heart ❤️
Como vão? Tudo bem?

Eu sei que agr não é hora de postar capítulo, mas releva.

As fanfiqueiras e leitoras de Plantão dêem sinal de vida!!

Hihihihi

Eu poderia começar com meu discurso e dizendo o de sempre e blá blá, mas vcs já sabem né?

Então, desculpa a demora 😊

Tem mais ou menos uma ou duas semanas que eu comecei a escrever esse capítulo, eu pretendia postar semana passada, mas né... Aniversário do One Direction, dps vem a bonita da Swift lançando álbum quase me matando do coração... Enfim, não foi uma semana fácil.

Mas o importante é que eu escrevi um cap.

E ELE TÁ ATÉ GRANDINHO COM MAIS DE QUATRO MIL PALAVRAS DKDKDKDKSK

Eu nunca escrevi um capítulo nessa fic com mais de quatro mil palavras 🙁

CHEGA DE ENROLAR

EEEEEE

BOOOAAAAA LEEEIIITUUURAAAAAA POTTEEEERHEADS DA MINHA LIFE!! ❤️

Capítulo 42 - Capítulo XLII


                          Sirius Black

Quando Sirius chegou a casa dos gritos, por um instante ele não soube o que fazer. Havia quanto tempo que ele não saia com uma garota? Uns dezesseis anos? Ele balançou a cabeça, deixando o pensamento de lado. Ele não queria acreditar que tinha "perdido a experiência".

Eu não vou "sair" com uma garota, ele pensou meio aflito, apenas... Não desperdiçar o trabalho de Tiago e não deixar a garota triste.

- É apenas uma garota, Sirius... Só que bem mais nova que você... - ele subiu as escadas devagar, olhando em volta, a procura da menina.

- Olá! - ele olhou em direção da voz e viu a menina parada perto da porta recém consertada por Tiago. - Eu sou Taylor.

- Sirius - ele caminhou até ela, parando em seguida para observa-lá.

Taylor usava um belo vestido preto, com mangas longas e um pouco acima foi joelho. Sirius só conseguia pensar o quanto ela estava bonita... Para uma garota de quinze ou dezesseis anos.

Ele estava começando a se irritar de tanto que ficava pensando na idade dela. Mas ele não poderia negar que ela tinha idade para ser sua filha. Não que ele fosse velho, mas ele não tinha mais seus bons vinte anos de idade.

Eles ficaram em um silêncio constrangedor na corredor. Sirius não sabia se dizia alguma coisa ou não, afinal tudo que ele pensava em dizer parecia ridículo.

- Hmm está com fome? - Taylor perguntou, sua voz tendo um pequeno eco pelo lugar.

- Sim - Sirius entrou no cômodo e ficou surpreso com  o quarto. Ele não estava mais em farrapos. Bem, ele não estava perfeito para um encontro, - não que fosse um- ou qualquer coisa do gênero, mas Sirius tinha que admitir que o trabalho de Tiago foi bem feito.

Ele olhou para a mesinha no centro do quarto e viu as deliciosas comidas que tinha ali. Não era muito, apenas o suficiente para dois, mas parecia saboroso. Sirius olhou para Taylor que já o observava e ao ver que foi pega, corou fortemente fazendo o homem abrir um pequeno sorriso.

- Vamos comer - Sirius disse e ela se sentou e ele logo em seguida. - De qual casa você é?

- Corvinal - ela respondeu enquanto pegava um pedaço de torta de abóbora. - Você já ficou com alguma garota da Corvinal?

A pergunta fez Sirius se engasgar com o suco e Taylor teve que se levantar e dar batidinhas em suas costas para ajudá-lo a se recuperar.

- Me desculpe pela pergunta - ela falou voltando ao seu lugar. - Eu não sei por que eu perguntei isso... Eu- eu... Hm... Desculpa...

- Tudo bem, relaxa. Respondendo a sua pergunta... Eu, ahn... Já! Mas foram poucas vezes... digo... não mais que cinco...eu acho...

Taylor piscou os olhos, incrédula.

-  Está falando sério?

Sirius não sabia se ela estava falando sério ou não.

- Bom... Aaah eu era jovem... - Ele não tinha argumentos para tentar soar que quando jovem ele não era mulherengo.

- Não precisa disfarçar, eu conhece você. - ela pensou um pouco. - Pelo menos a sua versão jovem. E era muito fofo!

