1. Spirit Fanfics >
  2. Paciente Dourado >
  3. Falling Apart

História Paciente Dourado - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores, como vocês estão?

Aqui estou eu, mais uma terça feira postando um capítulo fresquinho pra vocês <3

Espero de verdade que gostem!

Capítulo 5 - Falling Apart


Fanfic / Fanfiction Paciente Dourado - Capítulo 5 - Falling Apart

Capítulo Cinco-> Falling Apart

Kakashi deu uma gargalhada. Os orbes esverdeados de Sakura se arregalaram. Ela não esperava por uma coisa dessas, e simplesmente não reagiu. Esperou dois minutos ou mais para que o albino parasse de rir para então perguntar, tentando não deixar evidente a sua vontade de chorar:

-Qual é a graça?

Kakashi parecia lutar para respirar:

-Você vem aqui, fora do meu turno, quase me atropelou, pra depois dizer que está sendo traída?

-Sim... Murmurou a rosada, ponderando o quão estranho aquilo tudo era.

-Você está mesmo desesperada! Concluiu sozinho o Hatake- Por que pensa assim?

As palavras de Sakura saíram incertas:

-Já fazem...Dez anos que eu o namoro.

-Dez anos? Repetiu o Hatake- É um tempo considerável.

-Sim, e ele nunca me pediu em casamento.

-Você quer casar com ele?

-Quero! Sakura exclamou irritada

-Ele quer casar com você? Perguntou novamente o psiquiatra, e recebeu um pequeno silencio como resposta.

-Eu...Acho que sim.

-Achar não é suficiente pra você?

A rosada encolheu os ombros:

-Você faz perguntas demais, Kakashi.

-Eu faço as perguntas por que é você que deve ter as respostas, Sakura.

-Eu não tenho! Exclamou a rosada

-E quem mais teria?

-O Sasuke!     

-Se sabe disso, por que não tenta conversar com ele?

Mais um silencio. Sakura agarrou os próprios joelhos, abraçando-os.

-Eu não sei... Parece que eu estou pisando em cacos.

-Se não confia nele o suficiente, se não tem certeza que ele a ama de verdade, e não consegue nem ao menos conversar com ele, não acha que tem algo muito errado?

-Acho, mas..

-Mas?

-Sasuke sempre foi do mesmo jeito. Ele nunca muda. Ele é assim. E eu nunca me incomodei com isso, por que agora eu...

-Talvez você tenha simplesmente percebido que não é isso que você quer, mas está apegada demais a ele pra admitir isso, então, você simplesmente aceita isso, mesmo sabendo que merece coisa melhor.

-Eu não mereço coisa melhor! Defendeu-se Sakura, e Kakashi a encarou:

-Está mesmo feliz com o que tem?

-S-Sim... A voz de Sakura falhou, e ela odiou isso- Por que fala assim, como se me conhecesse? Nós só nos falamos a cada duas semanas, isso não é suficiente para que eu me torne um livro aberto em suas mãos.

-É verdade- Kakashi concordou, e isso surpreendeu Sakura- Mas só o fato de você vir me procurar em um dia que não é o usual já me faz perceber várias coisas sobre você, mas precisamente, da sua mente. Além disso já passei por uma situação parecida.

-É mesmo? A rosada perguntou, e o mais velho assentiu com a cabeça. Um silencio pairou entre eles.

-Ah, qual é. Reclamou Sakura- Me conte pelo menos isso, assim eu não me sentirei tão exposta.

-Psiquiatras não são recomendados a contar sobre seus problemas pessoais para os seus pacientes.

-Mas nós não estamos em uma consulta, você mesmo disse isso. Sakura afirmou com uma piscadela- Por favor! Não precisa contar os detalhes se quiser. Só quero lembrar que você é gente como a gente!

Kakashi suspirou:

-Está bem.

O albino direcionou o olhar para o prédio em que trabalhava.

-Rin e eu, nós... Já tivemos um lance. Ela me amava demais, e eu a considerava demais pra dizer não.

A rosada encarou o mais velho e tentou lançar o melhor olhar compressivo que ela poderia lhe dar.

-Nós namoramos por cinco anos. Rin era uma mulher muito fácil de ser amada. Eu não precisava fazer nada, ela sempre parecia estar feliz por estar comigo. Mas, amar alguém é como cuidar de uma planta. Você precisa regar esse sentimento todos os dias, para que ele cresça, caso contrário, ele morre. E eu não reguei a minha planta. Ela seguiu em frente. Simplesmente isso. Eu gostaria de ter feito mais, sabe? Ter comprado flores... Ela amava flores...

