História Os Poemas de Amanda - Capítulo 3


Escrita por: e spikevh_minoda

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Linkin Park, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Personagens Aki Hakala, Brad Delson, Brandon Flowers, Chester Bennington, Dave Farrell, Joe Hahn, Julian Casablancas, Lauri Ylönen, M. Shadows, Mike Shinoda, Pauli Rantasalmi, Rob Bourdon, Serj Tankian, Synyster Gates, The Rev
Tags A7x, Bennoda, Brandon Flowers, Chester Bennington, Julian Casablancas, Lauri Ylonen, Linkin Park, Mike Shinoda, Serj Tankian, The Killers, The Rasmus, The Strokes
Visualizações 21
Palavras 5.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lauri e Mike finalmente se encontram , chega o então detetive e Jimmy Delson tem uma aventura em tanto!!

Capítulo 3 - Poison Heart


Fanfic / Fanfiction Os Poemas de Amanda - Capítulo 3 - Poison Heart

 

 

Na delegacia , Brad encontra Dave.

-Ei Brad , já veio trabalhar?

-Não, vim fardado por que tenho fetiche pela farda, idiota. Claro, afinal , minha folga foi pro brejo mesmo. Daqui a pouco , vamos pra capela da Clinica , Dave. Rose será velada lá.

-Certo meu amigo. Mas Brad , vem aqui, deixa eu te falar uma coisa.

Dave leva Brad até um canto do corredor.

-Que foi?

-Lembra que eu te falei da nova legista que ta afim de mim?

-Sei, da doida que pensa que tu é inteligente?

-Brad, caralho to falando serio. Eu fui lá com ela , saber mais sobre a morte da doutora.

-O que descobriu?

-Brad, o corpo da doutora não foi queimado junto com carro.

-Como assim?

-A primeira vista o carro já estava quase destruído quando jogaram o corpo dela dentro. E do cara .

-Como ela afirma?

-Ela me disse que o corte na garganta estava ressecado, ou seja, ela já tinha sangrado o suficiente.

-Droga Dave, queria se livrar das provas!

-Isso que pensei. Mas se ele queria se livrar das provas, devia ter queimado tudo de uma vez.

-Pois, as vezes você até pensa , meu amigo.

-Ei! Brad! Dave! Que bom ver vocês. – Era o delegado Matt Shadows. – Precisarei dos dois mais que nunca daqui pra frente.

-E pra que?- pergunta Brad.

-A delegacia Geral me Ligou, virá um detetive daqui a uns dias cuida desse caso escroto.

-Aqui pro bairro?- Diz Dave.

-Sim, de acordo com as primeiras impressões. Viram o carro próximo ao condomínio Black Roses.

-Ai , céus.

-Pois é Brad por isso pensei em você. Afinal seu amigos moram ali perto.

-Obrigado , delegado por me deixar fazer ronda ali.

-Não é só isso, você e Dave serão os guias do detetive.

-Guia porque ? Ele é cego?- Diz Dave.

-Eu vou ignorar isso.  Brad, você conhece o bairro melhor que ninguém.

-Sim , senhor . eu ajudo ele . Quem é ele?

-Ele é direto de Los Angeles, o melhor, vem resolver isso . Aqui a pasta dele , pra vocês terem uma ideia do cara.

Ele entrega um envelope com uns papeis, depois volta pra dentro do DP.

-Mostra a cara dele ae ,Brad.

Brad tira um dos papeis, e ver a foto dele.

-Caralho que cara feio. – Diz Dave.

-Serj? Tankian?- Diz Brad

-Cara feio, nome feio.- Diz Dave rindo

 

 

 

Lauri abre os olhos assustado. Percebe  bandagens em seus braços e coxas.

-Oh meu Deus!- ele fala baixo.

-Bem vindo de volta!- ele ouve uma voz vinda de perto da cama.

-Pai?- ele olha pra Chester sentado numa cadeira perto dele.

-Como vai, meu filho?

-Porque está aqui?

-Aki me ligou agitado, disse que te viu sangrando, vim o mais rápido que pude . Cuidei de seus cortes.

Ele olha de novo as bandejes. Põe as mãos no rosto.

-Calma ,Lauri, agora eles estão limpos. Mas me diga, porque está se machucando?

Ele olha pra Chester, mesmo sabendo que Chester passa pela mesma situação há anos, Lauri não consegue se abrir diretamente pra ele.

-Como sempre né filho. Nunca fala. Por causa disso , veja o que fez.

-Eu não me corto, pai. Nunca fiz isso.

-Então , quem foi,Lauri? Amanda?

Lauri o encara.

