História Pacto Demoníaco - Mitw, Cellps e Jvtista - Capítulo 16


Escrita por:

Visualizações 165
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Lá em baixo gente :3

Capítulo 16 - Sayuri, um problema no futuro


Fanfic / Fanfiction Pacto Demoníaco - Mitw, Cellps e Jvtista - Capítulo 16 - Sayuri, um problema no futuro

Pov Cell

     Começo a caminhar novamente, agora indo em direção ao norte, para o Stars Hotel, onde Felps tinha escrito para mim ir, será que ele vai estar lá? Provavelmente não, mas espero que sim, quero ver logo ele, para agradecer por tudo isso e para recompensa-lo, se ele estiver no hotel vai ser mais fácil hehe.

     Falando no hotel, logo estou em sua entrada, o famoso hotel de luxo Stars Hotel, aposto que ele gastou muito com esse ponto em especial, aí aí, o que eu faço com você meu querido Felps? Entro no hotel e vou para a recepção, onde uma moça com os cabelos castanhos e aparentava ter 30 anos estava.

???: Boa tarde, bem vindo ao Stars Hotel, gostaria de reservar um quarto?

- Boa tarde, na verdade, não é por isso que estou aqui, meu amigo Felipe me pediu parar vir aqui, ele falou algo para você?

???: Ah, sim sim, ele deixou um quarto reservado – ela se vira e pega uma chave – é no último andar, o quarto 1517 – peguei a chave da mão dela.

- Obrigado. 

     Fui até o elevador e apertei o botão do último andar, ele logo fechou a porta e começou a subir, indo até o vigésimo andar, ele para e abre a porta, saio do mesmo e vejo um lindo corredor, cheio de quadros na parede, tapete vermelho no chão e muito mais, aquilo com certeza não era uma área acessível para todos.

     Vou andando até chegar na única porta que tinha ali, coloquei a chave na fechadura e a destranquei, girei a maçaneta e abri a porta, revelando um quarto enorme, irá uma suíte, as paredes dele eram apenas vidro, dando para ver tudo lá de cima, o chão era do mais puro branco, tinha até uma pequena banheira no centro do quarto.

     Vou até a cama e deixo o buquê e o coelho de pelúcia lá, começando a analisar o quarto, um televisão de cinquenta polegadas no teto, dando uma visão perfeita mesmo da banheira ou cama, vasos de planta espalhados pelo chão, nem tinha como descrever o resto, era incrível aquele quarto, fui tirado dos meus pensamentos com alguém batendo na porta.

- Entre – falei não muito alto, apenas o bastante para a pessoa ouvir.

???: Boa tarde, eu sou Flor, a camareira do hotel – disse um senhora, ainda do lado de fora do quarto.

- Boa tarde Flor, eu sou Rafael – disse cumprimentando a mesma.

Flor: O prazer é todo meu, estou aqui a pedido de Rafael, ele me pediu para te entregar esse almoço – disse puxando um carrinho de metal com uma bandeira de prata em cima.

- Obrigado, por favor, entre.

Flor: Obrigado – ela então entrou e colocou o carrinho perto da mesa que tinha perto das enormes paredes de vidro – Felipe me pediu para passar uma mensagem para você também, ele diz: “Querido Cell, aproveite o dia nesse maravilhoso quarto, relaxe e se divirta, fique aqui até às seis da tarde” 

- Até as seis? Tudo bem, obrigado Flor.

Flor: De nada, agora com a sua licença.

- toda.

     Ela se despede e sai do quarto, fechando a porta, vou até a bandeja e a pego, colocando em cima da mesa. Retiro a tampa que está por cima e vejo varias porções de comida, camarões, carnes, risotos, é muita coisa, vejo o carrinho e percebo uma bandeja em baixo, pego a mesma e a coloco sobre a mesa.

     Retiro a tampa e vejo um balde cheio de gelo, com champanhe e refrigerante, acompanhado de uma taça, me sirvo com refrigerante primeiro, e vou tomando enquanto como o risoto, quando terminei, coloquei champanhe e peguei os camarões e comecei a comer, mas não durou muito, eu já estava cheio.

     Coloco tudo na bandeja, menos a taça e o balde de gelo com champanhe, vou até a porta e tranco a mesma, depois vou até a cama e pego o controle, ligo a televisão e coloco Doctor Who, vou até o banheiro e pego um roupão, tiro minhas roupas e as deixo organizadas em cima da cama.

     Deixo o controle e o roupão junto com o balde de gelo, entro na banheira que tinha ali no centro, cuja estava cheia de espuma, com um ótimo aroma e água morna, estava realmente perfeito, pego a taça e encho de champanhe, vou bebendo enquanto assisto, mas com cuidado para não ficar bêbado.

