História Paixão - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Fallen
Personagens Daniel Grigori, Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Lucinda "Luce" Price
Tags Jeon Jung Kook, Jeongguk, Kim Tae Hyung, Kookv, Taegguk, Taekook, Vkook
Visualizações 13
Palavras 1.531
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Último capítulo dessa semana....
Ñ sei se irei postar na próxima, devido às provas de terça-feira (tenho 3, pode isso Jão?¿ Filosofia, Sociologia e História 😒)

Aproveitem o capítulo.... uma pena ele ser curtinho!!!

Capítulo 19 - Más indicações


Jerusalém, Israel • 27 Nissan 2760


— Então, na verdade, ele não é um cara tão ruim? — Shelby perguntou para Jungkook.

Eles estavam sentados no banco exuberante no leito do rio da antiga Jerusalém, observando o horizonte onde os dois anjos caídos tinham acabado de se separar. O mais leve sopro de luz em tons de ouro pendurou-se no céu onde Cam tinha estado, e o ar estava começando a cheirar, um pouco,como ovos podres.

— É claro que não.

Jungkook mergulhou a mão na água fria. Suas asas e sua alma ainda estavam quentes de assistir Cam fazer a sua escolha. Quão simples pareceu para ele. Tão fácil e tão rápido. E tudo por causa de um coração partido.

— É que quando Tae descobriu que você e Cam iniciaram aquela trégua, ele ficou arrasado. Nenhum de nós conseguia entender — Shelby olhou para Miles por afirmação. — Podíamos?

— Nós pensamos que você estava escondendo algo do Tae — Miles tirou o boné de beisebol e esfregou sua cabeça. — Tudo o que sabíamos de Cam é que ele era supostamente o puro mal.

Shelby fez garras com os dedos.

— Todo selvagem e rawr! e algo assim.

— Poucas almas são puramente qualquer coisa — Jungkook disse — no Céu, no inferno ou na Terra.

Ele se virou, olhando alto no céu ao leste procurando uma pitada de pó de prata que 'Jungkook' teria deixado quando desfraldou suas asas e voou para longe. Não havia nada.

— Desculpe — Shelby disse — mas é tão estranho pensar em vocês como irmãos.

— Nós éramos todos uma família em certo ponto.

— Sim, mas, há muito tempo atrás.

— Você acha que só porque algo tem seguido um caminho por alguns milhares de anos, aquilo está fixado por toda a eternidade — Jungkook balançou a cabeça. — Tudo está em fluxo. Eu estava com Cam na Aurora do Tempo e vou vê-lo no Fim dos Tempos.

As sobrancelhas de Shelby dispararam em descrença.

— Você acha que Cam vai voltar? Como, ver o lado da luz novamente?

Jungkook começou a levantar.

— Nada permanece o mesmo para sempre.

— E o seu amor por Taehyung? — Miles perguntou.

Isso congelou Jungkook.

— Isso está mudando também. Ele vai ser diferente, depois desta experiência. Eu só espero que...

Ele olhou para Miles, que ainda estava sentado no banco, e Jungkook percebeu que não o odiava. Do seu jeito imprudentemente idiota, o Nephilim estava tentando ajudar.

Pela primeira vez, Jungkook podia dizer sinceramente que ele não precisa mais de ajuda, ele tinha conseguido toda a ajuda que ele precisava ao longo do caminho de cada um de seus eus anteriores.

Agora, finalmente, estava pronto para alcançar Taehyung.

Por que ele ainda estava parado aqui?

— Está na hora de vocês dois irem para casa — falou, ajudando Shelby, então Miles a levantar.

— Não — Shelby disse, estendendo a mão para Miles, que lhe retribuiu. — Nós fizemos um pacto. Não vamos voltar enquanto não soubermos se ele está...

— Não vai demorar — Jungkook interrompeu. — Eu acho que sei onde encontrá-lo, e não é um lugar onde vocês dois podem ir.

— Vamos, Shel.

Miles já estava descascando a sombra da oliveira perto da margem do rio. Ela minou e rodou em suas mãos e parecia desajeitada por um momento, como oleiro de barro, a ponto de tirar o molde da roda. Mas então Miles dominou-a, girando-a em um portal preto impressionantemente grande. Ele abriu o Anunciador levemente, apontando para Shelby atravessar primeiro.

— Você está ficando bom nisso.

Jungkook havia tirado seu próprio Anunciador, convocando-o da sombra de seu próprio corpo. Ele tremeu diante dele. Já que os Nephilins não estavam aqui através de suas próprias experiências passadas, eles teriam de saltar de Anunciador para Anunciador para voltar para seu próprio tempo. Seria difícil, e Jungkook não invejava a sua jornada, mas ele os invejava porque estavam indo para casa.

— Jungkook — a cabeça de Shelby saiu do Anunciador. Seu corpo parecia distorcido e turvo através das sombras. — Boa sorte.

Ela e Miles acenaram e os dois atravessaram. A sombra se fechou em um ponto pouco antes de desaparecer. Jungkook não viu isso acontecer. Ele já tinha ido.

Vento frio o chicoteava. Ele acelerou, mais rápido do que já tinha viajado antes, de volta a um lugar e um tempo, para o qual ele nunca pensou que iria voltar.

— Ei — uma voz gritou. Era rouca, grosseira e parecia vir bem ao lado de Jungkook. — Vá com calma, sim?

