História Pain Free - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Taekook, Vkook
Visualizações 142
Palavras 2.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Jeju Island


Os estagiários chegavam na empresa depois da visita à universidade.

Taehyung estava nervoso.

Não sabia como Jungkook lidaria.

Já tinha tido sua experiência ao tentar compartilhar algo sobre ele e não ter dado certo.

Jungkook poderia não querer se envolver em toda aquela bagunça. Aquele era seu maior receio em relação à ele.

Esfregava as unhas nos dedos, quase abrindo uma ferida. Mas se interrompeu.

Não queria machucar as mãos. 

- Vocês querem jantar em algum lugar? - Soobin perguntava ao chegarem à empresa.

- Eu topo! - as duas garotas respondiam juntas.

- E você, Taehyung? 

- Ahn… acho que não. 

- Vamos! Vai ser divertido! 

Taehyung não dizia uma palavra sequer sobre ele e Jungkook.

Então, eles nem imaginavam todo aquele drama.

Ou era isso que Taehyung pensava.

- Você vai jantar com Jungkook hoje? - Jojo perguntava.

A garota já havia notado que Taehyung ia embora com Jungkook.

Só não sabia que eles estavam praticamente morando juntos. 

- Provavelmente não. Não estou com fome. - Taehyung dizia meias verdades - Mas eu estou muito cansado… podemos combinar um outro dia?

Eles andavam pelos corredores da empresa, indo em direção ao laboratório, porém, antes de chegar, encontravam Jungkook no caminho.

- Taehyung? Pode vir comigo na minha sala? - Jungkook dizia direto.

- Está bem…

Sério como sempre.

Taehyung andava dois passos atrás, seguindo Jungkook enquanto os outros estagiários o olhavam.

Jungkook provavelmente iria dizer que ele deveria ir embora, que não queria aquela confusão e que ele era doido.

Sentia seu coração batendo rápido.

Andava de cabeça baixa.

Logo eles estavam dentro da sala.

Jungkook fechou a porta e Taehyung logo dizia.

- Jungkook… 

- hm?

- Você quer que eu volte para o meu apartamento, né? 

- É isso que você acha?

- Ah… eu posso pegar as minhas coisas e ir. Aí podemos conversar outro dia quando você estiver mais calmo. Se quiser conversar… 

Taehyung se sentia tremendo.

Jungkook andou até ele e o abraçou.

- Você não vai pra lugar nenhum, Taehyung…

Taehyung tomava um susto.

- N-não?

- Não. Vai ficar comigo. Olha para mim, Taehyung.

- Hm? - Taehyung claramente estava assustado.

- É a última vez que vou te perguntar. Você quer ir embora?

- Não. Não quero.

- Então você fica. Vai ficar comigo, morando na minha casa.

- O-o quê?

- Bom, você já está lá há um tempo e já até tem uma chave. 

- Jungkook… Eu tenho um monte de coisas da minha vida pendentes e pra resolver… eu não sei se…

- Não importa. Vamos resolver. Mas a partir de hoje você vai ser meu. 

- Ser seu? Você está me chamando de coisa? 

Jungkook sorriu. 

- Não…

- É por isso que a Miu se sente um pacote. Você é mandão demais.

- Taehyung, não consigo te explicar de outro jeito. Não estou falando assim por ser mandão mas porquê nao sei falar de outra maneira.

Taehyung respirou fundo.

Eram informações demais.

- Você leu a pasta?

- Li. 

- E vai conversar comigo disso?

- Não. A não ser que você queira falar sobre isso.

- Não quero mas você deve estar cheio de perguntas…

- Eu já sei o que preciso saber, Taehyung. Eu gosto de você e quero ficar com você e isso é o suficiente pra mim. É o suficiente pra você?

Jungkook era direto demais.

Em qualquer outro mundo aquilo podia ser um romântica cena.

Mas não era.

Era simplesmente Jungkook sendo quem era.

- Quer continuar comigo mesmo assim? - Taehyung perguntava como se verificasse se entendeu direito.

