História Ouça seu coração - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Albafica de Peixes, Aldebaran de Touro, Asmita de Virgem, Aspros de Gêmeos, Camus de Aquário, Defteros de Gêmeos, Dohko de Libra, El Cid de Capricórnio, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Jabu de Unicórnio, June de Camaleão, Kanon de Dragão Marinho, Kanon de Gêmeos, Kardia de Escorpião, Kiki de Appendix, Manigold de Câncer, Marin de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Misty de Lagarto, Mu de Áries, Regulus de Leão, Saga de Gêmeos, Sage de Câncer, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaina de Cobra, Shaina de Ofiúco, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shura de Capricórnio, Sísifos de Sagitário
Tags Afrodite, Aiolia, Aiolos, Aldebaran, Camus, Dohko, Hentai, Hyoga, Ikki, Kanon, Lemon, Máscara Da Morte, Milo, Romance, Saga, Saint Seiya, Saori, Seiya, Shaka, Shion, Shiryu, Shonen-ai, Shun, Shura, Yaoi
Visualizações 119
Palavras 3.149
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, amores!

Passando pra deixar a segunda atualização do dia. Hoje, o capítulo vai estar bem pesado, então recomendo aos que são mais sensíveis para pularem esse capítulo e esperar pelo próximo.

Agradeço a todos que estão acompanhando, favoritando e comentando a fic.

Beijão e até as notas!

Capítulo 11 - A viagem - Parte 1


Fanfic / Fanfiction Ouça seu coração - Capítulo 11 - A viagem - Parte 1

Assim que o avião tomou uma certa altitude, o piloto avisou aos passageiros que poderiam retirar os cintos. Alguns dos cavaleiros ficaram aliviados já que nunca tinham viajado de avião, já outros, estavam achando tudo aquilo “um barato”, como no caso de Milo.


Saori olhou para o Pégaso de canto e resolveu retocar a maquiagem para estar mais bonita para ele. Pegou o pó compacto e o abriu para dar umas batidinhas nas maçãs. Enquanto passava a esponja nas bochechas, olhava para a imagem do jovem Seiya do espelho e aproveitou para retocar o batom também.


Ao notar que estava sendo observado, olhou para o reflexo da deusa no espelho e desviou o olhar corado. Saori sentiu as bochechas esquentarem e logo guardou os objetos dentro da bolsa envergonhada.



Camus tentava se distrair durante a viagem, ao ler um de seus livros, mas quando se tem um escorpiano hiperativo do lado, aquilo parecia uma tarefa um tanto difícil de realizar.


O escorpiano vinha todo tempo conversando com um e outro, e às vezes, até chamava as aeromoças para jogar o seu charme. O aquariano desistiu da leitura após algum tempo e abriu a janela para ver se enxergava alguma coisa.


Milo chamou sua atenção ao abrir a boca pra chamar novamente uma das comissárias e olhou para ele de soslaio. Sem demora, a jovem se aproximou, parando ao lado da poltrona do louro e sorriu. Camus percebeu o assanhamento do grego e desviou o olhar irritado.


— Sim. O que deseja, senhor?


— Vocês têm vinho? — perguntou o escorpiano, soltando um sorriso galanteador para a moça.


— Temos sim, senhor. — retribuiu o sorriso.


— Vou querer um. E, por favor… Não me chame de senhor. Pode me chamar de você. — disse e piscou o olho.


— Está bem. — voltou a sorrir. — Já volto com a sua bebida em um minuto.


Milo acompanhou a loura com os olhos e sorriu maliciosamente. O aquariano pegou uma revista e começou a folhear sem parar, o que fez com que o grego notasse sua inquietação. Se sentiu vitorioso, pois tudo que fez até ali, foi para chamar a atenção do francês que caiu direitinho no seu jogo.



Mu lia uma revista para  se distrair, sem notar que estava  sendo observado por Shaka. O ariano tentava disfarçar que estava incomodado pelo fatos dos dois estarem sentados juntos e às vezes, percebia os olhares de Aiolia para os dois, deixando-o um pouco irritado. Por mais que amasse Shaka, não aceitava sua posição indecisa em relação a ele e sua aproximação do leonino só aumentava a distância entre os dois.


— Mu!


O ariano fechou a revista e olhou para o louro.


— Sim?


— Você poderia trocar de lugar comigo? Estou vendo que você está ocupado lendo e…


— Tudo bem... — nem esperou ele completar e se levantou para dar o lugar.


