História Os Olhos Vermelhos - Capítulo 91


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Dimitry, Lysandre, Personagens Originais, Priya, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Briga Entre Irmãs, Castiel, Drama, Família, Ficção, Lobos, Morte, Romance, Sangue, Serial Killer, Stalker, Tragedia, Trouxa, Vampira, Vampiro
Visualizações 76
Palavras 1.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Repostei pq sim!!
Aeeee!! Olha quem voltou!!!
Eeuuu!!!
Depois de um mês!
Espero que vcs não esqueceram da Ursa aqui kkk
Vamos lá!

Capítulo 91 - Terceira temporada


=Elly=

"Eu não acredito", gritei mentalmente enquanto batia a cabeça na parede de um beco qualquer. Eu realmente não entendo.. Eu queria tanto saber o que se passa pela cabeça de Castiel. Eu vi.. ! Eu o vi segurando nas mãos daquela mulher! vi ambos sorrindo! , ouvi ele falando onde mora para ela!. E ainda depois veio com um papo estranho com caderno e essa baboseira toda. Se quer saber, a minha mão ainda dói depois daquele tapa que lhe dei a alguns minutos atrás. Estou com tanta raiva que sinto meu rosto queimar e o sangue frio circular por minhas veias quase inativas. “Pergunte para  o Lysandre! Ele me acompanhou o todos esses dias!.", a frase de Castiel soou por meus pensamentos. Pff, Lysandre.. não sei não. Curiosa e torcendo para tudo aquilo ser um mal entendido, encostei minhas costas no muro e retiro meu celular de dentro do bolso. Depois de alguns segundos em branco, respiro fundo e digito o número de Lysandre. Eu realmente preciso tirar essa história toda a limpo, pacificamente ou não.

— Vamos.. atende.. -Digo batendo o pé freneticamente contra o chão, escutando o som do celular discar.

— Alô -A voz de Lysandre é dita pela linha depois de um tempo.

— Alô Lys. Desculpe por ser direta, mas poderia me explicar algo ?

— Sim sim.. O que ? -Ele perguntou.

— Por que Diabos você é o Castiel estavam se encontrando com aquela mulher ?

— ….. que mulher?

— Não seja idiota, eu já estou sabendo que vocês dois saíram a semana toda juntos. Pode me explicar isso agora! -Falo irritada.

— Elly.. Eu… você não gostaria de conversar pessoalmente?.. Não sei muito bem como explicar isso.. E para falar a verdade.. Acho que quem te explicaria melhor é o Castiel. Desculpe Elly… nós realmente queríamos te contar sobre o caderno e a nossa procura atrás de Priya

Pronto! Mais um falando sobre esse tal de caderno. Nem sei se posso confiar no Lysandre, mas garanto que ele não ousaria a mentir para mim.

— Arg! Então me faz um favor?. Avise aquele embuste do seu amigo para voltar imediatamente para a escola, trazendo minhas coisas e as coisas dele sozinho!. E quando chegar, eu quero ter uma conversa com ambos!. Fui clara? -Digo praticamente gritando.

— C-certo.. Fique calma.. Está bem, eu o aviso.

— Muito obrigada. Até mais tarde. -Desligo o celular com raiva 9lsem deixa-lo dizer mais nada.

Sobre o que eles estão falando meu Deus do céu!. O que esse Caderno tem a ver comigo? E essa mulher? Desde quando é uma parente minha?. Cruzo os braços frustrada e limpo algumas lágrimas que ainda terminavam de secarem em meu rosto. Droga… eu não queria chorar.. Vai que o Castiel esteja certo .. oh céus! Porque se ele estiver, vou ficar tão mal com isso. Mas vejamos, de que caderno eles estão falando? .. Castiel disse algo sobre tradução. Caderno.. tradução, caderno tradução, caderno. Não faço a mínima idéia. A não ser se eles estiverem falando do meu guia, aquele que eu usei para orientar o Cast quando ele se tornou como eu. Só se for isso, por que nas últimas páginas tem coisas bem estranhas e fora do normal. Mas mesmo se for, o que tem de errado dele contar para mim? Porque ele estava escondendo isso tudo da minha pessoa? Isso que me dá raiva!!. Eu odeio quando escondem algo de mim, especialmente se eu faço parte. Com muito custo, saio daquele beco em direção a avenida. Nem a pau que vou voltar para a casa de meus sogros e encotrar Castiel. Ele que se vire com as malas e tudo mais. Suspiro pesadamente buscando ar o suficiente para me acalmar.

