História Our Days - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~yoongizzz

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags 2chain, 3some, Changki, Changkiheon, Jookyun, Kiheon, Misun, Threesome, Yoongizzz
Visualizações 319
Palavras 8.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Alou <3 Obrigada mesmo mozões por todo o carinho que vocês tem dado a Our Days, nós finalmente chegamos aos +100 favs e não sabemos nem expressar a felicidade que temos com tudo isso ><

Boa leitura <3

Capítulo 8 - Day 8


Fanfic / Fanfiction Our Days - Capítulo 8 - Day 8

Quando Changkyun acordou depois de mais de 12 horas em um sono profundo, tateando a cama e sentindo seus dois namorados ali, lado a lado consigo. Precisou de alguns minutos para se localizar e entender o que tinha acontecido para ter dormido, lembrando-se que a última coisa que se lembrava era de Hyungwon deitado no chão urrando de dor. Virou-se para qualquer lado, encontrando Jooheon ali, sabendo que era o mesmo por causa do perfume e por ser mais musculoso, se escondendo no corpo do mesmo e puxando Kihyun do outro lado para mais perto de si e do Lee, só queria carinho e mais carinho.

Não fazia a mínima ideia de como tinha parado ali, mas queria aproveitar um pouco que fosse, nem mesmo se lembrava direito da última vez que havia ficado tão juntinho de seus hyungs sem ter um horário ou qualquer coisa que pudesse os atrapalhar, o cheirinho de morangos que vinha de Kihyun era extremamente convidativo a ficar pertinho do mesmo por horas e horas, combinando com o perfume mais cítrico de Jooheon, era com certeza as coisas que mais amava no mundo inteiro. Sorriu segurando na roupa que o Yoo usava e esfregando o rosto de leve no peito de Jooheon, como se fosse um gatinho procurando por carinho, faltava apenas ronronar um pouco.

O Lee acordou com a movimentação de Changkyun, sorrindo largo para o mais novo e o abraçando de forma carinhosa, deixando uma de suas mãos irem até os cabelos bagunçados do mesmo, acariciando-os de forma despreocupada, sentindo o Im parar no mesmo instante e ficar quietinho para aproveitar o carinho.

— Bom dia? — Changkyun disse em um sussurro para o Lee, sem nem mesmo abrir seus olhos, eles ainda pareciam pesados demais.

— Bom dia, baixinho. — Jooheon respondeu no mesmo tom, deixando um beijo no topo da cabeça do Im. — Você está bem? — Perguntou enquanto puxava Kihyun para perto de Changkyun e lhe deixava um carinho no braço.

— Melhor do que nunca. — O Im respondeu soltando um suspiro, abrindo os olhos com uma certa dificuldade e piscando o mesmo algumas vezes para conseguir focar a sua visão, sorrindo um pouco para Jooheon tão pertinho de si e o Yoo completamente apagado do outro, ele nem mesmo se mexia.

— Você apagou, Changkyun, literalmente. — Jooheon olhou para o namorado com a carinha de sono mais fofa do mundo. — Desmaiou de sono no meio do ensaio com seus alunos. — Explicou. — Sabe que temos que conversar muito sério diante disso, não é? — Disse sério.

— Eu não me lembro disso... — O Im admitiu um tanto confuso, mas fazia sentido, suspirou virando-se para o lado de Kihyun e assentindo de leve como resposta para a pergunta de Jooheon.

— Changkyun, não vai escapar, não. — Jooheon disse abraçando o Im pela cintura. — Está tudo bem, não vamos brigar com você, mas precisamos conversar sério, não queremos passar pelo episódio de ontem de novo. — Explicou. — Você deu um baita susto em mim, no hyung, no Hyungwon e no Minhyuk. — Beijou a nuca do mais novo.

— Desculpe... — Disse baixinho, suspirando com o beijo e se aconchegando melhor onde estava, voltando a fechar seus olhos, ele não queria saber de conversas sérias naquele momento, mas sabia que se o Yoo acordasse, ele não teria escapatória de qualquer forma. — Os meninos estão bem? — Perguntou se referindo a Minhyuk e Hyungwon, conhecia os dois bem o suficiente para saber que provavelmente quase tiveram um treco ali mesmo.

— Acho que estão, Minhyuk era o mais abalado, mas Hyungwon conseguiu manter a calma e cuidar dele. — Jooheon explicou. — Você está com fome? — Perguntou.

— Um pouco. — Respondeu tentando imaginar Minhyuk aceitando ajuda de Hyungwon. — Eu pagava pra ver o Minnie aceitando ajuda do Wonie pra qualquer coisa, quase deixou ele estéril ontem mesmo.

— Que? — Jooheon riu baixinho. — Te juro, quando chegamos lá, o Minhyuk abraçou o Hyungwon totalmente sem chão e depois o grandão prometeu que iria cuidar do baixinho, saíram abraçados, depois você pode perguntar pra um deles como foi o resto desse dia, tenho certeza que deve ter sido muito fofo. — Contou para o Im com um sorriso no rosto.

— Que dia louco... — Changkyun disse sentindo Kihyun se mexer em seus braços, quase quis chorar ali mesmo, não teria escapatória mesmo se ele acordasse, se encolheu um pouco vendo o Yoo bater no ar.

— Calem a boca, quero dormir. — O Yoo disse acertando sem querer a bochecha de Jooheon com um tapa, mas foi sem querer, ele mesmo nem tinha se tocado daquilo, apenas voltou a dormir segundos depois que os dois namorados ficaram quietos.

— Ai... — Jooheon disse de forma manhosa, acariciando o local em que recebeu o tapa. — Hyung, não precisa ser agressivo assim. — Fingiu chorar.

— Ele nem está te ouvindo, Joohoney. — Changkyun riu baixinho, mexendo com Kihyun que tinha voltado a ficar imóvel em seu lugar.

— Eu sei como acordar ele. — Jooheon disse se levantando o mínimo para conseguir chegar perto da orelha do mais velho. — Hyung, Changkyun está passando mal. — Disse fingindo estar desesperado, chacoalhando o Yoo com força.

— O quê? — Kihyun praticamente acordou no mesmo momento um tanto assustado, arregalando os olhos completamente perdido e se sentando na cama, ficando bravo ao ver que os dois namorados estavam perfeitamente bem do seu lado. — Parem de me assustar assim, não tenho mais um coração tão bom não, e se eu morrer numa dessas? — Perguntou batendo o seu travesseiro nos dois mais novos, mas de forma brincalhona

— Hyung, o baixinho dorminhoco acordou. — Jooheon disse se protegendo do travesseiro, se levantando e indo até Kihyun, beijando-lhe de forma carinhosa. — Agora você não escapa, Changkyun. — O Lee disse para o Im.

