História Os Segredos de Woodbeard - Capítulo 6


Escrita por: , Jessica_Alves0 e natsb4

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Blog, Blogueiro, Colegial, Colégio, Comedia, Comedia Romantica, Drama, Escola, Europa, Gossip Boy, Gossip Girl, Romance, School, School 2015, School 2017, Yaoi, Yuri
Visualizações 28
Palavras 4.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, gente!
Bem vindos a mais um capítulo.
Vejam as notas finais pois estará o link do docs com todos os personagens <3 Esperamos que vocês gostem.

Capítulo 6 - Jogada Ensaiada


Jackson Lee Point of View

Estou indo para o campo de futebol quando de longe vejo os garotos parados no meio do campo. Levanto a mão pronto para cumprimentá-los, mas aquilo não me parecia uma roda de conversa e sim uma grande discussão. Aaron empurra Hiro que em seguida vai para cima dele com raiva. Noah o segura antes que ele de um soco em Aaron que ri como se adorasse a situação.

 — Parem com isso! — Corro até o meio da confusão. Não imagino o porquê da briga, mas acredito que não deve ser por um motivo nobre. Os garotos discutem por qualquer coisa.

 — Foi o Aaron que começou! Ele acha que é melhor do que todo mundo! Já estou cansado desse cara! — Hiro grita com raiva.

 — É claro que eu sou melhor! Você sabe quem eu sou? Seu idiota! — Aaron já estava me dando nos nervos. Sempre arrumando confusão.

 — E você sabe quem eu sou? — Hiro pergunta empurrando Aaron novamente.

 Eu não podia deixar Hiro sofrer uma punição e não podia deixar que a briga acabasse na direção, então encerro aquilo dizendo:

 — Seu sobrenome não te coloca em um pedestal, Aaron. — Saio andando sendo seguido por Hiro e os outros garotos que riem do cara de ódio de Aaron.

Katherine Cooper Point of View

Estou saindo da sala de aula com a piscina como destino, lá eu afogo meus pensamentos e fico sozinha. Evito andar demais pelo segundo andar, pois sei que a qualquer momento posso acabar encontrando Audrey passeando e distribuindo sorrisos para todos. Tão amável tão inteligente e tão educada. Audrey era uma modelo de comportamento cuja mesmo meus pais querem que eu siga o exemplo.

 Perdida em meus pensamentos nem percebo a aproximação de Dylan e Maree, os alunos novos.

 — Oi, é Katherine, certo? — Dylan pergunta com um sorriso torto no rosto.

 — Sim. Do que vocês precisam? — Eu acho que o meu tom de voz saiu mais entediado do que eu esperava.

 — A diretora pediu para você nos mostrar a escola, lembra? Mas de boa se não quiser, até porque foi um pedido dela não nosso. — Maree responde.

 Confesso que fiquei surpresa, já que sua aparência demonstra alguém calma e um tanto meiga. Eu me enganei.

 — Na verdade agora isso vai se tornar um pedido meu. Será que você pode mostrar a escola para nós? — Dylan dá um passo à frente com o mesmo sorriso torto. Eu não poderia recusar ao pedido, a diretora está me testando, ela quer que eu chegue ao meu limite e não vou fazer isso.

 — É claro. Esperem-me aqui eu preciso fazer algo antes.

 Corro até o primeiro andar tentando alcançar Lin e Yumi. Me apoio no corrimão e vejo que as duas estão caminhando em direção ao ginásio. Eu tenho que alcançá-las antes que elas cheguem até lá, hoje é o dia de testes para o time de lideres de torcida. Marjorie provavelmente está lá, e eu realmente não estou a fim de ouvir provocações daquela loira do banheiro.

 — Esperem ai suas pernas longas! — Grito quando já não tenho mais fôlego para correr, o salão principal é muito grande e aquele horário era de intervalo para os testes do dia. Todos estavam agitados andando como formigas desorientadas.

 Finalmente elas olham para trás parando no mesmo instante. Lin me olha fazendo sua famosa marca: ela revira os olhos.

 — O que você quer bruxa azul? — Eu queria apertar o pescoço dela naquele momento. Mas me contive. Mostro a língua parecendo uma criança quando faz birra.

 — Como ousa me chamar de bruxa azul? Olha que eu te transformo em um besouro!