— Droga.. -digo chutando o vento.

Tudo isso está me dando dor de cabeça, e até um pouco de fome..

Os sentimentos de uma vampira como eu pode causar uma sede absoluta, aterrorizante e incontrolável, especialmente quando estou com raiva.. Mas isso não irá acontecer.

=Castiel=

Em um turbilhão de pensamentos, a única coisa que realçava brilho em minha cabeça era o fato de eu ter perdido Elly de vista. Eu confesso, foi uma péssima idéia ter escondido algo desse tipo dela. Me sinto um lixo por faze-la pensar outra coisa daquela cena. E para piorar, agora pouco recebi uma ligação de Lysandre dizendo que Elly ordenou, sim, ORDENOU, que eu fosse embora para Sweet Amoris para ter uma conversa definitiva, segundo Lysandre, quando ela estiver mais calma, porque de acordo com sua voz na linha telefônica, ela parecia estar incorporando o pior espírito o possível em seu corpo. Passo as mãos em minha cabeça, adentrando meus dedos nos fios de cabelo. Cacete… o que eu tinha já cabeça pra esconder isso dela?, demência, só pode. Já sem esperanças e com a consciência pesada, desisto e volto para casa decepcionado com minhas atitudes e arrependido. Só de lembrar daquele tapa, me sinto mais mau ainda, do seu rostinho desmanchar em lágrimas e ficar tão vermelho quanto meu cabelo misturado com seus olhos. É tenso, eu preciso esclarecer tudo a ela. Entrando no elevador do apartamento de meus pais, espero subir andar por andar até chegar no corredor certo. Chego em casa e não há nenhum sinal de meus pais, então rapidamente, escrevo um bimestre agradecendo por nos receber essa semana e arrumo aquela longa e pesada mala de Elly. Saio de lá sem olhar para trás e vou diretamente ao ponto de ônibus sem olhar para trás.

[. . .]

Não demorou muito e eu já estava em frente a escola. Não perco tempo e já subo as escadas, chegando ao corredor principal dos dormitórios. Ao achar a porta de meu dormitório e a destrancou, logo de cara, um arrepio surge a minha espinha quando vejo Lysandre e Elly discutindo, ela sentada na poltrona com as pernas cruzadas e ele de pé com as mãos na cintura. Na hora que a porta é aberta, o rangido é dado, e com isso, a atenção dos dois são voltadas para mim. Ao ver o olhar de Elly cruzar com o meu, seu rosto é virado para o lado oposto, novamente sinto meu corpo gelar e lembro dessa manhã, já que agora está de noite.

— Ah! Castiel! Que bom que você chegou! Porque só eu aqui não está dando certo. -Lysandre diz um pouco irritado, porém parecia tentar manter a calma.

— A.. -digo fechando a porta e aproximando dos dois- sobre o que vocês estavam conversando?

— Sobre o óbvio. -Elly diz de olhos fechados, porém sua raiva dá para ser sentida apenas por sua voz gélida.

— Olha, eu expliquei para ela, mas ela parece não entender. Falei que você procurou minha ajuda e eu apenas o ajudei como pude. Também disse sobre Priya, mas ela fala que não irá acreditar sem provas. -Lysandre diz abrindo os braços e eu apenas consenti bufando.

— Isso mesmo. -Comprova Elly.

— Você quer provas, é? Então veja você mesma. -Falo procurando a fita que ainda estava guardada desde aquele dia depois da festa no bolso interior de minha jaqueta.- Eu escondi de você, então agora tire suas conclusões definitivas. E novamente, vamos evitar discussões e resolver tudo com calma.

