1. Spirit Fanfics >
  2. Our Baby (Naruto) >
  3. Não Chora, Pequeno!

História Our Baby (Naruto) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Não Chora, Pequeno!


A tarde caía em Konoha, finalizando mais uma sexta-feira, para a chegada do fim de semana. Um fato que deixava Iruka um pouco animado, pois sabia que poderia descansar, no fim de semana, assim só voltando a trabalhar na segunda-feira.

 

Iruka era advogado, e mesmo amando a profissão, não podia negar que era bem cansativa. Mas de certo modo, não podia reclamar, afinal era a enorme quantidade de trabalho, que o fazia ser bem-sucedido, na vida.

 

Era bom conquistar, mesmo que não fosse em tudo. Pensou o homem, um pouco desanimado, por se lembrar de alguns pontos de sua vida. E nesse momento, sentira uma mão em seu ombro, se virando assustado e dando de cara com seu amigo, Mizuki.

 

—Ah é você, Mizuki? — Iruka suspirou, ainda mirando o amigo.

 

—Tá com medo de quem, Iruka? — Mizuki zombou, ficando ao lado de Iruka, o qual estava no balcão de um bar, era ali que sempre se encontrava com os amigos, na sexta-feira.

 

—Medo de ninguém! — afirmou, voltando os olhos pra sua bebida, sobre o balcão — Você que chega, igual um fantasma. — deu de ombros.

 

—Cadê o pessoal?

 

—Ainda não chegaram, o Kakashi sempre atrasa, a Tsunade e a Hanare vem com ele, então… — explicou, dando um gole em sua bebida — Cadê a Tsubaki? Ela não veio?

 

—Sei dela não… — Mizuki fez sinal pro barman, pedindo uma bebida.

 

—Como não sabe, cara? Ela é sua namorada!

 

—Sim… Mas eu não sou obrigado, a sempre saber sobre ela. — deu de ombros.

 

Iruka não disse mais nada, ele sempre achara estranho o relacionamento de Mizuki e Tsubaki. Do grupo de amigos, o qual contava com ele, Kakashi e Jiraiya, seus melhores amigos desde a infância, e também Tsunade, Hanare, Mizuki e Tsubaki. Os dois últimos, eram os únicos que namoravam, apesar de não parecerem ter uma boa relação. Ao menos na visão de Iruka, não pareciam ter! Ele achava que o problema estava em Mizuki, o qual não valorizava a namorada que tinha. Mas quem era ele, pra ditar alguma coisa, na vida de alguém? Pensou o mesmo, suspirando com frustração.

 

—Hey cara… — Mizuki enfiara a mão no bolso, retirando algo — Olha só isso, hoje é meu dia de sorte, eu estou sentindo. — mostrou um bolo de dinheiro, deixando Iruka intrigado.

 

—Que dinheiro é esse? — ele sabia que o amigo era praticamente rico, por ter herdado algum dinheiro dos pais, ainda assim era estranho ver Mizuki com tanta grana, pelo fato dele não investir o dinheiro dele em nada, a não ser gastando atoa.

 

—Peguei com uns caras… — sorriu de lado, voltando a guardar o dinheiro no bolso — Vou jogar essa noite, e saiba que vou ganhar!

 

—Porra Mizuki! Você voltou a se meter com o Orochimaru, outra vez? — Iruka falou, possesso de raiva.

 

—Calma cara… Eu só pedi uma graninha, pra ele… — explicou, mirando a expressão furiosa de Iruka — Eu precisava entrar no clube.

 

—Idiota! Você prometeu a Tsubaki, que ia ficar longe desse cara!

 

—Ah que merda! Eu não tenho que dar satisfação da minha vida, pra ela!

 

—Ela vai ficar decepcionada, Mizuki! Outra vez… — negou com a cabeça, pensando na amiga, a qual ele gostava tanto.

 

—Você devia cuidar da sua vida, e parar de se preocupar com a namorada dos outros! — respondeu Mizuki.

 

Ouvir aquilo, fez o sangue de Iruka ferver.

