História Our Crazy Dream - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ourcrazydream
Visualizações 8
Palavras 1.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - O Plano


O sol nascente estava provocando uma dor leve nos olhos de ambos e os demais não conseguiam enxergar muito bem. Todavia eles corriam desesperadamente mesmo assim e, quando a área estava mais segura, como Ayana havia dito anteriormente, no percurso até o aeroporto ela contou todo o plano, tim tim por tim tim somente quando finalmente se aproximaram mais do local. Com as mochilas pesadas nas costas. Ele avistaram o aeroporto de Lynsd de longe.

— Por ali! — Kaily apontou para o hotel em frente.

Ayana, a cachorrinha e os outros foram para o hotel em frente ao aeroporto. Entraram no lugar e viram que estava todo arruinado, acabado e destruído. O balcão a qual ficava a atendente, também estava todo rachado e acabado. Passaram por aquele cenário horrível e seguiram rumo para o segundo andar. Todavia o elevador também estava quebrado, então o jeito era subir as escadas. 

Ao chegar no segundo andar, no final do corredor, — Com um pouco de tempo perdido, já que Jacks e Luary cansavam de minuto em minuto e a maioria era obrigada a fazer pausas durante a subida. — havia uma janela da qual dava para se ver o aeroporto, o hotel ficava de costas para o local e era um bom lugar para vigiar o inimigo e descansar um pouco.

— Ok, se lembram do plano? — perguntou Ayana, enquanto abria a mochila carga de Jacks, que continha um binóculo que trouxe consigo da casa de Kaily.

— Que plano? — retrucou Luary, pegando o binóculo da mão da menina, sem sua permissão e a amiga da de ombros.

— Tu não ouviu nadinha do que eu falei, né?

— Não mesmo! — respondeu ela, enquanto olhava o local inimigo pelo objeto em mãos. Os zumbis estavam agindo de um jeito totalmente estranho, pareciam que estavam fazendo patrulha no local e ainda não foram mandados para a cidade, deu um alívio em Luary. — Eles ainda não foram mandados para a varredura.

— Ótimo. Tá, vou contar o plano novamente, escutem com atenção — disse Ayana. — Principalmente você, Lua — ela assentiu, ainda sem tirar os olhos do território inimigo. — Primeiro: esperamos as hordas de zumbis serem mandados para vasculhar a cidade e, segundo a Lua, iremos matar o resto de zumbis que ficarem e tentamos acabar com o chefe, depois corremos para o avião.

— E quem vai pilotar? — pergunta Jacks, uma coisa de extrema importância, já que ninguém fez aulas de pilotagem de avião.

— Afe, ainda tem esse detalhe... Deixa que eu piloto! — resmunga a menina.

— Mas acontece que você não sabe pilotar um avião, Yana. — disse Kaily, que estava sentada no chão, com a mão direita dando carinho na Meg.

— Eu dou meu jeito!

— Pessoal, está acontecendo alguma coisa — disse Luary, olhando pelo binóculo. Um barulho ensurdecedor se fez presente, um tipo de grito ou berro. Devia estar vindo do chefe, pois o barulho vinha do aeroporto. Ambos colocaram as mãos nos ouvidos, Luary também. — Eles já estão sendo enviados para vasculhar a cidade. Temos que ir!

— Com esse barulho, não dá — gritou Kaily em resposta, Meg choramingava com medo e a menina se abaixou para abraça-la. — Vai ficar tudo bem, bebê, vai ficar tudo bem... Eu acho.

Os zumbis vinham adentrando a cidade muito rapidamente e com muita determinação em encontrar mais sobreviventes para matar, o barulho estava cessando. Alguns das bestas subiram no prédio e começaram a correr até eles.

— Ataquem— gritou Kaily desnecessariamente, pois dava para ver as bestas se aproximando rapidamente pela escada.

Ambos tiraram as mãos dos ouvidos, destrancaram as armas rapidamente e começaram a atirar. Luary disparava nos zumbis, como se já soubesse manusear a arma totalmente. A maioria deles que morriam com tiros direto na cabeça, todos os disparos eram da menina. 

