História Our Times Happy (Yoonmin) - Capítulo 7


Escrita por: e leticiaayoongi

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, Suga
Tags +18 Pelo Yaoi, Assassinato, Corredor Da Morte, Drogas, Horror, Suícidio, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 63
Palavras 579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi gente, aqui estou eu novamente com mais uma anotação.
Pra quem não sabe o soju 소주 é a bebida alcoólica mais popular na Coréia
No fundo do meu coração eu espero que estejam gostando sz
Agora deixa de enrolação e bora pra anotação
~Filha de Yoonmin

Capítulo 7 - Anotação Azul 04


Fanfic / Fanfiction Our Times Happy (Yoonmin) - Capítulo 7 - Anotação Azul 04

"Se tratar alguém como monstro, ele vai se tornar um monstro"

Anotação Azul 04

Depois que as aulas terminaram, fui para casa e encontrei meu pai comendo um macarrão instantâneo ao lado de meu irmão. Quando encontrei Wonpil adormecido no canto do quarto ao lado de várias garrafas vazias de soju, seu corpo estava febril. Tentei acordá-lo sancundido-o, mas ele só conseguia gemer baixo.

 

 

-Papai, Wonpil está doente. Ele está ardendo em febre.

 

Meu pai despejou soju em uma tigela de metal, tomou um gole e me encarou com os olhos injetados, sem dizer nada. Olhando para trás agora, será que posso realmente dizer que meu pai estava vivo naquela época? Desde meu primeiro minuto de vida, nunca consegui olhar para ele sem sentir terror e sem estremecer de medo, mas, apesar disso, já havia tempo que tinha aprendido truques do diabo naquele inferno.

 

-Papai vou comprar mais soju pro senhor. Seu estoque está zerado. Vou correndo até a loja.

 

Ele puxou uma nota de 500 wons do bolso da sua calça suada e me entregou o dinheiro. Corri. O remédio de resfriado que mamãe costumava comprar - o único pensamento em minha cabeça era que eu tinha de comprar aqueles comprimidos pequenos que vinham em um frasco.

 

A chuva havia parado, e o mundo estava inundado com a luz da primavera. Até hoje não sei por que aquele verde deslumbrante em toda parte me afetou tão profundamente enquanto eu corria até a farmácia. Por um bom tempo depois disso, sempre que via os diferentes tons de verde que tingiam as montanhas na primavera, era dominado por uma tristeza inexplicável. Os habitantes da vila me observaram casualmente à distância enquanto eu passava correndo. Usei o dinheiro para comprar o remédio para resfriado e voltei para casa.

 

Assim que meu pai viu o frasco de remédio em minha mão, seus olhos faíscaram. Ele arrancou o frasco de mim e começou a me bater. Fui agarrado por suas mãos fortes e jogado na madeira da estreita varanda. Se não fosse por Wonpil, eu teria fugido. Não sabia para onde, não sabia se havia algum lugar no mundo para onde eu pudesse fugir, mas provavelmente era o que eu teria feito. Cada vez que o punho de meu pai me acertava, chamas pareciam sair dos meus olhos. Então desmaiei. Quando acordei, a vizinha estava nos alimentando, dando uma porção de sopa para mim e para meu irmão. Ela me falou que havia guardado um pouco de um remédio feito por um curandeiro da região, com o qual medicou Wonpil. Meu pai estava desmaiado de tão bêbado e eu podia ouvir murmúrios preocupados dos vizinhos vindo da varanda ao lado.

 

Wonpil estava adormecido debaixo de um cobertor. O quarto tinha sido arrumado. Os lábios e as bochechas dele estavam corados, e meu irmão ficava murmurando algo. Eu não queria ouvir o que ele estava dizendo. Eu também queria chamar nossa mãe. Queria perguntar por que ela tinha nos deixado para trás. Várias noites se passaram, e, então, a manhã veio. Acho que era o terceiro dia. Decidi ir à escola, então fui ver como Wonpil estava. Sua febre tinha cedido.

 

Seu cabelo escuro estava úmido se suor e grudando na testa pálida. Depois de um momento, seus olhos abriram e ele falou:

 

-Yoongi a casa está cheia de fumaça. Cheia de fumaça.

 

 

 Depois daquele dia, os olhos de Wonpil não conseguiam distinguir nada além de uma fraca luz. Meu irmãozinho tinha ficado cego.

 

 


Notas Finais


~~BULTAORENUE
Me desculpem qualquer erro
Pelo amor de Min Yoongi comentem o que estiverem achando, é muito importante a opinião de vocês
E se possível divulguem essa fic♡ amo vocês tá
~Filha de Yoonmin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...