1. Spirit Fanfics >
  2. Os Melhores Amigos do Meu Irmão >
  3. Luffy é o Foco: A Bebida Que Pisca ( última parte )

História Os Melhores Amigos do Meu Irmão - Capítulo 10


Escrita por: loveonepiece20

Notas do Autor


Chegueeeeeiiiii!!! 🤗
Em vista do que estou acostumada, até que não demorei né? 😌
Olha deixa eu avisar uma coisinha aqui:
○ esse é um cp bem problemáticozinho.
● contém perversidade demais aqui.
○ cuidado, forte risco de derretimentos de cérebros fracos. 🤯
● pode causar ansiedade.
○ não leiam se faltar coragem.
● não é necessário ler se não gostarem.
○ cp contém bebida e sexo, não recomendado para menores de idade. Porém, o que a autora não sabe, ela não pode ter culpa, certo?

______________*_______________*___________

Acho que é só...
Caso me lembre de algo, eu edito depois.
Desculpe se você não gostar do que vai ler aqui.
Perdoem os erros por favor..
E por fim, boa leitura! 😁❤🤞🏻

Capítulo 10 - Luffy é o Foco: A Bebida Que Pisca ( última parte )


Fanfic / Fanfiction Os Melhores Amigos do Meu Irmão - Capítulo 10 - Luffy é o Foco: A Bebida Que Pisca ( última parte )

Quando tudo começou, só Zoro estava bebendo a tal bebida que pisca, porém ele não queria permanecer bebendo sozinho. Daí, convidou mas alguém para beber consigo.
Claro que, devido a música alta, Zoro teve que praticamente gritar para que pudesse ser ouvido.
- TRAL!
- é o que menino? Tô te ouvindo, não precisa gritar.
- mas a música está alta né besta. Como eu ia saber que você conseguia me ouvir?
- não sei... de repente pelo fato de você estar falando praticamente no meu ouvido?
Zoro acaba rindo. Não havia percebido que estava tão próximo do amigo.
- desculpa. Fala enquanto ri.
- tá bom, tá bom. Mas me diga, o que você quer?
- que você beba comigo. O Luffy não bebe bebida alcoólica e o Sanji é um careta que não quer beber da minha bebida maneira. Olha, parece até que está piscando! Mostra o copo para Trafalgar, que acaba ficando impressionado.
- eu não... tá! Mas só um copo. Só vou provar!
Zoro sorri feliz e com um pouco de malícia, responde:
- claro Tral, só um copo!
" até parece que quem prova essa perfeição aqui consegue tomar só um copo." Pensou com um sorriso no rosto.
- aqui Tral!
Zoro entrega um copo com um pouco da bebida para Trafalgar, que aceita meio contrariado.
- até que é gostosa. Por que Sanji não quer provar?
- reclamou que tem muito álcool.
- quanto pra ser exato Zoro?
- uns quarenta por cento.
- PUTA QUE PARIU!
- amanhã é domingo, nem vem reclamar. Além do mais, só se vive uma vez amorzinho!
- você fala isso porque seu corpo parece que já é imune a álcool. Não me venha com essas frases motivacionais para fazer merda!
- não sou imune a álcool. Só não fico bêbado facilmente. Dá de ombros.
- não vou passar por isso sozinho. Vamos alga marinha! Vamos convencer Sanji de provar está coisa.
- alga marinha meus 'zovo'... euem. Bora lá!
Os dois caminham da onde estavam até Sanji, que está na churrasqueira.
- eiiii! Sanji?
- oi Tral. Pode falar!
- prova? Estica a mão segurando firme o copo com a bebida.
- nem se tu me pagasse! Empurra o copo com as mãos e vira o rosto.
- ah vai Sanji! Larga de ser careta. Até eu provei. Dá de ombros.
Zoro vendo que Sanji está pensando na proposta de Tral, termina de apelar.
