História Os Segredos de Kim Taehyung - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Taeseok, Vhope
Visualizações 419
Palavras 5.017
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorou mas eu disse que voltava ^^

Capítulo 4 - O que é o ciúme?



 

O que é o ciúme?

De acordo com os psicólogos israelenses, Ayala Pines e Elliot Aronson, ciúme é ‘a reação complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade.’ Provoca o temor da perda e envolve sempre três ou mais pessoas. A pessoa que sente ciúmes - sujeito ativo do ciúme -, a pessoa de quem se sente ciúmes - sujeito analítico do ciúme - e a terceira ou terceiras pessoas que são o motivo dos ciúmes - o que faz criar tumulto.” By Wikipédia.

Eu li e reli e não entendi nada, só pra deixar claro. Mas falou de tumulto, eu consegui sacar o que de fato aconteceu uns meses atrás.

Então, assim… Hoseok hyung estava com ciúmes de mim. É, com ciúmes. Mas eu realmente não entendo qual era a tal ameaça que ele podia sentir relacionado aos meus amigos do Hwarang. Mas sempre que eu voltada das gravações, eu ficava no quarto contando tudo pro Jimin e ele ficava circulando a gente. Antes eu achava que ele sempre parecia cansado com alguma coisa, mas só depois eu fui entender que não. Tivemos uma conversa bem chata por sinal no ano passado. Um pouco antes da gente sair pra gravar o Bon Voyage 1. O Hoseok hyung falava que eu estava dando menos atenção pra ele, que saía mais com os meus novos amigos e que quando estava em casa, estava sempre muito cansado pra fazer qualquer coisa com ele ou com os membros. E vamos em minha defesa em alguns pontos:

1 – Quando eu ia gravar e ficava alguns dias fora do dormitório, eu ia GRAVAR. Os raros momentos que tinha de folga com os hyungs, a gente comia alguma coisa ao redor dos sets. Meio óbvio a gente ficar junto né?

2 – Quando eu voltava pro dormitório, eu estava sim cansado. E pela vida que tenho, eu vivo tanto na rua que realmente tem horas que eu só quero ficar na minha cama com os meus jogos. Não quero saber de roteiros, de coreografia, de música, de câmera, de viagem, de nada! Isso também serve para sair para restaurantes tarde da noite (porque assim… quando se é famoso, você não pode andar na rua ou em locais públicos em horários normais. Tem que fazer tudo inverso para chamar a menor atenção possível.) E assim, eu recusava mesmo sair com ele, ou com qualquer um. Eu queria ficar na minha cama com os meus jogos. Já disse né?

3 – Eu sei que sou bem avoado com as coisas e me deixa tão frustrado quando alguém diz que eu não estou dando atenção a isso ou aquilo porque eu realmente não percebo. E não faço por mal. Sério, se eu tô andando na rua e alguém conhecido fala comigo e eu não respondo, é porque eu realmente não vi. Minha mente às vezes viaja mesmo, mas eu juro que não é por maldade. E eu nem queria falar que é por causa do autismo porque eu não quero aliviar as coisas pra mim, mas é. Então, o Hoseok falar que eu não dava atenção pra ele me fez entrar em um processo de nervosismo tão grande que eu mal conseguia dormir. Eu ficava mandando mensagem pra ele toda vez que saía pra gravar. E ainda colocava lembretes no celular pra não me esquecer mesmo de falar com ele, só que isso foi um pouco ruim pra mim… Tipo, no meio das gravações eu acabava chamando algum dos hyungs de Hoseok. Era bem ruim… Eu detesto errar as coisas, ainda mais quando é trabalho, porque eu sempre acho que as pessoas vão julgar os meus erros por culpa da minha condição. E eu não quero nunca que vejam o meu autismo ou o autismo de qualquer pessoa como um obstáculo pra vida social.

4 – Hoseok hyung ficou chateado quando ele descobriu que eu colocava lembretes no celular pra lembrar de falar com ele quando eu estava fora.

Olha, eu devo dizer que quando você convive muito tempo com alguém, você descobre tudo sobre ela. E quando está namorando com ela então… você sabe mais ainda.

