História Os Meus, os Seus, os Nossos - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Tags Baektao, Exo, Família, Krisho, Taohun
Visualizações 57
Palavras 3.997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heey peaple como estão? Espero que bem.
Tinha terminado esse capítulo mais cedo, só que fiquei caçando algumas imagens para fazer uma capa, mas acabei ficando de saco cheio e dor de cabeça, então vai ser assim mesmo, depois, quem sabe eu arrumo uma capa boa :u
Enfim, ta aqui um capítulo ótimo para vocês, espero que gostem ~~

Capítulo 14 - Gosto de você pra valer


Fanfic / Fanfiction Os Meus, os Seus, os Nossos - Capítulo 14 - Gosto de você pra valer

Passaram alguns dias sem os dois se verem ou se falarem. E sobre o trabalho, o livro estava apenas sendo finalizado por intermédio dos assistentes que enviavam para os dois, mas não se encontraram mais e nem ao menos trocaram mensagens. No final das contas, devia ser melhor assim mesmo, não passou de uma paixão boba, nunca daria certo, como que um homem solteiro de 36 anos iria começar a namorar, foi uma ideia muito estúpida. Junmyeon ria só de imaginar como seria os dois namorando, as pessoas iriam achar que eram loucos e interná-lo.

Ele ajudava Kyungsoo com sua tarefa escolar, que preferia assistir televisão do que prestar atenção a as questões. Um filme muito mais interessante que acabou atraindo a atenção do adulto, na verdade era apenas um filme típico de adolescentes que se apaixonam, tentam ficar juntos, mas se separam no final. Junmyeon estava com os olhos fixos na TV, começando a marejar e entortar a boca em um biquinho . Era a cena em que a garota se declarava para o rapaz na frente de várias pessoas e corria envergonhada já desistido do amor por ele.

Junmyeon começou a esfregar os olhos impedindo que as lágrimas caíssem.

 – Pai, você ta chorando?

 – Não... É a cebola.

Kyungsoo olhou estranho para o pai, a única pessoa que estaria cortando cebolas naquele momento era a empregada e ela estava na pia da cozinha, bem distante dos dois.

Baekhyun desceu as escadas seguido de Chanyeol, os dois vestidos prontos para sair.

 – Ahjumma, faz um milkshake aí, eu to morto de fome. – Baekhyun disse para a empregada que já estava ocupada preparando o almoço.

 – Nós vamos dar uma volta no shopping para comprar um sapato novo, aliás, pai, me dá seu cartão de crédito aí. – Chanyeol falou já abrindo a carteira de Junmyeon.

 – Certo, leve o platinum...Sabe de um coisa, devíamos mesmo ir no shopping. Faz um tempo que não vou ao shopping, e vai ser bom passamos um tempo juntos certo! Um passeio de pai e filhos, Kyungsoo, vá chamar seus irmãos, mandem eles se arrumarem para sairmos.

Junmyeon já havia se animado, ignorando os protestos e a má vontade de Baekhyun em querer o pai e os outros irmãos juntos.

Kyungsoo voltou com os gêmeos animados para sair, Junmyeon vestiu uma jaqueta jeans por cima do moletom cinza, Baekhyun reclamava sem parar porque teria que ser babá dos mais novos. Ele passou o braço no pescoço de Kyungsoo.

 – Ei , o Soo-ya disse que vai ficar cuidando do Sehun e o Jongin então não precisamos ficar todos juntos. – Baekhyun falou, logo levando um beliscão do mais novo.

 – Pare com isso, o pai quer todo mundo junto...

 – Pai, a gente pode levar o Vivi e o Nini?  - Jongin perguntou trazendo os dois poodles que usavam uma jaquetinha colorida.

Suho concordou balançando a cabeça. O pai e os 5 filhos junto com os dois cachorros foram para o carro em direção ao shopping.

