História Overcoming - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Divergente
Personagens Andrew Prior, Beatrice "Tris" Prior, Caleb Prior, Christina, Eric, Ezekiel "Zeke" Pedrad, Marcus Eaton, Max, Natalie Prior, Personagens Originais, Shauna, Tobias "Quatro" Eaton, Tori Wu, Uriah, Will
Tags Amor, Beatrice Prior, Luta, Quatro, Romance, Shailene Woodley, Superação, Theo James, Tobias Eaton, Tris Prior
Visualizações 114
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


SEXTOOOOOU!

Iiiialaaaa!

E aí, meus amores?! Tudo bem??
Eu espero que sim❤

Eu cheguei com mais um capítulo 🌚🌚
Há!
Porque hoje é o que???

D
I
A

D
E

M
A
L
D
A
D
E!!!!!

💥💥💥💥
Muita maldade🌚🌚💥🔫

Eu queria tanto falar, mas não quero dar spoiler.

Esse é um dos típicos capítulos em que a Grazi vai querer me matar😂😂😂😂😂

Mas eu não vou falar mais🤐🤐

Quero agradecer pelos comentários ❤ muito obrigada, suas lindaaas❤❤😍
Obrigada também pelos favoritos, sejam muito bem vindos os novos leitores(as) ❤❤

Bom, eu espero que gostem do capítulo ❤

Boa Leitura ❤

Capítulo 8 - Capítulo 8


Acordo tarde e no horário de me arrumar para festa da Tori, mas antes que eu possa cogitar não comer nada para não perder tempo, meu estômago ronca alto, e eu acabo cedendo.

Escovo meus dentes e desço as escadas como um furacão, colocando no meu prato algumas coisas preparadas para o almoço, já que o meu despertador biológico estava cansado o bastante para não me acordar antes do horário da refeição.

Me sento à mesa e começo a comer rápido, mas faço uma careta quando sinto meu estômago doer.

— Vai acabar passando mal assim, querida. Coma com mais calma. — minha mãe sorri, atravessando a porta da garagem e para ao meu lado, acariciando meus cabelos.

— Verdade, mãe. Já estou passando. — coloco minha mão sobre a barriga e minha mãe ri.

— Agora coma devagar. — ela pisca e se afasta, indo até a cozinha.

Como mais devagar e logo termino. Me levanto, levando o prato até a pia, lavando-o e guardando-o após secá-lo.

— Onde a senhora estava? — questiono secando minhas mãos no guardanapo.

— Apenas arrumando algumas caixas na garagem. Seu pai vai fazer mais uma doação, separe suas roupas. — pede com a voz abafada por estar procurando algo dentro da geladeira.

— Eu separei na semana passada, mãe. Está lá no meu armário, peço para Caleb pegar para mim quando chegar. Agora preciso me aprontar.

Subo para o meu quarto correndo e tendo certeza que estou atrasada, ou quase. Tobias chega às cinco horas, já são duas, se eu me demorar mais não vai dar tempo.

Tomo um banho rápido, lavando meus cabelos e não demoro a sair e me enrolar no roupão. Já no quarto, seco os meus cabelos com o secador e faço um coque forte no topo da cabeça.

Faço uma maquiagem em tons mais quentes, para realçar os meus olhos. Coloco um brinco mediano, algumas pulseiras e um colar pequeno.

O vestido que eu escolhi é branco, preso ao corpo até a cintura, onde abre em uma saia rodada, na parte do busto o decote delineia meus seios pequenos em formato coração, uma renda florida, bege, detalha a parte da frente, apenas até a saia.

Solto meus cabelos do coque, que caem em ondas grandes, e eu apenas modelo mais com o difusor, e um fixador.

Coloco um sobretudo bege grande e rodado sobre o vestido, porque apenas com ele eu jamais aguentaria nesse frio e finalizo com um perfume.

Desço as escadas devagar e assim que entro na cozinha meus pais e Caleb me olham sorrindo.

— Nossa, que linda! — Caleb.

— Obrigada. — cumprimento-o com um abraço.

— Qual vestido colocou, querida? — minha mãe pergunta e eu abro o sobretudo e ela sorri em concordância — Está linda!

— Obrigada, mãe.

— Está realmente linda, querida. Por favor, tome cuidado. — meu pai diz e beija a minha testa com cuidado.

Sorrio para todos e pego uma barrinha de cereal, depois de comer, escovo meus dentes e passo um batom nude. Não demora para eu ouvir a buzina de Tobias depois disso. Me despeço dos meus pais e Caleb, pego o presente, borrifo um pouco mais do perfume e saio de casa, indo em direção ao carro.

A tarde está fria, assim como a de ontem, o que me faz estremecer.

Quando olho em direção ao carro tenho uma insana vontade de parar e admirar, mas para não me envergonhar, olho rapidamente enquanto me aproximo dele.