 — Que horror! E porque não em uma borboleta? — Ela solta um riso enquanto balança a cabeça em direção a Yumi que olha para o lado fingindo não estar interessada no assunto.

 Depois da briga que Yumi e eu tivemos não voltamos a nos falar. Eu não quero dar o braço a torcer, meu orgulho é muito grande para isso. Mas é necessário, eu gosto muito das garotas e elas são importantes para mim. É claro que eu nunca disse isso para elas. Mas palavras não vão mudar nada, elas sabem o que sinto.

 — Yumi, desculpa. — Dou um sorriso estranho enquanto coloco as mãos nas costas esperando que ela dissesse se algo.

 — Katherine você é sempre tão boa com palavras, porque isso ainda me surpreende? — Yumi diz em meio às risadas.

 Ela me abraça enquanto fico parada com o rosto colado em suas bochechas. Elas sabem que eu não gosto muito de abraços, mas mesmo assim me abraçam. Na verdade eu só não tenho reações para esse tipo de momento.

 — Mas o que você queria mesmo? — Lin arruma seus cabelos perfeitamente penteados, o seu charme estava em suas jogadas de cabelo para os lados, ela é uma das garotas mais cobiçadas de Woodbeard. Principalmente pelos cabeças de melancia, apelido que dei aos jogadores de futebol.

 — Eu só queria avisar que não vou poder almoçar com vocês hoje. Lembram que a diretora me pediu para que mostrasse a nossa bela Woodbeard para os alunos novos? Pois então.

 — É verdade. Então Katherine Cooper vai ser guia turística do novato gato? O que esperar disso? — Yumi não perde uma oportunidade de me irritar, deixei passar já que havíamos acabado de fazer as pazes.

 As duas soltam risadinhas enquanto faço cara de descontentamento com o comentário. Dou as costas para as duas e saio andando. A última frase que ouço é a de Lin gritando:

 — Kath, não aterrorize os dois! Lembre-se, esta é a fábrica dos sonhos! Vemos você no Nando's depois da aula.

Dylan Morgan Point of View

Maree e eu estamos parados em frente à sala que havíamos acabado de sair. A garota cujo nome era Katherine pediu para que ficássemos esperando, isso já faz meia hora! Maree anda de um lado para o outro inquieta.

 — Essa garota 'tá pensando o que? Ela acha que eu vou ficar esperando aqui o dia todo? — Maree bufa se apoiando na parede. Eu entendo já que Katherine está realmente demorando.

 — Acalme-se, eu acho que ele pode ter tido um problema.

 — Problema ela vai ter se me fizer esperar por mais tempo, ‘tá ligado? — Maree pergunta enquanto aponta o dedo diretamente para o meu rosto. Eu recuo a passos curtos.

 Olho por cima de Maree e vejo Katherine vindo em nossa direção. Baixo o olhar novamente encarando a garota irritada que ainda está com o dedo apontado para o meu rosto. Ela é um pouco baixa comparada ao meu tamanho, mas ainda assim me dá medo.

 — Cheguei. — Katherine abre um sorriso cruzando os braços.

 No mesmo instante Maree avança em sua direção, sou rápido o suficiente para segurá-la. Ela abre a boca pronta para gritar os piores xingamentos, mas coloco a mão em sua boca enquanto digo:

 — Que bom, estávamos mesmo te esperando. Estamos ansiosos para conhecer a grande Woodbeard. — Katherine olha para mim confusa com a cena. Maree continua falando e eu continuo com a mão em sua boca, pela expressão em seu rosto percebo que não são palavras gentis e de agradecimento.

[...]

— Aqui é o nosso laboratório, vocês vão gostar de fazer experiências. Ano passado eu acabei colocando fogo em uma das cortinas, foi hilário ver as garotas gritarem sem parar quando os sprinklers dispararam. Nunca vou esquecer a cara da Marjorie naquele momento. — Ela começa a rir enquanto olha para o nada como se estivesse relembrando o momento. Maree e eu a encaramos sem reação.

 — É sério isso? Você ateou fogo em uma cortina? Caramba! Eu queria ter visto isso. — Maree anda até ela e começa rir com Katherine.