Chegando ao shopping, eles foram logo para a área do fliperama. Sehun não ficou nem dois segundo segurando os cachorros, logo os entregou para Kyungsoo e Chanyeol segurar os dois cachorrinhos. Ele e Baekhyun subiram no simulador de moto enquanto Junmyeon pegava o ticket para seus filhos  usufruírem dos brinquedos livremente.

Chanyeol puxou Kyungsoo para jogarem em uma mesa de hockey e Junmyeon foi jogar basquete eletrônico juntamente com Jongin, mesmo ele perdendo a maioria das bolas, continuava animado, na verdade, de todos eles Junmyeon era o mais animado. Os garotos já estavam acostumados sempre jogarem na área de jogos, já sabiam os truques, principalmente Chanyeol e Baekhyun. Suho reuniu seus filhos e os dividiu em times para jogarem futebol de mesa, na qual ele havia achado genial e que lhe recordava a infância.

Ele começou a contar uma história de quando tinha idade dos meninos, mas eles estavam ocupados demais gritando enquanto Sehun tentava derrotar Kyungsoo no jogo. Sabendo que os garotos não estavam dando a mínima atenção para o que ele estaria contando, ele apenas sorriu para si mesmo e continuou jogando na mesa de pebolim. Afinal, se não pode contra eles, junte-se a eles.

Jongin foi o primeiro a se afastar, envergonhado, olhava para os lados e para as pessoas ao redor, achava que o pai estava exagerando e parecendo outro adolescente. Animado, rindo e interagindo com os outros jovens que estavam no local também jogando. Chanyeol já começou a fugir quando viu o pai colocando orelhinhas de gato na cabeça de Baekhyun e o mesmo irritado reclamando. Algumas meninas passaram olhando e cochichando entre elas, o que só fez Baekhyun encolher de vergonha.

 – Eu juro que vou me matar depois disso... – Baekhyun suspirou.

Os três ficaram brancos de nervoso quando viram Suho subir em um palco pequeno, onde estava acontecendo uma competição de Just Dance. Suho  conversava com o organizador e já estava escolhendo uma música, os meninos sabiam que seriam obrigados a subirem, e que a qualquer momento Junmyeon poderia chamar a atenção para eles.

 – Eu não conheço ele. – Jongin virou as costas, indo para a mesma direção que Chanyeol havia ido.

Para evitar uma possível vergonha, Kyungsoo se adiantou e puxou discretamente o pai do palco.

 – Ah o que foi, você adora jogar Just Dance, sempre faz 5 estrelas comigo. – Suho disse.

 – Depois... em casa. Acho melhor nós irmos comer, que tal, aposto que querem uns sanduiches. – Kyungsoo deu a ideia.

Os garotos e o pai foram para uma lanchonete fast food. Suho sentiu a falta de Sehun que não estava junto com eles, mandou Kyungsoo procurar o garoto e o juntar com os outros na lanchonete . Já estavam todos juntos novamente, Suho puxando Chanyeol para tirarem uma foto com filtro, Baekhyun e Jongin reclamando querendo irem embora, Sehun apenas jogando no celular, ignorando a existência de todos na mesa. Kyungsoo decidiu fazer o pedido dos lanches, ele sempre estava tentando fazer algo, cuidando dos outros e de tudo. Ele sentia-se satisfeito no controle, sempre foi assim, desde pequeno. Mesmo não sendo reconhecido por isso, já que o pai estava sempre mimando os dois mais velhos, Kyungsoo acabou se acostumando a isso...

 – Ai por favor vamos embora, ai caramba Soo por que você não pediu para a viagem ein? – Chanyeol reclamava. – E se alguém da minha escola me ver aqui?

 – É, devia sair com o tio Minho. – Concluiu Jongin.

 – Ah, mas é legal fazermos um programa assim ein família, faz tempo que não fazemos algo legal assim, entre pai e filhos.

 – Mas a gente te ver todo dia... – Sehun falou de forma preguiçosa.