Hoseok hyung é a minha admiração em pessoa. Eu nunca vou deixar de admirá-lo. Nunca. Ele é dedicado e a cada dia ele se torna alguém mais responsável e seguro de si (sempre que olho as nossas gravações durantes os shows, eu fico impressionado com o quanto o Hoseok está maravilhoso nos palcos.) mas enfim. O Hoseok hyung tem seus pontos que eu considero chatos também. Não tem como negar. Ele tem defeitos e eu sei quais são.

Hoseok hyung às vezes era malvado comigo. Sim, eu não entendi sua irritação por culpa dos meus lembretes. Ele sabe como a minha cabeça funciona, por que ele ficou dizendo que “ele era tão importante ao ponto de eu colocar lembretes no meu celular para lembrar de falar com ele”? Ele brigava por coisas que eu não entendia. Eu falei que ia tirar os lembretes e ele ficou irritado de novo dizendo que “agora sim é que eu não ia falar mais com ele”. AAAAHHH!!! Sério, eu não entendi nem um pouco e faltei jogar meu celular no chão.

Tinha dias que eu sentia que ele não queria falar comigo ou ficar perto de mim. Se ele entrava no quarto e eu estava conversando com o Jimin sobre o Hwarang, ele já fechava a cara. Eu cheguei a ficar bastante mal com tudo isso, de verdade. Senti que eu não tinha o apoio dele para atuar, mas ele sempre dizia que me apoiava e gostava de ver a minha empolgação em atuar. Mas tinha essas outras vezes…

Essa foi a primeira vez que ficamos estranhos um com o outro. Eu sei porque quando eu estava no dormitório e ia pra cama dele, ele só me abraçava e ficava por isso mesmo. E mesmo que eu também seja lento pra um monte de coisa, eu sabia que faltavam carinhos ali. Dormir abraçado com Hoseok hyung é sempre bom e a gente realmente gosta de ficar nos braços um do outro sem precisar de mais nada, só que, como eu disse, com o tempo de convivência você aprende a diferenciar cada gesto da pessoa, e eu sou bom nisso.

(Alias, dá pra entender que eu sou avoado com umas coisas e concentrado em outras? Eu sou desligado quanto aos sentimentos, as metáforas e as indiretas, mas eu sei reconhecer os gestos. Todo mundo tem um padrão de acordo com o humor, todo mundo. Eu consigo identificar essas coisas, por isso eu sei sempre quando alguém está mentindo e quando está falando a verdade. Mas claro que isso só funciona com quem eu já tenha uma larga convivência.)

Enfim, Hoseok e eu não estávamos muito bem. Jimin disse que eu devia me focar no que eu tinha que fazer que ele ia tentar conversar com Hoseok.

E bom, a gente voltou a conversar e dessa outra vez eu fui mais direto no assunto. Afinal, eu queria entender que ameaça era essa que Hoseok tanto sentia. (Quando Jimin disse que era apenas um ciúme, eu tive que ir pesquisar a fundo o que era isso. Sério. Antes eu ouvia que sentir ciúmes era algo bom e fofo, mas não foi bem isso o que eu senti, então tive que pesquisar mais né?)

Ok. Vou transcrever um pouco da conversa.

“— Hyung, podemos conversar?” Perguntei assim que ele terminou de fazer a maquiagem.

“— Hm? Sim.” Hoseok hyung respondeu, mas ele não entendeu que o assunto era sério. (só lembrando também que a gente estava em um broadcasting, afinal, estávamos fazendo as promoções de Fire.)

Fomos pro banheiro e ele já me olhava tentando descobrir sobre o que eu queria falar.

“— O assunto é a gente, hyung” Disse, e ele cruzou os braços já querendo se defender de alguma coisa. Ele sempre fazia isso, mas esse movimento de cruzar os braços é normal para quem se sente acuado de alguma forma.

“— Aqui não é lugar para falar disso, Tae.” Hoseok hyung disse, mas eu continuei.

“— Pois eu quero falar.”

“— Podemos conversar em casa.”

“— Vamos chegar tarde e amanhã cedo eu tenho que ir gravar, então podemos conversar agora.”

“— Não podemos.” Hoseok hyung continuava de braços cruzados, e isso me incomodava um pouco.

“— Você está com ciúmes de mim?” Eu fui falando, e ele só virou o rosto e respirou fundo.

“— Por que está perguntando isso?”

“— O Jimin disse que você estava.”

“— O Jimin?”

“— É, eu pedi pra ele descobrir o que é que estava te incomodando tanto em relação a nós dois.”

