História Our Eternity - Taegi - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Caramba, não acredito que tô mesmo fazendo isso 😳

Eu tava querendo escrever essa história já faz um tempo (tipo uns dois anos 😅)
Mas eu não conseguia, aí nesses últimos dias ela veio e cá estou eu.

Eu espero que gostem, tô morrendo de medo porque não tô achando bom, mas bora ver né.

Além disso, tô estreando meu celular com ela 🤣

Tá parei com a enrolação

Capítulo 1 - Capítulo I


Fanfic / Fanfiction Our Eternity - Taegi - Capítulo 1 - Capítulo I

Escritório do Professor Kim, Seul.


Eram por volta das nove da manhã quando Kim Choi Soo recebeu uma ligação de um de seus colegas: Min Hansung. O mesmo pedia que o professor e sua equipe fossem a uma ilha onde segundo fontes havia existido uma importante cidade, uma cidade que muitos não sabiam da existência, que simplesmente havia desaparecido do mapa.

Ao ouvir ficou eufórico e respondeu imediatamente que aceitava, mas acabou por questionar ao mais novo a razão de o mesmo não ir, afinal se fosse real aquela seria uma grande descoberta para o país e para a carreira do sortudo que fosse responsável por ela. O Min apenas respondeu que ele e sua equipe estavam muito ocupados com outra escavação do outro lado do mundo e não havia ninguém melhor que Choi Soo para ela. O Kim apenas riu, era um bom garoto, apesar de muitos acharem que o mesmo já era um homem mais velho devido à sua carreira extensa ele não passava de um menino, já tinha tido o prazer de conhecer Hansung e até o próprio Kim havia ficado boquiaberto, porém o fato de ser jovem não causava implicações em seu trabalho, era sério e responsável.

Hansung já havia plenejado tudo então só restava ao mais velho reunir sua tão renomada equipe. Pegou o celular e discou o número.

- Namjoon, temos trabalho a fazer, me encontre no restaurante de sempre às daqui à três horas avise os outros...


Mansão Kim, Seul


Taehyung havia acordado com um péssimo humor, apesar de sua noite ter sido boa estava com muita dor em sua cabeça. Pegou o celular para verificar o horário, já passava das onze, olhou para o outro lado da sua cama e viu o cara com quem tinha transado, o analisou, era bonito e fodia muito bem mas não era o tipo do mesmo, o Kim nem sabia se tinha um tipo, Hoseok sempre dizia que o tal tipo de Taehyung ou já tinha morrido ou ainda nem havia nascido.

É,  pelo visto só tinha sido aquela noite. Enquanto observava, o rapaz acordou e sorriu sentando e ao tentar beijar o Kim foi parado com apenas um gesto.

— O que foi? — perguntou o garoto confuso.

— Acho que já está na sua hora.— respondeu simplisista se levantando e indo até o banheiro, ligando a torneira da banheira após isso voltou para o quarto — Se quiser tomar um banho pra poder ir tem um banheiro no final do corredor, última porta a esquerda.

—  O quê? Espera! O que aconteceu, você não gostou de ontem é isso? — perguntou num leve tom de desespero.

— Não, eu gostei. — disse com um sorriso

— Sério? — perguntou sorrindo.

— Sim, você foi ótimo — não era por mal, mas Tae adorava aquilo, era sempre desse jeito, ele deixava que os homens se enchessem de esperança para no fim poder acabar com ela, tá talvez ele fosse um pouquinho mau, mas nada que fugisse do controle.

— Então o que acha de...— falava com animação quando foi cortado por Taehyung.

— Olha, você parece ser um cara legal, mas não gosto de relacionamentos ou de ficar preso a uma pessoa, eu quero ser livre. — Suspirou. — Não me leve a mal, mas você parece ser o tipo de cara apaixonado e eu não quero isso, além do mais, não tenho relacionamentos com pessoas mais novas, sem exceção. Espero que encontre alguém que te faça feliz e não, esse alguém não sou eu. Pra mim tudo isso foi só sexo casual e de apenas uma noite.

Um silêncio desconfortável se fez presente até que foi quebrado pelo garoto.

