1. Spirit Fanfics >
  2. Os piores alunos de Hogwarts >
  3. Capítulo 5

História Os piores alunos de Hogwarts - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oioi, turu bom ? Nem demorou tanto desta vez, ne ?
Mais uma vez, perdoam os erros, já são 5h da manhã e está difícil de ver os erros.

Enfim, boa leitura!!

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Os piores alunos de Hogwarts - Capítulo 5 - Capítulo 5

O tempo passou rápido na grande escola de magia. Os dias eram preenchidos com aulas, que se estavam a tornar mais interessantes, e pelas tardes nos dormitórios, conversando, rindo e comendo. Os fins-de-semana serviam para que as meninas dessem voltas pela escola, caminhando pelos corredores, às vezes apenas as duas, ou com o Malfoy e o Bane e no campo de quadribol vendo os treinos. Com isso, mais de um mês já tinha passado e todos os alunos falavam nas futuras férias de Natal.

O placar das casa não tinha mudado muito nesse meio tempo, ao que parece o primeiro dia havia sido uma chuva de pontos, pois agora os alunos começavam a perder a pontuação que haviam ganho no primeiro dia. A sonserina ocupava o último lugar da tabela, com apenas 55 pontos, provavelmente Elizabeth era a maior pontuadora da casa, afinal, ela tinha bons resultados em várias das disciplinas, mas tão rápido como ganhava, ela perdia os pontos nas brigas que desenrolava com os alunos, principalmente com Izzy. A Lufa-Lufa estava em 3º lugar com 70 pontos, assim como fora mencionado, os lufanos haviam se mostrado bastante capazes de ganhar pontos facilmente e quase alcançavam o segundo lugar. Segundo lugar que era ocupado pela Grifinória que com certeza carregava consigo a maior contradição de todas as casas por dois Weasley’s, Clarisse ainda ocupava o primeiro lugar de maior pontuadora da casa, porém o seu irmão, apenas um ano mais velho, Ronald ocupava o último lugar com menos 40 pontos. E, obviamente, o primeiro lugar da tabela era ocupado pela casa azul e branca, James Bane competia bravamente com Clary o primeiro lugar na tabela de alunos que conseguiam mais pontos.

Já Izzy, ela ocupava os lugares médios, exatamente como Elizabeth, os pontos que ela ganhava perdia no instante a seguir, quer com as confusões com a Lestrange, quer com Elaine Bolt, da Corvinal, sim, principalmente com Elaine.

  - EU NAO A SUPORTO! VISTE O QUE ELA FEZ? ELA SABOTOU A MINHA POÇÃO APENAS PORQUE IA SER MELHOR QUE A DELA! SERIO, EU ATE A CHAMAVA DE LESTRANGE MAS ISSO SERIA UM INSULTO PARA A ELIZABETH!- a morena gritava completamente irritada e indignada enquanto saia da sala de poções, aula que dividiam com a Corvinal.

  - Eu também não gosto da Elaine, mas por favor, não falemos mais dela. Encarar a cara dela durante as aulas já é demais para mim.- a ruiva fala mais baixo que a amiga, fazendo cara de enjoada ao que pronuncia o nome da outra garota.

  - Tens razão. Ela não merece o nosso tempo perdido.- Izzy modera o tom de voz, engatando outro assunto para conversar com a amiga. Assim que chegam, a morena abre as portas do salão principal de Hogwarts para poderem almoçar.

E é quando as duas travam, sem conseguirem pronunciar uma palavra quando se deparam com um cenário totalmente diferente ao que era suposto e habitual. Antes que alguém pudesse se pronunciar, Ron Weasley, aparece entre as mesas da Grifinória e Sonserina. O rapaz estava com os seus cabelos pintados de preto e tinha um raio, feito com caneta vermelha, na testa.

  - BEM VINDOS ALUNOS DE HOGWARTS, BEM VINDOS!- o garoto fala mexendo os braços e subindo em cima da mesa da Grifinória, os olhos azuis de Clary se arregalam não conseguindo acreditar no que o irmão estava a fazer.- ANTES DE EU EXPLICAR O QUE ESTÁ A ACONTECER EU QUERIA AVISAR A TODOS QUE HOJE, DIA 28 DE OUTUBRO, A MINHA IRMAZINHA CLARY WEASLEY ESTA COMPLETANDO 11 ANOS!! PARABENS CLARY!- nesse momento todos os olhares dos que estavam presentes no grande salão voltam-se para a ruiva, que estava estática ao lado de Izzy.

  - É o teu aniversário e nem me disseste?- a garota vira-se para a amiga com as mãos na cintura olhando-a indignada.

  - Desculpa, foi pra evitar... Isto!- Clary diz olhando a amiga e sinalizando para o irmão que permanecia do mesmo jeito.

  - E É ESTA A RAZAO PELA QUAL TUDO ESTÁ ENFEITADO ASSIM! EU SEI MANINHA, QUE NAO QUERIAS UMA FESTA. MAS EU ORGANIZEI A MESMA NO TEU TEMA FAVORITO: HARRY POTTER! E considera-te sortuda, eu estudei pra fazer isto! E ENTAO VAMOS DAR INICIO AO JOGO DE QUEM CONHECE MAIS HARRY POTTER! OS PRIMEIRANISTAS VÃO TER A OPORTUNIDADE DE CONCORRER!- o Weasley fala olhando diretamente para a irmã, que estava completamente vermelha diga-se de passagem, e salta da mesa vindo até as garotas. O rapaz pega a mão de Clary e puxa-a até onde estava antes, sendo seguido por Isabelle. Ele faz ambas se sentarem nos bancos da Grifinória, de frente para ele.

  - Ron... Tens a certeza?- a ruiva pergunta incerta se sentindo desconcertada por ainda ter todos os olhares sobre ela.

  - É claro que sim, confia em mim.- Ron fala se curvando um pouco para a irmã e piscando um dos seus olhos, antes de voltar à posição inicial.- MUITO BEM, VAMOS COMECAR O JOGO! IZZY, POR SERES A MELHOR AMIGA DA CLARY VAIS SER TU A COMEÇAR!- ele pega uns dos cartões lendo a pergunta escrita no mesmo.- QUAL O FEITIÇO FAVORITO DE HARRY POTTER? OPÇÃO A: EXPETRO PATRONO; OPÇÃO B: LUMOS MAXIMO; OU OPÇÃO C: WINGARDIUM LEVIOSA?- pergunta olhando a morena que fica pensativa por um tempo antes de responder.

  - A?- responde incerta da sua escolha, vendo o menino balançar a cabeça como se sentisse muito.

  - ERROU! CLARY WEASLEY, SABES A RESPOSTA?- volta-se para a irmã com um sorriso fazendo Izzy cruzar os braços com a bipolaridade do rapaz.

  - Expeliarmus.- Clary responde como se fosse óbvio, o que para ela realmente era.

  - ESTÁ CORRETISSIMO! 500 PONTOS PARA A CLARY, QUERO VER ALGUEM ALCANÇAR!- A Lightwood arregala os olhos se levantando completamente ofendida.

  - NAO TINHA ESSA OPÇÃO.- a menina rebate cruzando os braços e apoiando o peso numa perna.

  - NAO? TEMOS PENA, O JOGO FUI EU QUEM INVENTOU, EU QUE FACO AS REGRAS!- Ron fala como se fosse óbvio não dando muita importância à menina que permanecia indignada.

  - E QUE JOGO É ESSE?- os dois encaravam-se firmemente enquanto Clary, que continuava sentada, observava a confusão.

  - CHAMA-SE "CLARY É A ANIVERSARIANTE E VAI GANHAR A PORRA TODA". ENTENDES O JOGO AGORA?- o ruivo retruca, sentindo-se irritado ao ter a morena discutir consigo. O seu objetivo era agradar a irmã, afinal, qual seria a graça se Clary perdesse o jogo no seu próprio aniversário?

Izzy solta um resmungo indignado e sai de perto dos ruivos batendo os pés, podendo ver Peter sentar-se no lugar em que estava antes e cair no mesmo joguinho fake que ela.

  - Ficou brava nascida trouxa? Ou só esqueceu de trocar a ferradura mesmo?- a voz de Lestrange soa irritante ao seus ouvidos o que faz a Lightwood olhar para a garota com cara de poucos amigos.

  - Vai infernizar a vida de outra por favor. Haa é verdade, eu não gosto de ti. Esquece o "por favor" então, Cara de Cavalo!- responde com tom de ironia e vê Elizabeth arregalar os olhos não se acreditando na audácia da morena.

  - Cabeça de Trasgo flutuante!- Lestrange volta com a sua postura retrucando.

  - Cabeça de sanita sem descarga!- rebate olhando nos olhos de Elizabeth, nenhuma desviava o olhar e quase nem piscavam.

  - Bicho Papão do Diabo!- as meninas pareciam estar a adorar aquele jogo de insultos, que podia ter continuado se não fosse a, agora insuportável, voz de Ron a interrompe-las.

  - MAIS 700 PONTOS PARA A CLARY! QUE SHOW DA MINHA IRMÃ. SO PODIA SER UMA WEASLEY.- Ronald felicita a irmã que sorri feliz por estar a ganhar todos os pontos do jogo. Izzy revira os olhos ainda não acreditando naquilo.

  - Mas afinal o que é aquilo ali?- a Lestrange questiona com voz de nojo observando a cena à sua frente.

  - A festa surpresa do Ron para a Clary. Pelos vistos e o aniversário dela E ELA NAO ME DISSE, AQUELA LARANJA ESTRAGADA INTELIGENTE!- falou a ultima parte alto no intuito de fazer com que a amiga ouvisse, mas a única coisa que conseguiu ganhar foi um olhar reprovador do ruivo que agora não era ruivo.

  - Isto…- aponta para a cena completamente desacreditada.- É uma festa de aniversário? Os Weasley precisam aprender a divertirem-se.- a Sonserina coloca uma mão sobre o queixo ficando pensativa.- Ei Nascida trouxa!- Izzy revira os olhos com o apelido que já estava farta de ouvir.

  - O que queres... E pq ainda estas a falar comigo?- responde num tom não amigável nem se dando ao trabalho de olhar a menina ao seu lado.

  - Vamos organizar uma festa surpresa pra tua amiga Weasley! Hoje, na sala comunal da Sonserina! Uma festa a sério.- disse convencida já fazendo planos de uma festa brilhante em sua cabeça.

  - Que? Mds, não bates muito bem da cabeça pois não? Deixa me adivinhar, isso é uma característica de sangue puro! Isso explicaria muito o Draco Malfoy e Ron Weasley.- a Lestrange apenas suspirou segurando a vontade de revirar os olhos para a morena.

  - Não vou organizar a festa por gostar de você ou da ruivinha Weasley traidora de sangue.  Mas isto que o irmão dela está a fazer é um castigo demasiado grande para uma garota de 11 anos, ela vai morrer de tédio. EU  vou morrer de tédio só de olhar. Além do mais, a festa que vou organizar vai ser depois do horário de dormir. Se a Weasley ficar de castigo por causa disso eu vou lucrar com isso.- Lestrange fala calmamente, explicando o seu plano à Lightwood, que não conseguiu perceber se os objetivos de Elizabeth eram bons ou não, mas tinha que concordar que a festa que a amiga estava a ter naquele momento, era no mínimo, deprimente.

  - Eu provavelmente vou arrepender me mas eu vou concordar com a tua ideia maluca. Mas com um acordo!- Elizabeth volta-se para Isabelle encarando-a diretamente.- Isso não nos faz amigas!