 

(…)

 

Longe dali, estavam Kakashi, Tsunade, Hanare e Tsubaki, a qual eles tinham encontrado na rua. Ambos esperavam por Jiraiya, o qual ainda não tinha saído do trabalho.

 

Kakashi era engenheiro, e tinha um escritório, então sempre encerrava seu expediente mais cedo, nos dias de sexta. Tsunade era médica e agradecia por aquele dia, não ter plantão. Hanare, apenas vivia para eventos beneficentes, da empresa de seu pai, e Tsubaki ganhava a vida, fazendo o que mais gostava no mundo. Como ela mesma dizia, registrando a vida! Ela era fotógrafa e tinha um estúdio.

 

—Ele vem? — Hanare perguntou, mirando Kakashi com um sorriso, no rosto.

 

—Ele não vem, estamos perdendo tempo. — Tsunade afirmou, de braços cruzados.

 

—Tenham calma, vocês duas. — ordenou Kakashi.

 

—Olha lá, o gostosão! — Tsubaki disse, correndo pra abraçar o melhor amigo, Jiraiya.

 

Os dois se davam bem, por verem a vida da mesma maneira.

 

Sem problemas.

 

Tudo era lindo demais, para ficar reclamando o tempo todo.

 

—Olá, meus amados! — Jiraiya cumprimentou a todos, parando seu olhar em Tsunade.

 

A qual mirou o chão, nesse momento.

 

—Cara você demorou, hoje! — Kakashi reclamou.

 

—Ah, tinha muito trabalho acumulado, maldita hora que viajei, na semana passada. — Jiraiya passou a mão no rosto — Mas enfim… Creio que estejam aqui, esperando a mim, para irmos ao bar, né? — todos assentiram, menos Tsunade — Certo… Eu não vou!

 

—QUE PORRA Jiraiya! — Kakashi gritou, sentindo vontade de chutar o melhor amigo.

 

—Eu falei… — Tsunade negou com a cabeça, mirando seu melhor amigo, Kakashi.

 

—Onde você vai, dessa vez? Você só enrola, todo fim de semana. —Tsubaki lembrou, dando um tapa no melhor amigo.

 

—O final de semana retrasado, eu estava presente. — Jiraiya lembrou.

 

—Ah claro… — ela revirou os olhos.

 

Jiraiya suspirou.

 

—Bom, eu tenho um lance com uma… — ele nem precisou terminar a frase, todos já entendiam do que se tratava.

 

Tsunade deu meia volta, começando a andar em direção ao carro de Kakashi.

 

—Piranhudo! — Tsubaki deu outro tapa, em Jiraiya.

 

—Se divirta, no seu encontro! — foi tudo que Kakashi falou, antes de sair atrás de Tsunade.

 

Hanare mirou Jiraiya

 

—Pra que você faz isso? Sabe que ela odeia. — ela suspirou, se referindo a Tsunade.

 

—Não posso evitar… sabe? — Jiraiya coçou a nuca, sorrindo safado.

 

—Idiota! — Tsubaki deu outro tapa, nele.

 

—Ouh… — ele reclamou, e dessa vez ela puxou o cabelo dele.

 

—Vamos embora Hana! — ela saiu, puxando a amiga — Ao menos, use proteção! — gritou, fazendo Jiraiya dar risada.

 

(…)

 

O sangue de Iruka fervia nas veias, com a afirmação de Mizuki. E sem conseguir mais, se conter, ele apenas ergueu o punho, dando um forte soco, na face do amigo. Mizuki cambaleou para trás, tocando o rosto e mirando Iruka com olhos furiosos e surpresos.

 

—Você não tem o direito, de machucar ela! — afirmou Iruka, se referindo a Tsubaki.

 

Mizuki nada respondeu, apenas veio pra cima de Iruka, o acertando com um soco. Os dois começaram a brigar, chamando a atenção das demais pessoas, que estavam no bar.

 

Nesse momento, Kakashi, Tsunade, Hanare e Tsubaki, atravessaram a porta do estabelecimento, batendo os olhos no que acontecia ali. Rapidamente, Kakashi e Tsubaki correram até os dois que brigavam, na intenção de separá-los.

