História Os Poemas de Amanda - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Linkin Park, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Personagens Aki Hakala, Brad Delson, Brandon Flowers, Chester Bennington, Dave Farrell, Joe Hahn, Julian Casablancas, Lauri Ylönen, M. Shadows, Mike Shinoda, Pauli Rantasalmi, Rob Bourdon, Serj Tankian, Synyster Gates, The Rev
Tags A7x, Bennoda, Brandon Flowers, Chester Bennington, Julian Casablancas, Lauri Ylonen, Linkin Park, Mike Shinoda, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Visualizações 10
Palavras 2.950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


No cap. anterior, o poemas e a musica recitados por Amanda , é da Banda Iron Maiden.

Capítulo 2 - I hurt you(Ich Tu Dir Weh)


Fanfic / Fanfiction Os Poemas de Amanda - Capítulo 2 - I hurt you(Ich Tu Dir Weh)

Ainda na casa de Mike, Brad fala ao telefone com Dheia e Chester fala com Aki. Mike esta sentado ainda vendo o noticiário.

-Dheia meu amor , fala devagar.

-Brad! Rose morreu! Que parte da frase você não entendeu?

-Como pode ter certeza , Dheia?

-O marido dela ligou pro Aki, disse que viu nossas ligações, ele viu no jornal das oito que encontraram o carro dela. Ele reconheceu o carro e foi no IML. Brad ele reconheceu ela pela tatuagem.

-Calma, Dheia , pelo amor de Deus!

-Ela era minha amiga , Brad!- Ela fala já chorando.

-Amor calma, olha eu vou ligar pro Dave , eu vi a cara ruiva dele na TV. Vou pedir mais informações.

-Ta bom , amor. Ah! Vem pra cá. Por favor?

-Vou sim . Mas vou falar com Dave primeiro.

 

Enquanto Brad fala com Dheia. Chester conversa com Aki, ele esta de frente a estande da sala olhando uns retratos.

-Aki, meu filho, eu vou pra ai ajudar você.

-Não, pai, fique com Pai Mike, Lauri logo virá.

-Lauri ? – ele diz olhando Mike pelo reflexo de um dos quadros. – Lauri está como Mike. Ambos chegaram hoje pela manhã. Lauri deve estar exausto.

- Mas pai..

-Vamos fazer assim, ligue pra Lauri , diga pra ele ficar em casa.- Mike vira o rosto olhando Chester, mas ele não percebe que o mesmo o via pelo reflexo.- Diga pra ele descansar e ficar com Oliver. Cancele a visita de hoje aqui em casa.

-Pai, porque quer ter esta trabalho , quem vai ficar com Pai Mike?

-Temos um ótimo empregado, Brandon cuidara dele, ao contrário de vocês que ainda tem o Oliver.

-Julian também é muito eficiente.- Diz Aki.

-Certo, eu vou pra ai, afinal , Aki ainda sou o proprietário mor da Clinica. Ela trabalhava a cinco anos. Temos que dar algum apoio moral.- Chester olha no espelho e vê Brandon se aproximando de Mike e falando baixo. Ele procura disfarçar e observa que o empregado entrega um papel a Mike que logo guarda no bolso.

-Pai?

-Oi? Desculpe meu filho.

-Você virá mesmo?

-Sim , eu vou pegar uma carona com Brad , logo estarei ai.

-Certo , pai , vou ligar pra Lauri. Te amo.

-Eu também, meu filho. De lembranças a Lauri.

Chester desliga e vira olhando Mike que está assistindo o noticiário. Ele olha fixamente a Mike, como se quisesse falar algo. Mas desiste e olha pra Brad.

-Compadre, pode me dar uma carona até a clinica?

-Claro, mas você vai pra lá porque?

Nessa hora Mike vira a cabeça olhando pra os dois.

Eu vou dar uma força pra Aki, afinal , ela foi funcionaria da Clinica. Agora vai está tudo muito confuso.

-Sei, levo você sim. Eu só vou ligar pra Dave aqui rapidinho!

-É o tempo que troco de roupa.