- EU?

- Sim, você! - ela sorriu de forma carinhosa para ele. - Por quê? Não me diga que você era...?

- Era o quê? - perguntou Sirius meio nervoso.

- Galinha!!

- Ei!

Taylor soltou uma gargalhada ao ver sua expressão.

- Você não namorava sério, namorava? - ela indagou.

Ele deu os ombros.

- Talvez...

- Merlin - ela riu de novo.

- Não tem graça. E eu não era mulherengo - ele protestou. - Só... Queria curtir a vida.

Sirius não conseguia entender por que ela estava rindo tanto.

- E pensar que... - ela começou a dizer mas logo se cortou, balançando a cabeça.

- O quê? - ela não respondeu. Sirius engoliu em seco. - Foi diferente com você, não é?

Ela ficou quieta  por um tempo, até dizer:

- Ele está deprimido porque tem que ir embora.

- E ele gosta de você...

- Não sei...

- A probabilidade é grande, embora não pareça.

- Acho que sim...

- E Tiago achou que se nós saíssemos... - Sirius suspirou pesadamente.

- Isso aí. - ela ergueu a cabeça e o olhou. - Mas, mas podemos apenas aproveitar o jantar. - ela propôs. - Como, Como... Não sei se amigos é uma palavra meio forte para isso...

- Eu adoraria ser seu amigo - ele falou interrompendo-a.

- Ah, acho que eu também - ela sorriu e Sirius achou seu sorriso tão encantador que ficou encarando-a.

- O que foi? - ela perguntou, começando a ficar vermelha de novo.

- Seu sorriso é bonito - ele sorriu para ela.

- Que bonito! - uma voz semelhante falou e com um susto Sirius viu a si mesmo, doze anos mais jovem.

- Si-sirius?! - Taylor exclamou surpresa.

- Então era por isso que Tiago estava tão estranho ultimamente junto com Lílian? Porque com certeza essa idéia estúpida seria dele. - ele falou seco.

- Sirius você age como se eu estivesse com outra pessoa... - Taylor falou com a voz embargada.

- E não é?

- Tecnicamente é você mesmo, só que...

- Com trinta e seis anos - ele completou, e balançou a cabeça. - Enquanto eu estou aqui tão chateado pelos cantos...

- E VOCÊ ACHA QUE EU NÃO SEI? - Taylor gritou. Dava para perceber a raiva na sua voz, mas a angustia era nítida. - ACHA QUE QUANDO EU TE CONHECI EU NÃO SABIA QUE ERA ARRISCADO ACONTECER O QUE ESTÁ ACONTECENDO AGORA? EU SABIA O TEMPO TODO! MAS FUI BURRA DE IGNORAR ISSO E AGORA VOCÊ VAI EMBORA E EU VOU CONTINUAR AQUI IGUAL UMA IDIOTA DEPRIMIDA POR SUA CAUSA!

Sirius se sentia um intruso ali vendo eles brigarem. Ele nunca pensou que ouviria isso dele mesmo. Ele estava triste por ter que deixar uma garota! Agora ele acreditava. Estava realmente apaixonado por ela. E ela por ele.

Taylor se levantou tão rápido que quase caiu. Ela se aproximou de seu companheiro de jantar e deu um beijo na sua bochecha.

- Obrigada por tentar, mesmo sabendo que era uma idiotice - ela sorriu, mas ele podia ter em seus olhos o quanto ela estava triste.

Sirius se pergunto se ele batesse na versão jovem dele se ia doer nele também, já que, tecnicamente, era a mesma pessoa.

Taylor foi em direção a porta, onde o outro estava e chegou perto dele, dizendo:

- Não culpe Tiago, ele só quis tentar deixar todos bem. Tenho certeza que ele ia pensar  em um jeito de ajudar  o amigo dele também.

- O único jeito dele me ajudar seria tento como levar você comigo. Ou eu ficar - o rapaz abaixou a cabeça.

Sirius estava começando a ficar farto de ver aquele romance de filmes trouxas bem na sua frente. Se ele fosse realmente tentar algo com Taylor, iria esperar até tudo estar em seu devido lugar.

- Bom, é... Eu vou deixar vocês - ele se levantou e antes que pudesse sair Taylor o puxou para um abraço.

- Obrigada Sirius. Espero te ver novamente.

