História Our Little Hope - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, EXO, Got7
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jackson, JB, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lu Han, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé, Sehun, Suho, T.O.P
Tags Amor, Baekhyun, Bangtan Boys (bts), Big Bang, Blackpink, Chanyeol, Drama, Exo, Got7, Jackson, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Lemon, Lu Han, Mark, Markson, Mpreg, Namjin, Rap Monster, Romance, Suga, Suho, Taeseok, Top, Vhope, Yaoi
Visualizações 290
Palavras 4.741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei pq esse cap foi difícil de escrever mas prometo que vou tentar demorar menos, bem menos❤️❤️

Capítulo 39 - Life Sucks


Fanfic / Fanfiction Our Little Hope - Capítulo 39 - Life Sucks

P.O.V. JIN
-Filho venha logo por favor-Peço desesperado tentando empurrar meu bebê 

Sinto uma enxurrada de dores em meio ao meu desespero, eu estou extremamente fraco e não tenho ninguém pra me ajudar.

-Filho ajuda o omma po...-grito de dor ao sentir algo entre minhas pernas 

A dor é tamanha que mal consigo colocar minha mão entre as pernas a fim de sentir o que está acontecendo, eu só quero que isso acabe logo porque não sei se aguentarei.

-Aaiii filho...aaii-faço bastante força jogando minha cabeça pra trás em seguida 

Continuo empurrando e gritando muito até que finalmente ponho a mão entre minhas pernas e sinto algo que presumo ser a cabeça do bebê. Tento então me sentar com muita dificuldade e acabo gritando assim que consigo.

-Aaaii...eu não aguento ma...aaaii-grito ao conseguir sentar

Assim que me sento, vejo o bebê quase pra fora e com uma coragem de outro mundo, faço ainda mais força enquanto tento puxar o bebê. O que me causa ainda mais dor, me fazendo gritar sentindo meu corpo sendo rasgado.

-Aaaau filho por fav...aaaii-grito alto puxando o bebê com as mãos 

A cabeça já saiu por completo, porém seus ombros simplesmente não passam e isso já me desespera, já que a dor é insuportável e não há nada que eu possa fazer...o bebê está literalmente entalado no meu corpo.

-Filho por favor me ajuda-soluço tentando puxar o bebê 

Os ombros continuam não passando, meu desejo nesse momento era que eu pudesse fazer uma cesariana, era a única coisa que queria agora. Porém eu sei que tenho que fazer isso sozinho e tirar o bebê o mais rápido possível antes que seja tarde.

-Desculpe, mas o omma vai ter que puxar forte-choro empurrando e com as mãos, puxando o bebê pra fora 

[...]
Fico por um bom tempo tentando tirar os ombros do bebê, minha dor nesse momento é imensurável, me sinto cada vez mais fraco ao ver cada vez mais sangue saindo do meu corpo enquanto grito e choro alto até que a dor atinge um ápice e logo vejo os ombros finalmente saindo e consigo puxar o resto do corpinho do bebê pra fora.

-Aiii...aaaii nasc...aaaiii-grito pegando finalmente o bebê 

Assim que olho pra criança, vejo que se trata de uma menina e sorrio no mesmo instante:

-É minha filha...

Ela chora alto assim que a enrolo na toalha e limpo seu rostinho, nesse momento acabo deitando na cama com ela encostadinha em meu peito.

-Shh, tá tudo bem filha...-tento acalmá-la

Me sinto tonto com tudo isso, tento manter meus olhos abertos mas o cheiro de sangue e o cansaço não permitem isso.

-Vo...você é linda...-sorrio fraco olhando pra neném 

Ela continua resmungando no meu colo e essa é a última coisa que ouço até apagar.

P.O.V. SUHO
-Cheguei Seokjin-grito assim que entro na casa

Não obtenho resposta e isso me irrita demais até que sinto un cheiro forte se sangue e me deparo com Seokjin estirado na cama com algo enrolado em uma toalha na altura de seu peito.

