1. Spirit Fanfics >
  2. Os olhos do gato. >
  3. A entrega

História Os olhos do gato. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi?
Vamos lá?

Boa leitura!

Capítulo 3 - A entrega


Fanfic / Fanfiction Os olhos do gato. - Capítulo 3 - A entrega

Acordei pulando da cama. Queria ter  certeza  que aquele gato não estaria lá.  É! Não estava! Então, vamos  tentar ter  mais um dia. 

Eu entrego jornais, é  uma forma de tentar amenizar as surras, pois ele fica com dinheiro  e não  bate muito na mamãe.  Também  faço por fora, como cortar gramas, pintar cercas, coisas assim. 

Pra falar a verdade, todo mundo  sabe da minha casa. A vizinhança inteira já  ouviu os gritos de minha mãe. Mas quando chamavam a polícia, ele fugia. Ela não  dava queixa pois  ela tinha medo dele nos matar. Infelizmente,  minha mãe é tão viciada quanto ele. Então,  quando eu faço  serviços  eles me pagam. 

Como ainda era muito cedo, eu não gosto de acordar eles. Ainda bem que escondi os biscoitos  que a velha Shinoda me deu.  Vou comendo eles até  chegar no Comércio do Bill. Ele distribuía os jornais entre os jovens do bairro. Mas ao passar pela casa da senhora Shinoda, vejo ela em sua varanda. 

-Bom dia! - falo educadamente. 

-Bom dia! Por favor, meu rapaz, venha aqui! 

Droga, mas achei que ela ia me dar  mais biscoitos! 

-Sim , senhora?

- Pode pedir ao Bill, para trazer essas compras ? Aqui está  a lista!- Ela me dá um papel . 

-Sim senhora! - Digo olhando o gato que esta na janela olhando pra mim . - Eu digo a ele. 

Ela sorri, olha pra trás  e depois olha pra mim. 

-Ele viu alguma coisa? - Pergunto 

-Sim! Ele viu você dormir ontem a noite. 

-Serio? Ele não quis roubar meu ar?

-Não. Ele me disse que gosta de você! E que ele aceita ficar com você! 

Eu olhei confuso pra ela. Depois eu ri!

-Senhora, não posso ter um gato!

-Tenha um bom dia, meu filho! 

Ela vira e entra na casa dela, o gato desce da janela, sumindo dentro  da casa. 

-Chester? - ouço  alguém  me chamar. 

-Talinda? 

Era Talinda, a menina da rua de trás, a garota dos meus sonhos!  Fui ate lá  com ela. 

-Tali? 

-O que tava fazendo na casa da louca Shinoda?

-Uma lista de compra  pro Bill ! - Mostro o papel.  

-Vem, eu te levo de bicicleta! 

Montei na magrela dela e fomos. 

Talinda era aquela menina que mais parecia menino. Ela entregava jornais também, era filha do Bill.  Era a única  mulher . A dona dos meus sonhos  que talvez nem realize, se eu continuar nessa vida. 

Chegamos, Bill nos esperava. 

- Muito bem! Bom dia! Como vão? Chester, Talinda!

- Oi Bill! 

-E ae Bill? Olhe a senhora Shinoda mandou a lista  pra você  entregar. 

-Tudo bem, vou separar  tudo. Peguem os jornais  e façam  suas entregas!

Cada um pegou suas sacolas  com jornais separados e embrulhados com plásticos . Mas antes de eu sair , Bill me chamou:

- Chester? Essas marcas nos seu braço.  Quando me deu o papel. Ele fez de novo não  é? 

As marcas que ele fala, é os ferimentos causadas pelo escovão. Não  respondi, afinal nem precisa!

-Bill..

-Chester,  eu vou levar as compras de sua mãe.  Se aquele  cara estiver  lá,  eu vou quebrar  a cara dele!

Bill foi lutador de boxe. Todos sabem da história  dele. O tamanho  dele era duas vezes maior do que o cara! 

-Ele não  vai estar lá,  Bill! Ele tem medo de homens! 

- É  mesmo? Você  é  homem sabia?

- Não sou! Sou apenas um garoto!

-Então,  está  na hora  de ser tornar um homem, Chester! 

Eu fiquei calado. Ele me deu a sacola com jornais . 

-Vem Chester! Vou te levar ate a sua rua! -  Diz Talinda. 

Eu monto na bicicleta, Talinda vai devagar subindo a ladeira, até  chegar na minha rua. 

-Chester?

-Eu!

-Tu é  amigo da louca Shinoda?

- Eu sempre ajudo ela botar o lixo na caçamba  da rua. Ela não consegue abrir a tampa da caçamba. Ontem, ela me deu biscoitos.

