1. Spirit Fanfics >
  2. Os primeiros encontros - Alvitz >
  3. Sem notícias

História Os primeiros encontros - Alvitz - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo reeditado, porém inclui uma cena que não havia anteriormente
De partir o coração trazendo um pouquinho de sofrência e quem nunca sofrendo já não deu um pt na vida.

Capítulo 10 - Sem notícias


- No dia seguinte fomos levar os gêmeos para a casa da mãe, despedi deles dando um beijo e dizendo que em breve os encontraria de novo.

            - Eu acordei um pouco triste, com o coração apertado voltando para a casa com o Álvaro em silêncio, sentindo uma sensação de que algo ruim iria acontecer, mais estava tudo bem não tinha com o que eu preocupar. Talvez uma preocupação boba, insegurança de deixar o Álvaro sozinho e ir para Basauri.

            - O dia foi sendo de despedida sugeri para Itz que pudéssemos curtir passando o dia fora de casa, primeiro parei em um restaurante de massas para almoçar e em seguida, preparei uma surpresa, carinho estou te levando no mirante onde foi a primeira noite que passamos juntos, lembra?

-  Como não lembrar Álvaro?! Lembro de cada detalhe, Pedro sugerindo o local, Alba armando para nos deixar vim até aqui sozinhos, lembra do guarda nos dando flagrante dentro do carro pedindo para nós dois namorar em casa hahah!

- Itz venha, sentamo-nos em uma pedra tiramos algumas fotos, inclusive uma self eu a abraçava ela por trás, a deixando a minha frente.

 

- Carinho, a foto ficou linda, vou colocar em um porta retrato!

            Permanecemos abraçados, nos beijando como dois namorados com ele me dando muito carinho! Passando as mãos em meu cabelo, dando beijos em meu rosto e eu retribuindo. Dada umas duas horas tivemos que despedir daquela paisagem e lugar mágico.

            Passamos em uma padaria, fomos comprar umas tortas doces, salgadas, uns pães para fazer um lanche mais tarde, chegando em casa terminaria de ajeitar minha mala, mochila, deixaria tudo pronto, agora só ir para o banho e ter mais tempo com o Álvaro.

            Após meu banho ele entrou no quarto me dando um beijo muito apaixonado! Em seguida, eu acabei deitando-me na cama ficando apenas de pijama tipo seda com short mais curtinho, uma blusinha de alcinha que era mais soltinho e leve para usar no verão.

 

-Após o banho encostei o corpo de Itz ao meu lado, posso de deixar assim de frente para mim? Vou sentir saudades, não queria que você fosse embora mesmo que por uma semana!

 

Itziar

-  Me deixe como preferir, carinho! Uma semana vai passar rápido você vai ver. Ficamos nos observando, ele tocando meu rosto, me dando selinhos, mordidas em meus lábios e eu deslizando minha mão sobre seu peito, retribuindo seus beijos.

            Acordamos em cima da hora nem deu tempo de tomar café da manhã, trocamos as roupas e Álvaro me levou para o aeroporto, preferi ir de avião chegava mais rápido, conforme combinado ficamos de nos ver na outra semana, Álvaro finalmente passaria uma semana comigo em Basauri, o levaria para passear por todo o país Basco, tomei um café numa lanchonete, comi um pão salgado, já estavam anunciando o voo e demos o último beijo.

            Eu chegaria até Bilbao, um amigo viria me buscar e de lá seguiríamos de carro até Basauri. Cheguei por volta de umas 14:00 horas, meus pais já estavam me esperando com um delicioso almoço, eu estava muito feliz de sentir o cheiro de todo aquele lugar, os costumes, a minha casa!

            Meus pais me tratavam igual criança, me abraçando, me beijando o tempo todo, perguntando se fiz boa viagem, como estavam meus novos amigos da Espanha e fui respondendo uma pergunta de casa vez aos poucos.

            Mais tarde meu telefone tocou, recebi um convite para fazer um musical, já tinha feito dança, mais música seria a primeira vez, nem pensei no dinheiro, estava curiosa para saber as informações de qual lugar do país seria, me disseram para encontrar amanhã e combinar os detalhes.

            Mandei mensagem para o Álvaro contei sobre a notícia no dia seguinte após fechar o contrato e receber as primeiras instruções. Álvaro me deu todo apoio possível mesmo sabendo que dentre algumas semanas seria mais difícil encontrar, já que a peça ficaria em cartaz por um mês e cada dia em uma cidade diferente.

              Foi dando a semana e estava prestes para o Álvaro vim, fui ficando muito, muito, muito ansiosa, já tinha feito de tudo aqui em Basauri dado autógrafos, ajudava minha mãe com as compras, saí para os barzinhos com os meninos, fui ao ensaio da banda dos meus amigos.

            Álvaro viria de carro queria curtir a paisagem, ver as praias ao redor, mais no dia as horas foram chegando eu olhava na janela, saia na rua e nada, estava atrasado, fui ficando muito preocupada, adentrou noite, nada, pensei o que poderia ter acontecido?! Seu celular só dava caixa postal, fui ao hospital da cidade, fiz meu amigo me levar até Bilbao para buscar informações, recorremos as delegacias, IML sem resultados.

            Resolvi checar o grupo da série, não tinha mensagens, no grupo das meninas também sem resultado, pensei será que ele havia esquecido? Não é possível, planejamos tanto, não tinha como esquecer, eu não quis ligar para sua ex, nem para seus pais para não correr o risco de preocupá-los, foi uma noite muito difícil, não consegui dormir direito, rolei na cama a noite toda.