“— E você mesmo não podia descobrir sozinho?” Hoseok hyung novamente ficava irritado por umas coisas que eu não conseguia entender.

“— Então é ciúme mesmo?” Eu perguntei, mas ele não quis responder. E por que as pessoas nunca confessam quando estão com ciúmes? “— Se é, então você só está me atacando desse jeito por que está com medo de algo?”

“— Eu não estou te atacando e não estou com medo de nada.”

“— O princípio do ciúme é o medo de perder algo. E quando alguém sente medo, ou ele ataca ou ele fica em defesa. Nesse momento você está na defesa porque eu vim te perguntar diretamente, mas antes você ficava me atacando com reclamações. Então eu posso concluir que é sim ciúme.”

“— Está fazendo análise comportamental agora?”

“— Eu preciso! Pra tentar entender as pessoas. Minha psicóloga me ensina muita coisa. Mas se eu estiver enganado, por favor, me diga o que está acontecendo porque eu não consigo interpretar. E se eu não conseguir interpretar os seus sinais eu vou me sentir um péssimo namorado e você vai querer terminar comigo…”

Nessa hora ele soltou os braços e sua expressão ficou bem mais leve.

“— Por que você tá com ciúmes de mim? Você desconfia de mim? Acha que eu vou te deixar? Você não confia em mim?”

“— Não estou dizendo isso, Tae… ”

“— Eu não vou te deixar. Eu só gosto de você. E você sabe que se for pra eu gostar de outra pessoa, eu teria que passar muito tempo com ela. Eu não consigo gostar de ninguém que eu não conheça bem. Eu nem sei como as pessoas dizem que existe isso de amor a primeira vista. Como você consegue amar alguém apenas de vê-la uma única vez? Isso não é real!”

“— Tae!” Hoseok hyung veio me abraçar e eu queria era bater nele. Ele tava confundindo tanto a minha cabeça. Como ele tinha essa coragem? Eu tinha feito algo para deixá-lo desconfiado? Meu deus! Se eu tinha feito eu nunca ia saber. As pessoas já dizem que homens tem péssima memória, a minha então… “— Desculpa, desculpa.”

Eu já estava todo abalado, mas precisava me recuperar rápido. A gente tinha que se apresentar e tinha um monte de gente ali. Estávamos no Inkigayo. E mais uma vez a porta do banheiro abriu e a gente tentou disfarçar um pouco. Mas o Hobi ainda me falou uma coisa que me deixou um pouco mais relaxado.

“— Dorme comigo hoje e a gente conversa. Eu não queria te deixar desse jeito, me desculpe.” Hoseok hyung parecia bem chateado, mas era com ele mesmo.

E pra resumir e adiantar um pouco o assunto. Hoseok ficou todo desconcertado porque, tinha vezes que ele simplesmente esquecia da minha condição e ficava irritado sozinho sem o menor motivo. Que bobeira.

E quando a gente chegou em casa, tivemos a surpresa dela estar cheia de staffs com câmeras por todos os lados. É… naquele dia começava o bon voyage. Eu tive que ficar pra trás por conta das gravações do Hwarang, e por isso apenas os vi fazerem suas malas enquanto eu tomava um suco na cozinha. Olhei para Hoseok quando ele foi embora e aquela noite eu ficaria sozinho no dormitório. Ainda conversamos um pouco pelo celular, mas logo ele pegou o avião e se foi.

Eu deitei em sua cama e foi bem chato estar sozinho ali. Abracei o seu travesseiro e fiquei pensando que, mais uma vez, a nossa conversa seria adiada para sabe-se lá quando. Fechei meus olhos e fui dormir.

Tudo bem. Eu achei que o episódio do ciúme teria passado. No dia seguinte fui gravar, pintei o cabelo, (pra não chegar com cabelo de fogo lá no fim da Europa e todo mundo ficar me encarando e ficar ainda mais fácil ser reconhecido) Essas coisas.

Peguei o avião e fui atrás dos meninos. Devo dizer que foi bem fácil. As pessoas são legais eu não me preocupei com nada. Só quando eu tinha que conversar com alguém e aí eu lembrava que a gente não falava a mesma língua. Mas foi tudo tranquilo. Tem vezes que eu assisto tudo de novo e tenho saudades. Ainda mais quando olho as fotos no meu celular… Foi uma viagem boa com os meus amigos. Mas devo dizer que, assim que eu cheguei lá… Hoseok hyung agiu chato comigo de novo.

