História Os Opostos Se Atraem - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook Flex, Ódio E Amor Juntos, Romance, Seres Sobrenaturais
Visualizações 331
Palavras 2.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá ^-^

Capítulo 29 - 29. Jungkook mais uma vez manipulado!


Eles tentavam encontrar alguma coisa mas era bem difícil. Jeon tentou seduzir Hyuna para ver se ela soltava a língua, porém, ela parecia não ter nada a dizer. Enquanto isso mais mortes aconteciam e vários seres se revoltavam contra Jimin.

— Eu estou cansado disso. — o vampiro se jogou no sofá. — Por que antes não era assim? Meu eu do passado agradeceria por ter atenção privilegiada nesses quesitos.

— O de agora não? — Tae questionou.

— Eu mudei. Por mais que tente ser aquele Jimin não dá. Já é tarde pra mim. Por culpa de vocês eu conheci o que é ter sentimentos, agora não consigo jogá-los fora. — bufou.

— Conhece todos eles? — perguntou Jungkook.

— Menos o perdão. — falou de propósito, sorrindo sarcástico.

— Não comecem. — Jin alertou antes que os dois voltassem a discutir, coisa que tem feito muito ultimamente. — Nam? Conseguiu alguma pista?

— Até agora nada de diferente no comportamento das duas. — estava monitorando Hyuna e Dabi porque a maioria desconfiavam delas.

— Não creio que minha avó seja culpada de algo. É inútil investiga-la.

— Ela parece estar sempre querendo me jogar contra você. Não seria novidade.

— Kook, não se preocupe. Não faremos nada com ela antes de ter certeza. — Yoongi garantiu.

— Fale por você. — o loiro disse. Tudo bem que era brincadeira mas acabou deixando Jungkook com um pé atrás. Se ele realmente não conseguia ser o mesmo do passado, suas ações às vezes lhe fazia duvidar - e muito - disso.

.

.

.

Em certo dia Mark apareceu, afobado, na "base secreta". Acabou trombando no amigo.

— Opa! O que aconteceu? — perguntou ao vê-lo meio assustado.

— A sua avó... Ela não é sua avó, Kook!

— Calma. O que quer dizer com isso?

— Exatamente o que eu disse!

— Mas se ela não é minha avó, quem é?

— Isso é o que irei descobrir. — Park disse passando por ali.

— Jimin! — segurou-o. — Jimin, você não pode enfrentar alguém desconhecido sozinho.

— Claro que posso, ainda mais quando tenho tanta raiva para descontar.

— Jimin...

— Me solta, Jeon. — ele o fez. — Se tentar me impedir, irei descontar em você. — ameaçou encarando-o com os olhos vermelhos.

— Não irei... mas... me deixa ir junto? Ficarei escondido e só intrometerei se for necessário.

— Não tenho que deixar nada. Você faz o que quiser da sua vida, como sempre.

— Quando vai parar de jogar na minha cara?

— Você sabe. — sorriu. — Nunca.

Mesmo que ficassem discutindo quase o tempo todo, Kook tentava se segurar para não dizer nada pois queria agradar o mais velho em tudo. Às vezes conseguia mas Park nunca o deixaria saber.

— Se está perguntando onde Dabi está, eu posso te dizer.

— Quem disse que quero saber?

— Estamos andando sem rumo a horas! — exagerou, o loiro revirou os olhos. — Ela está tomando chá com alguns amigos num café aqui perto. Vai lá todas as quartas. De nada.

— Cala a boca e me leve até lá.

Observaram Dabi, ela estava calma conversando com algumas pessoas em sua mesa.

— Nunca vi esse povo... — comentou.

— Você fica aqui. — exigiu Jimin.

— Onde vai?

— Lá dentro provar se é ou não sua velha.

— Jimin, vamos fazer um plano. Atacar sem mais nem menos pode ser perigoso.

— Não. Eu... — foi silenciado pelos lábios alheios. Foi beijo rápido. — Por que diabos fez isso?

— É pra dar sorte. — sorriu, confiante. Recebeu um soco forte.

— Dá próxima vai ser no rosto!

— Vai ter próxima? — sorriu ainda mais ao vê-lo bufar e sair irritado do esconderijo.

Ao entrar no estabelecimento, Park viu as pessoas saírem dali amedontradas, sorriu irônico. Andou em passos lentos até a mesa de Dabi, analisando tudo. Tinha algo errado, todos saíram menos os que estavam com ela.

— Jimin. Que surpresa. Você não tinha ido embora? Espero que não tenha voltado por causa do meu neto. A vida dele está ótima sem você. — tomou um gole de sua xícara. O vampiro gargalhou.

— Vi de pertinho o quanto está. — disse sarcástico. A vida de Jeon estava tudo, menos boa e o lobo deixava isso claro pra si sempre que possível. — Não voltei por ele, pode ficar tranquila. Na verdade, nem aqui permanecerei, é só até resolver alguns... assuntos.

— Entendo. Onde você esteve?

