História Os Segredos De Park Jimin - Jikook - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Adaptação, Jeon Jungkook, Jikook, Kookmin, Os Segredos De Park Jimin, Park Jimin, Shounen Ai, Yaoi
Visualizações 4
Palavras 695
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Jeon Jungkook narrando

Capítulo 9 - Remédio


Me aproximei sem medo, estava com uma confiança elevada. Meus passos eram firmes, mas conseguia sentir minhas pernas e dedos tremendo, sua presença e forma eram absurdas. Mas não tanto quanto meus pensamentos confusos, não sabia direito o que faria, mas confiava completamente que faria certo. Sim, iria ser o remédio de Jimin.

"Não se aproxime, Jeon! Você é um malfeitor, não consegue entender que o Sol é melhor."

Mas ignorei sua fala.

"Seu cretino! Se continuar se aproximando, vou te destruir!"

Mas ele era cego demais, cego como o próprio ódio.

"Sabe que está lidando com um monstro que não tem perdão, não é?"

Mas apesar de perdoar não ser um custume dele, era um custume meu.

"Vamos! Desista, Jungkook!"

Mas mesmo que ele mencione meu nome, não irei prestar atenção em suas palavras maldosas.

"Eu tenho a sua Lua, se continuar se aproximando, irei a transformar no Sol!"

Você é o próprio Sol, minha Lua nunca será você.

Diante de seu corpo completamente destruído, suas gosmas negras todas evaporando com o quão quente Jimin está no momento, seus olhos estão fechados e seus lábios entreabertos. Está vulnerável, mas apenas no momento. Se eu não o atacar no momento, ele irá voltar, irá voltar cada vez que as más memórias de Jimin o assombrem. Devo o ensinar, devo o dizer que existe perdão. Sim, o "agressor" ensinando a vítima o que é perdoar, parece loucura, mas como a situação não é uma das melhores, pensar é minha última opção.

Encostei com cuidado os dedos indicador, médio e anelar em seu rosto, mas recuei do tanto que estava sobre pressão. Sua pele estava tão quente quanto uma panela no fogo, poderia me queimar, mas era agora ou nunca. Encostei ambas as palmas das mãos em cada uma de suas bochechas. Me aproximei lentamente, sem tempo para pensar. Encostei meus lábios nos seus, sentindo tudo pegar fogo como em um incêndio, assim como me senti quando Jimin me abraçou pela primeira vez.

Ele abriu os olhos surpreso, nem mesmo estava demonstrando sinais de que iria recuar, mas de garantia, segurei em sua cintura. Ambos de joelhos no chão, próximos á escadaria para o andar superior. Não iria ser invasivo, apenas demonstrei este toque mais íntimo para o fazer acordar, sabia que precisava de demonstração de carinho, apesar de não ser bem neste sentido. Talvez um abraço poderia ter funcionado também, estou envergonhado por ter o beijado de uma vez.

Mas ele não disse nada, nem mesmo demonstrou reação, apenas com um impulso, agarrou meu corpo com os braços em volta de meu pescoço, olhando direto em meus olhos, tão sereno. Nunca havia o visto tão calmo desta forma, geralmente o via irritado, nervoso ou tímido, mas não estava reclamando, acho ele lindo assim, como sempre foi. Seus lábios entreabertos e seus olhos serenos me fitavam com suavidade. Sentia seu olhar macio sobre minha pele, meu rosto em geral. Nem me segurei em o abraçar de volta, dando um sorriso de canto contente.

Admito que fui um tanto inocente, não era isso o que Jimin estava tentando passar. Ele fechou os olhos e selou nossos lábios novamente, desta vez sem tanto nervosismo como eu havia feito antes. Mesmo surpreso, ainda havia gostado do contato, seus lábios era cheinhos e me davam um ar de doçura. Ele separou nossos lábios para dar um sorriso doce, mas ao mesmo tempo brincalhão. Vocês já chegaram a olhar para alguém todos os dias e em cada dia esta pessoa ficar ainda mais bela? Nem mesmo havia percebido, mas meu caso com o Jimin é mais que semelhante, é idêntico.

Apesar de ele ter separado, eu não queria apenas ter dois selinhos seus, gostaria de ao menos quatro, já que é um número par. Em um impulso, sem nem pensar direito, aproximei nossos lábios novamente, mas dessa vez acabei na alegria, mordendo seu lábio inferior com carinho, sentindo seu hálito quente contra minha pele. Ele passou a língua pelo meu lábio superior, me convidando. Abri a boca lentamente e ele aproximou-se, juntando nossas línguas. Pode não parecer, mas é meu primeiro beijo.

Ele mantia o ritmo devagar enquanto eu, um pouco envergonhado e tímido, tentava acompanhar.


Notas Finais


Entendem a razão pela qual meu número preferido é nove?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...