            O pouco que consegui dormir acordei assustada e fui direto tomar um café, minha mãe comentou o que havia acontecido já que percebeu que Álvaro não veio, que eu estava com olheiras profundas, meus olhos estavam inchados de tanto chorar. Eu respondia que não sabia de nada, que eu estava sofrendo sem notícias.

            Mandei mensagem primeiro para Pedro já que se tornaram amigos talvez soubesse de algo!

                                                    

- Pedro: Bella quanto tempo! Está bem? Por enquanto não sei do Álvaro, não tenho notícias dele desde a noite de despedida nossa!

                                

            Respondi obrigada e já finalizei a conversa. Mandei mensagem para as meninas, não obtive sucesso. Uns dois dias depois Úrsula me respondeu que soube que algo grave havia acontecido com um dos seus filhos, mais não sabia direito o que era, soube disso por administradores da nova série já que ele não compareceu na primeira reunião.

            Desliguei o telefone, fiquei triste sem saber o que fazer, ainda tinha que estudar os textos e as músicas para a nova peça. Alguns dias se passaram, eu tinha o telefone da sua ex mulher, acabei arriscando em ligar, eu estava muito preocupada queria entender a situação, saber notícia de todos.

 

- Itziar não é um bom momento, esqueça o Álvaro!

 

            Aquela notícia sem detalhes veio como um punhal rasgando meu peito, eu fiquei em estado de choque, tremendo, chorando, passando o dia na cama sem me alimentar, sem fazer minha higiene. Meus pais se preocuparam, queriam me levar a um terapeuta e eu ali relutando o tempo todo que não queria ir. Me sentia culpada, culpada por não aceitar aquele pedido de casamento, culpada pelo meu medo, minha insegurança, pensei será que o problema foi com um de seus filhos ou voltou com a sua ex e não quis contar nada para ninguém? Será que nesse tempo todo estive como estepe em que durante uma breve separação do casal eu fui sua diversão! Aquela tortura e agonia me matavam!

            Recebi o convite dos meus amigos para ir a um bar, ver a apresentação da banda, pensei em ir já que não restava mais nada para fazer nessa noite, pedi segredo para meus pais eles me respeitaram disseram me apoiar, saí algumas horas depois conforme o combinado um dos meninos passaria em casa para me buscar e resolvi beber muito já que os meninos não sabiam o que estava  acontecendo comigo só estranharam de me ver beber além da conta.

            O show acabou eu já estava me sentindo melhor, meu amigo saiu para ir ao banheiro.

 

- Itziar fique aqui já volto só vou ao banheiro!

 

 Para que eu não voltasse muito tarde para a casa um deles se ofereceu de me trazer até minha residência, o restante da banda ia guardar os equipamentos e voltar para casa depois, estava o esperando impaciente nunca que voltava do banheiro, o som no bar continuou ao som de um DJ, música eletrônica, havia um balcão como sou baixa subi nele para ver se avistava meu amigo ou tentar ver a fila do banheiro.

Ao subir nesse balcão fechei meus olhos, deixei que a música eletrônica dominasse meu corpo, comecei a dançar, rebolar o meu quadril, abaixar e subir meu corpo, passar a mão por ele todo. Estava curtindo, percebi que muita gente parou de frente a mim e estavam me olhando, alguns homens gritavam tira, tira, me desequilibrei e nesse momento meu salvador chegou.

Claro por um momento imaginei ser Álvaro, penso que já estava delirando quando dei por mim vi que era meu amigo! Ao ver que eu ia cair me pegou, me ajeitando em seu colo.

 

- Venha Itz já deu vamos sair daqui o quanto antes, vou te levar para a casa!

 

            Meu amigo me conhecia muito bem, já namoramos na adolescência e o amor acabou descobrimos apenas a amizade, mais papo vai, papo vem, eu nessa carência.

Pedi que entrasse em casa, o levei até meu quarto, já que eu não tinha notícias do Álvaro eu decidi que iria esquecê-lo.

            Dei autoridade e meu amigo me beijava com mais intensidade até cairmos na cama, estávamos sem as camisetas, faltavam as calças, quando as carícias começaram eu caí em si, pensei estou agindo errado não posso deixar isso acontecer! Quero enganar a mim mesma, ainda não sinto preparada para fazer sexo e ter relação com outra pessoa.

            O empurrei, comecei a chorar, ouvindo.

 

- Itziar o que aconteceu, você queria tanto agora não quer mais?

 

 Eu repetia essas palavras em silêncio para mim mesma, dizia apenas não posso, não tenho segurança! Não posso nos enganar, não consigo. Ainda bem que meu amigo conseguiu ser compreensivo comigo me dando sua camiseta para vestir, um copo de água para que acalmasse, após essa cena pediu que eu abrisse a porta para ir embora e eu tentar descansar. 


Notas Finais


Deixo o fim desse capítulo com a seguinte música:

Faz Tempo

Já não se sabe o momento exato de partir
Não quero me entregar tão cedo
Aquele amor que eu senti quando te conheci
Não ta rolando mais faz tempo
não vejo mais o brilho dos seus olhos pra mim
Nem sei se ainda posso mesmo te fazer feliz
Cada momento que passamos, juro, foi bom
Mas tudo que ascende apaga
E o que era doce se acabou


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...