Shaka fez o mesmo e deu passagem pra Mu passar. Aiolia viu a movimentação e se levantou para ir até eles. Se aproximou do louro e o surpreendeu ao tocar em sua mão.


— Shaka, você quer se sentar ao meu lado?


O louro olhou para Aiolia e depois para Mu.


— Olia... Eu…


Mu viu a cena e ficou enciumado.


— Ele quer ficar na janela, Aiolia. Além do mais, você está sentado com a Marin.


O leonino ignorou as palavras do ariano e tornou a olhar para Shaka.


—  O que me diz?


— Ah…


— Você nem sabe, se ele quer se sentar ao seu lado. — disse Mu, chamando a atenção do leão que o “fuzilou com os olhos”.


Shaka se sentiu mal diante daquilo e olhou em volta, vendo que que olhavam para eles.


— Olha, acho melhor vocês pararem de discutir. Os outros estão olhando.


— Pouco me importa, se estão olhando ou não… Você vem comigo! — disse e segurou sua mão.


Shaka sentiu seu rosto esquentar e olhou para Mu, que parecia irritado.


— Isso se ele quiser! – pegou a outra mão do louro.


Saga que estava sentado em uma fileira próxima dali, se levantou e chamou atenção dos dois:


— Ei, vocês dois! Se não pararem de brigar, eu vou ser obrigado a interferir. Tenham respeito! A deusa Atena está aqui!


Os outros cavaleiros assistiam toda a confusão em silêncio.


— O que está acontecendo cavaleiros??? — perguntou Saori ao se levantar e olhar para os quatro santos.


Saga olhou para a garota e respondeu:


— Não é nada. Pode ficar tranquila, Atena. Os cavaleiros já estão voltando para seus lugares. Não é, cavaleiros??? — perguntou ao olhar seriamente para o trio.


Aiolia e Mu olharam para Saga e assentiram com a cabeça. Saori viu que estava tudo sob controle e voltou a se sentar.


— Shaka. Você vem comigo, não? Resolve logo, antes que o Saga volte para encher o saco.


— Sim, eu vou com você. – suspirou.


Aiolia sorriu com a resposta e puxou o cavaleiro pela mão. Mu suspirou e puxou o louro de volta.


— Shaka, eu…


— Mu?


Aiolia se virou e olhou para Mu irritado.


— O que foi, Mu?


— Shaka, você… eu...eu...


Mu olhou para o louro e queria pedir para ficar, mas não teve coragem. Shaka olhou para ele na  esperança que ele fosse lhe dizer o que tanto queria ouvir, mas se frustrou ao vê-lo calado. Aiolia o puxou pela mão e o ariano o soltou.

— Vamos, Shaka…


Os dois trocaram um último olhar e shaka se virou, acompanhando o leonino até onde estava sentado. Mu suspirou e se sentou em seu lugar. Marin se levantou, chamando a atenção de Misty e foi se sentar ao lado do ariano.


— Oi, Mu…


— Oi, Marin. — cumprimentou desanimado.


Mu deu lugar para que ela se sentasse próxima à janela e viu Misty olhando para eles.


— Licença.

— Está bem.


A ruiva ficou confusa, mas logo viu o porquê de Mu ter saído. Seu amado havia trocado de lugar com o ariano.


— Oi! — disse Misty ao se aproximar.


— Loui... — sorriu.


— Posso me sentar ao seu lado?


— Sim, meu amor. — dsse e estendeu a mão para o louro.


O francês pegou a mão de Marin e se sentou ao seu lado. Os dois se abraçaram e trocaram um beijo apaixonado.



Mask observava Afrodite a todo instante, enquanto Shura conversava com Aiolos. O  pisciano estava um pouco indisposto e tentou cochilar um pouco, mas a conversa alta dos dois cavaleiros, deixava isso completamente inviável.


Após alguns minutos, o pisciano se levantou e resolveu ir ao banheiro. Mask olhou para Afrodite, atento aos olhares do espanhol que cedeu a passagem para o pisciano. Assim que o mesmo passou, se desequilibrou e caiu por cima de Shura.


O espanhol olhou para o sueco e viu o mesmo corar ao ficar a poucos centímetros de seu rosto. Mask viu aquilo e quase teve um surto. Antes que pudesse fazer algo, Afrodite sorriu sem jeito para Shura e se levantou. Pediu desculpas e viu o espanhol sorrir para ele, deixando-o sem jeito.