-O que está fazendo aí hein? Levanta-me aproximo 

Me assusto assim que me aproximo e vejo que Seokjin está desmaiado e é um bebê que está enrolado em seu colo. Afasto um pouco a toalha e logo percebo se tratar de uma menina.

-Ah meu deus...nasceu-digo surpreso olhando pra neném resmungando 

Sei que o trato era eu ficar com o bebê apenas em caso dele ser um menino, mas não sou deixar as coisas tão fáceis assim pro Seokjin, ele merece sofrer mais e mais.

-Vem com o papai...eu vou te levar pra longe desse idiota que nunca vai ser um bom pai pra você...-digo pegando a neném no colo

Assim que faço isso, percebo que ela ainda está ligada com Jin pelo cordão umbilical e rapidamente acendo o isqueiro, rompendo assim o cordão.

-Nem pra fazer o serviço completo o merda do Seokjin serve-reviro os olhos

Quando termino de fazer tudo, resolvo ligar para a emergência com um celular barato que comprei apenas com essa finalidade, só não esperava que esse dia fosse chegar tão rápido.

CALL
-Boa tarde, qual a emergência?-uma mulher atende

-Alô...eu queria pedir ajuda pra um cara que eu acabei encontrando aqui, ele está desmaiado  sangrando muito-finjo preocupação e desespero

-Está bem...você percebeu mas alguma coisa no corpo dele? Qualquer coisa

-Eu acho que ele teve um bebê...-digo tentando acalmar a neném em meu colo

-Certo, o bebê está bem?

-É essa a questão...o bebê não está aqui...eu acho que alguém o raptou-minto 

-Como assim?? Você viu alguém próximo do rapaz assim que chegou??-a moça parece preocupada

-Não, eu só cheguei aqui e o avistei caído, ele precisa de ajuda moça por favor mandem uma viatura o mais rápido possível-imploro rindo por dentro

-Já estamos mandando uma viatura, endereço por favor

-Ah sim...infelizmente não poderei ficar aqui porque tenho que buscar minha filha na escola, mas qualquer notícia me avisem

Digo mentindo e fingindo preocupação, em seguida passando o endereço e finalmente desligando.

-Pronto, agora podemos ir embora filha-digo olhando pra neném ainda resmungando em meu colo

Olho uma última vez para Seokjin desacordado e extremamente abatido e sorrio de lado:

-Finalmente vai conseguir a tão sonhada liberdade que queria seu merda...mas sem sua filha

Saio então da casa, coloco a neném enrolada na toalha no banco do carro e dou partida. Durante o caminho, jogo o celular que usei para chamar a emergência em uma estrada de terra juntamente com o isqueiro para destruir qualquer tipo de prova de que fui eu que sequestrei Seokjin.

Nesse meio tempo, a neném começa a chorar e não para mais, isso me irrita de certa forma mas tento me manter calmo até que chegamos em minha casa, desço com ela do carro e já subo para meu quarto. Limpo a neném ainda ensanguentada e visto uma roupinha que havia comprado especialmente pra essa data, em seguida faço uma mamadeira enquanto  compro passagens para Xangai pela internet.

-Sei que está morrendo de fome, toma isso logo-digo tentando a todo custo colocar a mamadeira na boca dela

Ela continua chorando alto e isso me irrita profundamente, minha vontade é de deixá-la sozinha chorando. Porém sei que preciso ser visto como um bom pai a fim de que não levante nenhuma suspeita.

-Vamos logo chorona, daqui a pouco temos que estar no aeroporto-digo irritado

[...]
Depois de longa 1 hora e meia, ela finalmente se rende à fome e acaba tomando 1/3 da mamadeira, arrumo então as coisas dela e as minhas coisas e finalmente vamos para o aeroporto. Chegando lá, tento passar a impressão de que sou um pai exemplar e super responsável.

-Caramba o senhor vai viajar sozinho com essa lindinha?-a moça do check-up pergunta 

-Sim-sorrio

-Nossa vemos aqui muitos casos de mães que viajam com o filho sozinhas, mas pai é muito difícil-ela sorri 

-É que minha esposa está em Xangai, estamos todos nos mudando pra lá e eu tive que ficar com nossa filha 

-Qual o nome dessa princesinha?

