História OUAT: A Descendant Story (LongFic) - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Descendentes, Once Upon a Time, Pretty Little Liars, Riverdale
Personagens Alice, Alison DiLaurentis, Antoinette "Toni" Topaz, Archibald "Archie" Andrews, Capitão Killian "Gancho" Jones, Carlos de Vil, Cheryl Blossom, CJ, Cruella De Vil, David Nolan (Príncipe Encantado), Dude, Elizabeth "Betty" Cooper, Emma Swan, Evie, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Forsythe Pendleton "Jughead" Jones III, Gamora, Groot, Harry Gancho, Henry Mills, Jade Thirlwall, Jane, Jason Blossom, Jay, Jesy Nelson, Lacey (Belle), Leigh-Anne Pinnock, Lonnie, Madre Superiora (Fada Azul), Mal, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Milah, Natasha Romanoff, Neal Cassidy (Baelfire), Penelope Blossom, Perrie Edwards, Personagens Originais, Peter Pan, Peter Quill (Senhor das Estrelas), Princesa Audrey, Princesa Aurora, Príncipe Ben, Príncipe James, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Rocket Raccoon, Roland, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Uma, Ursúla (Bruxa do Mar), Veronica "Ronnie" Lodge, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Bughead, Calihead, Captaindragon, Captainqueen, Choni, Hevie, Jarlos, Jaudrey, Malen, Rumbelle, Snowcharming, Swanfire
Visualizações 17
Palavras 1.944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - O1x16. Quem é ela?


No mesmo instante que Killian ouviu o nome Mirellah saindo da boca de Mal, soube que restava pouco tempo e que as três mocinhas estavam encrencadas e em perigo. À vista disso, foi ─ Junto com David, Archie, Jughead, Evie e Mal ─ atrás das mesmas. Jug sabia onde era o esconderijo dos Brutal Mice, logo, todos foram apressadamente para lá. Gancho estava bem próximo de um galpão abandonado, talvez, o cativeiro. Antes que desse um passo até lá ouviu dois tiros, viu detrás dos arbustos Mirellah com uma arma e sem pensar duas vezes, correu até ela, à derrubando e impedindo um terceiro disparo; a arma caiu longe. David correu até os dois, certificou-se que não havia nenhum capanga por perto e colocou as algemas na mesma, enquanto Killian já ia até Audrey e CJ.

─ Mirellah Taylor? Você está presa por extorsão mediante sequestro.

Jughead e Andrews estavam tentando acalmar Cheryl, Evie consolava Audrey, Mal estava chorando, esperando o pior em relação à CJ e Killian tentava fazer a mesma voltar à consciência, em vão. Se fosse qualquer pessoa comum, já estaria cruzando o submundo porém, estamos falando de Calista Jones!

Um mix de emoções tomou conta de Gancho, ele não suportaria se perdesse sua caçula, nem em seus piores pesadelos conseguiu imaginar isso. Ela parecia tão frágil, tão indefesa... O que aquela víbora queria agora? Primeiro, ameaça Harry, agora, tenta matar Calista... Mal será a próxima? Não. Ele não deixaria isso acontecer, nem que tenha que sujar suas mãos de sangue. Emma e Gold apareceram de supetão ali, com o clássico fusca amarelo. Emma conversava com David sobre o que havia acontecido lá e Rumplestiltskin foi até CJ. Se havia uma pequena possiblidade dela ser a guardiã da adaga, não poderia morrer agora. 

Ele se agachou, passou a mão com vinte centímetros de distância por cima do corpo da loira, saindo dali uma luz branca, como se estivesse à curando. Killian o olhava com o semblante confuso. Porque estava fazendo isso?

─ Ela ficará bem. ─ Afirmou o mais velho ─ E não se preocupe, considere isso como um favor de graça, sem pagamentos desta vez, capitão!... É uma garota muito forte e corajosa, tenha certeza disso. Apenas pessoas de coração puro voltariam para salvar alguém colocando sua própria vida em risco, e, não pergunte como sei disso! Com licença. 

- - -

Branca encerra a ligação com David, extasiada com cada palavra que ouviu sobre o novo perigo na cidade. É, esta harmonia estava realmente boa demais para ser realidade. Malévola que estava ao seu lado em uma mesa do restaurante da vovó, não conseguiu evitar perceber o tom de seriedade daquilo, seja o que for.

─ Três garotas foram sequestradas. ─ Branca foi direta ─ Cheryl Blossom, CJ e Audrey... Por uma gangue! Mas, já estão fora de perigo e das mãos de pessoas perigosas. Enfim, sabe quem é a responsável pela Cheryl?

─ Hum... Penélope Blossom? É a única parente próxima, a mãe dela mas...

