História Our Destiny - Capítulo 55


Escrita por:

Postado
Categorias Katy Perry, Taylor Swift
Personagens Katy Perry, Personagens Originais, Taylor Swift
Tags Katy Perry, Romance Lésbico, Taylor Swift
Visualizações 94
Palavras 983
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Se vocês me amam, leiam as notas finais, se nao, finjam que amam kkkkk

Capítulo 55 - What a shame


Taylor fez uma vitamina com morangos, banana, leite e mel. Assim que terminou de bater tudo, seu telefone tocou, e ela logo atendeu vendo que era o advogado.

— Bom dia! — Falou, animado.

— Bom dia — A voz não era a mesma, não conseguia estar muito animada, ainda mais pela manhã, levando em consideração o cenário atual de sua vida. — Alguma novidade sobre o caso?

— Não exatamente, mas liguei por isso. — Taylor ouviu choro de criança do outro lado da ligação. Só podia ser o Harry. — Harry, você já tem 10 anos, filho! Será que dá pra não choramingar por nada? Eu...eu sei, já disse que vou nessa apresentação...Não, ninguém vai zombar de você...Ta, ta bom.

— Philip, se estiver ocupado me ligue outra hora. — O interrompeu. — Eu também tenho que fazer umas coisas aqui. — Ela encheu o copo do liquidificador com água, voltou até a bancada equilibrando o celular entre o ombro e distribuio a vitimina entre dois copos grandes.

— Não, não, eu já resolvi aqui. — Falou, deixando a sala, onde Harry chorava nos ouvidos de Joshua. — É importante, pra semana que vem. Você poderia me passar os dados do hospital onde Amy foi atendida e Zoey nasceu?

— Claro, que ótima ideia! — Logo a realidade a atingiu e ela desanimou. — Mas já faz quase seis anos, os médicos e enfermeiras podem não ser os mesmo, então não sei como isso vai ajudar.

— Tudo que preciso é um relatório completo do dia em que ela morreu e Zoey nasceu. Posso encontrar isso nos registros do hospital. É claro que seria muito melhor se eu pudesse conversar com os médicos que cuidaram delas, mas só os registros já serão de grande ajuda.

— Hum, — Taylor bebeu sua vitamina até a metade, colocando a de Katy sobre uma bandeja, junto com algumas frutas e torradas recehadas com geléia. — e como vai conseguir a proeza de olhar os registros? Como advogado, você deve saber que esse tipo de coisa é confidencial.

— Eu sei. — Deu uma risadinha convencida. — Mas eu vou conseguir esses registros.

Taylor correu até um quarto do andar inferior, vasculhando uma caixa, ao encontrar o que procurava, passou todas as informações para Philip.

— Anotado. Obrigado e tenha um bom dia, Taylor.

— Pra você também.


Tay segurou a bandeja e foi subindo as escadas devagar. Katy ainda estava dormindo, com o bumbum pra cima, todo arrebitado. A loira se perguntou como ela poderia dormir daquele jeito tão desconfortável, levando em conta a barriga de quase sete meses gestacionais.

— Katy, — havia deixado a bandeja sobre o móvel, tocava o ombro de Katy com suavidade enquanto falava baixinho bem perto do ouvido dela. — acorda. — Ela nem se mexeu. Taylor acariciou o rosto dela, depois deixou um beijo leve nos lábios. A morena sorriu, de olhos fechados, e foi despertando aos poucos.

— Bom dia.

— Bom dia, querida.


Enquanto Katy comia, Taylor se questionava se deveria contar sobre a ligação de Philip. Chegou a conclusão de que aquilo só serviria para deixar sua esposa ainda mais ansiosa.

— Vamos visitar a Zoey hoje?

— Será que deixam ela passear fora do orfanato conosco? — Katy parecia esperançosa.

— Katy... — Ela segurou a mão da morena, olhando para ela com carinho. — Logo ela vai estar aqui, correndo pra lá e pra cá, nos deixando loucas de novo. — Conseguiu fazê-la rir um pouco.

