História Our crazy obsession - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias IKON, WINNER
Personagens Bobby, Junhoe, Lee Seunghoon, Mino
Tags Bobby, Ikon, Junhoe, Our Crazy Obsession
Visualizações 12
Palavras 1.554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Três capitulos em um dia. Vocês estão merecendo.
Megan e Junhoe.
Curtam a leitura.

~Luna

Capítulo 44 - Eu quero você pra mim.


Fanfic / Fanfiction Our crazy obsession - Capítulo 44 - Eu quero você pra mim.

MEGAN ON~

Ouço a porta bater atrás de mim e uma mão me puxar.
Antes que pudesse fazer alguma coisa, Junhoe me abraçou. Não aguentei e começo a chorar o abraçando forte.
Guardando cada coisa. Seu cheiro, o contato com a sua pele, suas mãos ao meu redor. Passei as mãos em seus cabelos.
Por que as coisas tinham que ser assim? Sou uma idiota. Mesmo depois de tudo eu quero acreditar nele. Quero ficar com ele. POR QUE?
- Me desculpa! – ele começou a falar. – Eu tenho tentado me segurar, mas não consigo. Estou sempre preste a explodir.
- Todas as noites eu ainda penso em você. – digo.
Ele me abraçou mais forte. E eu o puxei para mais perto.
- Eu também, Megan. Todos os dias tentava me controlar para não ir correndo atrás de você. – nos afastamos. – Não achei que seria tão ruim.
Ele enxugou minhas lagrimas. Mas perto agora eu vi que a maquiagem não cobria tão bem suas olheiras. Seus olhos estão fundos. Cansados. Assim que ele percebeu meu olhar de questionamento falou.
- Não estou com tempo para dormir. – riu fanho.
- Uma hora você  não vai aguentar mais.
Ele deu de ombros.
- Enquanto eu estiver de pé é assim que vai ser.
Balancei a cabeça. Ainda me preocupo com ele. Sempre.
- Quantas horas de sono você esta tendo? – perguntei.
Ele abriu um sorriso triunfante.
- Você, por acaso, esta preocupada comigo? – ele semi serrou os olhos.
Sim, estou seu grande idiota. E sei que não deveria.
Revirei os olhos.
- Me responde logo.
Ele parou um pouco para pensar.
- Uns cochilos de duas horas por dia, eu acho.
Arregalei os olhos.
- Como você esta ficando em pé?
- Com bastante energético e umas coisas a mais. – ele deu de ombros. – Você sabe...
Me afastei dele, porque se não ia meter a mão na cara de irresponsável.
- Eu não vou nem falar nada. Minha vontade agora é de matar você.
Ele se aproximou de novo.
- Eu sei disso. Mas sua segurança vem em primeiro lugar. Não podia deixar nada de mal acontecer com você.
Passei as mãos pelo cabelo.
- Mas uma carta. Coruja. Pombo correio. Dava pra mandar.
Ele riu.
- Estamos no século vinte e um. E não. Não podia. Tinha que fazer você sentir raiva de mim.
- Você conseguiu. Porque eu ainda quero muito matar você. - Franzi a testa. – Mas por que se importou agora? – perguntei.
- Porque vi uma chance de falar com você sem ninguém desconfiar. E eu não aguentei ver você com aquele imbecil. Quase pulei em cima do pescoço dele e o cortei fora.
Rimos fanho.
Fui andando até a janela enorme do quarto.
O jardim continua o mesmo. Como meu coração, que bate da mesma forma sempre que estou com ele. Parece que nada mudou. Ainda quero ele pra mim. Sou uma idiota completa? Talvez.
Quando dou por mim ele esta ao meu lado. Também olhando o jardim.
- Lembra quando estivemos aqui pela primeira vez? – ele pergunta.
Sorri.
- Quando você me sequestrou? – rimos. – Claro que eu lembro.
Suspirei.
Sinto suas mãos em meus ombros. Viro pra ele.
- Eu quero você pra mim, Megan.
Prendi a respiração em busca de algum sinal de sanidade. É claro que eu quero voltar para ele. Mas as coisas não vão ser assim.
- Ainda tenho que digerir tudo isso que você me contou, Junhoe. – soltei o ar. – Não é tão simples assim. Eu passei meses desejando que isso fosse um grande engano. Que eu iria acordei ao seu lado.
Ele sabe muito bem o peso das suas decisões. Agora é minha vez de pensar no peso que as minhas decisões vão ter.
Respirei fundo e disse.
- Preciso dar um tempo para tudo isso. Ter um tempo pra mim.
- Então... – ele disse. – Você não quer ficar comigo?
- Não... sim... Calma! – passei as mãos nos cabelos. – Só me da um tempo. Quero ficar longe de toda essa loucura. E não quero passar de novo pelo que passei nesses meses.
Ele pegou minhas mãos e as segurou forte.
- Entenda que eu fiz tudo isso para te proteger. Faria qualquer coisa por você.
- Eu sei. Mas até poucas horas na minha cabeça eu fui enganada e traída por alguém que eu amo e... – parei assim que eu me dei conta do que disse.
Junhoe esta com um sorriso enorme no rosto.
- Você ainda me ama.
Deu para entender que isso foi uma afirmação.
