História Pagando a Língua - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Suga, V
Tags Bottom!jk, Bts, Híbrido, Tae!alfa, Taehyung!híbrido, Taekook, Tigre!tae, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 401
Palavras 2.250
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu devia estar dormindo, mas não estou chocada.

Pessoal, esse plot foi um pedido da @_aiigo_, e eu realmente espero que você goste! É a primeira one de híbridos que escrevo, peço mil desculpas caso vocês encontrem alguma incoerência, ok? ): É simples, gente. Mas é aquele lemon que vem do core. LAJSKAJSKA

Boa leitura e até as finais. <3

Capítulo 1 - Capítulo Único



Jungkook nunca esteve com híbrido algum, sequer beijou algum deles. Para ser franco consigo mesmo, guardava dentro de si certo preconceito. Achava estranha a maneira como alguns deles agiam perto dos humanos e dentro de sua bolha acreditava que aqueles seres geneticamente modificados foram criados com um único propósito: satisfazer os humanos. O que para ele era uma grande estupidez, humanos não precisavam de híbridos para sentir prazer, acreditava que sua espécie era perfeitamente capaz de proporcionar isso sem a ajuda da ciência.

Isso tudo até seu aniversário de vinte e três. Seus amigos: Min Yoongi, Park Jimin e Jung Hoseok, decididos a mostrar um outro lado da moeda ao Jeon, prepararam uma festa surpresa na casa do Park. E quem diria que justamente Jimin teria um primo híbrido? A vida gosta mesmo é de jogar.

Kim Taehyung foi o homem que fez Jeon Jungkook pagar a própria língua. 

Quase engasgou com o soju quando notou que os cabelos cor de sangue se aproximavam. O híbrido de tigre chegou manso, como se não quisesse nada. Perguntou seu nome e sua idade, era dois anos mais velho que o moreno. A música  era abafada pelas paredes da cozinha mas essas não eram capazes de impedir que o barulho dos adolescentes bêbados do outro lado do cômodo fosse ouvido e consequentemente pertubasse a conversa dos recém conhecidos. Havia cheiro de álcool e tabaco misturados ao sexo.

"Soube que você não se dá muito com híbridos." Taehyung murmurou sorrateiro enquanto o moreno fitava suas orelhas pontudas e felpudas. Quis toca-las por um momento, jamais tocara um híbrido, sentira repulsa por eles durante muito tempo. "Jimin me contou."

A simetria no rosto do Kim era a prova de que a arte era capaz de se personificar.

"Eu apenas... Não sei muito sobre vocês. Não se ofenda". Jungkook murmurou constrangido, analisou suas próprias roupas e notou que havia mancha de vinho na regata branca. A calça preta rasgada nos joelhos felizmente estava intacta.

Diferente das roupas do de cabelos vermelhos. Vestido de preto da cabeça aos pés, rasgos em tudo quanto era canto. Prendeu suas duas jabuticabas no corpo magro até se cansar de decorar as curvas suaves do corpo alheio. Conversava com o Kim há um bom tempo, perdeu-se nos orbes castanhos afiados que o encaravam sem vergonha. Os lábios cheios e avermelhados eram atrativos demais para seu próprio bem, Jeongguk não sabia se conseguiria manter distância por muito mais tempo. Talvez fossem as argolas no lóbulo da orelha ou o piercing no lábio inferior. Talvez as sobrancelhas bem desenhadas fossem o motivo de ter se perdido. Não sabia.

A única certeza que tinha era a de que não havia como escapar do sorriso retangular ou do toque suave das mãos bonitas. Taehyung já o havia conquistado para o resto da noite.

"E você se sente desconfortável comigo aqui, Jeongguk?" O Kim arrastou a mão pela mesa de granito na qual estavam apoiados, caçou com a ponta dos dedos a pele alva do moreno. Alcançou a mão de Jeongguk e a apertou de maneira suave, sorrindo gostoso quando o Jeon riu baixinho. "Sou um híbrido de tigre, mas não mordo."