Tobias está lindo. Ele traja um smoking preto e uma gravata borboleta, o cabelo penteado, deixando-o com um ar sério, mas assim que sorri para mim, esse pensamento de seriedade se esvai.

Me aproximo devagar e ele coloca a mão dentro do carro pelo vidro aberto e de lá tira um buquê de rosas azuis, me surpreendendo.

— Você está linda. — sorri me entregando o buquê. Estou surpresa. Nunca havia recebido um buquê.

— Tobias! — sorrio, ainda surpresa — Obrigada.

Sinto o perfume de Tobias de longe me embriagando e quando passo meus braços por seu pescoço, abraçando-o forte contra mim as coisas só pioram.

— Gostou? — pergunta olhando para as flores, mas logo volta seu olhar para mim.

— São lindas. Eu amei. — beijo a sua bochecha, assim como na noite anterior, demoradamente, sentindo sua barba bem aparada fazer cócegas em meus lábios.

Tobias assente e abre a porta da frente para mim, entrando no carro em seguida.

Seguimos caminho rumo ao local da festa, e percebo os frequentes rápidos olhares de Tobias em minha direção, até que ele para no sinal e o seu olhar torna mais demorado.

— Está tão linda. Não que já não seja, é que... — se atrapalha um pouco em suas palavras, me arrancando um sorriso.

— Você também está lindo. — e cheiroso.

Com um sorriso tímido, volta a dirigir após o sinal abrir.

O resto do caminho é curto, não demora para chegarmos no salão.

Vários carros já estavam no estacionamento, e a movimentação no local está grande. Tobias me ajuda a descer do carro e pega o buquê que me deu, puxando duas rosas. Uma delas ele coloca no bolso de seu smoking, e a outra no bolso do meu sobretudo, próximo ao quadril. Ele sorri com um olhar encantador e beija a minha testa.

Tobias toma minha mão entra as suas e me ajuda a andar até a entrada, já que o chão do estacionamento é de pedra.

Assim que entramos, damos os nossos nomes e logo depois de passar pelo grande arco de bexigas brancas e douradas, um fotógrafo pede para posarmos para uma foto.

Tobias, que antes estava com o braço entrelaçado ao meu, passa a mão por minha cintura, e eu sorrio para câmera.

Depois de tirada a foto, eu e Tobias fomos atrás da aniversariante.

Tori estava perto de uma grande mesa, conversando com umas garotas e assim que nos vê, abre um sorriso ainda maior do que já portava.

— Beatrice! Que bom que veio! Olha só para você. Você fica linda com as roupas de ginástica e fica ainda mais linda assim. Olhe só! — me abraça forte e eu rio de seu comentário.

— Obrigada. Meus parabéns! — abraço-a mais forte e ela agradece, entrego seu presente e ela me dá outro abraço.

— Obrigada, Beatrice! Muito obrigada por ter vindo também, é um prazer te ter aqui comigo. — ela diz carinhosa, me fazendo sorrir ainda mais.

— O prazer é todo meu.

— Oi, Tori. Eu estou bem e você? — ela bufa, rindo do comentário do primo e o cumprimenta com um abraço e Tobias, assim como eu, lhe entrega o presente.

— Meus pais já chegaram? — Tobias pergunta.

— Uhum! — coloca a mão sobre a boca por estar comendo — Naquela mesa lá. Pega um salgado, Tris.

— Eu logo pego, obrigada.

Tobias agradece a informação e me conduz até próximo da mesa de seus pais, e querendo ou não fico um pouco nervosa para conhecê-los, mesmo que eu e Tobias não tenhamos nada.

Quanto mais nos aproximamos, mais me fica nítido quem estava sentado à mesa. Semicerro meus olhos para ver se estou enxergando direito e aperto-os para ter certeza que não estou vendo coisa. Pisco com força e esfrego-os levemente com a mão livre, na esperança de não ver o que realmente eu achei que tinha visto. Doce inocência Beatrice.

Flashs me vêm à mente, me fazendo recordar de seus traços.

Quando constato realmente o que vi, meus pés travam, meu corpo entra em estado de alerta, meu coração acelera e eu começo com um tremelique. Meus olhos começam a arder e marejar e eu me vejo sem saída, em extrema agonia, a qual não esperava e nem estava preparada para sentir.


Notas Finais


Eu não tenho nada a declarar😂😂😂
Como eu sou uma pessoa muito boa e amável, eu vou postar mais de um essa semana para não deixar vocês curiosas, viu?!
Mentira😂
Não, brincadeira, eu posto sim😉

Eu espero que tenham gostado❤
Deixem bastante comentários aí para mim, sim?!🙏

Não esqueça de apertar no ♡ aqui em baixo, para ele dicar assim ❤

E foi isso, meus amores.
Eu desejo uma ótima sexta, juízo, não façam nada do que eu faria, porque hoje é dia de maldade🌚
Um bom final de semana, um grande beijo, fiquem com Deus eeeeee...

See ya💝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...