História Our Love - Sasusaku - Capítulo 7


Escrita por: e TPaula01

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Comedia, Naruto, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 132
Palavras 1.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Aldrabice


Fanfic / Fanfiction Our Love - Sasusaku - Capítulo 7 - Aldrabice

07

POV Sasuke

— Barney está ficando velho, a vida de um gato deveria ser mais longa. 

— Eu sinto pena do seu gato. Presta atenção no jogo. 

— Você vive esculachando o meu bichano.

Eu poderia escrever uma lista enorme com diversos fatos para que qualquer pessoa se mantenha longe deste animal, seus comportamentos não são normais. Sequer notei ele entrando no meu quarto, capeta sorrateiro. 

— O seu gato que me odeia sem motivos. 

— Os animais sabem quando alguém não gosta de... NÃO, NÃO! VOCÊ ROUBOU!

Sakura é daquelas pessoas que não aceita facilmente quando é derrotada e usa a velha desculpa de que o adversário trapaceou. 

— Se não sabe perder não deveria ter pedido para jogar comigo. 

— Claro... — ela aponta para mim, acusando-me — aproveitou que eu estava distraída com o Barney para dar o bote!

— Ta bom, Sakura.

 

● ● ●

 

Dia seguinte

— Ei, teme...

— Agora não. 

— Teme...

O meu dia já foi estressante e para piorar tenho que aturar esta ameba amarela.

— Para de me cutucar, cara — digo ao afastar o celular — Cala a boca! Espera!

— Mas, Sasuke...

Como a Hinata consegue aturar o entojamento do Naruto? Ainda quero entender como que ele arrumou uma namorada. 

— Fala de uma vez então.

Já basta ter que dar um de psicologo conselheiro para o meu patrão depois do expediente pelo telefone. Sua ex-mulher está noiva e agora eu quem tenho que aguentar as lamúrias, isso porque divorciaram há três meses atrás apenas. Eu deveria receber um aumento.

— Olha — Naruto aponta para um ponto específico e meu olhar segue a mesma direção — Aquela ali é a Sakura-chan?

— É óbvio que não, idiota — olho de relance e concluo — O que a Sakura estaria fazendo na rua esta hora acompanhada daquele ruivo? — volto a prestar atenção na ligação, pensando em alguma maneira de encerrar o assunto sem que eu seja demitido — Senhor, deveria seguir em frente assim co... — arrisco olhar novamente para os dois jovens e surpreendo-me ao reconhecer Sakura. Olhei tão rápido da primeira vez que não a reconheci. O que ela está fazendo com ele? — a bateria do celular está acabando, preciso desligar. Pense no que te falei, senhor. 

Desligo o celular guardando-o no bolso ainda incrédulo.

— Tente não se exaltar, afinal, não queremos que a Sakura-chan descubra que estamos seguindo eles.

— Desde quando? Não fui direto para casa do serviço porque a mãe da Sakura me ligou e pediu para eu passar na loja de conveniência e comprar um refrigerante, por azar encontrei você na rua. Aliás, o que você está fazendo andando por aqui?

— Sei lá, cara. Acho que vou aproveitar e passar na casa da Hinatinha depois da gente bisbilhotar um pouco a vida da Sakura-chan.

— Caso formos descobertos eu vou jogar a culpa toda em cima de você, prepare-se para se responsabilizar. Deixo claro que apenas vou fazer isso pois não confio no Sasori.

Deveria deixar ela quebrar a cara, eu fiz a minha parte em alertá-la sobre ele. Sakura precisa deixar de ser tão bobinha.

— Como se a Sakura-chan fosse uma garota indefesa... não se lembra daquele soco que eu levei dela? E ainda foi sem querer! A dor volta só de lembrar...

— Eu não disse que ela é indefesa e sim que não confio no Akasuna.

Após um silêncio e continuarmos andando cautelosamente alguns metros atrás dos dois, Naruto resolve abrir a boca novamente.

— As vezes acho que você sente ciúme dela.