     Aqui está bom, porem se o Felps estivesse aqui, estaria melhor com certeza, qualquer lugar com ele fica bom. Depois de um tempo, resolvi sair e tomar um banho, inclusive, bem demorado. Saio e começo a colocar minha roupa novamente, termino e sento na cama, continuando a assistir.

     Depois de alguns episódios, escuto alguém batendo na porta do quarto, vou até lá e destranco a mesma, vendo flor com uma bandeja na mão. Dei sinal para que a mesma entrasse, ela assentiu e foi até a mesa, recolhendo as bandejas que tinham ali e deixando aquela outra, saindo do quarto logo em seguida.

     Fui até a mesa e vi a bandeja, levantei a tampa da mesma e vi um lindo pedaço de torta de chocolate, com recheio de leite ninho e morangos com chantili por cima, e uma carta, abri a mesma, que dizia: “Sei que você é curioso, então não comeu o bolo ainda, aproveite ele, que é doce como você. A próxima parada é a joalheria que fica no leste. Fel9s”.

    Ele me conhece mesmo, coloquei a carta no meu bolso, junto com as outras e comecei a comer o bolo, que estava  uma delicia por sinal, terminei de comer e fui em direção ao banheiro, escovei os dentes e voltei para a cama, peguei o buquê e o coelho de pelúcia, indo em direção à porta.

     Saio do quarto e o tranco, pegando a chave e indo até o elevador, desço até a entrada e entrego a chave para a recepcionista, me despeço da mesma e vou a direção à joalheria, já que são seis horas, é o horário escolhido pelo Felps para mim ir pra lá. Olhei para o céu e vi que ele estava nublado, acho que vai chover.

      Melhor eu me apressar, depois de um tempo andando, chego até a famosa joalheria, sua vitrine era completamente brilhante, joias eram expostas para todo lado, entrei na mesma e fui até a atendente, que se encontrava atrás do balcão, a moça aparentava ter a minha idade, provavelmente era parente de alguém que trabalhava aqui.

???; Olá, seja bem vindo a joalheira da minha família, meu nome é Sayuri, como posso ajudá-lo?

- Olá, obrigado, estou aqui a pedido do meu amigo Felipe.

???: Áh, então você deve ser o Rafael, espere aqui um momento – ela logo sai e volta com um envelope na mão e me entrega.

- Obrigado.

     Abro e pego a carta, começando a ler a mesma, que dizia: “Infelizmente, o que peguei aqui quero te entregar pessoalmente, mas saiba que você é mais valioso que qualquer coisa dessa loja. Volte para o nosso dormitório, lá é sua penúltima parada. Felp5”. Então parece que estamos chegando no final.

     Agradeço Sayuri e me despeço, coloco a carta no bolso junto com as outras e saio dali, voltando para o meu ponto de partida, que era o nosso quarto, depois de uns vinte minutos caminhando eu finalmente chego ao nosso quarto, destranco a porta e vou até a cama, colocando o buquê e o coelhinho lá.

     Volto e percebo que tinha um cofre sobre a mesa, que eram necessários cinco números para destrancar, ahh meu quero Felpopinho, eu sou o Xeroque Holmes, não acha que trocar algumas letras do seu nome por números não seria óbvio demais? Ainda bem que guardei todas elas.

     Peguei todas elas e fui até seu nome, desde a primeira até a última, e comecei a olhar como seu nome estava escrito: “Fel1ps, F3lps, 7elps, Felp9s e Felp5”, que tirando as letras fica o seguinte código “73195”, de acordo com a ordem em que substituíram as letras, coloco esse número no cofre e o mesmo se abre.

     Lá dentro tinha apenas uma única foto, peguei e olhei para a mesma, era uma foto que tinha eu, ele, Mike, Batista e Jv, virei a foto e vi que tinha algo escrito, comecei a ler e dizia; “Cell, essa é meu tesouro mais precioso, que é uma foto do dia em que te conheci, vá até aquele parque, para onde tudo começou”

     Então meu destino final será onde tudo começou, saio do meu quarto correndo, não me esquecendo de trancar a porta, eu estou mais feliz que nunca,  enquanto corro, fico distraído olhando para aquela foto, em pensar que aquela seria sua mais preciosa lembrança... logo eu chego até o parque, olho para o céu e vejo relâmpagos, vai chover. Continuo correndo em volta do lago, indo em direção àquele local, até que escuto um grito.

???: CUIDADO!!!! – Logo sinto alguém trombar em mim e meu corpo ser lançado contra o lago.
     


Notas Finais


Oie gente :3

O título é spoiler do futuro da fic rsrs

Beijos de Chocolate :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...