História Over And Over, again - Capítulo 22


Escrita por: e Morningsztar

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Violette
Tags Banda, Drama, Lysandre, Romance, Teatro
Visualizações 44
Palavras 3.810
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tenham uma boa leitura <3

Capítulo 22 - Grateful with details


Fanfic / Fanfiction Over And Over, again - Capítulo 22 - Grateful with details

10:40 AM

- Jeniffer. Temos que subir, a aula já vai começar - Sou acordada com o Lys falando baixinho.

- Eu não quero ir pra aula - eu resmunguei. Aqui estava tão bom, não queria sair daqui tão cedo.

- Mas... Tudo bem então - ele concordou, tirou uma pequena flor amarela e colocou atrás da minha orelha - Agora está perfeita! - ele diz sorrindo me olhando. Lysandre só podia ser um anjo, não é possível.

A aula era de inglês e ai mesmo que eu estava nem ai para a aula, mas me preocupava com Lysandre.

- Como foi ontem? - ele perguntou fazendo carinho em uma das minhas bochechas avermelhadas.

- De manhã eu fui lá em I'Élysée. O cara que me apresentou o teatro era um aluno da minha antiga escola, lá na Inglaterra. Nos demos super bem. - Enquanto eu dizia, as lembranças de ontem vieram como se fossem imagens na minha mente.

- Você se dá bem com todos, não tem como alguém não gostar de você - disse ele. Os olhos dele me deixavam hipnotizada.

- Está me deixando constrangida - falei agora virando meu rosto para a grama.

- Okay, irei parar. Quando vai começar suas aulas lá no teatro?

- Amanhã - ele ficou com uma carinha de espanto - Sim, pois é, assim mesmo. Mas foi o que Lorenzo disse, eu não preciso de muita preparação - falei por fim.

[...]

Íamos embora eu, Castiel e os gêmeos Alexy e Armin. Foram as únicas pessoas que eu havia encontrado para ir embora.

- Menina, o que você acha da gente ir lá no barzinho do meu crush? - Alexy perguntou enquanto eu subia para a calçada.

- Seu crush não era o Kentin? - eu perguntei rindo e o olhando. Castiel e Armin se aproximam de nós dois.

- Você esqueceu que ele tem centenas de "crushs" - Castiel disse também rindo e colocando bastante ênfase no "crush".

- Você é inclusive um deles - Alexy falou dando uma piscadinha pra ele, isso fez com que eu começasse a rir mais. Castiel fingiu ficar bravo mas não conseguiu conter a risada. Até Armin ria com a gente.

- Sai pra lá, Alexy - Castiel falou.

- Castiel é muito babaca. Não sabe o que perde - eu disse só para deixar ele com raiva, porém, eu não consegui dizer aquilo sem rir. Quando eu finalmente consegui me controlar com os meninos, prossegui - Enfim, acho que seria legal, de tarde a gente conversa sobre isso e vê quem pode ir.

- Okay! - agora a gente já se encontrava em frente ao meu apartamento e de Castiel.

- Até amanhã, garotos - digo dando um abraço em cada um dos gêmeos, Castiel fez um "toca aqui" com eles e entramos.

- Quer almoçar lá na minha casa? - Castiel pergunta assim que as portas do elevador se fecham.

- Pra mim provar a pior comida do mundo? Ah não, não estou afim - eu digo sorrindo ironicamente, o ruivo fez uma cara não muito agradável.

- Não convido mais - ele diz e cruza seus braços.

- To brincando - falei dando um soquinho em um dos seus braços - só vou tomar um banho, com isso você tem um tempinho para arrumar a casa.

- Qual é? Me arrependi de ter te convidado - as portas do elevador se abrem.

- Desculpa - digo ainda sorrindo. Uma das melhores coisas era irritar o Castiel.

O mesmo entrou para seu apartamento e eu segui para o meu. Como esperado, não tinha ninguém. Fui para meu quarto e lá mesmo, tirei toda minha roupa e entrei em meu banheiro.