Mas...?

─ Digamos que, a família Blossom não era uma das melhores da Ilha dos Perdidos, o pai matou o filho, aliás, irmão gêmeo da Cheryl, Medusa então acabou matando o marido e Cheryl... Bom, Cheryl incendiou sua própria casa com um candelabro. Com sua mãe dentro!

─ Oh, meu Deus! O que houve com Penélope? Vulgo, Madame Medusa?

─ Estava em coma mas, com a maldição quebrada, está agora se recuperando no hospital central daqui.

As duas então, determinaram de ir até Madame Medusa, presumiam que ela, talvez estivesse preocupada com a filha já que provavelmente o rumor de sequestro já deve ter chegado até ela, nessa cidade pequena. Penélope estava em um hospital, se reabilitando, Mary e Malévola conseguiram entrar lá facilmente.

─ Quarto 48, à esquerda ─ Diz a Fada das Trevas.

Branca abre a porta delicadamente, Penélope estava deitada, seu rosto estava completamente enfaixado exceto pela boca, nariz e os olhos, parecia confusa com a presença das duas ali.

─ Se estão aqui por causa da minha filha, Cheryl. Fiquem sabendo... Eu não me importo mais com aquela insolente. Olhem, olhem! O que ela fez comigo! Até mesmo para alguém como você, Malévola, isso vai além de qualquer limite perverso!

─ Eu sinto muito... ─ Mary Margaret estava realmente abalada com aquilo.

─ Se afastem dela, se afastem da Cheryl enquanto há tempo! Ela tem uma mente perturbada. Foi demais superar a perda do irmão... Apenas fiquem longe dela! Se não quiserem acabar como eu...

─ Já chega, Branca. Vamos embora, deixe Penélope continuar com seu draminha sozinha!

Malévola não tinha paciência para aquilo, Cheryl não era a vilã da história, ela sabia disso, mesmo Madame Medusa tentando provar o contrário enchendo a cabeça de todos com bobagens.

─ Então ─ Começa Branca ─ , vamos ver quem é essa tal Mirellah...

- - -

Era um lugar fechado com poucas janelas e apenas uma porta, toda a sala era cinza e escura, havia uma pequena mesa junto à uma cadeira no centro, aquele lugar carregava um ar frio. O incômodo barulho da porta se abrindo, tira Mirellah de seus pensamentos distantes, ela levanta a cabeça querendo saber quem estava ali contudo, logo após reconhecer, sua feição muda expondo seu medo evidente.

─ Capitão, você por aqui!

Ela era cínica, em todos os aspectos; o olhar de Killian estava longe de ser calmo, tudo o que ele queria naquele instante era esgana-la até a morte, contudo, se mantinha o mais sereno possível.

─ Diga, por que sequestrou elas?... Sua richa é comigo! Deixe essas garotas e qualquer outra pessoa fora disso...

─ ... Meu problema não é com você, capitão. Você sabe disso.

Vamos recapitular para não perder o ritmo! Há décadas ─ talvez até séculos ─ atrás, no Refúgio das Fadas onde residia todos esses seres mágicos e incomuns, havia uma fada, Vermelha ─ vulgo, Mirellah ─ , uma fada do vento, o poder mais raro dentre todos, ela era entre as fadas mais jovens ─ ou seja, Fada Branca e Fada Azul, que estavam lá desde... Sempre, não faziam parte desta geração, fazendo assim, Vermelha a mais poderosa na sua, digamos, "faixa etária" ─ , contudo, não se manteve no topo por muito tempo.

Ela era arrogante, gananciosa e invejosa, todos diziam que era apenas seu jeito mas, não era. Não tinha um grande potencial para lançar feitiços, mesmo sendo tão poderosa, Azul e Zeus percebendo que a maldade no mundo dos homens se expandia cada vez mais rápido, tomaram a iniciativa de criar magicamente um novo ser, ainda mais poderosa que Vermelha. Assim, nasceu a Fada Roxa ─ vulgo, Malévola ─ , foi modificada milhares de vezes até atingir um nível que ficava lado à lado da perfeição. Como acha que Mirellah reagiu? Ela ficou furiosa! A inveja e o ódio à corromperam, ela era a melhor! E agora, com uma novata, isso mudaria. 

Uma pequena explicação de como funciona a tediosa vida de uma fada:

1. As primeiras fadas são criadas pelos deuses com a ajuda das ninfas e de Circe uma poderosa feiticeira ─ após isso, as próximas nascem do primeiro riso de um bebê ─ , sete jóias também foram criadas junto à elas, que teriam a missão de viver para proteger o mundo e garantir o melhor para os humanos, custe o que custar.