-Amanda? Ele não estava dormindo ?

-Não sei, pai. Acho que ele deve ter acordado.

-Só pra te cortar?- Diz Chester

-NÃO SEI! – Lauri grita sentado na cama, chorando.

-Tudo bem, tudo bem.- Chester o abraça.- Esta tudo bem agora meu filho.

-Não sei o que aconteceu, pai. Eu vim tomar um banho , pra dormir um pouco, estava cansado.

-Ele se aproveitou do seu cansaço.

-Não posso mais dormir ? É isso?- Diz Lauri

-Foi só isso que ele fez? Não saiu de casa? – Diz Chester.

-Até onde vi não.

-Certo. Eu preciso ir, vou chamar Aki.

-Obrigado pai!- diz

Chester o beija na testa e sai do quarto

-Aki Lauri esta acordado e bem.

-Ai pai, que bom. Eu já estava desesperado.

Chester anda até o fim do corredor. Ele olha Julian na sala.

-Aki, onde estava Julian quando você chegou?

-Com Oliver no quarto. Porque?

-Nada, Lauri estava sozinho, ele me disse que foi tomar banho . Como ele dormiu debaixo do chuveiro?

Aki olha confuso pra Chester.

-Aki, não deixe mais Lauri sozinho.

-Mas pai, Julian estava aqui, ele disse que Lauri falou em banho e dormir. Ele viu silencio no quarto.

-Sei...- Chester suspira. – Eu já vou. Cuidem se.

Aki beija Chester e ele vai embora. Ele volta pro quarto e Lauri está se olhando no espelho. Quando ver Aki entrando ele fecha o roupão.

-Vi você nu, ajudei papai a fazer as bandagens.- Aki diz o abraçando por tras.

-Meu corpo está cheio de marcas. Arranhões , mordidas, chupadas...ah Cristo! Eles fazem de proposito.

-Amor, eu não me importo. Só quero que você, LAURI  esteja comigo , sempre.

Lauri vira ficando de frente pro marido . Toca o rosto dele.

-Eu te amo ,Aki. Saiba sempre disso. Não importa o que aconteça.

-Eu sinto isso,Lauri , agora eu sinto.- Diz Aki beijando Lauri com muita paixão.

 Aki diz isso, pois quando conheceu Lauri , se apaixonou perdidamente, depois soube que Lauri sentia atração por Eero , seu irmão. Mas Eero fez algo ruim a Lauri, fazendo desgostar completamente. Nisso depois de muita confusão, Lauri decidiu ficar e casar com Aki. Talvez o amor tenha vindo com tempo.

Lauri leva Aki até a cama onde o deita sobre seu corpo.

-Lauri?- Diz Aki olhando em seus olhos.

-Sou eu, Aki, e quero te sentir meu amor. Quero sentir teu amor em meu corpo. Dentro de mim.- Ele fala tirando a blusa de Aki , depois o agarra beijando seu pescoço.

-Ah LAuri, que saudades dos teus beijos...- ele diz

Ele se tocam , LAuri tira a calça de Aki, ambos estão excitados, Lauri desce sua boca pelo peito de Aki o fazendo arrepiar.

-Aaaiii Lauri, sua boca é suave , amo sentir ela no meu corpo.

Lauri continua até alcançar o pau de Aki já molhado de sua rigidez, ele o chupa devagar , sentido o gosto salgado, fazendo Aki tremer as coxas .

-Iiisssooo...- Aki diz quase que impulsivamente segurando e puxando os curtos cabelos pretos de Lauri , que torna mais intensas as chupadas.

Sabendo que ia gozar na boca do marido, Aki tira e pega o lubrificante na gaveta do seu lado da cama. Prepara tudo , deita fazendo Lauri  montar sobre ele.

-Faça meu amor, goze do seu jeito.- Diz Aki , penetrando devagar . Lauri arfa fechando os olhos.- Sem pressa, Lauri, sem pressa!

Lauri faz os movimentos lentos.  O sexo com Aki é assim, sem pressa, sem as agonias do sexo selvagem entre Amanda e Jason, ali com Aki o prazer sentindo ao poucos é mais gostoso.

-Aaah Aki, que delicia...—Ele diz segurando pelos joelhos do marido, rebolando , tendo Aki massageando seu membro com a mesma harmonia das reboladas.

Aki passa sua mão livre pelo peito do marido, ignorando as marcas dos arranhões e das mordidas cicatrizadas pelo tempo , mostrando o quão agressivo Jason é na hora do sexo.

-Lauri meu amor...- ele diz suspirando

-Aki...Mais fundo...- Lauri não acelera mas seu rebola fazendo a penetração mais funda, sentindo atingir sua próstata, aumentado o prazer . Aki Vai nos movimentos dele.

