História Our History (One Direction) - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction
Visualizações 134
Palavras 2.950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOOEEEEE
Meu Deus, dessa vez é um milagre!!!!! Não demoramos a postaaaar!!!
Bom, eu não vou falar nada sobre o capitulo aqui, vou deixar pra vcs nos comentários
Boa leitura amores

Lih e Cah
Xx

Capítulo 58 - It's over (3 temporada)


Fanfic / Fanfiction Our History (One Direction) - Capítulo 58 - It's over (3 temporada)

~Elise On~

O primeiro ultrassom. Eu não estou aguentando meu coração dentro do peito, parece que vai explodir. Liam está ainda mais ansioso do que eu! Meus pais e os pais dele também vieram porque ficaram muito felizes com a chegada de um neto, o apoio que recebemos de ambos foi muito importante pra nós.

-Elise Miller? – a enfermeira entrou na sala de espera, todos nós levantamos e a seguimos até a sala do ultrassom – pode se deitar aqui e levantar a blusa, a doutora já vai vir.

-Obrigada – deitei na maca e levantei a blusa até o abdômen, minha barriga já estava pontudinha.

-Olá – uma mulher de cabelos loiros em um coque entrou na sala – oi Elise, sou a Dra. Blake. Vamos ver esse nenê?

-Vamos – sorri abobalhada

Primeiro ela passou o gel gelado que me deu um arrepio. Depois começou a deslizar o aparelho bem devagar

-De quantas semanas você está?

-13 semanas

-Vamos ver... Aqui está – e de repente aquele som preencheu a sala. O som mais lindo que eu já ouvi – muito bem Elise, seu bebê aparenta estar saudável, pois está crescendo como o esperado! – eu olhei pro Liam e vi que estava chorando, ele me deu um selinho demorado e limpou as lagrimas – vocês querem saber o sexo?

-Amor, eu acho que mudei de ideia, queria que fosse surpresa. O que você acha?

-Se você quer que seja surpresa, eu também quero! Tudo bem por vocês? – ele perguntou olhando para nossos pais, que também estavam chorando com um sorriso de orelha a orelha, mas concordaram conosco.

-Tudo bem, vou pedir que faça mais alguns exame ok? Só pra detectar se podem ter sinais de problemas genéticos, mas fique tranquila. Agora papais, é cuidado em dobro! Você vai sentir a necessidade de comer em dobro, mas o importante é que você coma com qualidade então uma alimentação rica em proteína de carne e muita vitamina e mineral de legumes e frutas, laticínios também pro desenvolvimento dos ossos do bebê, tudo isso é essencial! Por enquanto é só isso, mas como disse vou pedir mais exames – ela me entregou papeis toalha pra limpar o gel.

-Obrigada doutora, muito obrigada!

-Imagina querida, tudo de bom pra vocês!

-Obrigada!

Eu estava muito feliz, mas ainda tinha aquela enorme preocupação. Eu teria que esconder minha gravidez no colégio, só que uma hora eu não conseguiria mais. E ainda estou desconfiada que Aubrey tenha ouvido minha conversa com Ariana, e se ela tiver ouvido mesmo, eu estou completamente e inteiramente fudida.

-Amor? – Liam me tirou dos pensamentos preocupados – você tá bem?

-Eu... To... Podemos conversar depois?

-Claro amor, vamos pra casa?

 

~Ariana On~

 

OI FÉRIAS SUA LINDA!

Finalmente as férias chegaram e finalmente eu vou sair desse colégio e poder acordar tarde todos os dias. O que me deixou meio triste foi o fato da turma não viajar junta dessa vez. Sinto falta de todos nós juntos, rindo e se divertindo, cantando todos juntos e fazendo as palhaçadas. Eu não imaginava que isso aconteceria, na verdade não imaginava nada do aconteceu esse ano até agora. Loui namorando a Julie, Niall e Madison terminarem de repente, Elise grávida e a quase traição do Harry.

-Ari? Chamada pro voo!

-Hãn?

-Nosso voo pra Miami, estão fazendo a chamada, vamos? -

-Oh sim, claro claro! – levantei da cadeira e peguei minha mala, Harry fez o mesmo.

-Tá tudo bem amor?

-Tá sim, só estava pensando em umas coisas...

-Quer dividir?

-Ah... Aconteceram tantas coisas esse ano né?

-Verdade! Acho que o que mais me surpreendeu foi o Louis e a Julie namorando

-Pra mim foi a Cah terminar com o Niall! Eles se amavam tanto e do nada... Cada um pro seu canto! Achei muito estranho!

-Estranho mesmo. Que bom que ele se recuperou né?

-Bom mesmo – falei lembrando da Madison aquele dia saindo do quarto do hospital.