Suho mexeu sua comida com um sorriso falho e um pouco cabisbaixo. Kyungsoo percebendo isso, falou:

 – O pai tem razão, parem de serem chatos. Seria melhor se fossemos para casa mesmo e fizermos uma maratona de filmes comendo pizza ou algo assim, é bem mais legal do que ficar saindo, em casa a gente pode relaxar e ficar mais a vontade. – Dado o discurso, o outros meninos começaram a concordou com o irmão do meio. – E Sehun deixa de ser hipócrita, passa o dia reclamando que o pai não liga pra você e depois fica com essa cara carrancuda .

A voz séria de Kyungsoo fez os outros rirem, logo o clima da mesa havia melhorado. Pelo menos por alguns minutos. Próximo de onde estavam,  Jongin viu de longe uma pessoa que era facilmente reconhecível.

 – É a mãe ali?

Os meninos viraram a cabeça para onde Jongin havia indicado.  Uma mulher alta com as mesmas características que conheciam muito bem, da mulher que os haviam dado a luz.

 – Mãe! – Jongin levantou da cadeira e andou alguns passos, balançando as mãos, tentando chamar sua atenção.

Joohyun namorava algumas joias de frente a joalheria, não havia percebido que seu ex-marido e seus filhos estavam no local, até ouvir a voz do mais novo lhe chamando.  Ela sentiu subir um calafrio na sua espinha, estava rezando para não ser quem ela achava que era. Calmamente ela se virou na direção deles, como estivesse apenas observando o shopping, olhando por cima, sem encará-los nos olhos.

Um homem alto e bem vestido, acabou aproximando-se dela de forma bem intima, colocando uma das mãos em sua cintura, o homem olhou na mesma direção que ela antes olhava, mais especificamente para a mesa com os 5 adolescentes que também o encarava. Rapidamente, ela segurou o rosto do homem,o fazendo olhar para ela, chamando sua atenção com um sorriso sutil e sedutor, ela agarrou seu braço, o levando para a direção oposta.

 – Para de ficar se humilhando Jongin, achava que ela viria até aqui? – Baekhyun disse em um tom arrogante.

 – É estranho, no brunch ela até que foi legal. – Sehun falou.

 – Não se iluda, ela só se importa com ela mesma...

Junmyeon percebeu que os meninos começaram a ficar cabisbaixo e pararam de sorrir. Ele pensou em algo que melhorasse o animo deles, ao menos tirasse os más pensamentos sobre a mãe, da cabeça deles.

 – Sabe o que poderíamos fazer? Uma maratona de filmes. Que tal? – Ele olhou para cada um com um sorriso de orelha a orelha. – E também comer todo tipo de doce e salgadinho que engorda, que tal? Cachorros quentes, pizzas, com M&M em cima, o que vocês quiserem comer.

 – Sério? – Chanyeol se animou.

Suho, balançou a cabeça concordando.

 – Mas, precisamos comprar os lanches antes, vocês num instante acabam com a comida... Certo, então vamos no supermercado aqui perto, fazer as compras certo, vamos todos...

 – Ah, eu não quero ir, prefiro ir para casa, eu to com dor de cabeça. – Sehun falou.

 – Que mentira, você só quer usar meu computador, acha que não sei que é você usando? Sempre aparece no meu histórico: ‘’Roupas para ser popular na escola’’. – Chanyeol falou em um tom irônico.

 – Deve ser você que faz isso, seu fracassado! – Sehun respondeu o mais velho.

 – Okay, vamos fazer assim. Kyungsoo leva Sehun e Jongin, para casa, e os três arrumem tudo, e escolhem um filme para nós assistirmos. Eu, Baekhyun e Chanyeol, vamos escolher os lanches. Melhor assim?