Como sabia que o loiro estava com seu tesão acumulado, se aproximou ao máximo do corpo do mesmo e em seu ouvido, sussurrou:
- pense bem loiro e aceite a minha proposta: prove da bebida que mais tarde eu provo você.
Sanji ao ouvir aquilo se arrepia bruscamente.
- me dá logo esse caralho pra eu provar! Bufa enquanto está meio corado.
- o que você disse pra convencer ele assim tão rápido Zoro?
- nada demais Tral. Nada demais! Fala rindo e indo buscar um copo da vodka pra Sanji.
Quando Zoro voltou com o copo e entregou ele ao loiro que estava cuidando do churrasco, aguardou atento a reação do rapaz.
- caralho isso é muito bom mesmo! Mas só vou tomar esse.
- Tral falou isso a uns dez minutos e já está indo pro segundo copo.
- porque ele não é de palavra. Eu sou!
- eii! Eu tô aqui tá. Parem já de falar de mim na minha presença. Eu sou de palavra sim! Só que isso aqui é muito bom...
- não me venha com essa Tral! É verdade que é muito bom e que da um gostinho de quero mais, porém eu não vou passar deste copo.
- tá bom Tral, na próxima a gente espera tu sair pra falar de você. Bom loiro, se você está dizendo, por mim tudo bem! Dá de ombros tranquilamente.
- vai a merda Zoro! Tral fala depois bufa.
Depois de uns trinta minutos, os três já estavam indo para o quarto copo daquela bebida.
- gente, cadê o Luffy? Ele sumiu já tem um tempo.
- não sumiu não Zoro! Ele estava comendo carne aqui antes de você e Tral chegarem e me fazerem provar a tal vodka. Acho que ele deve ter ido no banheiro ou sla.
- trinta minutos no banheiro? Impossível.
- o Lu-ya está sentado bem ali oh. Fala apontando para um canto reservado próximo a pista de dança.
- Zoro, Tral? Me digam uma coisinha... quem aqui foi o único que não provou dessa maravilha?
- o Luffy. Zoro responde sem entender muito bem.
- e que tipo de amigos seríamos se não fizéssemos ele provar um pouquinho? Afinal, estamos em casa e ele não corre nenhum risco... Fala com um sorriso no rosto.
- sim! Mas vai ser um problema convencer ele a beber isso. Tral fala coçando a nuca.
- e eu não vou deixar vocês fazerem ele beber isso se não quiser. Zoro cruzas os braços e fecha a cara.
- e quem foi que disse pra você que nós vamos fazer mal ao Lu? Só vamos convencê-lo de provar essa belezura.
- sei não em...
- Eiiii!! Luuuuu - yaaaa!
- quuuuue Torao? Já tô indo! Luffy fala alto para que o som não atrapalhe sua voz.
- vou matar vocês tudinho. Zoro fala de bico.
- que foi gente? Por que essa cara Zoro?
- porque ele está chateado. Você foi o único que não provou a bebida que ele comprou! Bebê só um pouquinho dela pra provar Luffy.
- eu não bebo Sanji! O Zoro sabe bem disso... Não acredito que está cara seja por esse motivo não...
- prova Mugiwara ya! Só um pouco... Até eu provei! Não precisa continuar bebendo senão quiser.
- Torao...
Zoro se dando por vencido, entra no jogo deles:
- ei Luffy? Eu coloco só um dedinho, se você gostar, me pede mais. O que acha?
- ai Zoro... tá bom vai. Mas só um pouquinho.
Os três dão um sorriso.
Zoro se afasta e vai buscar a tal bebida.
- aqui está Luffy. Prova!
O moreno observa o copo, cheira o que tem dentro, faz uma careta de leve e pergunta:
- apesar de ser maneiro a impressão de estar piscando e do cheiro ser de longe agradável, eu ainda não gosto dessa ideia. Mas... Vamos lá.
Luffy beberica um gole da bebida e a prova atentamente, enquanto seus amigos o observam ansiosos pela resposta.