- Mas você acabou comigo. Me largou sem nenhuma explicação e agora esta aqui me pedindo para voltar. – fechei os olhos . – Não posso voltar com você. Porque eu não sei se aguento passar por tudo de novo. E... – daí eu lembrei daquela puta em cima dele e a raiva subiu. – E eu vi você com aquela vagabunda e eu tive vontade de matar você e ela.
- Espera! Você também estava com o Hoony.
- Depois que eu vi o vídeo você queria que eu tivesse feito o que? – tirei forças do fundo da minha alma para não matar ele. – Depois de meses sem uma noticia sua, a única coisa que chega ate mim é aquele vídeo.
- Eu errei. Errei muito. Mas não consigo ficar sem você.
- Eu também achei que não conseguiria. Mas olha só. Estou aqui. Viva. - Soltei nossas mãos e me encostei na parede. – O que estou querendo dizer é. Estavamos juntos, sendo assim, era para termos encarado tudo juntos.
- E agora vamos. Eu prometo.
Ele chegou mais perto, me encostando de costas para a grande janela. Colocando um braço de cada lado. Nossos olhos estão grudados um ao outro. Incapaz de desviarem. Sinto uma lagrima escorrer pelo meu rosto.
Junhoe começa a falar.
- Eu amo você, Megan. – sua voz saiu alta e firme. – Lembra quando eu te disse que nosso futuro pode ser doido, incerto...
O interrompi.
- Como também disse que iríamos lutar contra tudo e todos, para permanecemos juntos. – mas lagrimas escorreram pelo meu rosto. – Mas você resolveu não cumprir sua promessa. E me deixou como se eu não fosse nada.
Comecei a chorar. Ele me puxou para um abraço.
- Eu fiquei com medo. Medo de perder você para sempre.  – ele também estava chorando. – Você disse que ia confiar em mim. Que sabia que eu faria o que fosse preciso.
O aperto mais forte. Sinto seus batimentos cardíacos acelerados.
- Não achei que seria preciso me deixar.
Ele me afastou um pouco dele. Fechei o olhos quando ele beijou minha testa.
- Princesa, entenda. – estamos olhando um para o outro. – Eu não posso imaginar um mundo em que você se foi. Eu entrei em pânico.
Como ele pode dizer essas coisas depois de tudo? E como eu posso querer ele depois de noites em claro chorando e chamando seu nome? Ele não faz nenhuma idéia do quanto eu sofri. Mas eu também não faço idéia do que ele passou.
Ele começa a andar de um lado para o outro, enquanto eu continuo imóvel.
- Junhoe! – gritei.
Ele parou do outro lado do quarto, virando para mim.
Corro até ele e pulo em seu colo. Entrelaço minhas pernas ao redor de seu corpo e o beijo. Suas mãos ao redor da minha cintura.
Nos beijamos com nunca antes. Estou em choque, com meus ossos congelando. Mas eu preciso do seu beijo, do seu toque, do seu cheiro. Preciso dele. Senti sua falta. Como nunca senti de nada na minha vida.
Nosso beijo é intenso, delicado. Tem gosto de saudade.
Sinto suas mãos me segurarem mais forte. Ele me gira, me encostando na parede.
Minhas mãos estão entre seus cabelos.
Ele para o beijo, descendo e beijando meu pescoço. O calor do seus beijos me faz arfar.
Falo entre suspiros, controlando minha respiração.
- Eu ainda não descobri como resistir a você.
Ele me respondeu.
- Deve ser porque você não quer resistir. - Ele para de me beijar. E nos encaramos de novo. – Já eu sei que não sou tão forte assim para deixar você ir.
Acaricio seu cabelo.
- Aguente firme, eu ainda quero você.
Ele apoia a cabeça no meu peito.
- Você não devia.
- É, não devia mesmo. Mas quero você. - pego em seu rosto, fazendo com que ele olhe para mim. – Mas eu tenho que pensar em tudo. Minha vida mudou, estou me acostumando ainda.
Ele assenti com a cabeça. Me coloca no chão e pega minhas mãos.
- Eu vou fazer isso dar certo. Mas vou dar o tempo que você precisa. Sei que não é fácil para você eu desaparecer, e depois voltar e ainda jogar todos os problemas na suas costas.
Ele entende. Que bom.
- Só quero um tempo para entender como isso vai ficar. E para poder perdoar você também.
Erguendo meus pés para tentar ficar um pouco mais alta o puxo para perto e lhe dou um beijo. Sinto suas mãos na minha cintura. E nosso beijo vai se intensificando, cada vez mais.
Antes que possa ir para um caminho que no momento é proibido, eu paro. Ele entende e se afasta.
- Dorme comigo? – pergunto.
Ele me olha assustado e com um sorriso assenti com a cabeça, vindo em minha direção.

MEGAN OFF~

 


Notas Finais


Esses dois conseguem acabar com meu coração.
Logo logo tem capitulo novo.
Obrigado pela paciência.

Até mais!
Beijos!

~Luna White


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...