— Isso não faz sentido, eu não sinto essa coisa. Por mais que Sakura seja irritante, já basta ter que aguentar as lamúrias do meu patrão. 

Sakura está linda com aquele vestido, é uma pena que esteja tão linda para aquele imbecil.

 

● ● ●

 

POV Sakura

 

Algumas horas antes

— Como você pode ter tanta certeza, criatura? Não vi nem a sombra dele na escola hoje.

— Hum... será por que? Amiga, você chegou super atrasada — exagerada, foram apenas cinco minutos — e sequer saiu da sala de aula no intervalo.

— Ainda estamos no intervalo, dá tempo.

Assim que levanto, Ino me puxa de volta para a cadeira.

— Não, senhorita. Fique sentadinha aí, logo ele vem.

...

— Ino...

— Ele vem.

...

— Faltam exatos três minutos para o término do intervalo e ainda estamos paradas nos mesmos lugares vegetando. Não, ele não vem.

— Sim, ele veio. Querida, Yamanaka Ino nunca se engana! — Ino diminui o seu tom de voz — Olhe para trás discretamente.

E lá estava ele, vindo em minha direção. 

— Meu Deus, você não aprende a olhar discretamente mesmo.

Ouço Ino resmungar baixinho atrás de mim, mas não dou atenção.

— Haruno? — sua voz grossa e rouca faz com que eu me arrepie. Tão lindo... mas tão canalha — Está ocupada?

— Para você? Sempre — falo e recebo um beliscão da Ino em minha perna imediatamente — Estou brincando.

— Tudo bem — ele sorri sem graça — Vejo que tem um ótimo humor.

Forçado? Imagina.

— Ah sim, a Sakura realmente tem um excelente humor, principalmente quando acorda. É fantástico!

Certamente devo ter sido raptada e agora estou em outro universo paralelo. Eu com bom humor quando acordo? Que dia! Que mentirosa, não muda nem a cara para mentir! 

— É um prazer conhecê-la oficialmente, Sakura.

Sasori me cumprimenta formalmente, ignorando o comentário desnecessário da minha amiga.

— O prazer é todo meu. 

Mamãe e papai, perdão. Sei que vocês me ensinaram a ser uma boa garota e não mentir.

— Caso não seja um incômodo... — você já é um incômodo, querido — poderia me passar o seu número? Tem WhatsApp, né?

 Até a minha avó tem! A propósito, todos os dias ela me manda aquelas imagens de bom dia/boa tarde/boa noite/boa semana, haja memória.

— Por qual razão eu passaria o meu número para um desconhecido? — como se o cara não tivesse estudado comigo antes... mas de fato nunca trocamos uma palavra sequer e isso faz dele um estranho. Antes que eu receba mais um beliscão ou chute da Ino por baixo da carteira, prossigo — Estou brincando... deveria ter visto a cara que fez — trato de pegar uma caneta vermelha de dentro do meu estojo e posteriormente puxo o braço do rapaz, rabiscando o meu número ali mesmo. Se fosse em outras circunstância teria passado um número falso, ou da minha avó — Satisfeito?

— Não sabe o quanto.

No mesmo instante, o sinal toca anunciando o fim do intervalo. 

— Preciso ir, te mando mensagem mais tarde — o embuste se aproxima de mim me dando um beijinho na bochecha antes de se retirar.

— Nojento, dissimulado... esse cara pensa que sou uma garotinha de quinze anos bobinha? — não que eu seja a pessoa mais madura para a minha idade — É assim que ele tenta conquistar as garotas que está interessado?

— Um hipócrita.

— Artificial.

— Garanhão!

— O que está dizendo, Naruto?

De onde esse garoto surgiu?! Que susto!

— O que, o que? Eu só entrei na brincadeira de vocês duas.

Brincadeira?

— Senhor Uzumaki...

Escuto a voz do sensei e só então noto a sua presença na sala de aula, enquanto alguns alunos ainda estão retornando para a sala de aula. Desde quando o Kakashi é pontual? Vai chover sorvete hoje!

— Eu sei, eu sei... estou voltando para o meu lugar!

