História Our Dream, or not. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Star vs. as Forças do Mal
Personagens Janna Ordonia, Marco Diaz, Oskar Greason, Star Borboleta, Thomas "Tom" Lucitor
Tags Starco, Stom
Visualizações 37
Palavras 1.730
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal!
Quanto tempo, né? kkj
Eu espero que gostem do capítulo!!

Capítulo 6 - Dream.


Sonhos estranhos acontecem quando você pensa demais em um assunto, ou quando você não  pensa. Seu subconsciente acaba transformando seus medos, inseguranças, e negações em realidade. Quando você acorda você se perde no que é real e no que é mentira. Por exemplo, quando você em algum momento nega totalmente a declaração de alguém que você gosta nos seus sonhos, você acorda com medo de ter sido real.
Sonhos são manipuladores. Sonhos não são tão bonitinhos quanto deveriam ser. Eles podem te perturbar por dias.

-Que horror, Star, você está com cara de morta!- Disse Oskar assim que eu entrei na empresa.

-Desculpa, eu não tive bons sonhos!-  Respondi entrando no elevador porém fui puxada por uma mão antes que o elevador fechasse.- O que?- Gritei sem entender logo sentindo ser puxada para uma salinha ainda toda perdida. –O que foi? Eu não quero morrer, me desculpa mas eu não tenho dinheiro, por favor não me mate!- Comecei a chorar, mas logo a luz da salinha fora acessa mostrando que era o Marco me fazendo ficar estressada porém não estourei por falta de vontade, estava com muito sono.

-Nossa, está de TPM?-Perguntou ele me olhando com certo nojo.

-O que TPM tem a ver com o fato de eu estar toda acabada?- Perguntei de volta.

-Ah, sei lá. Enfim, tenho mais planos, mas antes você terá que ir ao salão. Parece que por mais que eu tente, mais difícil fica te ajudar a se arrumar!- Disse abrindo a porta me fazendo revirar os olhos.

-Você nem perguntou se eu quero fazer o plano!- Respondi balançando meus braços em forma de reação contra gosto.

-Porque você não tem que responder o óbvio, não tem o que perguntar, só o que fazer!- Disse e saiu fechando a porta me fazendo encostar na parede e suspirar.

-Por que eu me meti nisso?- Perguntei à mim mesma.

-/-

Então aqui estava eu, vestindo uma jardineira, com sapatilhas, uma maquiagem leve, por baixo da jardineira uma blusa que mostrava um pouco da minha barriga. Estávamos no parque central, ele queria tirar fotos para atualizarmos nossas redes sociais, ele acha que precisamos deixar o relacionamento mais real.

-Você ficou muito mais bonita do que eu imaginei que ficaria!- Ele disse sorrindo sincero e eu devolvi o sorriso.

-Obrigada, mas eu preferia ficar em minha cama!- Ele revirou os olhos e pegou em minha mão.

-Se tirarmos ótimas fotos, se parecermos o casal mais sólido do mundo, iremos para a sua casa e assistimos série deitados e com muita comida, eu prometo isso. Que tal?- Perguntou-me e eu não consegui segurar um sorriso.

-Vai ter pipoca e chocolate?- Perguntei tentando segurar o sorriso.

-Até pizza!- Ele riu.

-Combinado!- Segurei com força em sua mão e comecei a andar com ele que logo pegou o celular empolgado.

A primeira que tiramos foi eu andando segurando a mão dele e ele sorrindo. A segunda estávamos ainda lado a lado, era difícil passar para a foto a sensação de sermos um casal porque não somos. A terceira ficou muito forçada e dava para ver isso pela foto. Ao todo, tiramos 20. Detestamos a maioria, se gostamos de 2 ou 3 que parece que somos um casal, olha, com certeza é muito.

-Desculpa, eu estou tentando!- Disse quando enfim nos sentamos nos banquinhos daquela praça.