Parecendo que haviam chegado a uma concordância, os garotos se dividiram nas tarefas que Suho havia mandado. Alertava os mais novos a terem cuidado ao atravessar a rua e pegarem o ônibus em segurança, os gêmeos também levaram para casa seus cachorrinhos.  Junmyeon e os dois mais velhos, iam para o carro, em direção ao supermercado, já dando ideias de que lanches e doces iriam escolher para levar.

Não demorou muito para chegarem ao supermercado, os dois filhos tomaram posse do carrinho de comprar, indo em direção ao corredor dos biscoitos e massas, já colocando no carrinho, seus biscoitos e bolinhos recheado favoritos. Suho escreveu em um caderninho a lista de ingredientes que precisaria para fazer os lanches; destacou o papel para os dois e os mandou procurar e colocar os ingredientes no carrinho. Tarefa dada, os dois meninos se separaram do pai, indo para os diversos corredores do supermercado, enquanto Suho escolhia algumas massas de bolo.

Baekhyun subiu no carrinho, sentando dentro dele, enquanto Chanyeol empurrava velozmente pelos corredores, eles pararam na seção de brinquedos, se interessando logo pelos skates. O maior pegou um skate com uma arte tribal, o colocando no chão e tentando subir nele, Baekhyun fez o mesmo. Deixando o carrinho de compras para trás, ele decidiu testar um skateboard, empurrando com o pé direito, de forma desengonçada, mal conseguindo se equilibrar. Ele acabou empurrando demais, fazendo o skateboard sair de seu pé e deslizar sozinho pelos corredores, batendo no pé de um garoto, que pulou de susto.

 – Ah, me desculpa, você se machucou... Oh?! Ah, é você. – Baekhyun se animou ao encontrar o garoto, que era familiar. – Você é o irmão da Tao né, digo... do Tao... ah não sei...Enfim... – Baekhyun se enrolou, tentando entender se Tao era menino ou menina, como ele havia conhecido. Ele balançou a cabeça, voltando o foco para o garoto. - Yixing, não é?

 – Oi. – Yixing respondeu com uma voz animada. -  Eu não lembro do seu nome, desculpa.

 – É Kim Baekhyun. O que você ta fazendo aqui? – Baekhyun perguntou com um sorriso largo amigável.

 – Eu vim ajudar meu pai com umas compras. – Yixing falou.

 – Eu também, ah esse é meu irmão. – Baekhyn puxou o irmão mais alto, quanto ele se aproximou. – É o Chanyeol.

O chinês sorriu delicadamente para o coreano, se curvando de leve, o cumprimentando. Chanyeol abriu um largo sorriso,  parando em frente ao chinês.

 – Wow, esse é um Jordans? – Chanyeol apontou animado para os tênis de Yixing. – É um das edições limitadas, mano que incrível.

 – Yixing, você sabe andar de skate certo? – Baekhyun, interrompeu Chanyeol sem pensar duas vezes. – Já andou nesse? – Ele aponta para o skateboard perto dos pés do chinês.

Yixing, colocando um dos pés no skateboard, o analisando. Lembrando que havia perdido seu skate na água, e até o momento o pai não havia percebi. Sinceramente, ele não sabia se ficava triste ou aliviado com isso.

 – Já sei o que podíamos fazer. – Baekhyun pega o skateboard e senta no meio. – Agora um dos dois, me empurra.

Chanyeol foi o primeiro, empurrou com o pé, fazendo Baekhyun deslizar alguns metros, quase batendo em um outro carrinho de compras de um casal que estava no corredor. Ele voltou de ré, usando as mãos para pegar impulso, voltando para o amigo e o irmão. – Assim não, faz direito.

Yixing observava, rindo dos dois brigando um com o outro, para decidirem como iriam usar o skateboard, Baekhyun dava uma ideia, Chanyeol descartava, quando o alto falava algo, o menor fingia que não escutava.

 – Ah, e se fizéssemos assim. Yixing...hyung? – O mais alto olhou para o chinês, esperando ele confirmar o título com a cabeça. – Você fica dentro do cesto do carrinho, eu fico em pé, em cima das rodas e Baekhyun fica atrás no skate segurando as barras.

