História Os Poemas de Amanda - Capítulo 1


Escrita por: e spikevh_minoda

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Linkin Park, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Personagens Aki Hakala, Brad Delson, Brandon Flowers, Chester Bennington, Dave Farrell, Joe Hahn, Julian Casablancas, Lauri Ylönen, M. Shadows, Mike Shinoda, Pauli Rantasalmi, Rob Bourdon, Serj Tankian, Synyster Gates, The Rev
Tags A7x, Bennoda, Brandon Flowers, Chester Bennington, Julian Casablancas, Lauri Ylonen, Linkin Park, Mike Shinoda, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Visualizações 39
Palavras 2.991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


La vou eu em mais um temporada. Desta vez da historia QUERIDO DIARIO. Mas agora quem invade as paginas é a personalidade de Lauri e Mike. Mortes sem sentido e muito sexo , sem falar nos deboches de ambos.
Divirtam se!

Capítulo 1 - Fear of the Dark


Fanfic / Fanfiction Os Poemas de Amanda - Capítulo 1 - Fear of the Dark

Teve muita chuva esta noite , a umidade fria, torna aquele porão agradável . Amanda sentado nu a beira da cama fumando seu cigarro mentolado, solta a fumaça no ar . O relógio no celular marca 01:00h da manhã. Ele escreve algo num papel colorido que ele arrancou do diário de Jason. Ele o observa dormindo, Jason ronca como um porco velho , cansado  de três dias de sexo pervertido regado a gritos e palavrões de mais baixo escalão. Amanda , percebe que ele para de roncar e suspira fundo. Deita de bruços agarrado ao travesseiro, sua respiração abranda. Jason se foi.

-Hora de ir. – Ele diz apagando o cigarro na mesinha ao lado da cama.

Levanta e veste seu sobretudo de couro preto , cheio de cintos e botões. Calça sua botas coturnos e ajeita as penas no seu cabelo bagunçado. Pega  papel que rabiscava e põe sobre a mesinha. Olha no espelho e retoca o lápis de olho , mesmo borrado do suor . Ainda olha mais uma vez , desta vez , para Mike que dorme tranquilo. Da um sorriso debochado e vai pela porta  que leva a uma escada . Sobe as mesma quase que desfilando , tenta abri a outra porta mas está trancada, bufa e revira os olhos . Aperta um botãozinho que faz tocar uma campainha. Logo ele ouve o destrancar da porta . Um jovem empregado da casa aparece, tirando um sorriso de seu rosto.

-Bom dia , Brandon!- Ele diz saindo.

-Bom dia .- Ele responde baixo , sem olhar  pro rosto dele.

-Diga a seu patrão, que Mike está de volta.- Ele diz olhando o empregado de cima pra baixo.

-E o senhor Lauri?- o empragado pergunta.

-Este virá depois. Preciso ir. – ele acena e sai pela porta dos fundos.

 

“I am a man who walks alone

And when I'm walking in a dark road

At night or strolling through the park”

 

Ele cantarola pelas ruas frias e úmidas do bairro. Há dez anos Amanda faz este trajeto ate a casa de Chester e Mike, para satisfazer , não só os desejos de Jason, mas os seus também, sempre insaciáveis.

 

 

“When the light begins to change

I sometimes feel a little strange

A little anxious when it's dark”

 

 

Ele continua cantando a musica . Suas botas encharcam nas poças feitas pela chuva, de repente ele vê uma moça  de vestido chic e um carro parado com capo aberto. Ela tentava falar ao telefone. Ele vai andando devagar, procura não olhar direto pra moça , mas ela o vê.

-Olá? – Ele para e sorri.

-Problemas com carro?  - ele pergunta sorrindo

-Desculpe, eu não sei, ele parou, estou tentando ligar pra um guincho, pode me emprestar um celular?

-Eu não tenho aqui, mas posso ver seu carro?

-Você é mecânico?- Ela pergunta sorrindo.

Amanda percebe que ela se impressionou com ele. Inclinado a cabeça e sorrindo ele diz.