"Na verdade, não. Você não me incomoda." Jeongguk analisou os dedos longos e imaginou que seriam ótimos para determinadas funções. O tipo de coisa que não deveria estar passando por sua mente conturbada, mas foi inevitável. Não possuía poder suficiente para decidir os caminhos por onde sua sensatez se perderia. E se perdeu na face do homem que trazia o DNA daqueles que Jeongguk jurou nunca se envolver, nem com um mísero fio de cabelo.

"E se eu pedir pra você me morder, você o fará?" Perguntou ao Kim e recebeu um sorriso largo, cheio de segundas intenções.

"Você precisa aprender mais sobre os híbridos, Jeongguk."

Teve o corpo puxado para fora da cozinha, sendo arrastado pela escada que dava para os quartos. Olhou de canto para os amigos que o espiavam lá da sala enquanto Taehyung o puxava pelo pulso sem muita força, e então tudo fez sentido. Era o plano deles desde o início. Malditos sejam aqueles que decidiram lhe mostrar o lado bom da vida.

xxx

O de pele naturalmente bronzeada se sentou na cama e ficou observando, esperando por algo que Jeongguk não sabia o que era. O moreno o encarou com as mãos nos bolsos e ouviu seu riso debochado. Franziu o cenho para o ruivo e bufou, que graça havia ficar sentado ali? Melhor que tivessem ido jogar Uno.

"Jeongguk, dança pra mim." Arqueou a sobrancelha e viu o híbrido começar a tirar a própria roupa — ou o que restava dela. Primeiro, Taehyung retirou a camisa preta rasgada e jogou pelos ares. Jeon não tinha seu olhar grudado em nada que não fosse o corpo dourado. Um piercing no mamilo direito o fez passar a língua pelos lábios, e quando o híbrido, por fim, retirou a calça escura, a cueca boxer vermelha surgiu como sua condenação.

Swim do Chase Atlantic foi o plano de fundo para todos os pecados que queria cometer no corpo do Kim. Queria prender a pele entre os dentes, puxar, marcar e soltar. Beijar, lamber e arranhar. Queria deixar sua marca ali, para que o híbrido se lembrasse que ele foi o único, o primeiro e o único a arrancar de Jeongguk o lado que ele mesmo não conhecia. Um lado oculto que era tão prazeroso.

"Estou esperando, Kook." O tigre sentou-se novamente com as pernas afastadas, chamou o Jeon com a ponta do dedo indicador e piscou.

O moreno que sempre imaginou híbridos como seres submissos tinha que admitir: Taehyung ia contra todos os esteriótipos impregnados e enraizados em sua cabeça. E já que era hora de rasgar rótulos e arrancar etiquetas fora, que ele fizesse isso também por si mesmo.

"Estou indo." Jeongguk caminhou até o alfa que apoiava as mãos no colchão, estava relaxado. Não parecia se preocupar com nada que não fosse o garoto de cabelos negros, olhar curioso e pele clara como a neve. Contrastava com a sua. Os anos de dança estudados por Jeongguk foram sua salvação, a deixa para que apenas se permitisse, e que permitisse ao outro igualmente. Não tinha coreografia pronta, apenas deixou o corpo ser levado pelo ritmo sensual e gostoso da música.

Rebolava lentamente em pé, a cintura ia de um lado para o outro, dançando conforme o ritmo. O ruivo encarava as coxas fartas com vontade de toca-las, mas queria fazer o Jeon chegar ao extremo. Queria que sofresse por puro tesão e que implorasse para que Taehyung provasse de si, de seus lábios rosados e carnudos.

"Tire a roupa devagar, Jeongguk." O híbrido ordenou. Talvez fosse o excesso de álcool em seu sangue, mas o moreno não se importava. Apenas fez como lhe foi pedido. Aos poucos as peças caíam ao chão, mais leves do que realmente eram. A camisa foi retirada de maneira tortuosamente lenta, Taehyung adorava ser a platéia, e o show que Jeon exibia era delicioso demais para que se desse ao luxo de interromper.