 

● ● ●

 

POV Sasuke

Atualmente

— Fala sério... o cara levou a Sakura-chan até aquele restaurante chique mas não teve a capacidade nem de pagar um táxi.

—  Dobe, o restaurante é apenas três esquinas da casa dela. Acha mesmo que tem necessidade de pegar um táxi? Andar um pouco faz bem, sedentário.

— Certo. Vamos lá!

— Não.

— Daqui de fora não dá para enxergar lá dentro direito. Não está com fome? Pois eu estou. Além disso terá uma excelente companhia, tô certo!

Antes dar um beijo no gato pulguento da Sakura do que passar por isso.

. . .

— Desmancha essa cara de cu, teme.

— Você me arrastou até aqui contra a minha vontade, então você paga a conta. 

— Desde que o seu pedido seja apenas um suquinho de laranja por mim está tudo bem.

Suquinho de laranja? É hoje que você irá falir. Não sei como a Sakura ainda não percebeu a situação...

 

● ● ●

 

POV Sakura

— Então, Sakura... o que você gosta de fazer?

— Comer e falar menos. Sua comida vai esfriar.

— Ah, claro...

Azucrinante como esse aí nunca vi pior. Superou o Sasuke! Por favor Deus, me dê paciência para aturar a ladainha enjoada desse indivíduo. Acho que alguém vai ter que declarar derrota sobre o tal desafio.

 

● ● ●

 

POV Sasuke

— Sinto que esse encontro dos dois será um fiasco.

— Está sendo. Eu tenho certeza que ela está dificultando as coisas para ele... aquela cara dela ali não nega, eu conheço.

Talvez não tenha sido uma má ideia vir até aqui.

— Senhores, já fizeram seus pedidos?

 

● ● ●

 

POV Sakura

Papo vai e papo vem, estava aguardando a tal sobremesa que parecia demorar séculos para chegar até a nossa respectiva mesa. Não via a hora de poder ir embora, não estou aturando o papo chato do Sasori e suas tentativas de tentar criar um clima legal entre nós dois. 

,Lembrando-me do que Ino havia me dito, tento fingir interesse no que ele diz, me envolvendo. É engraçado ver o quanto ele está levando essa merda de desafio a sério... esse restaurante não deve ser barato. Todavia, isso é um pequeno detalhe para a conta bancária gorda dele.

Em pequenas brechas que dou, Sasori vai se aproximando aos poucos. Coloca sua mão sobre a minha e estarmos do lado mais vazio do restaurante é de certa maneira uma vantagem. A medida que se aproxima, se torna possível sentir a sua respiração quente e rola um leve roçar de lábios. Oh, tentação... tão gato, mas tão entediante. 

Sinto a sua mão em minha nuca e finalmente acontece o selar de lábios. Todavia, não dou oportunidade para que o beijo se aprofunde pois derrubo propositalmente a seu copo com vinho na camisa branca dele, o que faz com que Sasori se afaste de supetão, chegando a chamar a atenção de algumas pessoas para a nossa mesa. 

— Caralho, olha o que você fez! — Sasori grita furioso, enquanto encara indréculo a sua camisa detonada.

— P-Perdão, não foi a intenção! 

Meus olhos estão lacrimejando. Caramba, o prêmio de melhor atriz de ano deveria me pertencer.

— Não foi?! Você é muito desastrada! Porra, a minha camisa!

— S-Senhor, aqui está o seu pedid... 

— Dê meia volta e traga a conta!

Pobre garçom. Enquanto isso, já temos a atenção de todos sobre nós.

Sasori avança alguns passos para perto de mim e recuo em defesa. Certo, agora ele está me assustando. Ele não vai ser capaz de fazer alguma coisa comigo com toda essa plateia, não é? Merda, Ino! Por que eu fui concordar com sua ideia idiota?! Deveria apenas ter o mantido longe, assim como Sasuke me aconselhou.

— Não se aproxime dela.

Meu queixo quase caí no chão quando Sasuke aparece na minha frente, me protegendo. De onde ele surgiu?!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...