 

Iruka estava em cima de Mizuki, batendo fortemente na cara do mesmo, com socos de punho fechado. Kakashi veio por trás de Iruka, puxando o melhor amigo pra longe de Mizuki.

 

Tsubaki se ajoelhou ao lado do namorado, olhando o estrago que Iruka tinha feito no rosto dele.

 

—O que está acontecendo aqui? — Kakashi perguntou, mas no fundo ele já sabia, conhecia bem os amigos.

 

—Esse idiota, que não sabe cuidar da vida dele! — esbravejou Mizuki, mirando Iruka com raiva.

 

—Você, que não passa de um babaca! Eu vou arrebentar a cara, desse idiota! — tentou avançar, mas Kakashi o segurava com força — Me solta, caramba!

 

—NÃO! Vamos embora pra casa, por hoje já deu. — falou, bravo com a atitude dos amigos.

 

Tsunade e Hanare observava a confusão, sem saber o que dizer, e Kakashi se virou pra elas.

 

—Sinto muito, mas preciso tirar ele daqui… — disse, mirando as amigas, e elas assentiram.

 

—Leva ele pra casa… — disse Tsunade, observando os ferimentos no rosto de Iruka — Quer ajuda, com um curativo?

 

—Não, eu me viro. — disse Kakashi.

 

—Hey… Não vá se estressar, e acabar criando outra briga. — Hanare pediu, mirando Kakashi, com o sorriso de sempre. A moça era tão doce, que chegava a cheirar açúcar.

 

—Eu não vou brigar, Hana… Prometo. — Kakashi prometeu.

 

Então, ele foi em direção a saída do bar, carregando Iruka, o qual estava calado, como sempre ficava quando estava com raiva. Hanare e Tsunade miraram Mizuki e Tsubaki, perto do balcão, e suspiraram se aproximando do casal.

 

(…)

 

Logo, Kakashi e Iruka chegaram no apartamento que dividiam, com o terceiro amigo, Jiraiya. Os dois estavam calados, por todo o caminho de volta, mas ao adentrarem no apartamento, Kakashi teve que falar tudo que estava entalado, em sua garganta.

 

—Que merda foi aquela? — mirou o amigo, querendo uma explicação.

 

—Aquele idiota, que só faz merda, e agora está fazendo mais uma! — gritou Iruka, ainda muito nervoso e cheio de raiva — Ele não merece a Tsubaki! Não merece!

 

—Cara, você tem que parar com isso, tem que parar de querer defender a Tsubaki, o tempo todo! Você e o Mizuki, já brigaram um tanto de vezes, e todas elas foram pelo mesmo motivo.

 

—Eu não me importo! Tudo que eu queria, era ter quebrado a cara dele, e você me impediu. — afirmou, olhando Kakashi, enquanto andava de um lado pro outro — Tinha que ter me deixado, ensinar uma lição, para aquele idiota!

 

—Ah claro, você ensinava uma lição pra ele, e depois a Tsubaki te odiaria pra sempre! — falou, negando com a cabeça — Quer saber, vai tomar um banho, pra esfriar essa cabeça! E valeu, por ter estragado minha noite de sexta, você e o Jiraiya são ótimos amigos! — ironizou, andando em direção a porta do apartamento, e saindo pela mesma, batendo ela com força.

 

Kakashi já estava cansado, das mesmas confusões de sempre, ele sabia que Iruka nutria uma paixão por Tsubaki, mas não entendia o porque, ele não assumia o que sentia, invés de ficar trocando socos com Mizuki, quase sempre.

 

Na verdade, ele já estava cansado de seus amigos, sempre escondendo o que sentiam. Tudo começava por Tsunade, a qual não admitia, que sentia algo por Jiraiya, mas de certo modo, Kakashi até entendia a amiga, ela só não queria se machucar. Afinal, Jiraiya estava na categoria, destruidor de corações, ele não curtia relações sérias, cada dia estava com uma mulher diferente. Tsunade não queria arriscar se expor daquela forma, e também não queria criar um caós, no grupo de amigos.

