História Our Love - Fillie - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Billy Hargrove, Bob Newby, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Mike Wheeler, Personagens Originais, Steve Harrington, Will Byers
Tags Cadie, Fillie, Noah Schnapp, Noha, Original, Romance, Stranger Things
Visualizações 59
Palavras 3.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey galera, o nome do capítulo de hoje é birthday que vem da música birthday da nossa querida amada Katy Perry, vão conferir depois.I love this cap

Capítulo 9 - Birthday


Millie

19 de fevereiro de 2018

Hoje o dia acordou melhor para mim, hoje é meu aniversário de 16 anos. E isso é muito bom. Bom demais. Eu amo meu aniversário, é como se fosse uma celebração divina no meu calendário. Eu posso escolher qualquer presente e esse ano eu tenho um muito especial para mim mesmo.

Mas isso só meu pai e minha mãe sabem. Eu queria isso já faz séculos, desde que eu comecei a respirar e finalmente vou ter um. Não sei muito bem o que dizer e espero que seja fantástico. Isso só tem no Estados Unidos e sempre pedia para o meu pai me levar para poder realizar esse sonho de princesa. E espero que esse dia se torne realidade.

- Feliz aniversário. - Hannah fala me abraçando.

- Muito obrigada. - Falo. Noah me deseja o mesmo junto com Sadie e Chloe. Eu encontrei uma nova família que me ama até nos pequenos momentos e que por mais que só tenha sido umas duas semanas em que nos conhecemos, lembraram do meu aniversário.

Eu amei ter todos do meu lado nos meus doce 16 anos. Eu não queria uma festa ou algo do tipo, eu só precisava de um único presente que eu esperava muito que meus pais pudessem me dar. Eu iria entender se eles não pudessem me dar, mas nossa eu ia amar tanto realizar esse sonho.

Entramos na sala e nos sentamos nos lugares onde sentamos todos os dias, virou a nossa marca, virou o nosso canto. Virou a nossa pequena família. Queria muito que pelo menos Chloe estudasse na nossa sala, mas ela é da 201.

Nessa segunda feira que caiu no meu aniversário, eu podia sentir o gosto do amor, o gosto do sonho se realizando. Eu nem ligava se hoje ia ter aula de matemática, eu só queria chegar em casa.

- Ei, vocês vão hoje na minha casa, né? - Pergunto para o meu grupo.

- Claro, eu não ia perder por nada. - Hannah me responde. - Mas tem certeza que quer chamar Finn?

- Mesmo eu odiando como ele trata as meninas dessa escola, somos amigos. - Me defendo.

Eu sou meio confusa em questão ao Finn, tem as vezes que eu quero me aproximar muito dele, mas tem as vezes que eu quero distância dele. Que eu não quero nem saber dele e quando ele chega perto de mim quero cuspir naquele sorrisinho, mas eu sou alguém que quer tentar, quero ao menos saber que posso tê-lo como amigo. Não quero desperdiçar amizades assim. Eu prometi que ia deixá-lo entrar na minha vida. E é isso que vai acontecer. Só espero que isso não seja uma má ideia.

A aula passou voando, fui para o shopping com a minha mãe enquanto Ava e papai arrumavam as coisas em casa, falei para a minha mãe que não queria nada grande. Só queria bolo e comida, mais nada. Não precisava de uma festa enorme. Tudo que eu quero é o meu presente e eu espero que muito se realize.

Depois de comprar umas roupas para mim e Ava. Fomos para casa e quando vi tudo que meu pai e Ava preparam eu amei. Tinha uns balões na sala e principalmente aqueles de hélio indicando a minha nova idade. Eu sorri. Tinha até bandeirinhas escrito "happy birthday". Eu fiquei muito feliz com o que eles fizeram, não tinha nada demais. Mas era perfeito. Na sala já tinha o x-box montado com o kinect e a minha coleção de just dance estava para fora. Meu jogo favorito no mundo. Mudei a minha roupa colocando um short branco e uma blusa preta curtinha e solta. Coloquei no meu pé slides. Eu com certeza, iria ficar descalça.

[Desci e minha mãe colocou em mim uma coroa que informava a todo mundo que eu era a aniversariante]

Desci e minha mãe colocou em mim uma coroa que informava a todo mundo que eu era a aniversariante. Eu sorri e ouvi a campainha tocando, minha mãe estava louca para conhecer as meninas que eu tanto falava para ela. Eu corri atrás dela e quando ela abriu a porta vi Hannah brigando com Finn.