Jungkook se afastou para longe do som.

— Quem é você? — ele gritou para a escuridão invisível. — Faça-se conhecido.

Quando nada apareceu diante dele, Jungkook desfraldou suas ondulantes asas brancas – tanto para desafiar o intruso dentro de seu Anunciador quanto para ajudá-lo a diminuir sua velocidade. Elas iluminaram o Anunciador com seu brilho, e Jungkook sentiu a tensão dentro dele amenizar um pouco.

Totalmente estendidas, suas asas mediam a largura do túnel. Suas pontas estreitas eram as mais sensíveis ao toque; quando roçaram nas paredes úmidas do Anunciador, Jungkook teve uma sensação nauseada e claustrofóbica.

Na escuridão diante dele, uma figura lentamente filtrou a vista.

Primeiro, as asas: demasiadamente pequenas, leves e finas. Então, o corpo se aprofundou na cor apenas o suficiente para Jungkook ver um pequeno e pálido anjo, partilhando seu Anunciador.

Jungkook não o conhecia. As características do anjo eram suaves e de aparência inocente, como as de um bebê. No túnel apertado, o seu cabelo loiro soprou em seus olhos prateado com o vento que as asas de Jungkook mandavam a cada vez que pulsavam. Ele parecia tão jovem, mas é claro, ele era tão velho quanto qualquer um deles.

— Quem é você? — Jungkook perguntou novamente. — Como chegou aqui? Você é da Escala?

— Sim.

Apesar de sua aparência inocente e infantil, a voz do anjo era profunda e grave. Ele estendeu a mão por trás das costas por um momento, e Jungkook pensou que talvez ele estava escondendo alguma coisa lá – talvez, seu tipo de dispositivo de captura – mas o anjo simplesmente virou-se para revelar a cicatriz na parte de trás do pescoço. A insígnia de ouro de sete pontas da Escala.

— Eu sou da Escala — sua voz profunda era áspera e rouca. — Eu gostaria de falar com você.

Jungkook rangeu os dentes. A Escala deve ter sabido que ele não tinha respeito por eles ou suas intrometidas funções. Mas não importava o quanto ele detestava suas maneiras elevadas, buscando sempre empurrar os caídos para um lado: Ele ainda tinha que honrar seus pedidos. Algo parecia estranho sobre este, mas quem além de um membro da Escala poderia ter encontrado um caminho para dentro de seu Anunciador?

— Estou com pressa.

O anjo assentiu como se ele já soubesse disso.

— Você busca por Taehyung?

— Sim — Jungkook deixou escapar. — Eu... Eu não preciso de ajuda.

— Você precisa — o anjo balançou a cabeça. — Você perdeu a sua saída — ele apontou para baixo, em direção ao lugar no túnel vertical de onde Jungkook tinha acabado de vir. — Bem lá atrás.

— Não...

— Sim — o anjo sorriu, mostrando uma fileira de dentes minúsculos e irregulares. — Nós esperamos e observamos. Vemos quem viaja pelos Anunciadores e para onde vão.

— Eu não sabia que o policiamento dos Anunciadores caiu sob a jurisdição da Escala.

— Há muito que você não sabe. Nosso monitor pegou um vestígio da passagem dele. Ele estará bem em seu caminho até agora. Você deve ir atrás dele.

Jungkook enrijeceu. A Escala eram os únicos anjos que tinham a visão concedida entre Anunciadores. Era possível que um membro da Escala tivesse visto as viagens de Taehyung.

— Por que quer me ajudar a encontrá-lo?

— Oh, Jungkook — o anjo fez uma careta. — Taehyung é uma parte do seu destino. Queremos que você encontre-o. Queremos que você seja fiel a sua natureza.

— E então, passar para o lado do Céu — Jungkook rosnou.

— Um passo de cada vez — o anjo comprimiu suas asas ao seu lado e despencou através do túnel. — Se você quiser alcançá-lo — sua voz profunda ressoou — eu estou aqui para lhe mostrar o caminho. Eu sei onde os pontos de conexão estão. Posso abrir um portal entre a série de tempos passados. — Então, quase sussurrando — Sem compromisso.

Jungkook estava perdido. A Escala tinha sido um incômodo para ele desde a Guerra no Céu, mas pelo menos seus motivos eram transparentes. Eles queriam que ele passasse para o lado do Céu. Era isso.

Ele imaginou que isso conviria a eles, levá-lo até Taehyung se pudessem. Talvez o anjo estivesse certo. Um passo de cada vez. Tudo o que importava era Taehyung.

Ele enfiou as asas ao seu lado como o anjo tinha feito e sentiu seu corpo se movimentando através da escuridão. Quando alcançou o anjo, ele parou.O anjo apontou.

— Taehyung atravessou por ali.

O caminho da sombra era estreito e perpendicular ao caminho que Jungkook estava. Não parecia mais certo ou errado do que para onde Jungkook tinha se dirigido antes.

— Se isso funcionar — ele disse — eu lhe devo. Se não, eu vou te caçar.

O anjo não disse nada.

Então Jungkook saltou antes de olhar, sentindo um vento úmido lamber suas asas, uma corrente apanhá-lo novamente e acelerando-o junto, e ouvindo – em algum lugar distante atrás dele – o mais fraco som de risada.


Notas Finais


😵😵😵
...
..
😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...