Tivemos um desentendimento durante a tarde, no primeiro dia que eu tinha chegado em Bergen. (Na verdade eu só percebi que era um desentendimento a noite, quando o Hoseok chamou a minha atenção.) Mas foi assim… Deixa eu contar como foi aquela tarde.

Eu estava no celular falando com os hyungs do Hwarang, e o Hoseok direto falava pra eu largar o celular. Eu disse que não tinha como, e ele disse que eu estava de folga, daí eu respondi que os hyungs não estavam de folga e que por isso eu precisava falar com eles. Hoseok brigou dizendo que eu devia dá atenção ao local e as pessoas com quem eu estava naquele momento, e eu disse que estava. Só que aí o Hoseok disse que não, que eles estavam decidindo o lugar onde iríamos comer e eu não estava dando palpites. Eu disse que, o que eles decidirem, por mim tudo bem, mas ele disse que não mais uma vez. Eu insisti em dizer que realmente não fazia diferença pra mim o local que eles decidissem comer. Irmos juntos ou separados estava tudo okay. (Tivemos que nos separar porque naquele dia acontecia um festival na cidade e os restaurantes estavam lotados. Não daria para todos os membros e os staffs, né?)

Hoseok continuou a pegar no meu pé. Perguntou se não tinha outra hora para eu conversar com os hyungs do Hwarang e eu respondi que estávamos em fuso horário diferente e que tinha que ser naquele momento. Depois disso eu só lembro dele sair para um lado com o Jimin e o Namjoon hyung e eu fui comer com Jungkook e Jin hyung. Ah! Nesse dia o Yoongi hyung acabou nem saindo porque ele queria trabalhar.

Bom, eu sei que eu tive uma tarde muito boa e comi tranquilamente com os dois. Mas assim que voltamos para a casa em que estávamos hospedados o clima estranho entre Hoseok e eu voltou. Eu pensei que seria melhor esperar todo mundo ir dormir pra termos nossa conversa, mas devo lembrar que esse povo não dorme né? Ainda mais o Jimin que é uma coruja. Mas enfim. Fiquei no sofá com meus jogos e quando uns três foram mesmo dormir, eu tive que correr para o quarto que dividia com Hoseok (ainda bem que ele conseguiu dividir o quarto comigo daquela vez. Acho que foi o destino.)

Entrei no quarto e duvidava que Hoseok já estivesse dormindo, mas fiz questão de apagar tudo e ir me deitar ao seu lado. Eu queria tocar nele e perguntar se estava tudo bem pra gente conversar, mas meio que fiquei sem ação. E eu pensei tanto que acho que ele até tinha dormido de verdade, por isso eu me virei e fui dormir. Que droga. Eu estava todo confuso e quando era a hora de falar, eu travei. Que coisa… Só que assim. Quando eu virei o corpo pro outro lado, não demorou até sentir os braços dele me envolvendo. Oh… ele era fofo.

“— Tae…” Ouvi sua voz e já despertei na hora.

“— Sim, hyung?”

“— Desculpa ter falado daquele jeito com você… ainda mais na frente de todo mundo.”

“— Hã?”

“— Eu sei que você tem suas obrigações com o pessoal do dorama e não devia pegar tanto no seu pé por ter que dividir sua atenção com tanta gente, mas é que…”

“— Do que está falando, hyung?” Virei na cama e fiquei de frente pra ele, mesmo que não pudesse vê-lo por tudo está apagado. E ele fez silêncio por um tempinho.

“— Da discussão que tivemos mais cedo.”

“— Discussão?”

“— É… hoje a tarde enquanto decidíamos onde iriamos almoçar.”

“— Ah! A gente discutiu?” Nem devo dizer que eu não tinha me ligado que a forma que ele tava falando comigo mais cedo era alguma discussão, né? Tudo bem que todo mundo meio que se olhou estranho enquanto a gente falava sobre minhas mensagens no celular, mas Hoseok hyung explicou que era sim uma discussão. Afinal, ele estava irritado, e só então eu lembrei que aquilo tinha a ver com o tal ciúme que ele tava sentindo de mim.

“— Bom, na verdade foi mais eu que fiquei falando e falando…”

“— Ah… mas… te irrita eu estar falando com o pessoal do Hwarang?”