— Não é dá sua conta, Dabi. — viu um brilho diferente no olhar dela.

— Ora, seu petulante! Fale direito comigo. Sou uma senhora de respeito.

— Você não é uma senhora. Muito menos merece meu respeito. — jogou as palavras para ver se afatevam-a. Viu o maxilar da mulher travar. — Quem você realmente é? — murmurou rente ao ouvido alheio.

— Sou... Sou a avó do Jungkook.

— Não. Você não é. — a puxou fazendo-a levantar e encarou de pertinho. — É melhor dizer antes que eu descubra sozinho e você não vai querer que eu descubra sozinho.

— E-está me ameaçando? — disse nervosa por estar próxima, Jimin notou isso e achou estranho. Resolveu ir por sua intuição. Praticamente colou o rosto no dela.

— Com certeza estou. — disse frio.

— Jimin... — murmurou, encarando os lábios dele, com uma voz totalmente diferente. Era fina, estridente. Levou a mão até o cabelo dela, acariciando para depois puxar com uma força anormal, ouvindo-a grunir.

— Quem você é? — gritou. Os homens e mulheres que estavam com ela se levantaram prontos para lhe atacar. — Diz! Quem caralhos é você?

— Não direi...!

— Você tem duas opções. Mandá-los se afastarem e me dizer. Ou me dizer e mandá-los se afastarem! Se não fizer...— murmurou macabro em seu ouvido. — Eu vou te matar.

— Não! — gritou soltando um poder que fez Park voar pra longe, caindo em cima de uma mesa, destruindo-a.

— Você não me manipula mais! Eu sou muito mais esperta, muito mais forte! — gritou abrindo suas enormes asas. 

Foi se transformando, ao terminar, mostrou-se uma banshee* de aparência jovem, ruiva. Jeon que estava vendo a cena de fora, se tranaformou no grande lobo e entrou em ação, acabando com todos que via pela frente e parando na frente de Jimin, rosnando para a mulher.

— Você. — disse com ódio. — Pensei que tivesse desistido desse maldito! Nada do que te ensinei foi o suficiente? Eu mostrei o quão perverso ele é mas você nunca acredita, não é? Te dei uma vida melhor com uma família. É assim que agradece?

— Foi você? — Park perguntou furioso.

— Eu quem manipulei a mente dele o quanto consegui pra te deixar? Imagina. — sorriu maldosa. — Fique feliz. Ele tentou lutar contra, inclusive meus feitiços para criar uma imagem horrível de você não funcionaram. Pelo menos funcionou na escolha principal. Como é finalmente sofrer por amor, Jimin? — também furioso, fora de si de tanta raiva - afinal, estava se odiando por ferir seu amado sem ter de fato a culpa - avançou sobre a mulher querendo machucá-la.

— Jungkook! — gritou vendo-o ter o mesmo destino que o seu, voar e aterrissar numa mesa. — Sua desgraçada!

— Eu? Querido, só estou pagando e olha que nem foi a metade!

— Pagando o que?

— Você não se lembra? — gritou enfurecida. — Você não se lembra de mim???

— Não. 

— Nely. Dois anos atrás, Inglaterra.

— Faço a mínima ideia de que doida varrida você é.

— Você nunca quis saber de mim por não ser da sua raça então me transformei numa vampira só para te ter. Nós saímos, transamos, foram os melhores dias da minha vida. Eu dava tudo por você, fazia tudo por você. Mesmo assim... Você me fez sofrer quando eu disse que te amava! Porque era um maldito vampiro frio que nunca amava e  só queria obter o máximo dos prazeres e nada mais! Tentei aceitar seu jeito horrível mas doía. O pior era ver que você estava se fodendo pra isso principalmente quando foi embora da cidade sem dar satisfação alguma! Mas você sempre fazia isso, não é? Conheci outras e outros que sofreram por ti. Eu chorei, sofri tanto por não ter o seu amor. Quando descobri onde estava, vim correndo te ver mas você partiu o resto do meu coração por estar babando por esse imbecil! Não o culpo. Nunca culpei. Você tende a ser irreversível. Simplesmente te odiei ainda mais. Tanto que fiz de tudo para te fazer sofrer! Fui eu quem trouxe o seu passado à tona, eu quem manipulei os caçadores. Fui eu quem planejei as coisas para o Jeon, fui eu quem interferiu nas escolhas dele porque ele não podia te amar, sofrer por você! Estava dando certinho mas você tinha que voltar! Não consigo aceitar. Você é um maldito filho da puta que merece morrer sozinho, sofrendo a dor que fez todos passarem! Bem, agora eu vejo... Tentei dar a Jeon uma vida longe do vampiro imundo que você é mas ele já está contaminado pelos seus encantos. Ele também merece sofrer! — uma luz forte apareceu e quando sumiu pôde ver Hyuna dentro de uma caixa de vidro.

