História Os opostos se atraem- BTS - Capítulo 77


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bambam, Bangtam Boys (bts), Bigbang, Blackpink, Hentai, Jb Got7, Jennie, Jimin, Linguagem Imprópria, Mark, Novela, Romance, Tortura, Vhope
Visualizações 60
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Turo bom?? Espero que sim •^•

Hoje terá ação yeeeee

Boa leitura e até as notas finais <3

Capítulo 77 - Sentiu minha falta?


Fanfic / Fanfiction Os opostos se atraem- BTS - Capítulo 77 - Sentiu minha falta?

( Lia on )

Eu e Jimin estávamos deitados no sofá pensando sobre algumas coisas sobre nosso ou nossa filha e realmente, estamos sendo adiantados demais. Mais era legal e fofo falar sobre isso.

Jimin disse que vai ser o tipo pai protetor, mais não muito sufocador também. Achei fofo da parte dele, porque todavia; Jimin é um garoto bem ciumento que chega até ser fofo.

- Então, Lethycia deu a idéia de irmos jantar numa churrascaria hoje. - Digo, acariciando sua mão. - Ela já falou com todos, eu escolhi o horário. Umas 20:00 o que acha? - Pergunto animada.

- Acho ótimo. - Sorriu, acariciando meu cabelo.

- Sabe... Eu... Tentei ligar para o Yoonie hoje e ele não atendeu o celular. - Resmungo. - Eu ia avisar ele sobre isso de nós sairmos e tal. - Olho Jimin. - Será que aconteceu alguma coisa? - Não sei porque, mais sinto uma sensação muito negativa. Como se algo ruim estivesse por vir.

- Não. - Disse sorrindo. - Jagi, Yoongi deve estar sem bateria.

- Você não entendeu. - O olho séria. - Ele desligou na minha cara as vezes que eu tentei. - Faço bico, encarando o teto.

- Ah, desligou? - Jimin parecia estar tão bravo, ele me olhava com o rosto meio vermelho.

- Sim. Ele deve estar de mal humor. - Resmungo cruzando os braços e encarando o teto. Olho Jimin que estava fazendo um bico, mostrava que ele estava meio irritado.

- Espero que seja isso mesmo. - Disse suspirando.

- Jiminie, você e Yoongi andaram meio estranho esses tempos. - O olho acariciando seu cabelo. - Vocês brigaram?

- Não... - Desviou seu olhar do meu, encarando o teto. Eu não posso mentir, fiquei desconfiada. Mais acho melhor não força-lo a falar, eu não quero brigar com ele.

- Jimin, eu acho que hoje vou na casa de Yoongi. - Ele me olhou indignado.

- Como? - Perguntou confuso.

- Jimin, eu me sinto ansiosa. Algo aconteceu com Yoongi. - O olho. Talvez seja paranóia mais... E se não for? E se algo aconteceu? Yoongi andou tão estranho esses tempos...

- Não se estresse. - Acariciou meu cabelo, abraçando-me. - Não aconteceu nada Jagi, tenho certeza. - Me olhou sorrindo.

- Espero. - O abraço fechando os olhos e logo sentindo seus lábios irem de encontro a minha testa.

- Yoongi nunca iria deixar alguém machuca-lo, Jagi.

- Mais Oppa, eu não tenho medo das pessoas que podem machucar ele. - Suspiro. - Eu tenho medo do que ele pode fazer consigo mesmo. - Digo. Yoongi havia tentado se suicidar de overdose por conta da morte de Lyvia, ele tentou fazer várias loucuras. Mais eu sempre estava lá para fazê-lo parar de fazer isso, mais... E se eu agora não conseguir?

( Lia off )

( Yoongi on )

Eu estava andando pela cidade pensando nas várias ligações que havia tido de Lia. O que será que aconteceu para ela ligar tanto? Seria uma coisa grave? Bem, acho que não. Alguém já teria corrido até mim.

Eu quero me afastar de Lia, eu acho que perto dela eu posso atrapalhar o namoro dela e do Jimin. Eu não quero isso e odeio admitir, mais até semana passada sentia alguns sentimentos por ela. Já até pensei em destruir o namoro dos dois, mais seria uma idiotice e Lia ama o Jimin. O que posso fazer? Nada. Quando soube que ela estava grávida, eu fiquei sem saber o que pensar. Então eu desisti, percebi que fui rejeitado sem ao menos dizer algo ou me expressar e com sorte parei com os sentimentos que sentia por ela.