-Certo. – Brad pega o celular e vai até mais a frente da casa.

Chester se aproxima de Mike e se inclina pra um beijo.

-Vai fica aqui até eu voltar? – Diz Chester

-Não vou a lugar nenhum. Jason está dormindo profundamente. - diz Mike sorrindo.

-Que bom, estou com saudades de seu corpo junto do meu.- Chester o beija nos lábios.

-Huum, então vou me preparar pra mais tarde.

Ambos sorriem. Chester sobe as escadas que dá acesso ao quartos.

Mike , vira o rosto e vê Brad falando ao telefone na porta da frente.

-Dave, eu vou da um pulo ai mais tarde , e quero me explique melhor que porra é essa!!!

-Brandon!- Mike chama.

-Sim , mestre Mike?- Brandon aparece.

-Preciso que me faça um favor.

-Claro. Diga.

-Leve uma encomenda a casa de Aki .- Mike olha pra Brandon que sorri de canto.

 

Chester desce as escadas .

-Vamos Brad. – ele diz pegando um casaco. Eles vão pro carro

Mike continua sentado olhando a TV.

“ A policia afirmou que  o outro corpo é de um estuprador procurado pela policia, ele já fez varias vitimas próximo ao bairro do condomínio  Black Roses , area nobre da cidade na zona sul. Ele foi encontrado no carro com a mulher, de acordo com as primeiras informações ele já estava morto quando incendiaram o carro. Uma lamina de 10cm foi encontrada em sua garganta. Só não se sabe porque ele foi encontrado junto com a mulher identificada como uma psiquiatra de um clinica conhecida na cidade, dentro do carro dela,  cuja morte foi por ter sua garganta cortada. O carro foi achado no  fim da ponte Cave.”

Mike franzi a testa. E inclina cabeça.

-Mas olha que interessante! – Mike diz desligando a TV.

 

Dentro do carro, Brad e Chester conversam.

-Chester, Dave disse que a a outra pessoa estava com Rose era um estupra dor conhecido da gente.

-Estuprador?- Ele diz pasmo

-Sim, ele falou que ele foi identificado pois , ele tinha parafuso em um dos braços devido ter levado tiros da policia.

-Será que ela foi estuprada?- Diz Chester

-Não sei , compadre, mas eu vou a delegacia ver isso.

-Coitada da Rose.- Diz Chester olhando a rua.

Brad olha pra ele, pensa um pouco.

-Chester..

-Sim?

-Acha certo deixar compadre Mike sozinho?

-Ele está com Brandon. – Chester continua olhando pela janela.

-Sempre me perguntei, onde arrumaram esses empregados?

-Eu  contratei Brandon, ele conhecia Julian, só uni o util ao agradável.

Brad apenas ouve aquilo meio desconfiado. Mas deixa pra lá.

Ele e Chester são amigos há muitos anos, então ele sempre se preocupou com bem estar do amigo e compadre. Sim, Chester e Mike são padrinhos de Jimmy, filho de Brad e Dheia, funcionário da Clinica e muito amigo de Lauri.

 

 

Por falar em Lauri, ele já se arrumava para ir a clinica quando recebe uma ligação no seu celular.

-Alo, Aki?

-Amor mudança de planos , você vai ficar em casa.

-E eu posso saber porque?

-Papai Chester deu a ideia, afinal , você chegou hoje, então precisa descansar um pouco , ele me dá uma força aqui.

-Uma força? Uma força pra que?

-Ah você não soube?

-Soube o que? Aki, o que aconteceu?

-Rose, ela não veio trabalhar . Depois soubemos que ela morreu.

-Morreu? Morreu como , Cristo?

-Lauri, a principio ela foi carbonizada dentro do carro.

Lauri toma um choque e senta na cama.

-O que?

-Amor, não sabemos direito, foi o marido dela quem ligou pra tia Dheia.

-Oh meu Deus, eu preciso ir ai, Aki.

-Eu já disse, fique em casa, papai vem pra cá , vamos só dar um apoio moral. Prometo jantar em casa.

Lauri respira fundo.