-Meu carro é desta marca, conheço esse tipo de motor.- Ele fala em tom tenro, inclinando no veiculo Olha por todo o motor

-Achei, é a correia que soltou. Pronto. Agora ligue!- Ele diz fechando o capo.

Ela vai e liga o carro fazendo funcionar. Feliz ela sai do carro.

-Obrigada como posso te pagar? – ela fala botando as pontas dos cabelos atrás da orelha. Amanda sabe o que este gesto significa. “ Ela esta na dele!”

Ele se aproxima devagar e passa a mão sobre o teto do carro.

-Um beijo já paga . – ele diz olhando fundo nos olhos dela.

-Eu sou casada.- ela diz olhando sua boca.

-É só não contar baby.- Ele lentamente a beija. Ela sente a boca e o agarra pelo pescoço. Pronto Amanda! Ela é sua agora !

Ele fecha a porta da frente do carro e abrindo a de tras ,a põe deitada, sempre beijando-a .

-Não posso transar com você.

-Quem disse que vamos transar , mulher? – Ele fala beijando ela mais intensamente. Ele leva sua mão até abaixo do longo vestido que ela usava , sente sua calcinha úmida.

-Uuuh, mais é isso que você quer não é? – ele diz afastando a calcinha

-O que vai fazer? – ela diz cerrando os dentes.

-Quero que goze na minha mão baby, deixe ela bem melada. – Ele diz introduzindo seus dois dedos do meio dentro de seu sexo .

-Aaah... Que bom..- ela diz manhoso.

Ele a beija no pescoço enquanto movimenta os dedos num entra e sai barulhento do sexo úmido dela , seu polegar massageia seu clitóris , ela se contorce toda , gemendo .

-Aiiin, que gostoso!!- ela diz agarrando os braços dele. Amanda apenas olhas cada movimento que a mulher faz , as rebolada em sua mão, ele ri daquilo tudo.

-Goza, quero que goze gemendo alto. – Ele diz acelerando .

Enquanto ela obedece, ele puxa de um dos bolsos do sobre tudo, uma pequena lamina onde a põe entres seu dedos da outra mão . Ela mexe , ele sente que ela vai gozar e num gesto rápido ele segura o pescoço dela , afunda a lamina em sua jugular , e num movimento rápido, abre sua  garganta rasgando a carne , fazendo o sangue jorrar e derramar sobre o banco.

Ela agoniza segurando o ferimento, ele continua com os dedo dentro dela.

-Isso querido , aperte, aperte  gotoso.- ele diz sorrindo, enquanto a mulher morre ali.

Depois ele guarda a lâmina , tira os dedo de dentro dela . Sai do carro , arruma as perna dela pra dentro e fecha a porta.

Ele pega mais um cigarro e acende, e volta a caminhar cantarolando sua musica.

 

“Fear of the dark, fear of the dark

I have a constant fear that something's always near

Fear of the dark, fear of the dark

I have a phobia that someone's always there”

 

Mas enquanto continua seu trajeto, Amanda cheira seus dedos .

-Huuuummm, lavanda!! Oh querida , estava preparada pra dar pra outro, e pelo que vi , não seu “marido”! – ele ri alto. – Agora ele vai ter que bater uma!

Continua andando ,ate perceber que alguém o segue na penumbra.

-Otimo, que porra é essa?- ele diz ouvindo passos rápidos na sua direção.

Um homem o agarra por tras.

-Caladinha ae !!Se gritar corto teu pescoço! – Ele diz botando uma faca no pescoço.

-Tudo bem! – Amanda fala levantando as mãos .

O homem o leva a um beco escuro, ali ele joga Amanda no chão.

-Tira a roupa agora!- o homem da a ordem.

-Ei! E ae? Nada de flores, nem preliminares?- Amanda fala debochando dele

Com Raiva o homem esbofeteia ele no rosto. Ele fecha os punhos e olha pra ele.

- Não devia ter feito isso!- Ele diz

-Cala boca sua puta e tira tua roupa!!- ele diz abrindo a calça.

-Não preciso...- Amanda começa a levantar o sobretudo mostrando a nudez.