  - E achas que eu quero que pensem que sou amiga de uma nascida trouxa?!- retruca com voz de nojo, afinal, ela nem sequer tinha pensado nessa possibilidade.

  - HARRY POTTER ERA DE QUAL CASA EM HOGWARTS? OPÇÃO A: SONSERINA; OPÇÃO B: CORVINAL; OPÇÃO C: LUFA-LUFA!- Ron continuava com as suas perguntas, agora olhando para Elaine, sentada ao lado de Clary que tinha os braços cruzados.

  - Ahm... Grifinoria?-  a voz mais irritante do mundo, isto na opinião da Lightwood e Lestrange, única coisa que concordavam juntas, responde parecendo em dúvida pelo facto de a resposta certa não estar em nenhuma das opções.

  - ERRADO! ESSA NEM ERA UMA DAS OPÇÕES! CLARY, SABES A RESPOSTA?- ele zomba de Elaine e volta-se para a irmã esperando ela responder para lhe dar mais pontos exagerados.

  - hm... Grifinoria.- responde com certeza, a sua voz não vacilando em nenhum momento, apenas aguardando o irmão dizer que estava certa.

  - CORRETÍSSIMO! QUE INCRÍVEL ESTA WEASLEY! MAIS 3000 PONTOS!- Ron bate palmas e olha para Clary fingindo surpresa com a resposta da garota.

  - MAS EI! ESSA FOI A RESPOSTA QUE EU DEI!- a corvina olha desacreditada para os irmãos que sorriam um para o outro. Elaine cruza os braços reclamando não aceitando a derrota.

  - MAS A MANEIRA QUE A CLARY FALOU SOOU MAIS CORRETO E COMO EU MANDO NESTA PORRA EU QUE DECIDO. AGORA ACEITA QUE ES BURRA QUE DOI MENOS. PRÓXIMO!- o Weasley fala como se tivesse toda a razão do mundo, não se importando com o olhar ofendido que Bolt lhe lança.

  - Acho que esta foi a melhor parte da festa inteira. Até me diverti agora!- Elizabeth fala ainda olhando Elaine se levantar chateada e sair do salão, fazendo com que as morenas sorrissem uma para a outra divertidas.

 Quando finalmente Isabelle conseguiu arrastar Clarisse para longe daquilo que Ron Harry Potter Weasley chamou de festa, o que, infelizmente para a Lightwood e a Lestrange, durou a tarde toda, Izzy começou a por em prática o seu plano para distrair a ruiva. Pela primeira vez teria de confiar em Elizabeth, já que seria ela quem iria organizar a festa. Tinha tudo para dar errado e correr mal ? Obviamente, para Izzy aquilo era o sinonimo de desastre, mas não havia nada que pudesse fazer, pois, caso contrário, Clary descobriria.

  - Então, qual a emergência Izzy?- a ruiva questiona sentando-se na cama assim que elas entraram no quarto. Nenhuma das outras garotas estavam no dormitório, ou seja, elas poderiam falar livremente.

  - A profecia esqueceste? Já estamos quase nas férias de natal e nada.- a Lightwood também se senta, na sua cama, e coloca uma almofada no seu colo.

  - Eu não esqueci. Estive a pensar nisso, mas vai ser dificil pega-la. Principalmente se estiver na sala do diretor, o que é muito provável.- a Weasley cruza as pernas olhando a amiga sentada à sua frente.

  - Se está na sala do diretor é só invadir.- a morena responde como se fosse simples e obvio.

  - Não é tão fácil, tem uma palavra chave para entrar, fora que vai estar a ser vigiada provavelmente. Temos de pensar nisto com calma, fazer um plano.- os olhos azuis de Clary voltam-se para o teto, demonstrando a concentração que a ruiva precisava para pensar num excelente plano de invasão.

  - Ceeerto... Tens razão. Vamos fazer isso hoje!- a morena deixa a almofada na cama e levanta-se de repete, sentindo-se um pouco tonta por conta disso, mas ignora e olha a amiga com um sorriso.

A fala de Izzy fez Clary olhar para ela incrédula. A morena fala sério mesmo? Ela queria invadir a sala do diretor assim ? Sem um plano? Mas será que a morena tinha ouvido alguma coisa do que ela tinha dito antes ?

  - QUE?- pergunta quando vê que a amiga não parece estar a brincar com o que havia dito.

  - Vamos agora mesmo!- Izzy fala simplesmente, revirando os olhos já pegando na mão da amiga se preparando para a arrastar para fora do quarto.

  - ENLOUQUECESTE? BATESTE COM A CABEÇA?- Clary tenta se soltar da mão que ainda a segurava, completamente chocada com aquilo.

  - Tens razão! Não podemos invadir a sala do diretor sem roupas bonitas, espera, eu vou pegar.- a Lightwood larga a Weasley indo até o armário começando a procurar as roupas para vestirem.

  - IZZY! EU ESTOU A FALAR A SERIO!- Clarisse fala exasperada tentando fazer a amiga entender que aquilo daria muito errado.

  - Relaxa Clary! Vamos até lá e logo se vê. O melhor plano é não ter plano. Assim ninguém nos pode acusar de termos um plano de invasão há sala do diretor. Porque nós não temos. Esse vai ser o nosso plano. Vamos no improviso! Vai correr tudo certo, nada pode dar errado!- responde como se aquilo fizesse algum sentido e coloca o monte de roupas que segurava em cima da sua cama.

  - Não fizeste o menor sentido.- suspira se aproximando da amiga, como sempre, no final, ela acabava por concordar com as ideias de Izzy, por mais malucas que fossem.

  -Exatamente! Já entraste no espírito da coisa. Agora pega, veste! Se por algum milagre algo correr mal, ao menos temos de estar bonitas!- fala calmamente como se trocar de roupa por algo mais bonito, fosse algo realmente importante para alguém que iria invadir a sala do diretor. A ruiva olha a amiga, deixando os ombros cederem.

  - Ok, vamos lá.- Clary concorda cedendo, mas ainda não acreditando totalmente que estava aprovar aquela ideia. Clary veste umas calças jeans brancas e uma blusinha cor de rosa clarinho, vestindo um tipo de blazer por cima e amarrando os seus cabelos num rabo de cavalo. Izzy pega uma calça moletom preta larguinha e uma camiseta branca, colocando a parte da frente da mesma por dentro da calça e deixando o resto de fora, veste um casaco de ganga e deixa os seus cabelos longos soltos.

 

[Quebra de tempo, 9h30 da noite de 28 de outubro de 3056]

 

Isabelle e Clarisse saíram escondidas da sala comunal da Grifinória. Não havia sido difícil ambas passarem pelo quarto, já que as garotas com quem dividiam o dormitório não apareceram o tempo todo. Clary estranhou aquilo um pouco, já que as outras garotas também acabavam por sempre ficar no quarto, mas não fez questão de perguntar, afinal, não era da sua conta e ela nem gostava de se intrometer na vida dos outros. Já Izzy sabia muito bem onde as garotas estavam e sentiu-se aliviada quando a amiga não questionou nada.

As meninas andavam pelos corredores vazios, o silêncio reinava naquela parte do castelo, as luzes estavam apagadas e o som do vento de outono a bater nas grandes janelas da escola de Hogwarts, faziam com que tudo parecesse mais sombrio e assustador, principalmente para quem estava habituado a ver os grandes corredores cheios de alunos, com o barulho das suas conversas misturadas e os raios de sol entrando pelas janelas, trazendo uma boa iluminação e dando um ar tão bonito ao castelo.

  - Haaaa, porque nós perdemos o jantar? Eu tou morrendo de fomeeeee.- a Lightwood reclama, a sua voz saindo num choramingo, os seus olhos fechados e praticamente implorando que um prato de comida aparecesse magicamente à sua frente.

  - Izzy! Temos problemas maiores agora. Este sítio é assustador.- a Weasley repreende a amiga, sentindo calafrios e o seu corpo tremia por inteiro a cada passo que davam até a sala do diretor.

  - Deixa de ser medricas Clary. Haaa eu espero que o jantar tenha sido muito ruim e que todos eles tenham uma caganeira por terem comido aquilo.- a morena reclama emburrada e sentindo inveja dos outros que comeram a sua comida.

  - Os elfos domésticos de Hogwarts nunca fazem comida ruim. São bem pagos por isso.- a ruiva fala inocentemente não se atentando que aquilo apenas fazia a morena choraminga ainda mais, os olhos azuis de Clary ainda eram atraídos pelas sombras assustadoras que as árvores faziam nas paredes do corredor.

  - HAA EU SEI!- fala Izzy frustrada, quase se arrependendo de ter dado a ideia de invadirem a sala naquele dia, aquela hora.

  - O que é que vocês duas estão a fazer?- elas ouvem uma voz atrás delas que faz com que elas parem onde estavam, elas voltam-se de frente uma para a outra com os olhos arregalados.

  - HAAAAAAAAAAA!- as meninas gritam naquele exato momento, antes de olharem para trás e verem que era apenas James e Draco, estáticos e olhando para elas como se fossem loucas.

  - Sério, vocês querem nos dar um ataque cardíaco?- a Lightwood pergunta sarcasticamente, colocando a mão sobre o peito enfatizando o que havia dito.

  - O que vocês fazem aqui, é proibido andar nos corredores a esta hora sabiam?- a Weasley coloca as mãos na cintura ainda ofegante pelo susto que apanhou.

  - Desculpem, nao queríamos assustar vocês. E vocês também não deveriam estar aqui. Afinal, onde vocês estiveram? Perderam o jantar. Ainda por cima foi lasanha.- Draco questiona, sentindo, no final da sua frase, o olhar fulminante de ódio de uns certos olhos esverdeados sobre si.

  - Eu te odeio Malfoy. Te odeio com todas as minhas forças.- a morena pronuncia colocando uma mão na cintura e apontando o dedo na cara do loiro que engoliu em seco.

  - O que foi que eu disse de errado?- pergunta não entendendo a repentina mudança de humor da Lightwood.

 - EU ESPERO QUE VOCE TENHA UMA DIARREIA BRAVA E QUE TE ARDA O CU E NAO POSSAS MAIS ANDAR, SUA BARBIE OXIGENADA!!!- Isabelle grita fazendo com que Draco arregalasse os olhos e James recuasse três passos, Clary apenas suspirou porque já esperava por aquilo.

  - Estávamos indo buscar a profecia na sala do diretor.- a ruiva resolve responder à pergunta inicial olhando Bane, enquanto se metia entre Isabelle e Draco, evitando que a morena matasse o loiro.

  - E estás a contar-nos isso? Não tens medo que contemos para algum professor?- James encara a ruiva de forma desafiadora, os seus braços cruzados e a sua sobrancelha sobre o olho azul estava erguida.

  - Medo? Medo temos todos da Izzy. Se vocês contarem para algum professor eu deixo a Lightwood sem comer e digo que a culpa foi vossa. Levitar-vos vai ser o mínimo que ela vai fazer com vocês.- Clary responde no mesmo tom, tendo a plena noção que os rapazes não fariam nada para as denunciar.

  - Isso amiga, fala lhes do que eu sou capaz!- a morena sorri convencida o que faz James revirar os olhos e abrir um sorriso de canto.

  - Vamos com vocês!- afirma, não esperando confirmação de nenhuma das garotas que arquearam as sobrancelhas com a sua fala.

  - Vamos?- o loiro, que até então havia sido esquecido, questiona o melhor amigo, que o olha como se o obrigasse a concordar.- Haa está bem, vamos.

  - Boa, vocês ficam de guarda enquanto nós entramos.- Isabelle fala voltando a caminha em direção à sala do diretor, sendo logo seguida pelos três.