- Eu uso o que eu quiser. - Ela disse e os dois se viraram para nós, reparei que atrás deles estavam Sadie, Noah e Chloe que pareciam querer que Hannah e Finn calassem boca.

- Millie. Oi. - Hannah disse. Ela olhou como se fosse matar Finn e me abraçou. - Oi, você deve ser a mãe da Millie. Prazer Hannah Wolfhard. - Minha mãe tinha estendido a mão, mas Hannah a puxou para um abraço. Eu deveria ter avisado isso. Finn me abraçou e me desejou feliz aniversário e eu apenas agradeci e ele abraçou minha mãe também. Sem falar seu nome.

Cumprimentei todos junto com a minha mãe. E me avisaram que Jack e Caleb iam se atrasar um pouco. Eu apenas assenti. Eu não queria nada muito grande, mas ter todos eles aqui, é de um valor imenso para o meu coração. Todos se sentaram na sala e meu pai foi para cozinha. E Ava me seguiu. Ela estava tão tímida. Ela tinha se vestido toda para finalmente conhecer os meus amigos, ela tinha aquela bobeira de criança de 12 anos que se chama de pré-adolescente. Que era um tal de vsco girl. Não me pergunte o que é porque eu não sei. Eu tento, mas tudo que vem na minha cabeça é que ela tenta ser uma adulta e tudo que eu queria era voltar para idade dela.

Quando a vida não era a vida, quando não existia física, química e nem biologia. Quando meus hormônios ainda estavam nascendo e eu não sentia vontade de pular em um menino quando eu tivesse menstruada, quando tudo que eu me preocupava era em como seria o meu primeiro beijo. Quando eu não tinha que ter anticoncepcional na minha mochila e muito menos camisinha na minha bolsa. Quando eu ainda sonhava com o príncipe encantado e quando eu discutia com as minhas amigas alienadas como seria o meu primeiro namorado e a minha primeira vez, mal sabia eu. Pobre Millie.

Sentei do lado de Hannah e minha mãe se acomodou também, esse não era como todos os meus aniversários, meus avós normalmente estariam aqui e meus primos e toda aquela loucura de sempre, ia ter música. Parentes bêbados. Romeo estaria aqui fazendo suas piadas que eu ria tanto que doía. Minhas amigas todas estariam aqui e de repente eu senti muita saudade de casa. Do meu ex-namorado que é mais como o meu amigo. Quando namorávamos éramos mais como amigos que transavam. Sinto muita falta dele, mas ele não era o certo para mim.

- Então... Vocês são todos daqui? - Minha mãe pergunta.

- Canadá. - Finn fala.

- Nova York. - Chloe, Sadie e Noah falam ao mesmo tempo.

- Los Angeles. - Hannah responde. - Mas as vezes sinto que pertenço a Alemanha. - Todos nós rimos e Hannah não entendeu e fez cara de séria.

Hannah era muito além do que todos que estavam ali na sala. Falando como alguém que acredita no capitalismo ser a melhor política para o mundo – O que eu não acredito - Hannah e Finn podiam ser mais ricos do que todos nós juntos, muito mais. Mas eles não agiam como pessoas desse mundo, sei lá a educação que eles receberam é diferente. Hannah é o contrário das meninas da nossa escola. Ela xinga, fala tudo o que pensa, bate nas pessoas, vai sempre do mesmo jeito para a escola, não fica se mostrando. Ela é muito diferente das meninas da escola.

- Aqui é quente, né? - Minha mãe pergunta.

- Acredite em mim, fui para o Rio de Janeiro em dezembro e nunca passei tanto calor na minha vida. Eu molhei meu cabelo e dois minutos depois estava seco e sujo. - Hannah fala.

Noah revirou os olhos, Hannah queria bater nele. Finn apenas colocou a mão na perna da sua irmã como se aquilo fosse acalma-la o que não adiantou de muita coisa, não. Minha mãe tinha os olhos vidrados nas mãos de Finn, ela ficou louca?

- Então vocês namoram? - Minha mãe pergunta e todas viramos para ela, meio que em dúvida.

- Quem? - Pergunto.

- Vocês dois. - Minha mãe aponta para Finn e Hannah que se olham com cara de nojo e eu também senti muita vontade de vomitar nesse momento. Acho que todo mundo que conhecia os dois.