Eu praticamente dormi o voo inteiro até Miami, chegando lá com um calor do inferno. Achei que seria bom pra nós virmos pra cá e passarmos um tempo juntos, sozinhos. Lembrei-me daquela vez que viemos pra cá no ano em que nos conhecemos. Ele usava cabelo escorrido e óculos fundo de garrafa, mas continuava fofo. Quase brigou com James no dia do luau porque tinha ficado com ciúmes.

-Chegamos – o taxi parou em frente a minha casa

Tiramos as malas e eu paguei a corrida. Peguei a chave e destranquei a porta da frente. Harry entrou logo atrás de mim e deixou as malas no hall.

-Ai eu amo essa casa! – falei - acho que vou mudar pra cá quando acabar o colégio

-Mudar pra Miami? – Harry me olhou

-É, aqui é tudo de bom!

-Mas, é longe de Londres! Muito longe!

-Eu sei lindinho, é só brincadeira! O que você quer fazer?

-Pra falar a verdade estou com fome!

-Eu também! Vamos almoçar então!

(...)

-Vamos ver o James? – falei sentando no sofá depois do filme ter acabado

-Ah estou com preguiça de sair desse sofá!

-Por favorzinho – fiz bico, pois eu sabia que ele sempre cede com bico

-Tudo bem, tudo bem

-Obrigada!

Saímos pela piscina que dava acesso à praia. O por do sol estava de tirar o folego como sempre. Tirei meus chinelos e Harry os dele, fomos caminhando e eu me senti feliz por ter resolvido tudo com ele. Claro que eu não esqueceria aquilo porque não tenho amnesia, mas fico não pensando naquilo.

Chegamos à casa do James, subimos uma escadinha e passamos por um portão baixinho. A área externa estava diferente, parecia que estava tudo em reforma. Havia algumas ferramentas e maquinas perto da piscina, a área de lazer estava sem o piso e a sala de jogos vazia. Chamamos por James, mas sem resposta. Provavelmente, ele deve estar morando em outro lugar temporariamente enquanto a casa estava em reforma.

-Vou ligar pra ele – tirei o celular do bolso do short e procurei seu contato na agenda, enquanto isso fomos caminhando de volta pra casa

-Ariana Smith! A quanto tempo!

-Oi James! Tudo bem?

-Ótimo, e você? Não me diga que está em Miami?

-Sim, eu estou. Passei na sua casa, mas está vazia.

-Ah sim, nós decidimos fazer uma reforma na parte de fora. Estou morando aqui no centro por enquanto. Vem pra cá, a galera tá aqui, eu te mando o endereço!

-Tudo bem, daqui a pouco tô aí! Tchauzinho! – encerrei a ligação

-E aí?

-Ele ta morando no centro, pediu pra gente ir lá. Você quer ir?

-Claro, vamos sim!

Entramos em casa e fui tomar banho. Depois, vesti uma saia branca e uma blusa sem mangas também branca, uma sandália nos pés e fiz um rabo de cavalo. Passei rímel e um batom rosinha.

-Vamos gatão?

-Vamos gatinha

Descemos pra garagem e peguei a chaves da minha Mercedes antiga, jogando pro Harry em seguida, que não acreditou que eu o deixaria dirigir meu bebê. Abri no GPS o endereço que James tinha mandado e saímos de casa. Liguei o radio no caminho e fomos cantando umas musicas do Justin Timberlake

-É aqui – falei apontando pro prédio a nossa direita

Harry estacionou e nós descemos. Demos o nome e o porteiro nos deixou subir. James estava na cobertura e ao chegarmos, conseguíamos ouvir as musicas e as risadas. Toquei a campainha e o mesmo que abriu a porta

-OLHA ELES AÍ!

-Oi James – pulei em cima dele abraçando bem forte

-E aí pequena?  Saudades... Esse é...?

-É o Harry, James! Ele só tá um pouquinho diferente...

-Harry?! Cara, você tá gatão! – Harry sorriu e eles se abraçaram também

-Oi Ariiii – Ivy apareceu atrás de mim e eu também abracei ela

-Ivy amore, como você está?

-To bem xuxu, que bom que está aqui!

-Estava com saudade de vocês! Adorei o cabelo rosa!

-Obrigada

-Ariana? Quanto tempo!

Era Kendall, a pior vadia que eu conheço. Ela era amiga do James e quando nós namorávamos ela dava em cima dele pra me provocar. Nós nunca saímos no tapa mas eu sempre odiei ela e ela me odiou.

-Kendall – falei sem animo e enjoada – oi, faz tempo mesmo

-E quem é aquele? – ela apontou pro Harry

O cara que se você encostar um dedo, eu te queimo viva”

-É o Harry, meu namorado.