-Seulgi-sorrio pensando no nome em que coloquei na certidão de nascimento e outros documentos falsos dela

-Que nome mais lindo

-Sim, foi minha esposa que escolheu...agora precisamos ir, obrigado-sorrio tentando me livrar logo disso

-Magina, tenha uma boa viagem-ela sorri acenando 

Assim então que consigo me livrar da atendente, já vou pro portão de embarque e não demora muito para embarcarmos, já que eu comprei as passagens de última hora. No momento em que o avião finalmente decola, me sinto bem mais aliviado de estar sentado no assento primeira classe enquanto as comissárias de bordo me servem champanhe e alguns petiscos se oferecendo pra mim com seus decotes ousados, confesso que não dou a mínima pra elas mas gosto dessa atenção especial e curto o momento até que Seulgi começa a chorar e não para mais.

-Seulgi-digo a tirando do bebê conforto e tentando mostrar que sou um pai dedicado

Ela continua chorando alto, o que começa a irritar as pessoas do avião, mas eu não dou a mínima pra o que pensam, bebês choram mesmo, então a única coisa que faço e olhar em seus olhinhos e digo:

-Sua vida vai ser diferente a partir de agora filha, você vai ter tudo nesse mundo...seremos eu e você, esqueça o Seokjin-sorrio satisfeito com a situação 

P.O.V. HOSEOK
-Pensei que nunca mais fôssemos jantar juntos-Jennie sorri pegando em minha mão

-Jennie, eu preciso tratar um assunto sério com você-digo tenso

-Pode dizer-ela sorri

-Eu espero que entenda meus motivos, mas é que eu tenho minhas prioridades Jennie

-Do que está falando? Diga logo Hoseok

-Não podemos mais nos casar-digo de 
uma vez

-O que? Que tipo de brincadeira é essa Hoseok?-ela diz assustada

-Não é brincadeira Jennie, eu preciso fazer o que é melhor pras minhas filhas e nesse caso o melhor a se fazer é ficar com o Taehyung 

-Está desmanchando o noivado comigo só porque acha que isso é melhor pras suas filhas!??

-Não só por isso, mas porque é o Taehyung que eu amo, eu não me imagino passando o resto da vida com ninguém...exceto ele

Sinto então um tapa em meu rosto e logo me viro assustado com uma mão no local atingido;

-Jennie...

-Eu pensei que me amasse Hoseok, você disse, você prometeu que íamos nos casar de qualquer jeito-ela diz furiosa e chateada 

-Eu sei o que prometi e me arrependo disso ok? Mas eu não posso ficar com você Jennie, eu preciso e devo ficar ao lado do Tae e das nossas filhas, ainda mais agora que eles vão se mudar pro Japão-tento ser o mais compreensível possível 

-Mas você não precisa ficar com ele pra isso, ele mesmo disse isso pra você

-Jennie por favor tenta entender; eu amo o Tae...

-Você nunca quis ser pai Hoseok, nunca quis ter essas responsabilidades, você mesmo disse isso pra mim. Eu entendo que as pessoas mudam com a chegada de um filho, ou melhor; dois, mas voltar a gostar do ex!?? Que tipo de cara idiota e besta você é?

-Eu só percebi que amo o Taehyung, demorou mas eu percebi. Antes tarde do que nunca, não acha?

-E você simplesmente desmancha o noivado comigo e acha que está tudo bem??