Eles ficam nesse ritmo , Lauri e Aki sentindo uma ao outro, com movimentos curtos , LAuri sente vir o orgasmo, gemendo baixo e os esparmos de Aki contribuindo pra que ambos gozem juntos.

Ele deita sobre o peito de Aki, estão ofegantes, mas satisfeitos.

-Aki...me desculpe..

-Esquece ,Lauri,somos só nós dois aqui, isso que importa.

Eles sorriem e se beijam.

 

 

Na casa de Chester também havia sexo...mas não tão suave assim.

Mike montado sobre Chester , os movimentos mais intensos e rápidos.

-Ai, Assim, adoro seu sexo quente ,Chazzy...- Ele fala segurando os ombros do marido.

-Mike...ai Mike, assim eu não aguento...assim eu..não aguento...- Ele fala segurando o quadril de Mike o fazendo subir e descer frenético.

Suados , o bater dos corpos faz o barulho alto misturados as frases  e gemidos.

-Ah Chazzy mete com força, que delicia!! – Essas palavras faziam Chester empurrar com mais força o corpo de Mike contra o seu.

-Vou gozar ...Ai Mike!!- Ele diz alto . Fazendo o impulso , gozando forte dentro de Mike , que sorri  beijando –o na boca.

Mike estava no banheiro , enquanto Chester terminava de vestir seu pijama. Ele vê o casaco que Mike usava mais cedo. Olha pra porta do banheiro , resolve pegar  casaco e começa a mexer nos bolsos, até achar o pedaço de papel. Ele abre e reconhece a pagina do diário de Jason.

“ Sabe como me chamar  meu gatinho. Foram três dias de muitas gozadas gostosas..   De seu: AMANDA!”

Chester fica curioso com essa frase. Ao mesmo tempo temeroso com algumas coisas.

-Acho o que procurava?- Diz Mike atrás dele.

Ele vira cabeça devagar, olhando o marido nu enxugando os cabelos.

-Porque guardas bilhetes de Amanda?- ele diz mostrando o bilhete.

-Ele deixa bilhetes pra Jason, eu os pego leio e jogo fora.

-Mesmo? Este não estava no lixo!

-Eu nem lembrava desse bilhete, Chazzy. Porque quer começar uma briga por causa disso? – Diz Mike abraçando-o . – Acabamos de matar saudades um do outro.

Chester o beija. Enrola o bilhete e o come.

-Porque fez isso?- Ele diz rindo .

-Pra ter certeza que não verei de novo.- diz Chester sentando na cama.- Vamos deitar, estou exausto e cedo vamos ao funeral de Rose, Dheia e Brad vão passar a noite toda lá.

- Certo , vou acender um incenso.- Diz Mike se dirigindo a uma mesinha.

-Pelo amor de Deus ,Mike, não, esse negocio fede!- Diz Chester botando o travesseiro no rosto.

-Está carregado de energias negativa , senhor Bennington. – Mike diz acendendo um. – Precisa de purificação no ambiente.

-Eu preciso dormir amor, venha , deite aqui comigo.- ele chama Mike , que tira o roupão.

-Porque ta nu? Não pensa em um segundo round não né?- diz Chester.

-E porque não? – Ele o beija.

Mas o celular de Chester toca , eles se separam.

-Porque não desligou ,Chazzy?

-Lauri teve problema, pedi pra Aki me ligar caso ele piorasse.- Ele olha no visor, reconhece o numero e rejeita a ligação.

-Quem era?- Diz Mike

-Engano. – Chester diz ,mas o celular toca de novo. Ele rejeita mais uma vez.

-Porque esta rejeitando a chamada?

-Porque não sei quem é . – ele diz desligando o celular.- Vamos dormir!

-Não é nenhuma das putas rampeira daquele  prostibulo de merda que você vai quando Jason está aqui , não é Chester?- diz Mike com braços cruzados.

Chester o encara e sorri.

-Nossa! “Prostibulo de Merda”? “Puta  rampeira”? Que palavras são essa ,Mike Shinoda? Elas são muito a cara de Jason.

Mike arregala os olhos e relaxa os braços.

-Será que é Mike que está aqui ,mesmo?- Diz Chester

-Claro que é meu amor. Apenas fiz uma ceninha de ciúme. Desculpe.

Eles se abraçam.

-Vamos dormir meu bem. – Diz Chester desligando a luz do abajur.                   

 

 

No funeral de Rose, Brad recebe uma ligação do delegado.

-Brad, o detetive chegou, preciso de você e o dave aqui.