- Sim. Não deveria?

- Provavelmente não.

Jungkook ficou em silêncio.

Era uma resposta que ele não esperava.

Os dois se olhavam.

A cada passo se conheciam mais e percebiam o quanto ainda tinham para conhecer.

Jungkook sorriu.

- Você está errado, Kim Taehyung. Porque você vale a pena. 

Taehyung ficava emocionado.

E até iria chorar mas Jungkook foi mais rápido.

- Chega de lágrimas, Taehyung. Vem! 

Jungkook pegou Taehyung pelo pulso.

Nunca tinha faltado um dia sequer no trabalho. Todos os dias que não estava na empresa, estava trabalhando em sua casa ou em outro país.

Porém, naquele dia, apenas passou em sua casa para pegar algumas roupas e dali foram para outro lugar.

Jeju Island. 

- Jungkook, eu não vou ser demitido assim? Eu queria muito ser efetivado. - Taehyung dizia no carro quando ficou sabendo para onde estavam indo.

- Não se preocupe com isso. 

- Então não vou ser mandado embora? 

- Ah! Provavelmente vai, mas não adianta mais se preocupar com isso, né? Já está dentro do carro e sou eu quem está dirigindo, então…

- Jungkook!! Vamos voltar! 

- Estou brincando! Eu vou falar com meu pai. Não se preocupe, está bem?

- E se ele me mandar embora mesmo assim?! 

- Eu prometo que vou falar com ele! 

Taehyung parecia desconfiado ainda mas mesmo assim mudava de assunto.

- Onde vamos ficar? 

- No hotel que você encontrar! Procure um na internet que esteja vago e reserva pra gente. 

- Você não sabe onde vamos ficar?

Jungkook riu.

 

——

 

Depois de algumas horas de estrada, eles finalmente chegavam no bonito hotel que, no final das contas, foi Jungkook quem teve que procurar.

Aquela era uma pequena loucura mas uma que, para o Jeon, tinha que ser feito.

Os dois estavam precisando daquilo.

O quarto era bonito e tinha uma vista incrível.

Jungkook observava Taehyung reclinado no parapeito da varanda, observando a bonita paisagem à frente deles.

Tanto tinha mudado em sua vida. Jamais imaginaria que um dia, Taehyung estaria de volta.

E muito menos que causaria essa revolução em sua vida.

Não tinha certeza de muitas coisas naqueles últimos tempos mas, sabia que estar com Taehyung era o certo para seu coração.

Se aproximou e colocou a mão nas costas de Taehyung porém, sem o abraçar.

- O que achou do lugar? - perguntou baixo.

Taehyung sorriu fraco.

- É muito bonito.

- O que quer fazer amanhã? 

- Eu não sei… o que tem de bom para fazer aqui?

- Podemos ir dar um passeio para conhecer o lugar. Eu nunca vim aqui antes.

Era tarde.

A noite era silenciosa e tinha um vento gelado do inverno.

- Jungkook… tem certeza? Tem certeza que quer se envolver nessa bagunça que minha vida é?

Jungkook o puxou para um beijo.

Já havia tentado entender várias vezes o que significava aquilo tudo. Mas parecia que quanto mais pensava, menos fazia sentido.

Não que aquele beijo ajudasse. Pelo contrário.

O beijo sempre parecia confundir ainda mais os dois.

Se viciavam naquele beijo. 

Jungkook se afastava. 

- Vamos assistir um filme? Aí descansamos para aproveitar amanhã. - Jungkook dizia.

Mas Taehyung voltava à beijá-lo.

Forçava o passo fazendo os dois andarem em direção à cama. 

Aos poucos Taehyung entendia o que significava Jungkook ainda estar ali com ele.

Entendia o que significava aquela viagem repentina.

Jungkook não tinha mandado ele ir embora e nem se afastado. 

Estava ali. Com ele.

Aquilo lhe trazia um sentimento que não sabia explicar. 

Só sabia que era bom.