Tomei um banho rapidamente e coloquei meu traje casual, essas peças são muito confortáveis.

Apertei a campainha, não demorou muito para Castiel atender.

- Oi miga, quanto tempo - ele diz e da dois beijinhos em minha bochecha, imitando aquelas patricinhas de filmes americanos.

- Meu deus Castiel, que vergonha! - eu digo rindo ali na porta.

- Você só está me ofendendo hoje, pode entrar se é que você estava esperando um convite - ele deu espaço para mim entrar.

Era algo totalmente ao contrário que eu imaginava vindo de Castiel. Tudo estava em seu devido lugar, bem arrumado. A sala estava impecável com uma decoração moderníssima. Paredes em preto e branco, com enfeites de instrumentos, principalmente a guitarra. Não demorou muito para encontrar a guitarra com os olhos.

- Você toca guitarra? - perguntei ainda parada na sala. Ele caminhou para sua cozinha americana, então não o perdi de vista.

- Não, está ai apenas de enfeite - ele disse me olhando com um sorriso babaca.

- Idiota - digo.

- Pode se sentar - falou. Eu me sento no sofá de frente para a sua grande televisão. Eu afundei naquele sofá.

- Dragon... Volta aqui seu danadinho - eu ouvi Castiel dizer lá da cozinha. Eu fiquei olhando para ele, até ouvir um latido de cachorro?

- AU AU AU - eu levei um susto quando o cão preto pulou em cima de mim.

- DRAGON! - Castiel veio correndo até nós dois. Ele tirou o cachorro de cima de mim.

- Por que tirou ele? - perguntei me ajeitando no sofá e tirando o pelo de cachorro da blusa que eu vestia.

- Porque ele poderia te machucar - ele falou ainda com o cachorro no colo, deveria ser bem pesado, pelo seu tamanho. Agora reparando, ele ainda abanava o rabo, era um Pastor de beauce.

- Ele estava me lambendo, pode deixar ele aqui - falei acariciando sua pelagem. Ele chegou fechar os olhinhos enquanto eu fazia carinho.

- É muito raro o Dragon não querer partir pra cima de alguém - ele colocou o cachorro ao meu lado. Antes dele voltar para cozinha, ele respirou forte em meu pescoço, isso me arrepiou toda.

- P-por que fez isso? - perguntei levemente com vergonha.

- Seu cheiro é doce, ele gosta de doce - o ruivo falou e voltou a caminhar para a cozinha.

Enquanto ele fritava algo, eu fiquei enchendo o Dragon de carinho, até ele pegar em um sono ali mesmo no meu colo.

- Estou com ciúmes - Castiel disse chegando com um grande prato cheio de batatas fritas.

- Ciúmes de mim? - perguntei. Castiel se sentou ao meu outro lado, começamos a comer o que tinha naquela prato.

- De você? Óbvio que é do Dragon - Castiel disse sorrindo maliciosamente.

- Mais um motivo para te odiar, agora está adicionado em minha listinha de coisas que eu odeio em ti - falei rindo com ironia, mais uma vez.

[...]

- Alexy: vcs já estão arrumados né? NÉ?

- Iris: Eu e a Kim já vamos sair.

- Castiel: af, vocês não deixam o rabo quieto.

- Rosa: ai Castiel, você só reclama, puta merda.

Eu lia as mensagens do grupo que a Rosa tinha me colocado, era só risos mesmo.

- Alexy: Jeniffer, você vai no barzinho né?

Era o que me faltava, sobrou para mim. O que eu diria?

- Jeniffer: eu nem sei onde é o lugar.

- Rosa: Se o Castiel for, vai com ele.

Bem, agora eu não tinha mais desculpas. Eu só estava com preguiça de me arrumar. Como eu iria? Eu não sei como é lá.

Bem, é apenas um barzinho. Vou tentar algo básico.

Andei até meu banheiro e lá comecei a fazer uma maquiagem leve, apenas destacando os olhos. Agora eu entrava em meu closet procurando algo que poderia me servir.