  - Mas e qual é o plano?- Malfoy pergunta fazendo com que a ruiva olhasse para ele.

  - Não temos nenhum plano. Esse é o plano!- Clary responde exatamente da mesma forma que Izzy havia dito, parecia tão mais convincente quando era a outra a dizer.

  - Que? E como concordaste com essa ideia da Izzy?- o Bane questiona incrédulo olhando a ruiva que apenas deu de ombros continuando o caminho.

  - Ei! Quem disse que a ideia foi minha?- a Lightwood pergunta ofendida se recusando a olhar para o melhor amigo.

  - O "plano-nao-temos-plano" grita o teu nome!- o garoto de olhos heterocromaticos afirma, obviamente era ideia dela.

  - Mas pode não ser! – responde no mesmo tom que o amigo não entendendo onde queria chegar. A ideia era absolutamente brilhante! E obviamente que a única pessoa que pensava assim era a morena, os outros apenas aguardavam o momento em que seria apanhados por causa daquele plano sem plano.

  - Foi ideia da Clary?- James questiona testando a Izzy que se ofende ainda mais não acreditando naquilo.

  - OBVIO QUE NAO. ESSA IDEIA BRILHANTE FOI MINHA! NAO DÊS OS CREDITOS A OUTRA PESSOA!- exclama indignada parando em seguida para se virar para os três e cruzando os braços.

  - Para até de andar só pra fazer pose?- o Sonserino pergunta ironicamente fazendo com que a Lightwood revirasse os olhos antes de responder.

  - Não, é que chegamos e eu não sei a palavra passe. Por isso vamos ficar aqui a dizer palavras à sorte para ver se abre!- a morena diz com um sorriso, como se tivesse tido uma ideia brilhante.

  - Guilherme Longbottom!- o Malfoy fala olhando a porta, que na mesma hora se abre permitindo a passagem.- Eu nem acredito que funcionou!- diz ficando de boca aberta igual os outros.

  - E este, minha gente, é o diretor de Hogwarts!- James diz ainda chocado com a facilidade que tiveram ao abrir a sala.

  - Tá, vamos logo antes que apareça alguém, já que teve gente que decidiu gritar durante uma missão secreta!- a ruiva fala pegando a mão da morena e a arrastando para dentro.- Fiquem aí e nos avisem se virem alguém ou assim!- elas entram, finalmente, e se deparam com a grande e arrumada sala do diretor de Hogwarts.

O comodo era espaçoso, o chão revestido de madeira escura, logo em frente uma secretária de madeira mais clara, era preciso subir umas escadinhas para chegar até lá. Atrás da mesa tinha uma cadeira roxa, alta e confortável. As paredes pintadas em cinzento estavam cheias de quadros que, igual às outras partes do castelo, também se mexiam. A grande janela, na parede atrás da cadeira, dava uma boa visão do céu escuro e estrelado, dando para ver também a parte da escola em que alguns alunos ficavam apenas para conviver com outros alunos.

  - Vamos procurar qualquer coisa que possa parecer uma profecia. Um papel, uma bola de cristal, qualquer coisa!- a morena diz para a amiga quando ambas param de admirar a sala, Clary simplesmente concorda com a cabeça.

Elas separam-se, começando a procurar em todos os cantos qualquer coisa que pudesse ser a profecia. Procuraram na secretaria do professor, abrindo todas as gavetas, atrás e entre uma pilha de livros, por baixo de um globo, que por algum motivo estava ali. Mas foi quando um quadro em especifico atraiu a atenção de Izzy. Era o único quadro que não se mexia no meio de tantos outros que faziam o contrário. Era uma pintura de um senhor idoso, as suas barbas brancas tão compridas que tocavam a linha dos ombros, se misturando com os seus cabelos também compridos e da mesma cor. A Lightwood toca o quadro pegando no mesmo paara o virar e na parte de trás, ela encontra um pedaço de papel meio amarelado preso na moldura da tela. A menina logo tratou de pegar a folha e percebeu de imediato que aquilo era a profecia.

  - Ei Clary, acho que encontrei!- a morena coloca o quadro de volta no lugar, os seus olhos esverdeados se desviam para Clary que olhava sem pestanejar uma enorme espada dentro de vidro.- UAU, o que é isso?- Izzy pergunta se aproximando e admirando o objeto.

  - A espada de Godrico Grifinoria. Diz a lenda que ela aparece para os Grifinorios que dela precisarem. Mas há bastante tempo que não se tem registo de ela ter aparecido. Na verdade, a última vez apareceu para Neville Longbottom, durante a segunda guerra bruxa. Mas agora ela está aqui, estamos a vê-la e sabemos que é real.- fala tão surpresa quanto a amiga, os seus olhos azuis brilhando ao que ela os passava por casa parte do material, a menina levanta a mão para tocar o vidro mas na hora alguém as chama.

  - Ei!!- Clary baixa a mão e ambas olham para trás vendo James na porta fazendo sinal com a mão para elas saírem.- Vem aí alguém, corram!- e as garotas correm, saindo em disparada para fora da sala, quando passam pela saída Clary pega a mão de James o puxando para que ele corressem também, já Izzy empurra Draco agarrando na camiseta que ele vestia e puxando-o consigo.

O que as meninas não perceberam foi que, na mesma hora, em que elas saíram da sala, a espada desapareceu como se tivesse sido levada pelo vento.

 

[Quebra de Tempo]

 

James, Clary, Izzy e Draco já estavam bem longe da sala do diretor. Os quatro correram pelos corredores o mais rápido que conseguiam pelos corredores que se enchiam de eco pelo som dos seus passos apressados. Acontece que, eles acabaram por correr até as masmorras, acidentalmente. Claro.

  - Então, conseguiram a profecia?- o loiro pergunta quando todos param de correr e começam a caminha normalmente.

 Izzy solta-o e pega o papel que segurava na outra mão, praticamente esfregando-o na cara de Draco. Clary também solta a mão de James abando-a perto do rosto, aquela corrida tinha-a deixado com calor.

  - Eu disse que o plano ia dar certo. É maravilhoso! Eu sou um gênio ainda nao descoberto. - os três acabam rindo da garota enquanto esta guardava de novo o papel.

  - Mas afinal, porque estamos caminhando nas masmorras?- Clary pergunta a última coisa que Izzy queria, que ela percebesse para onde estavam indo.

  - haa... Vamos deixar o Malfoy na sala comunal dele. Sempre quis ver se a sala deles tinha sangue escorrendo nas paredes e assim hahaha.- a Lightwood solta uma risadinha totalmente falsa e sem graça, esperando que a melhor amiga não desconfiasse.

  - Porque?- a ruiva estranha e faz uma careta quando a amiga diz que quer entrar.- Izzy, tu tá estranha...-  a morena ri de nervoso e olha para a frente vendo a porta que dá para a entrar na sala comunal da Sonserina.

  - Vamos logo!- Isabelle fala puxando Clary consigo, que a semicerrou os olhos desconfiada do que a amiga estava a fazer.

A cada passo que davam a desconfiança da ruiva aumentava relativamente às ideias da morena, o lugar estava como todas as partes do castelo, completamente em silêncio, afinal, agora já passava da hora de dormir, e todas já deveriam estar a faze-lo, mas algo fazia com que Clarisse sentisse vontade de voltar a correr para a sala comunal da Grifinoria, onde estava tão habituada a estar.

  - Sangue-puro!-  Draco diz quando os quatro param em frente a uma parede de pedra, que se afasta imediatamente a seguir ao que a palavra-chave é pronunciada pelo sonserino, permitindo que eles passassem.

  - A vossa palavra-passe é horrível!- a Lightwood diz quando todos ficam em silêncio após a porta estar aberta. Por algum motivo ela sentiu-se incomodada com aquilo.

  - Eu sei.- o loiro suspira antes, finalmente, entrar na sala comunal da sua casa.

  - É normal estar tudo escuro? Não dá pra ver nem o que tem lá dentro.- a ruiva reclama, semicerrando os olhos tentando enxergar alguma coisa lá dentro já que deixou de conseguir ver os cabelos loiros do Malfoy.

James solta uma risadinha com o que Clary diz, entrando também na sala comunal a seguir ao melhor amigo. Isabelle dá de ombros e quando ia fazer o mesmo que os outros dois, Clary segura no seu braço a impedindo.

  - Vamos entrar? Esta é a sala da Sonserina sabes? Não a nossa! A nossa fica laaaaa em cima. Bem longe das masmorras e de cobras!- a ruiva diz sentindo arrepios e engolindo em seco o que acaba por tirar uma risadinha divertida da morena.

  - Em primeiro lugar, tu estás com medo?- a Lightwood pergunta com um sorriso maroto nos lábios, se divertindo com a situação.- Não te preocupes, é só uma sala comunal. Vamos só dar uma olhadela. E eu duvido que tenham cobras verdadeiras aqui.- a morena toca o ombro da amiga e entra, sumindo na escuridão exatamente como os outros dois.

  - Eu tava a referir-me à Elizabeth e à sua tropinha.- suspira a ruiva apertando as mãos e espreitando lá para dentro.

Então a Weasley repete o seu costumeiro ritual, fecha os olhos e respira fundo, se acalmando ou, pelo menos, tentando, e entra na sala olhando para trás quando ouve a parede se fechar atrás dela. Foi então que, do nada, as luzes se acenderam e vários gritos formam ouvidos, quebrando aquele silêncio torturante.

  - SURPRESA!!!!- os olhos azuis arregalados pelo susto, percorreram o local, percebendo que havia vários primeiranistas de todas as casas de Hogwarts.

  - O que...- a ruiva balbuciou não sabendo o que dizer.

No teto estava pendurada uma grande bola de espelho que refletia todas as luzes de diferentes cores espelhadas pelo salão, nas paredes estavam pendurados vários balões pretos e roxos, nas mesas que estavam encostadas nas paredes, deixando toda a sala com espaço suficiente para dançar, haviam vários tipos de comidas, principalmente bolos, doces e todo o tipo de gulosices que uma criança adora. Eram aquelas comidas que a sua mãe costumava dizer que não eram saudáveis para uma menina bonita como ela.

  - Parabéns traidora de sangue!- Clary olhou para a garota à sua frente, Elizabeth vestia um vestido cinzento de mangas compridas e o seu cabelo estava metade amarrado e a outra metade solto. Clary tinha que admitir, ela estava linda.

  - O que é isto tudo? É para mim?- A Weasley pergunta desconcertada e sente a melhor amiga se aproximar dela.

  - É claro que sim. Hoje é o teu aniversário na é? Nao achaste mesmo que íamos deixar que aquela coisa a que o Ron chama de festa, fosse realmente a tua festa de aniversário.- Elizabeth fala ironicamente fazendo com que a garota de olhos azuis desse um sorrisinho sem graça, ela até tinha gostado da festa do irmão.

  - Haa... Obrigada, mas não era preciso. Além do mais já passa da hora de dormir, se formos apanhados ficamos de castigo!- fala preocupada não querendo se meter em problemas, muito menos que os outros se metessem so porque tentaram ajudar.

  - E esse vai ser o meu pagamento por organizar isto tudo. Espero que quando saírem e estiverem a ir para a vossa sala comunal sejam apanhados por algum professor. Vou indo, aproveitem a festa nascida trouxa e traidora de sangue.- Lestrange responde como se não fosse nada e vira-se para sair desfilando. O show dela podia ser como o de um rainha que caminha sobre os seus súbditos.

  - Bem, agora é hora de te divertires a sério!- a Lightwood empurra a amiga que parecia meia paralisada e deixa-a no centro da festa.- Diverte-te.