-Você ainda a ama? A rosada perguntou timidamente

-Sim, mas é um amor bom. Sabe, existem dois tipos de amor. O amor ruim é aquele que exige que seja correspondido. Ele não suporta ser trocado. O amor bom não é como o ruim. O amor bom não exige nada em troca, ele só... Ama, entende? E ele ama mais ainda quando percebe que a pessoa está feliz com alguém que é melhor do que você.

-Kakashi... Sakura murmurou, e como se fosse uma mera ironia do destino, Rin atravessou as portas do prédio, com os dedos enlaçados num jovem alto e moreno, que lembrava estranhamente  Sasuke. Ela carregava, na mão livre, um lindo buquê de lírios. Ela, ao ver os dois sentados na calçada, acenou, antes de se virar com o rapaz para o lado contrário.

Kakashi se levantou lentamente:

-Rin não precisou conversar comigo para concluir que eu não era a pessoa certa. Mas você, Sakura, tem essa oportunidade. E não deve desperdiça-la.

Sakura assentiu com a cabeça, se amaldiçoando por ter forçado Kakashi a contar sobre sua experiência. Kakashi bagunçou os cabelos rosa de Sakura, e sorriu por debaixo da máscara:
-Você saberá o que fazer.

E sumiu, andando calmamente do mesmo jeito de antes.

 

~*~

Sasuke deu meia volta, deixando todos os seus outros companheiros com um ponto de interrogação estampado na testa.

-Sasuke, volte aqui, seu idiota! Exclamou Karin com raiva- O que pensa que está fazendo?

O Uchiha ignorou o que a ruiva disse e sacou seu celular.

SASUKE: Não contou que tinha ficado famosa pela cirurgia que fez. (20:51 PM)

SAKURA: Do que você tá falando? (20:51 PM)

SASUKE: O “Oficial Sasori” está contando a todos sobre a cirurgia que você fez (20:52 PM)

SAKURA: Sasori está trabalhando no mesmo pelotão que você? Isso é tão legal! (20:52 PM)

SASUKE: Como você pode dizer que isso é legal? Ele já tentou namorar com você uma vez! (20:53 PM)

SAKURA: Por favor, Sasuke, faz mais de dez anos que isso aconteceu. Eu nem namorava com você na época! Se eu fosse surtar cada vez que uma garota se interessasse por você, eu estaria morta de estresse! (20:53 PM)

SASUKE: Por que você está me respondendo desse jeito? ((20:54 PM)

SAKURA: Não é jeito nenhum, Sasuke, é apenas a verdade... (20:54 PM)

SASUKE: Vamos conversar quando eu chegar em casa. Eu chego as 01h (20:55 PM)

SAKURA: Mas... (20:55 PM)

SASUKE: Nos vemos lá. (20:55 PM)

-Tenente Uchiha, o que está fazendo no celular? A voz autoritária do homem de cabelos alaranjados perguntou

-Sinto muito, capitão Pain, eu... Começou Sasuke

-Não quero ouvir uma palavra sequer. Você não é especial apenas por que é irmão do Sasuke. Trate de enfiar esse celular no bolso e vá fazer o seu trabalho. Da próxima vez que eu o ver mexendo no celular durante o expediente, você vai receber uma bela punição.

-Eu sinto muito, Capitão Pain. Murmurou Sasuke, colocando o celular no bolso. Ele se juntou ao seu grupo, onde Suigetsu se encontrava rindo.

-Eu tentei avisar... Começou Karin

-Cala a boca. Sasuke cortou

 

~*~

Era cerca de meia noite quando Sakura atendeu o telefone. O número era desconhecido.

-Alô?

-Oi testuda, pode falar? A voz de Ino soava urgente

-Ino? Perguntou Sakura

-Me desculpe por ligar tão tarde, eu tô te ligando do telefone do andar do UTI.

-Não se preocupe com o horário- A rosada deu de ombros enquanto enrolava o fio do telefone-Vou ter que ficar acordada até tarde esperando o Sasuke voltar, ele quer conversar.

Ino parecia áerea:

-Pode me esclarecer uma dúvida?

-Claro...