Entrego a fita para a mesma que me olha torto.

— hum.. Vamos ver então. -A mesma puxa fortemente o objeto de minha mão e se levanta, ficando frente a frente comigo.- Onde que está o vídeo cassete do Hin?

— No meu quarto.

Ela dá de costas e vai para o local onde indiquei. Espero que ela raciocine bem a fita com tudo que eu e Lysandre já dissemos a ela. Assim que ela entra no quarto, Lysandre olha para mim frustrado e indignado, me pergunto o que eu perdi desta discussão dos dois antes de chegar aqui. Suspiro pesadamente ainda muito mal com aquilo tudo. Não deixei de pensar no estado de Priya, mas garanto que ela estará bem e que ela seja de confiança. Não demorou muito para que Elly chegasse com a mão na testa e olhos fechados. Arqueei a sobrancelha um pouco confuso.

— Eu.. -Ela respira fundo parecendo um pouco tensa- Okay... Juntando as peças até que faz sentido.. Agora.. Me expliquem isto com calma.

Sentamos todos no sofá e eu e Lysandre contamos cada detalhe, especialmente das nossas conclusões e até da pequena ajuda da Ellen. Não deixei de notar que ao tocar no nome da minha "cunhada", Elly ficou furiosa por temos pedido a ajuda de sua irmã e não dela. Após explicar todos os mínimos detalhes, ela olha para o chão com a mão cobrindo sua boca.

— Então.. Não era nada daquilo que eu pensei ? -Ela diz constrangida e eu consinto.

— Aí meu Deus.. Cast eu.. Me desculpe por aquilo.. e-eu.. -Elly diz começando a se dar conta de tudo que ela fez.

Senti até dó ao ver a carinha triste Dela, que parecia muito arrependida.

— A culpa não é sua. Eu deveria ter te contado no mesmo dia.. desculpe.

Depois que eu disse isso, ela me surpreende, dando um abraço forte e passando a mão freneticamente no meu rosto. Quase me desequilibrei e cai para fora do sofá. Não contive meu sorriso por finalmente fazermos as pazes, tudo bem que todos os acontecimentos, o tapa, Priya, E as discussões ocorreram nesta manhã, mas parece que demorou dias para esclarecer tudo perfeitamente a Elly. Mas mesmo assim, sinto minha consciência pesada, talvez se eu tivesse contado antes, nada disso teria acontecido e até o suposto problema já estaria resolvido. Eu sou um tolo.

DESCULPE! NÃO QUERIA TE BATER! EU DEVIA TER ACREDITADO DE VOCÊ NA PRIMEIRA FRASE!. Perdão! Eu te machuquei ? -Ela diz desesperada e eu rio.

— Não não, você não me machucou, mas acho que com aquela pedrada que você deu na cara de Priya sim. -Digo lembrando da cena de hoje cedo. Com isso, ela me solta e sorri, aquele sorriso perverso e maligno que eu adoro com toda a alma.

— Ela é de menos. Eu não ligo. Portanto que não seja você, para mim está ótimo.

— Então.. Já acabou essa história toda ? -Pergunta Lysandre sério.

— Acho que sim! -Elly fala Feliz.

— Não mesmo. -Digo engolindo meu sorriso, ficando sério e ambos olham para mim de sobrancelha arqueada.

— Apesar de temos esclarecido tudo a Elly, não engana o fato que ainda precisamos saber daquela tradução. Seja por bem, ou por mal. Espero que Priya não guarde rancor e cumpra o nosso combinado. E que tudo que fizemos não seja em vão.

Sim, de certa forma, isso não acabou.

Não mesmo. 

Não vou desistir até descobrir o significado disso. Se for para proteger a minha vida eu vou até o final sem parar e descansar.


Notas Finais


Aaaaaa! Ele chamou a Elly de minha vida!!
Desculpem se o capítulo ficou curto, estou enfrentando alguns problemas kk
Mas então, o que acharam ?
Não ficou perfeito mais esta aí!
Até a semana que vem meus amores!
Obrigada por tudo! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...