- Não. - Hannah gritou e Finn colocou sua mão no ouvido.

- Ela é a minha irmã. - Finn falou.

- E ele é só o que meu pai fez questão de colocar na minha vida porque viver nesse mundo não era o suficiente para ele. - Hannah fala e Finn aperta suas bochechas sorrindo e ela dá um tapa na mão dele. Eu rio.

Finn revira os olhos e se volta para mim, por que a atenção está toda em mim? Ah é, eu sou aniversariante. Esqueci desse detalhe. O que eu posso fazer agora?

- Vamos jogar? - Pergunto.

- O que? - Sadie pergunta.

- Just dance. - Falo.

- Eu amo esse jogo, na sala de jogos da mi... - Hannah foi abaixando o tom de voz quando reparou no que estava falando e quando olhei para Noah ele tinha um sorriso enorme.

- O que você ia falar gatinha?

- Vai... - Hannah ia falar algo, mas eu resolvi interrompê-la.

- Não. No meu aniversário não. Eu já aguentei isso demais. - Falo e os dois param, apenas se encarando como se fossem se matar.

Minha mãe finalmente saiu da minha cola e Ava estava tão tímida que eu queria apertar sua bochecha. Toda tímida. Eu andei com Sadie até a minha televisão e coloquei just dance. Eu esperei entrar, depois tive que me virar para colocar em uma música. Quando perguntei quem queria ir, os meninos nem se pronunciaram. Então fomos nós 4. Eu tirei meu sapato porque não ia querer cair com esses slides no pé. Dançamos ao som de ragatanga. Eu fiz dupla com Sadie e nós não parávamos de rir. Chloe e Hannah também não. Adivinha quem ganhou? Nós duas. Demos língua para as meninas e Hannah claro foi a primeira a se pronunciar dando dedo do meio para nós duas.

- Posso jogar? - Ava pediu.

- Claro. - Eu falo.

Hannah sentou, ela já estava cansada demais. Dançamos break free da Ariana Grande. Eu estava muito feliz. Avistei Jack e Caleb chegando. Quando acabei de dançar, implorei para os meninos dançarem uma música no mínimo, Jack foi o primeiro a aceitar e ele convenceu os meninos em minutos. Eles dançaram worth it de fifth harmony. Foi a coisa mais engraçada de toda a minha vida, eu morri de rir. Hannah gravou tudo e certeza que ia postar na primeira rede social que encontrasse, vê Finn dançando foi a coisa mais incrível que eu já vi na vida. Não porque ele era bom, mas porque era muito divertido ri da cara dele. Não só dele, mas como de Noah e Caleb também. Esse é um dos melhores aniversários da minha vida.

Depois de dançarmos todos juntos, milhares de músicas nos sentamos para jogar imagem em ação e descobrimos que Finn e Hannah são muito bons nisso e que eu e Sadie somos péssimas. Eles ganharam, eles acertavam todas. Minha mãe deu comida para todos nós e Hannah recusou, claro. Ela pelo menos ia comer bolo acredito eu. Estava doida para abrir os presentes, porque queria muito saber o que os meus pais compraram para mim. Agora a gente foi dançar, colocamos música na casa e fomos dançar. Jack dançou com todas nós e os meninos estavam no grupinho deles.

A campainha tocou e minha mãe me olhou com um olhar curioso. Ela me mandou ir abrir e eu fui, a música do nada parou o que eu não entendi porque aconteceu. Todos me olharam e eu resolvi ir atender a porta e quando eu abro. Acho que eu gritei, não sei. Eu estava apavorada demais para lembrar. Pulei nos braços dele que me rodou e me deu um beijo na bochecha.

- O que você faz aqui? - Perguntei saindo de seu abraço quando ele finalmente me deixou no chão.

- É seu aniversário Mi. - Romeo fala e o abraço. - Espero que eu não tenha chegado tarde para os presentes.

- Não. - Falei. O puxei para dentro e vi todo mundo me olhando. - Gente, esse aqui é o Romeo, meu... - O que é que a gente é mesmo? Ex-namorados? Amigos? Amigos que já transaram? - Amigo, ele morava comigo em Liverpool...

Todo mundo não sabia bem como reagir, Finn foi o primeiro a apertar a mão de Romeo. E depois todos eles fizeram o mesmo. Eu sabia que agora íamos abrir os nossos presentes.