-Eu estou prestes a fazer um transplante complicado de coração e pulmão, tipo, os dois ao mesmo tempo. –Sakura podia escutar a voz de Shikamaru. Ele falava com alguém sobre os efeitos de uma anestesia raríssima, a Propofol. A que deixa o paciente completamente acordado.

Mas que raios...? Pensou Sakura

-Me dê uma luz rapidinho. Disse rapidamente a Yamanaka- O paciente está com insuficiência cardíaca, acompanhado de uma pneumonia grave.

-Ele fuma?

-Não, ele tem um tumor raríssimo que contribuiu para esse quadro.

-Mas...Como? Perguntou Sakura- Eu nunca vi nada assim em toda a minha vida!

-Eu também não, Sakura, mas não há tempo para discutirmos isso agora, qual eu tiro primeiro?

-O coração, claro! Exclamou Sakura- Se o coração morrer, todos os seus outros esforços terão sido em vão!

-Eu sei, mas.. Ino disse, prendendo a respiração- E se eu te dissesse que fiz os pré-operatórios e que eles mostraram que os pulmões do paciente não podem esperar, tipo, nem um segundinho?

-Nossa, Ino, isso é...

-Sakura- A voz de Ino parecia urgente- Eu não posso perder esse paciente.. Você não tá entendendo, eu não posso...

Não houve tempo para a Yamanaka completar. O barulho da máquina de batimentos cardíacos soou estridentemente.

Sakura se levantou num salto:

-Ino?

A ligação foi encerrada. A rosada correu, colocou um sobretudo sobre o pijama que usava, afastou seus cabelos pra trás e agarrou a chave do carro que estava em cima da mesa.

Assim que ela abriu a porta, deu de cara com Sasuke do outro lado. Sua expressão, fria como sempre.

-Pra onde você pensa que vai? Perguntou ele

-Você disse que chegaria uma da manhã.. Murmurou a Haruno

-Nos dispensaram mais cedo, havia pouco serviço. Respondeu o Uchiha, sério- Mas você não respondeu a minha pergunta. Pra onde você pensa que vai?

Sakura suspirou:

-Ino parecia com problemas com uma paciente, então... Estava pensando em ir até o hospital para ajuda-la.

Sasuke trombou com Sakura enquanto ele adentrava no apartamento da rosada:

-Se Ino está com um problema com um paciente, ela tem milhares de médicos e enfermeiros dentro do hospital que podem ajuda-la. Você não é o centro do mundo, Sakura, só fez uma cirurgia simples.

Sakura tirou o sobretudo lentamente:

-Não entendo por que está com tanta raiva.

-Eu não estou com raiva. Defendeu-se o Uchiha, sentando-se no sofá- É você que está.

-Por que eu estaria com raiva? Indagou Sakura, cruzando os braços

-Você me respondeu mal hoje a noite, enquanto estávamos conversando. Disse o Uchiha- Algo em você mudou, desde de que você fez aquela cirurgia estúpida.

-Dá pra parar de falar que minha cirurgia é estúpida? Perguntou Sakura, chateada- Ela significou muito pra mim, ok?

-Por que ela significou muito pra você? É só uma cirurgia! Exclamou Sasuke irritado

-Não é só uma cirurgia, é a minha primeira cirurgia solo! Você não sabe absolutamente nada sobre mim!

Sasuke riu:

-Sakura, você está exagerando.

-Que dia é meu aniversário? Perguntou a rosada

-E lá vamos nós...

-Que dia é o meu aniversário? Repetiu Sakura

-28 de abril.

-Não... Sakura murmurou- É dia 28 de março.

O Uchiha deu de ombros:

-Um mês de diferença, o que isso tem demais?

-Nós namoramos a dez anos, e você não consegue reparar nem mesmo no dia do meu aniversário? Sakura não suportou o peso das lágrimas que se acumulavam em seus olhos.

-Não seja dramática, Sakura.

-Eu não tô sendo dramática...Será que não entende..? Suspirou a rosada- Não dá para o esforço ser apenas de um lado só. Mil vezes zero ainda continua sendo zero!

-Olha, não sei o que o Sasori colocou na sua cabeça..

-O Sasori não colocou nada na minha cabeça! Exclamou Sakura irritada- Eu nunca pensei tanto por mim mesma!

O Uchiha suspirou:

-Certo...O que quer fazer, Sakura?

A rosada prendeu a respiração:

-Vamos terminar, Sasuke.

 

 


Notas Finais


Eu espero que tenham gostado e até a próxima terça!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...