Frio, não?

Queridinho, quando uma pessoa está morta por dentro ela muda sabia? Ela fica mais fria. Eu morri desde que Lyvia morreu com aquela maldita doença.

Uma ex aluna da escola me convidou para sair, como eu estava na seca ou até mesmo para espairecer resolvi ir até esse "encontro".

Eu não sei muito sobre ela, mais o seu nome era Momo alguma coisa. Assim que cheguei no local, me sentei numa cadeira que a frente tinha um balcão. Ela não havia chegado ainda, pois eu cheguei um pouco adiantado.

(...)

- Porra, eu fiz papel de trouxa. - Normal, eu sempre faço papel de trouxa. Fui rejeitado por uma garota que nem me viu direito e já me acha um zero a esquerda. O que não deixa de ser verdade, não? - Eu quero um copo de bebida de álcool, qualquer uma–

- Acho que se chapar de bebida, não é bom. - Escuto uma voz feminina, olho para trás e vejo uma garota bonita. Ela parecia se japonês. - Um copo de suco para ele por favor. - Disse ao atendente que assentiu e saiu de nossa visão.

- Quem é você para escolher o que devo ou não fazer? - Digo irritado a olhando.

- Oh, não seja grosso. - Sorriu. - Você é um garoto tão lindo e fofo, não deveria ser tão antipático. - Acariciou meu rosto, cheia da ousadia. Segurei sua mão e tirei de perto do meu rosto a olhando seco.

- Aparências enganam queridinha.

- Oh, pensei que você era gentil.

- Lugar de príncipes encantados são nas histórias da Disney. - A olhei, rebatendo na mesma hora.

- Adoro sua simpatia. - Rebateu. - Você é o Min Yoongi, certo? - Confuso a olhei.

- Como você sabe que sou eu? - Acho que essa garota me espionava na escola. Pude ver que ela se calou. Achei estranho, eu nunca a vi na escola. Ela diz que era da minha turma mais... Por que eu nunca a vi?

- Eu... Você é bem famoso na escola, seu nome sai toda hora pra lá e pra cá. - Diz nervosa.

- Ah... Agora faz sentido. - Digo sério a olhando. - Eu... Tenho algumas coisas a fazer.

- Eu sou a Momo, Yoongi. A da carta. - Diz sorrindo fraco.

- Eu... - Quando ia concordar sorrindo, vejo algo no canto de sua cintura embaixo do casaco. É, eu sempre examinava pessoas que nunca havia visto para ter certeza que não aconteceria nada. Até que vejo um revólver no canto de sua cintura. Cesso o sorriso. - Preciso ir. - Me levanto da cadeira e saio do restaurante, ela segurou meu braço assim que saí de lá.

- Mais marcamos Min!

- Eu lembrei de algo! - Me afasto bruscamente, a empurrando sem pensar fazendo a mesma cair sentada no chão e o revólver cair no chão também. - Saia de perto de mim! - O revólver estava perto dela, eu não podia pegar. Droga, estava escurecendo. Começo a correr o mais rápido que minhas pernas permitiam e adentro um beco, mais ele estava sem saída. Fiquei em silêncio naquele beco escuro, talvez ela não iria me ver.

- Você é mesmo tão antipático, Min... - Escuro uma voz feminina e logo barulhos de saltos. Como ela viu eu chegar aqui?

- O que quer comigo? - Ela não respondeu, apenas sorriu e nessa mesma hora que sorriu senti mãos em meus ombros. Mãos pesadas.

- Tudo bem Yoonie? - Escuto uma voz baixa mais grave do que a do Namjoon. Essa voz.

 - S-Seung-Hyun? - Viro meu rosto e era mesmo ele. Estava bem diferente. - Saí de perto de mim! - O empurro bruscamente me afastando.

- Não ouse machuca-lo Min! - Momo mirou sua arma para mim.

- Ah, sua vadia. Então você é uma espiã? - Ri debochado. - T.O.P não sabe resolver os problemas do passado sozinho? - Provoco encarando ele que sorria cínico. - Então Seung, eu que devo perguntar. Sentiu minha falta? - Sorrio frio.

- Momo. - Ele me ignorou e a olhou. Não deu nem tempo de pensar, quando senti ela me pegar por trás e colocar algo sobre minha boca me fazendo sentir fraco, logo após a escuridão se fez presente.


Notas Finais


Então... O pior está por vim

Comentem, favoritem e amem a fic •-•


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...