Isabelle sorri ao ver Clary sorrir sem graça ao que as pessoas se aproximavam de si para lhe darem os parabéns, uns atreviam-se a dar-lhe um abraço enquanto outros apenas sorriam para a menina. Izzy sentia que a sua missão estava cumprida.

  - Então foi por isso que invadiram a sala do diretor? Para a distraires?- a voz de Draco é ouvida atrás de si fazendo com que a morena se virasse.

  - Bem, teríamos que invadir de qualquer forma. Só aproveitei e matei dois coelhos numa cajadada só!- diz se orgulhando do seu trabalho, que felizmente, deu muito certo.

  - Coelhos? Que?- o loiro enruga a testa juntando as sobrancelhas, mostrando-se confuso arrancando uma risada da morena.

  - Expressao trouxa. Esquece. – ela faz um sinal com a mão não dando muita importância aquilo e antes que Malfoy pudesse dizer algo, Elizabeth volta para perto da morena olhando orgulhosamente o seu trabalho.

  - Então, o que achaste da festa? Incrível eu sei que está, mas quero que o digas!- Lestrange diz convencida, já sabendo que todos achavam a festa incrível, mas faze-los admitir era melhor ainda para o seu ego aumentar.

  - Está incrivel sim. Não acredito que conseguiste arranjar tudo isto em tão pouco tempo. E onde foste buscar a comida? Os elfos deram assim de boa sem contar aos professores?- Isabelle pergunta entusiasmada com o que Elizabeth havia conseguido para fazer a festa.

  - Uma bruxa talentosa como eu nunca revela os seus segredos. E já agora, amanhã terei de ter uma conversinha com a Weasley sobre ela me chamar de cobra!- ela joga os cabelos para trás e esfregando as mãos, os seus olhos ganham um brilho diferente pensando em vingança.

  - Ham, pois obrigado pela festa Elizabeth.- Malfoy fala acabando a conversa e pega a mão de Izzy puxando-a para longe de Lestrange que deu de ombros e foi ter com o seu grupinho.

  - O que foi?- a morena pergunta estranhando o comportamento do loiro, que continuava a puxa-la.

  - Estamos numa festa não e? Vamos dançar!- Draco responde quando finalmente para na pista de dança improvisada, onde já alguns alunos dançavam.

  - Dançar? Eu? Com você?- a Izzy pergunta desconfiada, mas não conseguindo esconder o sorriso. Draco ainda segurando a sua mão.

  - Deste uma oportunidade à Lestrange. Porque não a mim?- o loiro retruca com um sorriso de canto, os seus olhos negros fixos nos olhos esverdeados da garota à sua frente.

  - Muito bem Malfoy, mostre me os seus dotes de dança!- cruza os braços, tendo que desfazer o contacto com o loiro, que a olhou por uns momentos antes de dar um saltinho, cruzar as pernas e dar uma voltinha.

Isabelle admira-se e sorri começando a dançar com o rapaz. Malfoy segurou as suas mãos fazendo a balançar ao som da batida da música, o seu braço esquerdo levantou e ele fez a menina rodar. Não era uma dança romântica, de todo, mas era uma dança de crianças de 11 anos que estavam a divertir-se juntos como nunca tinham feito.

Meio distante, James ri observando Isabelle e Draco dançarem juntos. Começava a perceber certas atitudes de ambos, percebia que na verdade eles queriam estar juntos, mas não podiam por termos políticos que os proibiam. E ali, dançando juntos, arrancando sorrisos um do outro, eles pareciam crianças normais, sem essa coisa de ser “sangue-ruim” ou “sangue-puro”.

E por fala em sangue puro, os olhos bicolores de Bane desviam-se dos amigos e varrem pelas outras pessoas até pararem nos cabelos ruivos da aniversariante. Clary estava encontada num canto, com a cabeça baixa e os braços cruzados, estranhando o comportamento da amiga, James aproximasse dela, caminhando entre as pessoas até que parasse ao lado da ruiva, que logo nota a sua presença dando um sorrisinho casto quando os seus olhos azuis param no moreno.

  - Olá.- o garoto inicia uma conversa, colocando um pé na parede e apoiando as costas na mesma, cruzando os braços e olhando a movimentação à sua frente.

  - Olá.- a garota responde seguida de um suspiro desanimado que faz com que James a olhe.

  - Ham...- o Corvino pigarreia desviando o olhar, tentando não demonstrar o seu nervosismo por,  pela primeira vez, estar a falar com a Weasley a sós.- O que estás a fazer aqui sozinha? É a tua festa, devias estar ali no meio da pista, rodeada por todos.

  - Há... Devia não e?- a ruiva questiona soltando uma risadinha sem vontade, ficando sem jeito com aquilo.- É que... Eu não quero parecer mal-educada nem nada, eu agradeço a festa, mas...- tropeça nas palavras, tentando expressar o que sentia sem parecer ingrata.

  - Você odiou a festa não foi?- James fala simplesmente dando uma leve risada com a complicação da ruiva.

  - Foi... Não foi por eu querer odiar, eu queria ter gostado... Mas ... Tudo isto, não é o meu estilo.- Clary acaba dando um sorriso, James não parecia chateado por conta disso.

  - Então, Clarisse Weasley, como seria a tua festa de anos ideal?- James pergunta, como quem não quer nada, o que acaba por fazer Clary rir, os seus olhinhos azuis quase fechado e a mãozinha sobre a boca. Adoravel. Foi o que James pensou.

  - Harry Potter, tudo seria Harry Potter.- fala ainda rindo descontraída se sentindo mais animada por ter James com ela agora.

  - Não estou surpreso, procede.- Bane coloca-se de frente para a Weasley que parece pensar no que dizer.

  - E teria um bolo enorme de Harry Potter!- James acaba rindo alto ao ver a ruiva bater palminhas animada com a sua idealização da festa.

  - E jogariamos o "poe a cauda no burro" mas com o nariz de Voldemort?- o garoto entra na brincadeira dando a ideia que faz com que Clarisse arregalasse os olhos e concordasse com cabeça repetidamente.

  - Haaa isso ia ser incrível!- os dois sorriem um para o outro ficando em silêncio por um momento.- Obrigada.

  - Pelo que?- questiona confuso não desviando o olhar da ruiva.

  - Por melhorares esta festa só de estares aqui. Quando organizar uma festa, vou fazer questão de te convidar.- ambos dão sorriso pequeninos baixando as cabeças quando sentem as suas bochechas esquentar.

  - Se não tiver o bolo gigante e uma pinhata da Umbrige eu nem vou.- a risada de Clary e James misturam-se com a frase dita pelo maior.- Ainda não tive oportunidade de dize-lo mas, feliz aniversário Clary!- a Weasley sorri agradecida, corando mais com o peso do olhar de James.

Os dois continuam a conversar animados, ambos a vontade para fazer caras estranhas no intuito de que o outro risse. Era a primeira vez que estavam tão próximos, e ambos tinham de concordar que estavam a passar um bom tempo juntos.

  - Lis!- a voz de Michael soa aos ouvidos de Lestrange, seguido de um toque no braço que faz com que a morena olhasse para o garoto.

  - O que é?- questiona olhando o amigo que aponta para a porta antes de responder.

  - Código castanho!- a Elizabeth suspira com a fala de Nott, revirando os olhos e ajeitando a roupa.

  - Não esperava que ela aparece.- revira os olhos ao pensar em quem se tratava.

  - Ela quem?- Miriam pergunta não sabendo do assunto já que tinha chegado perto dos amigos naquele momento.

  - Elaine Bolt. Vou me livrar dela.- a garota Lestrange fala, já se direcionando para a porta com Nott e Miriam atrás dela.

  - Elaine? Espera, porque código castanho?- a voz da outra garota chega aos ouvidos de Elizabeth mesmo com todo o barulho da festa

  - Porque ela é uma merda!- a Lestrange responde como se obvio, parando em frente à parede de saída, logo abrindo a mesma.- ELAINE QUIRIDA! COMO É BOM VER TE AQUI!- a voz sarcástica da garota da Sonserina pode ser ouvida claramente, agora do lado de fora do salão comunal.

  - Não me estão a deixar entrar na festa.- a garota corvinal fala de braços cruzados, pensando que agora que a anfitriã estava ali, finalmente poderia entrar.

  - Pois é, temos um sistema para entrar muito duro. Não pareces ter o que é preciso.- na mesma hora três garotos da Lufa-Lufa cumprimentam a Elizabeth e entram por onde à pouco ela, Michael e Miriam tinham saído.

  - O que? Mas eles entraram! E nem lhes perguntaste nada.- Elaine fala indignada batendo o pé e apontando para onde os garotos acabaram de entrar.

  - oh, eu analisei-os. E vi claramente que eles não são a Elaine Bolt, logo eles podem entrar.- a garota de olhos azuis ergue a cabeça e empina o nariz mostrando superioridade perante a corvina.

  - Pega a indireta bem direta e desaparece daqui garota ridícula! - a Shacklebolt fala do lado da Lestrange, tomando a frente esperando que a outra saísse.

Elaine encara Elizabeth com os olhos semicerrados, tentando intimidar a garota com o seu olhar de ódio, mas isso apenas fez com que Lestrange desse uma risadinha fazendo com que a corvina se vira-se e saísse pisando duro com os punhos cerrados, completamente contrariada.

  - Achas que ela vai no dedurar?- O garoto ao lado pergunta para a Lestrange que deu de ombros não se importando muito com aquilo.

  - Deixa ela o fazer. Depois me acerto com ela se esse for o caso.- os olhos azuis ainda fixados no corredor pelo qual a Bolt fora.- Agora vamos aproveitar a festa antes que ela acabe!- fala já entrando de novo na sala, sendo seguida por Miriam e Michael.

A festa durou até por volta das onze e meia, visto que a essa hora as pessoas já começavam a irem embora para as suas salas comunais, ou para os seus quartos caso fossem sonserinos. No final, apenas ficaram Elizabeth, Miriam, Michael, Draco, Izzy, Clary e James, para poderem limpar e arrumar tudo que haviam tirado do lugar. Os mais velhos jamais poderiam saber da existência daquela festa.

  - Como conseguiste enfeitiçar as escadas para os quartos de forma que ninguém ouvisse?- Bane pergunta para Elizabeth que na hora faz uma cara de nojo para o mestiço, mas mesmo assim resolve responder à sua pergunta.

  - Minha avó me ensinou quando era criança.- a Lestrange responde de forma curta, não querendo prolongar o assunto. A garota pega os vários copos espalhados pelas mesas e coloca num saco preto para o lixo.

  - UAU, ela deve ser uma grande bruxa.- James fala admirado enquanto segurava o saco preto onde a Sonserina colocava o lixo dentro.

  - Era, ela morreu a alguns anos.- responde dando de ombros indiferente, mas Bane não ficou.

  - Oh, eu lamento!- James fala sentindo-se mal por ter tocado naquele assunto. Não queria magoar a garota nem deixa-la desconfortável.

  - E eu lamento que ainda estejas a falar comigo. Porque concordei em deixar a nascida trouxa de vigia? Vou trocar com ela.- suspira já irritada e deixa Bane sozinho indo até a porta de saída.

Clary suspirava por tudo que era canto, reclamando internamente daquela festa, que para ela, tinha sido chata. E ainda tinha de ajudar a limpar a festa que ela não pediu e nem sequer tinha gostado. Tanto ela quanto Malfoy seguravam vassouras nas mãos e varriam todo o local, limpando os vestígios de comida que os outros estudantes tinham deixado cair.