As poucos a feição de Luffy vai mudando, de maneira que sua boca se abre em formato de "o" e seus olhos se arregalam com um excesso enorme de brilho neles.
- isso é...
- é...? Perguntam os três, anciosos como só.
- é... MA - RA - VI - LHO - SO!! Diz enquanto sorri e estica o copo para Zoro colocar mais.
Os três dão um sorriso, satisfeitos toda vida.
E assim, duas horas se passaram.
Eles já tinham bebido duas das 5 garrafas de vodka e já estavam na metade da terceira.
Luffy e Sanji já estavam completamente tomados pelo álcool.
O mais incrível era o fato de que, mesmo estando altamente alcoolizados, Sanji ainda estava cuidando das carnes do churrasco perfeitamente bem e Luffy ainda comia como um dragão depois de uma dieta.
Trafalgar não estava bêbado, mas também já estava bem "alto".
Estava bem mais risonho, brincalhão e até mais solto.
Dançou e cantou junto de Sanji e Luffy.
Dos quatro, Zoro era o mais sóbrio.
Devido o alto teor de álcool que já estava acostumado a consumir, não era fácil ele ficar bêbado. Porém, aos poucos já estava começando a ver as coisas mudarem de lugar sem ter se movimentado.
No fim da terceira garrafa, quando já estavam iniciando a quarta e a noite já começava a virar madrugada, mudaram a música para um ritmo mais lento e abaixaram o som para não incomodar os vizinhos.
O clima estava mudando entre eles sem que pudessem perceber.
A consciência de cada um dos quatro já começava a dar adeus aos seus devidos donos e eles nem ao menos sentiam isso.
Continuavam a beber, comer e dançar como se não houvesse amanhã.
Em determinado momento, tocou uma música sensual e quem estava na pista dançando eram Sanji e Luffy.
Como antes estava tocando algo animado, os dois foram para pista dançar. Mas agora que o ritmo mudou e era para sensualizar, ambos pensaram em desistir.
Mas é aquela coisa né? O que o álcool não te dá coragem para fazer?
Quando Sanji estava se retirando da pista, Luffy o puxou pelo braço, lhe pedindo silenciosamente para que ficasse.
Zoro e Trafalgar que antes conversavam, passaram a prestar atenção nos dois.
Luffy por sua vez, cochichou no ouvido de Sanji e logo fez um sorriso malicioso brotar no rosto do loiro.
- eiii Sanji? Você quer pregar uma peça nos meninos? Vamos por duas cadeiras aqui na pista de dança e vamos fazê-los sentar. Depois que estiverem acomodados, dançamos sensualmente para os dois, provocando eles até o fim. Que tal?
Normalmente Luffy jamais teria essa ideia e, mesmo que tivesse, Sanji de cara recusaria.
Porém, estamos falando do espírito do álcool no corpo deles e não deles em si.
Em silêncio, os dois caminharam até um canto qualquer dali e pegaram duas cadeiras, centralizando elas na pista de dança.
Enquanto Luffy voltava a música do início, Sanji caminhava até Zoro e Trafalgar, puxando eles silenciosamente até as cadeiras onde deveriam se sentar.
Luffy se aproximou dos três e disse:
- nós vamos dançar pra vocês. A única regra é que vocês só podem assistir. Em nenhum momento podem nos tocar! Vem Sanji.
Assim, Luffy deu play na música e parou em frente a Trafalgar, enquanto que Sanji parou na frente de Zoro.
Em ritmo lento, Luffy foi rebolando e sensualizando e devagar foi retirando os botões das casas da camisa para poder retirar - lá.
Sanji dançava e abria a camisa com seus olhos focados em Zoro.
Em dado momento da música, Luffy parou de frente para o loiro e começou a dançar com ele.
Luffy descia deslizando levemente suas unhas pelo corpo definido do rapaz que o olhava atento.
Se virou de costas para Sanji e se encostou em seu corpo, descendo e subindo de forma excitante, esfregando suas nádegas contra o membro quase acordado do loiro.
