História Painting The Black With White - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Anna Lightwood, Catarina Loss, Clary Fairchild (Clary Fray), Emma Carstaris, Hodge Starkweather, Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jem Carstairs, Jonathan Christopher Morgenstern, Julian Blackthorn, Kaelie, Luke Graymark, Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray
Tags Clace, Malec, Os Instrumentos Mortais, Romance, Sexo, Shadowhunters, Sizzy, Tmi
Visualizações 408
Palavras 1.390
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está, como prometido, espero que gostem e comentem se acham que devo modificar algo me digam

Capítulo 1 - Welcome Warrior Fairchild


Fanfic / Fanfiction Painting The Black With White - Capítulo 1 - Welcome Warrior Fairchild

Ele era bom.

Foi isso que Stephen Herondale lhe disse quando saiu do escritório de seu pai. Que ele era bom, mas ele não queria ser bom, ele queria ser ótimo, excelente e isso era algo que seu pai nunca o elogiou, Jace sabia que era bom, Imoge o elogiou milhares de vezes, assim como Alec, Izzy e até mesmo Max, mas não era o suficiente, nunca foi, Stephen Herondale, diretor do instituto de Nova York, membro supremo da Clave e seu pai, jamais o elogiaria da maneira que ele queria, Stephen desde muito cedo ensinou Jace que amar era destruir e ser amado era seu destruído, pois quando Celine, sua mãe, o traiu com Michael Wayland, ele ficou fora de si e se tornou um homem frio e rancoroso, disse que só ficou com Celine, por conta dela carregar seu único filho, pois depois de Jace completar 10 anos, ouve um acidente de carro grave, onde sua a mãe e Michael Wayland foram mortos na hora, Jace, por mais que não conhecesse bem a mãe porque ela ficava afastada em um quarto, sempre gostou dela, ela sempre o elogiava, dizia que estava indo muito bem, mas quando ela fazia isso, Stephen dizia que não era para incentivar o menino, era para falar que ele podia ser melhor, eles viviam entrando em brigas, até o acidente, no mesmo dia em que Jace completara dez anos, nunca descobrirão quem poderia ter sido o causador do acidente. Stephen criou Jace para ser um soldado, um shadowhunter, fiel a Clave e firme em seus juramentos, Jace poderia ter 19 anos, mas desde que pode ir para missões e lutar, ele tinha se tornado um dos melhores, assim como Jonathan Caçador de Sombras, mas não era isso que vinha ao caso, seu pai o fez aprender que o amor era algo desnecessário na vida de um Shadowhunter, eles foram feitos para serem soldados, não construírem uma família e abandonar suas origens, ele jamais faria isso, nunca se apaixonou e nunca vai, por mais que seu pai seja firme, ele sempre lhe disse como amar machuca, por isso devemos nos preocupar com nós mesmos, antes de fazer algo pelos outros, mas Stephen sempre disse a Jace que ele não seria como Alec, que achou alguém, ou como Izzy que vivia de porta em porta, Jace brigou com seu pai por falar algo assim de Izzy, mas seu pai, como sempre, o ignorou e lhe disse que seria o melho de todos, pois era um Herondale, e essa família nunca errava, Jace entendeu que seu pai o estava protegendo, pois viu a destruição completa de Alec quando Magnus terminou com ele, também sentiu a dor que parabatai sentia, ele nunca queria sofrer por aquilo, na verdade, nunca irá, nenhuma mulher das quais já passou as noites, o fez sentir qualquer coisa estranha que Alec havia dito a Jace sentia quando estava com Magnus, era algo que Jace fez uma careta e sentiu um enjoo na barriga por tanta melação, então supôs que seu pai estava certo, não é como se ele não ficasse com nenhuma mulher, ele só achava elas completamente desinteressantes, para Jace, não havia nenhum sentido passar o resto da vida com uma pessoa, gritando com ele, como Maryse fazia com Robert, ou vendo ela assumir completamente o controle de tudo e Robert deixar, mas ele a traiu e isso causou uma certa desunião na família Lightwood, pois Alec, Izzy e Max foram morar em Idris por um tempo, Jace não sabia quando voltavam, mas podia dizer que não estava gostando muito de ficar sozinho no instituto, aquilo era muito solitário.

- Jace Herondale. – Chamou a Consulesa, Jia Penhallow, ele olhou para ela e desceu as escadas do instituto.

- Pois não. – Declarou Jace, olhando-a.

- A família Lightwood está voltando daqui um mês. – Anunciou, olhando para a tela do computador que tinha ali.

- Certo... – Jace falou, meio confuso por Jia lhe estar dizendo isso.