-Senhor , eu estou acompanhando minha esposa  num funeral.

-Brad sinto , cara vem logo.

Brad desliga.

-Que foi Brad?- pergunta Dheia

-Chegou a porra do detetive, tenho  que ser babá dele!

-Ta amor, vai, Chester e Mike estão vindo ali.

-Bom deixe eu ir. Vamos Dave.

Ele saem dali . Brad cumprimenta ,Chester e Mike . dheia se aproxima.

-Olá meu compadre Mike?- Ela sorri.- Seja bem vindo de volta

Eles se abraçam.

-Dheia sabe de Aki?- pergunta Chester

-Veja estão vindo ae.- ela aponta pra entrada da capela

Lauri vinha de mãos dadas com Aki. Quando ele ver Mike , para e aperta a mão do marido.

-Lauri, que foi amor?

-É Mike...ah Aki, eu estou muito envergonhado.- Ele diz virando de costa.

-Lauri , não fica assim. Vamos falar com eles.

-Ainda não estou preparado pra encarar Mike, Aki. Eu vou pra clinica, vou ficar no consultório. Dê os pêsames a família de Rose por mim.

Lauri sai as pressas da capela. Chester e Mike se olham.

 

No consultório, Lauri esta sentado no sofá olhando pro nada. Então batem na porta.

-Entre...- Diz Lauri

-Ei  Lauri.- É jimmy Delson.

-Jimmy! – Lauri levanta e o abraça.

-Que bom que voltou cara, eu fico muito preocupado quando esse Amanda ta na área.

Jimmy é filho de Brad e Dheia. Ele conheceu Lauri ainda jovem, desde então se tornaram muito amigos. Jimmy foi o primeiro a ter contato direto com Amanda.

-Ah Jimmy , Amanda está ficando incontrolável...

-Eu percebo, antes era uma vez ou outra, agora quase toda semana e pior, ficam muitos dias.

-Nem fale! Veja isso!- ele mostra as bandagens.

-O que é isso?

-Ele me machucou ontem a noite.

-Amanda? Mas ...ele já não..

-Sei, mas ele acordou só pra me machucar.

-Será que ele queria ficar mais tempo?

-Não sei Jimmy, estou preocupado com a segurança de Aki e Oliver.

-Segurança?- Diz Jimmy

-Jimmy, acho que Amanda tem algo a ver com a morte da doutora Rose.

-Eita, perai, Lauri ! Mas porque? Acha que ele...

-Não sei, olha, achei umas manchas estranhas na roupa dele.

-Puta que pariu ,Lauri e agora.?

-Agora? Eu realmente queria saber porque ele mataria a doutora.

Jimmy dar os ombros e fica ali olhando o amigo que está com ar de preocupado.

-Lauri, se Amanda tem algo a ver com isso, a policia, ou seja, meu pai, vai chegar até você.

Lauri morde a ponta do dedo polegar.

-Vai usar tornozeleira novamente?

-Minha preocupação é outra Jimmy...eu ir parar no hospício.

-Ai caralho...- Diz Jimmy.

 

. Passou os dias . Lauri estava em casa brincando com Oliver.

-Papai, você não vai viajar esses dias né? - ele diz brincando com um carrinho.

-Não meu amor,  Eu realmente espero não viajar mais por um longo tempo.-Lauri fala passando as mãos em seus cabelos.

Viajar para Oliver são as ausências de Lauri quando Amanda esta presente.

-Senhor Lauri?

-Sim Julian?

-Mestre Chester no telefone.

Ele pega o aparelho.

-Pai?

-Lauri. Onde está Aki?

-Na clínica ainda . Logo ele chega. Porque?

- É que vamos passear no shopping, estava pensando em levar Oliver.

-Sim, pai.  Que horas vem pega-lo?

-Lá pelas sete. Pode dizer a Aki que ele vai dormir aqui em casa?

-Sim pai , vou arrumar a mochila dele.

-Lauri?

-Diga...

-Mike quer falar com você.

Lauri engole seco.

-Pai...

-Lauri faz dias que ele não fala com você. Pelo menos por telefone?

-Tudo bem, pai.

Chester passa o telefone pra Mike.

-Lauri?

Lauri não consegue falar . Ele fica apenas ouvindo.

-Estou esperando sua visita. Lembre-se Lauri... Não é culpa sua. Nada é culpa sua.

-Mike....-Ele tenta falar.

-Você é forte querido. Eu sei que você pode mais que isso. Beijos.

Mike desliga. Lauri ainda fica ali parado.

-Senhor Lauri?-pergunta Julian. Lauri olha pra ele.