 – Tem certeza que isso da certo? – Perguntou Yixing um pouco duvidoso.

 – Bom, só nos resta, testar.

Baekhyun colocou o skate atrás do carrinho, tirou um cadarço de seu tênis , passou o cadarço na barra de baixo do carrinho, segurou as duas pontas para facilitar ser puxado. Yixing subiu no cesto de cima, ficando dentro do carrinho, segurando as barras de lado, ainda receoso da brincadeira dos coreanos. Chanyeol segurou o guidão, com os pés no chão para dar um impulso e pegar velocidade, e com as pernas abertas para não correr risco de machucar o Baekhyun que estava bem atrás, perto de seus pés.

Chanyeol começou a empurrar o carro, tomando velocidade por alguns metros. As pessoas que faziam compras naquele corredor, olharam abismada, se afastando dos adolescentes.

Chanyeol conseguiu empurrar por alguns metros, porém o cadarço na qual Baekhyun segurava, arrebentou, o fazendo virar para trás e cair do skateboard.

 – Aiyo, você está bem? – Yixing perguntou preocupado com o amigo.

 – Ah que porcaria de skate é esse... – Baekhyun deixou o skateboard do lado de umas caixas, foi para o carrinho e entrou, sentando ao lado de Yixing. – Vamos assim mesmo, vai Yeol, empurra.

 – Não mesmo, você pesa uns 200 kilos, nunca que vou conseguir empurrar esse peso todo.

 – Gente, espera, eu saio pra ficar mais leve... – O chinês se preparava para sair quando Baekhyun o impediu.

 – Não, fica aí. Acho que da pra colocar o skate na frente e o carrinho empurrar. – Baekhyun deu uma outra ideia sobre usar o skate.

 – Mas aí, você vai cair de novo, como que vai fazer isso? – Chanyeol o interrogou.

Enquanto os dois irmãos discutiam, Yixing olhou para trás, no final do corredor, quando viu um homem alto e um tanto forte, com uma farda azul. Um segurança. Seu corpo começou a gelar, já conseguia imaginar sendo expulsos ou sendo levado para uma instituição de correção. Ou pior, sendo preso por vandalismo.

 – Gente, aquele guarda ta olhando para cá...

Assim que Yixing avisou, os dois coreanos olharam rapidamente na direção, percebendo o guarda. Chanyeol sem sair do lugar, girou o corpo para a prateleira e aleatoriamente pegando algumas vasilhas de plástico, um desentupidor, e outros objetos de lavanderia e os colocando no carrinho, fingindo estarem fazendo compras. Baekhyun fez o mesmo, se distanciou, pegando um tipo de manta e colocando em cima do Yixing.

 – Pronto, assim ninguém vai ver. – Baekhyun com um tom vitorioso, apenas recebeu um olhar de reprovação do irmão.

Os dois começaram a empurrar o carrinho, com Yixing dentro, já nervoso, de tempos em tempos checando se o segurança os observava. Chanyeol sem pensar duas vezes, aumentou a velocidade, virando rapidamente em outro corredor, para escapar do segurança. Ao conseguirem, os três garotos começaram a rir. Com Baekhyun e Chanyeol empurrando o carro, havia ficado mais fácil, cada um deles subiu no suporte perto das rodas e assim o carrinho ia dirigindo sozinho, de forma desgovernada pelos corredores.

Junmyeon que estava ocupado, e fazendo as compras de verdade, pode até ouvir umas risadas conhecidas, e o barulho das rodinhas do carro batendo no chão liso. Ele suspirou, imaginando no que eles estariam aprontando e nas desculpas que ele teria que dar para o gerente no local. Ou talvez mudar de supermercado, outra vez.

Próximo item na lista de compras era pasta de pimenta, porém seu caminho estava sendo impedido por um carrinho de compras cheio de carne enlatada e defumada.

