História Our Lovely Side (FRASON) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias A Hora do Pesadelo, Halloween, O Massacre da Serra Elétrica, Sexta-Feira 13
Personagens Freddy Krueger, Leatherface, Personagens Originais
Tags Romance, Serial Killer
Visualizações 9
Palavras 1.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nesse capítulo apareceu o Sr. Leatherface '-' pseh, tava enrolando pra colocar ele porque não sou muito fã kkk
Boa leitura!! 😗

Capítulo 3 - A humilhação


- Clube dos Murder Ones, quarto de Freddy Krueger, dia seguinte após o capítulo 2 -

....Jason está me olhando fixamente, ele está sem sua máscara e está sorrindo...

Ele é lindo, ainda mais, é uma pessoa adorável por dentro... eu o amo tanto...

Ele me abraça e diz "eu te amo", é um sonho se tornando realidade....

Ele passa os dedos em meu rosto, com um olhar amolecido, e lentamente se aproxima de mim...

Eu fecho os olhos e posiciono meus lábios, pronto para encostar na língua de Jason, quando nossas bocas estavam bem próximas finalmente...

Freddy acorda. Era tudo um sonho... apenas um sonho. Freddy pega o travesseiro e deita a cabeça na cama, abraçando o objeto.

- Como papai dizia... sonhos nunca se realizam.

9:35 da manhã. Freddy perdeu o café da manhã, mas isso não era problema. Krueger resolve assistir um pouco de TV em sua sala, e tira seu chapéu, colocando-o no sofá. De repente alguém bate na porta.

- Fred? - a voz era de Leatherface.

- Leather? É você? - perguntou Freddy.

- Sim, preciso te passar um recado.

- Pode entrar... - permitiu o dono da sala.

Leatherface entra e se senta no sofá, os dois já eram amigos íntimos então não teria problema. 

- Ó, o Jason me mandou entregar isso pra você.

- Ah, valeu... - Freddy ficou desconfiado.

Quando Freddy foi abrir o bilhete, Leatherface bate na mão alheia.

- Ei?! - exclamou Krueger.

- Jason disse pra você abrir somente quando estiver sozinho. Deve ser um segredo.

- Ah... ok. - concordou Freddy.

Freddy fecha o envelope novamente.

- Você vai no aniversário do Myers? - perguntou o canibal.

- Claro, não perderia por nada! - respondeu o assassino dos sonhos.

Depois de assistir um filme juntos, Freddy e Leatherface vão até o pátio de jogos pra jogar sinuca. E quem estava lá? Exatamente. A vadia-alfa, que humilha todas as outras, Marcie Clemont. Krueger tenta ignorá-la, mas ela nunca perdia uma chance de tirar sarro.

- Ô cara de pizza, gosta de mostrar o ombrinho? - Marcie disse enquanto ria.

- Me deixa em paz! - reclamou Krueger.

Os killers que estavam na sala olharam para Freddy, e perceberam que ele não estava usando seu suéter, mas sim uma camisa roxa que era decaída no ombro direito.

- Cuida da sua vida, sua vaca! - gritou Leather.

- Aai, tá bravinho? Gosta desse enviadado? - zombava Clemont de forma nojenta.

- O que você tem contra mim, Marcie? - desafiou a entidade dos sonhos.

- Ora... vamos ver. Primeiramente, você é gay! - dizia Marcie, enquanto se aproximava da dupla - e segundo, você se acha bonito o suficiente pra conquistar o Jason?

- NÃO SEI DO QUE VOCÊ ESTÁ FALANDO! - gritava Freddy, envergonhado.

- Não? Então deixa eu te explicar... você é um viado, e ama o Jason! Ooh que fofo! Mas ele é hétero, e sou eu quem vai ficar com ele.

- Como sabe disso? - Leather defendia o amigo.

- Cala a boca, não estou falando com você! Agora, Fred... por que o Jason gostaria de você, sinceramente?

- Eu... - Freddy tentava abater os argumentos da inimiga.

- Já se olhou?! Com essa cara de merda sua, acha que vai impressioná-lo? - debochou Marcie.

Krueger tentava segurar as lágrimas de vergonha, enquanto ajeitou a roupa para cobrir o ombro direito.

- Eu sou LINDA, e ele vai se apaixonar por mim. Ou você achou que teria uma chance com ele?

- Eu... eu não gosto do Jason! - gritou Freddy.

- Não?! - Voorhees entra bem na hora.

Pelo azar de Frederick, seu crush chega bem na hora. Jason estava decepcionado, baixou a cabeça e foi embora da sala de jogos. Freddy corre desesperadamente atrás do rapaz.

- Agora olha o que você fez! - reclamou Leatherface.

- Se importa com ele? Por que não transam? 

- Amiga, olha, eu acho que você exage... - ia dizendo Frankie, mas fora interrompida.

- Exagerei?! Ele merece isso, ele é ridículo! E ele não pode me machucar, não tem nenhum poder. Se você se contrariar a mim mais uma vez... já sabe, né? - ameaçou a "vadia-alfa".

- Sim... desculpa. 

-

- Jason! Espera! - gritou Krueger.

- Mas você disse que não gosta de mim! - Voorhees estava magoado.

