História Os Vampiros de Stonebridge - BTS - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Aventura, Bangtan, Bangtan Boys (bts), Bts, Comedia, Drama, Fantasia, Ficção, Hoseok, Humor, Jimin, Jin, Jungkook, Magia, Mistério, Mistico, Mystic, Namjoon, Romance, Sobrenatural, Suspense, Taehyung, Terror, Tragedia, Vampiro, Vampiros, Yoongi
Visualizações 22
Palavras 2.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ótima leitura para todos! <3
E obrigada pelo apoio e carinho S2

Capítulo 17 - Capítulo 14 - Santuário!?


 – Acha mesmo que tem alguém aqui e que Anne consegue saber? – perguntou Jungkook desconfiado para os amigos.

– Vamos descobrir já. – Disse Hoseok fazendo sinal para ficarem quietos.

Taehyung ia atrás dos amigos, vigiando os arredores. Os três iam rápido, mas em absoluto silêncio pelo bosque. Levaram somente alguns minutos para chegarem até a entrada com a grade de ferro.

Hoseok entrou primeiro, fazendo sinal para que os outros o seguissem. Agora que estavam lá dentro, iam devagar e com cuidado, aguçando seus sentidos para descobrir se havia mesmo alguém lá. Foram em direção ao salão, segundo Jimin, foi lá que Anne viu os indivíduos.

Quando chegaram no corredor que dava para o grande salão, ouviram vozes sussurrando e se entreolharam, surpresos por Anne realmente ter sentido presenças ali.

Hoseok parou e tentou ouvir o que as pessoas lá dentro falavam, mas não conseguiu entender nada. Ele não conhecia a língua que falavam. Os outros dois também não entenderam. Então eles foram devagar e se aproximaram da entrada, se abaixando para não serem descobertos.

Eles viram cinco formas escuras lá dentro. Uma delas, estava ao lado da pilastra e tinha uma espécie de adaga nas mãos e as outras se mantinham fora do baixo-relevo.

A figura que segurava o objeto, fez um movimento rápido e encaixou o objeto na pilastra fazendo um enorme faixo de luz sair de onde ele havia fixado o objeto, seguido de um estrondo ensurdecedor. O indivíduo foi arremessado longe, assim como Taehyung, mas aparentemente com mais violência e foi parar na parede do outro lado. O objeto também foi arremessado e por pouco não acertou uma das figuras escuras, indo fincar na parede atrás delas.

Os garotos que haviam tampado os ouvidos e fechados os olhos diante da intensidade daquela luz, agora se voltavam para observar mais atentamente o que estava acontecendo. A figura arremessada, se levantava e ia contra a pilastra com ira, mas foi detida por outra figura maior.

Parecia que eles agora estavam discutindo e Hoseok achou que seria a melhor hora para uma abordagem, já que eles estavam distraídos. Ele ainda abaixado, entrou no aposento, sendo seguido por Jungkook e Taehyung. Quando estavam completamente dentro do local, com um sinal de cabeça, os três se levantaram e quase que instantaneamente apareceram atrás de três deles, não dando tempo para eles reagirem. Quase em sincronia, os três quebraram os pescoços das três figuram, fazendo com que as outras duas se assustassem com a abordagem e tirassem das vestes, armas estranhas que os garotos não reconheceram.

Hoseok não esperou para descobrir o que eram aquelas coisas e partiu rapidamente para cima do maior, o empurrando até a parede oposta. Jimin queria informações, então Hoseok apenas o segurou com firmeza e perguntou quem eram eles. A figura que usava uma espécie de máscara, embora parecesse “viva” e tinha olhos purpura, não respondeu.

Atrás deles, Jungkook e Taehyung cercavam o que foi arremessado. A arma que estava na mão da figura escura começou a emitir um brilho amarelado e, mas antes que ele conseguisse disparar, Jungkook o jogou no chão e a arma foi parar longe deles. Taehyung segurou a figura no chão pisando em seu pescoço só o suficiente para mantê-lo imóvel. Eles também perguntaram quem eram eles, mas ela figura não respondeu.

A outra que estava sendo mantida presa por Hoseok, gritou alguma coisa para a outra de um jeito irritado, a outra respondeu do mesmo jeito, mas os vampiros não entenderam nada. Hoseok apertou um pouco mais seu braço na garganta da figura e perguntou:

– O que vocês fazem aqui? E Que lugar é esse?

A figura rosnou alguma coisa e Hoseok deu um pisão no pé dela a fazendo urrar de dor.

– Com você vai ser pior. – disse Taehyung para o que estava embaixo de seu pé. A figura tentava em vão tirar o pé de Taehyung de sua garganta, mas o golpe veio de Jungkook que estava ao lado e com seu pé acertou em cheio o peito da figura, fazendo-a perder o ar.