- Vai ver com certeza - ele saiu do lugar e caminhou pelos jardins de Hogwarts, até sair da propriedade, chegando a Hogwsmeade e aparatando até sua casa. Ele escreveria uma carta para Tiago depois, explicando o que havia acontecido, mas naquela hora, ele só queria dormir e tentar não pensar no que acabara de acontecer.


                      Taylor Woodbine

Taylor e Sirius ficaram um silêncio por um tempo, até ele arranjar coragem e a abraçar, de um jeito manhoso.

- Eu fui um idiota, admito, mas por favor me entenda! Eu...

- Você está triste, eu já sei disso, mas não entendo o por quê de agir assim - ela se desvencilhou dele.

- Eu sei que Tiago queria que você e ele tentassem... Já que, tecnicamente, ele é eu! - ele se sentou na beirada da cama, que apesar de estar até "limpa", soltou uma leve camada de poeira.

- Ele achou que nós poderíamos nos apaixonar - ela se sentou ao lado dele.

- E você acha que poderia...? - Sirius nem tentou disfarçar o ligeiro ciúme que sentia.

Taylor soltou uma gargalhada.

- Você fica até fofo com ciúmes, sabia? - ela segurou seu rosto com as duas mãos o fazendo olhar para ela. - Sabe que é idiota sentir ciúmes de você?

- Sabe que eu sinto ciúmes de mim porque mesmo ele sendo eu, você está com meu eu de dezesseis anos e não de trinta e seis - ele encostou a testa na dela.

Ela ficou em silêncio, apenas pensando como seria quando ele fosse embora. Taylor queria estar preparada para quando ele fosse, mas definitivamente, ela não estava preparada psicologicamente e nem nada do tipo para vê-lo indo para um lugar onde ela nunca mais o veria.

- Prometa que mesmo se você se casar, se lembrará de mim? - ela pediu sentindo seus olhos marejados.

- Você é a primeira garota que eu realmente amei em toda a minha vida - ele fez uma pequena pausa. Continuou. - eu nunca vou me esquecer de você, Tay.

Ela o abraçou apertado, deixando as lágrimas molharem o ombro da camiseta dele.

- Acho que poderíamos ter uma despedida descente pelo menos. - Sirius sorriu para ela que confirmou com a cabeça.

Ele a beijou de forma lenta, colocando a mão em dia cintura. Taylor sentiu seu coração acelerar as batidas duas vezes mais. Os dedos dela exploraram aqueles belos cabelos dele, que eram macios como uma pena e tão cheiros.

- Sirius... - Ela interrompeu o beijo, engolindo em seco e o olhando. - Eu... Eu não...

- O que foi? Você não... - ele indagou.

- Não. Quer dizer, sim. Aah, é confuso!

Ele riu.

- Vamos comer essa comida que está aqui! Não apareci no Jantar hoje e estou morto de fome.

Eles se sentaram a mesa e comeram a comida praticamente toda enquanto conversavam alegremente.

- Que horas são? - ela perguntou, terminando de tomar seu copo de suco.

- Acho que deve ser mais ou menos 1 ou duas da manhã - Sirius respondeu.

- O QUÊ? - Ela praticamente gritou o assustando. - Por Merlin, hoje eu tenho que entregar uma atividade para o professor Snape...

Sirius revirou os olhos.

- É sobre o quê?

- Poção Wiggenweld!

- Aah, eu posso fazer para você em cinco minutos - ele se ofereceu.

- Eu não quero que faça. Eu quero fazer, porque se você fizer é capaz que eu não aprenda direito sobre ela e o professor Snape poderia perceber a diferença da minha escrita para a sua...

- Ok - ele a interrompeu. - Mas se precisar de ajuda, estou a disposição.

- Obrigada - ela sorriu.

- Você não vai embora agora, não é? - ele perguntou. - Fica comigo... Eu preciso ficar com você, uma última vez.

Ele tocou a mão dela e uma descarga percorreu o corpo dela.

Eu te amo, Sirius! Taylor pensou, mas não teve coragem de dizer em voz alta.

- Tu-tudo bem, eu fico!

Eles passaram a noite ali e ela nunca pensou que poderia se sentir tão bem, mas ao mesmo tempo tão triste ao lado dele.

                                    ***

Na manhã seguinte...


                          Lílian Evans

Lílian não pensou que poderia se arrepender tanto de uma idéia. Sério, quando ela pensou em aprender Quadribol de novo, não pensou que seria tão ruim.