— Ah não... — Changkyun resmungou baixinho.

— Vamos conversar na cozinha. — Kihyun disse roubando um selar de Jooheon e batendo de leve com o travesseiro em Changkyun, se levantando da cama e indo em direção ao banheiro de forma completamente preguiçosa.

— Comendo o bolo que o hyung preparou, vem. — O Lee disse puxando Changkyun para se levantar, abraçando-o e deixando um beijo nos lábios do mesmo, não demorando a seguir para o banheiro também, arrastando o mais novo consigo.

Changkyun seguiu o Lee completamente tonto por se levantar muito rápido depois de tanto tempo deitado e completamente inconsciente, era como perder o controle de suas próprias pernas, aquilo era uma sensação horrível, mas não reclamou, apenas se segurou no mais velho, aproveitando o carinho que recebia do mesmo, era a única coisa que ele queria, se pudesse, fugia para longe antes mesmo de começarem qualquer tipo de conversa, elas sempre terminavam em brigas.

Depois de seus rostos estarem devidamente lavados e a cara de sono menor, os três foram para a cozinha. Jooheon havia implorado de todas as formas para que Kihyun mantivesse a calma e não gritasse ou explodisse com o Im, o que menos precisavam naquele momento era uma nova briga. O Lee não era de brigar com os dois namorados, ele era o mais calmo da relação, por isso tentava acalmar os outros dois para que o apartamento não entrasse em guerra. Ajudou o Yoo a servir o bolo e as bebidas disponíveis ali, esperando pela conversa e rezando para que tudo desse certo.

Kihyun sabia que não era a melhor pessoa do mundo para conversas, ele perdia a paciência com muita facilidade e sempre acabava machucando os outros com aquilo, tinha prometido que iria ficar calmo e resolver tudo com paciência. Gostou de ver os dois mais novos comendo com tanto gosto o bolo que havia feito para eles, aquilo lhe ajudou um pouco a pensar no que iria dizer, ele queria que tudo ficasse bem, afinal, eles tinham problemas de sobra e não precisavam de mais uma briga para cagar tudo de uma vez.

— Vamos conversar. — Disse colocando os pés na cadeira, olhando para os dois mais novos um tanto sério, bagunçando seus cabelos negros de forma despreocupada. — Acho que não dá mais para adiar isso ou teremos mais situações como a que passamos ontem.

— Primeiro... — Jooheon interrompeu. — Nada de gritar, nada de brigar, apenas conversar. — Avisou. — Changkyun, o que deu em você pra parar de dormir e trabalhar feito louco? — Perguntou de forma doce, não queria usar um tom sério e nem nada.

— Eu só ando meio ocupado... — Changkyun respondeu se encolhendo onde estava sentado, parecendo uma criança prestes a levar o maior sermão da sua vida. — Me desculpem.

— Nós estamos preocupados, você nunca trabalhou tanto como agora e está deixando isso afetar na sua saúde, não faz bem, queremos ajudar. — Kihyun disse também calmo, mordendo o seu lábio inferior. — Eu posso pegar mais um período no meu trabalho se for preciso, mas não quero te ver nesse estado, Chang...

— Não. — Changkyun arregalou os olhos. — Não precisa fazer isso, hyung, não. — Disse um tanto desesperado. — Seu trabalho só te traz dor de cabeça, não precisa fazer isso... — Abaixou a cabeça.

— Chang, você não anda ocupado, você anda trabalhando demais, continua tendo as mesmas coisas de quando não trabalhava assim, o que muda é que está adiantando tudo e não dando uma pausa para descansar. — Jooheon explicou. — Baixinho, por que fez isso? — Perguntou.

Changkyun não respondeu, apenas mordeu seus lábios e começou a chorar baixinho, ele não queria falar, aquilo iria deixar Kihyun arrasado e Jooheon também, estava cansado de toda aquela história de trabalho e mais trabalho, ele não se importava com o dinheiro, poderia morar embaixo de uma ponte com os seus hyungs que não iria se importar se eles estivessem bem e felizes. Apenas via a saúde de seu hyung indo para o ralo e ficava preocupado com aquilo.

Jooheon olhou confuso para Kihyun, acariciando as costas de Changkyun para consolá-lo, doía ver seus namorados chorando ou passando mal, era o que ele menos queria. Esperou que o Im parasse de chorar para poderem continuar a conversar, pegando mais um pedaço de bolo para o mais novo e pedindo para que ele se acalmasse.

— Amor, pode falar, se tem algo que te incomodando ao ponto de fazer tudo isso... Nós temos que saber também, não queremos te ver dessa forma, sofrendo sozinho. — Kihyun disse preocupado, passando a mão de leve pelo rosto do Im, limpando as lágrimas que escorriam e suspirando baixinho, sentindo seu coração se apertar com aquilo.

— É que... — Changkyun fungou. — Eu queria que assim você trabalhasse menos, hyung... — Olhou para Kihyun. — Você estava péssimo por causa do emprego, sempre chora por causa do seu chefe e quando fica bêbado desabafa tudo e conta o quão ruim é trabalhar naquela empresa. — Confessou. — Eu não gosto de te ver assim, é horrível ouvir você chorar, dá última vez eu prometi que iria fazer algo a respeito, e então eu pensei em trabalhar mais, assim eu teria mais dinheiro e você não teria que trabalhar tanto. — Explicou. — Mas acho que fiz tudo errado. — Abaixou a cabeça arrependido.

Após ouvir tudo, Kihyun não sabia o que falar e muito menos o que sentir com tudo aquilo, apenas suspirou se levantando de onde estava e indo até Changkyun, o abraçando forte e acariciando suas costas de forma carinhosa, fechando os olhos e pensando bastante antes de falar qualquer coisa, não tinha passado por sua cabeça que poderia ser tudo por sua causa e muito menos se lembrava de ter falado qualquer coisa sobre o que passava em seu trabalho para os dois mais novos.

— Eu agradeço muito por você ter se esforçado em fazer o seu melhor por nós, por mais que meu trabalho seja ruim e meu chefe não goste de mim, faço tudo com o maior prazer se for por vocês dois... — Kihyun disse baixo, mas sabia que Jooheon também podia ouvir. — Prometo sair da empresa assim que conseguir a promoção, não precisa se preocupar comigo, hm? — Beijou a bochecha de Changkyun e suspirou. — Sua saúde também é importante, e ninguém quer te ver desmaiando pelos cantos de cansaço, ficamos tão preocupados... Sempre que alguma coisa estiver te preocupando, fale com a gente, vamos tentar resolver juntos como sempre fazemos.