Assim que passou para pegar o corredor, jogou os cabelos para trás, espalhando o seu perfume de rosas no ar e continuou indo até o banheiro. Shura se virou para olhar para o pisciano, assim como Aiolos que levou um cascudo do canceriano.


— Aí, caramba! Ow… isso doeu!


— Cale-se! — esbravejou.


Mask praticamente passou por cima do grego e parou em frente a Shura.


Acho que vou ser mandado para o inferno. –  pensou ao vê-lo.


— Que foi, DM??? Perdeu alguma coisa?


— Non! Você é que vai perder sua vida, se ousar olhar para ele de novo!! — continuou esbravejando, o que chamando a atenção de todos.


Shura olhou pra ele e começou a rir.


— Ficou louco, cabrón?


— Está avisado!  — disse e saiu dali.


Shura olhou para Aiolos e ambos riram do canceriano.


— O Giovanni tá cada vez mais pirado, cara… Você não fez nada demais.


— Nem fale. – se recompos. — Não sei como o Afrodite aguenta ele.


— Pois é.


Os dois continuaram conversando sobre o acontecido e logo, retomaram ao mesmo assunto do qual conversavam anteriormente.



Afrodite estava saindo do banheiro, quando tomou um susto ao ver o italiano em sua frente.


— Gio?! — pôs a mão no peito e sorriu. — Que susto.  


DM empurrou o pisciano para dentro da cabine e a trancou.


— Que isso, Giovanni? — levantou a voz.


O italiano olhou seriamente para Afrodite e virou a costa da mão em seu rosto, marcando seu rosto alvo. O sueco levou a mão no local atingido e olhou para ele atônito.


— Mas o que significa isso? – perguntou ainda sem acreditar na atitude de seu amado.


Mask pegou seu braço e o virou de costas, empurrando-o contra a parede. Afrodite cortou o lábio com o impacto e sentiu o italiano sobre si.


— Você pensa que eu não vi o que aconteceu lá atrás?? — disse e torceu o braço do louro para trás, arrancando um gemido de dor.


— Ah! D-Do que está falando?? — gaguejou.


— Ainda pergunta, seu descarado?! Você se jogou no colo daquele imbecil! Eu vi tudo!


— Que??? Tá brincando, né? Eu tropecei, você não viu? Por favor, me solta...


Mask colocou as mãos nos cabelos do pisciano e puxou os cabelos dele com força. Afrodite já sentia o rosto úmido das lágrimas.


— Cínico!!! Você bem que gostou! Eu vi vocês se olhando e senti o seu perfume quando passou por ele. Você fez isso comigo quando começamos a ficar. Por acaso, está interessado naquele imbecil?


— Não seja ridículo, Giovanni… Me solta! Tá doendo!


— Você vai ver o ridículo…


O italiano puxou novamente os cabelos de Afrodite e com a outra mão levou a mão até as calças dele. O pisciano tentou reagir, mas sua posição não lhe favorecia para isso.


— Me solta, idiota!! — gritou.


— Cala a boca, vadio! — bateu a cabeça dele contra a parede e viu que ele havia ficado atordoado. — Você me paga pelo que fez! — puxou os cabelos e com a outra mão baixou suas calças.


— Gio...


DM tapou a boca de Afrodite e o invadiu por completo. O pisciano soltava lágrimas de dor a cada estocada. O italiano continuou sua tortura por algum tempo, até que puxou os cabelos do sueco e o fez ficar de joelhos.


Afrodite não parava de chorar e isso não foi o bastante para que DM parasse, enfiando o falo na boca do pisciano. Estocou na boca do outro e o segurou para terminar sua humilhação. O sueco engasgou com o líquido viscoso e cuspiu um pouco pra fora, voltando a chorar. DM olhou para o namorado e se limpou, enquanto olhava para ele.


— Espero que você pense bem nisso, antes de pensar em me fazer de trouxa de novo . — disse e saiu pela porta, deixando-o sozinho.


Afrodite trancou a porta e chorou a plenos pulmões, não acreditando no que o canceriano havia feito com ele.



Milo tomava sua oitava taça de vinho, quando Camus tomou a bebida de sua mão.


— Ei, picolé… Me devolve! — disse e tentou tomar a taça do aquariano.


— Já chega, Milo! Você está insuportável!


— Insuportável é você, que não gosta de se divertir e não quer que os outros façam o mesmo! — respondeu alterado.


— Baixa o tom de voz comigo, seu idiota! Estou falando normalmente com você.