Deixando o loiro de lado, caminhou de volta até os meninos.
A essa altura nem Sanji dançava mais.
O foco era apenas um: Luffy.
De frente para o tatuado, o mais novo se virou de costa e rebolou a cintura, requebrando de maneira inevitávelmente desejável.
Os três não conseguiam nem ao menos piscar. Estavam quase babando.
Caminhou em volta das duas cadeiras e em volta de Sanji de forma sensual, parando de frente aos três e tirando totalmente a camisa antes aberta e a rodando por cima da cabeça.
Foi andando até onde as bebidas estavam e avistou a quarta garrafa da vodka quase no fim. Distribuiu o que tinha nos quatro copos e voltou com eles em uma bandeja.
De forma sensual, se inclinou para frente empinando a bunda e entregou os copos para Tral, Zoro e Sanji, pegando o último para si.
Enquanto os três bebiam devagar, Luffy virou tudo de uma vez, parando um instante para o cérebro assimilar a informação.
Continuando de onde parou, foi a vez de Zoro ser provocado.
Luffy rebolou em frente a Sanji e depois o puxou, colocando ele sentado no colo de Zoro.
Sentou - se no colo de Law e indicou para Sanji os movimentos que deveria fazer.
Os dois rebolavam no colo de Law e Zoro no ritmo da música, deixando eles cada vez mais excitados.
Sentindo a ereção de Tral se formar, Luffy se levantou sorrindo maroto.
Esticou sua mão para Sanji e, quando o loiro segurou nela, o puxou fazendo ele se levantar.
Dançando em frente a Sanji novamente, sensualizou de maneira mais excitante, até perceber uma ereção está quase formada na calça do loiro.
Se aproximou do rosto do loiro até sentir as respirações se atropelarem.
De maneira rápida e que despertava o tesão, selou os lábios de Sanji, deixando Zoro e Trafalgar de membro duro.
Se fosse o caso de todos ali estarem em sã consciência, Luffy não teria feito isso e, se fizesse, a reação de Tral e Zoro seria muito diferente.
Porém, ninguém ali estava respondendo por si.
Luffy se afastou de Sanji e dançou mais um pouco até a música terminar.
Quando a música acabou, os três estavam excitados demais e o único foco do tesão deles era um garoto que tinha um chapéu de palha.
Luffy sorriu para os três e foi até as bebidas.
Sem nem pensar duas vezes, os três foram atrás.
O mais novo pois bebida nos quatro copos e antes que pudesse entregar os outros três, foi surpreendido pelos mais velhos.
Zoro estava a sua direita, Sanji a sua esquerda e Trafalgar atrás de si.
- eu ia levar a bebida pra vocês. Não precisavam vir até aqui. Fala ainda estando de costas para os três.
- não se faça de besta Lu.
- não entendi Sanji... O que você quer dizer?
- poxa Lu-ya, você nunca me disse que dançava tão bem. Fala de forma sedutora encostando sua ereção nas nádegas de Luffy, fazendo ele gemer baixinho.
- não foi certo a maneira como você nos torturou Luffy. Zoro fala próximo do ouvido do menor, encostando sua ereção na lateral do mesmo.
- agora é a nossa vez de te provocar Baby. Sanji fala no ouvido dele, também encostando sua ereção na outra lateral do menor.
- vocês são maus... Não vão querer as bebidas?
Assim que os três pegam os copos, Luffy vira todo o líquido do seu e sai de fininho.
Quando os três dão por si, o moreno mais novo já está perto do som.
Arisco como um gato, Luffy colocou outra música de pura sensualidade.
Voltou a se aproximar dos três e disse:
- eu deixo vocês me provocarem se eu não conseguir provocar vocês três primeiro.
Dito isso, no ritmo da música, Luffy dança incansavelmente dando o melhor de si.
Ele subia, descia, rebolava, esfregava seu corpo contra o dos três rapazes e os seduzia de todas as formas possíveis.
Quando a música terminou, haviam três homens de membros duro.