-A culpa não é toda sua, a culpa mesmo é dos seus pais!- Disse ele me encarando me fazendo o olhar sem entender.

-Não entendi, me explica isso direito!- Disse.

-Eles que te fizeram com essa cara, a culpa não é sua. Deve ter sido na pressa!- Disse rapidamente e me deixou de queixo caído pela resposta.

-Você tem problemas?-Eu não queria, mas comecei a rir enquanto dava tapas fortes nele.

-Ai, garota, para com isso, vai me deixar todo roxo!- Começou a gritar tentando evitar os golpes enquanto ria juntamente comigo.

-É para você se lembrar das cruéis palavras que desferiu a mim!- Disse rindo, até que ele segurou meus braços e me puxou para perto ainda rindo, mas parecia diferente. Ele realmente olhava para os meus olhos, ele estava dentro deles, ou tentava entrar neles. Eu olhava para os dele, mas ainda sim, ainda sim não encontrava o que ele queria. Ah, o pavor dos próximos atos nos levam a fazer idiotices.

-O que você está fazendo?- Perguntei.

-Te olhando, não fique tão preocupada, eu não esqueci a aposta!- Ele respondeu e eu ri. Claro, a aposta. Óbvio. Ele realmente daria tudo de si para ganhar, como pude ser tão ingênua de esquecer?

-Bom, acho bom!- Disse e puxei meus braços de volta ainda sorrindo o vendo rir. Logo uma pessoa se aproxima da gente.

-Oi, me desculpa incomodar, mas é que eu estava vendo vocês dois e não agüentei, tirei algumas fotos e como elas ficaram tão boas eu quis lhes mostrar como ficou. Vocês são um casal muito bonito!- Disse a pessoa nos mostrando as fotos em sua câmera. As fotos realmente estavam bonitas, parecíamos um casal muito unido. Especialmente a última em que estávamos um tanto próximos e nos olhando. Essa realmente passava a sensação de um casal apaixonado e isso era um tanto constrangedor.

-Muito obrigado, por favor se puder me passar eu realmente aceito!- Disse Marco pegando o celular, logo o menino passou todas e Marco passou para o meu celular.

-Bom, aí estão as tão almejadas fotos!- Disse me levantando e guardando meu celular. –Agora vou para a minha casa dormir!- Disse dando as costas e começando a andar até ele se aproximar de mim novamente.

-Você é muito apressada, eu nunca descumpro minhas promessas!- Ele pegou em minha mão me levando para o seu carro.

-Ah, mas eu vou dormir.-Eu disse fazendo birra.

-Você pode dormir, mas pelo menos eu cumpri minha parte!- Respondeu abrindo a porta do carro para mim. Entrei contra gosto e me encostei no vidro olhando a rua durante a viagem.

-Você tá meio chatinha hoje, aconteceu algo?- Perguntou.

-Só não dormi tão bem quanto queria!- Respondi.

-Por que?- Perguntou.

-Péssimos sonhos!-Exclamei. Ele olhou para mim um pouco preocupado quando parou em um sinal vermelho.

-Me conte!-

-Ah, só sonhei que tudo foi em vão e eles se casavam em minha frente. Mas é idiotice.- Disse dando ombros e suspirei.- Mesmo se nada der certo e eles se casar, irei dar a voltar por cima. Foi péssimo porque me causou o sentimento de inútil, mas não sou, eu estou tentando, certo? Então não sou!- Sorri o vendo me devolver o sorriso.

-Você é boa demais para ele!- Disse ele antes de estacionar e eu o olhei sem entender.- O que?- Perguntou.

-Só...Foi diferente!-Dei ombros.

-Você é diferente!-Ele me olhou, e novamente, era um olhar diferente. Como se procurasse algo então sorri e abri a porta do carro.

-Vamos fazer as coisas logo que eu quero dormir!-Disse entrando em casa o mais rápido possível.