Entretanto, os outros também não eram maus, matavam como se fossem pagos por isso, pois estavam sendo muito bons no caso. Kaily não conseguia atirar direito com uma mão somente, pois a outra estava ocupada segurando a Meg pela coleira, para que ela não fuja.

— Ayana! — chamou ela e a menina para de atirar e encara a amiga, Jacks e Luary continuavam a atacar, a menina acertava múltiplos corpos ao mesmo tempo e aquilo era deveras bom. Pois os zumbis estavam quase acabando e a munição dela também. — Cuida da Meg para mim, tudo bem?

— Okay. — confirmou e ela entrega a posse da coleira para a amiga e assim Ayana se posiciona no canto, atrás deles e, Kaily volta a atirar.

— Merda. — A submetralhadora de Lua começou a falhar e rapidamente ela recarrega a mesma com os cartuchos que tinha trago consigo na cintura. A mesma insere a munição na arma e prossegue com a matança. — Estão acabando! Vamos logo para baixo, não vai demorar muito para que eles retornem para o aeroporto. — disse ela para os demais.

Os três iam correndo na frente e Ayana vinha logo atrás, segurando Meg pela coleira. Luary, Jacks e Kaily atiravam em tudo quanto era canto e matando diversos zumbis. Já deixando a área de cima segura, eles correm em descer a escada e partem para o aeroporto. Na descida até a porta de saída, encontraram somente poucos zumbis, fácil de tomar conta. Luary fora a primeira a mata-los com sua arma letal.

O local finalmente estava limpo e eles correram para a área do inimigo, para saírem logo dali.

De longe avistaram o aeroporto de Lynsd, todavia logo na frente deles vinha mais quatro zumbis correndo, prestes a ataca-los. Entretanto, Kaily matou dois, com tiros no corpo e na cabeça. Jacks aniquilou um, Luary o outro e Ayana seguia puxando Meg pela coleira.

Seguiram correndo e em pouco tempo chegaram na frente do local, não havia mais nada ali na parte de fora, pois o terror estava guardado mesmo lá dentro.

— Aqui estamos nós de novo! — murmurou Jacks e assim eles seguiram rumo adentro do aeroporto.

Ao entrar, avistaram mais zumbis correndo no final do corredor, Luary e Kaily mataram a todos e depois adentraram mais o local.

Chegando a um corredor imenso, que dava direto para a pista de vôo, eles avistaram um zumbi fazendo uma coisa totalmente estranha.

— Oh meu Deus. — sussurrou Luary, que estava tentando segurar o riso e os outros não estavam diferentes. — Nunca vi isso na minha vida, que tipo de monstros eles são?

A besta logo em frente deles, que estava de costas. Estava ridiculosamente dançando Conga, realmente, essa raça de zumbis era muito moderna. Os quatro não aguentaram e acabaram rindo alto demais e o zumbi escutou. Fazendo assim com que ele se vire e desse visão do rosto dele, que estava distorcida e ensanguentada. Luary não perdeu tempo e acertou uma bala em cheio na cabeça dele e a mesma se explode. Ele morre e o corpo sem a cabeça se estende no chão.

Chegando perto da pista de vôo, de longe eles avistaram um ser desconhecido. Uma raça diferente das bestas que viram até agora. Se esconderam no cantinho, Luary pegou novamente o binóculo para ver mais detalhadamente e observou, um zumbi do tamanho normal, entretanto da cor verde.

— Kay, não olhe agora mas... Aquela ali não é a sua mãe? — murmura ela, entregando o binóculo para a amiga.

— Ela disse "Não olhe agora" e tá entregando o binóculo pra ela, vai entender. — questionou Jacks, de ombros.

A menina pegou o binóculo e observou.

— Filho de uma... — Ela viu sua mãe, Dona Eliza, na pista de vôo. Entretanto, não era mais a mesma e sim, agora o líder dos zumbis. Obervou também que, por onde ela andava, saia uma gosma verde dos pés dela e Kaily se lembrou de uma coisa. — Jack, olha. — Entrega o binóculo para o amigo e ele pegou o mesmo e direciona para sua frente. — Nos pés, olhe para o que está saindo dos pés dela.


Notas Finais


Irra


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...