Luffy olhou para os três com a mais pura luxúria e lhes deu um sorriso.
- eu venci. Mas eu sou muito bonzinho, ok? Não vou deixar vocês assim... vou fazer um favorzinho pra vocês.
Luffy sorriu malicioso e fez os três se arrepiarem.
A essa altura, para todos terem uma pequena noção, todas as garrafas de vodka já tinham acabado e a de whisky estava pela metade.
Já estavam na "bunda" da madrugada, completamente bêbados e excitados.
Luffy se aproximou dos três e se abaixou em frente a eles.
De joelhos, o menor puxou os três maiores para perto de si.
Com uma cara de safado, levantou apenas o olhar para os três, fazendo - os estremecer.
Sorrateiro como só, abaixou primeiro as calças de Trafalgar, depois as de Sanji e por último as de Zoro.
Começou a lamber a ereção de Tral enquanto masturbava com gosto os membros de Sanji e Zoro.
Depois de levar Law aos céus com seu sexo oral e fazer Zoro e Sanji gemerem baixinho de tesão, Luffy muda a posição, colocando Sanji e Tral para mudarem de lado.
O loiro ao sentir aquela pequena boca quentinha fazendo movimentos de vai e vem no seu membro, acaba por se desmanchar em volúpia.
Algum tempo depois, foi a vez de Zoro e Sanji trocarem os lados.
A consciência de Zoro até que tentou dá um " alô ", mas foi completamente ignorada por seu dono quando Luffy abocanhou seu membro.
Quando Luffy percebeu que os três já estavam alcançando seu ápice, parou a masturbação e sexo oral.
Percebeu os olhares sobre si e respondeu simples:
- isso não pode acabar assim. Só vocês se beneficiam? Cadê a solidariedade?
Pois bem. Com isso, Tral beijou Luffy com o mais puro desejo enquanto Zoro fez o mesmo com Sanji.
Devido ao álcool e ao excesso de tesão, trocaram os pares fazendo incontáveis possibilidades de beijos tomados de luxúria.
Luffy e Law se beijaram, depois Zoro e Law, Sanji e Luffy, Sanji e Law, Zoro e Luffy, Zoro e Sanji... foram beijos atrás de beijos.
Quando a volúpia atingiu seu auge e o cheiro de sexo já dominava o local, Trafalgar, Sanji e Zoro olharam para Luffy com toda malícia que esse mundo já viu.
Tral o beijou enquanto Sanji se abaixou na frente do menor e Zoro o abraçou por trás.
O beijo de Tral ficava cada vez mais intenso, fazendo Luffy ficar cada vez mais excitado. O que dava espaço para que Sanji aprofunda-se mais os movimentos de vai e vem com a boca no membro do rapaz.
Zoro, que estava por trás de Luffy, apertou com gosto a bunda do menor, lhe fazendo gemer entre o beijo que dava no Tral.
Como Luffy já estava praticamente nu, foi a vez dos outros tirarem suas roupas.
Depois disso, Zoro e Tral ficaram em pé enquanto Sanji e Luffy faziam boquete neles, respectivamente nessa ordem.
Obviamente, trocaram também.
Luffy fez no Zoro e Sanji em Trafalgar.
Logo o tatuado e o esverdeado sentiram seus membros pulsarem, tamanho era o prazer que estavam sentindo.
Como em um pedido silencioso, Luffy e Sanji se levantaram, fazendo Zoro e Trafalgar entenderem através do olhar deles o que devia ser feito.
Inicialmente começaram os movimentos de vai e vem com a boca de maneira irresistível no membro de seus respectivos pares, mas pouco tempo depois mudaram a posição, tendo Zoro satisfazendo Luffy e Trafalgar satisfazendo Sanji.
A essa altura, já estavam sedentos de quererem concluir o que começaram.
Como Luffy passou a ser o foco dos três, devido ao tamanho desejo que havia os proporcionado, o menor foi a "bola" da vez.
Sanji começou a preparar o menor, que estava de quatro na pista de dança.