— Só você pra me fazer rir. — Suas mãos alcançaram os fios dourados, ela acariciou os cabelos de Taylor, que fechou os olhos sentindo seu toque, por fim jogou de lado. — Seu cabelo cresce tão rápido, parece o cabelo da Zoey. Lembra que a cada três semanas temos que mandar cortar, senão ela fica parecendo as garotinhas da igreja dos meus pais?

Taylor gargalhou.
— Lembra quando nós tivemos nossa primeira conversa sobre religião com ela, e ela disse "Então, é tipo eu gostar de dinossauros, não é porquê quero ser paleontóloga, que tenha que forçar todo mundo a ser também" Ela demorou um minuto inteiro pra falar paleontóloga, ficava nervosa por não conseguir e fazia aquela carinha fofa de brava, que parece muito com a sua cara de brava. 


Seu peito doeu um pouco pelas lembranças, aquilo trazia um pouco à tona sua frustração por Zoey não estar ali, por culpa de Susan.

— Ela é muito especial, não sei como alguém como ela e Amy podem ter o sangue de alguém como a Susan. — Katy desabafou.

— Acho que elas puxaram o senhor Lewis, ele era um ser humano tão incrível também.

— O pai de Amy? — Ergueu as sobrancelhas, não havia chegado a conhecê-lo.

— Sim, ele mesmo. Ele morreu pouco depois que me tornei amiga da Amy. Só o vi uma única vez, mas foi o bastante pra ver quem ele era.

— Sobre o que falaram?

— Eu estava vendo um noticiario com a Amy, falava sobre um rapaz agredido por homofobia. Senhor Lewis estava passando pela sala e viu aquilo — Taylor fechou os olhos e sorriu, se lembrando de cada detalhe do acontecimento do dia. — Parou em pé, ao lado do sofá e disse "Esse tipo de coisa me faz perder um pouco da fé na humanidade. Como podem agredir alguém simplesmente por amar? Se um dia Trump for presidente deste país, quero estar à sete palmos debaixo da terra". A ironia é que ele morreu antes do Trump ser eleito.

— Ele era um jogador famoso, não era? — Katy perguntou, se lembrando do dia que conheceu a casa de Amy. — Eu vi os troféus na estante.

— Coitado, morreu de um jeito tão besta. Enfarto fulminante, durante um jantar.

— E ele era saudavel, já que era um atléta. Que estranho. 

Notas Finais


O nome do título é sério, mas por alguma razão na minha cabeça soa irônico.

Bem, eu tenho depressão, e como alguns devem saber, isso não tem cura, só tratamento. Acontece que essa maldita doença está dando sinais de vida de novo, e eu venho lutando pra me manter o minimo estavel. Escrever me ajuda bastante.
Tem a questão do enem também, que eu ja fiz ano passado, mas nao estou tao contente com minha nota e quero fazer de novo esse ano por isso.
Eu não tenho tempo pra pesquisas profundas em relação a fic, então me perdoem.

Quando tudo isso passar, eu tenho dois projetos no coração, que escrevi em resumo.
Um deles é uma fic Kaylor/SwiftPerry/onomedeshipquevocesquiserem ambientada nos anos 50 (não lembro se já falei, mas eu amo coisas antigas, desde criancinha)
E o outro é um projeto com teorias do relacionamento delas em universo "real", tranzitanto entre passado e presente. Vai ter data e os carai, vou tentar nao me perder na cronologia kkkk (a quem quero enganar, sou de humanas kkkk). Essa vai ser mais facil, pois sou fã das duas, e apesar de não saber tudo como parece que alguns fã sabem kkkk eu posso me virar. Os livros biograficos delas sao lindos e de grande ajuda.

Quantos as fics em andamento, vou seguir atualizando. Isso é minha terapia agora <3

Once upon a time, vou demorar pra atualizar um pouquinho, porquê ela se passa na primeira temporada da série e isso foi há 509 anos kkkkk exagerada aqui. Vou ter que voltar no que escrevi e corrigir umas coisas, depois que conseguir rever alguns ep da season 1.


AMO VOCÊS CARAIO.


Eu to lendo uma fic com enredo policial, sobre Kaylor, e eu to presa pra caralho naquela maravilha. Por que nao vao la dar uma olhada? Acho que é roleta-russa o nome.



Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...