História Oxford - (Gastina) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Ana, Delfina, Gaston, Jazmin, Jim, Luna Valente, Matteo Balsano, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Ricardo, Simón, Yam
Tags Amizade, Amizade Nitteo, Amor, Amor Eterno, Brigas, Caminhos Cruzados, Corações Quebrados, Duele, Felicity For Now, Gastina, Gastón Perida, Lutteo, Music (song-fic), Nina Simonetti, Obsseção, Oxford, Recordações, Romance, Saudades, Simbar, Soy Luna, Tortura Psicológica, Triangulos Amorosos, Tristeza, Xavi, Xavina
Visualizações 89
Palavras 1.247
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura, my little lovies! <3

Capítulo 2 - Chapter One - "If she had already, why could not I?"


[Gastón]

 

Hoje, precisamente hoje, eu iria começar uma nova fase na minha vida.

Seria o meu primeiro dia na tão famosamente esperada Universidade de Oxford, e eu estava mais do que animado. Era bem certo, que Oxford era incrível: havia pessoas de todo o mundo; tudo era tão surpreendentemente mais maravilhoso que o imaginado. E, nomeadamente, a escola em si era bastante impressionante.

 

Não obstante, a verdade é que, apesar disso, me magoava saber que meu melhor amigo Matteo não estaria comigo, pela primeira vez desde sempre, para viver esta grande aventura… Mas, com certeza, eu estaria fazendo amigos, quanto menos esperasse.

Não?

Pelo menos, esse era agora, meu maior desejo esperançoso.

 

Ontem, no dia das boas-vindas, conheci um rapaz chamado Franco e, sendo sincero, já gostei muito dele; a verdade é que tínhamos muitos gostos em comum.

 

Nesse preciso momento, eu me encontrava sentado em uma mesa no meio da sala. Eu acreditava que era bom começar a passar despercebido, não ser um nerd, porém, não o garoto mais popular, que na verdade, eu estava começando ficar farto, e assim, estaria ganhando popularidade relativamente razoável, com o tempo.

Em segundos que nem eu mesmo me apercebi, Franco havia chegado e se sentado ao meu lado, sendo que seu cabelo estava desgrenhado e seu uniforme estava desarrumado.

 

-Gastón, olá!- Saudou, um pouco agitado, bem pude reparar; enquanto procurava algo em sua mochila preta, que eu não fazia ideia nem me interessava propriamente, saber do que se tratava.

 

No entanto, mesmo assim, em uma também tentativa de ser simpático e puxar conversa, comentei graciosamente: - O que está havendo, Franco? Porque essa carinha de bobão perdido?

 

 

-Eu me levantei tarde…- Eu não pude deixar de rir, quando vi o rosto assustado do menino, como se tivesse roubado uma “bolachinha maria”, à bibliotecária! – Ei! Não goza! Qual é! Em casa minha mãe sempre me despertou, mais pontual irritantemente adorável que nem um despertador, e agora que eu estou aqui, eu esqueci de colocar o despertador, e ela, vergonhosamente, inclusive ainda teve que me alertar se eu não iria acabar cochilando com o costume, e me esquecendo das horas, na noite passada!

 

Abanei a cabeça, brincando: -Bem, parece que você ainda é um “menininho da mamãe”. - Eu disse ironicamente, lhe oferencendo uma leve batidinha em suas costas.

 

Apesar de aparentar ficar emburrado, ele rapidamente desviou o assunto, esperto: - Bem, parece que para você está sendo fácil se adaptar a isso, a uma nova vida.

 

- Não é uma nova vida. - Esclareci – É apenas uma nova etapa em nossas vidas, tudo ficará bem, não será tão difícil de “se adaptar”.

 

Franco bufou e depois de ajustar sua gravata preta, tirou alguns cadernos; ao qual eu claramente, sem nada para fazer, me limitei a imitar sua ação. Como de imediatamente, espontâneo, olhei para cima para ver se o professor estava prestes a chegar, antes.

Contudo, em vez disso, surgiu em nossa frente, uma menina com mais ó menos um metro e sessenta, dona de um curto cabelo castanho, ondulado, moldando toda sua face, centrando em seus olhos cor de mel, e cuja pele era extremamente branca.

Ela era bem bonita, devo confessar. Porém, meu coração, pensamentos e olhos já tinham apenas uma dona, que, modéstia à parte, era a garota mais linda que já vira na minha vida…

 

Sem contar, repentinamente, a vi sentar-se na minha frente, provocando que eu quase que obrigatoriamente sentisse o cheiro do cabelo dela… Baunilha… Realmente não consegui nem percebi, quando fui automaticamente prisionado em flashbacks da melhor época da minha vida, aquele olor puramente viciante…Realmente penetrou inúmeras lembranças, seu rosto, seu sorriso, seu cheiro…As infinitas perfeições que me apaixonavam cativantemente preso, nela…Apesar de tanto tempo…

Quando escapo, a contra-gosto, do meu paraíso secretamente parado no tempo, sinto Franco me encarar de uma maneira estranha e sem poder evitá-lo, ele tocou o ombro da garota.