— Não tem como não se preocupar... — Changkyun disse baixinho, retribuindo o abraço do mais velho. — Me desculpa por tudo. — Pediu de coração.

— Não precisa se desculpar, sei que não fez nada disso por mal, mas não guarde essas coisas para si mesmo, hm? — O Yoo disse beijando a bochecha do Im novamente e suspirando, chamando Jooheon para o abraço também. — Obrigado de verdade, eu amo vocês demais.

— Vai dar tudo certo, baixinhos... — Jooheon abraçou tanto o Yoo como o Im. — Agora eu estou trabalhando, não vai mais ficar tão difícil a nossa parte financeira. — Explicou. — Eu amo vocês também. — Abraçou-os mais forte.

— Também amo vocês. — Changkyun disse baixinho, gostando do abraço em que estavam e sentindo um peso enorme saindo de suas costas, suspirou fundo completamente aliviado por tudo estar bem no final das contas.

{...}

Após os três terminarem de conversar e comer, decidiram juntos fazer alguma coisa para agradecer Minhyuk e Hyungwon de forma que achavam mais justa, agora que tudo estava bem era mais fácil de fazer aquilo. Mas esperaram pela tarde para entrarem em contato com os garotos, Kihyun e Jooheon tinham conseguido uma folga no trabalho por causa de Hoseok e seus atestados médicos que ele dava apenas para deixar os amigos com uma justificativa da falta ao trabalho, era uma das vantagens de ter um amigo médico perto deles, conseguiam uns favores que provavelmente não conseguiriam nem mesmo realmente doentes.

Changkyun ligou para Minhyuk e para Hyungwon, marcando de irem ao shopping para passarem a tarde juntos como forma de agradecimento. Passariam na casa de ambos para buscá-los, e para sua felicidade, aceitaram sem nem pensar duas vezes. O Im pediria as devidas desculpas aos mais novos, ele tinha preocupado e muito os adolescentes que poderiam ter lhe deixado sozinho ali dentro da academia e ido embora sem prestar socorro, Changkyun era agradecido por ser amigo de seus alunos e não ter inimizade com nenhum deles.

— O que as crianças de hoje em dia fazem para se divertir? — Kihyun pergunta enquanto trocavam de roupa para saírem, estava se perguntando aquilo desde o momento que decidiram levar os garotos para sair.

— Ahn... — Jooheon pensou por um momento. — Quando eu tinha a idade deles, eu adorava ir ao cinema e gastar grande parte do meu dinheiro no fliperama. — Contou. — Era bem legal, mas acho que os meninos não gostam dessas coisas.

— Eu sempre estava no teatro me apresentando, então nunca fui de ficar saindo pra me divertir, encenar era uma diversão. — Changkyun explicou. — Kihyun, o que você fazia quando adolescente? — Perguntou ao mais velho.

— Ah... — Kihyun se lembrou do que fazia quando tinha a idade de Minhyuk e Hyungwon, fez uma careta e balançou a cabeça minimamente. — Nada demais. — Respondeu após pensar bastante. — Acho que as crianças de hoje em dia ficam atrás dos idols ou estudando...

— Não mude de assunto, hyung... — Jooheon riu para o Yoo. — O que você fazia? Agora estou curioso também. — Fez um biquinho.

— Eu frequentava uma pista de skate. — Kihyun respondeu dando de ombros, ele não teve uma adolescência das mais recomendáveis.

— Você nunca disse pra gente que gostava de andar de skate. — Changkyun disse amarrando seus cadarços achando estranha a resposta do Yoo.

— Eu não ia lá pra isso na verdade. — Disse um tanto envergonhado, já esperando os mais novos na porta do quarto, mexendo nas chaves do carro.

— O que você fazia lá então? — Jooheon perguntou terminando de ajeitar seu cabelo, seguindo para perto do Yoo.

— Nada demais, de verdade. — Kihyun desviou de responder a pergunta, sorrindo para Jooheon e o puxando para dar um beijo em seus lábios.

— Só vai ganhar beijo se me contar, fiquei curioso. — Jooheon disse virando o rosto para o lado, segurando Kihyun em seus braços e não o deixando fugir de si.

— Tá bom. — O mais velho riu baixinho, se afastando de Jooheon e indo para a sala, esperando os dois de forma despreocupada no sofá.

— Agora eu também fiquei curioso. — Changkyun disse pegando seu celular e discando o número da única pessoa que achou que nunca ligaria na sua vida, sua sogra. Colocou a ligação no viva-voz para que Jooheon também pudesse ouvir e o chamou para se sentar ao seu lado na cama.

Alô? — A voz feminina do outro lado da linha fez Kihyun voltar para o quarto no mesmo momento. — Changkyun? Aconteceu algo, amorzinho? — Perguntou num tom preocupado.

— Oi noona, não aconteceu nada não, está tudo bem. — Changkyun disse sorrindo largo, vendo Kihyun até branco do seu lado. — Eu só liguei para te fazer uma pergunta.

Ah, fico mais aliviada. — A senhora Yoo riu. — Pode perguntar, qual sua dúvida? — Perguntou curiosa.

— O que o Kihyun hyung fazia quando estava com quinze ou dezesseis anos? — Perguntou, ouvindo Kihyun rir baixinho do seu lado mais tranquilo, enquanto Jooheon estava completamente focado na ligação.

Ah, ele era um menino de ouro, cantava no coral da igreja, estudava bastante, ia pra casa dos amigos pra estudar mais ainda, dormia assim que chegava em casa. — A senhora Yoo contou toda orgulhosa. — Era o meu orgulho, e ainda andava de skate, eu sempre pedia pra ver ele andando, mas ele dizia que não tinha skate e que pegava o dos colegas emprestado, dizia que eu não precisava comprar pra ele porque era caro, um chuchuzinho. — Disse animada.

— Ah sim... — Changkyun respondeu franzindo a testa e olhando para Jooheon brevemente. — Está tudo bem com a senhora? — Perguntou para a sogra de forma tranquila.

Eu estou bem, aliás, vocês têm que vir me visitar, aprendi a receita de um bolo super gostoso e quero testar, aí vocês vêm provar, podem ter certeza que fica mais gostoso que o do Kihyun. — A senhora Yoo riu alto. — Como andam as coisas aí? Kihyun tem cuidado bem de vocês? Qualquer coisa é só me chamar que eu dou uns bons puxões de orelha nele, viu? — Disse parecendo falar sério.

— Pode ter certeza que vamos visitá-la logo. — Disse todo feliz, amava os bolos da senhora Yoo. — Estão bem, Jooheon hyung está trabalhando para uma empresa e eu estou trabalhando em uma peça nova, acho que a senhora vai gostar bastante, quando for a estreia dela vou mandar o convite. — Riu baixinho. — Ele está cuidando bem sim, noona, não se preocupe, vou desligar porque estamos de saída, mas outra hora ligo de volta para conversarmos.

