História Overdose (Markson Version) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Fluffy, Madison, Romance, Yugbam
Visualizações 343
Palavras 1.007
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Sei


Jacksom On

Mark estava extremamente sem graça depois do comentário de Jinyoung e Youngjae, eles pareciam estar especialmente tentando nos envergonhar de qualquer modo. Estávamos em uma lanchonete qualquer enquanto ouvia Jae insinuar coisas mas Mark não parecia feliz com nenhuma delas.

-Não fica assim, você não precisa levar à sério o que eles disseram.

-Você também disse que shippava. -Ele reclamou.

-Nós somos amigos, eu me shippo com você, com o Jaebum hyung, com o Jae... Somos todos amigos e você sabe, para ser um couple não precisa ser um casal. 

-Desculpe, eu não pensei nisso. -Ele sorriu amarelo.

-Casal, podem parar de falar baixo, isso é falta de respeito. -Jae reclamou e Mark corou.

-Falta de respeito por que você é um fofoqueiro e quer saber tudo o que conversamos. -Reclamei e continuei abraçando Mark mesmo percebendo sua vergonha. -Eu acho que tenho que te dar um apelido único, não quero te chamar do mesmo nome que o Yugyeom chamava.

-Meu nome não tem muitos apelidos diferentes.

-Jaebum hyung conseguiu achar um, eu também consigo. -Falei convencido e tentei forçar minha mente para algo legal.

-Jackie, por que não chama ele de Baby? Daí você vai ser o daddy dele. -Jinyoung soltou, eu engasguei com o suco e Mark arregalou os olhos incrédulo.

-Q-quê? Você está me ofendendo, eu não sou um objeto sexual e nem o brinquedo de ninguém. -Mark disse chateado e se levantou saindo.

-Você não deveria ter dito uma merda dessas hyung. -Jae comentou. -Sabe, ele tem se tornado mais frágil a cada dia.

-M-mas eu não disse de má intenção.

-Eu sei que não, vou atrás dele...acho que tá na hora de voltarmos não é? -Vimos um grupo de fãs, pareciam sasaengs pois nos seguiam de longe à um tempo. -Eu acho melhor a gente correr e se esconder por que eu não quero sair daqui faltando pedaço de mim.

Assim que falei todos saíram correndo, cada um para um lado. Eu corri até Mark e o puxei para se esconder perto de um campo de flores e me abaixei ali, ouvi elas falando mas a voz não estava perto. Suspirei aliviado quando os passos se distanciaram.

-Jackson...

-Você não precisa se preocupar com as besteiras que Jin disse, ele está acostumado a ser um tarado, isso não deve se aplicar à você.

-Nao é isso, eu gostei do apelido. -Ele mordeu o lábio nervoso e corado. -Mas é que... Eu teria mesmo que te c-chamar daquele jeito?

-É claro que não, nós não somos envolvidos sexualmente, seria estranho...mas você pode me chamar do que quiser. -Falei sorrindo e o puxei para um abraço de lado.

-Podemos voltar?

-Sim, vem. -Segurei em sua mão e saí daquele campo ainda com medo daquelas fãs aparecerem, mas ainda bem que nada aconteceu, achei o carro de Jinyoung que se desculpou com ele e ficou tudo bem. Deitei a cabeça no colo do Mark e coloquei sua mão em meu cabelo, ele sorriu e acariciou.

-Posso dizer uma coisa? -Ele perguntou baixinho e eu assenti.

-E-eu nunca fiz isso.

-O quê? Nunca fez carinho?

-T-também nunca recebi. -Ele confessou um pouco envergonhado e eu assenti levantando a mão até seu rosto e acariciei sua bochecha.

-Mas agora você vai receber até enjoar disso. -Falei sendo sincero. Como alguém pode não dar carinho ao Mark? Ele é a pessoa mais fofa do mundo, merece tanta coisa boa. Ele assentiu de leve, permaneci com a mão em seu rosto e corou, mas não desviou o olhar de mim. Algo dentro de mim se aqueceu, seu sorriso era como o primeiro raio de sol da manhã, não é intenso, nem quente demais, nem frio, ele é aquecido e simples.

-No que está pensando?

-Nada. -Falei envergonhado por ter sido pego desatento. Ouvi Jae dar uma tosse falsa, mas ignorei antes que falassem alguma piada suja. Fechei os olhos e me concentrei no carinho que Soo fazia.

-Ahn, gente, é... -Jin interrompeu e eu abri os olhos o encarando. -Eu não queria isso mas Bummie hyung me enviou uma mensagem e... alguns membros irão com a gente.

-O carro não cabe todo mundo, se você não reparou. -Comentei.

-Dois vão ter que ir no colo.

-Quem vai com a gente?

-Bummie, Jae e Bambam. -Mark ficou tenso. -Eu sei, me desculpem, não queria levá-los mas...

-Não tem problema. Você não precisa se desculpar, a culpa não é sua. -Mark disse visivelmente nervoso. Jin dirigiu até onde eles estavam esperando, pude notar que Yugyeom e Bambam largarem as mãos, como se ninguém fosse ver.

Bummie nos gritou animadamente e quase que correndo ele foi para o nosso lado para não dar espaço para os outros dois. Jin nos olhou com um sorriso idiota e meio malicioso, bufei ao ver o que ele tinha pensado e ignorei seus olhares, puxei Mark para meu colo que se aninhou no mesmo instante abraçando minha cintura. Vi Yugyeom abrir a boca e quis dar uma gargalhada, mas não tinha condições afinal, ele também poderia jogar na minha cara que estava com Bambam e eu não estava tentando provocar, só queria proteger o meu dongsaeng.

-Podemos ir? -Jin perguntou meio nervoso com a situação e todos assentimos. Jae ficou conversando com alguém no celular que logo descobri ser Jaebum, e ele dava ideias para jogar Yugyeom e Bambam pela janela e parecer um acidente, apenas ri nasalado, esses dois não tem salvação.

-Jackson... -Mark me chamou quase inaudível e eu abaixei o rosto para conseguir ouvir. -E-eu estou com sono, você me acorda quando chegar?

-Se você quiser sim, mas eu posso te levar no colo.

-N-não precisa. -Assenti e ele sorriu encostando a cabeça em meu peito e eu comecei a fazer um cafuné em seus cabelos, sentia seus pequenos dedos segurarem minha blusa por dentro do casaco, ele era fofo, tinha os mesmos hábitos de uma criança para dormir.

-Acho que eu preciso ir no hospital. O nível de açúcar no sangue hoje foi uma dose muito forte. -Jae disse risonho e Jin gargalhou fazendo Mark abrir os olhos emburrado. 

-Você acordou ele seu idiota.

-Desculpa. -Jin disse eu reclamei do barulho. Cheguei perto do seu ouvido e sussurro baixo o vendo se arrepiar e assentir ainda sonolento.

-Pode dormir meu baby.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...