-Você é homem?- diz o homem pasmo

-Jura? Eu nem tinha notado!- Ele diz rindo.

Sem avisar o homem bate de novo na cara dele.

-Eu vou te matar !- ele diz com olha irado.

-Vai é? Vai chupar meu pau isso sim seu viado!-  o homem o puxa pelo cabelos levando o rosto dele até seu pênis.

-Chupa tudo , quero gozar na tua cara.

Amanda então põe a boca no membro duro dele e num gesto brusco agarra suas bolas e aperta com força.

-AAAAAAAAHHH CARALHO , MINHAS BOLAS!!

Amanda levanta cuspindo .

-Que gosto horrível e que pau pequeno colega!- Ele chuta o homem no saco , fazendo cair no chão se contorcendo.

-SEU FILHO DA PUTA!!- O homem tenta levantar mas , Amanda o chuta de novo. Pega a sua lamina no bolso. E monta em cima do homem.

-Ei ! Isso é pra você aprender a não me bater seu otario .Agora me da um beijinho!

Amanda põe a lamina entre seu dente e o beija . Ele joga a lamina na boca do homem e segura seu queixo. Instintivamente o homem engole a lamina, se sufocando com o sangue que sai dos cortes que ela faz.

Amanda se levanta, ajeita sua roupa. E vendo ele agonizar, acende mais um cigarro e começa andar de volta ao seu caminho.

-O que vai ser agora? Um alien que encontrarei na rua? Eu só quero ir pra casa e dormir!- Ele fala olhando pra cima. Revira os olhos e continua andando.

 

 

Despertador toca.

Tim tim tim tim tim!

Brad Delson o desliga meio sonolento. Ele olha a hora : 06:00h da manhã.

O cheiro gostoso do café o desperta mais ainda , levando a ir na cozinha.

Sua esposa Dheia Delson está fazendo torradas .

-Bom dia amor!- ele diz e ela sorri.

-Bom dia !- ela o beija.

-Que cheiro bom.- ele a abraça por tras.

-Estou fazendo o café de meu querido marido, pra começar bem o dia de nossa folga.

-Que bom , eu já planejei tudo pra hoje. Almoçar fora, cinema e no fim um passeio pela praia.

-Uuuh Praia!- ela diz

-Anda descalça pela areia e sentir o mar bater em seus pés.- Brad diz .

-Ai amor, adoro a praia!

Mas nessa hora o celular toca.

-É o meu!- Diz Dheia.- É o Aki!

-Aki?- ele diz tomando um gole de café.

-Alô Aki?- ela diz

-Tia Dheia, eu sei que é sua folga mas, Rose não veio trabalhar e hoje é dia da depressão pós parto.

-Rose não foi trabalhar porque? – ela fala olhando pro marido que já bufa e revira os olhos.

-Que merda!

- Não sei Tia. Ela não atende o celular e não consigo falar com o marido dela.

-Cero , olha Aki eu chego ai em meia hora.

-Obrigado tia, diz pro tio Brad que eu vou dar o fim de semana de folga pra você.- ele diz rindo

-Otimo, meu planejamento foi pro brejo.- Brad diz com raiva

-Amor, Rose não ir trabalhar sem avisar é entranho.

-Como estranho Dheia?

-Ela já foi trabalhar doente, com filhos doentes, marido doente. Não... acho que aconteceu alguma coisa.

-Olha, eu só sei que não vamos almoçar fora , nem ir ao cinema, mas , podemos ir a praia ver o por do Sol, quem sabe comer um sanduiche?

Ela ri , e concorda com a cabeça.

-Vou me arrumar.

-Eu vou terminar de comer e vou visitar nossos compadres, faz dias que não os vejo.

-Será que Jason ainda está lá?

-Espero que não , pois aquele “Amanda” também vai está e eles são bem escandalosos e despudorados.

-Se ele não estiver mais , mande lembranças a Mike de mim.

-Digo sim.- Fala Brad olhando para as torradas .

Ele deixa Dheia na Clinica onde Aki agora é o dono.

-Aki?- Ele diz vendo pelo corredor.