-Jennie me desculpa, mas você sabe que noivado nunca foi minha intenção. Meu pai queria isso pra que eu esquecesse o Taehyung, mas isso é impossível 

-E você acha mesmo que seu pai não vai ficar sabendo?-ela arqueia as sobrancelhas 

-Foda-se caso ele fique sabendo, eu vou embora com o Taehyung e não vou mais depender daquele velho desgraçado. Já perdi tempo demais longe do Tae e das meninas, ninguém vai estragar isso

-Seu pai não vai permitir isso

-Ele não precisa permitir nada, eu já sou maior de idade e tenho uma boa quantia de dinheiro pra recomeçar minha vida-digo decidido 

-Você realmente enlouqueceu Hoseok...você tinha uma vida perfeita sendo sustentando pelos seus pais e agora decidiu largar tudo isso por um cara pobre que teve duas filhas que você nem ao menos sabe se são suas mesmo

-Quem você pensa que é pra dizer algo desse tipo!?? É claro que elas são minhas filhas-bato na mesa com força chamando, atenção de outros clientes do restaurante 

-Vocês não tinham nada sério quando ele engravidou e além do mais, Taehyung é um cara fácil. As meninas podem ser filhas até de um mendigo por aí-ela diz debochado

-Elas são minhas filhas, você cala essa sua boca pra falar delas e do Taehyung-digo revoltado

-Se ficou tão revoltado assim é porque realmente possui dúvidas sobre a paternidade das meninas-ela sorri mexendo sua bebida com um canudo

-Está dizendo isso só porque não quer aceitar nosso término...eu não tenho mais o que falar com você. Se me der licença, vou me encontrar com o Taehyung-digo me levantando 

-Vai mesmo me deixar aqui?? Que tipo de homem sem caráter é você??

-A única pessoa sem caráter aqui é você Jennie, é uma pena que eu tenha demorado tanto para perceber isso

-Eu só disse a verdade, me desculpe se você é tão fraco e não consegue aceitar a realidade 

-Não vou mais discutir...adeus Jennie

-Você ainda vai ver Hoseok...vai se arrepender de me trocar por um idiota interesseiro feito o Taehyung-ela grita

Apenas a ignoro e sigo em rumo ao flat onde costumo me encontrar e passar as noites com Taehyung desde o início de nossa tentativa de reconciliação. Durante o trajeto até chego a pensar na possibilidade de não ser pai das meninas, mas isso simplesmente não se encaixa na minha cabeça, tenho plena consciência de que Taehyung não mentiria sobre algo desse tipo, além do fato de saber que ele sempre foi muito apaixonado na época em que ficávamos, então não teria como o bebê ser de outra pessoa.

Mesmo assim esses pensamentos pesam em minha cabeça até que finalmente chego no flat e já sou recepcionado com Min Seo gritando enquanto brinca no chão com algumas pelúcias e Chaewon assistindo desenho brincando com a chupeta em sua boca. Já Taehyung logo de aproxima das duas chacoalhando as mamadeiras e dizendo:

-Está na hora do mama

-Pensei que não fosse vê-las acordadas hoje-sorrio me aproximando deles

-Daqui a pouco está na hora delas dormirem-Tae sorri pegando-as no colo e se sentando em seguida 

Nesse exato momento Min começa a resmungar e a querer descer do colo de Tae.

-Quer que eu dê mamadeira pra alguma delas?-pergunto me sentando ao lado de Tae

-Não precisa, Min só está irritada porque quer continuar brincando-ele sorri tentando a acalmá-la

-Me dê aqui a Chaewon, para de ser teimoso Taehyung-insisto vendo Chaewon já olhando impaciente e com fome pra mamadeira 

-Tudo bem-ele diz colocando-a em meu colo e logo já começo a dar mamadeira pra ela

-Já está na hora de vocês dormirem meu amor, amanhã vocês brincam mais-Tae fala com Min ainda insatisfeita em seu colo

Min continua resmungando e relutando mais um tempo, mas logo já está tomando a mamadeira e o ambiente enfim se acalma até Tae perguntar:

-E aí Hoseok? Como foi com a Jennie? 

-Infelizmente não posso dizer que foi maravilhoso porque ela não ficou nada feliz...

-Ficou muito irritada?