O loiro chupou dois dedos seus e introduziu um deles naquela entrada pequena e rosada que lhe chamava.
Começou com movimentos leves, afim de instigar e preparar para a entrada do segundo dedo, fazendo o menor gemer de tesão.
Quando o segundo dedo adentrou o local e o loiro começou a dar leves estocadas, os gemidos de Luffy aumentaram e proporcionaram um enorme prazer para os três.
O cheiro de sexo naquele lugar ficava cada vez mais forte e despertava muito mais tesão nos quatro a cada momento que se passava.
Vendo que Luffy estava pronto, Sanji adentrou devagar o ânus do rapaz com seu membro, o fazendo gemer seu nome de forma manhosa.
Enquanto Sanji dava estocadas segurando firme a cintura do moreno, o mesmo proporcionava a Trafalgar um belo sexo oral, dando a visão perfeita ao mais velho.
Como estava de quatro com Sanji lhe fodendo por trás e Trafalgar lhe fodendo a garganta, Zoro se pôs deitado embaixo do menor e começou a lhe fazer uma bela felação.
Luffy não querendo deixar o esverdeado sendo o único a não ser beneficiado, passou a apoiar todo o peso de seu corpo em suas pernas e no seu outro braço, usando a mão que estava livre para masturbar de maneira gostosa o rapaz embaixo de si.
Claro que estando bêbados e sedentos por sexo, nem mesmo o mais responsável ali estava pensando.
Foi realmente uma benção de Enel, Ace ter dormido fora naquele fim de semana. Caso contrário, ele teria três corpos para esconder e um irmão em coma (no qual ele mesmo colocaria).
Não demorou muito tempo depois para que aquela pista de dança presencia-se o orgasmo dos quatro chegar.
Sanji ejaculou dentro de Luffy, que por sua vez gozou na boca de Zoro, que acabou jorrando todo seu líquido branco e viscoso em si próprio e na mão do moreno mais novo. Trafalgar por outro lado, derramou toda a ejaculação dele na boca de Luffy, que engoliu de prontidão.
Mesmo depois de todo esse ato sujo e gostoso, os três permaneciam excitados demais com a visão que tinham de um Luffy de quatro e completamente alucinado, desejando por mais.
Foram trocando de lugar até por fim todos os três terem fodido Luffy na garganta e no ânus ou terem sidos masturbados pelo menor enquanto fazia um sexo oral no mesmo.
Quando terminaram, Luffy estava cansado e coberto de esperma, com o líquido branco escorrendo de seu ânus.
Os três mais velhos viram a cena de um Luffy completamente nu e sujo com esperma, cheios de orgulho.
Deitaram-se junto ao menor, também estando nus e se aconchegaram os quatro, se permitindo cair no sono.
Pois bem. Provavelmente iriam demorar muito para lembrar de tudo o que havia acontecido naquela pista de dança.
Seria inevitável a culpa que o peito de um deles iria sentir, assim como seria fatal a enxaqueca que sentiriam mais tarde e de todos o pior: aconteceria a decisiva reação de vergonha da parte de um deles.
Mas não estavam pensando em mais nada no momento.
Apenas queriam um merecido descanso depois de uma madrugada repleta de ação.
Esse teria sido um churrasco que eles nunca mais iriam esquecer.
O que era pra ser uma cerimônia de reconciliação de casais, acabou sendo uma noitada de muita bebedeira, comilança, música e sexo.
O tempo passou e um calor indesejável acordou o menor de todos ali, que estava soterrado de braços e pernas.
Quando Luffy abriu os olhos, incomodado com a claridade e o peso sobre si, conseguiu observar melhor a onde, como e com quem estava.
Assim como a forte enxaqueca, foi inevitável um rubor tomar conta de todo o seu rosto.
Aos poucos, vendo todos aqueles três homens sobre si, as lembranças da madrugada anterior tomaram sua memória, o fazendo sentir uma vergonha imensa.