Quando o moreno trajava apenas sua boxer preta, decidiu que faria o Kim perder todos os limites impostos até aquele momento. Com as duas mãos, Jeon alisou o próprio corpo, desde os lábios cheios e bem desenhados até a barriga bem trabalhada e definida. A mão esquerda se enroscou no elástico da peça íntima enquanto a direita apertava a coxa. Fazia movimentos de vai e vem com os quadris e algumas vezes puxava os próprios cabelos por pura ansiedade e tesão.

Nunca dançou pra ninguém, nunca foi de obedecer ordem alguma, muito menos de híbridos. Quanto de seu tempo perdeu achando que os humanos eram os únicos dominantes durante o sexo com híbridos? Quantos orgasmos deixou de ter por se permitir ser comandado pela ignorância? Sentia-se tonto só de pensar. Na verdade nem gostava de pensar sobre. Sentiu-se um verdadeiro idiota arrogante. E agora lá estava Jeon Jungkook, pulando no colo de Kim Taehyung como quem precisa disso para respirar. Como se seu corpo tivesse pedido por esse contato durante toda a sua vida e somente ele não tivesse percebido. Somente ele, porque todos ao seu redor sabiam perfeitamente disso.

Seus amigos, todos eles sabiam. E se talvez lá no fundo, o motivo pelo qual Jeongguk sentira tanta repulsa por híbridos durante sua vida não tenha sido justamente por se sentir tão atraído por eles? Por acha-los tão incríveis. Por crer que ser metade humano e metade animal seja a coisa mais interessante e empolgante do universo. Viu seu reflexo naquilo que julgou ser inapropriado. O que acreditava causar repulsa, na verdade, refletia seu desejo puro.

"Vou rebolar pra você, Tae." Disse com os lábios colados nos lábios do tigre que sorria, exibindo seus dentes perfeitamente alinhados.

"Faça agora, Jeongguk. Faça só pra mim." A música já não tocava dentro do cômodo, mas outro ritmo mais agitado fazia tremer o restante da casa. Taehyung apertou a bunda do moreno e riu safado, deixando um tapa forte no lado esquerdo.

Jeongguk achou que ainda estavam distantes demais, então tratou de colar logo seu corpo ao do Kim. Agarrou seu pescoço com os braços malhados e envolveu a cintura alheia com as pernas, se esfregava no membro duro que pulsava debaixo da boxer. Ia e vinha lentamente, provocando um tesão incomparável no híbrido.

E então ele se deparou com as orelhas pontudas, agora podia toca-las. Alisou primeiro a direita com a ponta dos dedos, descobrindo cada pedacinho. Sentindo os pêlos sob o toque macio. Ouviu uma espécie de ronronar sair tímida da garganta do ruivo e sorriu. Os dedos de Taehyung apertaram sua cintura possessivos quando a outra orelha foi acariciada. Os movimentos passaram a ser mais intensos, mas somente porque o próprio Taehyung forçava o corpo do moreno para baixo, cada vez mais forte. Cada vez mais sedento.

A noite era curta demais para tudo o que queriam fazer. Principalmente para Taehyung, que tanto queria mostrar ao Jeon. Que tudo queria mostrar a ele.

"Você gosta?" Jeongguk perguntou, sussurrando no ouvido do híbrido de tigre. Continuava com os carinhos suaves nas orelhas e viu o ruivo morder o lábio inferior, antes de ondular o corpo contra o seu em busca de mais contato.

"É excitante." Foi a última coisa que o mais velho disse antes de jogar Jeongguk contra o colchão branco e arrancar as últimas peças que o impediam de concretizar aquilo que desejava desde o dia em que Jimin falou sobre o Jeon. Desde que soube da existência de um humano que desprezava híbridos.Foi nesse dia que decidiu: iria fodê-lo com todas as forças, o faria se arrepender amargamente de prender-se aos seus preconceitos. O faria implorar por mais, para que fosse cada vez mais fundo. E assim o fez.