Estava errada.

- AAAH EU VOU MORRER! - ela gritou quando estava praticamente com o corpo colado na vassoura e olhando fixamente para o chão, a uns dez metros abaixo dela.

- Calma Lírio, a vassoura não vai te engolir e eu não vou deixar que você caia - Tiago tentou acalmá-la, mas estava nítido a vontade de rir que ele tinha.

- Potter, por que tem que ser tão alto? - ela reclamou.

- Porque se joga Quadribol no alto!?

Harry, que estava ali presenciando tudo, não sabia se ria ou se ficava nervoso pela mãe.

- Por que eu não posso ficar na arquibancada? - ela choramingou.

- Meu Doce, você que quis vir para cá jogar.

- Eu não disse exatamente jogar!

- Disse sim - Harry falou. Lílian olhou para ele. - Não disse não.

Tiago soltou uma risadinha.

- Tudo bem, já que você não quer jogar, podemos descer e você apenas assisti. Pode ser?

- É perfeito para mim! -  Tiago deu uma volta, até Lily perceber seu pequeno problema. - Tiago, como eu desço daqui?

Tiago olhou para Harry, e Lílian só pode ver quando Harry foi até uma arquibancada, se sentou e se curvou de tanto rir. E Tiago não ficava muito atrás do filho.

- Parem de rir e me ajudem! - ela soltou um gritinho exausto.

- Você que coordena a vassoura, Lily's - Falou Tiago. - Se você fizer um movimento, ela vai te obedecer. Quanto mais você demostra medo, menos a vassoura responderá as suas coordenadas.

- Exatamente! - Harry voltou para perto deles, ainda com um ar de riso. - Você consegue mãe, é só confiar em você.

- Se eu perder o equilíbrio vocês não vão me deixar cair no chão?

- É óbvio que não! - Harry respondeu.

- Okay... Hã... Um, um e meio, dois, dois e um quarto, dois e meio...

- Vai logo! - Tiago gritou, uns metros abaixo dela. - Harry fica ao lado dela durante o vôo! Se ela cair, eu estou embaixo para segurar.

Lílian respirou fundo e fechou os olhos, inclinando o corpo para frente e a vassoura começou a descer devagar.

- Espere, espere. - Harry falou e se aproximou dela. - Coloque as duas mãos no cabo da vassoura e deixe as costas numa posição que te deixe no controle e que te dê uma boa visão de todo o campo.

Lílian ficou impressionada e orgulhosa da  inteligência do filho para a arte do Quadribol. Arte que ele puxou do pai sem dúvidas.

Ela tentou ficar do jeito que ele dissera, apoiou às mãos no cabo da vassoura e indireitou as costas, conseguindo observar bem a paisagem de cima.

- É linda não é? - Tiago sorriu ao perceber o quanto ela estava maravilhada.

- É perfeito! - ela olhou de Harry para Tiago com um sorriso animador. - Mudei de idéia. Quero voar.

- Ué... - Harry coçou a nuca. - Ok...

- Certeza? - Tiago não parecia muito confiante.

- Sim! Eu confio em mim. E em vocês!

- ENTÃO VAMOS EEEEE!!

- Que lindo a família! Pena que me esqueceram - Sirius gritou de lá de baixo.

Tiago e Harry voaram rapidamente até ele, enquanto Lílian tentava, devagar, manusear a vassoura, obtendo um glorioso sucesso.

- AAAAAAH EU CONSEGUI! - Ela gritou feliz  - ESTOU VOANDOO - Sorriu feliz.

- Vem jogar com a gente, Almofadinhas - chamou Tiago.

Sirius pegou uma vassoura e foi até eles, dando voltas pelo lugar, enquanto Lily se sentia literalmente nas nuvens.

- Que tal jogarmos uma partida? - propôs Sirius. - Tiago e eu  e Lílian e Harry.

- Boa idéia! - Harry sorriu animado.

- Não sei não... - Tiago torceu os lábios. - Lílian não é fluente em jogos de Quadribol e ela pode cair, não acho uma boa  idéia...

Lílian pendeu a cabeça para o lado. Queria jogar, mas Tiago tinha razão.

- Podemos dar apenas umas voltinhas!

- Aaah pode ser. - Harry deu os ombros.

Lílian foi devagar, voando calmamente, mas ainda com medo e tentando a todo custo, não olhar para baixo.