 

Algo que vinha acontecendo, quando se tratava de Iruka e Mizuki. Eles só brigavam o tempo todo, depois faziam as pazes, por causa de Tsubaki, mas nada que durasse muito tempo, pois logo pegavam no tapa, outra vez.

 

Era cansativo! Afirmou Kakashi, em pensamento, dando um longo suspiro. Ele vivia a vida, da maneira mais fácil que tinha, não gostava de ninguém, sabia que ninguém gostava dele, sem apego, sem drama, sem choro. Kakashi não precisava se preocupar, se estava machucando alguém, se não estava dando atenção a alguém, se estava quebrando o coração de alguém, ele tinha que se preocupar apenas com ele, e ponto final… Bom, ainda tinha seus amigos, que dava 5% de dor de cabeça pra ele, mas nada que não pudesse ser suportado.

 

Já estava escurecendo, em Konoha, e Kakashi pensou em dar uma volta numa praça, que tinha perto do edifício onde morava. Era melhor, do que voltar pra casa, e mofar numa noite de sexta. Iruka não seria uma boa companhia naquela noite, pois quando ele estava com raiva, nunca era.

 

Decidido a seguir até a pracinha, Kakashi continuou andando, mas ao passar por um beco escuro, ele escutou um fungar de nariz, e logo em seguida um choro baixinho.

 

Identificando aquele som, como o choro de uma criança, ele adentrou no beco, a procura de onde vinha o choro. Kakashi foi andando, até onde estava uma lixeira, e a cada momento, o choro ficava mais alto e audível. Quando ele se aproximou da lixeira, olhando atrás dela, lá estava um garotinho, o qual pelo tamanho parecia ter 5 anos. Ele tinha cabelos loiros, e usava um casaco de moletom, laranja.

 

O menino estava chorando, encolhido atrás da lixeira. Kakashi agachou-se, para ficar mais próximo do garoto, o qual ainda nem tinha percebido a presença dele.

 

—Hey, carinha… — tocou o braço do menino, o qual levantou a cabeça, assustado, dava pena de ver como ele começou a tremer de medo, diante do estranho a sua frente. Os olhinhos cheios de lágrimas, pegaram Kakashi de jeito — Não precisa ter medo, não vou te machucar. — tentou se aproximar mais, porém o menino se encolheu até onde podia, mas foi barrado pela lixeira, que estava atrás dele, ficando encurralado — Hey… Não vou te machucar, eu já disse… — repetiu, mas o menino o olhava com medo — Só quero te ajudar! — afirmou, e o menino continuava olhando-o da mesma forma — Vem aqui… — Kakashi ousou a enfiar as mãos embaixo das axilas do garoto, o pegando em seus braços, apenas para fazê-lo chorar escandalosamente, tremendo de medo — Calma… Fica calmo… Só quero te ajudar, pequeno. — abraçou o menino, sem se importar dele estar todo sujinho, naquele beco imundo — Fica calmo, não chora… — pedia, enquanto abraçava o menino, o ninando como um bebê — Shiii… Não chora, pequeno… Não chora! — passou a mão nos cabelos dele, fazendo carinho na cabeça do mesmo.

 

Aquilo fizera o menino sentir uma segurança, a qual ele não vinha sentindo, nas últimas horas. O mesmo inalou o cheiro de Kakashi, sentindo o calor que vinha do corpo do homem, o aquecendo. Havia sentido frio o dia todo, mas agora se sentia aquecido, por aqueles braços, do homem que prometera que não o machucaria.

 

Depois dos carinhos de Kakashi em seu cabelo, e da voz do homem, bem mansa, tentando acalmá-lo, o garoto ficou quietinho, com a cabeça deitada no ombro dele. O qual se perguntava o que faria, com aquela criança?


Notas Finais


HELLOOOOO

MINHA PRIMEIRA FANFIC DE NARUTO

ESPERO QUE GOSTEM!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...