 Afasto-me das duas dando uma volta na sala, ando com as mãos nos bolsos já que a sala é composta por frascos e potes de vidro. O meu histórico com pequenos acidentes não é muito bom, tenho uma fama de atrapalhado. Fico pensando no que Katherine disse sobre atear fogo em uma cortina. Percebo que ela é problema, e problema é o que eu não quero.

 — Será que podemos ir conhecer as outras salas? — Pergunto, indo em direção a porta.

 — É claro. Eu estava aqui conversando com Maree e ela me disse que é do Bronx. E você Dylan, é de onde?

 — Daqui de Londres mesmo. — Respondo rapidamente.

 Ela assente, parecia não saber o que responder e deu um sorriso pequeno. Ela parece ser legal, e é um tanto bonita. Não pude deixar de notar seu cabelo azul.

 Katherine. Azul. Aquelas palavras ficaram girando na minha mente, então como um tapa eu lembrei, é claro! Como pude ser tão lerdo, Katherine é a bruxa azul! Um dia antes de vir para a Woodbeard eu encontrei um blog, o The Woodbeard Fools, lembro de ficar por um tempo olhando as ultimas publicações. Marjorie, a garota de quem eu ouvi Katherine mencionar o nome, foi pega com outra garota. Também aconteceu uma briga entre Katherine e outras garotas. Fico tentado a perguntar sobre tudo oque eu li, mas não vou fazer isso.

 — Realmente é um lugar muito bacana. Ei, eu ouvi falarem que hoje vai acontecer alguns testes para as equipes de esportes da escola, como eu faço para participar? — Ela me olha com uma expressão de tédio, parece que a pergunta não foi feita para a pessoa certa. Ela anda em direção a porta respondendo de costas:

 — Hoje vai acontecer somente uma parte dos testes, eles são feitos por partes já que são bem organizados. — Sinto Maree ficar entusiasmada indo atrás de Katherine com pequenos pulos.

 — Vou fazer teste para o futebol americano. — Digo sussurrando já que as duas não estão mais na sala.

 Quando chego à porta, vejo a bruxa azul descendo as escadas sozinha, pelo entusiasmo de Maree imagino que ela tenha ido atrás de algum teste. Ando rapidamente para alcançar Katherine, quero conhecer essa garota que me intriga tanto. Andamos por metade da escola enquanto ela mostrava para Maree e para mim todas as salas e ainda assim não disse uma palavra sobre si mesma. Ela parecia não querer abrir brechas para perguntas sobre sua vida.

 — Katherine, espere um pouco! Tenho algumas perguntas sobre a escola. Ninguém me falou sobre as regras, horários e professores. — A melhor forma de puxar assunto seria falando sobre a escola.

 — Regras? Horários? Não acredito que você está perguntando isso para mim! Eu acabei de contar para vocês dois que eu botei fogo na cortina, Dylan! Sinceramente, eu não sou a melhor pessoa para te ajudar com isso. — Ela sai andando enquanto ri, ela está rindo de mim?

 Essa garota realmente parece ser problema, mas prefiro não pensar mais nisso. Vou me concentrar em entrar para os times que me interessam. Primeiramente vou até o campo de futebol para ver como estão as coisas.

Marjorie Woodbeard Point of View

Temos um tempo de intervalo, antes dos testes começarem. O céu estava sem uma única nuvem e hoje não estava tão frio como eu imaginava que estaria. Eu estava sentada em um banco afastado do jardim enquanto escrevia em meu diário:

Querido diário, não posso chamar de 'querido' um local que estou narrando uma das coisas mais difíceis que está acontecendo em minha vida.

É estranho, muito estranho. E assustador. Eu nunca escrevi algo sobre mim ou nunca escrevi algo desse tipo antes.

Vamos lá. Eu estou com Elizabeth há pouco tempo e nós já passamos por muita coisa e muitas pessoas estão cegas pelo preconceito. Nunca liguei para isso. Eu a amo mais que tudo e ela cuida muito bem de mim. Não importa oque dizem ninguém nunca vai mudar isso.

Cada sorriso que ela tira de mim, eu me apaixono mais por ela.

 Elizabeth me conhece como ninguém, ela sabe o que passamos para estar aqui. Ou pelo menos saber que tentamos.

 E não canso de falar o quanto ela me faz feliz.

Bom, na madrugada do outro dia, acordei com pulsação baixa e suando frio. Não conseguia sequer me mover, realmente a pior sensação que a ansiedade e pânico nos trás. Era como se eu estivesse amarrada e sem forças para chamar por ajuda.

