História Pain,Tear and love - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 6
Palavras 977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


CAPÍTULO NÃO REVISADO!



Boa leitura! :D

Capítulo 3 - Novo trabalho


Fanfic / Fanfiction Pain,Tear and love - Capítulo 3 - Novo trabalho

Acordar cedo continua sendo um grande desafio para mim que não consegue dormir direito durante a noite. São nessas horas que me questiono se devo procurar um profissional para tratar da insônia. Fui à um psicólogo uma vez, e ele me receitou uma dose forte de antidepressivos. Se eu tomei? óbvio que não. Provávelmente, hoje eu seria um viciado. 26 anos nas costas, desempregado, e viciado. Uau! Isso seria péssimo. Por falar em desempregado, tenho uma entrevista de emprego hoje. Não é demais? se for aceito, darei o meu melhor. Fiz umas pesquisas sobre Jeon Jungkook antes de estar cara-a-cara com ele. E poxa, nunca vi homem mais bonito. Não há muitas informações relevantes sobre ele na internet, como relacionamentos passados, família, sexualidade etc. Não que eu me importasse se ele é gay ou não. Mas esse tipo de informação pode vir a calhar um dia. Se eu for contratado, usarei o dinheiro que receber para entrar na faculdade que tanto almejo. Sempre sonhei em me tornar um cirurgião, salvar aqueles que, assim como os meus pais, merecem uma chance de viver. Bom, eles não tiveram essa chance. A perda deles acabou comigo. Foram anos tendo de ir à terapia pós trauma, e não é como se tivesse ajudado em algo. Recordo-me de quando tinha meus 10 anos, mamãe vinha à meu quarto me ninar nas noites tempestuosas. Ela cantava baixinho até eu pegar no sono. Hoje, nem dormir eu conseguia mais. Não poderia, simplesmente, pedir para que minha tia me ninasse. Porra, tenho 26 anos, não tem cabimento. Eu apenas passo a noite em claro quando não consigo ao menos cochilar. 

 

Tomei um banho quente demorado, acordei bem cedo para não ter a chance de me atrasar. Normalmente, não costumo me arrumar muito antes de sair de casa. Um moletom junto de um jeans está de bom tamanho. Mas hoje, resolvi abrir um exceção e caprichar um pouco. Uma calça jeans preta junto de uma camiseta preta de gola alta, sapatos pretos sociais, e por cima, um sobretudo grafite. Eu estava bonito e bem vestido para ir à empresa. Está muito frio, ouvi no jornal que as chances de chover são de 77%, por esse motivo que nem cogitei a ideia de dormir mais um pouco e ir à empresa pela tarde. Não costumo tomar café antes de sair, apenas peguei minha bolsa e chaves em cima do balcão da cozinha e saí. E foi dentro do metrô, tentando ler o painel de avisos  que senti falta de algo.

- Merda!

Havia deixado meus óculos em cima da cama. Como alguém pode esquecer algo tão importante assim num dia desses? Merda, Park Jimin! Não tinha mais como voltar, já havia entrado no metrô. Já em frente à empresa, sem ter tempo para voltar e pegar o óculos, apenas suspiro e adentro o grande prédio. Se a recepção em si já era bonita, quem dirá o restante daquele lugar. 

 

– Bom dia, em que posso ajudar? – disse a moça de cabelos dourados atrás do balcão.

 

– Tenho uma entrevista de emprego com o Sr. Jeon.

 

– Oh! Park Jimin, certo? Ele está o esperando. Última sala do último andar Boa sorte! – disse a loira, sorrindo.

 

Balancei a cabeça em concordância, oferecendo-lhe um sorriso. Apertei o botão para chamar o elevador, olhando um pouco mais a bela recepção. O elevador era espaçoso, as paredes e o teto eram revestidos com espelho. Aposto que só aquele elevador é mais caro que o aluguel da minha casa. Como não dispenso uma boa foto, pego meu celular no bolso do sobretudo e abro o aplicativo da câmera, fazendo poses até que a foto saísse boa. Guardo o celular em minha bolsa ao ouvir o aviso de que havia chegado ao último andar, e saio do elevador, andando pelo corredor até chegar em frente à porta de madeira escura. Bato na mesma, escutando uma voz aveludada dizendo para que entrasse.

 

– Sr. Jeon – disse, fazendo uma reverência.

 

– Você deve ser Park Jimin. – concordei – Min Yoongi avisou que viria.

 

Demorei uns segundos para respondê-lo. Seu corpo bem desenhado pelo paletó prendeu minha atenção.

 

– Vim para a entrevista de emprego. O Min disse que precisa de alguém para ser seu secretário.

 

– Sim. Sente-se, irei dar uma olhada em seu currículo e fazer algumas perguntas, certo? – indicou a cadeira em sua frente para que eu me sentasse, assim o fiz.

 

Ele leu meu currículo com calma, perguntando-me algumas vezes sobre os cursos que fiz. Fiquei feliz em não ter gaguejado ao responder, e passei a me sentir mais confiante. Ele tinha um ar simpático, coisa que não pensei que tivesse. De primeira, pensei que fosse um homem arrogante, cheio de si. Mas depois de ser entrevistado, tive minhas expectativas esmagadas por ele, de um jeito bom.

–Bom, Park Jimin. Passará um mês em teste, espero que se saia bem. Ficarei muito triste em não lhe ter trabalhando para mim.

 

 

– Darei o meu melhor, Sr. Jeon. Fico feliz que o agradei.– Sorri abertamente

 

– Poderá começar amanhã mesmo, esteja aqui às 7:00am. Chegarei antes para poder ajuda-lo a se organizar. – disse, me guiando até a porta. – Foi um prazer conhecê-lo, Jimin.

 

– O prazer foi meu. – sorri para ele, sendo retribuindo igualmente.

 

– Até amanhã, Park. – disse, lançando-me um sorriso perverso.

Me despedi, pegando o elevador e saíndo pelas portas da empresa. Se eu estava feliz? Nunca estive em toda a minha vida.

 

– Yoonie-hyung precisa saber das novidades!

 

Peguei meu celular, discando o número do loiro.

 

– Alô, Yoonie-hyung? você não vai acreditar. A partir de amanhã, serei o novo secretário de Jeon Jungkook! – disse animado.

 

– Parabéns Chiminie! Iremos comer pizza na sua casa hoje e tomar um bom vinho para comemorar. Até mais!

 

Estava muito ancioso, talvez essa seria a minha chance de conseguir entrar para a universidade. Peguei o ônibus, e fui para o mercado comprar alguns petiscos para comer com Yoongi. 


Notas Finais


Favoritem e comentem a opinião de vocês sobre a fic. Adoro ler teorias, então sintam-se a vontade para as expor. (:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...