- Hora dos presentes. - Minha mãe fala.

Sentamos no sofá. A primeira pessoa que me deu um presente foi Sadie que me deu um casaco lindo, depois Chloe e Noah que me deram um pop funko de harry potter que é o meu bruxo favorito de todos os tempos, não me culpem. Eu morei em Liverpool por muito tempo. Muito tempo mesmo, então me enturmei com a cultura de lá. E acredite quando eu digo que eu acabei amando Harry Potter.

Hannah me deu uma caixa e ela deixou bem claro que demorou umas 5 horas para os ela escolher o meu presente. Abro a pequena caixinha e acho que chorei, talvez esse seja o presente mais lindo e mais caro que eu já tive em toda a minha vida. Era lindo. Era um anel com pedrinhas lindos. Eu tinha simplesmente me apaixonado. E por dentro dele tinha gravado a data 06/02/18 que foi quando nos conhecemos. Eu tinha amado, simplesmente me levantei e a abracei.

Agora de Finn, que também era uma caixa e eu pensei que mais uma joia vinha aí e que provavelmente Hannah que escolheu já que ele deve ter só comprado para ser educado, mas quando abro eu não sei exatamente que cara eu fiz só sei que todo mundo olhava um pouco estranho para mim. Principalmente Romeo, eu tinha achado a coisa mais linda de todo o universo e que discordar está totalmente errado. Ele me deu um colar simples, mas lindo de ouro que tinha escrito "Mills" com um caligrafia impecável que foi basicamente o apelido que ele me deu enquanto eu estava sendo uma dor na bunda para ele.

- Eu amei. - Falei.

E agora o mais esperado de todos os tempos. Meus pais me entregam uma caixa enorme e entro em dúvida porque meu presente cabia em um envelope. Abro a caixa e tinha mais uma dentro. E assim foi. 8 caixas se passaram. E cheguei na última que era a coisa mais fofa do mundo. Quando abri dentro tinha um envelope branco daqueles de colocar na máquina de cartão e quando eu abri. Eu gritei. Eu subi em cima do sofá e comecei a girar com o que eu tinha nas mãos. Hannah me olhava estranho como se me achasse a pessoa mais anormal do mundo. Era irônico ela está assim.

Pulei do sofá sendo nada delicada quase que escorregando e abraçando meus pais sem acreditar no que eu tinha ganhado. Eu simplesmente repetia "obrigada" em seus ouvidos. Eu estava amando.

- O que foi que eles deram para você? - Sadie pergunta animada.

- Eu vou ver wicked na broadway. - Gritei para fora e Sadie correu até mim para ver os meus ingressos.

- Tá zoando? - Ela perguntou e eu neguei mostrando para ela meu ingresso que era para o final do ano. Eu estava tão feliz que foi como se aquele ingresso fosse o meu passaporte para ir para o paraíso. E não era?

Esse era simplesmente o dia mais feliz de toda a minha vida. Eu não acredito que eu ganhei o que eu queria. Eu iria ver a peça que eu me apaixonei quando era criança, que me fez querer ir em toda peça teatro de Liverpool. Me fez querer começa a fazer aula de teatro. Então eu precisava ver com os meus próprios olhos. Eu sou apaixonada nessa porcaria.

Hannah.

Estávamos saindo da casa de Millie já, foi uma festa muito legal. Deixamos todo mundo em casa e agora íamos para a nossa casa. Mas o que eu achei mais estranho era que Finn ficou calado. Quero dizer, quando Romeo chegou ele ficou em silêncio total. Eu iria fazer isso. Que tipo de irmã eu seria se não perturbasse meu irmão?

- A festa foi legal, né? - Perguntei e ele assentiu com a cabeça.

Eu iria amar fazer isso. Não que eu gostasse de fazer meu irmão explodir como ele fazia quando estava com raiva. Finn se controla bastante, mas quando suas emoções são muito extremas ele se descontrola. Então eu iria descobrir se Finn gosta de Millie ou não.