-Julian...pega a mochilinha de Oliver e ligue pra Aki, sim?

-Sim senhor.

Julian sai do quarto.

-Oliver. Vai dormir na casa dos vovôs.

-Serio pai? Adoro ir pra casa dos vovôs!

-Sim, eles amam muito você.

-Sim , vô Mike e vo Chester.

Lauri ri , Julian ve com a mochila.

-Obrigado, Julian , prepare um chá daqueles pra mim? De flor de maracujá. Quero esperar Aki pra jantar.

-Sim ...

Julian sai dali. Lauri então arruma as roupinhas de Oliver.

 

Na delgacia, Brad chega acompanhado de Dave.

- Ai Brad, o novo detetive ja está acomodado numa sala.

-Que bom. Mas Dave , ja viu ele?

-Rapaz o cara parece um poste e tem uma cara engraçada.

-Vindo de você , Dave, nem consigo imaginar o engraçado.

-Delson!!-Chama o delegado.

Ele vai ate o delegado Matt, que o leva a sala do detetive.

-Detetive, este é o policial Delson. Ele vai auxiliar você.

-Obrigado delegado.-O homem olha Brad por cima dos oculos pretos.

-Policial...Delson?

-Sim senhor e este é meus parceiro, Farrel.

-Sou Serj Tankian. E Delson? Eu ja vi esse nome.

Brad e Dave se olham. Tankian mexe nos papeis espalhados na mesa.

-Delson... achei aqui na ficha da Rose Smith que ela trabalhava numa clínica.  E tem uma Andreia Delson  e Jimmy Delson na lista dos funcionários desta Clinica. Conhecida sua?

Brad respira fundo.

-Sim detetive . Andreia Delson é minha esposa e Jimmy Delson é meu filho.

-Serio? Olha que interessante!- Serj anota umas coisas . -Então conhecia a doutora Rose Smith?

-Senhor...eu só falo perante meu advogado.

Serj ri do que ele disse.

-Esperto Senhor Delson. Gosto de gente assim. Vou gostar de trabalhar com você.

Brad revira os olhos e balança a cabeça.

 

À noite,  Lauri e Aki estão em casa esperando Chester buscar Oliver .

-O jantar estava ótimo.  - diz Aki.

-Julian é um otimo cozinheiro.  -Lauri diz acendendo um incenso.

-Amor , gosto do cheiro dessas coisas que pai Mike deu a você.

-Eu também , da uma sensação de paz e tranquilidade.

Lauri senta e abraça Aki.

-Ja que Oliver não vai estar aqui. O que pensa em fazer ?-Diz Lauri.

-Estava pensando e maratonar alguma serie.

-Huum é bom! Vou fazer pipoca. Farei uns chás e ficaremos agarradinho na cama.-Diz Lauri

-O chá não, amor. Eu prefiro café.

-Ta ... eu faço café.  -Lauri o beija. Quando toca a campainha.

Julian atende a porta.

-Senhores Mestre Chester.

Eles levantam e Oliver corre ao encontro do avô.

-Vovô! !

-E ae garotao?- Ele o abraça.-Vamos passear?

-Tomar sorvete?

-Sim.

-Assisti filme ?

-Sim! Depois dormir na casa do vovô?

-Eu quero! !!-Diz Oliver empolgado.

Lauri e Aki ri.

-Divirtam pai. E Oliver , obedeça o vovô.

-Pode deixar , Aki. Oliver é uma terapia para Mike.

Lauri olha pra Chester .

-Ele veio com você?

-Sim, esta no carro. Quer falar com ele?

Lauri olha pra Aki.

-Vai lá Lauri.

Lauri ajeita o cabelo. E olha pela janela. Mike esta olhando pra frente.

Ele sai da casa , segue devagar.  Mike o vê e resolve sair do carro.

-Lauri?

-Mike?

Lauri corre e o abraça.

-Lauri meu querido. -Ele beija a testa do rapaz.

-Mike... que bom que voltou.

Lauri sempre recebeu Mike com um caloroso abraço. É o único a recebe-lo assim.

-Por que me evita tanto , Lauri?

-Não estou conseguindo mais te olhar....de uns tempos pra cá ...Amanda..

-Não! Não fale dele. Deixe ele quieto.  Ja falei, querido. Você não tem culpa.

Lauri o abraça, no seu ouvido ele diz.

-Eu te amo.

Mike sorri ao ouvir aquilo.

-Eu sei querido....eu sei...

 

 

 

Na casa dia Delson.  Dheia lava a louça do jantar.

-Quer dizer que a primeira coisa que o tal detetive disse foi sobre eu e Jimmy?