-Óbvio que sim...ela não entende como essa minha “recaída” foi acontecer. Mas eu não me importo com o que ela pensa...o que importa é que estamos juntos-sorrio passando a mão em sua bochecha 

-Hoseok...você sabe que as coisas podem não serão tão fáceis assim, você acha mesmo que ela vai desistir assim?-ele diz aflito

-Não importa Tae, tenho certeza que logo iremos recomeçar nossas vidas e deixaremos esse passado de uma vez pra trás

-Eu tenho medo que isso possa ameaçar não só a nós como nossas filhas também...eu não me perdoaria se algo acontecesse com elas

-Não vai Tae, eu não vou deixar. E outra; Jennie não seria capaz de machucar ou prejudicar nossas filhas de alguma forma-tento acalmá-lo

-Eu honestamente não sei Hoseok...desde que engravidei as piores coisas que nunca imaginei que aconteceriam, aconteceram...então eu não me surpreendo mais com nada...-ele suspira fundo

É horrível ver Tae inseguro e aflito dessa forma, já que o conhecendo bem sei que antes de engravidar ele era bem mais alegre e confiante. Hoje aparentemente a única alegria de sua vida se resume nas meninas, eu realmente gostaria que ele fosse mais feliz, se sentisse menos preso por conta de nossos problemas e conseguisse relaxar ao menos um pouco.

-Você acha que tudo isso foi um erro Taehyung?-digo sem pensar 

-Que?

-Antes de engravidar sua vida era completamente livre e diferente da que você vive hoje, talvez você tenha se arrependido...eu não sei...

-Olha Hoseok, eu posso até passar muitas dificuldades e sofrer muito pra criar as meninas, mas eu nunca me arrependi de ter tido as duas, eu nunca cogitaria na possibilidade de abortar ou entregar pra adoção...elas são tudo na minha vida, eu nunca abriria mão de viver isso-ele diz com os olhos marejados

-Eu não queria te chatear Tae, só queria te entender...na verdade eu queria saber como te fazer feliz

-Eu sou feliz...-ele tenta forçar um sorriso

-Sei que com as meninas você é, por elas você é...mas no fundo eu sei que algo não te permite ser plenamente feliz-pego em sua mão 

As lágrimas em seu rosto engrossam e ele desaba por completo, o que faz Min de virar pra ele curiosa tentando passar sua mãozinha em seu rosto choroso.

-Diga pro omma não chorar, diga Min-sorrio fraco

-Om...-ela diz ainda passando sua mãozinha no rosto de Tae

-Está tudo bem meu amor, eu vou ficar bem-Tae sorri fraco

-Tae...o que eu posso fazer pra te ajudar?-pergunto preocupado

-Não há nada que você possa fazer Hoseok...apesar de eu ser feliz com nossas filhas, eu não queria que as coisas fossem assim, eu como qualquer outra pessoa tinha sonhos grandes. Queria me formar logo em direito, arranjar um emprego e depois disso procurar alguém para conhecer melhor, me apaixonar, casar e ter filhos. Foi isso que eu sempre desejei pra minha vida, porém minha irresponsabilidade inverteu tudo-ele suspira fundo

Fico meio sem reação e sem graça também com seu desabafo, eu sabia que tudo aconteceu na hora errada pra Taehyung, mas confesso que é difícil pra mim ouvir a parte de que ele queria alguém que pudesse conhecer melhor e se apaixonar verdadeiramente. Coisa que creio que não aconteceu comigo.

-Você queria ter conhecido alguém melhor, não é?-digo tenso

-Não é isso que eu quis dizer Hoseok, até porque se não fosse por você, eu não teria duas filhas maravilhosas como Min e Chaewon. Eu só queria que as coisas tivessem sido mais cautelosas entre nós...talvez uma relação menos impulsiva baseada no sexo e mais voltada em conhecer um ao outro de verdade. Eu estarei mentindo se disser que não sinto falta disso, eu sinto e muita 

-Você não tem noção do quanto me arrependo de não ter vivido coisas desse tipo contigo...eu tive muita culpa nisso tudo, eu que não dei valor na nossa relação desde o início. Mas é que eu nunca havia me envolvido de verdade com alguém, acho que senti um medo quando me vi dentro de um relacionamento de verdade-digo sem graça 