Ela resolveu então ficar um pouco mais perto do chão, já que não se sentia confortável tão alto.

Lily olhou para cima, vendo os garotos brincando e dando risada, e ela se sentiu feliz por vê-los tão bem.

Ela sabia que seria a última vez que veria aquela cena. Não sabia que realmente conseguiriam mudar o futuro deles e se conseguissem, ela tinha certo medo das consequências que poderia ter. Aliás, que teriam porque eles não viveriam no mar de rosas, mas, aparentemente, o problema maior sumiria. Era o que ela esperava.

- Oi - ela olhou para baixo e lá estava Snape parado, com seu tópico traje preto, mas ao invés de andar sempre de cada fechada, tinha um pequeno e discreto sorriso nos lábios.

- Oi - ela desceu a vassoura até o chão e ele riu do jeito meio desajeitado dela. - Aah, ainda estou aprendendo.

- Confesso que Quadribol não é o meu forte, mas adoraria te ver jogando. - ela se aproximou dele.

- O faz aqui exatamente?

Ele suspirou.

- Eu... Eu quero pedir desculpas pelo o que fiz com você. - ele falou.

- Eu não entendo - ela o olhou.

- Eu sei que te decepcionei aqui! Eu sei que magoei você tanto por causa do seu filho quanto por causa... Dele. - Lily percebeu a dificuldade dele em citar Tiago, e não o julgou por isso. - Só espero que perdoe! Não precisa tentar entender... Eu só quero que saiba que eu sempre estarei aqui quando você precisar de mim. Casada ou não, sempre te amarei.

Por impulso, ela o abraçou apertado e ficaram assim por uns minutos.

- Eu te amo, Severo - ela disse. - Obrigada por entender a minha escolha. Você sempre será meu melhor amigo. - Lily engoliu em seco e sorriu para ele. - Eu só quero que você não vá para o lado errado, Sev.

Snape não respondeu apenas a abraçou novamente.

- Eu sinto tanto a sua falta. - Ele falou à ela. - Quando você apareceu aqui com eles, eu pensei que não seria real. Até você me abraçar e eu sentir o cheiro de coco do seu cabelo.

Ela riu.

- Eu te adoro, sabia? Ainda se lembra do meu shampoo de coco!

- Lembro-me de cada traço seu, Lílian - ele estava próximo dela. Próximo até demais.

- Eu também me lembro bem de você, Severo... Principalmente quando brincávamos escondidos por causa da Petúnia... - Lily soltou uma risada sem graça, mas logo ficou séria. - Severo eu sei que o que você faz é...

- Não diga nada. Não vamos falar nisso! - ele a interrompeu, sorrindo.

- Será que... Estou atrapalhando o casalzinho? - Tiago falou em um tão rude e raivoso.

Lílian ficou corada.

- Tiago...

- Engraçado que até aqui, em um futuro próximo ele está para encher o saco! - Sirius falou. Lílian ficava fascinada com o jeito que Tiago  e Sirius conseguia ficar por causa de Severo. Era uma mistura de ciúme com raiva. Deboche com inveja. Inveja? Severo era mais próximo de Lily do que Tiago, pelo menos antigamente. E Sirius... Bom, ele já o odiava pelo gato de existir.

- Pois é, Almofadinhas... Parece que ele nos ama não é?

- Potter, o que eu faço ou deixo de fazer não é da sua conta - Snape o olhou com desprezo. - Detenção para os dois. Vai ser um prazer vê-los na minha sala hoje a noite.

O tom de Severo era meio intimidante.

- O quê? - Sirius estava furioso. - Bah! Eu não vou!

- Como ousa me desafiar?

- Por que você é um...

- Cento e Cinquenta pontos serão tirados da Grifinória!

- O QUÊ? - Gritou Harry, arregalando os olhos.

- Eu não ligo - Tiago falou simplesmente. - O que você fala ou deixa de falar... Não me importa nem um pouco. Aliás, Severo... Estava tentando mais uma vez reconquistar a amizade de Lílian!?

Severo ficou quieto apenas os observando com um ódio gigantesco.

- Conseguiu Severo? Conseguiu o que queria? - Ele chegou mais perto de Snape. - Conseguiu a amizade dela e ser igual a "antes"? Bom, pelo menos até nós irmos embora.

- Pai, pare com isso! - Falou Harry. - Sirius... Não... Não vale a pena discutirem com ele.