O indivíduo que estava com Hoseok berrou e disse alguma coisa, parecia estar praguejando, mas entre as palavras, Hoseok conseguir entender uma; santuário. Ele olhou para os amigos que entenderam o recado de que eles não conseguiriam mais nada deles. Ele se virou com os olhos brilhando com uma luz fraca azul-claro e com rapidez, mordeu o pescoço de seu prisioneiro até que ele ficasse completamente sem sangue. Jungkook fez o mesmo com o outro enquanto Taehyung ainda o prendia. Sem dizerem uma palavra, eles trataram de levar os corpos para fora do lugar, pois não sabiam se mais pessoas entrariam ali depois.

Já caminho para a cidade, eles resolveram ligar para Jimin e contar o que aconteceu.

– O que descobriram? – Jimin perguntou assim que atendeu o celular. Ele e Anne já estavam em sua casa. Ela dormia na cama de Jimin, enquanto ele segurava sua mão. Anne havia adormecido no carro enquanto ele cuidava do vampiro morto e ele resolveu não acordá-la e a levou para sua casa até que ela tivesse condições de voltar para sua casa.

– Somente algumas coisas. – disse Hoseok do outro lado da linha. – Mas acho melhor conversamos pessoalmente. – ele sugeriu.

– Certo. Venham aqui para casa. Anne não está em condições de sair agora e nem de ficar sozinha. – Jimin decidiu.

– Estamos indo. – Hoseok terminou a ligação.

Jimin colocou o celular na mesinha ao lado de sua cama e passou a mão nos cabelos da namorada que parecia dormir profundamente. “Eu não vou deixar que nada aconteça com você. Eu prometo!”, ele disse em voz baixa, sorrindo ao ver como Anne dormia tranquila.

Minutos depois os três chegaram na cada dos Park. A mãe de Jimin e Jungkook, não estava em casa e seu pai ainda estava na Ásia. Assim que entraram, viram Jimin descer as escadas. Parecia muito preocupado, mas os cumprimentou com alegria:

– Que bom vê-los! – os recém-chegados o cumprimentaram com tapinhas no ombro, menos Jungkook, que havia ficado muito preocupado com o irmão e o abraçou rapidamente, sem jeito.

Jimin não perdeu mais tempo e foi direto ao assunto:

– E então, o que aconteceu lá? – os três se entreolharam, ainda estavam espantados com a adivinhação de Anne.

– Ela estava certa, acredita? – Taehyung falou admirado. Jimin apenas levantou uma das sobrancelhas, como que querendo dizer que aquilo era óbvio. Ele sempre acreditou na namorada.

– E o que mais? – ele perguntou impaciente indo sentar ao lado do irmão mais novo que ainda o olhava preocupado.

– Havia cinco pessoas, todas no grande salão, além delas, não vimos mais ninguém. – Hoseok disse objetivo. Conhecia o amigo e sabia que para assuntos sérios, ele detestava enrolação.

– Conseguiram alguma informação deles? – ele perguntou.

– Eles falavam uma língua que nós não conhecíamos. Derrubamos logo três deles e tentamos arrancar alguma coisa dos outros dois. A única coisa que conseguimos foi uma palavra.

– E qual palavra é essa?

– Santuário. – Jungkook foi quem respondeu.

– Santuário? – Jimin repetiu confuso.

– Sim. – Hoseok confirmou. – Em meio a muitas palavras desconhecidas, um deles disse claramente a palavra “Santuário”.

– E quem eram eles? Vocês os reconheceram? Eram de outro país? – Jimin perguntou, levantando-se e indo se servir de uma bebida.

– Eles estavam com umas máscaras muito esquisitas. Não ousei tocá-las. Pareciam… vivas… – Hoseok disse sério, olhando para os outros que confirmaram.

– E tinha também aquelas armas estranhas. – Taehyung completou. Jimin olhou para ele mais interessado.

– Armas diferentes em que sentido? – ele quis saber.

– Bem, não deixamos que eles a usassem, para sabermos com certeza. Enterramos junto com eles, mas vimos elas emitirem uma luz amarela. Não eram armas de fogo humanas. Isso eu tenho certeza. – disse Jungkook.

– Isso é tudo. – encerrou Hoseok. – E quanto a Anne?

– Ela está dormindo. Fomos atacados no caminho para cá. – Jimin disse seriamente.

– Atacados? – os três disseram em uníssono.

– Sim. Por um vampiro selvagem e faminto. – Jimin respondeu. Parecia chateado e Taehyung percebeu.

– Vocês estão bem? – Hoseok perguntou primeiro.

– Sim, estamos bem. – Jimin disse, voltando a se sentar ao lado do irmão.

– Mas você disse que ela estava…

– Foi depois disso. – Jimin respondeu antes que Hoseok terminasse a pergunta, pois já sabia qual era. – Eu tive que matá-lo. – ele falou baixando a voz. Todos ali sabiam que Jimin detestava ter que matar um vampiro, mas não era a primeira vez e nem seria a última e todos ali sabiam muito bem disso.

– Ele farejou a Anne? – Hoseok perguntou.

– Provavelmente. Não havia mais ninguém por ali. – Jimin respondeu.