Depois de minutos e minutos, o que provavelmente estava atrasada, eu finalmente havia escolhido um vestido. Ele era um vestido preto, ele ficava um pouco mais acima da metade da minha coxa, sem nenhum detalhe, porém bonito e suponho que seja o mais adequado para essa noite. Optei também por uma sandália sem salto. Coloquei meus assessórios, dentre eles, uma gargantilha preta fina, pulseiras e um anel que eu havia ganhado do meu pai com meus quatorze anos. Meu relógio já marcava sete e quinze, hora que todos já estavam lá. Antes, claro, mandei mensagem para Castiel pedindo para me esperar.

- Vai a onde com essa roupa? - Scott perguntou me olhando de cima a baixo.

- Estou bonita? - dei uma voltinha. Admito que ele valorizava bastante minhas curvas, marcando bem minha cintura e deixava aparecer bastante minhas pernas.

- Sim, claro - ele diz sorrindo - Vai sair com o... Lysandre? - Eu fiquei levemente avermelhada.

- Não não, sair com meus amigos. Sabe se mamãe está em casa? - perguntei

- Está em seu quarto.

- Obrigada. Até mais tarde - digo beijando sua bochecha e indo em direção ao quarta da minha mãe.

- Cuidado, qualquer coisa me liga - eu concordei. Dei duas batidinhas na porta antes de entrar.

- Vai para onde? - ela pergunta. Me sento ao seu lado na cama.

- No barzinho com meus amigos da escola - eu digo sem olhar em seus olhos.

- Tudo bem. Mas precisamos conversar - eu penso comigo se já era tarde, porém, eu deveria resolver logo com ela - Como você sabe, eu me arrependo muito do que tinha acontecido no passado. Por nunca ter sido uma boa mãe para vocês. Eu me sinto muito culpada por isso, e eu quero me desculpar. Você e Scott tinham razão, vocês tem motivos para não gostar muito de mim, entendo o lado de vocês. A relação que temos é totalmente culpa minha. Eu me sinto um ser humano horrível de ter feito isso com vocês no passado - as lágrimas delas já saíam dos seus olhos e escorria pela seu belo rosto. Eu estava calada apenas escutando - eu só quero pedir perdão. E bem, como vocês estão vendo, eu estou tentando mudar desde de que se mudamos para cá. Eu espero que agora, você se coloque em meu lugar e me entenda.

Eu estava sem palavras. Não sabia o que fazer a não ser ficar quieta. Eu não sei se eu deveria desculpa-la assim, de um dia para outro e agir como se nada tivesse acontecido ou simplesmente aceitar e começar uma relação nova. Tem a opção de responder mais tarde?

Após um longo tempo sem dizer uma palavra, eu digo:

- Você é a minha mãe. Todos nós precisamos de segundas chances. Porém, não ache que depois disso eu vou agir como se nada tivesse acontecido. Você vai ter que demostrar confiança. Uma relação é composta de disso. Não podemos fazer algo forçado, entende? - ela assentiu. Dei um leve sorrisinho - acho que agora, você também deveria conversar com Scott - Eu acariciei sua mão e saí dali.

- Estou indo - Castiel gritou do outro lado da porta de seu apartamento, depois de alguns segundos, ele abre a porta - estava pegando os capacetes - completou me dando um beijo na testa - Você até que está bonitinha - ele me olhou de cima a abaixo. Ele trajava uma blusa social preta com as mangas levantadas, uma calça jeans rasgada e um sapato também preto. A melhor parte do seu look, era seus cabelos amarrados em um coque.

- Não sabia que íamos de moto - digo e olhamos para baixo, eu estava de vestido.

- Já estamos atrasados, a não ser que você queira que a gente chegue mais tarde ainda - ele diz entregando um dos capacetes - aliás, ninguém vai querer olhar pra sua calcinha, que horror - eu já estava acostumada com ele. Nem me afetava mais suas palavras. Acho que a única alternativa que me restava, era aceitar.