-Tudo bem. Eu vou ficar por aqui, descansar e ver na internet sobre isso.

-Lauri, não vai ficar em choque. Pelo amor de Deus eu sequer te beijei hoje, não quero ...”aquela coisa” ai quando chegar.

-Aquela coisa está dormindo pesado. Foram três dias muito ocupado.

-Mesmo assim, estou com saudades do meu marido. Por favor?

-Certo, ficarei quieto.

-Obrigado, te amo viu?

-Eu também.

Lauri desliga o celular. E já foi pegar o tablet e ver sobre a noticia . Ele leu tudo que foi dito em todos os noticiários. Cada palavras era uma sensação horrível . Era como se ele sentisse algo em cada detalhe dito naquelas noticias.

-Um estuprador que fazia vitimas aqui perto?- Ele lembra de algo que leu no diário. Foi até a gaveta e pegou o livrinho .

-Ultima pagina , seu poeminha estranho, aqui!

 

“ No caminho pra casa ainda fiz uma moça linda gozar nos meus dedos , não se preocupe , idiota, estava de luvas de couro. Ainda tive que dar jeito num sujeitinho atrevido , que além, que queria me comer ainda me bateu, o filho da puta!”

 

-Bateu?- ele passa  mão no rosto. Lembra que amanheceu com a cabeça dolorida. – Não pode ser! Estou ficando paranoico.

Ele guarda o diário de volta , mas fica ali pensativo. Ouve o barulho da campainha e vai ver quem é.

Mas quando chega a entrada , Julian já o recebe.

-Quem é Julian?

- É Brando , senhor. Trouxe um encomenda de mestre Mike.

Lauri chega perto da porta , Brando o recebe com sorriso.

-Senhor Lauri!- Ele sorri – Bem vindo!

-Obrigado , Julian. O que tem na caixa?

- O de sempre, sais  aromáticos de banho, incenso, chás de todos os sabores.

-Huum... Ah Mike !- Lauri diz pegando a caixa.

-Ele disse que isso é pra o senhor relaxar esses dias.

Lauri fica meio desconcertado.

-Senhor, ele perguntou quando vai vê –lo?

Lauri olha pra Brandon e diz

Quando as coisas se acalmarem Brandon, Diga a ele que o visitarei.

-Sim, senhor, que bom que voltou . Até logo.

-Tchau!- Lauri entra com a caixa e vai pra cozinha. Abre a caixa e começa a tirar as coisas.

-Julian, pegue os chás , faça um de frutas vermelhas pra mim por favor ,leve pro meu quarto, vou levar os sais de banho e ficar um pouco com Oliver.

-Sim senhor Lauri.

Lauri volta pra subir as escadas,  deixa a caixa dentro do closet. Quando ele olha vê as luvas jogadas num canto, Lauri as pega . percebe que ela tem umas mancha estranhas. Ele as leva pra fora do closet. Olha mais um pouco , esfrega os dedos e nota que é sangue.

-O que você fez?- Ele diz olhando as luvas .

Ele vai no banheiro e as molha, a agua turva e vermelha denuncia.

-Sangue? Não!  Não!- Ele diz deixado as luvas sobre a pia. – O sobretudo!!

Lauri corre .

-JULIAN! JULIAN!!- Ele grita e o empregado aparece.

- Sim senhor?

-Cade o sobretudo?

-O que ?

– O sobre tudo ,Julian? Cade a porra do sobretudo?

-Está na lixeira senhor , a ordem é jogar fora as roupas de Amanda quando ele fosse embora!

Lauri vai até a lixeira da casa , revira o lixo e acha a sacola com sobretudo. Ele leva pra dentro e rasga o saco tirando a roupa dali. Ele olha cada detalhe, cada bolso até que vê a mesma mancha em uma das mangas.

-Ai puta que pariu Amandaaa!- ele diz jogando a roupa no chão.

-Senhor Lauri, o que foi?

-Julian...pegue este sobretudo , as botas e essas luvas. Taca fogo. Incinere . 

-Mas como senhor? Onde vou botar fogo em roupas de couro?

