História Our Life Has Changed - Kim Seokjin and Kim Taehyung - Capítulo 3


Escrita por: e KimTata__

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais
Tags Bts
Visualizações 7
Palavras 1.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não me matem pelo o amor de Santo Danoninho
1 mês sem postar... foi pouco tempo, né? Ok, parei
Mil desculpas por isso galero... REALMENTE NAO DA PRA POSTAR DIARIAMENTE AIHDLWDGISBQ
Temos outro capítulo pra postar então vai sair provavelmente, semana que vem
(Uma observação... nós percebemos isso depois de um tempo... Morávamos em Osaka, ok? KKKKK erros da produção)
Espero que gostem, boa leitura :3 ❤️
~Samy

Capítulo 3 - Pregnancy?


Fanfic / Fanfiction Our Life Has Changed - Kim Seokjin and Kim Taehyung - Capítulo 3 - Pregnancy?

POV’s Kim Seokjin 

- V-vó?

- Olá! Quem fala? - escutava sua voz doce do outro lado da linha, aquela voz me trazia paz perto do inferno que estávamos vivendo.

 

- É seu neto! Kim Seokjin 

 

- Jin! Meu netinho que não vejo a anos. - Ela parecia estar animada pelo seu tom de voz - Quanto tempo! Está tudo bem, meu pequeno? 

 

Na verdade não, vó... Se lembra de meu pai? - Falei em um tom triste 

 

Aquele safado, motivo pelo qual minha filha morreu? Como esquecer? - Dizia em um tom debochado, assim continuei

 

- O próprio... Ele morreu, vó - Digo com a voz mudada, a vontade de chorar era enorme, por raiva e não por tristeza. 

 

- Satanás o tenha! - Minha avó realmente odiava ele

 

- A senhora não deve imaginar o motivo pelo qual ele morreu... Taehyung o matou. - Olhei para os três mais novos

 

- O quê? Como assim, meu filho? - Ela parecia incrédula - O que aconteceu? 

 

- Se lembra de Vicky? Nosso pai sempre a abusou, com o tempo fomos ficando acostumados... Ele sempre dizia que se falássemos para alguém, ele nos mataria... - Não consegui manter as lágrimas, expliquei o resto a ela. 

 

- Se acalme, meu neto! Venham morar comigo, arrumem suas coisas e venham pra cá o mais rápido possivel! - Aquelas palavras me trouxeram conforto. 

 

- Agradecemos por isso, vó! Nós te amamos muito. - Nos despedimos e assim desliguei a chamada. 

 

••••••••••••••••••••••

 

Bom... ela disse para irmos morar com ela. Eu e Tae vamos dar um jeito no corpo assim, vocês duas, arrumem as malas, só peguem o necessário! - Falo um pouco autoritário, afinal eu era o mais velho e responsável por eles. 

 

POV’s Kim Tainá

 

Meu pai sempre foi viciado, não só em bebidas ou drogas mas, também em jogos, sim, jogos de azar... Me lembro de alguns dias atrás. 

 

FLASHBACK ON

 

O maldito chegou em casa bêbado, como Vicky havia saído com os meninos, não tinha ninguém para satisfazer seus desejos sexuais. 

 

Me viu sentada no pequeno sofá da sala de estar e assim me obrigou a ir em um lugar, era um cassino clandestino. O mesmo não tinha dinheiro algum para apostar mas, tinha a mim. Eu só queria acreditar que ele não faria isso porém, não duvidava muito... ele abusava a própria filha. 

 

Quando chegamos naquele cassino, ele comprou algumas fichas e foi direto para o “Poker”, um jogo no qual já vi em alguns seriados e filmes mas, não fazia a mínima ideia de como funcionava. Havia homens sentados em volta da grande mesa, com eles, algumas mulheres que aparentavam estar ali só por dinheiro e sexo, no caso... prostitutas. Algumas me olhavam estranho, dando a entender que eu estava “tomando” o lugar delas, naquele momento eu só me preocupava com o jogo. 

 

Olhei para meu pai e ele parecia estar tenso com a situação em que o jogo se encontrava, isso só me deixou mais nervosa. 

 

Estava preocupada e cheia de pensamentos quando escuto gritos masculinos, olhei para meu pai e vejo o mesmo cabisbaixo, meu coração estava quase para saltar da boca. O mesmo se retira e assim me levanto para ir atrás dele quando sou interrompida com uma mão puxando meu pulso.