-Você só estava no seu direito de querer viver seu espírito jovial Hoseok e eu não te culpo por isso, é normal...eu também faria o mesmo se não fosse minha gravidez-ele sorri fraco

-Mas a gente ainda tem tempo pra recuperar tudo isso que deixamos de viver, pra falar a verdade; acredito que já recuperamos muita coisa nesse 1 mês e meio-rio anasalado

-Sim...talvez recuperamos um pouco sim-ele sorri tímido olhando em meus olhos

-Eu te amo Taehyung...quero ficar com você-sorrio bobo

-Para Hoseok-ele ri corado 

-Eu quero te fazer feliz

-Eu já estou feliz Hoseok

-Você pode estar, mas não é feliz de fato...eu quero mudar isso Tae, por favor

-Só de eu estar com as meninas e você, já estou feliz e não preciso de mais nada-ele sorri sincero

-Você não é plenamente feliz e eu sei disso

-Hoseok por favor, não quero falar sobre isso. Será que podemos mudar de assunto?

-Mas Tae...

-Por favor-ele insiste

Continuamos então a conversar sobre assuntos aleatórios até que as meninas terminam de tomar mamadeira e em seguida ajudo Tae a colocá-las pra dormir, o que dá um pouco de trabalho, já que Chaewon não quer dormir de jeito nenhum.

-Enho om-ela faz manha pro Tae em sinal de que quer assistir desenho

-Já passou da hora do desenho, está na hora da Chae dormir agora-ele responde 

-Enhoo-ela choraminga se contorcendo no colo

-Shhh, está na hora de dormir, shh-ele tenta acalmá-la

-Om...-ela resmunga puxando a blusa de Tae

-Shh, você está morrendo de sono, dorme filha-ele a balança levemente em seu colo

Chaewon continua resmungando por mais um tempinho até que finalmente se rende ao sono e logo já estão as duas adormecidas nos berços feito dois anjinhos.

-Pensei que fôssemos virar a noite-sussurro

-Agora que elas estão crescendo já estão querendo dormir a hora que bem entendem, gostam de testar os limites-Tae sussurra sorrindo de lado

-Mas ao menos agora nós podemos descansar sem elas acordarem de madrugada-ponho a mão no ombro dele

-É...quer comer alguma coisa Hoseok? Eu tinha feito bibimbap, se você quiser 

-Não estou com fome...não assim

-Que? Mas você nem ao menos jantou...

-Tae, vem cá vem-o puxo pro quarto

-O que foi Hoseok?-ele pergunta confuso 

-Eu quero que relaxe ao menos hoje, que voltemos à nosso relacionamento de antes, hum?-sussurro em seu ouvido 

-Hoseok...

Eu e Taehyung já transamos algumas vezes nesse período de tentativa de reconciliação, porém ele ainda se sente meio inseguro quanto à isso e sempre tento o meu máximo para fazê-lo se sentir mais confortável possível.

-Tae por favor...acho isso importante pra nós-insisto 

-Não acho que devemos fazer isso agora, estamos agindo como dois jovens inconsequentes

-Acho que temos direito, isso foi tirado de nós assim que nos tornamos pais. Nós merecemos isso-beijo sua nuca

-Hoseok-ah-ele se arrepia

-Vai Tae, por favor-beijo seu pescoço

-Isso n...não é justo-ele geme

-É justo sim, vamos logo-sussurro apertando sua cintura 

Logo já empurro Tae na cama enquanto nos beijamos e tiramos as roupas um do outro e em seguida já vou trilhando beijos desde sua boca até seu membro, fazendo-o arquear o corpo e gemer alto em resposta.

-Shh, não tente fugir-seguro sua cintura com força 

-Aahh...Hoseok-ele geme segurando os lençóis com força 

-Quietinho Tae-sussurro beijando suas coxas enquanto passo a mão em seu membro já duro assim como o meu

-Hoseok-ele geme

-Calma-continuo passando a mão em seu membro 

-Aaah...Hoseok...