  - Não pareces contente com esta festa.- Draco iniciou uma conversa com a voz calma não querendo que a ruiva se irritasse com ele, já que eles não eram assim muito amigos.

  - Ha, sabes como é, não teve nenhum desafio.- fala sarcasticamente a ruiva, parando de varrer e se apoiando na vassoura com um braço e colocando a mão na cintura.

  - Desafio é?- Draco para fazendo Clary olhar para ele desconfiada- Sabes, eu tenho um tabuleiro de xadrez-bruxo se quiseres jogar?- a ruiva abre um sorriso já entregando a vassoura para Draco.

  - Acho que não terá problema largar as limpezas um pouco, afinal, é o meu aniversário.- Draco pousa as vassouras encostadas numa parede e pega o seu xadrez bruxo.

Ambos sentam-se de frente um para o outro numa mesa encostada no canto esquerdo da sala começando logo a jogar, ambos animados com aquilo.

-----------

Izzy estava encostada na parede do lado de fora da sala comunal da casa verde e branca, prestando atenção em qualquer som ou movimento estranho que surgisse, quando de repente a parede em que estava apoiada se abre, fazendo com que a morena perdesse o equilíbrio e caísse no chão.

  - Era para estares de vigia, não a descansar!- a voz de Elizabeth chega aos seus ouvidos, e ela vê Lestrange olha-la de cima logo cruzando os braços.

  - Eu não estava a descansar!- defende-se logo se levantando e sacudindo a roupa.- Mas e o que tu fazes aqui? Não devias tar a ajudar o James?

  - Ele começou conversa comigo, e eu não quero conversar com um mestiço. Vamos trocar de posição.- manda se colocando no lugar antes ocupado por Izzy.

  - Em primeiro lugar, ele tem nome e chama-se James ok?! Não fales com essa arrogância do meu melhor amigo. Em segundo lugar, não! Eu gosto de tar aqui a vigiar.- a Lightwood cruza os braços fazendo birra, não aceitando o que Lestrange havia “pedido”.

  - Haa sai pra lá. Se eu disse que íamos trocar, nós vamos trocar!- a Lestrange fala, quase iniciando uma briga ali mesmo, se não fosse a voz de mais um Weasley

  - MAS O QUE VEM A SER ISTO?- Ron Weasley aparece já com o cabelo na sua tonalidade ruiva natural, parando em frente às garotas que calaram-se para o olhar e revirarem os olhos em sincronia.

  - Oh prontos. Um mestiço, uma nascida trouxa e agora tenho de aturar um traidor de sangue.- resmunga Elizabeth com voz de tédio não acreditando no que lhe estava a acontecer.

  - Ron, não é o que estás a pensar!- Izzy fala olhando Ron que arqueia as sobrancelha, alternando o olhar entre as duas.

  - Não? Porque eu estou a pensar que vocês organizaram uma festa surpresa para a Clary na sala comunal da Sonserina.- o ruivo cruza os braços, esperando que alguma das duas lhe desse explicações.

  - UAU, és bom em pensar nestas coisas.- a morena de olhos esverdeados diz surpresa mas o ruivo apenas revira os olhos sem paciência.

  - Está bem, organizamos a festa mas só porque a tua foi puramente entediante. A tua irmã quase morreu de tédio!- a Lestrange se coloca a frente da Lightwood, olhando Ron de cima a baixo como se tivesse a analiza-lo.

"Ela compra briga com qualquer um que ela não vá com a cara?" Izzy pensa encarando a Lestrange.

  - Aposto que a minha festa foi muito melhor que a tua!- Ron responde olhando para baixo para encarar os olhos azuis de Elizabeth que o olhava de volta firmemente.

  - Na verdade, eu preferi a da Lestrange mesmo.- Izzy fala como se não fosse nada, olhando para as suas unhas, e logo percebendo o olhar de ódio do Weasley sobre si.

  - ROOOON!- eles olham para a porta por onde Clary passava e se atira ao irmão que a abraça.- VIESTE SALVAR-ME NAO FOI? ESTA FESTA FOI HORRÍVEL, EU PREFERI MIL VEZES A TUA!- o irmão ruivo olha convencido para as garotas a sua frente que ficam chocadas com a afirmação da ruiva.

  - Eu vim buscar te sim Clary, nunca mais terás de ir a uma festa como esta!- fala afagando os cabelos ruivos da irmã que sorriu soltando uma parte do abraço e deixando que Ron continuasse com um braço em volta dos seus ombros.

Na mesma hora, a porta é aberta novamente, desta vez saindo Malfoy e Bane de dentro da sala. Draco estava com os braços cruzados e um biquinho fofo nos lábios parecendo chateado com alguma coisa, já James tinha as mãos dentro dos bolsos das calças parecendo completamente perdido com o que se estava a passar.

  - Como assim não gostaste da festa?- a Lestrange diz ofendida com o descaramento de Clary ao admitir com todas as letras que tinha odiado a festa.

  - Ahhhh, não tinha nada de Harry Potter, não tinha bolo de Harry Potter, não tinha quiz de Harry Potter, não tinha NADA de Harry Potter. E no final ainda tive que limpar e o MALFOY TRAPACEOU! RON ELE FEZ TRAPACEOU. ELE DIZ QUE GANHOU O XADREZ BRUXO MAS NAO GANHOU POIS NAO?- a voz da ruiva soa totalmente mimada, fazendo Izzy suspirar com aquela versão da amiga que, até então, ainda não tinha conhecido.

  - É CLARO QUE NAO!- Ron olha Draco mortalmente, deixando claro que era para o rapaz admitir que perdeu logo de uma vez.

  - QUE? GANHEI SIM, E FOI JUSTO! – Malfoy não se intimidou, respondendo de volta no mesmo tom que o Weasley.

  - NAO TEM PIADA EU NAO GANHAR OS JOGOS NO MEU ANIVERSÁRIO. SOU A ANIVERSARIANTE, TENHO QUE GANHAR SEMPRE TUDO!- a ruiva afasta-se do irmão fazendo com que o braço do mesmo caísse ao lado do seu corpo, ela cruza os braços discutindo diretamente com o loiro.

  - James, qual festa achas que foi a melhor? Vais ser tu a decidir!- a Lightwood olhou para o garoto que tava no seu canto, não incomodando ninguém, apenas observando todos discutirem entre si.

  - Eu?- Bane engole a seco odiando estar naquele papel em que teria de escolher um lado, deixando alguém feliz, mas ofendendo outro.

  - Sim, James, qual foi melhor?- a Weasley encara Bane sem pestanejar, na verdade, todos o encaravam do mesmo jeito esperando que o moreno tomasse a sua decisão final.

Antes que alguém pudesse dizer mais alguma coisa sobre o assunto, o barulho de passos se aproximando ecoam pelo corredor, fazendo com que os seis alternassem os olhares entre si, antes que pudessem se esconder ou fingir de mortos, a professor de transfiguração, Liliane Flint, aparece.

  - MAS O QUE... O QUE VEM A SER ISTO?- os seis voltam-se lentamente para olhar a professora que os olhava furiosa.- NAO QUERO RESPOSTA. OS SEIS, JÁ, PARA A CABANA DO HAGRID! ESTAO DE CASTIGO. MENOS 30 PONTOS SENHOR RONALD WEASLEY, POR SER O MAIS VELHO E TER A OBRIGAÇÃO DE DAR O EXEMPLO!- Ron da de ombros já estando habituado enquanto Draco, James e Clary ainda permaneciam estáticos, ao contrário de Isabelle e Elizabeth que trocavam olhares contendo a vontade de rir com os gritos da mulher.

  - Já tou habituado.- diz como quem não quer saber e Clary olha para o irmão não acreditando que ele estava a agir tão naturalmente.

  - MENOS 20 PONTOS MENINA LESTRANGE, MENINO MALFOY E MENINA LIGHTWOOD. E FRANCAMENTE, MENINO BANE, ESPERAVA MAIS DE SI, MENOS 20 PONTOS TAMBEM. DE SI TAMBEM MENINA WEASLEY, LOGO NO SEU ANIVERSÁRIO, PARECE QUE FAZER MERDA TÁ NO SANGUE DOS WEASLEY, TEM O EXEMPLO DO SEU IRMAO AQUI NAO E? MENOS 20 PONTOS PARA SI TAMBEM!- Clary arregala os olhos, já os outros quatros suspiram frustrados com todo aquele “drama” na opinião deles mesmos.

  - EI VELHA. NAO FALE DA MINHA IRMAZINHA ASSIM NAO TA? ELA NAO TEM NADA A VER COM AS MERDAS QUE EU FAÇO OU DEIXO DE FAZER.- Ron fala defendendo a irmã, o que não resultou muito, já que isso apenas deixou a professora com ainda mais raiva.

  - OS SEIS. JA! PARA A CABANA DO HAGRID! VAO PARA A FLORESTA PROIBIDA!- os seis bufaram para os contínuos gritos da professora e saíram da escola, caminhando até a cabana do Hagrid que já os esperava cá fora com as mãos na cintura.

  - Que merda vocês aprontaram? Dava para ouvir os gritos daqui.- o meio gigante questiona, já iniciando o caminhos dos, agora sete, para a floresta proibida.

  - Uma festa. -Malfoy responde simples dando de ombros, não dando muita atenção aquilo.

  - Haa sim, é o aniversário da Weasley mais nova não é? Feliz aniversário!- ele felicita a ruiva que se vira levemente para o homem.

  - Obrigada.- a menina dá um sorriso simpático para o caçador, que retribuiu.

James, Clarisse, Isabelle, Draco e Elizabeth encaravam a floresta escura com um pouco de medo, aquilo era novo, nunca havia estado ali antes. E não teria o nome de “poibida” se não fosse perigosa, certo? Mas também não poderia ser assim tão perigosa, caso contrario, eles não estariam ali. Ou estariam?

Já Ron caminha na frente tranquilamente com as mãos nos bolsos. O rapaz já estava habituado com a paisagem escura, visto que, só naquele ano tinha lá estado 8 vezes.

  - Bem, vamos nos separar. Precisamos encontrar um hipogrifo bebê. Encontrei a mãe dele recentemente e ela e os outros bebés já foram levados para os Estados Unidos onde serão tratados. Mas parece que um hipogrifo ficou para trás. Bem, vamos lá procurá-lo! Hum... Sabem, há quem diga que eu sou um bom cupido, bem, ninguém o diz mas eu gostava que dissessem. Bem, vejamos...- Hagrid parece pensativo olhando os seis à sua frente, ele começa imediatamente a formar casais na sua mente, mas antes que pudesse colocar em palavras, Clary interrompe-o.

  - Eu vou com a Izzy, porque é o meu aniversário e espero que pelo menos isso eu possa fazer: Escolher!- a ruiva agarra a mão da amiga e a sai arrastando para dentro da floresta, sem dar oportunidade de Izzy reclamar, não que ela fosse dizer realmente alguma coisa.

  - Então o James vem comigo. Não me vou dar bem quer com a Lestrange quer com o Weasley mesmo!- Draco toca o braço de James fazendo sinal com a cabeça para o amigo seguir, que logo o faz, e seguem o caminho oposto das garotas.

-Bem, sobraram vocês dois. Boa sorte!- Hagrid fala indo embora pelo caminho pelo qual vieram, deixando as duas crianças olhando uma para a outra.

  - Onde vais?- Elizabeth pergunta desviando o olhar para o adulto que os levou até ali e agora estava indo embora sem remorsos.

  - Para casa, venham me entregar o hipogrifo lá. Vocês tão de castigo, eu não!- e assim o meio gigante desapareceu, deixando seis crianças sozinhas no meio da floresta proibida.