Me avise que eu quero lugar na primeira fileira. — A senhora Yoo disse animada. — Se cuidem, e mandem o Kihyun comer direitinho, e vocês também, comam direitinho pra ficarem fortes. — Disse preocupada. — Divirtam-se meninos, noona ama vocês, um beijão. — Disse antes de encerrar a ligação.

— Suspeito essa pista de skate. — Changkyun disse após guardar seu celular, rindo um pouco e indo em direção a porta, afinal, eles ainda tinham que sair com os meninos.

— Hyung, pode tratar de contar sobre o que você fazia na pista de skate. — Jooheon disse chegando perto de Kihyun e o abraçando pela cintura, prendendo-o contra seu corpo. — Só vai ser solto se disser a verdade. — Disse escondendo o rosto no pescoço do Yoo.

— Aigoo... Eu fazia umas coisas meio erradas com o Hyunwoo hyung e uns garotos mais velhos, mas minha mãe não sabe disso, não contem pra ela. — Explicou fazendo uma carinha de derrota, mas gostando da forma que foi encurralado pelo platinado.

— Que coisas erradas? — Jooheon perguntou deixando alguns selares no pescoço do Yoo, o apertando mais contra si.

— Vamos deixar o passado no passado? — Kihyun perguntou um tanto nervoso, olhando para Changkyun que assistia tudo de camarote na sala.

— Sempre gostei de história. — Jooheon brincou, deixando um chupão no pescoço do Yoo. — Vamos, não custa nada contar... — Riu contra a pele do Yoo.

— T-Tá, nós fazíamos apostas, íamos para bares e ficávamos bem doidos lá, tinham dias que eu tinha que ir pra casa do hyung porque não podia ir pra minha, ficava duro de grana e acordava sem lembrar de porra nenhuma. — Kihyun contou segurando qualquer coisa que pudesse escapar pela sua boca causado pelo chupão. — Já devo ter usado alguma droga também, não lembro mais nem de metade do que já tenha feito.

— Kihyun-ah bad boy. — Changkyun disse rindo alto com a cena que presenciava.

— Eu era idiota. — Kihyun fez uma careta ao admitir aquilo. — Mas sabia disfarçar bem.

— Quem vê ele de terno todo dia de manhã nem pensa numa coisa dessas. — Jooheon riu do Yoo, deixando mais alguns beijos no pescoço do mesmo, resistindo a vontade de cancelar aquele passeio e colocar o mais velho contra a parede. — Que bad boy, hein... — Soltou o mais velho com um sorriso de canto, não conseguindo acreditar muito naquilo.

— Acho que não faria mais nada daquilo se pudesse voltar no tempo. — Admitiu dando de ombros e se escondendo em um abraço com Changkyun.

— Tadinho do nosso hyung. — O Im brincou rindo e abraçando o mais velho. — Hyunwoo hyung também não tem cara de quem faria isso, mas quem vê cara, não vê coração.

— Isso não tem sentido. — Jooheon riu alto ao chegar perto dos dois namorados e Kihyun parecer fugir de si. — Hyunwoo não tem cara de quem faria essas coisas mesmo, é até engraçado pensar nisso. — Disse já seguindo para a porta.

— A gente tinha quinze anos, tem quase isso desde aquela época, as coisas mudam. — O Yoo disse se sentindo velho pensando naquilo. — Vamos logo ou os meninos vão achar que aconteceu alguma coisa. — Se levantou do colo de Changkyun, indo até a porta e vendo o mesmo o seguindo.

Seguiram para o carro conversando sobre o passado de Kihyun, ainda sem conseguirem acreditar que o mais velho realmente fazia aquele tipo de coisa. Changkyun resolveu ir dirigindo, já que ele sabia o caminho da casa de Minhyuk e Hyungwon de cor, desta vez, não deixando que Jooheon e Kihyun fossem juntos no banco de trás para evitar problemas, da última vez havia sido uma real tortura para dirigir. Realmente torcia para que seus hyungs não começassem com brincadeirinhas puxadas para o lado sexual da coisa porque sabia que os dois mais novos ficariam com vergonha, eles entendiam aquele tipo de coisa, mas ainda ficavam bem tímidos, principalmente Minhyuk que era um pouco mais inocente que o Chae.

O Lee, contragosto, sentou-se no banco do passageiro, olhando chateado para Changkyun, eram só brincadeirinhas, mas decidiu não ir contra o mais novo, rindo baixo com a carinha brava que o mesmo tinha, quando o Im queria, ele conseguia parecer com uma criança birrenta.

— Não são só brincadeirinhas pra quem vê de longe e da última vez foi difícil. — Changkyun disse fazendo uma careta enquanto dirigia, não querendo nem lembrar daquele dia.

— Ah, mas quando você tá participando da festa, não reclama nada, né? — Kihyun riu no banco de trás. — Aquele dia foi legal. — Corou forte ao se lembrar da cena no elevador.

— Nosso vizinho até hoje olha estranho pra gente. — Changkyun riu baixo constrangido, parando em frente à casa de Minhyuk e acenando para o mesmo, vendo que ele já os esperava na frente da mesma. — Corta esse assunto agora.

— Oi hyungs... — Minhyuk disse ao entrar no carro, completamente tímido com a presença dos namorados do diretor. — Que bom que está bem, Changkyun hyung, fiquei preocupado. — Disse parecendo realmente aliviado ao notar que o outro estava até mesmo dirigindo, ficou sentado na janela oposta a qual Kihyun estava e se encolheu um tantinho ali.

— Oi, Minhyuk, como vai? — Changkyun respondeu. — Desculpe mesmo por ontem, prometo que isso nunca mais vai acontecer. — Disse sincero, já dando partida no carro para buscar Hyungwon.

— Mas Changkyun, nosso vizinho está sempre fazendo barulhos estranhos no apartamento dele, não é como se nós estivéssemos fazendo algo de outro mundo. — Jooheon disse querendo constranger o Im em frente a Minhyuk.

— Estou bem. — Minhyuk disse tentando não entender a frase de Jooheon ao lado de Changkyun, sentindo o seu rosto esquentar ainda mais.

— Claro, quem nunca fez uma reforma, não é? — Kihyun tentou disfarçar, olhando feio para Jooheon, não tinha pra que deixar o adolescente com vergonha, mesmo que o alvo fosse Changkyun.

— Ah, toda semana? — Jooheon continuou, sem medo de levar um tapa de seus namorados, ou no pior dos casos, ser jogado para fora do carro.