Você já se perguntou o que é alma gêmea?

É uma melhor amiga, só que mais. Para ser mais direta, é a pessoa que faz todo sentido em sua vida.

 Nós temos vários amores em nossa vida. O primeiro, que você sabe que não dá certo, mas ama mesmo assim. Mas paixão só temos uma. As pessoas dizem que sou muita nova para falar disso e é por isso que tenho mais certeza de elas não sabem o que estão falando.

Você já sonhou que estava se afogando é não conseguia ir para a superfície? Ou já teve um momento de estresse, mas não podia gritar de raiva, pois tinha gente no cômodo ao lado?

Essa é a sensação de ter que esconder para todos o amor mais lindo do mundo.

 Não sei quando vamos poder nos assumir sem sermos criticadas por amar ou por ser amada.

 Se Elizabeth um dia ler isso: eu te amo e sempre vou estar com você!

Fecho o caderno, passando rapidamente os dedos pela textura da capa dura marrom. Por que as coisas tinham que ser tão difíceis?

Maree Kimberly Parker Point of View

Volto para o corredor assim que a tal de Katherine mostrou para Dylan e para mim a escola. Ela é americana, assim como eu, então a conversa ficou muito mais interessante, apesar de ela ficar explicando com tédio. Não julgo, faria a mesma coisa, ninguém merece ser guia turístico.

 Mesmo assim aquele passeio foi chato. A escola é chata. A única coisa legal são os esportes. Mas eu tinha que agradecer por conseguir entrar. A situação da mãe não é nada boa e eu preciso me dedicar pra continuar nesse lugarzinho de rico. É a minha chance de dar uma boa vida pra ela e pra mim.

Perco-me em meus pensamentos e nem percebo que um idiota cruza meu caminho, me empurrando com o ombro. Babaca, ele fez isso de propósito! Tiro meus fones de ouvido com raiva, eu estava escutando Bruno Mars, é uma hora sagrada, mas esse idiota estragou.

— ‘Tá me tirando, irmão? — Pergunto, encarando o babaca. — Eu vim do Bronx, não tenho medo cara!

— A tampinha está nervosa — Ele comenta, rindo. Vai rir bastante também quando eu der um socão nele. —, escuta aqui, baixinha, eu sou um jogador. Creio que você não vai querer tentar me bater. — Ele gargalha.

— Que mané jogador, irmão. Vem fazer alguma coisa que eu te dou um chutão que ‘tu nunca vai poder ter filho. — Coloco as mãos na cintura, arqueando as sobrancelhas e desafiando ele a tocar um dedo em mim.

O jogador idiota ousa levantar a mão suja dele pra me bater e eu solto uma risada baixa e debochada, esperando. Ele não ia ter coragem, conheço esse tipo de riquinho metido a Von Miller*.

No mesmo momento, um cara bem mais alto que ele segurou forte em sua mão, o fazendo recuar alguns passos ainda me encarando. Cruzei os braços.

— Aaron, eu já não te disse que devemos tratar bem as garotas? Como você ousa levantar a mão pra ela, cara? — Ele pergunta sério. — Peço desculpas por ele, não sabe o que faz. — Se vira pra mim e sorri, empurrando o cara.

— 'Tá de brincadeira com a minha cara, né? 'Tu acha mesmo que eu preciso que algum moleque me proteja? — Aponto o dedo no rosto do mais alto, que desfez o sorriso. As pessoas tinham formado uma roda em volta de nós, uau, no meu primeiro dia eu já tinha uma platéia. — E você, jogadorzinho de merda, tu tá avisado. — Aponto pro mais baixo e depois viro de costas, educadamente empurrado os metidos que foram ver o que estava acontecendo.

Não é possível que eu tenha que conviver com esses mauricinhos que não conhecem nada do mundo e com essas patricinhas que acham que o mundo gira em torno delas.

Na minha vida eu sofri e passei por diversas coisas, não vou ficar com medinho desses ai que acham que podem controlar todos.

Prior Kang Russell Point of View

Cruzo minhas pernas enquanto estou sentada do lado de fora do ginásio vendo as garotinhas entrando para fazer o teste de líder de torcida. Elas parecem bem mais jovens que eu, no mínimo uns dois anos. Reviro os olhos quando vejo as expressões de desprezo de algumas enquanto olham para as garotas que consideram feias. Tão tolas!