A Lestrange suspira irritada e começa a caminhar sem saber por qual caminho ir e sem esperar pelo Weasley que logo começa a correr atrás dela para a acompanhar.

  - Ei, onde vais?- a voz do Weasley faz Elizabeth revirar os olhos soltando um som em desagrado.- Olha, eu também não queria ficar contigo, preferia ficar com a Clary mas ela trocou-me pela Izzy.- o rapaz fala também não se mostrando muito contente em ter ficado com a garota.

  - E eu não queria estar com nenhum daqui, afinal só tem mestiço, nascida trouxa e traidores de sangue. Mas olha, caíste me tu! Por tanto vamos encontrar logo o maldito hipogrifo e ir embora.- Elizabeth para e o encara com os braços cruzados e olhando firme nos olhos verdes do garoto, descarregando tudo em cima do Weasley.

  - Hum, então eu não sou a pior escolha.- Ron finge-se ofendido o que faz com que a Lestrange vira-se o rosto para o lado oposto para soltar uma risadinha contida.- Isso foi um riso!

A garota volta a caminhar na tentativa de ignorar o rapaz que veio logo atrás dela cutucando-a repetidamente para que a morena falasse alguma coisa.

  - Pensa o que quiseres.- fala com um sorrisinho, desviando-se do toque de Ronald, não desfazendo a sua pose de mandona.

  - Foi um riso que eu ouvi muito bem. Sempre soube que sou bastante engraçado, a escola é que não foca no meu talento.- o Weasley fala convencido acenando com as mãos como se estivesse a agradecer aos seus fãs imaginários, a cena faz com Lestrange soltasse uma risada mais tranquila.

  - Vais fazer o que da vida? Ser animador de festa infantil? – entra na brincadeira do rapaz, deixando o seu sarcasmo de lado e empurrando Ron levemente que a olha com a boca aberta em surpresa e uma mão sobre o peito antes de responder.

  - Olha que eu fiquei muito gato de Harry Potter!- retruca presunçoso e a garota não contem a sua gargalha alta, era doce e divertida, que acabou contagiando Ron. O rapaz não tirava os seus olhos da morena, que parecia tão mais leve naquele momento.  - A sua risada é bonita. Devias fazê-lo mais vezes ao invés de te esconderes numa postura de "eu sou a foda".- os olhos de Elizabeth encontram os de Ron assim que as gargalhadas foram cessando aos poucos.

  - Só me apanhaste com sono. Eu rio fácil quando tenho sono.- um leve sorriso ainda brincava nos lábios da garota.

  - Huhum, vou fingir que acredito.- Ron semicerra os olhos se recusando acreditar que a Lestrange a que todos estavam habituados era ela mesma.

Os dois ficaram-se encarando fixamente, não tinha raiva ou tom desafiante. Era apenas como quando olhou para ela no campo de quadribol quando soube que tinha ficado na equipe. Era simples, calmo. Não havia nenhum objetivo no meio e eles sentiam-se bem por isso.

  - HAAAAA!- o grito agudo de Ron faz com que Elizabeth olhasse para trás tentando perceber o motivo do grito do garoto, mas ela apenas viu uma cobra enorme no chão.

  - Tu tem medo de uma cobra?- a Lestrange pergunta sarcasticamente mordendo o lábio inferior para não soltar uma risada com o desespero do rapaz.

  - Chega para trás, eu conheço um feitiço!- Ron agarra a mão de Elizabeth colocando-a atrás de si como se fosse protege-la, apontando a varinha para o animal. Lestrange acaba corando com o gesto do rapaz que ainda segurava a sua mão.- LUMOS MAXIMO!- a ponta da varinha de Ron se acendeu como uma lâmpada e ... Não, foi só isso mesmo.

  - TU TA DE SACANAGEM COM A MINHA CARA RONALD WEASLEY!- A Lestrange o empurra saindo de trás do Weasley e se aproximando da cobra.- Ela está morta!- a garota lamenta se ajoelhando ao lado de animal imóvel no chão.

  - Obvio que tá... Há.. de nada?!- fala convencido como se tivesse toda a razão e a sonserina revira os olhos negando com a cabeça com a fala de Ron.

  - Tem aqui um ovo. O hipogrifo deve ter tentado atacar o ovo para comer, a cobra deve ter protegido o seu bebê e acabaram duelando. O hipogrifo deve estar bem ferido, ou então morto.- Elizabeth pega, cuidadosamente, no ovo com as mãos e se levanta.- Vamos embora.

  - Espera, o que?- questiona. Ele estava a alucinar ou Elizabeth realmente tinha pegado num ovo de cobra tranquilamente pronta para andar de volta para o castelo ? 

  - Tenho que cuidar deste ovo. Os outros podem encontrar o hipogrifo sozinhos.- a garota fala saindo andando com o novo nos braços, acariciando-o como se ele pudesse sentir algo.

Ron suspira, seguindo-a em silêncio, pelo caminho que tinham feito antes. Ele não fala nada em nenhum momento, mas tinha um sorrisinho no rosto ao ver Elizabeth dando toda a sua atenção ao ovo que tinha nas mãos.

 

[Com Izzy e Clary]

 

As duas garotas caminhavam em silêncio pela escura floresta, apenas escutando os sons dos seus passos sobre as folhas e sobre os ramos que se partiam com os seus pesos. Elas sabiam que tinham muito para dizer, apenas não sabiam por onde começar, então Izzy suspira tomando a iniciativa de quebrar o silêncio.

  - Desculpa...- a morena engole o orgulho olhando para todos os lados, mas se recusando a olhar para a ruiva.

  - Hum? Porque?- a ruiva pergunta fazendo-se de desentendida, fazendo com a Lightwood parasse no lugar, consequentemente fazendo-a parar também para a olhar.

  - Pela festa. Você não gostou pois não? Não tinha percebido que te tinhas divertido na festa do Ron.- Izzy nunca tinha sentido aquilo, era culpa por ter “obrigado” a amiga a estar num lugar que não queria? Não importa o que era, apenas era mau e a morena se livrar logo desse sentimento.

A Lightwood nunca tinha pedido ou sentindo a necessidade de pedir desculpa. Bem, quer dizer, ela já tinha pedido aos seus avós, mas nunca tinha se sentindo arrependida de verdade quando as palavras eram praticamente obrigadas a sair da sua boca. Afinal, ela nunca tinha percebido a necessidade de pedir desculpas quando uma janela quebrou de repente ou quando os cereais começaram a voar pela cozinha. Agora ela conseguia entender o porquê, mas continuava sem se sentir culpa. Porém estando ali agora com Clary, a sua melhor amiga, ela sentia a culpa a invadir pela primeira vez e era algo que a fazia sentir-se bastante desconfortável.

  - Tudo bem, não foi assim tão ruim. - a ruiva responde com um pequeno sorriso, revirando os olhos e cruzando os braços apoiando o peso numa perna.

  - Vá, diz, foi o pior aniversário de sempre.- a morena incentiva a ruiva a admitir o que queria, mas a menina apenas solta uma risadinha atraindo a atenção da outra.

  - Na verdade, é o aniversário dos meus sonhos.- os olhos esverdeados da garota se arregalam com a fala da melhor amiga.

  - O que?- Izzy pergunta incrédula para a amiga que suspirou antes de começar a falar.

  - Ano passado, no meu aniversário de 10 anos, todos os meus irmãos estavam em Hogwarts. Papai foi chamado para trabalhar, ele é auror sabes, fica difícil de ele estar em casa.- a Weasley responde cabisbaixa ao se recordar no seu aniversário anterior, que não tinha sido o melhor de todos.

  - Foi por isso que ele não estava em Kings Cross naquele dia?- questiona baixinho como se assim não magoasse a sua amiga a tocar nesse assunto, a ruiva confirma.

  - Mamãe fez um bolinho pequeno porque era só para mim e para ela. Numa família tão grande é difícil ter privacidade sabes? Mas quando eles não estão... Eu senti a falta deles. Então, quando eu apaguei as velas neste mesmo dia a um ano atrás eu desejei que nunca mais passasse um aniversário sem as pessoas mais importantes para mim. E hoje tive não uma, mas duas festas. Uma com os melhores irmãos que eu podia desejar e outra, com os meus amigos. Estavam lá o James, o Peter, vá, até o Draco e a Elizabeth estavam la. Mas principalmente tu estavas lá Izzy. Foi o melhor aniversário que eu podia desejar e tudo graças a ti. Obrigada Izzy, és a melhor amiga que eu podia ter.- Clary desabafa desfazendo postura e tinha e gesticulando com as mãos a cada palavra dita, Izzy sentiu os olhos marejaram com o que a amiga disse.

Ela nunca teve uma família e agora vê a sua melhor amiga falar sobre qual é a sensação de perder uma por apenas uns dias. A Lightwood deu por si a imaginar o que seria dela sem Hogwarts, sem James, sem Clary, e a sua enorme família de Weasley’s, e consequentemente sem Draco.

  - Obrigada por seres a melhor amiga que eu podia ter também Clary!- as duas aproximam-se e envolvem-se num abraço quentinho, trazendo o sentimento de conforto para ambas.- Agora vamos embora daqui, cansei desta floresta.- a Lightwood diz quando se afastam, voltando logo ao seu estado normal.

  - E o que vamos dizer quando nos perguntarem do porquê termos ido embora?- a ruiva diz, agora apenas segurando a pequena mãozinha da amiga, já caminhando para fora da floresta.

  - Dizemos que vimos um morcego gigante.- dá de ombros não soltando a amiga que parece pensar.

  - Morcegos gigantes? Acho que não existem.- Clary diz em duvida sobre aquela história, acreditando que provavelmente iriam ter que inventar uma mais credível.

  - É HOGWARTS, eu já não duvido de nada.- Izzy retruca não pensando muito sobre o assunto, apenas querendo chegar ao dormitório para se deitar na sua cama e, enfim, dormir.

 

[Com Draco e James]

 

Os dois meninos caminhavam calmamente pela floresta, olhando em volta, prestando atenção em cada parte procurando o hipogrifo bebé que procuravam.

  - Entao... Divertiste te na festa?- a voz de Bane inicia uma conversa como quem não quer nada, olhando para o lado oposto e assoviando quando Malfoy o olha.

  - Hum... Sim.- Draco fala estranhando o assunto, encarando o amigo com a testa franzida.

  - Hum, entendi.- um sorriso maroto brota no lábios do mestiço que desta vez o olha diretamente não escondendo a sua diversão a tocar no assunto.- Divertiste te quanto, assim, mais ou menos?- o loiro para de caminhar obrigando o amigo a fazer o mesmo, já que este se meteu no meio do seu caminho.

  - O que queres dizer com isso?- os olhos pretos do Malfoy se estreitam encarando Bane que levantou as mãos em sinal de rendição.

  - Eu? Nada... É só que eu te vi dançando com a Izzy. – James diz cruzando os braços e olhando o amigo, podendo-o ver corar quando se lembra de ter dançado com a morena.

  - E?- questiona querendo que o amigo desenrolasse a conversa já que ele não entendia onde queria chegar com meias palavras.

  - E você não gostou?- retruca com outra pergunta arqueando as sobrancelhas esperando a resposta do amigo que demora uns segundos a ser pronunciada.

  - Vamos logo procurar o hipogrifo. Quanto mais depressa o encontrarmos mais depressa vamos embora.- o loiro resolve retornar ao assunto inicial, virando-se e andando rápido pela floresta.

 - Estás a fugir a pergunta, Draco!- James repreende-o começando a segui-lo enquanto o outro fingia-se muito interessado a procurar pelo animal.