— Você e o Hyungwon foram bem embora depois de tudo aquilo? Fiquei preocupado quando soube... — Changkyun perguntou para Minhyuk, ignorando Jooheon, mas dando um soco na coxa do mesmo de forma discreta para que ele parasse.

— Foi tudo bem, eu e o Hyungwon fomos tomar sorvete e jogar em um café. — Minhyuk respondeu ainda constrangido pelo assunto anterior, mas sorrindo de forma nervosa.

— Ficamos agradecidos por terem cuidado do Changkyun. — Kihyun disse para Minhyuk, olhando feio para Jooheon.

— Aquilo não foi nada, nós dois ficamos preocupados porque ele tava nos dando um baita sermão e do nada ficou pálido. — Minhyuk riu um pouco, olhando para a rua e em seguida para Kihyun.

— Sermão? — Kihyun perguntou curioso.

— É... Eu meio que chutei o Hyungwon sem querer e ele ficou meio mal. — Respondeu cortando as partes mais importantes da história.

— Hyungwon quase morreu de dor... — Changkyun lembrou-se, estacionando em frente a casa do Chae e o vendo abrir a porta onde Minhyuk estava, logo entrando no carro.

— Oi, hyungs. — O Chae cumprimentou os mais velhos, sorrindo sem nervosismo algum, diferente de Minhyuk. — Oi, Minhyuk, está bem? — Perguntou preocupado.

— Estou bem. — Minhyuk respondeu segurando de forma discreta na manga da blusa do Chae, como se buscasse alguma coisa para se sentir mais tranquilo ali dentro.

— Está melhor, Wonie? — Changkyun perguntou para o mais novo, conseguindo ver nitidamente Minhyuk segurando no mesmo e bateu de leve na coxa de Jooheon para que ele visse também.

— Estou, foi uma dor no momento. — Hyungwon respondeu, não se importando em entrelaçar seus dedos aos de Minhyuk, nem percebendo a cara de espanto que o Lee tinha.

— Nós vamos ao shopping, mas vocês quem decidem o que vamos fazer. — Kihyun disse de forma despreocupada, rindo baixinho da cara pálida de Minhyuk, nem parecia o mesmo garoto que sempre via no palco com tanta segurança de si.

— E não se preocupem, é um passeio presente, não precisam se preocupar com nada além de se divertirem. — Jooheon completou, comemorando internamente como o próprio shipper dos dois adolescentes.

— Estourem o cartão do Jooheon. — Changkyun disse rindo e ouvindo os adolescentes rindo de maneira discreta também.

— Pode deixar. — Hyungwon disse como se estivesse sendo cumplice de Changkyun, mas estava apenas brincando.

— Pelo amor de Deus, não deem ouvidos ao Changkyun... — Jooheon disse de forma manhosa.

— Podem sim, eu deixo. — Kihyun disse colocando mais lenha na fogueira.

O Lee somente riu derrotado, puxando outro assunto, dessa vez sem maliciar nada, para que o clima legal dentro do carro não morresse. Ele sentia como se levasse seus filhos para passear, e aquela sensação, de alguma forma, lhe trazia um conforto imenso, algo que ele nunca havia sentido antes, mas que era tão bom quanto o sentimento de amor recíproco.

Não era o único com aquela sensação, Kihyun também sentia aquilo e de uma forma bem estranha se sentia bem confortável com aquilo, achava Minhyuk e Hyungwon muito educados e ambos eram talentosos também, não sabia se eles eram comportados daquela forma sempre ou se estavam daquela forma apenas porque estavam junto com três adultos, mas fez o possível para que eles se sentissem conversando de igual para igual, afinal, eles não eram velhos e nem completos desconhecidos, os mais novos respondiam todas as suas perguntas de forma tão natural e Minhyuk parecia relaxar cada vez mais ao seu lado. Se um dia tivesse filhos, o que era bem improvável, queria que fossem bem comportados e fofos daquela maneira.

Changkyun estacionou o carro na primeira vaga que encontrou no estacionamento, saindo do carro após desligá-lo e indo para perto de Kihyun, ouvindo Jooheon conversando alegremente com os dois adolescentes, não deixando passar despercebido as mãos de Hyungwon e Minhyuk juntinhas, se escondendo atrás do Yoo e tirando uma foto, rindo baixinho e mostrando-a ao mais velho.

— Pior que fangirl. — Changkyun comentou rindo sobre Jooheon com os dois garotos que andavam na frente deles, o Im segurava na mão de Kihyun andando de forma despreocupada, ouvindo Hyungwon e Minhyuk interessados no trabalho do Lee com a música.

— Chang... Eles se odeiam mesmo? — Kihyun perguntou baixinho, olhando para os dois adolescentes realmente confuso. O Im dizia que os dois tinham um ódio mortal um pelo outro, mas aquilo não parecia condizer com a realidade.

— O Minhyuk gosta muito do Hyungwon, é uma história meio complicada que eu ainda não sei inteira, mas parece que eles eram muito amigos quando mais novos e o Minhyuk quando descobriu sobre a paixão que sentia, tentou mostrar de todas as formas possíveis pro Hyungwon o que sentia e nunca foi visto como nada demais. — Changkyun explicou. — Minhyuk tem uma raiva muito grande do Hyungwon por causa disso, ele é quem provoca as brigas entre os dois e tudo mais, além de toda a dificuldade que ele tem pra interpretar a peça do Romeu e Julio com isso. — Balançou suas mãos com a de Kihyun de forma despreocupada. — Mas acho que o Hyungwon se arrepende e está tentando contornar a situação.

— Que bela fanfic... — Kihyun disse baixinho, olhando para Jooheon totalmente entretido com os adolescentes e rindo do mesmo, roubando um beijo de Changkyun de uma forma um tanto demorada, não demorando a puxá-lo consigo para chegar mais perto dos outros três alienados ao mundo real.

— O que nós vamos comer? — Jooheon perguntou ao ver os namorados se aproximando deles, Changkyun parecia todo bobo com alguma coisa, nem mesmo pareceu ter ouvido sua pergunta.

— Minhyuk e Hyungwon que decidem isso. — Kihyun respondeu de forma tranquila, sorrindo de forma larga enquanto caminhava.

— Ah, por mim tanto faz... — Minhyuk disse tímido.

— Minhyuk gosta do Mc Donalds, hyungs. — Hyungwon dedurou o Lee mais novo. — E ainda pega lanche com brinquedo. — Riu do mesmo se escondendo atrás de si, sem soltar sua mão.

— Então vamos no Mc Donalds. — Kihyun disse rindo da timidez de Minhyuk e a forma fofa que ele se escondeu atrás de Hyungwon, parecia que a qualquer momento iria dizer: Não precisam pagar nada hyungs, não se preocupem comigo.