– Esses miseráveis! – Jungkook esbravejou, fazendo todos o olharem surpresos. Ele cruzou os braços com a cara fechada e todos resolveram deixar para lá. Sabiam que apesar das provocações, Jungkook gosta de Anne.

– Ele chegou a pegá-la? – Taehyung perguntou curioso.

– Não. Ele não encostou nela, mas… – ele parou de falar, mas logo recomeçou de um jeito triste.

– Mas ela acabou vendo eu matando aquele desgraçado. – ele disse e todos entenderam o porque da tristeza dele. – Ela ficou muito assustada. Uma coisa é ouvir e outra é ver… – Jimin parou de falar de vez agora.

– Ela está com medo de você agora? Ou melhor, da gente? - quis saber Taehyung.

– Acho que ela ficou um pouco no início. Expliquei que não gosto de fazer isso e ela entendeu. Eu disse que se ela quisesse se afastar de mim, eu também entenderia.

– E o que ela falou? – Agora foi Jungkook quem perguntou aflito.

– Ela disse que ficou com medo, mas depois pensou que se eu quisesse, já poderia ter feito alguma coisa com ela, além do que, eu salvei a vida dela.

– Ela sabia que ele estava atrás dela? – Hoseok perguntou intrigado.

– Sim. Apesar de ela estar exausta por causa do que lhe aconteceu, ela sentiu a presença dele. – Jimin também havia ficado impressionado com Anne.

– Tem certeza que ela não está com medo da gente ou desconfiada? – Perguntou Taehyung ainda incrédulo sobre o fato de Anne os aceitar tão bem.

– Ela está aqui. Isso já prova isso, não? – disse Jungkook irritado. Taehyung deu de ombros.

– Na verdade, isso não diz nada. – disse Jimin.

– Como assim? – Jungkook encarou o irmão surpreso.

– Eu fui me livrar do corpo e ela ficou no carro, quando voltei, ela estava dormindo e está assim ainda. – ele disse com um leve sorriso no rosto. Hoseok falou exatamente o que estava passando na cabeça do amigo:

– Ela tem visões, é atacada por um vampiro sedento, está na companhia de outro vampiro numa estrada sem mais ninguém e, sozinha no carro, ela dorme…!? – todos riram baixinho. “Ela é mesmo inacreditável”, Jimin pensou.

– Sem contar que, caso vocês tenham se esquecido, ele “vê” coisas. Isso não deixa vocês curiosos? – lembrou Jungkook.

– É realmente um fato curioso. – constatou Hoseok. – Jimin, como ela tem essas “visões”? – ele perguntou ao amigo.

– Ela parece que entra num tipo de transe. Aconteceu ontem bem no meio da plantação de flores do meu avô. Ela simplesmente parou e ficou imóvel por alguns minutos, tentei fazer com que ela me respondesse, mas nada, até que ela gritou meu nome e começou a chorar.

– Tadinha. – disse Taehyung. – E seu avô não esclareceu o que ela tem? – perguntou.

– Não. Ele disse o mesmo que vocês, que ela pode ser mesmo uma mística. Mas ele disse que conhece um jeito de entrar em contato com um místico, ele pode dizer se ela é ou não uma.

– Isso é ótimo! Então por que o desanimo? – Hoseok questionou.

– Ele disse que o místico é muito reservado e ele pode não querer ajudar. – Jimin respondeu voltando a ficar cabisbaixo.

– Não perca as esperanças. – animou Hoseok. – Isso ainda pode dar certo.

– Ele também disse para procurarmos os descendentes dos nativos dessa região. – Jimin voltou a falar.

– Nativos de Stonebridge? E por que? – Jungkook quis saber.

– O vovô disse que os nativos praticamente entregaram essas terras aos colonizadores e foram embora. Os poucos que ficaram mais um tempo, diziam para eles que o mal “contaminou” a terra. Isso pode ter alguma relação com o lugar. Nem vovô sabia daquele local, mas isso bateu com informações que ele colheu a muito tempo. Ele disse que aquele é o único lugar que ninguém conhece por aqui.

– Isso faz sentido. Mas por que será que esse local é tão desconhecido? E por que isso seria uma coisa ruim? – Questionou Taehyung mais para si mesmo do que para os amigos.

– Precisamos encontrar um descendente e torcer para ele saber mais sobre aquele lugar. Anne com certeza tem uma relação com ele e segundo meu avô, os místicos podem ter relação com ele também. – Jimin disse mais esperançoso.

– Concordo. Mas como faremos isso? – Perguntou Jungkook.

– Podemos ir atrás deles nas redondezas, não será difícil para nós. – disse Jimin se levantando. – Vou ver como ela está, pelo jeito ela pode ter esses “transes” em qualquer momento.

– Eu vou dar uma passada no Mac’s para ver se consigo alguma coisa sobre os nativos. Um começo pelo menos. – Disse Hoseok e Taehyung foi junto.

– Posso ir com você? – perguntou Jungkook meio sem jeito.

Jimin riu do irmão que raramente ficava daquele jeito.

– É claro. Vamos.


Notas Finais


Até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...