Cruzes, falando desse jeito parece até que eu sou uma adulta careta. Deus me livre! Ajeito-me no banco e olho para os lados. Vendo que nenhum adulto passaria, tirei um cigarro da carteira e o acendi, colocando-o entre meus lábios.

Trago algumas vezes até que vi um garoto de cabelos negros e touca se aproximar de mim. Harrison Turner. Ele se senta ao meu lado e eu dou um sorriso. Sem dizer nada, ofereço meu cigarro. Ele o pega e coloca-o na boca tragando algumas vezes, por fim me devolvendo.

— Tenho alguns na carteira, se quiser. — Digo, com meu olhar focado no gramado a nossa frente.

— Aceito. — Ele diz, me olhando. Pego a carteira no bolso da minha jaqueta azul escuro e o entrego junto com o isqueiro. Harry cende o cigarro e me devolve o isqueiro. Não muito tempo depois me olho com um sorriso debochado. — Vai fazer o teste, Prior?

— Olha bem para a minha cara, Harry. Você acha que eu vou perder meu tempo? — Respondo com tédio. Até parece que ele não me conhece. — Vou fazer dezenove ano que vem, entrarei na universidade. Não vou me ocupar com coisa de pré-adolescente mimada.

Harrison solta uma risada alta.

— Essa é a Prior que eu conheço. Bom não ter mudado desde o último ano que estudou aqui. — Harry sorri ladino e eu começo a lembrar de quando estudei por exatamente um ano aqui.

Era diferente. Fazia tempo, alguns bons anos. A atual diretora não estava nesse cargo, era seu pai, o senhor Woodbeard. Era muito melhor do que hoje. Não consegui até hoje simpatizar com essa diretora.

Meu primeiro amigo foi Harrison. Sempre como meu irmão mais novo, já que Nash estava na Austrália. Meus pais não queriam que ele estudasse aqui com tão pouca idade, só viria quando estivesse no primeiro grau. Assim se fez.

Harrison e eu éramos como a dupla de crime perfeita. Aprontando todas e enlouquecendo o antigo diretor. Íamos a sala dele quase toda semana. Eu era uma garota bagunceira, admito. Continuei mantendo contato com Harry quando voltei para meu país, mas não era realmente como antes. Encontramo-nos várias vezes antes de começar o ano letivo e então ele me apresentou o mundo do vício ao cigarro.

Eu não consigo parar. Meus pais não sabem e ficariam furiosos. Nash prometeu não contar nada, mas sei que ele não fica contente. De qualquer forma, não quero que ele se meta.

— A coordenadora. — Ele diz baixinho, então jogamos os cigarros no chão, pisando em cima para ela que não veja que estamos fumando. Com certeza estaríamos ferrados. — Dame... — Harry se levanta, oferecendo o braço. Dou uma risada e aceito. —... vamos nessa. — Ele continua, então começamos a andar sem um rumo concreto e como se nada tivesse acontecido, passamos pela coordenadora.

Jackson Lee Point of View

Saindo do campo, um novato se aproxima da gente. Vejo Callum revirar os olhos e bato em seu braço, pronto para ouvir o garoto.

— Me chamo Dylan. Dylan Morgan. — Ele diz. Seu sotaque é britânico. — Eu queria saber quando será o teste para o time de futebol.

— Ah, sim. — Digo. Fico feliz em saber que talvez poderemos ter mais um jogador em nosso time. — Será depois de amanhã, nesse mesmo horário. — Digo. No mesmo momento, me lembro do teste para as líderes de torcida. — Aliás, garotos, está acontecendo o teste das líderes de torcida, lembram? — Pergunto e eles assentem. — Venha conosco, Dylan.

Assim que digo, ele diz um sim e sorri, nos seguindo. Hiro e Aaron ainda se encaram, portando entro no meio dos dois impedindo que algo de ruim acontecesse. Esses dois estão brigando demais para o meu gosto. Todos estão para falar a verdade. Esses garotos brigaram pelas coisas mais desnecessárias que podem existir.