- Eu... eu disse? Okay, eu disse... mas... ah, eu sei que está magoado. Eu tentei me defender da Marcie e...

- O que ela fez? - preocupou-se Jason - eu só ouvi você falando.

- Ela... bem... nada, esquece. - agora sim, estava tudo acabado para Freddy.

- Não sei se vou conseguir esquecer... - disse Jason de forma triste.

- Me perdoa... Jay. - lacrimejava o demônio.

- Tudo bem, acontece. - não estava nada bem para Jason.

Jason foi até seu quarto onde ficava no clube, e fechou a porta. Freddy ficou parado mais ou menos 1 minuto olhando para a porta, imaginando todos os seus desejos desmoronar. Ele se vira e segue lentamente ao seu próprio quarto. Chegando lá, Krueger tira a roupa roxa que estava usando, e pega o bilhete que Jason tinha lhe mandado, e abriu.

-

"...Querido Fred, você poderia ser meu par no aniversário do Mike? Não é nada demais, eu estou sem par para dançar. 

~ Jason"

-

- O que?! Não acredito... meu Deus! - se animou Freddy - ele quer dançar comigo! Ah, mas eu disse aquilo... hm, talvez isso sirva de desculpas.

-

"...Olá Jason! É claro que eu posso dançar com você, não tenha vergonha de me perguntar coisas. Ah, eu sinto muito por ter falado que não gostava de você, a Marcie estava me humilhando e eu queria que ela parasse, acabei mentindo. Eu gosto de você, somos melhores amigos, não somos?"

- Acho que isso deve resolver! Vou colocar debaixo da porta do quarto dele...

-

- Eu achei que o Freddy gostasse de mim... por que ele não gosta? Talvez porque eu seja feio e deformado... - Jason falava sozinho - acho que somos apenas simples amigos, talvez até menos que isso. "Colegas do clube"... não queria ser isso pra ele.

Jason tinha poderes de percepção incríveis, e sentiu quando o bilhete passou de baixo de sua porta. O assassino mascarado pega o bilhete, um sorriso apareceu em seu rosto através da máscara quando terminara de ler.

- Não acredito! Ele aceitou dançar comigo! - Jason pulava de alegria com a resposta de Freddy.

-

- Então... daqui a duas semanas é o aniversário de um amigo meu. Eu queria que minha mãe fosse liberada, ela já está curada... - dizia Marcie Clemont no telefone.

- Desculpa, mas a sua mãe não está totalmente curada. Ela pode ter um ataque psicológico e matar alguém! - respondeu a Dra. Maggie Burroughs

- Ah... bem, sem problemas. Eu poderia visitá-la? Faz um dois anos que não a vejo, ela estava totalmente descontrolada.

- Tudo bem, você pode. Mas precisa de compania, no mínimo uma pessoa. Ela está bem melhor, mas nunca se sabe... eu sei como é ter um pai psicopata.

- Certo, vou levar uma amiga. Posso marcar pra depois de amanhã, às... 5:00 da tarde?

- Certo. Depois de amanhã, às cinco da tarde. - comfirmou a doutora.

- Obrigada pela sua atenção! - despediu-se Clemont.

- O prazer foi meu!

Marcie Desliga o telefone.

- Ótimo, podemos fugir com a minha mãe depois de amanhã! - comentou Clemont.

- Por que vamos soltá-la, exatamente? - perguntou Frankie.

- Nós duas somos assassinas, quero dizer, contando com você, três. A galera do hospital não faz a mínima! Eu vou convencer o Jason a ficar comigo, e então vamos morar nós três juntos em Crystal Lake... eu, minha mãe e o Jason! - explicou a vadia-alfa.

- E eu?

- Ah, sim, você também está. Juntos nós poderemos matar quantas pessoas quisermos, e saciar nossa sede por sangue!

- Mas... Murder Ones é um clube para assassinos que querem recomeçar uma vida, não matar mais pessoas!

- Frankie, querida, o clube será nosso! Todos vão nos obedecer! Inclusive o Freddy Krueger... o viado ridículo!

- Não vai matar o Freddy? - perguntou Frankie.

- Não. Ele vai ser meu escravo, vou humilhá-lo o quanto quiser hahaha! - respondeu Marcie.

-

- Temos uma visita depois de amanhã, senhora Clemont. - disse Maggie.

- Hm... que bom. Quem é? - perguntou Amonna Clemont.

- Sua filha, Marcie Clemont, ela disse que não via a senhora a anos! - respondeu Burrroughs.

- Que ótimo, sinto falta da minha menina...

- Vai ser às cinco da tarde. Como a senhora está se sentindo?

- Melhor... eu acho. Minha consciência está mais limpa.

- Ótimo..... com licença. - dizia Burroughs enquanto se levantava da cadeira.

- Aonde vai? - perguntou Amonna.

- Planejar uma viajem... já marquei outra psicóloga para você quando eu estiver fora. - respondeu a doutora.

- Ok...

Maggie pega o telefone, disca uns números e sai da sala, deixando a paciente à só com a porta trancada.

- Bom dia? - falou Maggie ao telefone.

- Sim, senhora.

- Quero planejar uma viajem à Ohio, em Springwood...

~ Continua...

Notas Finais


[Suspenseeeeee]
Até a próxima, lindus!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...