2. Cada jóia representa uma cor, sendo elas: roxa, rosa, azul, verde, amarelo, laranja e vermelho. Há também dentre as milhares de fadas, sete predestinadas à serem as possuidoras dessas jóias.

3. Á cada geração nova, as fadas principais são trocadas e obrigadas à repassarem a joia para a próxima, contudo, desde os tempos mais remotos nenhuma fada da categoria roxa - mais poderosa - conseguiu passar no "teste" fazendo assim, a jóia roxa ─ a mais poderosa ─ nunca ter sido utilizada. 

4. O teste era simples, a Fada Azul entregaria - diretamente ou indiretamente - a respectiva jóia para alguém de alma podre, com um objetivo ainda pior. Isso incluía membros da realeza arrogantes, camponeses revoltados ou... Piratas vingativos.

5. A fada tinha de recuperar a sua jóia porém, com o uso restrito de magia, apenas, suas habilidades naturais, e isso ia de lutar à manipular.

6. Caso ela consiga, haverá uma cerimônia onde ela se tornaria uma Fada Madrinha; quando você se torna uma Fada Madrinha, tudo fica mais fácil, digamos que, há mais liberdade e era isso o que todas queriam.

Tudo era um bicho de sete cabeças principalmente se alguém entra em seu caminho, enfim, tudo o que importa é: Malévola era mais poderosa que Mirellah e isso era o suficiente para odia-la.

Ninguém sabia que esta Mirellah, líder de uma gangue, era a mesma Mirellah Fada Vermelha, sua aparência original são de cabelos longos e castanhos e olhos claros, sabe-se Deus quantas aparências falsas algum feitiço poderia lhe dar. Ninguém sabia da sua verdadeira identidade e do seu verdadeiro objetivo, exceto, Killian.

─ Eu sei que sua aparência não é essa, não sei também como é realmente mas, só havia uma maneira de manter um feitiço desses dentro da Ilha dos Perdidos... Você está unida com o Rumplestiltskin, não está?

─ Não sou obrigada à te dar informações. Eu tenho direito à advogado. ─ Seu modo de falar, de sorrir, de agir, era falso e repugnante e até seu jeito de olhar.

─ ... Você nunca será melhor do que ela.

─ Quem? A temida impiedosa fada das trevas? Eu não preciso. Pra mim, basta ela estar morta!... E eu não vou parar!

─ Você é maluca.

─ Você não viu nada, capitão.

Aquilo foi a gota d'água, Killian saltou para cima da loira à colocando contra a parede enquanto apertava seu pescoço com a mão.

─ Vá... M-me mate! ─ dizia ela quase sem ar.

─ Não! ─ a porta de trás se abriu, era Emma e David ─ Não faça isso! ─ exclama a salvadora.

─ Gancho ─ começa David ─ , não caia nos truques dessa cretina, vai sujar suas mãos de sangue à toa. Você sabe melhor do que ninguém que vingança não leva à nada!

─ Vocês não fazem idéia de quem ela é de verdade...

─ Quem ela é de verdade? ─ Branca entra na sala e logo depois Malévola.

Killian não responde Mary, apenas solta Mirellah que cai no chão enquanto tenta se recompor, ele vai até a porta mas seu é braço é segurado por Malévola. 

─ O que aconteceu aqui?... Quem é ela?

─ Não importa. 

Cinco dias depois...

Uma e CJ estavam na biblioteca local da cidade procurando dentre os livros que o autor ─ ou os autores ─ escreviam sobre os acontecimentos.

─ O que exatamente estamos procurando? ─ pergunta a mais velha de tranças verdes.

─ Não sei exatamente... Acho que, não sei! Algum livro que eu apareça!

─ Pra que você quer um livro que...

─ Olha aqui camarão, vai me ajudar ou vai ficar ai resmungando? ─ Uma abaixa seu olhar como se estivesse triste ─ Rainha do drama... Tudo bem! Eu quero um livro por que...

Por que...?

─ Quero confirmar uma coisa, que eu sempre desconfiei... ─ ela faz uma pausa o que aumenta ainda mais a curiosidade da filha da Úrsula. 

─ Desembucha garota!

─ Eu... Quero saber quem é a minha mãe.

─ Ah! Aquele negócio, do feitiço... Que ninguém lembra...

─ Isso mesmo! Vejam só, você é um pouco menos idiota do que eu pensava! ─ Uma revira os olhos e CJ não consegue evitar uma risada. 

─ Tanto faz! Você disse que quer "confirmar", tem algum palpite de quem poderia ser?

Aham... Mas, se for quem eu tô pensando... Vai ser meio bizarro! Ah, a Audrey vai pirar!

─ Quê?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...