Assim que chegamos, silenciosamente vou até minha namorada e beijo sua testa. Ela está usando suas marias-chiquinhas de treino, está linda como sempre. Então vamos até o banco onde Lin está sentada. Aaron já está ao seu lado falando algo, nada bom, se for analisar a expressão de Lin, que revira os olhos a todo o momento. Vou até ela e me sento em seu lado, bagunçando seus cabelos.

— Jack, eu te mato! — Ela exclama me dando um tapa no ombro. Dou uma risada. Gosto de provocar Lin, é engraçado. Sei que ela não gosta que toquem em seus cabelos, e sua reação nunca é amigável.

— Noah, porque não se senta ao lado da Lin? — Provoco novamente. Yumi e eu gostamos de brincar que os dois formariam um bom casal.

— Deixa de ser idiota, garoto. — Ela me dá mais um tapa, só que na cabeça. — Noah e eu somos só amigos. Além disso, eu não preciso de um namorado, se é isso que você quer dizer.

— Colocou as palavras em minha boca. — Dou um sorriso.

— Cara, deixa a Lin. Você sabe que nunca iremos ficar juntos. — Noah olha de volta para Lin e se sentou em meu lado.

Lin pousa os olhos em Dylan, que ainda estava em pé.

— Você é o Dylan, o novato, não é? — Pergunta. Ele assente. — Katherine te fez algo de mal?

— Não. — Ele ri. — Mas nos disse que ateou fogo em uma cortina certa vez.

Lin não se controlou e riu. Também comecei a rir, assim como Noah que ria de forma mais discreta. Comecei a lembrar do acontecido. Aquele dia foi realmente louco. A escola inteira ouviu os gritos das garotas.

Paramos de rir aos poucos. Hiro estava falando com Hana, sua irmã, e eu pude ver que os olhos de Noah estavam totalmente focados naquela novata. A novata que Yumi e Lin tinham brigado.

Clair Esme Blanche Point of View

Estou sentada no ginásio enquanto olho todas as garotas entrarem. Provavelmente elas irão fazer o teste para as líderes de torcida já que estam eufóricas. Noto que são todas muito bonitas e me sinto um pouco desencorajada a ponto de desistir. Quando me levanto pronta para fazer isso, vejo Yumi e Lin entrarem. Sem perceber, sento novamente.

No mesmo instante Marjorie entra acompanhada de duas garotas. Ela faz um sinal para que as duas se afastem e vai até o meio do ginásio gritando:

— Olá vadias! — Seus cabelos loiros estam atrás dos ombros e suas mãos pousadas na cintura. Ela encara cada uma das garotas que estam aqui, parando seu olhar em mim. Ah, essa garota! Ela deveria saber que não deveria me testar desse jeito. — Como sabem, sou capitã das Heavens a 3 anos. Tenho o prazer de liderar seis de vocês. Esse ano precisamos de mais garotas e vocês vão ter que ralar pra conquistar o título de Heaven. — Ela conclui, dando um sorriso debochado.

Yumi que está do outro lado do ginásio, revira os olhos, encarando Lin que está ao seu lado. Ela também está junto com os garotos dessa vez. Penso que talvez Yumi seja uma líder de torcida oficial, afinal ela estava usando as mesmas roupas que Marjorie usa, ao contrário de Lin que usa o uniforme — não sei se ela faria o teste ou não.

— Eu vou pedir que as titulares venham até aqui. Violet, Yumi, Vivian, Victoria, Chelsea e Alice. — Marjorie chama e elas imediatamente vão até lá, com exceção de Yumi, que com um sorriso debochado olha para Marjorie e vai até a fileira das garotas. — Vocês, garotinhas, acham que vão conseguir o título de Heaven ou pelo menos reserva? — Ela ri. — Vão ter que dar o melhor, porquê aqui estão as melhores e eu duvido muito que mais do que três de vocês consigam. Vamos começar os testes.

Marjorie, Chelsea e Yumi se sentam em uma mesa e bem ao centro havia uma cadeira sobrando. Penso que talvez elas sejam as principais titulares. Logo, uma mulher loira de olhos verdes e expressão intimidadora entra no ginásio. Ela usa uma calça preta e um cropped azul escuro com o nome da escola.

— Me chamo Chloé Lawford e sou a treinadora das Heavens. Atualmente tenho trinta e três anos e fui capitã das líderes de torcida quando estudei aqui. — Ela sorri. Parecia simpática. — Vamos começar fazendo uma pequena demonstração das nossas titulares.