- Não  tinha veneno?

-Estou vivo, né, Talinda? 

-Ela falou, se conversa com o capeta?

-Na verdade , ela fala sozinha! Não  vi nenhum cara de chifres e pés de bode. Apesar que  pra mim, o capeta se apresenta em forma de namorado  da mamãe! 

Ela freia ! Olha pra mim com pena!

-Chester, papai disse que qualquer dia desses vai quebrar a cara daquele homem! 

-Seria um sonho pra mim, se alguém matasse ele! 

-Vamos tomar sorvete depois das entregas? 

Meu Deus! Eu senti que tremi! 

-Mas é  claro! Eu vou adorar! 

- Então  venho  te buscar depois. Boa entrega! 

Ela vai embora na bicicleta. Eu começo  a distribuir os jornais. 

Perto de terminar , fui deixar o de casa na caixa de correio. Vejo o namorado da mamãe na porta fumando. Ele fica me encarando. Deixo o jornal , e volto a descer a ladeira indo em direção a comercio do Bill, devolver a bolsa dos jornais. O carro dele vem subindo a rua. 

-Ei, Bill!- Eu fico balançando as mãos.

-Ei, Chester! 

Ele pára o carro na frente da casa da senhora Shinoda. 

-Veio entregar as compras?

-Sim, aproveitei a folguinha que Talinda me deu no Comércio!

Ele entra pelo portão da frente da casa. Eu vou acompanhando ele. Na varanda, ele bate na porta.

-Senhora Shinoda?- Ele diz batendo na porta!

Eu vou olhar pela janela. Eu vi a porta dos fundos aberta, mas sem sinal da velha. Bill bate novamente e a chama, mas não a vejo vir lá de dentro . Algo não me cheirou bem nisso!

-Bill, eu vou pular o cercadinho e ver pelos fundos. 

-Chester, não faça isso, é invasão!

-Eu já entrei ai, a casa não é tão grande, ou ela ficou surda, ou aconteceu alguma coisa!

-Chester! Quando entrar , venha abrir a porta da frente, não vai fazer nada sozinho!

-Tá! - Eu vou pela varanda mesmo. Pulo o cercadinho, e vou pelo quintal até a porta dos fundos.  Entro pela porta aberta. 

-Senhora Shinoda?- Eu falo baixo, talvez ela esteja ocupada em algum lugar da cozinha. 

Mas não há ninguem! 

Eu entro, na ponta dos pés.  Olho pra todo  lado. Vejo um envelope em cima da mesa. Não li o que estava escrito nele, mas vi que ele era vermelho.  

Comecei a andar pra abrir a porta da frente pro Bill. Passei por uma , onde comecei a ouvir uns gemidos.  Pareciam choro, sei la! Voltei no mesmo  pé e olhei pra dentro daquele cômodo. Os gemidos vinham de lá.  Entrei bem devagar e vi a senhora Shinoda pendurada no teto, enforcada. Abraçada a ela pelas pernas, vejo alguém chorando. Os gemidos eram dele. 

-Ah meu Deus!- digo sem querer! A pessoa vira rosto  rapidamente pra minha direção,  eu assustado, volto  pela porta , mas sou agarrado e jogado contra parede.

- NÃO! - eu digo  olhando  aquele  homem. Um homem jovem, que me encara com os olhos  negros, ele faz um barulho esquisito.  De repente, as pupilas dos seus olhos, começam a diminuir. Ficam finas, como olhos de...de...

-CHESTER!! - Grita Bill, batendo na porta com força.  

O homem me solta, corre até a cozinha e pega o envelope vermelho. Volta e me dá  na minha mão.  

-O quê? - Digo olhando pra ele.

Bill começa  a bater  na porta.

-CHESTER? VOCÊ  ESTÁ BEM??

Aquele homem se agacha me olhando nos olhos, bem nos meus olhos. Seus olhos amarelos, me fazer ficar paralisado. Ele faz um barulho alto . 

-CHESTER? - Ouço  a voz de Bill. 

O homem olha pra cozinha escutando os passos de Bill pelo quintal , com seu rosto virado pra lá,  vi um colar em seu pescoço, e nele uma medalha, escrito nome.

-Mike? -Eu digo fazendo  ele me olhar, depois ele sai de perto de mim e entra no quarto. 

-Chester? - Bill fala da porta dos fundos.  - Tudo  bem?

Eu ainda sentado apenas aponto pro quarto. Bill entra na casa desconfiado. Entra no quarto, põe  a mão na boca em choque. 

-Ah Meu Deus!!!


Notas Finais


Obrigada por lerem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...