-Hmm entendi

Aposto que ela já ia dar em cima dele também. Revirei os olhos e resolvi ir fazer outra coisa do que falar com ela

-Vou pegar algo pra beber – sorri falso e me afastei dela

Cheguei à cozinha e vi umas bebidas e umas frutas em cima da mesa, fiz uma batida de morango e voltei pra sala procurando por Harry, aquela puta desgraçada estava conversando com ele. Eu revirei os olhos e caminhei até eles

-Oi, aqui amor – dei o copo pra ele

-Obrigado! – ele me deu um beijo na bochecha

-E aí Kendall? O que tem feito?

-Estou trabalhando numa agencia de modelos, faço alguns desfiles, meu ultimo ensaio foi pra Chantelle – ela disse se achando a ultima bolacha do pacote e eu revirei os olhos pra não dar um soco na boca dela

-O que é isso? – Harry perguntou ao meu ouvido

-É uma marca de lingerie, uma das mais famosas.

-Estou quase assinando um contrato com a La Perla e...

-Tá, não quero mais saber – puxei Harry pra outro canto, longe daquela maldita.

-O que foi amor?

-Eu estava quase amassando a cara daquela vaca – falei massageando as têmporas – fique longe dela ouviu? Ela não vale o que o gato enterra!

-Calma, não precisa ficar com ciúmes só porque ela estava falando comigo.

-Não é isso Harry! Essa garota me odeia e eu também odeio ela, ela faz de tudo pra me atingir até dar em cima do meu namorado! Fazia isso quando eu namorava o James... Enfim, longe dela entendeu? Ela é a Helena Wood misturada com Aubrey Marshall de Miami!

-Entendi, fique tranquila amor.

-Obrigada, vamos dançar um pouquinho.

Tinha uma pista improvisada ali no meio da sala, alguma musica do Major Lazer tocava e alguns tentavam combinar os passos. Nos dançamos um pouco e depois fizemos um desafio de rap, tínhamos que escolher um rap e ver quem imitava melhor. James, Ivy e eu escolhemos “Monster” e eu fiz a parte da Nicki Minaj. Algumas palavras saíram emboladas mas ganhamos.

A noite foi ótima, conversei com a toda a turma pra matar a saudade, bebemos e dançamos. James pediu que a gente dormisse lá pra não correr o risco de algum policial nos parar na volta pra casa. No dia seguinte, tomamos café com ele também e, depois que saímos de seu apartamento, passamos no mercado pra abastecer a casa.

-O que acha de macarrão ao molho branco?

-Eu realmente tenho minhas dúvidas se você sabe ler mentes!

-Também estou com vontade!

Pegamos mais umas coisinhas, passamos no caixa e depois direto pra casa. Harry me ajudou com o almoço e se ofereceu pra lavar a louça. A tarde nós ficamos um pouco na praia, pegamos um sol e demos alguns mergulhos. Enquanto eu estava deitada debaixo do sol pra ficar com umas marquinhas, Harry estava saindo da água. Eu juro que vi aquela cena em câmera lenta, ele vindo em minha direção, agua escorrendo pelo corpo e cabelo grudado na testa.

-Essa foi a cena mais maravilhosa que eu já vi na vida – falei

-Obrigado, eu sou um ótimo ator eu sei!

-Engraçadinho!

(...)

O dia seguinte nós passamos quase inteiro compondo músicas, quer dizer, eu o ajudava em algumas partes porque ele fazia quase tudo. Ele era muito bom com aquilo! Nós tínhamos um piano na casa então nos divertimos com aquilo

-Estou com vontade de comer um bolão de chocolate! – Harry falou com a mão na barriga

-Eu também comeria um, mas não compramos chocolate em pó, muito menos farinha! Só se eu for comprar...

-Você faria esse sacrifício para o seu amor? – ele fez a maior cara de piedade que existe

-Nossa, com essa carinha eu vou! Já volto!

Peguei as chaves do carro e a bolsa, entrei no carro e saí de casa. Passei pela portaria e peguei a estrada pro centro da cidade. Eu adorava Miami, foi a cidade que eu mais gostei de morar por ser praia e porque também minha mãe adorava vir pra cá.

Eu não tenho raiva do meu pai por não parar em nenhum lugar, eu sei que ele batalhou muito pra chegar aonde chegou então eu o apoio ao invés de criticar. É claro que eu sempre quis ter um lugar fixo pra morar com minha família, mas não fico jogando isso na cara dele. Sempre tentei ver o lado bom que era fazer bastantes amigos

Estacionei o carro e entrei no supermercado. Fui até sessão de doces e peguei o chocolate em pó, algumas barras de chocolate também, peguei os outros ingredientes que precisavam e alguns morangos para colocar no bolo. Paguei tudo e voltei pro carro. Mandei uma mensagem pro Harry avisando que já estava voltando, mas ele não visualizou. Liguei o rádio e coloquei a musica bem alto, era alguma da Nicki Minaj.