— Não vou baixar porra nenhuma! Se está incomodado, vá se sentar em outro lugar! — esbravejou.


— Pois eu vou mesmo! — se levantou.


— Se senta aí! — puxou ele pelo braço.


— Me solta, imbecil! — disse e saiu de perto.


Camus foi até a fileira onde estava Aldebaran e olhou para o brasileiro.


— Posso me sentar aqui?


— Claro, Camus. – olhou para ele e depois para o grego que parecia furioso.


— Obrigado.


— Que aconteceu com o Milo?


— Aquele idiota não tem limites… Não aguento mais ficar perto dele. — bufou irritado.


Aldebaran olhou para o aquariano e soltou uma risada baixa.


— O Milo faz isso, por que quer chamar a sua atenção, Camus…


— Minha e de todo avião né?!


— Você sabe muito bem, do que estou falando…


Camus ficou em silêncio. Aldebaran desistiu de puxar papo ao ver que o francês havia se fechado para conversas e puxou o celular pra escutar música.



DM caminhou até a fileira onde estava sentado e Aiolos se levantou ao ver o canceriano se aproximando.


— Máscara, eu vou ali me sentar com o Shura…


– Não precisa. — disse e se sentou em seu lugar.


Aiolos olhou pra Shura e o capricorniano deu de ombros, fazendo uma cara de que também não estava entendendo nada.



Mu terminou de ler a revista e resolveu ir até o banheiro. Quando se aproximou de uma das cabines, ouviu um choro. O ariano chegou perto da cabine de onde vinha o lamento e bateu.


— Vai embora, Giovanni! — disse com a voz embargada.


— Afrodite? Sou eu, Mu… O que houve?


— Mu? Não se preocupe… Eu apenas estou indisposto.


— Por favor… abra… Estou preocupado com você.


— Não posso abrir.


— Por que não? Abra, ou vou chamar o Mask.


— Nãoo! — disse desesperado.


Mu ouviu a porta se destrancar e ao abrir, ficou chocado ao ver o estado de Afrodite. O pisciano estava agarrado às suas pernas e com os olhos avermelhados. Suas roupas estavam parte rasgadas e manchadas com sangue. Os cabelos desgrenhados e o rosto inchado com alguns cortes.


— Mas o que?? — se agachou em sua frente e tocou em seus cabelos.


Afrodite se abraçou em Mu e continuou o choro.


— Calma, Afrodite. O que aconteceu com você?


— Mu… eu...eu… nunca me senti...tão humilhado…


— Olha, eu sei que já faz algum tempo que não somos mais próximos, mas pode contar comigo para desabafar se quiser. — disse e afagou seus cabelos.


— Obrigado. — o abraçou forte.


Os dois ficaram alguns instantes em silêncio, até que Afrodite resolveu contar o motivo de estar daquele jeito.


— Mu… Eu vou matar o Giovanni. Não importa que eu morra também, mas nunca vou perdoá-lo pelo que ele me fez!


Mu afastou Afrodite e amparou suas lágrimas.


— O que aconteceu? — perguntou receoso pela resposta, já imaginando o porquê do pisciano estar naquele estado.


— Ele me...me…


— O que? O que ele fez?


— Me surrou e depois me estuprou. — disse e voltou a chorar.


— O que? — arregalou os olhos.


— Tudo por causa de um mal entendido. Me levantei pra vir pra cá e… – fungou. — Eu acabei caindo por cima do Shura por um desequilíbrio e ele achou que eu fiz aquilo de propósito. Achou que eu estava interessado. – pausou e baixou o olhar. — Quando eu estava saindo, ele me surpreendeu aqui e… e… – voltou a chorar com as mãos sobre o rosto. — Olha como eu estou, Mu… Não quero nem me olhar no espelho, pois tenho medo do que vou ver. – olhou pra ele arrasado.


Mu se levantou e pegou alguns lenços, umedecendo-os e voltou a se agachar em frente ao sueco. Passou devagar sobre os ferimentos e viu a expressão de dor do cavaleiro.


— Eu… estou perplexo… Como ele teve coragem de fazer algo assim com você?


Afrodite desviou o olhar para um ponto qualquer e ficou em silêncio.


— Olha, eu acho que que o Mask foi longe demais com isso… Atena tem que saber disso e…


— Não, Mu… eu não quero envolvê-la nisso. Por favor, não conte… – fungou.


