História Our love is forever - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Kagami Kyoko Tsurugi, Lila Rossi (Volpina), Luka Couffaine, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Nathalie Sancoeur, Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Sabrina, Tikki, Wayzz
Tags Adrinette, Miraculous
Visualizações 63
Palavras 1.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiin :3

Trouxe bem mais adiantado ksks
Primeiro: obrigada pelos favoritos, vocês são d+, sério. Amo vocês mtoo💛
Segundo: para os grandes fãs, esse cap contém um hot de um shipp bem... Insano, sabe? :3
Terceiro: perdão por esse cap ser mais curto doq os últimos que andei lançando, mas sla ksksk
Nada mais a falar
**ESSE CAPÍTULO CONTÉM CENAS PARA MAIORES DE 18 ANOS, CONSIDERE-SE AVISADO!

~Podem ler, estão liberados :3

Capítulo 27 - Sanidade zero - especial de 100 favoritos


Autora on*

Marinette estava em seu quarto terminando de costurar um vestido que daria para Alya de aniversário, até que escuta um barulho vindo de sua janela, e acabou furando o dedo com o susto que levou. A azulada olha para o lugar do barulho e não vê nada, o que acabou estranhando.

Do nada, Marinette sente algo quente e úmido em seu dedo furado, assustada, ela olha para seu dedo e automaticamente solta um sorrisinho. Cat Noir estava sugando seu dedo, mas quando seu olhar se encontra com o da garota, o maior logo solta seu dedo e ataca os lábios da azulada.

Sem se separar de seus lábios, o gato pega Marinette no colo e a prensa contra a parede, dando um dos beijos mais quentes e cheio de luxúria. Os dois acabam ficando sem ar, tendo que separar o beijo, mas a azulada libera espaço em seu pescoço, e o garoto logo ataca o mesmo.

–C-Cat... O que está... Fazendo aqui? –disse entre os suspiros.

–Fiquei com saudade da minha pequena, então decidi fazer uma visita. –disse olhando para os olhos azuis da garota.

–Eu tenho que terminar o vestido da Alya...

–Entendo, quer que eu vá embora, então? –disse, passando levemente as mãos nas coxas da menos, enquanto seu olhar transmitia desejo puro.

–Sabe... Eu acho que tenho um tempinho para terminar o vestido amanhã. Então, se quiser ficar para jantar. –disse a azulada, com um sorriso sapeca no rosto.

Cat Noir sorriu e tomou seus lábios de novo, levando suas mãos para baixo da camisa do pijama da menor.

–Acontece que eu já jantei, mas infelizmente, eu fiquei sem sobremesa... –disse massageando os seios da garota, que soltava alguns suspiros baixos.

Os dois logo estavam se beijando novamente, Marinette agarrava os fios dourados do herói, enquanto ele movia sua mão direita para dentro do shorts e da calcinha da menor, e começou a massagear o clitóris da garota. Como ainda estava como Cat Noir, decidiu não penetrar os dedos nela por causa das garras, com medo de machucá-la.

A mestiça gemia entre os beijos, ainda dava para sentir as garras do garoto tocando sua intimidade, mas ela já nem ligou para a pequena dor que lhe causava. Cat Noir tirou sua mão da intimidade da garota e parou de massagear os seios da mesma, olhou-a nos olhos e sorriu. Segurou suas pernas e deitou-a delicadamente na cama, lentamente, puxou seu shorts e sua calcinha para fora do corpo, jogando as peças por aí.

–Olha, Princesa, hoje eu decidi fazer algo... diferente, com você. –disse retirando o sinto do seu uniforme, e subiu em cima da menor, que o olhava curiosa.

–O que vai fazer? –perguntou, vendo o gatuno prender seus pulsos com o cinto.

–Preparar minha sobremesa, ué. –prendeu o cinto nas grades da cama, deu uma puxada para ver se estava firme, logo colocou sua mão sobre a barriga da menina e a olhou. –Toque na minha mão.

A garota tentou fazer o que o felino havia pedido, mas não conseguiu por causa do cinto que a prendia. Cat sorriu e se abaixou até o meio das pernas da garota. Marinette arregalou os olhos.

–Adrien, você sabe que isso é uma maldade sua, né? E minha avó está em casa, ela vai escutar...

–Primeiro: eu estou como Cat Noir agora, o Adrien não existe no momento. –disse e a mestiça sorriu. –Segundo: é bom se controlar se não quiser que sua avó te escute.

A azulada engoliu seco enquanto observava o gatuno retirar o uniforme até a cintura e se aproximar da sua intimidade.

Cat Noir passou a língua pelos lábios maiores da garota que se arrepiou por inteiro, o garoto começou a invadir os lábios da menor com sua língua em movimentos lentos, enquanto Marinette gemia. Cat sugou o clitóris da azulada com vontade, a mesma tentava tocar o garoto que lhe olhava sem parar com o trabalho, porém o cinto não permitia, e isso estava sendo uma tortura para ela.

O loiro, já sem suas garras, investiu dois dedos na entrada de Marinette, que gemeu mais alto, logo reprimindo os lábios e contendo os gemidos. A intimidade da garota já estava pulsando e seu corpo se retorcendo de prazer, então o loiro com sua mão livre puxou mais ela para si e intensificou os movimentos com os dedos enquanto chupava e saboreava a menina, que não aguentou e se desfez num gemido alto.

Retirou seus dedos de lá e os chupou, relembrando o gosto que sua princesa tem, enquanto a mesma respirava rapidamente.

