História Os Salvadores do Reino (Interativa) - Capítulo 56


Escrita por: , So_uma_louca e Phonudo

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Drama, Ficção, Interativa, Luta, Magia
Visualizações 19
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Kaito: Bem... Esse será outro capítulo que com certeza acarretará muitas dúvidas... E eu não posso falar muito agora... Estou indo atrás do Narrador que fugiu depois desse capítulo...

Boa leitura!

Capítulo 56 - Que confusão...


No estúdio de Narração...

Narrador de OSdR: Ótimo... Agora aquele pivete está demorando...

Kaito: Abre a porta do estúdio, um pouco nervoso... Cheguei...

Narrador de OSdR: Atrasado por sinal... Acaba notando algo nos braços de Kaito... É sério que você trouxe ela?

Kaito: Você já sabia que eu iria trazê-la...

Narrador de OSdR: Tanto faz... Apenas se apresse e vamos começar logo...

 

Voltando com a história...

– Que assim seja... – Após terminar a frase, Vaxuel fechou os olhos e começou a fazer alguma magia com suas mãos, fazendo as mesmas brilharem intensamente...

 

Enquanto isso:

Nossos heróis se prepararam nesse meio tempo. Todos já haviam saído da casa e se dirigiram novamente ao norte. O caminho por dentro daquela floresta não parecia ser tão difícil quanto parecia no começo... Pelo menos eles não estavam sendo incomodados...

– Esse caminho é melhor do que imaginei que seria... – Disse Thar.

– É... Não queria ficar cruzando com mais inimigos pelo caminho... – Disse Nika.

– Vocês devem ter muita sorte pra cruzarem de frente com os exércitos dos Trenions e dos Kolions e ainda estarem inteiros... – Disse Lune.

– Bom... Se for sorte o que temos, então que ela não acabe tão cedo... – Disse Lie.

– Eu não acredito que seja sorte... Gosto de acreditar que estamos conseguindo por mérito próprio, visto que se for realmente sorte, então estaremos condenados quando ela acabar... – Disse Addy.

– Eu concordo com o Addy... – Disse Willy.

– Será que vocês não perceberam que estão perdendo tempo conversando sobre isso? – Perguntou Shu.

– E... O Shu ficou bravo... – Disse Kusa.

– Imagino que esteja comemorando por não ser por sua causa... – Disse Zulfiqar.

– E como estou... – Disse Kusa.

– P-Papai... Você não deveria ficar irritado com algo assim... – Disse Gran, timidamente.

Kaito: Por que a Gran falou desse jeito tão tímido? Eu pensei que...

Narrador de OSdR: Isso se chama roteiro... Mesmo que você viva a sua vida bizarra ao lado dela, isso não significa que ela deveria agir como você vê ela agindo sempre...

Kaito: ...

Narrador de OSdR: O quê? Vai dizer que estou errado?

Kaito: Não... É que... Argh! Só continua...

Shu dá um leve suspiro com a fala de Gran.

– Tudo bem... Eu não vou conseguir nada com isso mesmo... – Disse Shu.

Nossos heróis permaneceram andando e conversando por um bom tempo, até Lie parar subitamente e ficar imóvel.

– Ahn... Lie? Está tudo bem? – Perguntou Thar, olhando Lie.

– O que aconteceu, princesa? – Perguntou Addy.

Lie permanecia parada, sem dar uma única resposta.

– *O que será que aconteceu com ela?* – Pensou Thar.

Lie estava literalmente com a mente em outro lugar. Ela perdeu a consciência do mundo real e foi parar num lugar completamente escuro, onde encontrou duas outras pessoas. Uma delas ela já tinha visto antes.

– V-Vaxuel? – Perguntou Lie.

– Ah... Oi, princesa Elliana... – Disse Vaxuel, acenando para Lie com sua mão direita.

– Ahn... Vaxuel... Aquela é... – Ellion não conseguia terminar sua frase.

– Sim... Ela é a princesa Elliana... – Disse Vaxuel.

Ellion não conseguia conter a surpresa com o que estava vendo. Depois de tantos anos, ele pode finalmente rever sua filha, mesmo que não fosse fisicamente.

– Ahn... Vaxuel... Quem é esse? – Perguntou Lie.

– Ahn... Eu não te contei? – Perguntou Vaxuel.

– Não... Você não me contou... – Respondeu Lie.

– Então... Deixe que eu o apresento... – Disse Vaxuel, apontando para Ellion. – Lie, este homem aqui se chama Ellion Fiudis, ou como você poderia chamá-lo, seu pai... – Continuou o mesmo.

– M-Meu... Pai? – Perguntou Lie, completamente surpreendida e confusa.