Lauri para um pouco pra pensar.

-Desculpe, arrume outro saco , eu vou devolver pra lixeira.

-Deixe que eu faço isso ,senhor. Eu fiz seu chá. Tome –o e acalme –se.

Ele olha pra Julian e resolve atender. Ele vai a cozinha e pega a xicara de chá e sobe. Ele vai ao quarto de Oliver e o vê brincando. Ele senta na beira da caa e fica ali tomando o chá.

 

 

Na clinica Chester e Aki conversam.

-Pai , como está o Pai Mike?

-Ele está bem. Só cansado.

-Ah Pai, Eu fico tão triste com essa nossa vida.

-Aki, eu não queria isso pra você, por que eu mereço passar por tudo isso.

-Pai, ninguém merece ter uma vida assim. Nós os amamos.

- Eu sei meu filho, mas infelizmente, Lauri foi uma vitima da vida insana de tínhamos em casa. Ele perdeu a namorada , perdeu a filha. Foi demais pra ele com tão pouca idade.

-Eu tenho feito o melhor de mim , pai.

-Sim e eu vejo isso.- Chester beija a testa dele.

-Isso tem cura , pai?

Chester se cala. Tem coisas que é melhor ele não saber.

-Com licença. -Diz Dheia

- Entre , tia.- Diz Aki.

-Chester, A noite Rose será velada na capela ecumênica.

-Certo, diga ao marido dela não se preocupar com gastos. O funeral é por conta da clinica.

-Vai ficar pro funeral?

-Hoje não, logo irei pra casa. Quero ficar perto de Mike.

-Entendo. E você Aki?

-Também não tia. Quero ficar com Lauri.

Então eu fico esta noite e amanha vocês vem?- ela diz

-Claro, comadre, eu venho cedo.

-Eu e Lauri também.

-Ok então vou em casa trocar de roupa. Eu cancelei tudo pra esta noite, transferir os partos pra as clinicas de convênios.

-Obrigado comadre.

Ela sai dali e os dois voltam a ficar sozinho.

-Pai?

-Diga, Aki.

-Tem cura ou não tem?

Chester olha pra ele.

-Não Aki, não tem.

Aki respira fundo e abaixa a cabeça.

 

 

Em casa , Lauri sente um cansaço e sonolência. Deixa Oliver brincando e vai pro seu quarto.

-Senhor, Lauri?

-Julian, cuide de Oliver? Eu vou tomar um banho e dormir um pouco, de repente senti um grande cansaço.

-Sim senhor.- Ele diz pegando a xicara da mão de Lauri.

Ele entra no quarto e tira toda a roupa, vai ao banheiro e liga agua pra encher a banheira.  Pega um dos sais aromáticos e joga na agua , fazendo o aroma doce de camomila subir rapidamente.

Nu, ele deita na banheira fica ali relaxando.

-O que você fez , seu urubu desgraçado?- ele resmunga  . mas seus olhos ficam pesados. Lauri relaxa tanto sentindo o cheiro forte da camomila que adormece.

Julian que está perto da porta do quarto percebe um silencio , e devagar , entra no quarto , dirigindo ao banheiro , onde ele vê o patrão dormindo na banheira.

-Vamos lá . – Ele pega um celular no bolso e disca um numero.

- Alo?- diz a voz do outro lado.

-Ele dormiu.

-Otimo, acorde Amanda.

-Certo- Meio receoso Julian começa a sacudir  Lauri. -Amanda? Amanda?

Quando os olhos se abre, as pupilas bem dilatadas, Amanda acorda confuso.

-O que? Que porra é essa?- Ele olha ao redor e vê Julian parado ali.- -Ui, Oi mordomo! Veio me dar um banho, ou veio transar comigo na banheira.

-Nem um nem outro. Eu vim te entregar isso.

Ele olha o telefone na mão dele.

-O que é isso?

-Um celular .

-Oh é mesmo? Enfie no seu cu , seu filho da puta! Ou se quiser posso enfiar meu pau.

-É uma ligação, senhor, pra você.