— Certo... última porta à esquerda não é? — Perguntou cabisbaixo e Tae demorou um segundo pra perceber do que o garoto estava falando e assentiu, andou até o seu banheiro e voltou entregando uma toalha ao rapaz — Obrigado.

Suspirou o olhou novamente o horário, aquela conversa havia lhe custado uns bons minutos então voltou para o banheiro e entrou na banheira com água morna, sentiu seus músculos relaxarem e suspirou em deleite, como ele amava aquilo. Acabou por lembrar do olhar triste do rapaz ao ter suas esperanças destruídas, quantas vezes ele já não havia repetido esse mesmo ato? 

De certa forma aquele foi um dos casos mais tranquilos, uma vez um cara chorou e agarrou as suas pernas pedindo para que lhe desse uma chance, aquilo foi bizarro. Mas ele nunca tinha parado pra pensar em como esses homens se sentiam.

Veja bem, ele não havia tido um relacionamento traumatizante que o fez se fechar para o amor, claro que não, ele só não queria perder sua liberdade, estava bem daquele jeito e não precisava de um alguém, se quisesse se aliviar era só ir à uma festa, pessoas o querendo era o que não faltava.

"Talvez eu seja mesmo o monstro que minha irmã diz." Pensou.

Ok, já tinha refletido demais para um banho só então se levantou, vestiu seu roupão e foi em direção a pia onde escovou seus dentes e seguiu para seu quarto. Ao olhar no celular viu que haviam duas ligações perdidas de seu avô, três de sua irmã e quatro de Hoseok.

—  Eu tô ferrado. — foi só o que disse já ligando para Hobi que de todas era a opção mais segura.

— Kim Taehyung, onde é que você estava que não atendeu esta merda? — Hoseok perguntou em tom baixo que fez os pelos do Kim se arrepiarem, ok, ligar pro Jung foi má ideia deveria ter escolhido os gritos finos e as ameaças de morte de Jennie. Ele podia imaginar o melhor amigo com a expressão dura e teve medo, pois entenda bem, Hoseok era como um raio de sol, vivia sorrindo e alegrando a todos, mas, porém, contudo e todavia quando se tornava sério ou ficava bravo era como se outra personalidade assumisse e era com ela que Taehyung falava naquele momento.

— Eu estava no banho e deixei o celular aqui fora no silencioso. — riu nervoso. — Então sobre o que queriam falar comigo?

— Seu avô convocou uma reunião com toda a equipe e você já está cinco minutos atrasado então espero que já esteja se vestind... — foi cortado por um barulho vindo do andar debaixo.

"Pobre porta." Pensou Tae. "Bem, acho que ele ficou bravo"

— Isso foi a porta de entrada da sua casa? — Perguntou desconfiado.

— Foi, foi sim. — respondeu num suspiro

— Taehyung, eu te amo mas você tem um parar de iludir as pessoas ou mais tarde tudo isso vai voltar de uma forma bem pior.

Jung Hoseok e sua sagrada boca.

Vinte minutos após desligar a chamada Taehyung estava em frente ao restaurante. Entrou e logo viu seu avô e todo o resto da equipe, assim que o viram a maioria sorriu tirando Jennie que o encarava com um olhar assassino, que segundo o próprio, "era a forma dela de demonstrar o amor que sentia por si", e Baekhyun que estava muito concentrado na samambaia que enfeitava a mesa.

"Deve ser coisa de Baekhyun's." Pensou.

Sorriu para todos cumprimentando - os e fazendo uma carinha fofa para a irmã enquanto se sentava ao lado do melhor amigo. Quando terminaram de fazer os pedidos a reunião de fato teve início.

— Bem, já que já estamos todos aqui podemos começar. — começou o Kim mais velho. — Hoje pela manhã recebi uma importante ligação de um colega.

— Que colega, professor? — perguntou Luhan.

— Min Hansung — respondeu calmamente. — Ele me disse que há alguns dias recebeu a informação sobre possíveis vestígios de uma cidade em uma ilha e como ele e sua equipe estavam cuidando de outra escavação ele resolveu nos convidar a verificar se é ou não verdadeiro.

— Uou, Min Hansung? O Min Hansung? — perguntou Namjoon surpreso vendo o mais velho assentir.

— O quê? Quem é Min Hansung? — questionou Taehyung confuso.

