História Pacto Demoníaco - Mitw, Cellps e Jvtista - Capítulo 14


Escrita por:

Visualizações 210
Palavras 1.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lá em baixo gente :3

Capítulo 14 - Lágrimas


Fanfic / Fanfiction Pacto Demoníaco - Mitw, Cellps e Jvtista - Capítulo 14 - Lágrimas

Pov Pac

     Abro lentamente os olhos, vendo que o sol havia nascido, tento me levantar, porém tenho um pouco de dificuldade, com cuidado, viro para trás e percebo que Mikhael está me abrandando, levo meu braço até o dele e o retido de cima de mim, por algum motivo, eu não senti nada ao tocar o braço dele.

      Será que Mikhael tinha razão? Eu estou mudado e ficando pior? Acho que não, deve ser coisa da minha cabeça, mas vou fazer um teste para confirmar. Me levantei e fui até a geladeira, abri a porta do congelador e peguei um cubo de gelo... parece que Mikhael estava certo, eu não senti nada, nenhuma sensação.

     Mas será que isso foi só apenas no meu sentido de tato ou os outros também estão afetados? A visão não, pois estou vendo, audição também não, estou ouvindo perfeitamente. Paladar talvez? Abri a porta da geladeira e peguei um limão que se encontrava ali, fui até a gaveta e peguei uma faca, cortei o limão e lambi o mesmo... nada.

     Parece que só tenho audição, visão e olfato, pois eu ainda consegui sentir o cheiro do limão. Bem... não há nada o que fazer, só vou perder os meus sentidos. Acho que estou precisando de um banho, vou até o banheiro  e para em frente ao espelho, vi meus machucados, os curativos na verdade, não dei importância e fui até o chuveiro.

     Liguei sem me importar como estava regulado, eu não sinto nada de qualquer forma, tomei meu banho, me sequei, escovei os dentes  e sai do banheiro, indo em direção ao guarda roupa, peguei uma roupa qualquer e vesti, sai do dormitório e fui até o  jardim que ficava na parte de trás do internato, bem no centro tinha um campo florido, onde pássaros cantam.

     Chegando no centro do campo florido, me sentei e peguei uma rosa, iria cheirá-la quando percebi sangue no meu dedo, provavelmente eu me esperei e não percebi, coloquei o dedo ferido em minha boca, mas não senti o gosto metálico que sangue tem. Então levei a rosa até meu nariz e a cheirei, nenhum cheiro.

     Meus sentidos estão desaparecendo completamente, pelo menos a última imagem que eu verei será desse campo florido, mas parece que essa imagem não vai durar muito, já que minha visão começou a ficar turva, ficando cada vez mais embaçada, até ficar completamente escuro, não exergo mais. Pelo menos ainda me restam provavelmente alguns segundo ouvindo os pássaros e o leve vento bate no campo, acariciando calmamente as flores.

Pov Mike

     Acordei com os raios de sol batendo em meus olhos, percebo que não sinto Pac em meus braços, ainda de olhos fechados, começo a apalpar a cama, procurando pelo mesmo, mas não o encontro. Abro os olhos e percebo que o mesmo não está ali, vou até o banheiro e tomo um banho e escovo os dentes.

     Troquei de roupa e comecei a andar pelo quarto, procurando pelo Pac, mas não o achei. Comecei a ficar preocupado, da última vez que ele saiu aquele canalha o espancou, o que será que aconteceu com ele? Será que ele está bem? Não importa, agora eu preciso achar ele. Iria sair pela porta quando escuto a voz de alguém.

Gato: Mikhael!!! – me virei e vi aquele gato.

- O que foi? – perguntei tentando me acalmar do desespero.

Gato: Você ainda não quebrou o selo? 

- Não, o Pac ainda está igual. – nesse momento ele mostrou preocupação.

Gato: O QUÊ?... me desculpe pela minha alteração no tom de voz, mas você tem que correr, Tarik não terá muito tempo.

- Como assim?

Gato: Mikhael, aquele selo não reprime os sentimentos, ele...

- Ele o que? Não enrola, fala logo.

Gato: Aquele selo é um feitiço antigo, ele faz com que a pessoa deixe de ser... uma pessoa, entende?