-Tio Brad!- Ele o abraça.

-Como vai? Vou ver seus pais quando sair daqui.

-Acho que Pai Mike está lá.- ele diz andando até o balcão.

-Porque Aki? Lauri voltou pra casa?

-Quando acordei fui chamar Oliver pra se arrumar pra escola, vi aquela ...”Coisa” ... jogado na cama no quarto de hospedes, de roupa e botas. Deve ter vindo pra casa de madrugada.

-Otimo , assim posso ver os dois, Mike e Chester.

-Diga que mandei um beijo pra eles !- Ele fala voltando pra dentro da Clinica.

Brad então entra em seu carro e vai até a casa de Chester e Mike.

Passou dez anos desde a morte de Sara e Eero. Aki , casado com Lauri , tem o pequeno Oliver.

Mas o karma da família é um romance entre as duas personalidades  brutais de Mike e Lauri: Amanda e Jason.

Já houve inúmeras tentativas de não permitir mais que se vejam , porém , sempre frustadas com ataques de fúrias e agressões . Chester então propos que ele ficassem num quarto improvisado no porão, onde um empregado estaria sempre a sua disposição . Assim eles podiam desfrutar de seu romance sexual e não incomodar tanto, poupando Oliver de ver o pai em trajes ridículos , falando e gemendo as mais terríveis perversões.

Quando chega na casa, Brad é recebido pelo empregado da casa , Bradon Flowers.

-Olá Senhor Delson!- ele diz sorridente.

-Onde estão meu compadres?- Brad fala.

-Estão tomando café senhor , entre!

Brad adentra a casa, vê os dois sentados a mesa sorridentes.

-Mike, Chester!- eles vem e se abraçam

-Brad ? A quanto tempo?- Diz Chester.

-Pois é , eu estou de folga, vim ver vocês.- Brad fala sentando a mesa.

-Café?- Diz Mike. Brad nota as marcas no pescoço dele, mas procura disfarçar.

-E ai? Como vocês estão?

-Brad meu compadre, agora estou aliviado, meu Mike está de volta depois de quase quatro dias ausente.

-Huum!- Brad diz tomando um gole de café. – Que bom, fico feliz.

-Só estou um pouco cansado, mas logo vou deitar um pouco, quero ver meu Oliver, Aki disse que vai trazer ele hoje .- fala Mike.

-Sim , Oliver é uma criança cheia de energia. Ter ele por perto é uma terapia.- Brad diz

Eles se calam um pouco. Mas Chester toma a palavra.

-Algum problema Brad?

-Não, eu...só fico preocupado com vocês, sabe tudo isso, ainda tem o Aki que sofre por causa do Lauri, sei lá. Eu fico bem preocupado com a saúde mental de vocês.

-Minha saúde mental foi pro brejo há anos.- Diz Chester. – Talvez por isso aguento essa situação.

Brad vê que Mike fica desconfortável com o assunto e resolve mudar.

-A doutora Rose não foi trabalhar, por isso a folga da Dheia foi adiada.

-Rose está doente?- pergunta Mike.

-Não sabemos, até então não conseguiram falar com ela.

-Vou dizer a Aki pra descontar no salario dela.- Diz Chester.

-Calma , meu amor. Logo vamos saber o motivo dessa falta.- diz Mike beijando o rosto de Chester

Brad ri de ver eles assim, gosta da calma que eles passam um pro outro.

 

 

Lauri acorda com um peso na cabeça, senta na cama  e percebe que ainda esta trajado de Amanda.

-Ah que horror!- ele diz passando as mãos no cabelo e arrancando as penas nojentas do cabelo.Ele nota o diario aberto e verifica.

“ Bem vindo seu monte bosta! Obrigado por emprestar seu corpo , gozei muito com ele.!”

Lauri joga o diario no chão.

-SEU URUBU DO CARALHO!!- ele grita.

De repente o empregado dele Julian Casablancas aparece na porta.

-Senhor Lauri?

-Sou eu Julian. Onde está meu marido e meu filho?- Lauri diz tirando as botas.