-Enquanto você veste seu pijama eu faço as coisas!- Disse ele entrando e jogando uma bolsa em meu sofá me deixando sem entender. Tomei um demorado e longo banho. Eu com certeza lavei minha alma naquele banho. E vesti meu pijama, meu belo e esquisito pijama. Era um macacão rosa  que me cobria toda, ele tinha alguns unicórnios e arco-íris como adesivo de enfeite, fiz um coque no meu cabelo e calcei minhas pantufas e unicórnio. Era mega constrangedor, mas era o que tinha para hoje.

Quando saí do banheiro o primeiro cheiro que invadiu minhas narinas fora o da pizza, o segundo o do chocolate quente e o terceiro fora com certeza o de perfume indicando que alguém tomou um belo de lindo banho no meu banheiro.

-Antes que você fale que é mega constrangedor, foi o único pijama que eu encontrei em minha...-Então paramos de frente um para o outro antes de terminarmos a frase que ambos começaram rindo. A primeira coisa que fizemos foi encarar, a segunda foi com certeza rir.

-Estamos parecendo um casal!- Ele disse rindo de ficar vermelho.

-Agora estamos, definitivamente!- Ri. Ele estava usando um macacão azul de pijama, parecia que tínhamos combinado, mas não tínhamos.

-Vem, vamos comer antes de começarmos a assistir série!- Disse ele se sentando na cozinha.

-Essa vai ser a coisa mais louca que vou fazer!- Disse para ele.

-O que?-

-Comer pizza com chocolate quente!-

-Desculpa, imaginei que chocolate quente seria bom para você dormir bem, e eu tinha prometido pizza!-

-Eu não falei que sou contra, apenas disse que é louco!-

-Então o louco não te incomoda?- Perguntou.

-Deveria?-Respondi comendo um bem dotado pedaço da pizza.

-Você tem resposta para tudo em!- Disse ele bebendo um grande gole do chocolate quente.

-Bom, a gente tenta!- Dei ombros.- Vamos assistir qual filme?-

-Um novo que lançou na netflix!-Concordei mesmo sem saber qual seria o filme, no fim eu dormiria mesmo.

-Bom, então vamos?- Perguntei me levantando e indo para o meu quarto, me sentei em minha cama enquanto ele colocava as coisas. Era incrível como que aos poucos parecia cada vez mais que éramos mesmo um casal.

-Play?-Perguntou ele e eu balancei as mãos no ar gritando “play” de volta arrancando uma risada dele no final.

E bom, eu tinha razão, dormiria no filme, o problema foi que eu dormi apoiada em Marco que dormiu com sua cabeça apoiada na minha. Sim, realmente dormimos juntos. E essa não foi a pior das partes, a pior delas foi...Que eu gostei.

A pior parte do sonhos, é a realidade. Quando comparadas com o sonho você sente um gosto amargo, porque a vida não é um sonho. Contudo, naquela noite, nenhum sonho poderia superar a realidade, e acredite existe muitos raros momentos como este, é dificílimo você ter uma realidade melhor do que o sonho, mas desta vez, dormir com a cabeça apoiada no ombro de Marco enquanto ele segurava minha mão e apoiava sua cabeça na minha era quase um sonho real, e isso me aterrorizou ao mesmo tempo que me fez ficar em paz. Depois disso, com toda certeza, eu já não sabia o que era real e o que era um sonho, e de verdade, não sabia por quanto tempo ficaria presa dentro disso. Mas não podia negar o fato de que se sentia feliz como não sentia há séculos. Esse relacionamento poderia acabar se tornando um sonho mais real do que eu gostaria que se tornasse.


Notas Finais


Então por hoje é isso, pessoal!!
Espero que tenham gostado!
Olhem, mil desculpas, mas acreditem em mim quando eu digo que é difícil demais ter criatividade sempre e ter que se concentrar nas aulas, e fazer mil coisas ao mesmo tempo. Eu realmente me esforço, me perdoem por eu sempre demorar demais a postar!!
Não desistam de mim kk <3

-OPPAYO, THANK *U*-


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...