Changkyun puxou Kihyun consigo para irem na frente, desta vez, também entrando na conversa dos adolescentes com Jooheon, dizendo que seria realmente bem legal uma peça de teatro musical, ele adorava quando envolviam atuação e música, mas não tinha muita coragem de fazer porque nenhum de seus alunos cantava bem e achava que dublagem ficava estranho, mas que poderia tentar em algum momento.

Tanto Minhyuk como Hyungwon tinham o sonho de fazer faculdade de artes e tentar em uma carreira como atores de dorama, Changkyun não tirava a razão deles, atores eram muito mais famosos e ricos que muitos artistas da televisão, além de serem muito bem reconhecidos por todos, estavam na maioria das propagandas e produtos possíveis, como professor deles, não podia deixar de ajudá-los com aquilo, queria muito que eles conquistassem o que sonhavam tanto, eram talentosos e esforçados, além de também serem muito bonitos, não duvidaria que eles conseguissem um papel logo de primeira com toda a carreira que já tinham nos palcos.

Quando chegaram no fast food, Jooheon e Changkyun foram para uma das mesas, já que Kihyun estava com o cartão deles e também sabia o que eles iriam querer para comer, não tinham para que ficar ocupando lugar na fila, mas ficaram feito bobos na mesa olhando para o Yoo conversando com os dois mais novos e fazendo os pedidos, parecia até mesmo um pai olhando de longe.

— Qual o brinquedo você vai querer, Minhyuk? — Kihyun perguntou olhando para a tela a sua frente e depois para o menino ao seu lado.

— Ah, pode ser qualquer um... — O Lee disse um tanto envergonhado, ele não gostava de ser exigente.

— Ele está colecionando os brinquedos dessa coleção, ontem ele pegou o número três, e pelo que me disse só falta o um. — Hyungwon era a perfeita definição de cara de pau.

— Okay. — Kihyun disse rindo baixo e clicando no brinquedo do número um, achando Minhyuk todo fofinho escondido daquela forma. — Não precisa ficar com vergonha não, o Changkyun também pedia esse até pouco tempo atrás. — Dedurou o namorado, fazendo os dois mais novos rirem um pouco.

— Changkyun parece nem ser tão mais velho que nós... — Minhyuk admitiu. — Ele parece ter a nossa idade, sabe? Sempre me sinto conversando com um adolescente quando falo com ele. — Explicou. — Você e o Jooheon hyung também, não parecem ser adultos, parecem ter a mesma idade que eu e o Hyungwon.

— Isso é bom, eu acho, porque não convivo com adolescentes e nem crianças e tava com medo de parecer um vovô pra vocês. — Kihyun admitiu rindo um pouco. — Jooheon e Changkyun são mais crianças que vocês dois, pode ter certeza.

— Sério? Às vezes o Changkyun dá uns sermões na gente, dá até medo, não parece o cara engraçado e fofo que estamos vendo aqui. — Hyungwon confessou. — Mas a gente sabe que é porque tá fazendo algo errado.

— Ele raramente briga ou é sério, mas acho que fica assim porque está no trabalho. — Kihyun explica indo para o balcão e pegando a bandeja de Minhyuk que estava junto com o lanche de Hyungwon e entregou para o mesmo, vendo o Lee todo feliz com o brinquedo que faltava na sua coleção. Esperou um pouco, mas pegou as duas outras que estava com o seu lanche e os dos seus namorados. — Mas acho que vale a pena, a peça sempre fica incrível no final.

— É, é bem trabalhoso, mas acho que quando vemos o auditório lotado e o Changkyun todo orgulhoso, a gente sabe que tudo valeu a pena. — Hyungwon respondeu com um sorriso no rosto.

— Estou ansioso pro Romeu e Julio, Changkyun estava bem inseguro com ela desde o início. — Disse para os dois, enquanto caminhava de forma despreocupada em direção a mesa dos namorados.

— Ele anda meio triste porque nós não conseguimos concluir uma cena. — Minhyuk disse cabisbaixo. — Mas ela é embaraçosa, sabe? — O Lee tentou explicar sem dar detalhes.

— Entendo, mas tenho certeza que as coisas vão ficar bem no final de tudo, vocês podem até improvisar na hora caso não conseguirem fazer a cena certinha. — Kihyun sabia bem da cena que Minhyuk disse, mas preferiu não comentar nada além daquilo, sorriu de forma doce para os meninos e deixou as coisas em cima da mesa assim que se aproximaram o suficiente. — Esses são os de vocês. — Disse para os namorados apontando para os lanches em uma das bandejas, segurando a sua e se sentando ao lado de Jooheon, deixando Changkyun entre eles e os meninos.

— Vocês acreditam que o Changkyun não dá um spoilerzinho das peças que ele planeja pra mim e pro Kihyun? — Jooheon perguntou para os dois adolescentes, numa forma de manter a conversa. —Ele não deixa a gente nem chegar perto dos papéis com os roteiros. — Disse mordendo seu lanche.

— Se a gente tenta, ele bate ou morde. — Kihyun brincou, abrindo o seu lanche de forma despreocupada.

— Eu não bato em ninguém e nem mordo. — Changkyun tentou se inocentar, fazendo um biquinho manhoso, mas todo sujo do molho do seu lanche, fazendo o Yoo rir alto e tacar os papéis no Im para que ele se limpasse.

— Ele vive dizendo pra nós guardarmos bem nossos roteiros, e pra não recitarmos eles em voz alta... — Hyungwon disse quase esfregando o lanche de Minhyuk na cara do mesmo para que ele comesse e parasse de brincar com seu novo brinquedo.

— É pra ter aquela surpresa no dia da estreia, oras... — Changkyun disse olhando para os mais velhos, não resistindo e limpando os cantos da boca de Jooheon sujos de molho.

— A gente entende, mas ficamos curiosos. — Kihyun disse com a boca cheia, olhando para a cena dos dois namorados e revirando os olhos com o Im tacando o papel sujo na cara de Jooheon logo que terminou de ajudar o mesmo a limpar a boca.

Estava tudo correndo de forma perfeita, afinal, eles estavam apenas comendo e conversando, não tinha nada para dar errado, mas Hyungwon ficava provocando Minhyuk o tempo inteiro com brincadeirinhas e o Lee mais novo acabou se irritando com uma delas e acabou tentando se defender, batendo de leve na mão de Hyungwon que praticamente no mesmo segundo derrubou o potinho que segurava com o molho e a batata bem na blusa branca que o outro usava.