Essa vergonha se tornou um sentimento estranho, no qual Luffy estava se sentindo um lixo, ainda mais pelo fato de ter gostado de cada minuto do que fizeram.
Devagar, sem querer acordar ninguém, Luffy conseguiu sair do meio onde estava e recolheu suas roupas espalhadas, caminhando nu pela casa até o banheiro.
Algum tempo depois, quando Luffy já tinha tomado seu banho e se trancado no quarto, Zoro acordou e percebeu a situação em que estava.
Ainda confuso, com as memórias embaralhadas, acordou os outros dois.
- Trafalgar! Sanji! Acordem. Acordem! Cadê o Luffy?
Com alguns resmungos de lá e de cá, Tral e Sanji acordaram.
- é o que Marimo? Me deixa dormir!
- fala Zoro, meu Enel que cara chato!
- vocês estão nus e agarrados em mim. Saiam agora! Eu quero saber cadê o Luffy. Ou vocês ainda não se lembram do que fizemos com ele?
Em uníssono, xingaram.
- PUTA QUE PARIU!!!!
Os três levantaram rapidamente, se vestindo com pressa e correndo desajeitados pela casa a procura do pequeno.
Chegando na porta do quarto do menor, Zoro chamou:
- Eiii, Luffy?? Por favor fala comigo! Me deixa entrar.
Luffy permaneceu em silêncio, com as lágrimas escorrendo silenciosas.
- Baby, me deixa entrar, por favor! Precisamos conversar. Tral tentou convencê-lo.
- Lu? Por favor, deixa a gente te ver. Não vamos te julgar, só queremos saber se você está bem.
Foi então que, mesmo com a voz embargada por conta das lágrimas, Luffy respondeu:
- eu estou bem... Mas me sinto um lixo e não quero ver nenhum de vocês três! Eu estou com vergonha de mim mesmo por ter provocado vocês e por tudo que fiz. Não se sintam mal, eu fiz tudo o que eu queria fazer e é justamente por isso que não consigo encara-los. Eu usei vocês três para meu bel-prazer!! Me deixei levar pelo álcool e pelo tesão e quando vi, acordei em uma situação vergonhosa. Vocês são ótimos amigos e descobri ontem que os três são muito bons de cama, mas eu estou me sentindo uma puta oferecida. Desculpem pessoal, me perdoem! Diz já chorando e soluçando, fazendo os três ao lado de fora se sentirem péssimos.
Um deles porém, chorou como uma criança que acabou de perder seus pais. Quase que implorando e ferindo completamente seu orgulho, pediu entre lágrimas:
- Monkey D. Luffy, me deixa entrar por favor. Por Enel, eu te imploro, me deixa te ver.
Luffy ao ouvir aquela voz conhecidissima por si, acabou por chorar ainda mais.
Mesmo assim, levantou - se da cama e caminhou até a porta, abrindo ela de vagar e se surpreendendo.
- você está chorando na frente de deles sem pensar no seu orgulho? Suspirou segurando as lágrimas. - Entra. Mas só você! E evite me olhar ou tocar. Me sinto sujo e não quero sentir nenhum toque que possa vir causar sei lá o que no meu corpo. Estou com muito nojo de mim mesmo.
Dito isso, o coração dos três presentes doi.
Ao ver o rapaz entrando e Luffy fechando novamente a porta do quarto, os outros dois ficam ali, sentados no chão de frente para a porta do quarto sem falar nem ao menos um "a".
Um silêncio desconfortável enquanto esperavam uma resposta, positiva ou negativa, vinda daqueles dois lá dentro.


Notas Finais


Suspensezinho chato né? 😏
Oh, só pra lembrar, Tral, Zoro e Sanji são igualmente orgulhosos tá? 🤐😶
Não sei quando vou atualizar a fic agora pois preciso por a outra em dia. 🥵
Porém, não devo demorar tanto assim! 🤭
É isso pessoas, até o próximo capítulo. 🥴
Bjsssss ❤🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...