  - Não estou a fugir, estou a cumprir um castigo esqueceste?- diz sem parar de andar ou esperar por Bane, mas este para no mesmo segundo.

  - PARADO MALFOY!- o loiro congela no lugar com o grito do moreno e vira lentamente o corpo para o melhor amigo.

  - O quê que importa? Também estavas todo animado conversando com a Clary!- retruca querendo desviar o foco do assunto para o outro rapaz.

  - É diferente.- fala simplesmente não se incomodando em tocar naquele assunto, que para ele estava tão fácil de resolver.

  - Porque que é diferente?- James o encara sério com a pergunta que lhe é feita.

  - Porque eu sei bem o que sinto, e tu ainda nem sequer sabes quem és.- James responde tranquilamente fazendo com que Draco arregalasse os olhos e engolisse em seco.

  - O que?- questiona quando Bane passa por si seguindo o caminho que antes ele fazia..- O que queres dizer com isso?- segue o amigo não parando de o questionar.

  - Quero dizer que tu tens medo do teu sobrenome, Draco. Tens medo de ser um Malfoy. E tens medo de te tornares um Malfoy.- Bane para de andar para que pudesse colocar a mão sobre o ombro de Draco, que também tinha parado a caminhada.- Eu sou teu amigo ok? Vou estar aqui para o que precisares, mas essa batalha interna tens de ser tu a travar. E até lá nunca vais admitir o que realmente sentes.- Draco fica em silêncio, sentindo o peso das palavras sobre si.

Logo os dois voltam a caminhar com o silêncio a reinar entre eles, apenas sendo quebrado pelos suspiros de ambos e pelo balançar das folhas das árvores.

  - Sentimentos... Esses sentimentos são bons?- Draco pergunta baixinho, sentindo-se pronto para fazer tal pergunta ao amigo.

  - São... A maioria das vezes, acho eu.- as frases entre eles demoravam alguns segundos para serem pronunciadas, como se ambos temessem o que dizer.

  - Mamãe falou que doía...- Malfoy coloca as mãos nos bolsos, nenhum olhando diretamente para o outro.

  - As vezes dói. Mas depois passa.- James parecia já conhecer bem aqueles sentimentos, mas a verdade é que era a primeira vez que os sentia. Ele apenas era esperto o suficiente para perceber o que estava a sentir, ao contrário de Draco, que não fazia muita questão em pensar no que sentia.

  - Na mesma hora?- pergunta incerto, sentindo interesse em saber mais daqueles assuntos do coração.

  - Basta um sorriso, pelo menos para mim.- dá de ombros, respondendo com a simplicidade de sempre.

  - Um sorriso? Acho que não conseguiria sorrir se tivesse triste.- o loiro fica confuso o que resulta num risadinha do se melhor amigo.

  - Não um sorriso teu, um sorriso dela.- Draco não entende bem o que James diz mas prefere não prolongar mais o assunto.

  - Devíamos procurar a Clary e a Izzy ao invés do hipogrifo, para voltarmos logo para os nossos dormitórios.- o loiro fala mudando de assunto, atitude que não foi repreendida pelo mestiço, que prefere também mudar de conversa, por enquanto.

  - E a Elizabeth e o Ron?- James pergunta continuando a caminhada ao lado do amigo que pensa um pouco dando de ombros antes de responder.

  - O Ron já é mais velho e está acostumado a vir aqui, e sinceramente não me importava que a Elizabeth ficasse perdida nesta floresta uns dias. Seriam dias de descanso para mim.- mal acaba de falar e James coloca a mão na sua boca, logo pedindo silêncio e apontando para a criatura azul à sua frente.- O hipogrifo.- sussurra ao qual Bane concorda com a cabeça.

James e Draco aproximam-se calmamente da pequena criatura, que se encolhe e se afasta logo que percebe a presença de ambos. Bane para no lugar sem saber o que fazer e sem querer assustar o bichinho, nunca tinha lidado com um hipogrifo então não sabia como reagir perante um. Quando ele olha para o amigo, pôde ver Draco a fazer uma vénia perante o bebé animal, a sua ação é logo seguida pelo pequeno hipogrifo que retribui a vénia feita pelo loiro, permitindo que este se aproximasse e o pegasse no colo.

  - Como é que tu...- o garoto de olhos bicolores fica de boca aberta com a facilidade de Draco a lidar com o bichinho que o loiro segurava.

  - Tu percebes dessa cena de sentimentos, eu percebo de hipogrifos. Tamos quites.- Malfoy pisca um olho fazendo ambos rirem.- Meu avô deu um hipogrifo ao meu primo à dois anos. Jacob me ensinou um pouco sobre estes animais.- Bane concordou com a cabeça encantado com a criaturinha.- Ele está machucado, melhor levá-lo ao Hagrid para ele cuidar do hipogrifo.- O mestiço concorda com a cabeça e dirigem-se, agora os três, para a cabana do Hagrid.

Assim que lá chegam, James bate na porta grande porta de madeira, já que Draco segurava o bebé cuidadosamente com os dois braços. Segundos depois a porta é aberta pelo gigante barbudo que vestia um pijama cor de rosa com bolinhas brancas. Os rapazes franzem a testa com a cena peculiar à sua frente, mas deixam isso de lado não esquecendo o motivo porque estavam ali.

  - Haa vocês encontraram o hipogrifo. Muito bem rapazes.- Hagrid fala olhando o bichinho nos braços de Malfoy e dando espaços para eles entrarem.

Nenhum dos dois nunca havia pensado que estariam à meia noite, numa floresta, com um hipogrifo bebé no colo e falando com um gigante que vestia um pijama cor de rosa, mas ao que parece aquilo era normal por aqueles lados, então eles apenas teriam de se habituar a isso.

  - Ele está magoado!- Draco fala colocando o hipogrifo nos braços de Hagrid que o pegou cuidado, olhando o bebé atentamente.

  - Bem, vamos lá tratar deste verme!- na mesma hora o hipogrifo faz um leve som agradável.

  - Acho que ele gosto do nome.- James diz com um sorriso inocente de uma criança, olhando a cena à sua frente com os olhinhos brilhantes.

  - Bem, então será esse o nome dele. Verme!- o hipogrifo volta a emitir o mesmo som e os olhos de Hagrid se enchem de lágrimas.- HAA VÃO EMBORA OS DOIS, NAO QUERO QUE ME VEJAM ASSIM- os dois garotos trocam olhares soltando risadinhas saindo a correr da cabana que resmungava com eles.

  - E a Izzy e a Clary?- James pergunta enquanto corriam em direção à grande escola.

  - Hagrid depois deve tratar delas!- fala olhando o amigo de rompante tomando cuidado para não cair.

Quando os garotos chegam ao corredor, eles param de correr, trocando sorriso e se despedindo para que pudessem seguir, cada um para a sua sala comunal.

 

[Quebra de tempo, 29 de outubro de 3056, 7h50 da manhã]

 

Agora eles percebiam o motivo de ser a escola a determinar a hora de recolher. Todos os primeiranistas, que estiveram presentes naquela festa, entenderam a razão quando tiveram que acordar cedo para irem às aulas no dia seguinte. Pincipalmente Elizabeth, Clarisse, Isabelle, James, Draco e Ronald que, infelizmente, tiveram a noite deles prolongada pela professora de transfiguração.

Izzy estava sentada na mesa da Grifinória com a cara apoiada na mão e sentindo os seus olhos pesarem, ela estava a lutar bravamente contra a vontade que tinha de deitar a cabeça na mesa e dormir. Clary, que estava sentada à sua frente, parecia mais desperta, mas os seus  olhos também piscavam devagar e as suas olheira eram absolutamente notáveis debaixo dos seus olhos azulados. Ron, estava com a cabeça apoiada no ombro da ruiva, com os olhos fechados, mas não realmente dormindo já que o rapaz bocejava a todo o instante. Foi então que como de costume a velha e desastrada coruja da família Weasley, Chic, aparece com uma enorme encomenda e uma carta no bico, pousando, desajeitadamente, o que trazia em frente a Clary e Ron Weasley. Izzy reconheceu a coruja do dia 1 de setembro, quando a mesma fora contra a sua janela.

  - Chic, você está bem?- Ron pergunta para a coruja que o olha, inclina um pouco a cabeça para o lado do logo sai voando.

  - Esse foi o pior nome que podias dar para uma coruja. É por isso que ele está assim.- Clary diz revirando os olhos para o desastre da coruja que tanto lhe lembrava do desastre que o irmão era.

  - Ah não. É um berrador. Da mamãe.- Ron fala olhando para a carta e Clary engole a seco, não querendo abri-la por nada no mundo.

  - É assim tão mau?- a Weasley mais nova pergunta e percebe que todo o salão os olhava, aquela gente adorava uma boa treta.

  - Ano passado recebi um no meu primeiro castigo, depois do 15 castigo mamãe desistiu. Mas o primeiro foi o pior.- Ron diz sem tirar os olhos da carta vermelha, que continuava a assusta-lo do mesmo jeito.

  - Abre logo Clary, acaba logo com isso.- Rose, sua irmã, fala, querendo ver o que a mãe deles tinha a dizer.

É claro que todos já ficaram a saber da festa, inclusive sua mãe.

Entao Clary abriu a carta, que logo voa das suas mãos e começou a berrar enchendo o enorme salão com os gritos da sua mãe.

  - CLARISSE SOPHIE WEASLEY! COMO ASSIM TU FICOU DE CASTIGO? EU ESPERAVA ISSO DOS TEUS IRMAOS MAS NAO DE TI!- nessa hora todos os Weasley fizeram uma cara de ofendidos.- UMA FESTA? APOS O TOQUE DE RECOLHER? NAO FOI ISSO QUE EU TE ENSINEI MINHA MENINA! ESPERO QUE SEJA A ULTIMA VEZ E QUE NAO SE REPITA, CASO CONTRARIO TEREMOS SERIOS PROBLEMAS QUANDO VIERES PARA CASA. ESTOU COMPLETAMENTE FURIOSA!- Clary baixa a cabeça envergonhada, já Izzy encarava a carta berrante com um brilho nos olhos, nunca tinha visto nada igual.- E É CLARO QUE O TEU IRMAO TINHA DE ESTAR METIDO NISTO. RONALD WEASLEY, NAO ARRASTES A TUA IRMA PARA ESTAS COISAS ESTÁS A OUVIR ME? E desculpa Izzy, mas como ficaste a nossa responsabilidade vou ter que gritar contigo também. QUE SEJA A ULTIMA VEZ ISABELLE MCNAMARA LIGHTWOOD! Há, e já agora, os teus avós concordaram em passares as férias de Natal connosco, estaremos a tua espera na estação Kings Cross, vem com a Clary sim?-a voz acalma-se. E de repente a voz da sua mãe é substituída pela do seu pai, calmo como sempre.- Olá meninos, espero que estejam a divertirem-se em Hogwarts, estudem muito sim?! Há Clary, desculpa por não ter chegado a tempo do teu aniversário, Chic acabou perdendo-se pelo caminho. Mas a tua mãe teve tanto trabalho a fazê-lo que não podíamos deitar fora, esperamos que gostes e feliz aniversário atrasado. Eu e vossa mãe amamos voce e seus irmãos.- e então a carta se desfaz em mil pedaços, que cai sobre a mesa da Grifinoria que continuava em silêncio assim como as outras.

  - UAU ISSO FOI INCRIVEL!- Izzy fala entusiasmada quebrando o silêncio do grande salão com a sua risada escandalosa.

  - Só se for para ti.- a Weasley apoia a sua cabeça na mão, onde o braço estava apoiado no cotovelo, agradecendo quando todas as outras mesas começam a falar novamente, esquecendo a cena de à pouco.