-Senhor Aki está na clinica e Oliver acabou de chegar da escola, senhor.

Lauri se espanta!

-Que horas são?

-Onze horas ,Senhor.

-Ah, Cristo!! Julian , ligue pro Aki, diga que vou pra lá mais tarde , arrume umas roupas pra mim, vou tomar banho e ficar um pouco com Oliver.

-Sim Senhor!

Julian sai e Lauri tira o sobretudo e entra no banheiro , vai direto pro chuveiro, quer tirar do seu corpo qualquer cheiro  que lembre Amanda.

-Seu desgraçado, eu não  vou olhar na cara de Mike por uns dias.- ele lamenta enquanto a agua escorre pelo seu corpo.

Lauri tenta amenizar o máximo dessa situação com Aki e seu filho Oliver. Quando está presente , procura ser o mais atencioso possível.

Depois do banho ele volta pra seu quarto, levando consigo o diário, a comunicação direta entre ele e Amanda. Quando se veste , sua curiosidade atiça em ler o que ele escreveu.

-Deixe eu ver as sua perversões seu corvo!- ele abre e sua paginas relatam cada detalhe de seu sexo com Jason, fazendo o estomago de Lauri revirar.

-Vocês são nojentos.- Ele diz 

Mas a ultima pagina ele nota uns versos, escrito de forma bem caligráfica, Lauri lê os versos.

“Eu sou um homem que caminha sozinho

E quando estou andando por uma estrada escura

À noite ou passeando pelo parque

 

Quando a luz começa a enfraquecer

Às vezes me sinto um pouco estranho

Um pouco ansioso quando está escuro

 

Medo do escuro, medo do escuro

Tenho um medo constante que sempre há algo perto

Medo do escuro, medo do escuro

Eu tenho uma fobia de que alguém sempre está lá”

 

-O que? Virou poeta agora, seu imbecil?- Lauri guarda o diário na gaveta e segue pro quarto de Oliver, que está pintado numa mesinha.

-Oi meu amor!- ele diz sorrindo

-Papai!!- Oliver o abraça. –Que bom que está de volta.

-Estava com saudades!- Lauri diz sentando no chão.- O que está fazendo?

-Pintando.- Oliver diz mostrando uns desenhos.- Olha , este é você, pai Aki, Vô Chester, Vô Mike e eu.

Lauri olha o desenho sorrindo mas fica serio ao ver bem pequeno em meio a uma pintura verde uma figura.

-E esses aqui?

-Esse é o fantasma.

-Fantasma?

-Sim, eu vi ele ontem .

O coração de Lauri pulsou forte. Amanda encontrou com Oliver?

-O que ele disse?

-Nada , apenas me olhou, sorriu e disse: “Vai dormir”.

Um certo alivio tomou conta. Mas , Assim mesmo  Lauri ficou extremamente preocupado. Amanda não pode sequer tocar em Oliver.

-Senhor Lauri?

-Diga Julian.

-Senhor Aki no telefone.

Lauri pega o telefone.

-Amor?

-Lauri meu amor, que bom que voltou.

-Estou feliz em ouvir sua voz.

-Estou indo ai mais tarde , estou com Oliver agora.

-Sim, eu vou te esperar aqui então. Beijos.

Aki desliga o telefone. E volta a falar com o filho.

 

 

Na casa de Chester, Brad e eles conversam vendo o noticiário. Então vem uma noticia.

-“ Um carro foi encontrado abandonado com sinais de parcialmente queimado. Dois corpos carbonizados foram encontrados dentro dele!”

-Ainda bem que estou de folga! – Diz Brad

-Espera, olha esse carro, Chazzy.- Diz Mike.

-Pois é ele não me é estranho.

Todos param pra ver as imagens, o repórter diz o numero da placa.

-Oh meu Deus!- Diz Mike.

-O que foi, compadre?

-É o carro da dra Rose!

Eles se olham e Brad fica pasmo.

-Preciso ligar pra Dheia.

Celular toca.

-Alô?

-Brad! Rose está morta!!

 


Notas Finais


primeiro cap ligth pra vocês, se gostarem ,continuo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...