Dirigi de volta pra casa e estacionei na garagem, ao lado dos outros carros. Peguei as compras e fui pra cozinha pra começar a fazer o bolo

-Amor? – o chamei, mas ele não estava em frente ao piano. Deixei as coisas no balcão da cozinha, peguei uma garrafinha de agua na geladeira e voltei pra sala – Harry?

Na sala ele não estava, olhei pelo vidro e também não estava na área da piscina. Ouvi um barulho de algo caindo no andar de cima e subi as escadas. Chamei por ele mais uma vez e sem resposta de novo. A porta do primeiro quarto a esquerda estava entreaberta, então imaginei que ele estaria ali, mas porque ali se estávamos dormindo no meu quarto?

Empurrei um pouco a porta e senti como se tivesse levado um soco no estomago, pois perdi o ar, e várias facadas no coração pois Harry estava na cama com a Kendall, a beijando e ela estava quase nua. Eu travei, não piscava e nem respirava direito. Não sabia o que fazer! Eles só perceberam que eu estava ali quando a garrafinha que estava na minha mão caiu no chão.

-Ari? – ele arregalou os olhos pra mim

Harry empurrou Kendall de cima dele e saiu da cama aos tropeços. Eu vi o sorriso de satisfação na cara daquela vadia e me senti a maior corna idiota, sendo bem honesta. Eu não conseguia esboçar reação nenhuma porque estava muito chocada pra fazer alguma coisa

-Ari, eu posso explicar! Amor? – ele colocou as mãos em meus braços e olhava em meus olhos, assustado

De repente, uma raiva tomou conta de mim que me levou a encarar ele com um olhar de nojo. Eu queria muito dar um soco na cara dele e dela, mas não valeria a pena. Ela já conseguiu o que queria e ele também. Tirei suas mãos de mim com violência

-Não me chama de amor!

Empurrei-o e desci as escadas correndo, pegando minha bolsa e as chaves do carro de novo. Corri pra garagem e entrei no carro, ligando e pisando no acelerador com força. Devo ter deixado marca de pneu, mas eu estava com tanta raiva que nem liguei pra isso. Ia passar pelo jardim, se Harry não tivesse se atirado na frente do carro, só que eu freei antes parando bem perto dele. Eu desci do carro e ele levantou as mãos

-Amor, espera! Você tem que me deixar explicar – ele falou

-Explicar o que Harry?! Eu não sou idiota e muito menos cega! Você estava com ela na cama e estavam quase transando! Você se aproveitou do que eu fiz por você! Viu que todas estavam te dando mole e aproveitou! Vai saber quantas outras não pegou! Acabou Harry, espero que se divirta!

Eu não ia chorar, ele não merecia minhas lagrimas.

-Não amor, você não pode acabar com nós assim!

-Não fui eu, foi VOCÊ que acabou com nós! Você que destruiu tudo, a culpa é toda sua! Agora, sai da minha frente antes que eu passei por cima!

Entrei no carro de novo e saí de lá cantando pneu. Não tinha a mínima ideia de onde ia, mas dirigia a 120 por hora pra qualquer lugar.

Eu fui muito idiota. Muito idiota mesmo. Ou talvez idiota seja pouco. Se ele quase beijou aquela líder, o que o impedia de beijar outra ou transar com outra? Eu estava com muita raiva de mim mesma, me arrependi amargamente por ter mudado ele.

Eu ultrapassava todos os carros na minha frente, devo ter ganhado milhares de multa por alta velocidade, mas nada disso me assustou tanto quanto eu ter passado em um sinal vermelho e um carro quase me atingir em cheio. O outro carro bateu em minha traseira e me fez perder o controle, me fazendo rodopiar ate parar no meio de outra rua. A batida me fez gritar alto e quando o carro parou, minhas mãos estavam grudadas no volante e minha respiração muito acelerada.

-Moça você está bem? – um cara se aproximou do meu carro colocando a mão em minhas costas

Encostei minha testa no volante, mas assenti pra ele. Eu precisava de alguém, precisava de um ombro. O cara perguntou mais uma vez se eu estava bem mesmo, eu respondi que sim e pedi desculpas. Agradeci quando o carro pegou e eu saí dali, deixando o cara com cara de duvida.

Estacionei na frente do prédio, desci e cumprimentei o porteiro que me deixou subir. Subi até a cobertura e toquei a campainha. A porta logo abriu e ali mesmo eu desabei a chorar

-Ari?

-Oi James, posso entrar? 


Notas Finais


E aí, odiaram?
Não esqueçam o comentário!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...