"ELA ESTÁ MORTA? OH, DEUS, O BEBÊ!", Jeon gritou em pensamento, se levantando como humano. Por estar tentando conexão a um tempo, já que tinha esse poder - até então enferrujado -, Jimin ouviu.

"Jungkook?"

"Jimin? Como você..."

"Calado! Preciso que ative o botão do gravador que está na blusa dela. Quando transformou-se ele desligou. Ou melhor, mande mensagem com o da Hyuna ao libertá-la daquilo. Os meninos tem que ouvir para virem nós ajudar."

"Com a raiva que estou e a sua também, acabamos com ela sozinhos num piscar de olhos!"

"Ela só pode morrer com magia. Preste atenção no meu plano."

— O que você fez? — perguntou.

— Magia. Ela irá morrer em poucos minutos. E o bebê nojento que era alegria de todos... também.

— Nely, não creio que fez tudo isso só para tentar me fazer sofrer.

— Acredite. Sabe, se está achando pouco, posso fazer muito mais. — ele gargalhou, pondo-se a andar. Faria a ruiva virar de costas para a caixa.

— Engraçado. Se tem tanta certeza assim, por que se sentiu ameaçada quando voltei e teve que tentar me afastar novamente? Ficou com medo de meu amor ser tão grande que perdoaria o Jungkook e voltaria correndo para os braços dele?

— Eu queria mostrar o quanto você é macabro!

— Sei. E depois? Quando percebesse que nos afastamos de verdade por ele ter desistido de mim?

— Eu facaria feliz por finalmente ter te feito sofrer porque sei que nunca o esqueceria. 

— Mentirosa. — aproximou-se, colocando seus corpos ao ver Jungkook se esforçando demais para abrir o vidro. — Você iria correndo me procurar, com promessas de me fazer esquecer o antigo amor. — "Jimin, não dá! Essa merda não quer abrir!" — Porque você ainda me ama. Nunca deixou de me amar. — tocou onde estava o botão.

— Eu não te amo. — ralhou irritada. — Por que teve que vir nesse café estragar meus planos?!

— Ah, o dono do WolfCoffee estava me chamando para uma promoção. Mate uma banshee vadia obcessiva e ganhe seu namorado de volta. — debochou, torcendo para eles terem ouvido na base.

— Não! — gritou ao ver Jungkook saindo com Hyuna nos braços. Seu grito fez as luzes estourarem. Jimin se viu voando mais uma vez, mandou o moreno fugir que daria conta sozinho. Foi para cima dela, distribuindo socos, lutando como se estivesse um marmanjo ali.

Lá fora Jeon encontrou os outros. Como Hyuna tinha acordado, desesperada inclusive, pediu para que ela fosse pra casa com Mark.

A luta estava difícil, uma mulher de coração ferido era pior que o demônio e os poderes que ela possuía deixava tudo pior.

— Eu sou a fada da morte! Vocês que estão me vendo agora deverão saber que o fim está próximo! Vou acabar com vocês!

— Me poupe do papo furado, donzela. Você é só mais uma mal amada. — Yoongi disse fazendo os outros rirem e a raiva da mulher crescer.

Talvez estivessem passando aperto porque a pessoa que queriam não estava ali ainda. Cada um que tentava, era ferido, por sorte não gravemente. 

Quando Jin chegou foi outra história. Os golpes dos rapazes ficarem certeiros, até porque, o bruxo garantia de deixar a ruiva fraca. Ela caiu no chão já exausta. Park foi até ela, sorrindo do seu jeito sombrio.

— Como se sente falhando mais uma vez? 

— Ao menos te fiz sofrer! Eu te venci!

— Eu não sofri de forma alguma. Você só se afundou mais e mais em uma dor sem razão porque eu sei que deixei bem claro as coisas pra ti. Saiba que não foi nenhum de nós que te matou. Foi você mesma. Exatamente sua obsessão. Adeus, querida. Jin, acaba logo com isso. — viu a ruiva morrer com lágrimas nos olhos. Não sentiu pena nem nada do tipo, afinal, ela mereceu. Mereceu toda dor que sentiu por todas as merdas que fez nas vidas deles.

Tiveram que pagar pela destruição que foi feita no estabelecimento para então irem embora. Assim que saíram Jungkook puxou Jimin.

— O que vai ser de nós?

— Eu não sei. Podemos conversar depois?

— Não. Eu quero saber. Preciso saber se me perdoa.

— Sei que sua escolha foi influenciada por aquela vadia mas ainda sim dói... — foram interrompidos por Jin que trouxe um celular.

— É o Mark, precisa falar com você urgentemente.

— Alô? Se acalma... O que?... Estou indo pra aí agora!

— O que aconteceu? — o bruxo perguntou curioso.

— A Hyuna está em trabalho de parto e o Mark disse que não sabem se os dois vão conseguir sobreviver!


Notas Finais


Mais uma vez fiz oq n gosto mt, narrar brigas mas foi necessário.
Vão ter q fazer uma macumba p Jungkook, td mundo manipula ele, credo :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...