“— Não! Tae…Eu não quero que pense isso, eu só…”

“— Mas eu vou pensar no que se não for isso?” Eu já tava ficando todo confuso de novo.

“— Tae…” Hoseok hyung acabou levantando e abriu as persianas, deixando que o quarto fosse iluminado pela claridade de Bergen. E alias, pense em um lugar que não fica de noite. Tipo… onze da noite e parecia seis. Vai entender né? Tem a ver com aquilo da posição da terra né? Eu acho que estudei sobre isso. Tem épocas do ano que o planeta se inclina de um jeito que faz certas partes ficar sem pegar sol por meses enquanto o outro lado fica no claro direto. Deve ser meio doido pra quem mora por ali. Mas devem estar acostumados né? Enfim, voltando… Hoseok abriu as persianas e voltou a deitar e me abraçar. E agora a gente podia se ver. “— Não é que eu não goste dos seus novos amigos e colegas de trabalho, mas a gente tá aqui meio que de folga e eu queria curtir esse momento com você e com os meninos sabe? Mas eu também sei que te deram essa folga mesmo que ainda estejam gravando e claro que você tem que entrar em contato com eles.”

“— Eu falo direto com eles porque eu fico na dúvida sobre certas coisas, hyung. Eu não estou tirando o meu foco daqui, mas assim… Eu que fico enchendo o saco deles perguntando sobre as últimas cenas que gravei. Eu estava tão pra baixo ontem, pensando em como vocês estariam e foi tão ruim dormir sozinho no dormitório. E por isso acho que não fiz direito e eu detesto fazer as coisas pela metade e ando me cobrando muito nessas gravações.

“— Eu sei disso, Tae. E eu me orgulho muito de você e queria pedir desculpas se eu estou te incomodando enquanto você devia era tá se concentrando nas suas gravações. Eu sou um idiota as vezes.”

“— Você não é idiota, Hoseok…” Me aproximei mais dele e toquei nossos narizes. E como eu adorava o nariz do hyung… tão pequeno e bonitinho. “— Você só está com ciúmes.”

“— Ah…” Ele resmungou. “— Essa bobeira está afetando nós dois. Eu devia parar com isso.”

“— Devia mesmo. Eu ainda não entendo o que te faz ter ciúmes de mim. Você sabe como eu sou. Sabe que eu nunca vou te deixar.” Olhei bem pra ele e Hoseok hyung não me encarava. E isso me deixava ainda mais agoniado. Eu queria entender o porquê dele sentir ciúmes. Não fazia sentido algum. “— Hyung, me explica o porquê de você sentir isso?”

“— O porquê?”

“— É. Eu não consigo entender. Eu fiz algo de errado? Eu te dei motivos para desconfiar?”

“— Eu confio em você, Tae. Você não fez nada de errado.” Ele me abraçou mais forte. “— Eu é que fico inventando coisa na minha cabeça.”

“— Mas se você inventa é porquê tem algo pra se basear, não?”

“— Tae…”

“— Fala! Por favor!” Acabei sentando na cama. Eu precisava entender o ciúme dele. Isso estava me sufocando. Eu sei que não tinha feito nada de errado, mas eu sou lerdo demais e podia ter dado alguma coisa pro Hoseok desconfiar e isso me deixava mal. Eu não queria isso. “— Você é tão especial pra mim, que eu não consigo ver onde eu possa ter errado e te deixado assim.

“— Você não fez nada!” Ele sentou também e tocou em minhas coxas enquanto me encarava.

“— Eu fiz! Você não estaria todo enciumado se não tivesse algum motivo. Mas eu realmente não sei o que é.” Acho que devo contar que nesse momento eu tava com uma voz de choro? Bom… pensar que eu tinha feito algo que magoou Hoseok me doeu de verdade. E ver ele tentando dizer que não tinha acontecido nada quando claramente tinha, me deixava pior. Era tão ruim não ter uma condição boa que pudesse me fazer entender de verdade o que estava acontecendo. Eu me sentia um nada nesses momentos, porque eu me forçava e forçava e minha cabeça travava ainda mais. E toda vez que eu ficava nervoso daquela forma eu precisava ligar para a minha médica. Só que eu não queria mais ligar e sim conseguir fazer tudo sozinho. Mas… eu não consigo fazer tudo sozinho. Eu nunca vou ser normal como os outros e sempre vai ter esses momentos que eu vou sair do ar e perder o foco. Sempre… “— É por eu tá conversando direto com os outros hyungs? Eu pareço estar dando atenção a eles? Você desconfia das nossas conversas?” Peguei meu celular e destravei a tela e abri o meu kakao e entreguei a Hoseok. “— Você pode ver, tá tudo aqui. Eu não apago nenhuma conversa porque gosto de reler algumas coisas. Eu juro que não falei nada demais com nenhum deles. Pode olhar.