— Mas Afrodite, ele merece pagar pelo que fez a você…


— Mu, deixe assim. – tocou na mão dele. — Eu vou acertar as contas com ele no momento certo.


— Está bem. – suspirou. — Bom, eu acho melhor eu voltar e…


— Não! Não me deixe aqui sozinho… — disse e voltou a abraçá-lo.


Mu o afastou e ajeitou uma mecha de seus cabelos para trás de sua orelha. Os dois trocaram um olhar e o ariano se lembrou da época em que eram bons amigos. Afrodite pegou sua mão e tocou em seu rosto.


— Obrigado.


— Pelo que?


— Por não ter me abandonado aqui. Aliás, você ainda mantém aquela promessa?


Mu olhou para Afrodite e sorriu, pegando sua mão para beijar.


— Jamais deixarei de cumpri-la. Agora, vamos… Você pode se sentar ao meu lado.


— Está bem. — disse e se levantou para lavar seu rosto.



DM estava inquieto em seu lugar. Havia se arrependido de ter feito aquilo com Afrodite e olhava para o banheiro a todo instante para ver se o pisciano aparecia.


Se virou novamente para olhar e viu Afrodite sair na companhia de Mu. Imediatamente, levantou e interrompeu a conversa de Aiolos e Shura ao passar para ir  até o pisciano. Mu viu o italiano se aproximar e se colocou na frente de Afrodite.


— Sai da frente! — disse o italiano.


— Não! E se você ousar dar um passo, eu não vou poupar minhas forças pra fazer você virar pó! – respondeu com um olhar jamais visto por alguém antes. Mu costumava ser calmo.


Afrodite apenas observou tudo receoso.


— Olha aqui, Mu! Eu não tenho tempo pra perder com você! Agora saia da minha frente agora! – o empurrou.


— Você não vai fazer nada, seu troglodita! — disse e deu um soco no rosto do italiano, causado sua queda.


— O que significa isso, Mu? — Saori perguntou horrorizada com a cena.


— Deusa Atena, peço para que retirem DM da minha frente… Ou não sei o que serei capaz de fazer com ele. – disse sem parar de encarar o cavaleiro que estava caído no chão com a mão no queixo.


— Mu, o que aconteceu?


Afrodite puxou Mu e se colocou na frente.


— Volta pro seu lugar, Mask!


— Afrodite, me escuta, por favor.


— Não vou escutar coisa nenhuma! Faz um último favor? Some da minha frente! — disse alterado.


Os cavaleiros assistiam tudo em silêncio. Saori ainda estava de pé sem entender nada. Aiolos se aproximou de Mask e tocou em seu ombro.


— Vamos máscara…


— Me larga, idiota! Eu vou sozinho.


Afrodite suspirou e se sentou próximo a janela. Mu se sentou ao seu lado e assim que Mask se sentou ao lado de Milo, Saori resolveu se sentar também.


A deusa suspirou e novamente sentiu um vazio muito grande. Se sentiu impotente. Ver seus cavaleiros brigando entre eles, não era um bom sinal e não sabia o que fazer para ajudá-los.


— Você está bem? — perguntou Mu ao fitar o pisciano.


— Não, mas isso vai passar… Mais cedo ou mais tarde, irá passar. — suspirou com os olhos marejados.


— Tenho certeza que sim. — disse e olhou para o italiano que retribuiu o olhar furioso.


Afrodite olhou para o ariano e viu que o mesmo olhava para o italiano. Se tinha uma coisa que Mu abominava era covardia. Se lembrou do pedido do amigo na cabine e faria de tudo para cumpri-la. Não deixaria que Máscara da morte se aproximasse, nem que pra isso tivesse que entrar em uma luta de mil dias com ele.


— Obrigado, Mu. — disse o sueco, chamando a atenção de Mu.


— Não precisa me agradecer… e fique tranquilo. Eu não vou deixar que ele se aproxime de você. Agora descanse um pouco. Você deve estar cansado.


Afrodite sorriu e assentiu com a cabeça. Em pouco tempo, acabou adormecendo. Mu pediu para a aeromoça para que trouxesse um cobertor e quando esta voltou com o pedido, cobriu o pisciano e ficou olhando para seu rosto.


Apesar de todos os seus machucados, você continua belo. – pensou e tentou cochilar um pouco.


Notas Finais


Que situação difícil do nosso peixinho. Máscara da morte merecia mesmo uma punição pelo que fez. 😣😣😣

Obrigada por acompanharem!

Beijão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...