 

- Você não vai poder ir com ele, mocinha - Um homem debochou 

 

- Por que não? - Perguntei inocente mas, já sabia o que estava por vir

 

- Seu querido papai te apostou e como sempre, perdeu! - Ele disse com uma voz “maléfica” - Agora vamos! Essa noite, você é minha. 

 

Aquele velho nojento me puxou para um dos quartos que havia naquele lugar

 

- Como ele pode apostar a minha virgindade? - Perguntei para mim mesma mas, acho que o meu pensamento foi alto demais

 

- Então a bela moça é virgem? Como pode? - O homem que aparentava ter uns 40 anos falava em um tom de deboche e eu permaneci calada. Sua pele é tão macia... - ele passava suas mãos pelo meu corpo, começando pelo pescoço, logo em seguida meus seios, pernas e por fim perto da minha intimidade.

 

Eu só queria chorar, chorar e gritar por socorro, mas a música era alta demais, as chances seriam mínimas. 

 

- Não precisa ter medo, princesa! É só você colaborar comigo que assim, não vou te machucar - Ele dizia sussurando em meu ouvido e eu estava com vontade de vomitar

 

Ele retirou as minhas roupas me deixando apenas de roupas íntimas. Tentei correr até a porta mas foi sem sucesso, estava trancado. Escutei ele abrindo o zíper da calça e assim me pegou e me jogou na cama fazendo eu ficar de quatro para ele, aquele momento eu comecei a chorar incontrolavelmente, me sentia fraca. Ele retirou minha calcinha e começou o que ele queria. Ele estocava rápido e forte, horrível para uma pessoa que estava perdendo à virgindade. Naquele momento, pensava em como minha irmã se sentia, todas as vezes que meu pai fazia isso com ela, toda dor em que eu estava sentindo, com certeza era pouca perto do que Vicky já sentiu. Sai do meus pensamentos quando sinto uma espécie de líquido dentro da minha intimidade, escutei gemidos vindo do mais velho e isso me deixou com mais nojo de mim.

 

Enquanto aquele nojento dormia, vesti minha roupa rapidamente e sai dali o mais rápido possível, sentia vergonha e muito nojo de mim. Foi tudo culpa dele e eu nunca vou o perdoar. Cheguei em casa e parecia que todos estavam dormindo... exceto Jin. 

 

- Onde estava que demorou tanto para chegar? Porque está chorando tanto? O que aconteceu, Tainá? - O maior me interrogava sem parar e eu só queria chorar mais e mais, me culpando do ocorrido.

 

- Nada Jin, não foi nada - Sai do cômodo indo até meu quarto.

 

- Me fala! Eu posso te ajudar. - Ele até poderia me ajudar mas, será que era possível recuperar minha virgindade? A minha dignidade? 

 

- Não foi nada, Jin. Eu só me apaixonei mais uma vez e quebrei a cara - Disse cabisbaixa 

 

- Tem certeza? - Perguntou não convencido com a minha resposta 

 

- Absoluta... só preciso descansar um pouco, boa noite!

 

- Boa noite! Fique bem. - Ele deu um sorriso fraco e eu retribui.

 

FLASHBACK OFF 

 

Algumas semanas após o ocorrido, náuseas começaram a surgir, o inchaço do meu corpo e também andava sonolenta, Fiquei muito apreensiva afinal, não me lembro de ver aquele velho usando proteção, não tomava anticoncepcional e já era tarde para tomar algum tipo de pílula. Entrei em desespero e assim resolvi ir na farmácia comprar um teste de gravidez.

 

Cheguei da farmácia com o teste em mãos, vou para o banheiro ,antes disse me certifico de que não tem ninguém em casa.

Entro no banheiro e leio as instruções, afinal nunca tinha feito isso antes. Faço tudo o que estava nas instruções e espero o resultado. Vejo que aparece dois riscos vermelhos no teste e vejo o que isso significa, e era tudo o que eu mais temia... Eu estava grávida de um estuprador, existe alguém mais azarada que eu? Fico quieta por alguns minutos,e decido esperar alguns dias para ver o que eu poderia fazer.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostadu :3
Logo logo vem outro capítulo (dessa vez é verdade)
Beijinhos de Taimy galero 🤧💗✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...