“— Tae, eu não quero o seu celular. Não é isso.”

“— Então o que é?” Acabei falando bem alto, e sinceramente tinha vezes que eu não controlava minha voz. (Namjoon hyung vive me tacando travesseiros a noite enquanto eu invento e jogar no quarto e faço barulho. A gente já conversou várias vezes, mas eu sempre esqueço de fazer silêncio a noite. Desculpe hyung <3)

“— Eu… Eu nem sei como explicar isso. Eu só… Eu só tenho medo…” Oh! Ele finalmente soltou algo.

“— Medo?” Só que eu continuei sem entender nada.

“— É. É idiota, eu sei, mas eu sinto medo Tae.” Ele segurou minhas mãos e começou a fazer um carinho nelas. “— Você é um garoto tão amável… as pessoas adoram estar do seu lado e eu fico feliz por isso. Adoro ver o carinho que todos tem por você, o quão fácil você consegue fazer amizades… Mas… Eu não posso fingir que não me preocupo com todas essas pessoas que se aproximam de você.”

“— Mas por que se preocupa?”

“— Você é tão inocente, Tae. Tão sem malícia nenhuma. É fácil alguém se aproximar com segundas intenções e você nem perceber.”

“— Ah! Então é por isso?” Acho que as coisas ficaram mais claras pra mim.

“— Pode ser.” Hoseok hyung pareceu constrangido. E ele fica muito fofo com vergonha. E é tão raro ver ele envergonhado. “— Eu conheço você e confio em você, mas não posso dizer o mesmo dos outros. E como eu sei o quão bom é estar com você, acho que sinto medo de outros também perceberem isso e quererem ficar perto de um jeito diferente.”

Juro que encarei o hyung e não entendi realmente o motivo do ciúme dele. E assim, de acordo com o que a Ayala e o Elliot disseram, Hoseok não tinha nenhum motivo plausível para sentir ciúmes. Hoje eu até entendo (mais ou menos) os motivos dele daquela vez, mas sério… Olha o resto da nossa conversa…

“— Mas hyung… tem alguém dando em cima de mim?”

“— Ah… não exatamente.”

“— E como é esse exatamente?”

“— Eles… ficam te apalpando…”

“— Oh! Mas é brincadeira só. A gente também faz essas coisas.”

“— É diferente.”

“— É brincadeira do mesmo jeito.”

“— Você ia gostar se fosse comigo?”

“— Mas se é brincadeira…”

“— AH!” Foi visível ele ter se irritado. “— Deixa pra lá, você não entende.”

“— Então me explica por favor! Então você também sente ciúmes quando eu brinco com o Jimin ou o Jungkook?

“— Eu disse que é diferente.”

“— Não é diferente.”

“— É diferente porque eu conheço eles e eu sei que eles não fazem nada com segundas intenções pra cima de você.”

“— Então você devia conhecer os meus hyungs do Hwarang também.”

“— Eu não quero conhecer ninguém.”

“— Quê? Então como você pode afirmar que eles tem segundas intenções comigo?”

“— Eu não sei.”

Nesse momento eu fiquei mais confuso do que nunca. Estão vendo como essa coisa de ciúmes não faz o menor sentido mesmo que tenha uma definição no wikipedia?

“— Então o teu ciúme não tem nenhuma base concreta?”

“— Poxa Taehyung, você conheceu esse pessoal tem pouco tempo e eles já ficam nessa de te apalpar, agarrar e mimar? Fala sério…”

“— Eu sou o maknae ali… é natural que eles me tratem com carinho.”

“— Ah, claro…”

“— Hyung… quanto mais você fala, menos sentindo eu acho nessa situação toda.”