O beijo se aprofundava e Jungkook logo diminuía o ritmo se afastando.

- Qual filme quer assistir, Taehyung? - dizia tentando distanciar o outro de si.

- Nenhum, não quero assistir filme. 

Taehyung continuava a beijar Jungkook e o outro continuava a tentar se afastar.

- Espera, Taehyung…

- Jungkook… já faz tempo… você não quer?

- Já conversamos sobre isso e…

- Eu já fiz o exame de delito e… sou adulto.

- Sei que é. Mas esse não é o único motivo para não fazermos isso…

- Não me acha bonito? Não quer transar comigo? - Taehyung mordia a boca. 

- Eu te acho lindo. Não fala assim, Tae…

- Já faz tempo que estamos dormindo na mesma cama… qual é o problema, então? - Taehyung dizia entre beijos.

O problema era que Jungkook tinha receio.

Muitos.

Talvez você não deve transar com alguém que tem uma visão bagunçada do que é sexo.

Talvez não deva transar com alguém que fisicamente já tenha sido violado e corrompido.

- Eu não sei como você vai reagir.

- Eu não sou virgem, Jungkook. 

Taehyung pressionava seu corpo ainda mais contra o do outro.

Era difícil resistir quando alguém te beijava daquele jeito.

Mas não era só o beijo.

Era seu toque, seu cheiro.

Jungkook se sentia quase embriagado com aquilo. 

- Eu juro que faço valer a pena… - o Kim dizia baixinho.

Aquilo fazia o Jeon sentir uma pontada no baixo ventre e uma falta de ar parecia lhe atingir pela excitação que subia em si. Mas ao mesmo tempo lhe dava um alerta, era confuso e nebuloso.

- Chega, Taehyung. - Jungkook dizia com o pouco controle que lhe restava.

- Você não me quer? - perguntava verdadeiramente triste.

Aquilo fazia Jungkook tremer.

O que era dito.

Do jeito que era dito. 

Queria.

Era lógico que queria. 

Se rendia ao momento.

Deitou por cima de Taehyung dando um beijo que parecia aliviado apesar de trazer só mais vontade aos dois.

Jungkook sentia o outro duro contra sua perna e aquilo fazia o enlouquecer um pouco.

Taehyung parecia com pressa e tinha um toque com certa agressividade. 

A língua do outro parecia entrar mais fundo em sua boca o que parecia gelar as costas do Jeon.

Na terceira vez em que Taehyung quase lhe arrancou sangue das costas com as unhas que o arranhavam por debaixo da camiseta, Jungkook se afastou e segurou seu pulsos.

- Vai me machucar assim, Taehyung. 

- D-Desculpa… eu não percebi que… 

Jungkook sorriu.

Com uma mão abriu o botão e zíper da calça de Taehyung ainda sem o soltar. 

Baixou levemente a calça do outro, somente o suficiente para conseguir chupá-lo.

Taehyung arqueou-se e tentou soltar os pulsos que eram segurados mas foi impedido. 

Aquilo era delicioso. 

Não se lembrava da última vez que tinha sido chupado por alguém. 

Tentava não gemer, mas era quase impossível.

Definitivamente o Jeon sabia o que fazia.

Sentia a boca quente e molhada deslizar nele com facilidade num aperto de medida certa.

Era um prazer indescritível que parecia o fazer ficar sem ar.

Parecia não saber nem pensar direito mas num fio de consciência se deu conta de que fazia muito tempo que não sentia vontade de transar com alguém como sentia naquele momento.

Prestava atenção no que Jungkook fazia nele, digno de algum filme pornô bem produzido.

A garganta começava a secar de tanto que ofegava.

Tinha certeza que seus gemidos estavam ficando mais altos, mais arrastados. 

E aquilo parecia incentivar Jungkook.

O movimento ficava mais rápido e mais profundo.

E Taehyung colaboravam para aquilo, mesmo sem querer, acabava se empurrando ainda mais fundo na boca do outro.

- Jungkook… me solta… - foi a única coisa que conseguia dizer.