– E-Elliana! – Exclamou Ellion, praticamente pulando do chão e correndo em direção a Lie, a abraçando com força ao chegar nela, a deixando mais surpresa ainda. – Eu estava com muito medo do que poderia ter acontecido com você depois do que eu fiz 20 anos atrás... Por vários momentos veio em minha mente que você poderia estar morta... – Continuou o mesmo.

Lie não conseguia dizer nada, de tão surpresa que a mesma estava com o que tinha acabado de acontecer.

– Me desculpe! Eu estava desesperado naquele dia e não raciocinei direito sobre como te salvar... – Ellion sai do abraço, ainda segurando Lie pelos ombros, finalmente percebendo que a mesma não respondia com nada do que ele dizia. – O-O que houve? – Perguntou o mesmo.

– É que... Você ser meu pai... Veio tão de repente que não fui capaz de processar tudo o que estava acontecendo... – Respondeu Lie, um pouco envergonhada.

Ellion, com a resposta de Lie, percebe que foi rápido demais com aquele abraço.

– M-Me desculpe... Eu me adiantei... Nós nem nos conhecemos direita e eu já fiz isso... – Disse Ellion, abaixando a cabeça.

– N-Não tem problema! E-Eu que não sabia como reagir! – Exclama Lie, colocando as mãos para frente, tentando fazer Ellion não se sentir culpado.

– E esse é o problema... Eu queria que você me abraçasse de volta, como forma de mostrar que você me reconhece como seu pai, mas ao invés disso, eu só fiz você ficar estranha comigo... – Disse Ellion, cabisbaixo.

Fora da cabeça da Lie, todo mundo tentava acordá-la, mas sem conseguirem...

– Já chega Kusa... Isso também não está dando certo... – Disse Shu.

– Mas bem... Eu meio que gostei de ficar aqui... – Disse Kusa, que estava no meio dos peitos da Lie, girando de um lado para o outro.

– É sério... Chega... – Disse Shu, já com uma gota na cabeça.

???: Começa a acordar, devido ao fato do efeito da poção ter acabado e fica se mexendo no colo do Kaito...

Kaito: P-Pelo visto a Asuka acordou...

Narrador de OSdR: É sério que você atrapalhou a narração para comentar isso?

Kaito: B-Bom... Ainda bem que a Diane me deu outra poção para fazer ela dormir novamente... Tira uma das mãos do colo e usa ela para ficar mexendo no bolso, tentando pegar a poção... Achei! Tira a poção do bolso apressadamente, perdendo o equilíbrio dela não mão e deixando ela cair no chão, quebrando o frasco dela... Opa... Isso não é nada bom...

Narrador de OSdR: Eu não sei o porquê de você precisar desta poção, mas tenho certeza que vou ficar irritado...

Asuka: Fica girando no colo do Kaito, até que se transforma em espada e começa a flutuar, girando ao redor do estúdio de narração e bagunçando tudo o que encontra no caminho...

Kaito: A-Asuka! Para!

Asuka: Além de não dar ouvidos para Kaito, fica voando de um lado pro outro, caindo acidentalmente dentro do roteiro da história... [Caso não tenha percebido, o roteiro é mágico...]

Kaito: Asuka! Volte aqui!!! Entra no roteiro, atrás de Asuka...

Narrador de OSdR: Quer saber... Chega! EU ME DEMITO! Sai do estúdio, muito zangado...

Quase todos [A Lie não se inclui por motivos óbvios...] ali presentes percebem a chegada de Asuka e de Kaito.

Kaito: VOLTA AQUI, ASUKA! Correndo atrás da Asuka...

Asuka: Fugindo de Kaito...

Shu acaba percebendo que a tal de Asuka se parecia muito com a Gran, com a diferença de ser bem menor e de ter um cristal de cor diferente...

Shu: Ahn... Gran...

Gran: Engole seco... S-Sim... Papai?

Shu: Por que... Aquela espada se parece tanto com você?

Gran: Suando frio... Q-Q-Quem sabe...

Shu: Pela sua resposta eu já imagino que esteja mentindo...

Gran: ...

Shu: Vamos... Me conte a verdade...

Gran: Se aproxima de um dos ouvidos de Shu e conta quem é Asuka e de preferência quem é Kaito...

Shu: Congela...

Gran: P-Papai?

Shu: Cria um portual que leva até onde Kaito estava, pega Kaito pelo pescoço e empurra ele contra o chão... O que... Você... Fez?

Kaito: Tosse graças ao golpe... N-Nani?

Shu: EU TE FIZ UMA PERGUNTA!

 

Continua...


Notas Finais


Kaito: Você deve estar se perguntando o porquê do capítulo ter terminado mais cedo... Bem... As cenas a seguir seriam um pouco violentas demais e eu só estou vivo porque fui revivido mais tarde por causa do Ícaro. Em troca, ele me fez procurar pelo Narrador de OSdR e convencê-lo a retornar. Bem... É isso aí... Espero que tenham gostado deste capítulo...

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...