1. Spirit Fanfics >
  2. Osomatsu-san - LoveRevenge >
  3. Naquela noite.

História Osomatsu-san - LoveRevenge - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Naquela noite.


 

Naquele mesmo dia, no horário marcado, Atsushi estaciona seu carro na frente da casa dos Matsunos, até Totty sair todo arrumado dando um 'tchau' com a mão e falando que voltaria mais tarde para a família. Durante o passeio, Todomatsu se mostrava bem animado, mas Atsushi nem tanto.

 

- Então, pra onde que você vai me levar?

- Pro lugar mais barato que tiver...

- Que isso? Eu valo tão pouco assim pra você? Me magoou agora. - fazendo uma falsa cara de choro. - Só por isso agora eu quero ir no lugar mais caro da cidade! Naquele restaurante do centro. Eu até ouvi dizer que lá perto tem um ótimo motel... - falava suave, demostrando sedução ao maior.

- Está bem, tanto faz...

 

 

[Quebra de tempo]

 

Atsushi estava pensativo sobre o assunto que tratou com Todomatsu, andava pra lá e pra cá em seu quarto, e então, ele chega a sua conclusão final, tinha que fazer algo para contra atacar essa ameaça, mandou chamar uma certa pessoa para se encontrar em seu escritório, e o tal convidado entra fechando a porta cauteloso.

 

- Pois não, senhor? Algum problema?

- Eu tenho um trabalho pra você, Niyori. Quero que ache uma coisa que pode me encriminar, e a destrua.

- Sim, senhor... Mas oque seria?

- Todas as gravações em vídeo e oque tiver escondido em qualquer dispositivo sobre meu "trabalho" nos becos.

- Entendi. E quem é que está por trás disso? Aquele garoto que acabou de sair daqui a alguns minutos?

- Não, e deixe que eu me preocupo com ele. Tenho certeza de que foi um dos irmãos dele que o ajudou de alguma forma...

- Então é pra achar e dar um fim nesse irmão também?

- Não, não... Seria arriscado se algum conhecido souber... Nunca foram muito com a minha cara, se um deles desaparecer eu serei o primeiro suspeito.

- Entendi, apenas dar um fim nas gravações.

- Exatamente, mas pode dar um pequeno susto no irmão que está ajudando o pequeno rosado.

- Pode deixar, chefe!

- Agora saia... Eu preciso ficar sozinho para pensar no que fazer...

- Claro, senhor. Já estou indo então. - este vai saindo do cômodo com a mesma expressão séria de quando entrou.

 

 

[Voltando ao presente]

 

Todomatsu já estava se divertindo bastante no encontro com Atsushi, mas finalmente pede a conta, ele faz uma carinha fofa para que o outro abra logo a carteira e pague aos funcionários que lhes serviam, assim o maior fez depois de retrucar baixinho e olhar frustrado para o chão. Ambos saem do estabelacimento e vão até o motel que ficava a poucos metros de lá. Alugado um quarto, eles entram e deixam seus pertences sobre a mesa de centro, Todomatsu tinha algumas sacolas nas mãos, começou a empurar Atsushi para a cama enquanto sorria travesso, mandou tirar as roupas e continuar deitado, quando enfim o maior se despiu por inteiro Todo pega as algemas que havia trazido e prende ambas as mãos de Atsushi na cama, deixando o maior de braços abertos para ele, literalmente. Atsushi lhe olhava irritado mas mesmo assim não falava nada, o rosado mexe novamente na sacola, pegando uma máscara e um chicote. Enquanto colocava a máscara em si ele ria de nervoso, debochando da posição que estava.

 

- Ora, ora, meu caro Sushi... - mostrava o objeto em suas mãos. - Olha só! Agora sou eu quem vai te machucar!

- ... - este não dizia uma palavra desde o restaurante, apenas lhe encarava com certo ódio.

 

Todomatsu vai se aproximando da cama batendo com o chicote no chão e, consequentemente, fazendo um enorme barulho, chegando bem perto de Atsushi, este que havia fechado os olhos, talvez por precaução, talvez por medo. Totty enfim para de avançar, levantou a mão que segurava o instrumento de tortura para o alto, estava pronto para descarregar toda a raiva que tinha sido acumulada a anos, mas nesse momento começou a suar, seu coração de repente se via bem agitado, e ele deixa escapar um pequeno suspiro de pena. Atsushi, que temia abrir os olhos por uma possível tortura específica do menor, finalmente arrisca, vê Totty recuando, sem mais aquela animação toda que tinha antes em vê-lo sofrer, pelo contrário, estava levemente com um ar triste.

 

- Oque foi, Totty? Não consegue fazer nada comigo? - perguntava num tom suave, debochando.

- Eu só... Eu só tava pensando melhor no que fazer. - disfarça o pequeno.

- E então? Oque vai ser?

- Hum... Talvez não goste tanto de se "sujar" um pouco, né? - lhe olhando com um sorriso malicioso, porêm nervoso.

- "Me sujar"? Como assim? - perguntava confuso.

- Você vai ver...

 

Todomatsu se afasta da cama indo para a cozinha e pegando um pote de mel, ele então volta e despeja o líquido pelo tronco do outro.

 

- E então? Tá gostando de se sujar?

- Está de brincadeira, não é? - este começa a rir demasiadamente alto.

- O-oque? Como disse?!

- Você não é nem um pouco bom nisso, Todomatsu... Eu poderia te mostrar como se faz, se você não se importar.

- Nem pensar, Atsushi! - cruzava os braços, visivelmente irritado.

- Vamos! Oque tem a perder? Eu não ousaria encostar em você, não desejaria que as tais provas contra mim forem mandadas para a polícia.

- Hum... Está bem... Mas se comporte! - pega a chave que estava no bolso e lhe desprende. - Pronto, oque você pretende fazer agora?

- Eu?... - coçando de leve a região que prendia o pulso. - Eu quero te mostrar como é que se faz... - levanta e vai cada vez mais perto de Totty que recuava até encostar na parede, Atsushi chega e lhe prende com os braços bloqueando qualquer tipo de saída.

- A-Atsushi?... - tremia o rosado. - O-oque v-você vai fazer?

- Oque você quiser, é claro. - pisca enquanto lhe olhava sedutor.

 

Ambos ficam se encarando em silêncio, até Todomatsu reunir toda a sua coragem, tomar impulso e beijar Atsushi na boca, levantava um pouco as pontas dos pés num ato adorável, o pequeno logo faz o maior se entregar junto ao momento e ambos começaram a se abraçar enquanto isso, foram na cama, com Atsushi ficando por cima, ele pegava o outro ferozmente, beijando com muita intensidade, acabando por fazer o outro gemer alto e inúmeras vezes. O pequeno rosado, que já queria se depir também, recebe ajuda do maior, que tira quase toda sua roupa, porêm com um certo cuidado especial para a vestimenta de baixo, lhe acarisiava na região antes de tirar-la, oque fazia Todomatsu se arrepiar ofegante. 

Atsushi adorava ver o rosto do outro se perder no momento, acabou percebendo que além daquela carinha fofinha do garoto em sua frente, tinha uma pessoa determinada, que ainda que quisesse fazer mal a alguém não conseguia, aquilo era de certa forma admirável para ele, e adorável também.

Ambos fizeram coisas mais ousadas enquanto se perdiam nos braços um do outro, e por um momento, até se esqueceram do motivo pelo qual estavam reunidos ali, só estavam sentindo que esta noite estava sendo maravilhosa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...