  - E foi! Nunca tinha visto nada assim. Simplesmente... Mágico!- a Lightwood fala ainda encantada, brincando com os pedaços de papeis caídos perto dela.

  - Abre logo a encomenda Clary.- Ron fala para Clary que se tinha esquecido totalmente da caixa.

Ao abrir a grande caixa que continuava intacta, Clariise vê um bolo enorme no formato de um garoto de cabelos pretos e um raio bem desenhando na testa, no lado direito, empunhando a sua varinha e gritando "Expeliarmus". A Weasley abre um grande sorriso ao ver o que os seus pais tinham mandando para ela.

  - Parece que você sempre teve um bolo grande Clary.- James fala aparecendo por trás da garota ruiva que o olha sorrindo e acenando com a cabeça não contendo a sua animação.

  - Pois foi... Vamos dividi-lo!- e então Percy, seu irmão mais velho, aparece com uma faca de cortar bolo.

Em pouco tempo, todo o bolo estava cortado e Clary caminhava calmamente pelo grande salão, segurando algumas fatias para distribuir para todos os alunos e professores.

  - Pega.- a ruiva estende uma fatia de bolo para Elizabeth que a olha com uma sobrancelha erguida, desconfiando da ação de Clary.- É pra você e não tem veneno.

  - Porquê?- a sonserina pergunta, mas mesmo assim pega no bolo, ainda olhando a grifinoria com desconfiança vendo-a apenas dar de ombros.

  - Não tem sentido ter um bolo grande e não dividir.- a Weasley diz com um sorriso simpático. Ela sempre gostou de dividir e era uma das coisas que mais apreciava em si mesma, o facto de não se importar em partilhar com os outros.

  - Que? Isso não faz o menor sentido. Ter um bolo grande e ficar com tudo é bem melhor.- Elizabeth fala como se achasse que Clary enlouqueceu ao pensar daquele jeito. A de olhos azuis fecha a cara numa carranca cruzando os braços com a fala da morena,

  - Come o bolo e não faças perguntas. Se a Izzy ou o Ron vêem a tua fatia eles vão tentar roubar!- e assim a ruiva dá as costas a Elizabeth que fica com um sorriso de canto no rosto, mas se lhe perguntassem ela já mais admitiria que de facto até gostava das suas implicâncias com aqueles grifinorios, especificamente um ruivo do segundo ano.

Enquanto isso Izzy carregava uma fatia intacta na mão esquerda e mordia a que segurava na mão direita, andando calmamente pela mesa da sonserina parando ao lado de Draco, que conversava com uma garota sentanda ao seu lado, e estende o pedaço intocado.

  - Toma.- o loiro sorri reconhecendo a voz da morena e se vira para a mesma.

  - Obrigado.- agradece pegando a fatia.- A Clary deixou?- questiona confuso sabendo que a ruiva não gostava muito, ou nada mesmo, dele.

  - Deixou. Na verdade foi ela quem pediu para eu te dar. Eu queria comer mas ela disse que tinha de dar para todos. Mas não quis ser ela a te dar.- a menina responde dando uma mordida na fatia que ainda segurava. Malfoy olhou por cima do ombro de Izzy e pode ver que James o olhava sugestivo.

  - Ah obrigado!- Draco aproxima-se deixando um beijo na bochecha de Isabelle que se engasga como o pedaço que de bolo que mastigava, sentindo um rubor de apoderar do seu rosto, deixando-a completamente vemelha.

  - Haa é... De nada... Eu acho... Eu vou pra ali, para ao lado da Clary, tchau!- a Lightwood balbucia apontando para onde a ruiva estava, e sai praticamente correndo completamente constrangida.

Quando Isabelle chega perto de Clarisse, ela percebe que todos estavam ali, Elizabeth, James, Ron e Draco, que veio logo atrás dela. Os seis estavam reunidos pela primeira vez depois da discussão que tiveram no dia anterior.

  - Mas e então? Onde vocês duas se meteram?- James pergunta para Izzy e Clary, esta última que arregala os olhos. Droga, elas não tinham pensado numa desculpa credível que pudessem dar aos outros.

  - Haa...-a ruiva perde-se nas palavras, não sabendo realmente o que falar.

  - Encontramos um morcego gigante!- Izzy diz tranquilamente como se ela mesma acreditaase na própria mentira, o que faz todos a olharem de forma suspeita.

  - Izzy, concordamos em não contar essa história.- Clary sussurra para a amiga sabendo que iria durar pouco tempo até serem apanhadas com aquele relato puramente falso.

  - Um morcego gigante?- Ron repete as palavras da morena observando as reações das duas garotas.

  - Sim, de 5 metros... E tinha três braços, o outro tava magoado.- a Lightwood entra no modo improviso deixando todos desconfiados com a história fantasiosa e deixando Clary completamente surpresa por não saber até onde ia aquela mentira descarada da amiga.

  - 5 metros?- repete a Lestrange com as sobrancelhas arqueadas.

  - 3 braços?- desta vez a voz e de Bane, que cruza os braços ao lado de Clary.

  - Huhum, e 28 olhos.- a morena dá continuidade à mentira, não deixando que a sua voz vacilasse.

  - 28 olhos?- Draco questiona tentando imaginar o suposto animal.

  - Chama-se Morberto. Gente boa ele.- a Lightwood fala tranquilamente pegando um bolinho e comendo.

  - Bem, podia ser pior. Podiam ter gritado de medo de um ovo de cobra.- Elizabeth diz encarando sarcasticamente Ron que a olha incrédulo.

  - Era um ovo gigante ok?- Ron se defende, não desviando o olhar de Elizabeth.

  - Tinha cinco centímetros!- a sobrancelha bem desenhada da Lestrange se ergue provando através do seu rosto que tinha o objetivo de envergonhar o garoto ruivo.

  - 5 centímetros? Não foi isso que o Percy disse numa conversa sobre você ter? Era não era? Você tinha 5 centímetros, lembro-me perfeitamente dele dizer isso.- a irmã Weasley diz na sua maior inocência, não sabendo que aquele assunto iria deixar o irmão tão vermelho que quase perguntavam se ele se sentia bem.

Era uma inocência que claramente não era partilha por mais ninguém naquele circulo de amigos, já que todos começaram a rir descaradamente quando entenderam o verdeiro sentido do que Percy tinha dito, bom, todos riram exceto Ron e Clary. Ron porque estava envergonhado demais para conseguir dizer alguma coisa e Clary que simplesmente não entendeu o motivo das gargalhadas.

  - O que gente? Tão rindo do que? Eu também quero rir! Contem!- a ruivinha olhava para todos confusa e chateada por ser a única que não entendeu enquanto seu irmao já se camuflava com os seus cabelos.

  - E melhor não saberes Weasley, é melhor.- a resposta veio da Lestrange que limpa as lágrimas que se formavam no canto dos seus olhos, devido a tanta risada.

  - Então meninos, estão a falar do que?- Hagrid aparece atrás deles interrompendo a conversa o que, Ronald, agradece profundamente por isso.

  - Da noite anterior.- James responde ainda lhe doendo as bochechas de tanto rir.

  - Ahh, depois que James e Draco me entregaram o Verme eu não vi mais nenhum de vocês, o que aconteceu? – pergunta olhando todos que voltam os seus olhos para as grifinorias.

  - Verme?- Clary pergunta para James que lhe faz sinal de que era uma longa história e depois lhe explicava.

  - A Weasley e a Lightwood encontraram um suposto morcego de 5 metros, com três braços e 28 olhos.- responde a Lestrange, pronta para desmascarar as duas garotas. Clarisse já pensava no pior que aquela mentira as levaria enquanto Isabelle não esboçava nenhuma reação para não estragar o disfarce.

  - Haa vocês conheceram o Sebastian? Ele é muito querido não e?- Hagrid responde calmamente deixando todos surpresos, especialmente Izzy e Clary que não acreditavam que a história era real.

  - Ele existe?- a Weasley sussurra para a Lightwood que se volta para ela.

  - Eu disse não disse?- Izzy sussurra de volta, mas ainda surpresa.- Nos demos o nome de Morberto.- fala agora em voz alta, sustentando a mentira como em todo aquele tempo.

  - Morberto? Realmente é um nome melhor para um morcego do que Sebastian, porque eu não pensei nesse nome antes?- Hagrid pergunta para si mesmo, parecendo chateado pelas meninas terem arranjado um nome muito melhor que ele para o bicho.

Eles não puderam, ficar muito mais tempo na conversa, afinal, logo as aulas começariam e eles tiveram que se separar, indo para as salas onde teriam aulas.

 

[Quebra de Tempo, 17 de dezembro de 3056, último dia de Hogwarts]

 

Clary e Izzy arrumavam os seus respetivos malões para voltarem para casa naquelas férias de Natal. Clary cantarolava baixinho alguma música de Natal de Harry Potter e Izzy olhava em volta com a mão na cintura vendo se não se esquecia de nada. 

  - Acho que tá tudo, vamos?- a Lightwood pergunta fazendo a amiga parar de cantar e concordar sorrindo feliz porque veria a sua família reunida novamente.

Ambas saíram do quarto, caminhando pelos corredores com os seus malões até chegaram ao grande expresso de Hogwarts, que as levaria até à estação Kings Cross. Assim que as meninas entraram, dirigiram-se logo até a cabine onde James já as esperava. Isabelle sorriu para o melhor amigo e sentou-se no lado oposto, a sua frente, Clarisse também sorriu para o menino sussurrando um “oi” baixinho que foi retribuído pelo moreno, a ruiva sentou-se ao lado da amiga. Antes que o expresso partisse, Draco aparece na cabine encarando os amigos e atraindo a atenção para si.

  - Posso me sentar aqui? As outras cabine estão cheias.- o Malfoy perguntou e pra sua surpresa, fora Izzy que respondeu.

  - Haa senta. Não tem como eu perder um braço aqui mesmo.- com a fala da morena, Clary resolve trocar de lugar, sentando- se ao lado de James e deixando que Draco ocupasse o seu lugar ao lado da Lightwood, de frente para a Weasley.

 Ao poucos eles sentem o expresso começar a andar até ganhar a velocidade normal. Clary e James conversavam calmamente, o moreno estava a explicar a tal história do verme à ruiva, que calmamente se aproxima de Bane e deita a cabeça no seu ombro prestando atenção a cada palavra que o outro dizia. James olha para Draco com os olhos arregalados surpreso com a atitude da garota de olhos azuis, Malfoy apenas tenta segurar um risinho com a expressão cómica que o melhor amigo tinha, mas ficou do mesmo jeito quando Izzy perguntou se ele queria dividir os fones com ela, para que ambos pudessem ouvir música juntos. A garota cruza o seu braço com o do loiro colocando o fone, dando play numa música, quando Draco fez o mesmo. Malfoy olhou para o amigo com a mesma expressão que o outro tinha usado, agora os papeis estavam invertidos, pois no momento era Bane quem ria, se sentindo vingando pelo que o melhor amigo havia feito antes.

Aquele ano em Hogwarts era só o início de tudo: de uma grande aventura, de grandes bruxos e, sobretudo, de uma grande amizade entre os quatro. Mas todos precisavam de umas férias frias para largar um pouco as asneiras que faziam em Hogwarts e nada melhor do que as férias de Natal.

Ou talvez não? Afinal, o aniversário de Izzy estava chegando e todos ali poderiam jurar que estariam juntos novamente.


Notas Finais


Gostaram ? Não se esqueçam de comentar.

Beijinhos e até a próxima att.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...