Todas as titulares vão até o centro do ginásio, e assim que estavam preparadas, a treinadora faz um sinal e uma música começa a tocar. Marjorie está a frente das garotas que fazem uma fila atrás dela. Levantam seus braços em sequência assim que Marjorie estala os dedos. Um passo que apesar de simples, é incrível.

Começam a dançar, cada uma tem seu estilo de dança e demonstra muito bem. Elas misturam vários estilos criando uma demonstração incrível. Nesse momento me imagino no meio. Aquelas garotas são sem sombra de dúvidas muito melhores e criativas que as do meu antigo colégio.

Eu posso não ser a mais bonita, mas darei o meu tudo para conseguir o título.

Sou tirada de meus pensamentos com a treinadora Chloé dizendo:

— Esta foi a apresentação do ano passado das líderes de torcida da Woodbeard na competição europeia. — Para por alguns segundos. — Quem não sabe, a competição europeia é um evento que ocorre uma vez por ano onde as líderes de torcida de cada colégio competem. Nós ganhamos todos os anos. Posso até dizer que ninguém chega aos nossos pés. — Ela sorri. — O teste funcionará dessa forma: cada garota, tanto reserva ou que pretende entrar, irá fazer uma apresentação freestyle solo com uma música aleatória que iremos colocar. Marjorie, Yumi e Chelsea darão as notas juntamente comigo. Minha nota terá um peso maior, obviamente, seguida pelas notas delas e uma coisa nova: as outras pessoas que estão assistindo também poderão votar, essas notas terão o menor peso, mas também contará. Sejam honestos quanto às notas, precisamos de dançarinas boas e não apenas bonitas.

Então, os testes começam. Foram chamados diversos nomes, todas muito talentosas e bonitas. Eu temho que conseguir esse título. Olho para todos os cantos do ginásio. Na mesa estão as três garotas e a treinadora, elas tem olhares sérios e rápidos, parecem analisar até mesmo a respiração da garota que se apresenta. Olho para o outro canto. Lin está lá, junto com os garotos do time de futebol, todos também prestando atenção. A postura de Lin é incrivelmente reta. Seu olhar é igualmente sério.

Ouço uma voz dizendo meu nome. Balanço a cabeça levemente espantando todos os pensamentos que dizem que eu não irei conseguir e levanto, respirando fundo.

 — Essa garotinha só vai conseguir se for melhor que eu! — Marjorie exclama, batendo na mesa enquanto levanta. Vi Yumi revirar os olhos e Chelsea encostar-se à cadeira de qualquer jeito, observando o showzinho da loira. — Já que você acha que pode vencer, vamos fazer uma batalha de dança. — Ela me encara, intimidadora.


Notas Finais


E aqui estamos nós. Briga de Aaron e Hiro, no que isso vai dar hein? Como sempre, Jackson separou a briga dos garotos. Kath e Yumi fizeram finalmente as pazes, e nossa smurf foi apresentar a escola para os novatos! Tivemos também Marjorie escrevendo em seu diário (nos digam o que acharam dessa cena também!) e o surgimento de dois novos personagens: Prior e Harry. Será que vem casal por aí ou vai ser só amizade? Vamos esperar pelos próximos capítulos, rs!

Explicação sobre Von Miller: quando Maree fala que os jogadores do time do colégio são 'metidos a Von Miller', que é um dos melhores jogadores de futebol americano, ela quis dizer que eles se acham bons jogadores.
Explicação da palavra Dame: significa literalmente 'dama' e é um título exclusivo para as mulheres que fizeram algo bom para o Reino Unido, este título é dado todo ano pela própria Rainha.

Ah, e outra coisa. Sobre a Marjorie ter citado sobre liderar as "Heavens", esse é o nome das Líderes de Torcida, no caso, Woodbeard Heaven (formalmente) porém são chamadas apenas de Heavens. Assim como o Time de Futebol Americano, chamado formalmente de Football Woodbeard Royal Eagle, porém conhecidos apenas como Royal Eagle ou Eagles. Explicamos tudo no próximo capítulo!

Personagens: https://docs.google.com/document/d/1BxQzo1HUqM0KRA-mqvFFd86_otRf10tbDs8tvYttDUQ/edit?usp=sharing
Obrigada por dar uma chance a OSDW ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...