 – Minha nossa, que tipo de pessoa só come carne em lata? – Suho afastou o carrinho para longe, com um tanto de aversão.

 – Ei, acho que isso é meu. – Uma mão e uma voz grave parou o carrinho.

 – Ah, eu não sabia, desculpa... – Suho levantou o olhar para a pessoa, dona do carro. Ao encontrar aquele olhar o fitando, sentiu seu coração parar e bombear numa velocidade absurda. – Yifan... Oi, você...a ... como está? – Junmyeon tentou manter a compostura como um bom adulto deveria.

 – Eu vou bem.

Se instalou um silêncio no mesmo momento. Suho não disse mais nada, apenas sorria e segurava as barras do carrinho de forma constrangedora. Ele não sabia o que dizer, apenas falou qualquer coisa que surgiu em sua mente no momento.

 – Então, você ta planejando comer tudo isso e hibernar, ein. – Suhou xingou a si mesmo, ao perceber no que havia dito. Não tinha nada melhor para dizer? – Enfim! O que você ta fazendo aqui?

 – Bom, eu vim fazer compras, é isso que se faz em um supermercado certo. – Kris apontou para o carrinho de compras. – Vim com um dos meus filhos, é de um projeto de escola dele.

 – Ah isso é ótimo, eu também vim com meus dois meninos, mas agora eu não sei onde eles estão... – No corredor de trás de Kris, Junmyeon viu um carrinho de compras desgovernado sendo empurrado por um garoto da idade dos seus e seus dois filhos dentro do cesto, rindo, causando barulho no ambiente familiar.

Ele rezou para que Yifan não percebesse que os garotos barulhentos, eram os filhos de Junmyeon na qual ele tanto se orgulhava. Assim que Kris, virava a cabeça para saber de onde vinha o barulho, Junmyeon rapidamente, o chamou a atenção.

 – Ah sim, e seu filho mais velho, como ele está? Aquele dia que ele passou mal, foi bem preocupante.

 – Ele ta bem melhor, obrigado por se preocupar. Ainda coloquei os dois de castigo por uns dias. – Kris falou de forma monotoma.

Um silêncio pairou sobre os dois, durante longos desconfortantes 20 segundos.

 – Ok, foi bom te ver outra vez. – Kris sorriu para o menor, pegou seu carrinho pronto para sair.

Nesse momento, Junmyeon sentiu o peito pesar, sua garganta arder. Ele não queria deixar que Yifan fosse embora, e se não visse outra vez? Se não tivesse mais a oportunidade de falar o que sente,  não tinha mais certeza se foi uma decisão correta. Não parecia que a ideia inicial tinha sido dele de terminar a relação, ou melhor, ter desistido dos dois. No final, a situação foi invertida, e Junmyeon sentiu que tinha sido dispensando.

Junmyeon o chamou outra vez, antes que ele fosse embora.

 – Você acha que teríamos dado certo juntos? – Sem pensar direito, Junmyeon apenas falou em voz alta, o fazendo parar e encarar o menor. – Se eu tivesse aceitado, podia ser diferente agora, eu acho que não pensamos direito...Eu digo, tipo, tínhamos que levar nossos filhos em consideração e foi muito rápido...

 – Bom, mas você tinha razão. Filhos primeiro.

 – Eu sei, eu só não consigo deixar de imaginar sabe, isso nunca, quase nunca acontece comigo... – Junmyeon falou em um tom baixo. – E também, eu precisaria de tempo para contar para os meus filhos, e você aos seus, seria muita coisa...E eu teria que contratar mais duas empregadas para fazer jantar para todos, ou levar no parque... – Junmyeon inflou as bochechas um tanto chateado.

 – Junmyeon... Eu também e eu gosto de você pra valer, mas isso...

Os olhos de Suho brilharam quando ouviu as palavras de Kris.