Do estacionamento fomos até o bar que o pessoal marcou. Castiel não exagerou na velocidade por pedido meu. Chegamos em torno de cinco minutos. O ruivo estacionou a moto em um estacionamento ali perto e fomos andando até o bar na tentativa de encontrar o pessoal, eu não fazia ideia de quem iria. Nós dois entramos no local, para uma segunda feira, o estabelecimento estava bem cheio.

- É sempre assim aqui? - perguntei no ouvido de Castiel pois o som ambiente estava um pouco alto.

- Nem sempre - ele respondeu.

- Uau - Rosa diz assim que conseguimos achar a turma. E que turma. Estava todo mundo ali, Rosalya, Alexy, Iris, Kim, até a Violette, Armin, Kentin, Leigh e seu irmão. Todos eles estavam bem vestidos, na mesma altura que eu, agora eu não me sentia exagerada - vocês estão lindos - Rosa disse para nós dois. Eu agradeci com um sorriso e Castiel convencidamente.

Estávamos ocupando a maior mesa, aliás, éramos mais que dez pessoas. No local, a gente estava meio perto do palco onde uma cantora, segundo Alexy, ela era da região. Eu não a conhecia mas deixava um som muito agradável no lugar. O clima estava muito bom, não era muito animado, nem muito triste, e sim na medida certa.

Um jovem garçom veio até a nossa mesa perguntar se desejávamos alguma coisa.

- Vamos querer cinco doses de tequila - Rosa diz, suponho que seja para ela, Alexy, Kim, Kentin e Iris. Não sei se Leigh bebia - três batidas de morango sem álcool...

- Quatro - Castiel pediu. Ele não iria beber nada alcoólico? Oi?

- O que vocês dois vão beber? - Rosa perguntou se referindo para mim e Armin que estava ao meu lado.

- Vinho? - perguntamos juntos e começamos a rir - bem, dois vinhos tinto - digo. O garçom se retirou com os pedidos e agradecemos gentilmente.

- Eu não faço ideia do que eu to fazendo aqui - Armin cochichou pra mim - eu fui arrastado pelo Alexy.

- Somos dois - falei rindo levemente. Eu e Armin ficamos conversando entre nós enquanto o pessoal conversava sobre assuntos no qual, eu não me interessava. Meu celular vibrou, peguei ele dentro da minha pequena bolsa que tinha apenas meu batom nude e coisas pessoais minhas.

- "A mamãe está passando mal, vomitando. Se você chegar em casa e não estivermos, eu levei ela ao médico." - leio a mensagem mentalmente e fico quieta. Será que aconteceu algo com? Por minha culpa? Agora estou preocupada.

- Tudo bem? - Castiel percebeu minha feição de desanimo, eu afirmei com um sorriso. O garçom chegou com todos os pedidos, eu imaginei se ele tivesse deixado algum cair as bebidas e... Eu iria rir, infelizmente. As bebidas alcóolicas eram realmente do pessoal que eu havia imaginado e as batidas para Lysandre, Leigh, Castiel e Violette.

- Eu não posso pilotar embriagado - Castiel disse e eu peguei meu vinho e de Armin, o entreguei.

- Realmente - digo. Rosalya se levantou para dizer algo.

- Agora um brinde para eu e meu amor que fizemos um ano de namoro ontem - e todos nós brindamos juntos sorrindo. Leigh deu um beijão nela, que amorzinho.

- Viva ao amor - Alexy disse sorrindo e logo após deu um grande gole em sua bebida.

Fiquei dando leve golinhos em meu vinho quieta e ouvindo a garota cantar enquanto o pessoal conversava. Eu não estava muito no clima para conversa e me socializar. Estava ansiosa com as aulas amanhã no teatro e preocupada com o que tinha acontecido com a mamãe. Eu levantei e fui a procura de um banheiro, aquela barulho não estava me fazendo muito bem. Eu não conseguia achar o banheiro, eu só queria um lugar com menos pessoas.