"Peça, Jeongguk." Apesar do que dissera, o próprio Kim não permitiu que o moreno pedisse coisa alguma. Tomou os lábios rosados com os seus, chupou com vontade a parte inferior até sentir Jeongguk resmungar. O moreno sentiu o gosto do tabaco quando chupou a língua do ruivo, depois perdeu-se na temperatura morna da pele macia dos lábios carnudos. O beijo seguiu intenso, os estalos ecoavam altos apesar da música no lado externo. E então se desfez, apenas porque precisavam desesperadamente de ar.

"Me fode, Tae-Hyung!" Gemeu choroso e teve seu pedido prontamente atendido, como gostava. Taehyung empurrou seu pênis dentro do moreno, impiedoso. "ARGH!" Jeongguk fincou as unhas curtas na pele dourada enquanto o ruivo se arremetia contra ele. As coxas fartas se afastavam cada vez mais, seu membro pulsava mais forte sempre que sentia o corpo orvalhado se arrastar contra ele. Pingava de tesão, ansiedade. Descoberta.

A mão esquerda do Jeon se enrolou nos fios vermelhos, puxava desesperado enquanto o híbrido se afundava com mais intensidade dentro de si. A mão de dedos longos e macios do Kim envolveu o pênis do mais novo e com vontade o apertou, fazendo o outro gritar. Começou a mover a palma de cima para baixo, indo com maestria. As pernas de Jeongguk tremiam e ele implorava para sentir mais prazer.

Jeongguk implorava para que um híbrido o fodesse com força.

"Gostoso." Taehyung sussurrou safado no ouvido do moreno que descontava o prazer nos próprios lábios. Sorriu ao observar o mais novo completamente entregue a si, apertando os olhinhos manhoso ao sentir seu pau dentro de seu corpo. O suor era um só. Os cheiros se mesclavam. Taehyung gemia rouco contra o peito de Jeon, as investidas eram mais rápidas, mais violentas, mais necessitadas.

Chupou o pescoço de pele alva e viu o corpo do moreno tremilicar. Jurou que deixaria sua marca naquele humano, para que nunca se esquecesse do quão gostoso fora fazer sexo com um híbrido.

Com um híbrido alfa. Com Taehyung.

Quando o orgasmo chegou para Jeongguk, Taehyung finalmente se permitiu chegar ao limite. Seu líquido esbranquiçado escorria pelas coxas do mais novo, e então, seu corpo caiu sobre o dele. Jeongguk sorriu satisfeito, como nunca ficara antes. Como nunca ficara com mais ninguém. Envolveu mais uma vez os fios vermelhos nos dedos e acariciou as orelhas pontudas e alaranjadas. Taehyung sorriu contra sua pele alva, beijou uma de suas pintinhas e suspirou.

"Taetae." Jeongguk murmurou de olhos fechados, sentindo o abraço gostoso do alfa aquecer seus músculos. Estava tão sorridente.

"Diz, gatinho." Riram em uníssono, e Jeongguk achou graça do apelido. Taehyung parecia muito contente, leve como há muito tempo não se sentia. Levantou a cabeça para encarar o de cabelos negros a acariciou a lateral de seu rosto com as costas da mão.

"Híbridos são incríveis." O ruivo riu alto, depositando mais um beijo nos lábios doces.

"Você não vai saber se os outros híbridos são realmente incríveis, Kook. Não tão cedo."


Notas Finais


Taehyung, meu tigrinho lindo.

Gente, espero que tenham gostado, de verdade <3 Desculpem qualquer coisa. Tentei colocar o pouquinho que eu sei aqui, e até penso em desenvolver mais alguma coisinha nessa categoria.

Amo One Shot meu Deus. É disso que a mamãe gosta.

Ah, estou aceitando pedidos de plots, e caso tenham interesse em solicitar algum, dêem uma olhadinha no meu perfil por favor.

Obrigada @_aiigo_, por confiar!


Meus conteúdos: https://www.spiritfanfiction.com/listas/fuyu-minhas-historias-2804376
Meu twitter: https://twitter.com/lonlywale (podem conversar comigo por lá também se quiserem!)
Meu portfólio: https://tenshifuyu.tumblr.com/ [pedidos de capas & banners abertos]

Amo vcs, bjs

GENTE TO NO CURIOUS CAT COMO LONLYWALE BELÊ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...