-Gosta assim?-aproximo minha boca de seu membro e o mordo com força 

-Aaahh...po...por favor-ele geme assustado

-Eu não vou te torturar mais Tae, afinal de contas eu quero te relaxar hoje-sorrio beijando-o

O beijo é relativamente rápido até que ordeno meio ríspido:

-Se vire agora

-Espere um pouco Hoseok-ele diz ainda ofegante 

-Agora Taehyung-retruco batendo em sua coxa

-Aah sim...me ajude por favor-ele pede muito excitado 

-Mas até nisso tenho que ajudar?-provoco

-Está doendo muito Hoseok, por favor-ele insiste

Pelo fato de estar super excitado também, nem hesito em ajudá-lo e logo ele já está deitado de bruços e digo aproximando meus dedos de seu rosto:

-Chupe, molhe bastante porque você vai precisar

-Hoseok por favor vá logo-ele choraminga

-Chupa logo então-bato em sua bunda 

Ele então chupa meus dedos e em seguida já os enfio em sua entrada sem aviso prévio, fazendo-o gemer alto e assustado;

-Aaaahh...Hos...aaah

-Shh, vai acordar as meninas desse jeito-sussurro beijando sua nuca enquanto movimento meus dedos em sua intimidade 

-Ca...calma Hoseok...aahh

-Tente se controlar Tae-provoco batendo 
 novamente em sua bunda 

-Ahh...Hoseok

-Está gostando é?-movo meus dedos mais depressa

-Hoseok...

Ele continua gemendo enquanto movo meu dedos de todas as maneiras em sua intimidade e logo os substituo pelo meu membro já duro sem nem ao menos avisar.

-Aaahhh Hos...aaaahhh-ele grita

-Shhh-mordo seu pescoço 

Começo então a dar estocadas bem fortes, que o fazem gemer em alto e bom tom enquanto puxa os lençóis com força e rebola levemente a fim de facilitar meu trabalho.

-Aaahh...aahhh Hoseok...-ele geme alto

-Gosta assim é baby??-Bato forte em sua bunda

-Aaahhhh...por fa...por...aaaahh

-Gosta né safado?-sussurro mordendo seu pescoço

-Hos...Hoseok aí não...aaahh

-Shhh, quietinho-beijo sua nuca

Aumento ainda mais a intensidade das estocadas, fazendo-o gemer e gritar feito um louco enquanto bato em sua bunda e o masturbo com a outra mão, ele simplesmente não se contém com isso e sussurro:

-Tão apertadinho...-dou outro tapa em sua bunda

-Aaahhh Hoseok...aaahhhh-ele grita

Não demora muito e ele já está gemendo muito mais alto, tentando se conter até que sussurra muito excitado:

-E...Eu vou...aaahhhh

-Vai o que??-pergunto próximo ao meus ápice enquanto dou estocadas mais fortes

-Aaahh eu vou go...aaahh-ele grita

Em questão de segundos aumento ao máximo as estocadas e nossos ápices se encontram, me fazendo desfalecer em cima dele e cair pro lado em seguida.

-Aahh Tae...isso foi maravilhoso-rio ofegante 

-Fo...foi, jesus Hoseok, acho que não ando mais-ele ri corado

-Bom mesmo...quero que não ande mesmo, eu te carrrego-rio dando um beijo em sua testa

 

[...]ALGUMAS HORAS DEPOIS
P.O.V. TAEHYUNG
Acordo com o choro de Chaewon e me levanto com dificuldade devido à dor em meus quadris pós sexo. Vou cambaleando então até o berço e a pego no colo, tentando acalmá-la de todas as formas.

-Shh, tá tudo bem meu amor, volte a dormir, volte-bato de leve em suas costinhas

Ela continua chorando enquanto tento andar com ela pela sala até que decido me sentar e me deparo com o celular de Hoseok em cima da mesa, resolvo então ver o horário, ver há quanto tempo estou tentando fazer Chaewon dormir de novo. Assim então que sinto a claridade da tela em meu rosto, tento ver só o horário mas meus olhos acabam olhando de relance uma mensagem que acaba destruindo meu psicológico de uma maneira devastadora;

Jennie: Pensei que depois de tanto tempo você tivesse esquecido essa história de desconfiança da paternidade das meninas

Jennie: Como você mesmo disse; ele age feito uma puta, mas acha mesmo que ele mentiria sobre algo desse tipo?? Isso é muito grave!!