- Calma - uma mão agarrou meu pulso gentilmente impedindo que eu andasse. Me virei e vi que era Lysandre, o mesmo automaticamente me soltou - está procurando algo? - eu concordei indo para o seu lado. Eu estava com vontade de chorar e eu não sabia o porquê, talvez seja pela minha TPM? Eu ficava muito fragilizada nessas semanas - Vem, eu te levo - como havia bastante pessoas ali, fiquei com medo de perder Lysandre de vista. - espero que não se incomode - ele disse e colocou um de seus braços em torno da minha cintura enquanto caminhávamos.

Entrei no banheiro, e pela minha sorte, não havia ninguém ali, eu tentei lavar meu rosto sem desfazer minha maquiagem. Foi apenas uma água para mim esfriar um pouco a mente. Lysandre me esperava do lado de fora do banheiro, eu sorri quando o vi que me esperava.

- Pensei que tinha ido embora - digo. Começou a tocar uma música mais lenta, bem romântica. Alguns casais começaram a se unir e dançar lentamente, isso foi tão lindo.

- Me concede essa dança, senhorita? - ele perguntou com um sorriso encantador. Alguém me explica como eu conseguiria dizer um "não"?

- Claro - essa foi minha resposta. Ele pegou em minha mão delicadamente e ali mesmo começamos a dançar lentamente. Com suas mãos firmes em minha cintura e as minhas envolvendo seu pescoço, eu evitava olhar-lo nos olhos por vergonha.

- Eu não iria embora sem ao menos ter certeza que você está bem - Lysandre disse tentando olhar em meus olhos, não relutei muito e o encarei.

- Foi só um mal estar - eu falei forçando um sorrisinho. Oficialmente não conseguia mentir para ele. Eu me sentia culpada se eu não contasse a verdade para ele. Como se eu fosse mal agradecida.

- Não é apenas isso - ele falou convicto. Agora eu reparava que até alguns de nossos amigos dançavam. Iris e Castiel, Alexy e Kim, o resto preferiu apenas ficar olhando. Enquanto Rosalya dançava com seu namorado, eu fiquei na reta com ela, de longe. A cara maliciosa de Rosa me deixava constrangida, ela disse algo para Leigh que fez ele também olhar para direção minha e de Lysandre.

- Está vermelha. Aconteceu algo? - o platinado perguntou me observando. Apesar de amar o olhar dele sobre mim, isso estava piorando as coisas, pois eu estava ficando mais envergonhada do que já estava.

- A Rosa e o Leigh - falo como se fosse óbvio, pela minha sorte, ele entendeu o recado e também ficou levemente envergonhado.

- Já estou acostumado - ele falou. Eu repousei minha cabeça em seu peito e fechei os olhos. Sentir a música e deixar ser levada era uma das melhores coisas, ainda mais com alguém que você se sinta bem. Isso sim me acalmava.

- Lys, é sobre minha mãe - Por mais que eu tentasse me distrair com ele, era inevitável não pensar nas preocupações. Agora eu olhava em seus olhos. Ele estava atento para me ouvir - nós duas acabamos discutindo domingo sobre o teatro e como sempre, a discussão parou no passado e vamos dizer que... Eu passei um pouco dos limites - ele concordou ouvindo tudo - antes de eu vir pra cá, ela pediu desculpas de coração a mim. Mas eu não sei se consigo confiar ou esquecer tudo. Tenho medo de agir com ela do mesmo jeito que antes e acabar machucando ela. É tudo tão novo, eu nunca tive uma relação de mãe e filha, entende?

- Entendo. Mas olhe, não é esquecer tudo ou não aceitar as desculpas. Você está dando uma segunda chance, sabe o que significa? - eu neguei. Eu realmente não sabia - É como se você estivesse recomeçando tudo de novo, porém, sem esquecer as coisas do passado, uma junção das duas coisas. Você deve se entregar de coração para isso. Você irá ir, mas com um pé atrás, tu não sabe se deve confiar. Mas calma, eu tenho certeza que vocês vão conseguir ter uma boa relação. Vocês apenas devem se entregar de alma - eu sorri com isso.