- Não Harry... Não é porque ele é um mísero professor que significa que temos medo dele. - Sirius riu com deboche.

- Você sabe né, Severo? Que a única coisa que vai ter de Lily's é a amizade... Porque, bem... É comigo que ela casa. E é comigo que ela tem um filho.

Idiota, pensou Lílian.

- TIAGO, JÁ CHEGA! - ela gritou.

- Sabe Potter, achei quando descobrisse a verdade sobre o quê aconteceu no dia 31, você pelo menos colocasse um pouco de juízo na cabeça, mas pelo visto me enganei. - Severo se aproximou dele um pouco.

- Está me chamando de burro?

- Hmm, Pelo menos isso você percebe!

Tiago estava quase avançando para cima dele, e Sirius pegando sua varinha quando Harry  entrou na frente, ficando no meio de ambos.

- Eu falei para você parar - Harry gritou, meio trêmulo. - Porquê não deixa ele em paz? Você sabe que minha mãe te ama e que ela não iria te largar para ficar com ele. Então por quê está agindo assim? Droga...

- Harry você não...

- Eu o quê? Não entendo por quê vocês pratica bullying com ele? - Harry fez um sinal na cabeça em direção ao professor Snape. - Eu não entendo mesmo. Não ia gostar de fizessem o mesmo com vocês, não é? Ou comigo...?

- Harry... - Sirius estava falando em um tom bem grosseiro com ele. - Saia da frente!

- Eu até entendo o seu ciúmepai, vocês não gostarem dele, eu também não gosto. Mas fazer isso? Pra mim é demais. - Harry virou as costas e andou uns passos, mas parou logo, se voltando para olhá-los - Mesmo sem te conhecer, eu te achava um herói. Te achava o meu herói. Quando Snape falava mal de você, ou de Sirius que também não fica muito atrás de você, eu os defendia. Mas depois que eu descobri o que faziam com ele...eu... Eu não tive mais argumentos para defendê-los. Eu tive que ficar quieto. E não há nada pior do que não ter argumentos para discutir com o professor Snape.

Harry saiu correndo dali e a essa altura, Lílian já estava se desmanchando em lágrimas. Não por Tiago. Não por Severo. Mas por Harry, porque ele sim tinha que pagar com a consequência dos atos deles.

Se o clima estava pesado antes, naquele momento estava pior.

- Parabéns Potter, conseguiu estragar tudo como sempre. Vejo você e Black na detenção. - Snape antes de sair perguntou se Lílian estava bem e ela apenas o abraçou e balançou a cabeça.

Quando ele saiu, Lílian olhou para Tiago que parecia péssimo. Seu cabelo estava bagunçado, não do jeito tradicional. Seu ar era de ter perdido uma guerra, mas sentindo ódio por isso. E pelos seus olhos, ela via a dor pelo o que Harry disse.

E ela se perguntou: Por quê?

- Por quê fizeram isso com ele? - ela perguntou baixo. - POR QUÊ FIZERAM ISSO?

- VOCÊ NÃO IA GOSTAR DE ME VER CONVERSANDO E ABRAÇANDO UMA "AMIGA" QUE DESDE O PRIMEIRO ANO ESTÁ APAIXONADA POR MIM, IA? - Tiago gritou e Lílian ficou surpresa com seu tom de voz.

- ELE ERA MEU AMIGO! ESTÁ ACHANDO RUIM POR EU ABRAÇAR UM AMIGO?

- ESTOU ACHANDO RUIM POR SER ELE!

- AAAH, SE VOCÊ NÃO GOSTA DELE, O PROBLEMA É SEU!

Tiago soltou uma risada sem graça.

- Engraçado que tudo que acontece é culpa minha. Engraçado o fato de você estar tão perto dele que ele poderia te beijar. Ele te olhava de uma forma tão intensa, parecia apaixonado. Vocês pareciam um casal de verdade se encontrando. Sorrindo. Felizes. Percebeu isso? Não né? Aí agora você me pergunta o porquê de eu ter ciúmes?

Lílian não soube o que falar, porque parte dela sabia que Tiago tinha certa razão.

- E depois ainda vem o Harry o defendendo? Não... É o Tiago que sempre faz mal ao Snape. É ele e o Sirius que pegam no pé dele... Snape é um anjo!

Lílian ainda não sabia o que dizer.