-Foi amor. Eu estou bem preocupado.- Diz Brad

-Com quê?  Não sabemos de nada e temos porque saber. -Diz ela

-Só que, se ele for mais fundo, pode saber sobre outras coisas...

-Outras coisas.?

-Dheia , ele pode chegar a Eero e Mike e Lauri e Chester.

-Verdade. Mas acho dificil. Pois Mike já cumpriu pena, Lauri já é cidadão americano.

-É mas sobre Jason e Amanda? Afinal, você trata Lauri e Mike.

Dheia fica pensativa. Jimmy aparece na porta.

-Ei mãe , pai, vou sair com uns amigos.

-Onde vai , Jimmy?- Diz Dheia.

-Vamos dar um role mãe .

-Jimmy, volte cedo, ou vou te buscar onde estiver.- Diz Brad

-Ah pai já tenho 25 anos e sou independente, sei me cuidar.

-Jimmy, Rose morreu, tem um doido a solta por ai.- Diz Dheia.

-Relaxa mãe, eu vou ficar bem.

Ele beija os pais e sai.

-Brad..- diz Dheia

-Eu vou busca-lo, ele só precisa manter o celular ligado.

 

 

Lauri e Aki se arrumam pra assistir as series que escolheram. Lauri acende seu incenso, e põe um pijama de seda.

-Adoro meu marido assim, relaxado.- Diz Aki beijando – o.

-Só quero descansar , Aki. Ficar bem juntinho de você. – Lauri diz. Julian bate na porta.

-Senhores, com licença. Trouxe o chá, o café e a pipoca.- Ele entra com uma bandeja.

-Obrigado ,Julian. Pode ir se deitar, desligue o telefone. Não estamos pra ninguém.- Diz Aki.

-Sim senhor. – Julian sai do quarto.

Lauri toma um gole do chá e Aki do café. Ele deitam e ligam a TV, se deitam bem agarrados.

 

 

Mas , antes de terminar a maratona, ambos já estão dormindo, Aki chega a ronca de tão pesado o sono. Lauri encostado de lado também dorme. Mas começa uns espasmos e com um forte suspiro, Amanda acorda e suas pupilas dilatadas , olha pro lado e vê Aki dormindo. Ele pega o braço de Aki e sacode. Ele sequer se mexe.

-Belo adormecido.- Amanda levanta , olha as xicaras vazia na mesinha.

Ele olha ao redor e resolve sair do quarto. Desce as escadas devagar e vê Julian na cozinha.

-Senhor  Lauri?- Julian diz

-Não seu tapado. Onde estão minhas roupas?

-Ah, senhor Amanda. Eu vou pegar.

-Adoro sua bajulação. – Ele segue o empregado que entrega um sobretudo de camurça forrado de cetin vermelho, botas e luvas .

Ele se veste na frente do empregado , sem nenhuma vergonha.

-Onde estão minha penas?- ele diz

Julian entrega penas pretas com pequenas pedrinhas azuis.

-Que linda , seu viado. – ele diz admirando o enfeite.

Julian sorri envergonhado.

-Ligo pra ele? – Julian pergunta.

-Não precisa, eu sei o que ele quer.- Amanda sai dali da casa pelos fundo.

-Se o senhor Aki acordar?

-Manda ele se foder!- Amanda diz rindo.

 

Enquanto caminha, Amanda cantarola uma musica em inglês dos Ramones:

 

“Well, I just want to walk right out of this world,

'Cause everybody has a poison heart.

I just want to walk right out of this world,

'Cause everybody has a poison heart,!”

 

Ele percebe que um homem parado com carro ligado e a porta aberta, ele vê que o homem está no celular. Ele se aproxima devagar , o homem distraido falando ao telefone , Amanda chega mais perto .

-Ei!- Ele diz . quando o homem põe a cabeça pra fora, Amanda fecha a porta no rosto dele o fazendo desmaiar. O tira do banco do motorista , jogando no chão. Senta e fecha a porta.

Ele percebe o celular no chão e o pega.

-Alo?

-ED?

-Desculpe querida ele não pode falar agora. – Ele joga o celular pela janela. E dirige o carro.

 

No caminha ele continua sua cantoria dirigindo a quase 100km

“Well, I just want to walk right out of this world,

'Cause everybody has a poison heart.

I just want to walk right out of this world,

'Cause everybody has a poison heart,”

 

Ele dirige e ver um pacote no banco do lado , resolve parar e abrir, quando ver umas notas de cem e drogas de todos os tipos.

-Ed, seu menino malvado!- ele gargalha alto. Ele volta a dirigir, até que forçado  a parar no sinal , ele vê Jimmy com duas moças.