- Você é meu melhor confidente. Obrigada - digo com um sorriso em meu rosto. Ele dá um beijo em minha testa. E mais uma vez, eu o agradeci mentalmente - mas Lys...

- Hum? - ele estava apoiado em minha cabeça.

- A minha mãe está passando mal. Tenho medo de ter sido minha culpa.

- Você não acha que está se preocupando muito? Ela irá ficar bem e provavelmente não foi por sua causa - ele diz me encarando. Como eu sou agradecida de tê-lo.

- Espero que você tenha razão - ficamos dançando mais um pouco. Todos os casais estavam apaixonados, uns trocando carícias e beijos. Eu admito que eu amava um romance, era admirável.

- Você está muito bela por sinal - Lysandre falou enquanto eu sorria bobamente.

- Obrigada, você também está - agradeci sorrindo ainda. Lysandre me fazia sentir muito especial em relação a essas coisas, pois por mais que você esteja ciente disso, um elogio ou uma carícia, te deixa sentir muito linda.

Nossos corpos estavam colados, eu ouvia seu coração bater freneticamente. Nós dávamos apenas pequenos passos para nossa esquerda e direita. Era algo simples e único. Por um momento, eu esqueci de todos problemas que eu teria que resolver. E como em todo início, tem um fim. A música finalmente havia acabado e foi substituída por uma animada do momento.

- Vamos, o pessoal já deve estar preocupado - Lysandre falou se afastando levemente de mim, sem ter tirado suas mãos da minha cintura.

- Mas a Rosa sabe que estamos aqui - falei. A gente começava a caminhar em direção a nossa mesa. Rosa, Alexy e Ken estavam dançando não muito longe da nossa mesa. Eu me sentei e ali eu fiquei inquieta.

- Acho que vou embora, não estou me sentindo bem - eu falo baixo para Castiel que estava ao meu lado. Ele curtia a música apenas balançando a cabeça e mexendo em seu celular. O ruivo tirou sua atenção rapidamente para mim, sua expressão era de preocupado.

- O que você tem? - ele perguntou guardando seu celular e dando sua atenção totalmente para mim.

- Dor de cabeça, mal estar, não sei se vou agora - eu disse indecisa. Eu não queria desfazer daquele encontro, Rosa ficaria chateada. Mas também, eu não queria ficar aqui.

- Bom. Quando você ir, me avisa que assim, eu te levo rapidinho de moto e volto - ele disse e deu um beijo na minha testa antes de sair - já volto.

- Obrigada, irei avisar - respondi sorrindo.

Como eu estava observando tudo que acontecia naquele lugar, percebi que após a saída de Castiel, Iris não demorou muito para sair também, e pela mesma direção que ele tomou. Parecia que a cada minuto que se passava, eu me sentia pior. Era como se tivesse uma pressão na minha mente, um nó na garganta e um enjoo no meu estômago que provavelmente era a causa da ansiedade. Agora eu estava decidida.

- Eu vou ir gente, não to me sentindo muito bem. Informem a Rosalya, por favor.

Eu levanto a procura de Castiel, ele nem me avisou onde iria e se iria demorar. Eu procurei alguns minutos até achar ele com a Iris, melhor, aos beijos com a Iris. Dois lindos ruivos se beijando em uma parte que também havia alguns casais dando amassos. Um local mais reservado, digamos assim.

Eu percebia o quão eles se entregavam aquilo, com toques mais ousados da parte dos dois. Uau.

Não iria interromper os dois, obviamente. É normal se sentir pior ainda? Eu me sinto como se estivesse sido trocada. Ele poderia me avisar pelo menos, assim eu poderia mentalmente aguardar mais um pouco.

Eu saí dali o mais rápido possível sem que nenhum casal notasse minha presença, até alguém colocar a mão no meu ombro.


Notas Finais


Até a próxima meus amores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...