“— Ótimo! Me deixe aqui irritado sem sentido então.” Nesse momento Hoseok hyung deitou e virou de costas pra mim. Devo deixar um comentário sobre como Hoseok hyung fica assustador irritado. Nem tenho coragem de chegar perto, e por isso eu achei que aquela noite estava perdida. A gente brigou (?) e não teve nenhum motivo real para aquilo. Eu sei que olhei pra ele e fiquei repassando aquela conversa e tentei de verdade entender o lado do hyung pelo menos um pouquinho. E quantas voltas minha cabeça dava. O ciúme é um negócio muito do complexo, viu?

Mas eu consegui reverter aquela noite com uma fala memorável que até hoje guardo comigo. (Sim, eu cheguei a anotar e tudo no meu celular depois.) Vendo aquela situação, eu pensei um pouco e resolvi falar algo com base em tudo o que havíamos discutido naqueles poucos dias, e então, eu soltei essa:

“— Hyung… Eu sei que eu posso não perceber certas coisas, mas assim, se você tem medo de me perder é porque você gosta de mim e eu fico muito feliz com isso. E se tem ou não outra pessoa gostando de mim, isso não é um problema nosso. Qualquer um que chegar em mim e revelar seus sentimentos, eu serei educado em responder “Não” e me retirar. Eu tenho você, hyung. Eu não preciso e nem quero outra pessoa. Eu te amo e nunca vou te deixar. Não precisa ter medo, tá bom?

Foi bonito não foi? Eu falei direito, não falei? Deu pra entender tudinho?

Bom… Hoseok hyung ficou um bom tempo ainda deitado de costas pra mim e isso me deixou triste. Mas quando ele finalmente virou, seu rosto estava diferente, tipo… acessível? Bom… Aproveitei pra falar mais.

“— Mas eu também te devo desculpas. Eu ando muito focado nas gravações e não achei que estivesse te incomodando a esse ponto. Eu chego cansado no dormitório e realmente não quero fazer nada ou sair pra algum lugar, mas se isso te faz falta, eu prometo que vou me organizar mais, tá? E agora eu prometo que só vou pegar no meu celular se for pra tirar foto dos lugares por onde passamos nessa viagem. Eu estou aqui então devo me focar no agora.

Falei e mais uma vez Hoseok hyung demorou alguns segundos pra fazer algo. Ele abriu os braços e eu não perdi tempo em ir de encontro a eles, abraçando-o bem apertado. Ele tinha me desculpado. Tinha certeza disso.

“— E eu vou falar pros hyungs não me apalparem mais, tá bom?”

Nesse momento Hoseok hyung sorriu e me deu um beijo. E eu ficava desconfiado quando ele me respondia sem dizer nada. Ele sabia da minha dificuldade em reconhecer certos gestos e por isso, muitas vezes, ele ficava nessa de não falar. Bom… mas se ele me deu um beijo então era porque estava tudo bem.

Nos beijamos mais um pouco até Hoseok hyung começar a me virar na cama e subir mais em mim. E acho que nesse ponto a noite tomou outro rumo. Acho que vou relatar só um pouquinho pra vocês. Mas só um ~pouquinho~ tá?

Hoseok hyung começou a descer os beijos pro meu pescoço e rapidinho sua mão desceu pra minha barriga e seguiu bem pra dentro da minha calça.

“— Hyung!”

“— Hm?”

“— Eu… Eu não tranquei a porta…”

“— Ninguém vai entrar aqui.”

“— Mas…” Devo mencionar que eu já estava perdendo o foco porque Hoseok hyung tem uma mão muito habilidosa.

“— Tenta fazer silêncio.”

“— Tá…”

Então… creio que o restante da noite não precisa ser mencionado aqui. Mas devo mencionar que acabamos dormindo bem tarde e no dia seguinte a gente tava capotando dentro da balsa que nos levaria para um passeio.


 

Hobie aqui…

Se a porta aberta fosse o pior dos nossos problemas daquele dia né?…

E gatinho… Não vou nem comentar tudo isso que você escreveu aqui sobre o meu ciúme. Chega a ser engraçado o quanto você não tem filtro pras coisas. Mas fazer o que, né? Eu que tenho que ser o sensato da relação e tentar não surtar com as coisas que acontecem ao seu redor.

Vamos continuar a leitura…


Notas Finais


Bom, eu já tenho outros capítulos randosm em andamento, mas como disse... não esperem nada rápido por aqui XD
Nos vemos ainda esse mês com LOA ^^
Bjoooos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...