Hyungwon jurou naquele momento que iria para o céu antes de se tornar um ator famoso, já se preparando para receber outro chute e alguns tapas de Minhyuk. Mas ao contrário do que pensava, o Lee mais novo somente choramingou algo que o Chae não conseguiu escutar e limpou o molho da camiseta, olhando para a mancha todo magoado, era uma de suas camisetas favoritas, e agora não tinha certeza se aquilo sairia com uma lavagem.

— Não esfregue, pode acabar manchando mesmo. — Kihyun disse para Minhyuk, fazendo uma careta ao ver aquela mancha, iria ser muito difícil de sair e duvidava que sairia totalmente. — Você quer uma jaqueta para tampar isso? Nós podemos sair para comprar outra blusa se quiser.

— Não, não precisa. — Minhyuk disse suspirando fundo. — Acho que minha mãe deve saber o que fazer... — Tentou ser positivo.

— Eu posso comprar outra blusa pra você. — Hyungwon sugeriu. — Foi eu quem fez esse estrago, não vai sair totalmente, é molho de tomate... — Disse olhando para o Lee, sorrindo quando encontrou os olhos do mesmo. — Se você não aceitar, eu vou ficar magoado... — Disse fazendo um biquinho com os lábios fartos, podendo jurar que os olhos de Minhyuk até brilharam encarando-os. — Mais magoado do que você já está.

— Não precisa me pagar nada, essas coisas acontecem. — Minhyuk estava chateado, em momentos normais do dia a dia, já teria tacado molho na blusa de Hyungwon também, mas naquele dia não queria briga.

— Por favor... — Hyungwon insistiu novamente, roubando as batatinhas de Minhyuk. — Só devolvo se você aceitar o presente. — Chantageou.

— Pode ficar. — Disse dando de ombros e voltando a comer seu lanche como se nada tivesse acontecido.

Os três mais velhos apenas assistiam tudo o que acontecia, identificando-se de uma forma estranha com aquela discussão boba dos dois, parecia até mesmo um filme bizarro onde estavam encontrando com outras formas deles que estavam discutindo sobre aquilo.

— Mas batatinhas... — Hyungwon pegou uma das fritas e passou pelos lábios de Minhyuk, não o deixando morder. — É só uma blusa... — Disse manhoso, nem se importava mais se estavam em público e com Changkyun, Jooheon e Kihyun.

Jooheon que teve um contato visual com Hyungwon, disse em forma de gestos para ele entregar sua jaqueta para Minhyuk e pedir desculpas de novo, era o que ele faria com os seus namorados caso aquilo acontecesse e depois voltaria a insistir sobre pagar a blusa, ele queria que os dois dessem certo e se não os conhecesse, acharia que eles namoravam. O Chae não era burro, então entendeu bem o que Jooheon havia lhe dito, retirando sua jaqueta e a colocando em Minhyuk não deixando que ele protestasse contra, deixando a batata do mesmo de volta na bandeja e então tentando mais uma vez.

— Uma blusinha, vamos. — Pediu novamente.

— Você vai parar de encher o meu saco depois disso? — Minhyuk perguntou para o Chae, fazendo uma careta de desgosto que Kihyun se segurou muito para não rir, ele estava gostando de assistir aquilo tudo.

— Prometo que sim. — Hyungwon disse com um sorriso vitorioso.

— Tudo bem então, mas vai ser a blusa que eu quiser e você não vai poder reclamar do preço depois. — Minhyuk disse voltando a comer seu lanche, recebendo um olhar de aprovação de Changkyun e Kihyun, sorrindo vitorioso em seguida.

— Tá bom. — O Chae disse antes de voltar a comer seu lanche de forma despreocupada.

— Você tem certeza que eles não namoram? — Jooheon sussurrou no ouvido de Changkyun.

— Meu ouvido é sensível, hyung. — Changkyun disse colocando a mão no mesmo após estremecer, ele era realmente sensível ali. — E tenho. — Respondeu de forma despreocupada, sabia que só eles sabiam do que se tratava a conversa.

— Mas eles são iguais a nós no começo... — O Lee disse novamente perto do ouvido do Im, mordendo o lóbulo da orelha do mesmo de forma discreta.

— Sai hyung. — Changkyun disse ao se arrepiar inteiro, trocando de lugar com Kihyun e fazendo uma careta enorme, não era bem algo excitante e sim agoniante.

— Eu nem estava fazendo nada. — Jooheon disse tomando seu refrigerante, como se realmente não tivesse feito nada.

— Parem de brigar, não estamos sozinhos, esqueceram a educação em casa é? — Kihyun disse parecendo uma verdadeira mãe com seus filhos, batendo nos namorados com a boca cheia de comida, fazendo Minhyuk e Hyungwon rirem no cantinho.

— Aish, eu não fiz nada... — Changkyun choramingou.

— Não quero saber, terminem de comer pra a gente ir passear em outros lugares. — O Yoo disse terminando de comer seu lanche e rindo baixo da cara de Jooheon.

— Não namorem alguém estressadinho, viu? — Jooheon disse para Minhyuk e Hyungwon, levantando-se para jogar seu lixo e fugir de outro tapa de Kihyun.

Hyungwon apenas olhou para Minhyuk e assentiu como se já estivesse na verdadeira merda, porque o Lee era estressado, mas não falaram nada, apenas deram risada das palhaçadas dos mais velhos, eles eram realmente legais aos seus olhos e queriam ter um relacionamento como aquele, onde existia amizade também e não apenas coisas de casais.

Assim que jogaram todo o lixo fora, seguiram para caminharem atrás de uma loja de roupas, Hyungwon iria comprar a blusa para Minhyuk, os dois continuavam de mãos dadas de uma forma discreta, conversando com os mais velhos sobre alguns filmes aleatórios que gostavam bastante, mal pareciam ter a diferença de anos de idade, pareciam mais um grupo de adolescentes aproveitando um dia no shopping. Aquilo era bom para os mais velhos, eles não estavam se sentindo uns tiozões chatos para os adolescentes como temiam, conseguiam conversar com eles de forma despreocupada de igual para igual.

Minhyuk escolhia a dedo a loja que queria entrar, ele provocaria mais Hyungwon, mas eles não estavam sozinhos, apenas procurava uma blusa que gostasse e fosse um pouco mais caro do que o normal de suas roupas, apenas para que Hyungwon nunca mais fizesse aquilo com ele de novo ou saberia que teria que pagar algo caro. O Chae já se arrependia um pouquinho de ter implorado por aquilo, iria grande parte do que ganhava ajudando na lojinha de seu pai durante a semana somente naquela ida ao shopping, mas ele sabia que, de alguma forma, valia a pena.

