1. Spirit Fanfics >
  2. Paixão a Queima Roupa.- ( Jeon Jungkook) >
  3. 02

História Paixão a Queima Roupa.- ( Jeon Jungkook) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura e sorry pelos erros!

Capítulo 2 - 02



"Amo você. Hoje e para todo o sempre."- Anthony.


Eu ainda não estava acreditando.


S/n: Porque você me deixou...- Sussurei.


Eu estava acabada.

Era pra hoje ser o dia mais feliz da minha vida, o dia que eu ansiava no fundo do coração..

Estava tudo certo. Igreja, flores, meu vestido, as pessoas que eu amava, a família dele, a minha...e ele.

Mas não.

Eu estava nesse momento me preparando para me despedir do homem que eu amava.

O homem que eu queria ao meu lado pro resto da vida.

O homem que eu desejava que fosse o pai dos meus filhos.

Um homem íntegro, sincero, honesto e que deixava claro o quanto me amava.


Estava com um vestido até a altura do joelho e preto. Meu cabelo estava solto para tentar amenizar a minha expressão de dor e meu rosto cheio de maquigem.

Estava na base dos calmantes. E não sei como não estava dopada.

Estava no carro com um amigo ao meu lado segurando a minha mão.


"S/n.."


Eu o encarei e tentei segurar mais uma lágrima. Foi em vão.


"Estou aqui ok?! vamos superar isso.."


Eu desabei em lágrimas.

Chegamos ao local e ele abriu a porta e saiu. Fez a volta a me ajudou a descer.

Ele pôs a mão na minha cintura e me guiou até onde estava um pequeno grupo de pessoas.

A família do Anthony era muito reservada.

Encarei meu pai com a esposa dele do outro lado, ele estava abalado mas não demonstrava.

Parei com o homem me segurando para mim não desabar.


"Queridos familiares e amigos, é com muito pesar e uma dor profunda que vamos nos despedir do querido Anthony..." -O padre disse.

Encarei o caixão fechado em minha frente e contive um grito.


S/n: Não me deixe...- Sussurrei.- Não va por favor..


Um pedaço do meu peito tinha ido com ele.


S/n: Anthony por favor...

"Calma S/n.."- Ele me abraçou contra o corpo dele.


Observei o padre terminar de prestar a homenagem. E vi meu sogro e minha sogra virem me abraçar.


"Vamos ficar bem querida.."- A mãe dele disse.

"Vamos ser fortes.." -O pai completou.


Eles se despediram e eu vi as pessoas uma a uma me desejando forças pra seguir em frente.


James: Filha..


Eu levantei meus olhos.


James: Vou terminar de acertar as coisas do enterro ok..?!


Apenas assenti.

Meu pai me abraçou apertado e beijou minha testa.


James: Eu sinto muito meu amor..


Ele saiu em seguida acompanhado da esposa.

Foi tão de repente que nem eu nem a família dele tivemos como providenciar as coisas. Ficou sob responsabilidade do papai.

Quando me dei conta só estava eu e Tomás.


Tomás: Vamos S/n..

S/n: Me deixa ficar mais um pouco com ele por favor..

Tomás: Tudo bem..


Ele estava me amparando desde o momento em que eu recebi a notícia de que meu noivo tinha sido assassinado de forma cruel.

Sem piedade..

Faltando poucas horas para o nosso casamento.


Encarei a lápide e tentei não querer morrer também.

Foi impossível.


Tomás: Vamos..

S/n: Por favor...- Pedi novamente.


Ouvi um barulho de carro se aproximando mas não conseguir me virar para saber quem era.

Senti algumas gotas de chuva cair, uma a uma..


Tomás: Vou pegar um guarda-chuva.- Ele me soltou e saiu. 


A chuva estava ganhando intensidade, e a julgar a distância de onde o carro estava estacionado. Iria demorar.

Encarei a aliança em meu dedo e respirei fundo.


S/n: Não faz isso comigo Anthony...


As lágrimas estavam caindo sem eu perceber.

Vi duas pessoas pararem ao meu lado mas não olhei quem era.


"Eu sinto muito..muito mesmo..."


Era uma voz masculina.

Fiquei levemente confusa e virei meu rosto para ver quem era o sujeito.


Ele encarava a lápide em silêncio enquanto estava sentado em uma cadeira de rodas.

Quis perguntar quem era ele. Nunca o vi antes..

Ele possuia fortes traços asiáticos e o cabelo era comprido pelo que tinha percebido. Já que estava em um coque.

Observei que ele segurava uma rosa branca e o vi jogar a rosa em cima da lápide.


Voltei a olhar para frente.


"Senhor. Vamos?"


Olhei novamente e vi um outro homem se aproximar segurando um guarda-chuva protegendo o asiático das gotas.


"Só um minuto..." - O homem respondeu.


Involuntariamente me virei totalmente para ve-lo.


Ele se virou em minha direção também. Ele estava com os olhos baixos.

Eu o encarei e franzi o cenho.


Quem é você...


Eu estava ensopada da água da chuva e meu cabelo grudava no meu rosto e no meu pescoço.

Ele levantou os olhos e me encarou profundamente.


Ele tinha um olhar intenso, muito intenso..

Ele levou uma mão a gravata onde a afrouxou e eu percebi que ele possuia algumas tatuagens na mão e no pescoço.


Mas quem é você...


Não disse nada ao moreno, e ele também não me disse absolutamente nada.

Me senti fraca..terrivelmente fraca.


"Vamos senhor?"- O homem ao lado do moreno disse.


O moreno limpou a garganta e assentiu com a cabeça.

Em seguida ele saiu e eu voltei minha atenção ao túmulo.


Franzi o cenho e encarei a rosa no chão.

Ouvi o barulho do motor do carro e em seguida eles sumiram.


Senti uma mão no meu braço.


Tomás: Vamos. A chuva está muito forte.- Ele abriu o guarda-chuva e me levou para o carro.


Entramos e ele deu partida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...