-Pra mim? – ele diz sentando na banheira.

-Pegue, está esperando na linha.

Ele pega o celular e fala.

-Quem é?- ele diz

-Mas que atrevimento se assanhar pro mordomo de Lauri , Amanda?

-Ah é você? Que foi? Já ta com saudades do meu cu?

-Ainda não, mas estou bem curioso.

-Curioso com que?

-Você matou alguém ontem a noite?

-Acho que sim, querido, sabe eu estava movido pela excitação .

-Serio? Que excitante.

-Excitante? Você achou?

-Claro, jamais imaginei que fosse tão frio assim, já que comigo é tão quente!

-Aahhh não diz isso...eu já fico de pau duro.- ele começa a massagear seu membro.

Olhando pra Julian ali em pé.

-Não ta batendo uma na frente do empregado não é ?

-Que foi ta com ciúmes?

-Sabe que teu corpo é só meu ,Amanda. Você transou com a mulher?

-Não, eu a fiz gozar nos meus dedos.

-Muito bem, espero nem sonhar com você transando com mais ninguém minha putinha. Mas gostei de saber que pode matar , quero mais disso!

Amanda ri .

-Posso fazer isso quantas vezes quiser , baby!

- Eu realmente gostaria muito .Vou desligar , nos vemos em breve meu gatinho...

-Claro!- ele desliga

Ele larga o telefone e começa a se masturbar.

-Me dê a lamina...- ele diz a Julian.

-Vai se cortar? Mas quando senhor Lauri acordar..

-Eu quero que ele se foda, me dá a porra da lamina ou eu quebro seu pescoço.

Julian vai até a gaveta e pega uma lamina e entrega pra ele.

Ele pega  a lamina, e ainda se masturbando ele faz cortes em seu braço, cada corte é um gemido... é um espasmos, ele troca de mão e continua. Ele começa a cantarolar uma musica em alemão.

Ich tu' dir weh,    Tut mir nicht Leid ,   Das tut dir gut,   Hört wie's schreit!

(Eu te machuco, Eu não tenho pena, Isso é bom para você?  Ouça seus gritos!)

 

Amanda a medida que se corta , as coxas os braços, geme e canta este refrão estranho , turvando a agua de vermelho, sendo assistido por Julian.

Até que o orgasmo chega, e ele  soltando a lamina no chão. Afunda na banheira , mas Julian puxa a tampinha do ralo, fazendo a agua escoar.

-Porque não me deixa morrer?- ele diz a Julian.

Mas o empregado não responde , apenas entrega a ele uma pílula botando em sua boca.

-Precisa ir, Amanda.- ele diz vendo manda engolir seco a pílula.

-Que pena Julian , queria muito transar com você. Mas ...pega o diário pra  mim serviçal.- ele diz debochado.

Julian traz o livro, ele senta na banheira e pega caneta e começa a rabiscar.

-O que está escrevendo?

-Um poema, para Lauri...- ele começa a gargalhar , deixando Julian bem confuso.

 

Passou umas horas, Lauri esta deitado na cama, ele acorda com peso na cabeça novamente.

-Ai que dor na cabeça!- ele senta na cama e percebe que está nu, mas se assusta ao ver sangue nos lençóis.

-Mas o que ?- ele diz desesperado olhando seus braços e coxas com cortes.

-O que significa isso...o que significa isso....???- ele olha pra mesinha do lado da cama e vê o diário aberto Ele o pega e lê o que esta escrito.

 

“Eu te machuco, Eu não me desculpo, Isso é bom para você? Ouça seus gritos!

“Você é o barco, eu sou o capitão, Para onde você quer viajar?

Eu vejo o seu rosto no espelho Você me ama, porque eu não te amo”

 

Olá , Lauri....

 

- O que você fez , desgraçado? DESGRAÇADO!!!

-Lauri?- Aki entra no quarto e o vê nu segurando o livro na mão  - Está sangrando?

Lauri olha pra Aki e acaba por desmaiar.


Notas Finais


A musica cantada e recitada por amanda , é da banda alemã, RAMMSTEIN


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...