- Você só piorou tudo, me explica direto – ele suspira.

Gato: : O feitiço é dividido em etapas, que vão se formando com o tempo. Ele começa retirando os sentimentos, e depois, os sentidos de quem é afetado, então a pessoa, que não sente mais nada, psicologicamente e fisicamente, se torna apenas uma casca vazia.

- POR QUE NÃO ME FALOU ANTES?

Gato: Eu não podia, e nem posso, provavelmente eu já quebrei uma regra ao te falar isso, mas eu me preocupo com o Tarik, então eu vou quebrar uma última regra. Para desfazer aquele feitiço, você deve causar algo que force os sentimentos dele voltarem, certo?

- Sim, prossiga.

Gato: Lembra que eu disse que a resposta estava na ponta da língua?

- Lembro, mas o que que tem? 

Gato: Me desculpe Tarik... Mikhael, o Tarik gosta de você, então para que ele volte ao normal, a única maneira que eu vejo, seria se você o beijasse – eu abri minha boca para falar, mas ele me interrompeu – Você não tem tempo, o Tarik já perdeu quatro dos cinco sentidos, ele está no jardim atrás do internato.

- Por que não me disse antes? 

     Antes de ouvir uma resposta, me levantei e sai correndo até o jardim. Como eu sou burro, não percebi que um beijo era a resposta! Fora que... ele gosta de mim? Se ele gosta, ele está com raiva da Kety aquele dia? Eu acho que ninguém gostaria de ver a pessoa amada beijando outro em sua frente. 

     Perdido em pensamentos, acabei não percebendo que tinha chegado ao jardim, encontrei Pac sentado no centro, seus cabelos estavam sendo chacoalhados pela brisa, que carregavam pétalas de rosas que bailavam em volta do mesmo. Parecia que ele era a estrela de uma peça, com os holofotes todos voltados para si.

- Pac! – o chamei.

Pac: Mikhael? – disse o mesmo se virando, me deixando ver que seus olhos estavam opacos, provavelmente o mesmo não está enxergando – Você está aqui Mikhael? – pergunta confirmando minha suposição, fora que ele voltou a me chamar de Mikhael, ele está bem pior que antes.

- Estou sim Pac – disse enquanto ia caminhando até o mesmo, ficando frente a frente com o mesmo.

Pac: O que veio fazer aqui?

- Pedir desculpa.

Pac: Pelo que?

- Por isso...

     Segurei seu queixo e o levantei até nossos olhares se encontrarem, ver ele daquela forma enchia meu coração de pena, eu quero cuidar dele e isso vai começar agora. Fechei meus olhos e encostei meus lábios no dele, sentindo sua doce e pequena boca, passei meus braços sobre a sua cintura, o puxando para mais perto de mim.Cessei o beijo, tentando regular minha respiração, encostei minha testa na dele e abri os olhos, me deparando com Pac chorando, levei minha mão até seu rosto, limpando suas lágrimas.

- Ei, o que foi? Por que está chorando? – perguntei calmo.

Pac: M..Mi..Mike... – ele me surpreendeu, me dando um abraço apertado e muito aconchegante, retribui o abraço, tentando transmitir a mesma sensação para ele.

- Calma pequeno, já passou – disse beijando sua testa e começando a afagar seus cabelos – eu estou aqui com você, de hoje em diante, pode contar comigo pra qualquer coisa.

Pac: Q..Qual..Qualquer coisa? – perguntou completamente vermelho.

- Qualquer coisa.

Pac: Então... eu que vou me desculpar agora.

     Ele puxou a gola da minha camiseta e me beijou, um beijo lento, mas foi o melhor que já ganhei em toda minha vida, ele logo cedeu passagem e eu pude explorar por completo sua boca. Alguns segundos depois e o beijo foi encerrada devido à falta de ar.

- Acho que você vai precisar se desculpar mais vezes.

Pac: Idiota – disse e a gente riu, eu nunca vou deixar mais nada de mal acontecer com ele.


Notas Finais


Oie gente :3

Sorry por qualquer erro, eu não aguento esperar minha amiga corrigir, eu tenho que postar rsrs

Beijos de Chocolate :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...