 – Vamos tentar! – Junmyeon praticamente gritou, a adrenalina havia falado mais alto.

 – Eu não te entendo. Você primeiro diz que não quer ter essa relação, expondo reais motivos para desistir, e agora diz que quer entrar em um relacionamento comigo?

 – Eu sei, só estou dizendo que poderíamos tentar, se não der certo, não vai haver remorso ou arrependimento sabe, e se eu for começar a namorar, quero que a pessoa seja você.

 Ao ouvir as doces palavras do moreno, Yifan não conseguiu deixar de sorrir, sentiu suas bochechas esquentarem no mesmo segundo. Ele mordeu a língua, tentando manter uma postura, não queria mostrar a excitação que sentia em ouvir a pessoa que gostava, corresponder seus sentimentos.

Yifan aproximou-se do moreno com um olhar carinhoso, admirando os grandes olhos brilhantes do menor. Sem dizer mais nada, apenas com sorrisos e olhares, ele sentiu que Junmyeon havia entendido seus sentimentos no momento. Ele não precisava dizer sim a proposta do moreno, seu olhar já dizia tudo.

Yifan levou seus dedos para tocar nos fios soltos de Junmyeon que caíam sobre seus olhos.

 – Pai! – Chanyeol surgiu no corredor correndo junto de Baekhyun e Yixing.

Os dois adultos tomaram uma boa distancia uma do outros, assim que ouviram a voz do garoto. Os meninos estavam suados, com o rosto vermelho puxando uma respiração pesada.

 – Vocês não trouxeram o que pedi? Ah não importa, eu já cuidei de tudo mesmo.

Yixing como viu que o próprio pai estava no lugar, se aproximou ficando ao seu lado, como um bom filho, um pouco tímido.

 – Esse é meu terceiro filho, Yixing. – Yifan apresentou o garoto para Junmyeon.

 – Oh, ele se parece muito com você... – Junmyeon sorriu torto, olhando para os próprios filhos.  Sua mente realizou que o filho de Yifan, estava vindo do mesmo caminho que seus filhos, que não são nem um pouco santos, e os garotos que estavam correndo em cima de um carrinho de compras era eles, e as chances do terceiro garoto ser o filho do Yifan era de 120%.

 – Yixing, esse é o seu pai? Que daora. – Baekhyun disse um pouco tímido.

 – Espera. – Interrompeu Chanyeol. – Vocês dois se conhecem? – Chanyeol direcionou a pergunta para o pai.

 – Sim, ah...Do trabalho. Nós, trabalhamos juntos. – Suho respondeu bem rápido.

 – Sim, e pelo visto os três já se conhecem também. – Yifan disse com um sorriso amistoso no rosto.

 – Pai do Yixing, ele pode ir para nossa casa assistir filme, qualquer final de semana? – Chanyeol perguntou animado.

 Yifan concordou com a cabeça.

Os dois filhos de Junmyeon puxaram Yixing para combinarem de assistirem filmes e chamar Tao para ir também, os garotos estavam ocupados conversando que não prestaram atenção nos dois adultos.

 – Então, vamos tentar pra valer. – Yifan abriu um sorriso malandro, estendendo a mão para o moreno apertar.

 Com as bochechas rosadas, Suho apertou a mão de Yifan, sorrindo de volta.

 – Antes que eu me esqueça, isso é pra você. – Yifan colocou um pacote colorido com vários ursos nas mãos de Junmyeon.  – É um pedido de desculpas por aquela vez.

Junmyeon olhou para as mãos e viu o pacote de doces de bluebarrys em forma de ursos que Sehun gosta. Ele sorriu bobo, lembrando da primeira vez que eles se conheceram, naquele mesmo supermercado.

 


Notas Finais


Então, curtiram?Hmmm parece que as coisas vão melhorar hehe, eles merecem pelo menos um pouquinho ahsuahuas
Beijos seus lindos cheirosos <3 Love ya


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...