- Quer saber de uma coisa Lílian? - de repente ela sentiu falta de ele não a chamasse de Lírio. - Eu te amava. Desde sempre. Mas ver você com ele... Ver você... Ver você e ele tão bem juntos, me deixava com raiva da existência dele. Eu pensava que se chamasse a atenção poderia conquistar você. Eu pensei que se eu te  mostrasse como o vejo como realmente ele é, você me notaria e veria que eu estava certo. Tudo, absolutamente tudo que eu fazia na vida, tinha um toque Lílian Evans na minha cabeça.

Seria até uma bela declamação de amor se não fosse pelas circunstâncias atuais.

Uma pequena lágrima desceu pela bochecha rosada de Tiago.

- Eu amo você Lílian, mas não sei se posso viver com isso.

Tiago começou a nadar e quando passou por ela, Lílian agarrou o braço dele e o fez ficar a sua frente. Ela não pensou que uma pessoa poderia fazer tanto trama igual aquele garoto. Lílian esperava que Harry não fosse assim também, mas tinha 98% de certeza que sim.

- Não vejo problema de não gostar dele. Tudo bem, se você não gosta, não posso fazer nada. Mas se você acha que vai me deixar aqui plantada, jogando todo o seu trabalho que teve durante anos de me conquistar fora, você está muito enganado. E eu não vou deixar você sair assim e ficar dessa maneira por causa de besteira!

Lílian queria dar um soco naquela cara bonita e depois cobri-lá de beijos, mas se conteve.

- Eu amo você, Tiago. E eu não vou te trocar por ninguém.  - ela acariciou o rosto dele, e depois lhe deu um tapa, fazendo Sirius, que ainda estava ali, rir. -  VOCÊ ME ENTENDEU BEM? SE DER MAIS UMA DE SUAS CRISES, VAI FAZER O HARRY COM O DEDO, SOZINHO! QUER QUE EU SOLETRE OU DESENHE PARA VOCÊ ENTENDER?

- Eu não ouvi isso. - Harry falou. Ele não tinha realmente ido embora como Lílian pensara. Estava ali o tempo todo.

- Sim meu bem, você ouviu certo. - Lílian se virou para olhá-lo. - Harry, eu quero que você peça desculpas ao seu.. hã... Pai. Eu entendo que tenha ficado chateado com ele, mas não deveria ter falado daquele jeito. Tiago é seu pai, não sei irmão gêmeo.

Harry torceu o lábio e se aproximou deles, abraçando os dois de uma vez.

- Desculpa pelo o que eu disse, papai. Mas... Por favor, não faça mal ao professor Snape. É em mim que ele desconta depois, e eu iria odiar perder mais CENTO E CINQUENTA PONTOS! - Harry respirou fundo.  - Mas eu te defendo se os outros alunos da Grifinória tentarem te bater, ok?

Tiago riu.

- Também vale para você, Sirius! - Harry sorriu para Sirius que se juntou a eles no abraço coletivo. - Eu amo vocês. Sério.

- Nós também te amamos, Harry! - Lílian estava emocionada. - Agora... Sirius, Tiago. Quero que peçam desculpas ao Severo.

- Lílian...

- Pelo menos prometam deixar ele em paz?

Sirius e Tiago se olharam e concordaram.

- Tudo bem. Mas se ele provocar, não respondo pelos meus atos. - Sirius disse.

- HARRY! - Uma voz gritou e ao se virarem, viram Rony, Dino, Neville e mais uns dez alunos da Grifinória indo  em direção deles, parecendo bem furiosos. - COMO ASSIM VOCÊS PERDERAM CENTO E CINQUENTA PONTOS???

Tiago, Lílian, Sirius e Harry se olharam e conseguiram captar o pensamento um do outro, já que foi o mesmo.

- Corre! - Sirius gritou e os quatro saíram correndo com treze alunos da Grifinória atrás, completamente furiosos.





Notas Finais


Engraçado o final terminar de um jeito nada haver com o começo, mas essa é eu!!

Não pensei que de um romance de casal adolescente eu iria pra uma briga generalizada e dps um final até fofo.

Não culpem a mim, culpem o meu cérebro, foi ele que teve a idéia.

De primeira eu tinha uma idéia de fazer o final bem mal e acabar com Jily (ou Tily) e fzr aquele draminha q vcs conhecem, mas achei melhor não.

Gostaram do cap??

SE tiver erro, não percebi entt, Sorry!

Até mais baby's e beijos no heart 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...