— Acho que gostei daquela. — Minhyuk disse indo em direção a arara das blusas, Changkyun riu baixinho ao ver Hyungwon engolindo seco com o preço, ele sabia bem como era aquela sensação.

— Ah... — O Chae olhou para o preço novamente. — Tudo bem, você quer provar? — Perguntou baixinho, vendo o Lee olhando para as blusas ali.

— Quero, vem comigo. — Disse puxando o Chae junto consigo para o provador e as blusas que havia gostado, fazendo ele segurar as mesmas e não desistisse de toda aquela ideia.

— Aqui tem blusas bem legais... — Changkyun disse atraindo a atenção dos outros dois mais velhos, nem se lembrando da existência de Minhyuk e Hyungwon. — Bem bonitas também. — Olhou a etiqueta para conferir o preço, soltando a peça que segurava e virando-se para outro lado. — Muito feio com esse preço, não gostei, não são legais...

— Pode pegar qual você quiser, Chang, eu pago. — Kihyun disse rindo baixinho, tinha sorte de eles não serem mais adolescentes e terem um salário bom.

— Vocês não acham muito suspeito duas pessoas juntas dentro do provador? — Jooheon perguntou ainda pensando nos garotos.

— Pera... Eles foram juntos pro provador? — Changkyun olhou para o Lee assustado.

— Você não viu? — Jooheon respondeu o Im, olhando para o mesmo com a testa franzida.

— Eu tava olhando as estampas das camisetas... — O Im respondeu. — Eu só consigo pensar muita coisa errada com duas pessoas no provador... — Disse baixo.

— Acho que todo mundo pensa coisa errada... — Kihyun disse dando de ombros e fazendo uma careta logo em seguida. — Mas qualquer coisa, a gente finge que não viu nada.

— Finge que tá vendo umas roupas, disfarça. — Jooheon disse virando-se para uma arara de roupas aleatória, olhando para o preço das roupas e fazendo uma careta.

— O Minhyuk veio nessa loja de propósito pra torrar toda a grana do Hyungwon, coitado. — Changkyun disse rindo baixo e parando ao lado de Kihyun em uma parede, segurando na mão do mesmo.

— Coitadinho do Hyungwon... — O Lee disse baixinho, aproximando-se dos namorados e segurando as mãos dadas dos mesmos de forma despreocupada.

— Lembrei de uma coisa... — Kihyun disse um tanto avoado, sorrindo feito bobo, mas gostando da lembrança que teve.

— O que? — O Im perguntou curioso.

— Quando a gente nem se conhecia direito e eu estava comentando com o Hoseok hyung que queria um livro de gastronomia francesa, mas não tinha dinheiro pra comprar na época, mas de alguma forma isso foi parar no ouvido do Jooheon e dois dias depois ele apareceu com o livro pra mim. — Kihyun contou rindo um pouco. — Eu fiquei me perguntando como ele sabia que eu queria aquilo, mas foi fofo, ainda mais depois que eu soube que ele tinha gastado mais do que podia pra comprar algo pra quem nem mesmo conhecia direito.

— Ah, eu me lembro disso. — O Lee riu. — Eu estava perto de vocês quando ouvi que você queria esse livro, aí eu fui perguntar pro Hoseok o nome desse tal livro. — Contou. — Eu tinha metade do preço desse livro, era uma semana trabalhando pra comprar metade dele e mais uma pra comprar a outra, metade do meu salário mensal... — Riu baixo, acariciando as mãos de ambos os namorados. — Mas valeu a pena. — Sorriu. — Nunca tinha visto o hyung tão feliz.

— Esse livro deveria ter sido bem caro mesmo. — Changkyun disse pensativo, mas fazia sentido, esses livros normalmente eram importados e não era todo lugar que vendia, normalmente apenas nas livrarias mais famosas tinham esses livros mais específicos. — Acho que a gente já deveria estar naquela época de gostar um do outro, mas ainda não no período do ciúmes e competição. — Riu.

— Lembro que o hyung tentou mostrar o livro pra você todo feliz. — Jooheon disse para Changkyun. — Aí você ficou se mordendo em ciúmes por saber que seu crush deu um livro super caro pra um cara aleatório que você mal considerava na sua vida. — Riu.

— Você fez e falou coisa pior pra mim. — Changkyun disse para Jooheon, rindo um pouco, achava aquelas brigas tão bobas e elas simplesmente o destruíam na época.

— Mas você sabe que agora eu te amo mais do que qualquer coisa nesse mundo... — Jooheon disse com uma voz fofa, deixando um beijo nos lábios do Im, olhando para o Yoo e também lhe dando um beijo. — E amo você também, hyung.

— Também amo vocês. — Changkyun disse olhando para Minhyuk e Hyungwon se aproximando, o Lee mais novo já segurava a sacola em mãos e o Chae parecia um verdadeiro pimentão. — Será que rolou algo naquele provador? — Se perguntou baixinho.

— Não... Se não o Minhyuk também estaria um pimentãozinho... — Kihyun disse baixinho para o Im, ouvindo a pergunta dele.

— Verdade. — Changkyun teve que concordar, Minhyuk normalmente era o que mais ficava envergonhado dos dois, ele parecia tranquilo com um sorriso vitorioso no rosto com aquela sacola nas mãos.

— Vamos, hyungs? Nós já pegamos a blusa. — Minhyuk perguntou sorridente, enquanto Hyungwon permanecia com a expressão envergonhada misturada com a de derrota pelo preço da roupa.

O restante do passeio deles foi bem descontraído, foram para a área de games e jogaram ali por horas, ainda mais depois que Kihyun quis um hamster de uma das máquinas de brinquedo, Changkyun e Jooheon gastaram todas as suas moedinhas para conseguir pegar a pelúcia que seu hyung queria e realmente conseguiram, depois de conseguirem pegar outros cinco ursos aleatórios que deram para os mais novos, eles pareciam ter gostado bastante, tudo finalizou com um sorvete pago pelo Kihyun.

Deixaram os garotos em suas casas antes que o sol fosse embora completamente, eles tinham realmente se divertido com Minhyuk e Hyungwon, mas também se divertido juntos, fazia tempo que não tiravam um tempo para descontrair daquela forma. Naquela volta pra casa, Jooheon não provocou Kihyun, nem ao menos Changkyun, ainda fez questão de mimá-los pelo resto da noite e lembrá-los a todo momento que eram muito amados por si e que mesmo que passassem por várias dificuldades, ele nunca desistiria de seus baixinhos e muito menos daquele relacionamento maravilhoso.

 


Notas Finais


Nós duas estamos com umas coisas em mente para vocês, mas iremos anunciar semana que vem <3
Espero que tenham gostado do capítulo e até breve ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...