— Como assim "quem é Min Hansung", Kim Taehyung? Ele é só um dos arqueólogos mais famosos do país não é a toa que o vovô conhece ele. — Jennie explicou — Como é que você não sabe disso?

— É qual cidade seria essa, vovô? — questionou Taehyung Ignorando a pergunta da irmã. — E além disso  como podemos saber se dá mesmo pra confiar nesse tal Hansung?

— Respondendo a sua segunda pergunta primeiro, meu querido neto, conheci Hansung em uma festa dada por um museu no Egito e acredite é um bom homem não há motivos para para sua desconfiança. E a cidade... —  fez uma paisa dramática enquanto um sorriso travesso no rosto, o mesmo sorriso que o neto havia herdado — Byeol.

Todos na mesa estavam com os olhos arregalados, afinal Byeol apesar de ter sido pequena era importante na rota de comércio. A cidade havia desaparecido de um dia para o outro e junto com ela seus moradores. Isso era tudo que se sabia.

— Quando partimos? — Hoseok e Rosé perguntaram ao mesmo tempo e com a mesma euforia, eles eram de longe os mais animados afinal eram historiadores que poderiam estar prestes a descobrir um dos maiores mistérios do país: o que havia acontecido a Byeol.

— De acordo com Han seong... — foi interrompido por Taehyung que resmumgou um "De novo esse Hansung." em voz baixa, mas o mais velho continuou ignorando a fala do neto. — a suposta localização da cidade é a ilha de Sigan, pra chegarmos lá, precisamos ir até a cidade de Dali, de lá pegaremos um barco que nos levará até a ilha. Então se todos estiverem de acordo partimos amanhã para nossas férias à trabalho.

— Pode íamos ficar algumas horas em Dali para coletar informações afinal quem melhor para saber um pouco mais da história de Byeol do que a cidade ao lado? — Rosé falou tendo Hoseok concordando freneticamente.

— Pelo que fui informado, o barco que nos levará partirá apenas dois dias após a nossa chegada. É tempo suficiente pra vocês dois?

— Mais do que o suficiente. — disse Hobi sorrindo daquele jeito que iluminava o dia de qualquer um.

— Parecem duas crianças que descobriram o que vão ganhar de natal antes da hora. — Namjoon falou causando risadas a todos.

— Bem, o que estamos esperando então? Vamos arrumar nossas malas. — Baekhyun falou como se estivéssem à caminho da maior festa de todas e contagiados pela animação os outros levantaram prontos para saírem do restaurante.

— ahn, gente, nosso almoço. — Jisoo, que foi a única que permaneceu sentada, falou apontando para o garçon que já trazia a comida. Aquilo só serviu pra causar mais risadas.


— Mal posso esperar para nossas "férias à trabalho". — comentou Luhan sorrindo.

Todos já haviam terminado de comer então voltaram a conversar já que o professor tinha uma regra bastante clara: Nada de conversas sobre tabalho na hora da refeição.

— Por falar nisso, qual é o clima é lá? Da última vez que tivemos nossas "Férias à trabalho" fomos para o outro lado do mundo procurar vestígios de uma tribo indígena no Amazonas, não que eu não tenha gostado, mas quase morri por picadas de mosquitos e calor. — Jennie falou indignada os fazendo rir, mas todos compartilhavam da dor da mesma. Era realmente quente, úmido e um ótimo lugar para mosquitos, mas fora isso tudo tinha se saído bem.

— Não precisam se preocupar o clima é agradável na maior parte do ano. — Choi respondeu ainda rindo da neta. — Agora, acho melhor que todos nos preparemos, pegaremos o avião para uma cidade próxima à Dali e seguiremos até lá de carro e nos instalaremos em um hotel. Estejam no aeroporto à meia noite o voo sairá meia hora depois, entenderam? — Todos assentiram. — Entendeu bem, Kim Taehyung? — disse olhando para o Kim mais novo que balançou a cabeça levemente em confirmação.

— Pode deixar, meu velho. —  falou sorrindo travesso, batendo continência e saindo correndo deixando o mais velho com um sorriso bobo,  aquele garoto não cresceria nunca.

Notas Finais


E foi isso, espero que tenham gostado, sério mesmo

Será que eu me jogo da ponte agora????? 😬🤔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...