- Eles trazem uma garota com eles, ela perdeu a mãe, que estava em uma batalha em Londres contra uma guerra declarada por Sebastian Morgenstern, eles estão a trazendo para manter ela segura, já que Sebastian é irmão dela, esta menina não tem nada ligado a caçada selvagem, já que descobriu que Valentine Morgenstern era seu pai, pelo Irmão Zachariah há pouco tempo, só estou te avisando por não saber quem é ela. – Pronunciou a Consulesa, até que seus olhos pequenos se arregalaram e olharam para a tela do computador com espanto. – Oh meu Deus! – Ela exclamou e todos passaram a olhar para ela, mas antes que pudessem dizer algo, uma rajada de ar atravessou os cabelos loiros de Jace, fazendo-os voar, então um portal abriu no começo da escada e de lá saiu Izzy e Max, sendo arremessados pelo corredor, ela se levantou e ajudou Max, depois veio Alec, também caindo, que olhou e viu que Izzy estava bem, então um enxame de cabelos vermelhos, que cambaleou, mas logo se ajustou a uma posição melhor, atrás dela o portal fechou, todos olhavam para eles, especificadamente para a menina ruiva, seu pai havia saído do escritório e estava no alto das escadas, observando a Consulesa se levantou, mas que falou foi Stephan.

- Clarissa Fairchild. – A voz dele ecoou dali a garota ruiva se virou para olhar para o homem, ele sorria de lado, Izzy pensou que era idêntico ao filho. – Você vai me causar sérios problemas. – Declarou o homem, descendo as escadas, a menina ficou confusa e olhou para ele, que agora se dirigia a mesa da Consulesa, Jace ficou mais ereto quando o pai parou ao lado dele.

- Por que? – Perguntou a menina, claramente confusa, mas não recuando quando Stephen se aproximou e sim caminhando para encontra-lo, Jace continuava intrigado com ela.

- Por esse motivo. – Sibilou ele, olhando-a dentro dos olhos verdes.

- Poderia ser mais específico?. – Pediu ela, olhando-o também.

- Você me enfrenta, assim como fazia a sua mãe, o medo é algo que sua mãe lhe ensinou a transparecer. – Pronunciou, checando a menina, como se a estivesse avaliando-a, a Consulesa deu um passo à frente.

- Muito bem, como conseguiram fazer um portal? – Pediu Jia, Izzy olhou para ela, enquanto Alec levava Max para fora, Clary ainda encarava Stephen e Jace ainda olhava para os dois.

- Clary sabe fazer portais. – Declarou Izzy, a atenção da consulesa se dirigiu a Clary.

- Clarissa, venha até mim. – Ordenou Jia, Clary deu um último olhar a Stephen e foi até a Consulesa.

- Pois não. – Pediu a menina, olhando para Jace de soslaio, rapidamente e depois Jia.

- Você foi um experimento de Valentine, seus poderes lhe dão habilidade para criar runas. – Declarou Jia, como se já soubesse disso, Clary assentiu, a Consulesa deixou sua postura mais relaxada e voltou a falar. – Bem, acho que você deve querer ver o instituto, pode pedir a Jace para leva-la. – Sorriu a mulher, Clary finalmente olhou diretamente para o garoto loiro, mas quando foi abrir a boca, Stephen interrompeu.

- De jeito nenh... – Ele não pode terminar de falar, pois Jia o interrompeu severamente.

- Stephen, venha a minha sala, precisamos conversar. – Ela olhou para trás e sorriu para a jovem. – Jace, leve-a. – Falou entre dentes com o sorriso, depois voltou-se para Stephen e sua postura enrijeceu, os dois subiram as escadas e sumiram pelo corredor, Isabelle havia saído da sala logo depois de Alec e Max. Clary olhou para Jace.

- Aí está o famoso Jace Herondale de quem Izzy não parava de falar. – Sorriu Clary, olhando-o os olhos verdes puros e inocentes o hipnotizando, Jace retribuiu o sorriso, desviando o olhar dos olhos dela.

- Aposto que só ouviu coisas boas. – Auto confiou ele, sorrindo debochado.

- Não. – Ela respondeu diretamente, fazendo-o se surpreender. – Ouvi que você era fechado e solitário, e bem violento. – Declarou.

O sorriso que Jace tinha limpou do rosto.

- Venha, vou te mostrar os quartos. – Anunciou ele, ele sentiu que ela o seguia.

- Idiota. – Sussurrou ela, ele distinguiu que não era para ele ter ouvido, mas ouviu e um sorriso sem dentes passou por seu rosto, iria ser interessante conviver com essa garota, ela não deu bola para ele, não caiu ao seus pés como muitas faziam, ele olhou para trás antes de entrarem no corredor e sumirem.


Notas Finais


Gostaram? Continuo ou paro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...