Ele buzina, chamando a atenção dele.

-Ei Jimmy Delson!

-Lauri? – ele diz . Mas Amanda diz

-Não idiota, vem , entra aqui , vamos nos divertir!- Ele Chama Jimmy

Jimmy olha pros lados  e vai até o carro com as duas moças.

-Ola queridas , tudo bem?- Amanda diz com sorriso largo.

-Ah claro , tinha que ser você Amanda.- Diz Jimmy entrando no carro.

-Ah...estou bem , Jimmy Delson- Diz Amanda rindo

O sinal abre e Amanda acelera.

-Uuuuuuuhhhh- Ele grita.

-De quem é esse carro?- Diz Jimmy se segurando.

-É do Ed.- Diz Amanda olhando as meninas pelo retrovisor.

-Quem é Ed?

-Não sei. – Ele diz rindo

-Como não sabe? Voce roubou esse carro?

Amanda ri alto.

-Ta ficando doido , porra? Roubou um carro desse?

-Se eu estou ficando doido, é porque sua mãe é incompetente. Afinal, Lauri bundão se trata com ela, não é?- Ele diz fazendo zig zag na rua cheia de carros.

-PARA CARALHO>- grita Jimmy

-AAAHH JIMMY QUEM SEU AMIGO MALUCO? – Diz uma delas.

-Já respondeu querida...- diz Amanda entrando na contra mão.- Sou o amigo maluco dele!!!

Amanda dirige em direção aum caminhão vindo.

-AMANDAAAA< VAI MATAR A GENTE PORRA!!- grita Jimmy.

Amanda gargalha e quando o caminhão chega bem perto ele volta a pista certa. Ele olha Jimmy que faz uma cara de pavor.

-Ei Jimmy Delson? Ainda tem cu , seu filho da puta? – Ele diz rindo

-Amanda!! Eu  te odeio!!

-Entra na fila caralho!!  Ei quem são sua amigas? – Ele pergunta olhando pra tras.

-Olha a pista filho do cão!- Diz Jimmy.

-Eu sou a Tiffany.- Diz uma loira.

-Eu sou a Hyna- Diz a morena- Quem é você

-Meu nome é Amanda gatinhas!  Eu sou amigo de Jimmy Delson!

Elas gargalham.  Ele continua dirigindo. Até que ele chega em um ponto da via  e para o carro.

-Ei Jimmy Delson, Ed é um cara e tanto. Veja.

Ele mostra a sacola com drogas. Jimmy arregala os olhos.

-Onde achou isso Amanda?

-Estava no carro. – Ele pega uma pílula.- Quer?

-Não. Nem sabe o que é isso?

-Sei, e sei pra que ela serve, Jimmy. Ela estimula o prazer. É a droga do sexo.

As meninas atrás ficam eufóricas.

-Eu quero! –Diz uma

-Eu também!!- Diz a outra

Amanda da uma pílula pra cada uma. Ele põe uma na sua língua.

-Não toma isso Lauri!- Jimmy

Amanda olha pra ele serio.

-Se me chamar de Lauri de novo, eu te mato!

Jimmy apenas o olha. Amanda chega perto dele e oferece a que está em sua língua. Mas Jimmy vira o rosto.

Ele ri e engole a pílula.

-Dirige!- Ele fala.

-Porque?

-Logo a droga vai fazer efeito, vou ficar desorientado e muito excitado. Posso te fazer me chupar.

-Cala boca Amanda!

-Eu vou pro banco de tras comer suas amiguinhas.- Ele diz  - Dirige até a ponte Cave.

Amanda abre o sobre tudo e vai pro banco de tras. Jimmy vai pro volante e pelo retrovisor vê os três se beijando

Jimmy liga o carro e dirige até chegar na Ponte. Durante o trajeto, ele olha no retrovisor e vê as duas chupando o pau dele. Ele delira arfando e falando.

-Ah caralho! Que bocas gostosas! –Ele diz com os olhos fechados.

Jimmy fica bem preocupado. Apesar de tudo era Lauri ali, onde está Aki? Ele pensou em ligar pro pai, mas se ele for preso? LAuri ser preso?

-Droga Amanda!

-Que foi Jimmy Delson. Depois você me come!- Ele diz do banco de tras.

Jimmy olha a sacolinhas com as pílulas, ele observa bem. Resolve pegar uma .

-Isso, Jimmy.- Diz Amanda. – Tome e vem aqui pra tras.

Jimmy então engole a pílula no seco.