 

 

-Bom dia, linda.- Ele disse, fazendo a garota se virar na nossa direção.

 

-Oi.- Exclamou ela, com um pequeno rubor dominando seu semblante facial por segundos.

 

-Qual é o seu nome? - Franco perguntou de volta, e tentei avisá-lo com olhares para ele não começar a ser estúpido.

-Lisa, e vocês? - Notei um pouco de nervosismo na voz da garota.

 

-Franco, e ele- Meu mais recente amigo tocou meu braço para que a menina colocasse sua visão em mim-, se chama Gastón e é meu novo amigo. - Lisa riu olhando direto nos meus olhos. - E nós queremos que você seja nossa amiga também!

 

 

- Claro, eu adoraria - Anuiu a garota, sorrindo para nós.

 

Seguidamente, vi Professora Melissa entrar na sala, obrigando cada um se sentar devidamente no lugar e manter todo o silêncio possível permitindo que a mesma começasse com a classe.

 

[…]

 

Quando o primeiro dia de aula acabou, nós três fomos para os nossos respectivos quartos. Logo simpatizei com Lissa também, ela era inteligente, fofa e divertida. Eu tinha conversado sobre diversas coisas com ela durante o almoço, e para falar verdade, até que gostei da companhia dos meus novos amigos.

 

Assim que cheguei em casa, fui direto para o meu quarto, jogando minha mochila verde na cama de solteiro, indo para minha mesa, e tomei o meu tablet: eu queria fazer uma chamada de vídeo com o meu irmão de peito.

 

Eu estava prestes a marcar, quando notei um novo e-mail na minha caixa de correio, entrando. Provocando de imediato, assim que li de quem era, que sentisse como se meu coração iniciasse uma chama, pronta para explodir de tanta felicidade, latindo a mil por hora, já que sem dúvida, depois de tanto tempo, essa era o presente mais perfeito que me podiam conceber.

 

 

Lentamente, abri a correspondência, cuidadosamente registrando cada pedacinho de cada uma das palavras, em meu coração.

 

 

» De: Nina - ^-^

 

Olá, Gastón, espero que você se saia muito bem no seu primeiro dia de aulas em Oxford, desejo-lhe o melhor do mundo, e que aproveite esta nova etapa da sua vida.

 

"A vida é curta demais, e às vezes queremos vivê-la ao máximo, e não nos damos conta de que, para realmente aproveitar a vida, você deve aproveitar o dia a dia, calmamente, tomar cada estágio e cada aventura que lhe é divinamente concebida."

 

Abraços…«

 

 

Sem nem reparar mas sabendo orgulhosamente, sorri bobo, ao ler o conteúdo, especialmente por ela ter terminado com uma de suas adoravelmente típicas frases de Felicity, que eu tanto amava fascinado…! A verdade é que desde que Nina começou a sair com o babaca do garoto brasileiro, ela tinha voltado escrevendo em sua conta como antes. Como é de prever, sua popularidade aumentou que nem um vulto. Era inegável: todos amavam Felicity; especialmente eu.

 

Simplesmente, eu não tinha me apaixonado eternamente bobo por aquele serzinho especial lindo inspirador que tocava os corações de todos, com apenas suas frases tão adoravelmente sábias; eu também amava perdidamente aquela garota de sonhos, por trás da máscara de Felicity, Nina. O amor da minha vida…

 

Infelizmente, todavia, já era tarde demais…

 

 

Eu estava aqui em Oxford, determinado a esquecê-la e ficar solteiro, era o que eu queria, o que menos queria era um relacionamento que fosse puro drama. E Nina...Bem, ela estava lá. E não estava sozinha, esquecera de mim e quase não falava comigo desde que saiu com aquele Xavi...

 

 

Se ela mesmo incompreensivelmente tinha esquecido de mim sem se importar com tudo o que vivíamos;

 Por que eu não conseguia fazer o mesmo?


Notas Finais


E então?! O que Acharam? Como correu diante das expectativas?! Bom? Mau? Mais ó menos? Me Digam, por favor...!
Comentem o que acharam, favoritem, deêm ideias/sugestões... Tudo será e é bem-vindo, my littles lovies! #VcsSaoMuitoImportantesParaMim #VosAmo!

By.: #GuidaCullen maltinha linda que mora no meu coração!!! Beijinhos e abraços apertadinhos! Não se esqueçam de comentar, leitores fantasminhas que eu adoro!
#Continua?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...