Finn nunca gostou de alguém de verdade, quero dizer teve uma menina. Eu não gostava dela. Quero dizer, não é que eu não gostava dela. É que sei lá. Vê meu irmão com outra menina, é insano. Eu tinha ciúmes, é isso. Mas ele não precisa saber. Eu só fiz muita merda e ela saiu da vida dele por culpa minha, eu nunca vou me perdoar por isso em toda a minha vida. Porque ele poderia ter a amado, e talvez assim ele não se afogasse em outras meninas. Não tratasse elas como lixo. Eu fiz ele fazer uma escolha, quero dizer, não eu. Mas ela estava certa. Eu queria voltar atrás e falar para ele correr atrás dela. Ele era uma criança como eu sou e como eu fui. Ele merecia isso. Porra, meu irmão merece coisa para caralho. Depois do último dia que ele explodiu comigo eu me prometi que nunca ficaria no caminho dele. Eu prometi que o deixaria amar quem ele quisesse. Mas hoje tudo que ele ama são as bocetas das meninas, desculpa pelo palavreado. Mas ele nunca mais ficou com alguém seriamente e quando ele conversou com Millie no primeiro dia de aula foi a primeira vez que ele olhou nos olhos de uma menina que não fosse eu ou Sadie.

A primeira vez que ele sentiu algo.

- Romeo parece ser legal. - Falo.

Finn respira fundo e as suas duas mãos estavam no volante. Eu agradeci por isso. Não queria acidente em uma hora dessas. Os médicos merecem descanso e eu também. Cansei de continuar indo ao hospital.

- Ele e Millie poderiam voltar. Acho que seriam um belo casal. - Falo.

Finn não estava me ignorando, ele ouvia tudo e assentia sempre. Mas era mais para me dizer que ele estava ouvindo tudo que eu estava dizendo e eu sabia que era verdade.

- Hoje eles vão dormir juntos, matar a saudade faz bem.

- Só cala a boca, Hannah. - Finn fala. E eu achei isso muito fraco. Ele foi até gentil. Se fosse eu, eu teria mandado a pessoa fazer outra coisa com a língua. Eu conhecia muitos lugares onde as pessoas poderiam enfiar a opinião deles. Mas Finn não é como eu, ele se controla. Ele explode as vezes como todas as pessoas do mundo. Eu não, eu sou explosiva. Eu explodo toda vez que Noah abre a boca.

- Sei lá, parece ser bom essas coisas. - Falo.

- Caralho, cala a merda da boca. Não consegue ficar 5 minutos calada? Que coisa, da próxima vez você vem sozinha. - Ele gritou, mas mesmo assim ainda não era o Finn explosivo. O que aconteceu? Eu não estou enganada. Eu sei que ele gosta dela.

Então só me faltou a minha última opção.

- Você transaria com ela?

Finn parou o carro do lado de uma calçada e olhou bem nos meus olhos.

- Hannah eu já mandei você calar a porra da sua boca e se você não fizer isso eu vou prender você no porta-malas porque se eu ouvir você falando sobre coisas que envolve Millie estar nua comigo ou com qualquer outra pessoa eu vou enlouquecer e eu acho que sou capaz de me matar se você não calar a sua grande boca porque você está me irritando para um caralho - Finn gritou olhando para mim. Eu estava com os olhos arregalado. Jesus, ele gostava dela. Eu sabia, eu sabia. Finn gosta da Millie.

Opa. Pera aí. Finn gosta da Millie?

- Não brinca com suicídio. - Falo abaixando meus olhos para o meu colo. Ele toma um longo suspiro.

- Desculpa, vai me deixar dirigir agora? - Ele perguntou ainda com raiva. E eu assenti com a cabeça. O carro logo voltou a andar. Eu olhei para Finn com dúvida porque depois raciocinei o que ele disse. Só analisei seu tom de voz.

- Pensar na Millie nua te enlouquece?

- Caralho. - É tudo que ele fala.

- Você pensa nela assim?

Ele não ia me responder, eu sabia disso. Ele queria me matar. Eu sentia isso. Mas tudo bem, eu não me importava muito, agora eu sabia que ele gostava da minha amiga o problema é que eu não sei o que Millie pensa sobre ele. Quero dizer, é o Finn. Meu Finn, ele é meu irmão e eu não sou cega. Ele é lindo, e ele pode ser um príncipe se ele quiser. Eu sei porque ele cuida mais de mim do que meus próprios pais.

Finn Wolfhard você está fodido. Por duas razões. A garota que você gosta está cagando e andando para você.

Segundo sua irmã sabe disso.

Qual a pior?

Acho que a segunda opção. 


Notas Finais


vai ter mais um depois desse e um a noite.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...