Nem me dou ao trabalho de terminar de ler as mensagens, sinto as lágrimas já descendo pelo meu rosto. De início eu não conseguia nem queria acreditar que Hoseok desconfiava da paternidade das meninas, porém agora ficou mais do que claro que ele realmente desconfia e não acredita que as meninas sejam filhas dele, além de me ver como uma puta. Nesse momento tudo que consigo fazer é chorar ainda mais, me sentindo um idiota que acreditou nas palavras e juras de amor dele, um idiota que de tão sujo é motivo de desconfianças, de tratamentos como se fosse um oferecido que transasse com o primeiro que visse pela frente.

-Eu não sou isso-digo chorando muito enquanto Chaewon ainda resmunga em meu colo

Tento conter meus soluços, me conter para não desabar aqui mesmo, mas sei que preciso ser forte. Ser forte pelas minhas filhas e me livrar o mais rápido possível dessa situação. Arrumo então minhas coisas e das meninas nas duas malas que havia trazido e em seguida já as visto com casacos mais grossos, já que está muito frio em Seoul.

-Om...-Min coça os olhinhos assim que a coloco no carrinho 

-Shh, está tudo bem meu amor. Volte a dormir-sussurro tentando me manter calmo apesar do choro

Não demora muito e Min já volta a dormir enquanto Chaewon continua resmungando por colo, o que faz eu ter que escrever bem mais rápido a carta que deixaria a Hoseok. Escrevo o mais rápido que posso a fim de que ele não acorde nesse meio tempo.

[...]
Assim que pego todas as coisas, deixo a carta em cima da mesa e saio ainda chorando e com muita dificuldade tentando levar as malas, o carrinho das meninas, além dos meus quadris super doloridos. Porém eu me recuso a continuar no mesmo ambiente que um cara que me ofende e acredita que eu me deito com qualquer um que vejo pela frente.

-Minhaa-Min começa a reclamar enquanto saio com elas para a rua a fim de chamar um táxi 

-Hoje não tem caminha filha, hoje vocês vão ter que dormir no carrinho, ok?-tento secar minhas lágrimas me abaixando à altura delas

-Minhaa-ela grita mexendo os pezinhos no carrinho

-Eu deixo Min dormir no colo do omma ok?-sorrio fraco

Ela então estende os bracinhos em minha direção e em seguida Chaewon faz o mesmo.

-Meu Deus...ajudem o omma então-digo pegando-as no colo com dificuldade

Assim que consigo pegá-las no colo morrendo de dor na coluna e quadris, por sorte o táxi chega, o taxista me ajuda a colocar todas as coisas no carro e assim que entro no mesmo e me ajeito com as meninas, ele pergunta:

-Qual o destino?

-Aeroporto de Seoul por favor

-Sim senhor-ele responde já dando partida no carro

-Poto om??-Min pergunta confusa 

-Sim meu amor, vamos pro aeroporto, vamos embora pro Japão...ao menos vocês vão gostar...-forço um sorriso beijando a cabecinha das duas 

Sei que talvez eu deveria ouvir o que Hoseok teria a dizer, porém estou cansado dessa vida de mentiras, dessa vida escondida que levamos, fora que conhecendo-o bem, sei que nossa. Ida nunca seria normal. Será melhor mesmo se terminarmos isso de vez...talvez nem o único vínculo que nos mantia, resistirá, já que ele não se considera pai das meninas de verdade...


Notas Finais


Glr seguinte preciso mto da ajuda de vcs, eu tenho dois modelos de continuidade de história pro Jin, você se preferem; romântico (clichê) ou modelo realista (mais tretas e drama). Me digam pfvv Oq vcs preferem, eu prefiro o realista, mas aí agr vai por vcs, beijocas e pirocas❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...