 

Já na ponte , o carro sacudia freneticamente. Jimmy transava com a Loira no carro . Enquanto  Amanda transava com a morena em cima do capô do carro.

-Ai caralho!- Diz Amanda.- Mas é gostosa da porra!

-Gostoso é esse teu pau , me fode!- Diz Hyna

Amanda mete com força, os gritos dos dois ecoa pela ponte vazia.  Ele olha Jimmy , com a Loira mantada por cima, cavagando loucamnete .

-Isso Jimmy!- Ele diz o tempo todo.

Amanda está quase gozando , quando segura o pescoço da Morena.

-Diz meu nome, Hyna. Goza me chamando!- ele diz

-Amanda!- Ele fala – Aiin Amanda!

Ele começa a apertar o pescoço dela. Sobre o efeito da droga , ele quase não reage. Amanda aperta com mais força e mais força. Ela ainda tentar segurar o braço dele mas não impede de sufoca-la fazendo Amanda gozar gritando de tesão.

Depois ele vê que Jimmy não acabou , pega a morena e a deita no chão. Com movimento rápido ele vira sua cabeça , quebrando seu pescoço.

-Boa noite neném! – Ele diz levantando. Quando ele percebe , a loira sai do carro nua.

-Ai não aguento mais.

-O que foi, mulher?- Pergunta amanda

-Ele não goza , puta que pariu, to quebrada.

-Ele ta doidão sua idiota . Como quer que ele goze?- Ele diz

-Cade a Hyna?- Ela pergunta

-Está dormindo! –Diz Amanda

Ela vai até a amiga e começa a sacudir pra ela acordar.

-Hyna, Hyna ! Acorda vamos embora!- Ela diz .

Amanda olha Jimmy no carro. Ele ainda está com ereção e olhando pra ele.

-O que ela tem? – Diz a mulher pegando no braço dele.

-Ela está drogada , sua puta!- Ele diz

-Não , ele não ta respirando!  O que você fez?- Ele diz sacudindo.

-Me solta vadia do caralho! – ele diz

-O QUE FEZ COM MINHA AMIGA?- ELA GRITA, FAZENDO AMANDA PERDER A PACIENCIA.

- O mesmo que vou fazer com você.- Ele a agarra . E com força , vira sua cabeça quebrando seu pescoço. Jogando ela inerte sobre o corpo da outra no chão.

Tonto ele se encosta no carro, mas ouve o abri da porta do mesmo. Jimmy sai cambaleante e de pau duro. Sem dizer uma palavra ele se aproxima de Amanda.

-  Ei Jimmy Delson? O que você quer? – Ele diz sorrindo.

-Lauri.- Diz Jimmy o puxando para um beijo. Que se intensifica. Jimmy o vira inclinado sobre o capô.

-Você me quer não é Jimmy?- Diz Amanda em tom brando como Lauri fala.

-Quero você, Lauri.- Ele diz beijando o pescoço e os ombros de Amanda.

-Então me tem Jimmy!- Ele diz. Sem nenhum tipo de lubrificação, Jimmy  o penetra fazendo gritar .

-AAAhh assim tu me arromba caralho. – Ele diz

Jimmy da estocadas curtas e fortes , cada impulso era um gemido alto de Amanda.

-Isso... me come Jimmy Delson, eu sei que você sempre quis comer o Lauri. – Ele fala sendo jogado pra frente. Jimmy agarra os cabelos negros , arrancando algumas penas.

-Lauri...Aah Lauri!!- Jimmy diz apenas isso.

-Me come, Jimmy!- Amanda diz – me arromba gostoso.

Jimmy acelera e com mais força , Amanda grita palavrões. Jimmy goza, e cai sobre Amanda. Ele  olha Jimmy desmaiado, revira os olhos e diz.

-Hora de ir pra casa.

 

 

Aki acorda , já está quase amanhecendo. Ele vira e não vê Lauri. Resolve ir no banheiro. Ele abra a porta e liga a luz dando de cara com algo escrito com lápis de olho no espelho.

 

“Ninguém pensou que este sobreviveria

Criança infelizes, sempre a um passo atrás

Prendo-te em um sonho, e nunca a deixarei escapar

Nunca te deixarei gargalhar ou sorrir, você não.

 

Eu só quero ir embora deste mundo

Pois todos têm um coração envenenado”

-Mas o que é isso?- Ele diz .

Aki vira o rosto e olha pra banheira. Nela , Lauri dorme profundamente , ainda trajado de Amanda.

-LAURI!! NÃÃÃÃÃO!!!- Aki grita .


Notas Finais


Poison Heart- Musica do grupo de punk Rock norte americana Ramones. Do album Mondo Bizarro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...