–Já disse que você tem um gosto muito bom, Princesa? –disse subindo e soltando a garota, que sem delongas, puxou o felino para um beijo cheio de desejo.

Marinette trocou de posição com o loiro e começou a rebolar na ereção do mesmo, que gemia entre o beijo. A azulada puxou o restante do uniforme do gatuno, logo o puxando para se sentar na beira da cama.

O garoto a encarou com certa curiosidade, a menor se ajoelhou em frente ao mesmo enquanto encarava o volume na cueca preta do loiro. Sorriu perversa.

–Vamos fazer o seguinte: você brincou comigo, então vou brincar com você. –falou com um sorriso malicioso nos lábios.

–Entendi, vai me prender? –disse e pegou o cinto entregando para a garota.

Ela encara o cinto e o joga longe, logo encarando o loiro que a olhava confuso.

–Não posso te dar o troco com a mesma nota, né? Eu vou alegrar seu amiguinho aí de um jeito que você ama. –Cat sorriu. –Vou fazer da melhor maneira. Mas, se você encostar a mão em mim, seja proposital ou não, eu vou parar. –o sorriso dele sumiu acompanhado por um arregalo de olhos.

–Não pode fazer isso comigo, Mari. –choramingou.

–Valendo!

Com calma, Marinette abaixou a cueca do garoto, fazendo seu membro ereto saltar para fora. A azulada olhou Cat Noir antes de começar a se abaixar lentamente.

Ela começou por leves lambidas pela cabeça, trabalhando bem nessa parte em intenção de provocar o loiro, que olhava aquela cena super sensual enquanto suspirava. Deu um beijinho na ponta do membro do garoto, logo o abocanhando de uma vez, em movimentos de vai e vem lentos tomando cuidado com os dentes, porém dando todo prazer que seu gatinho merecia.

Quando a menor acelerou os movimentos que ficaram mais profundos, Cat Noir moveu sua mão quase encostando na garota que não deixou de sorrir, mas se conteve e agarrou os lençóis da cama. Os músculos do membro do gatuno pulsavam na pequena boca da azulada, que já sabia que o garoto estava perto. Então, sem mais delongas, Marinette subiu sua boca ate aponta e sugou a cabeça enquanto masturbava o resto do membro do garoto, que gemeu mais alto.

–M-Mari... Melhor p-parar... Eu v-vou... –disse entre os gemidos, seguido de seu ápice, ejaculando seu líquido na boca da mestiça, que num instante, engoliu.

–Tenho que confessar que você é forte, jurei que não aguentaria. –disse limpando o canto da boca sorrindo.

Cat sem pensar, a puxou para um beijo cheio de desejo, sentindo seu gosto na boca da menina. Movia suas mãos numa massagem nos seios da mestiça, arrancou a camisa da mesma e a jogou por aí.

–Está tomando seu anticoncepcional certinho, né? –perguntou.

–Sim. –falou subindo no colo do loiro e rebolando sobre seu membro. –Hoje eu sirvo a sobremesa, ok?

O garoto nem respondeu, apenas segurava sua cintura e depositava beijos e chupões entre o pescoço e as clavículas da garota, que suspirava no ouvido do gatuno, o excitando mais ainda.

Sem mais paciência, Marinette ergueu seu quadril, até sua entrada se encaixar com o membro já ereto do maior e desceu até estar completamente dentro dela. Lentamente, ela começou as cavalgadas em Cat Noir, logo as acelerando enquanto escutava o som de pele contra pele ecoando pelo quarto junto com os gemidos de ambos.

O loiro começou a se mover no sentido oposto da azulada, deixando as estocadas mais profundas e prazerosas. A mestiça acelerou os movimentos e abraçou o felino, arranhando suas costas com suas longas unhas, gemendo loucamente em seu ouvido, fazendo com que o maior segurasse a sua cintura.

Marinette sentiu as pernas ficarem fracas e Cat ajudou-a a se movimentar, logo suas intimidade se apertou contra a do garoto, sentindo seu corpo relaxar ao seu orgasmo chegar. Cat a moveu mais um pouco e liberou seu líquido dentro da menor.

Saiu de dentro dela e os dois se deitaram na cama, ofegantes e satisfeitos. Os dois soltaram uma risadinha e a azulada começou a contornar os pequenos gominhos na barriga do loiro.

–Deveriamos fazer isso mas vezes... –disse.

–Concordo! Mas você sabe, princesa, a empresa anda pegando muito nosso tempo.

–Sim, infelizmente! Deveríamos pedir férias, não acha?

–Meu pai não nos liberaria agora. O jeito é ficarmos só pelos fins de semana. –sorriu, fazendo cafuné nos cabelos molhados pelo suor da azulada.

–Tem razão... Bom, o que acha de aproveitarmos mais um pouco? –encarou os olhos verdes.

Cat sorriu. Ele se perguntava: de onde é que essa menina tirava tanta disposição?


Notas Finais


Ok, lembrando que esse cap não contém spoilers, além de não fazer parte da história real. É só para descontrair mesmo :v
Meu primeiro hot Marichat, era p estar mais quente que o outro, mas saiu praticamente a mesma coisa. Então desculpe-me pelo hot fraquinho :‘)
OBRIGADA MESMO PELOS FAVORITOS ANJOS, AMO VCS DE MONTÃO 💛
Perdão por qualquer erro ou algo do tipo.
Acho que só isso :v
Então...

~au revoir 💛🍃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...