1. Spirit Fanfics >
  2. Os Outros Sentidos da Vida >
  3. Cap 20 - Shun x Hyoga

História Os Outros Sentidos da Vida - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece não é mexxmo? Kkk
Aproveitem a leitura!

Capítulo 20 - Cap 20 - Shun x Hyoga


Shun's POV

Alguma coisa me fez ver Hyoga com outros olhos.

Eu não sei exatamente quando isso aconteceu, nem como. Nós sempre fomos muito ligados e ele me irritava muitas vezes também, mas acho que essa irritação começou depois de tudo ter ficado estranho e diferente. Eu passei a admirar aquele insuportável não só como um amigo comum. Mas como na época éramos criança, eu não entendi bem.

Depois de um tempo, depois que nos vimos de novo já adolescentes, vocês não imaginam como minha cabeça estava. Ele, óbvio, despertava o interesse de várias garotas e com muitas delas deve ter saído. Eu sempre me conformei.

- Oi! Bom dia... - senti uma mão sobre a minha cabeça, era Shiryu. - Como você tá? - perguntou baixinho.

- E... Eu vou bem, bem melhor. - sorri fraco tentando transparecer uma falsa melhora.

Mas o fato é que Shiryu me conhece.

- Você não precisa mentir pra mim. Mas tudo isso vai passar, você vai ver.

No momento em que ele falava, Hyoga entrava na sala junto de Seiya. Nós estávamos em volta da grande mesa do café da manhã, os cavaleiros iam chegando e muita conversa rolava.

- Shiryu... - me virei para ele. Logo ele também percebeu Hyoga, depois me olhou nos olhos e antes que falasse algo, Shura o chamou.

- Mi amor, vem tomar seu café. - ele pôs a mão em sua cintura carinhosamente, tomando o olhar de Shiryu para si.

- Já vou. - respondeu sorrindo e me fitou de volta, pegando em meu braço. - Vem, vem comer e deixa isso pra lá, por favor.

Assim que nos sentamos, Dohko toma a palavra na mesa.

- Nós ainda não temos quase nenhuma informação do que possa está atacando a terra. Soubemos que na noite passada, uma cidade a poucos quilômetros de distância de Rosan fora totalmente destruída. E em algumas outras houveram mortes também.

- Não temos noção do que iremos enfrentar... - completa Mu, antes que Dohko continue.

- Não, não temos. Mas o que precisamos fazer é ir atrás das informações, não podemos ficar parados esperando, seja lá o que for, vir atrás de nós. - todos à mesa prestavam muita atenção nas palavras do mais velho - O báculo de Atena foi roubado e eu não acredito que seja por uma boa causa.

- Mestre... - Shiryu o chama - O mais provável é que queiram destronar Atena para que esse deus YanLuo possa tomar o posto de deus da terra. Mas... - Os olhares à mesa se cruzaram inevitavelmente. Shiryu estava desconfiado de algo, ele havia mudado de expressão tão rápido. Dohko não deixou de fitar o pupilo por nenhum segundo. - Mas porque apenas roubaram o báculo, se o maior poder está em Saori?

- Eu queria ter essa resposta, Shiryu. Mas a única coisa que sei é que Saori ficará segura aqui no santuário, porque vocês a protegerão.

- Quer que nós fiquemos aqui? - seu semblante fechou e pondo os punhos na mesa, se levantou ao fazer a pergunta. Hyoga sendo tão intrigado quando Shiryu, mas bem mais egocêntrico e orgulhoso, também se mostrou inconformado.

- Quem vai partir em missão?

- Apenas Mu, Shura e eu.

É óbvio que nem mesmo eu concordei com isso. Não vejo porque precisamos... Ou melhor.

Agora estou entendendo.

Dohko quer que Shiryu fique no santuário, não Atena. Atena é o motivo para ele ficar, e nós não iremos para que ele também não vá.

- Ahhh eu não acredito nisso... - o libriano mais jovem praticamente se jogou na cadeira, indignado com os desígnios do mestre ancião.

- Já está decidido. - o velho olhou para todos ao redor - conto com vocês.

Após receberem os gestos positivos e as promessas de proteger Atena com todas as forças, Dohko, Shura e Mu partiram para Rosan.

Shura recebeu especialmente um beijo de Shiryu, acompanhado de um "volte logo pra mim, okay?"

Esses dois ainda vão me matar de tanta fofura.

Bom... O dia estava apenas começando.

Antes do almoço ficamos jogando conversa fora no jardim do santuário. Seiya, meu irmão, Shiryu...

Hyoga também, e agia da forma mais natural que conseguia, ou seja, forçado demais. Minha vontade de virar pra ele e perguntar se havia ficado sonâmbulo ontem a noite, era enorme. Não suporto essa indiferença, esse descaso e essa forma que está me tratado. Como um alguém que não mereça tanta atenção.

Mas acontece que você não me acostumou assim, Hyoga. Pelo contrário, você sempre me tratou como o centro das atenções e agora me deixa de lado. Achou mesmo que ninguém iria perceber?

- O que vocês têm? - Seiya perguntou enquanto revezava o olhar entre mim e Hyoga. Mas o cisne estava um pouco afastado então não o ouviu - O dia já começou à horas e vocês ainda não se implicaram. Quem vê, diz que estão brigados.

- Não estamos.

- Huh! - o moreno insiste - Certeza?

- Seiya eu não consigo esconder nada de você, não é? - ele recebe minha resposta com uma risada e continua.

- Acho que não, Shun. Acho que não... - uma breve pausa - Então...?

- Promete que não vai me julgar se eu te falar.

- Não vejo porque eu faria isso. Você sabe que eu sou o cara que na maioria das vezes faz as coisas erradas. Eu não vou te julgar, Shun.

- Ta certo...

- Shun, será que a gente pode conversar?

- Hy- hyoga!

Ele surgiu do nada.

- Nós estamos conversando, Hyoga... - Seiya interviu.

- Posso garantir que meu assunto é bem mais urgente. - o loiro persistiu.

Um silêncio horrível permaneceu entre nós três, onde Hyoga não tirava os olhos de mim.

- Bom... Então... - Seiya se dirige a mim - Vai lá, Shun. Depois a gente continua nossa conversa.

***

- Então?... Fala Hyoga.

Nós paramos em um jardim próximo ao campo de treinamento, onde a gente pudesse conversar mais afastado. Ele me olhava aparentemente nervoso.

- Shun eu... - parou o que ia dizer e entalou completamente nas palavras.

- Olha só, eu ja sei. Você não gostou do que eu fiz, tudo bem. Desculpa. Eu sei que foi errado e nunca mais vai acontecer. Satisfeito?

Hyoga demorou um tempo que mais pareciam séculos para mim. Ele não dizia nada e ao mesmo tempo estava prestes a gritar. Mas não o fez.

Foi bem derrepente na verdade. Eu não esperava que ele fosse me beijar de volta.

Foram segundos no máximo, alí parados naquele beijo. Era tão suave. Hyoga se afastou e focou seus olhos nos meus de repente, soltou um sorriso e em seguida o meu se fez também.

- M.. Mas porque fez isso? Eu achei que...

- Você não tem ideia do quanto eu fiquei pensando em você a noite toda. Isso foi algum tipo de feitiço? - perguntou rindo entre as palavras.

- Hyoga... Então você gosta de mim?

-É Shun... - tocou levemente uma mexa de cabelo da minha franja - acho que eu sempre gostei de você, mas agora eu sei do que realmente se trata.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, de verdade 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...