Mas foi ignorado. 

Quase choramingava pelo prazer que sentia.

E queria se controlar porém, ao seu Jungkook lhe afundar em sua garganta, Taehyung gozava.

Parecia não haver espaço para se mexer, ar para respirar.

Um choque lhe percorria o corpo e sendo segurado, arqueando as costas, Taehyung gemia o mais alto que gemeu aquele dia.

Jorrava o líquido salgado na boca do Jeon.

Logo sentia sua boca sendo beijada, num carinho que estava melado.

Porém, ainda era segurado.

- Jungkook… porquê não me solta? - Taehyung sussurrava com o fôlego que lhe restava.

Sentiu Jungkook encostar a testa na sua, de olhos fechados.

- Porque se encostar em mim vou acabar fazendo algo que não devo. Estou te segurando pra conseguir me controlar. - respondia também ofegante. 

- Me solta, Jungkook… por favor. 

- Vai mexer em mim?

- Vou…

- Então não. 

Jungkook mantinha os olhos fechados com a testa encostada no rosto de Taehyung. O Kim conseguia ver Jungkook tentando recuperar o fôlego.

Tentando se segurar.

Taehyung ficava emocionado.

Ficaria indignado mas naquele momento, ficava admirado pelo que Jungkook tentava fazer por ele naquele momento.

- Jungkook… 

- Eu quero, Taehyung. Muito. Mas deve ser um passo de cada vez. Tanto pra mim quanto pra você. Eu preciso aprender a lidar com você e você precisa me conhecer mais, ter mais segurança de que está tudo bem. Eu não sei o que posso fazer sem te machucar fisicamente e você precisa conseguir entender o que te machucaria emocionalmente. - Jungkook finalmente abria os olhos, quase mergulhando no olhar de Taehyung - Consegue entender isso, Tae? 

- Uhum…

Jungkook soltava devagar as mãos de Taehyung. 

Olhava para ver se não tinha ficado alguma marca.

- Segurar os pulsos é a única coisa que sei como fazer em você pois é da mesma maneira que se segura os braços de uma criança, ou no meu caso, como segurar Miu, mas o restante eu não sei. Então preciso que seja paciente comigo, Tae. E que não fique judiando de mim. Eu quero ficar com você, quero você inteiro pra mim mas não dá pra ser de uma vez. Está bem? 

Taehyung ficava emocionado.

Aquilo era tão carinhoso e cuidadoso.

Nunca em sua vida alguém tinha tido tanta consideração e preocupação com ele.

Era algo que tocava seu coração.

- Está bem.

- Promete que nunca mais vai me perguntar se eu te quero? 

-Não sei se consigo prometer isso…

- Mas vai ter que prometer mesmo assim!

- Porquê?

- “Porquê”? Olha o que acontece quando você pergunta! 

Taehyung ria.

Jungkook saia de cima do outro e se deitava na cama.

O Kim erguia a cabeça.

- Você está duro, Jungkook…

- É, eu sei, Taehyung. 

- Então…

- Vai passar… dorme, vai. 

Taehyung ia abraçar Jungkook mas foi impedido.

- Não! Tire essas mãos cheias de dedos de cima de mim! - Jungkook dizia se levantando da cama - Deixa eu ir tomar um banho… um gelado. 

Taehyung ria e rolava na cama.

Segurou a mão de Jungkook o impedindo de andar.

- Jungkook… 

- hm? 

Taehyung olhava para Jungkook sentindo algo quente em seu coração. 

Queria agradecer.

Queria se declarar.

Queria dizer que aquilo o fazia se sentir apaixonado.

Mas decidiu dizer outra coisa:

- Você não me quer mesmo?

Jungkook apertava os olhos numa expressão de quem tinha achado ruim enquanto ouvia Taehyung rir baixinho.

- Espera até eu descobrir um castigo pra você, Kim Taehyung. 





 


Notas Finais


E então?
Estamos morrendo de amores?

🥰🥰🥰

Beijos enormes, meus bolinhos! 😘♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...